SlideShare uma empresa Scribd logo
Eletricidade Geral
Eletricidade Geral Prof. Alex
Teorema de
Thévenin
Teorema de Thévenin
Eletricidade Geral Prof. Alex
“Todo circuito composto por elementos lineares pode ser
substituído por um gerador de tensão formado por uma fonte de
tensão equivalente ( VTh ) em série com uma resistência interna
equivalente ( RTh ) ”
Gerador de Tensão
equivalente de Thévenin
Circuito complexo
Teorema: Proposição que pode ser demonstrada
por meio de um processo lógico.
Teorema de Thévenin
Eletricidade Geral Prof. Alex
VTH: Tensão em aberto entre A e
B
RTH: Resistência equivalente vista
pelos pontos A e B.
Para reduzirmos o circuito em um gerador equivalente de Thévenin,
temos que achar:
Teorema de Thévenin
Eletricidade Geral Prof. Alex
Como exemplo, no circuito abaixo, queremos determinar a tensão e a
corrente no resistor R5 = 910 Ω
Teorema de Thévenin
Eletricidade Geral Prof. Alex
3. Calcula VTh por Kirchhoff (Lei das Malhas)
Cálculo de VTh :
Aplicando Kirchhoff na malha, temos:
– R
1
+ 12 – R
2
– 3 – R
4
– R
3
= 0
1. Retira o resistor R5
2. Deixa os terminais do resistor em aberto: A e B;
– 100 I + 12 – 330 I – 3 – 100 I – 470 I = 0
9 – 1000 I = 0
– 1000 I = – 9
I = . – 9 .= 0,009 A ou 9 mA
– 1000
Teorema de Thévenin
Eletricidade Geral Prof. Alex
Depois de calculada a corrente da
malha (I = 9 mA), podemos encon-
trar VTh:
VTh = 3 + (100 . 0,009)
VTh = 3 + 0,9
VTh = 3,9 V
Como o ramo AB está em paralelo
com o ramo ( E
2
+ V
R4
), temos:
VTh = E
2
+ V
R4
Teorema de Thévenin
Eletricidade Geral Prof. Alex
4. Cálculo de RTh :
Para calcular RTh devemos curto-circuitar as fontes E
1
e E
2
.
Olhando para a associação de resistores através dos pontos A e B, temos:
1. Série de R
1
, R
2
e R
3
:
R
A
= 100 + 330 + 470
R
A
= 900 Ω
2. R
A
em paralelo com R
4
:
RTh = . 900 . 100 .= . 90000 .
900 + 100 1000
RTh = . 90 Ω
Teorema de Thévenin
Eletricidade Geral Prof. Alex
5. Gerador equivalente de Thévenin:
Teorema de Thévenin
Eletricidade Geral Prof. Alex
6. Calculo da corrente e da tensão em R5 .
Para isso devemos conectá-lo novamente no circuito equivalente.
Aplicando a Lei de Ohm, temos:
I = . V .
Req
Req = 90 + 910 .= 1000 Ω
I = . 3,9 . = 0,0039 A ou 3,9 mA
1000
V = R
5
. I
V = 910 . 0,0039 = 3,55 V
Teorema de Thévenin
Eletricidade Geral Prof. Alex
Resumindo:
1.Retira-se o resistor que se quer calcular ;
2.Deixa os terminais do resistor em aberto: Pontos A e B;
3.Calcula-se VTh por Kirchhoff (Lei das Malhas);
4.Calcula-se RTh (Resistor equivalente visto do ponto AB);
5.Monta-se o gerador equivalente de Thévenin;
6.Adiciona-se o resistor ao gerador equivalente de Thévenin;
7.Calcula-se a corrente e a tensão no resistor escolhido.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

exercicios thevenin e norton
exercicios thevenin e nortonexercicios thevenin e norton
exercicios thevenin e norton
Marina Sartori
 
Relatório de física 3 lei de ohm
Relatório de física 3  lei de ohmRelatório de física 3  lei de ohm
Relatório de física 3 lei de ohm
Antonio Rizonaldo Lima de Oliveira
 
Corrente elétrica
Corrente elétricaCorrente elétrica
Corrente elétrica
fisicaatual
 
Associação de Resistores
Associação de ResistoresAssociação de Resistores
Associação de Resistores
Aryleudo De Oliveira
 
Aula 5 (capacitância).ppt
Aula 5 (capacitância).pptAula 5 (capacitância).ppt
Aula 5 (capacitância).ppt
Michael Esclapes
 
Rc rl rlc
Rc rl rlcRc rl rlc
Rc rl rlc
Henrique Delgado
 
Circuitos elétricos 2
Circuitos elétricos 2Circuitos elétricos 2
Circuitos elétricos 2
msmarquinhos
 
circuitos ca trifásico-21-1-2015
 circuitos ca trifásico-21-1-2015 circuitos ca trifásico-21-1-2015
circuitos ca trifásico-21-1-2015
Leonardo Mendonça
 
Estudo dos Geradores (2017)
Estudo dos Geradores (2017)Estudo dos Geradores (2017)
Estudo dos Geradores (2017)
Marco Antonio Sanches
 
Teorema de thévenin
Teorema de théveninTeorema de thévenin
Teorema de thévenin
Javier de la Cruz
 
43640380 mecanica-vetorial[2]
43640380 mecanica-vetorial[2]43640380 mecanica-vetorial[2]
43640380 mecanica-vetorial[2]
afpinto
 
Porque raiz 3 nos circuitos trifasicos
Porque raiz 3 nos circuitos trifasicosPorque raiz 3 nos circuitos trifasicos
Porque raiz 3 nos circuitos trifasicos
Alex Davoglio
 
3 Métodos para calcular a corrente de curto circuito (1) (7)
3 Métodos para calcular a corrente de curto circuito (1) (7)3 Métodos para calcular a corrente de curto circuito (1) (7)
3 Métodos para calcular a corrente de curto circuito (1) (7)
Sala da Elétrica
 
Aula 23 -Fasores I (1) (1).pdf
Aula 23 -Fasores I (1) (1).pdfAula 23 -Fasores I (1) (1).pdf
Aula 23 -Fasores I (1) (1).pdf
GuilhermeButzke3
 
Leis de Kirchhoff e teorema da substituição
Leis de Kirchhoff e teorema da substituiçãoLeis de Kirchhoff e teorema da substituição
Leis de Kirchhoff e teorema da substituição
Adilson Nakamura
 
Sinais senoidais
Sinais senoidaisSinais senoidais
Sinais senoidais
Cassio Gonçalves Costa
 
Aula 11 associação de resistores
Aula 11   associação de resistoresAula 11   associação de resistores
Aula 11 associação de resistores
Montenegro Física
 
Potência em ca
Potência em ca  Potência em ca
Potência em ca
Guilherme Neves
 
Corrente alternada circuitos
Corrente alternada circuitosCorrente alternada circuitos
Corrente alternada circuitos
Oi S.A
 
Relatório final de física ii eletricidade
Relatório final de física ii   eletricidadeRelatório final de física ii   eletricidade
Relatório final de física ii eletricidade
Cristiano Da Silva Silva
 

Mais procurados (20)

exercicios thevenin e norton
exercicios thevenin e nortonexercicios thevenin e norton
exercicios thevenin e norton
 
Relatório de física 3 lei de ohm
Relatório de física 3  lei de ohmRelatório de física 3  lei de ohm
Relatório de física 3 lei de ohm
 
Corrente elétrica
Corrente elétricaCorrente elétrica
Corrente elétrica
 
Associação de Resistores
Associação de ResistoresAssociação de Resistores
Associação de Resistores
 
Aula 5 (capacitância).ppt
Aula 5 (capacitância).pptAula 5 (capacitância).ppt
Aula 5 (capacitância).ppt
 
Rc rl rlc
Rc rl rlcRc rl rlc
Rc rl rlc
 
Circuitos elétricos 2
Circuitos elétricos 2Circuitos elétricos 2
Circuitos elétricos 2
 
circuitos ca trifásico-21-1-2015
 circuitos ca trifásico-21-1-2015 circuitos ca trifásico-21-1-2015
circuitos ca trifásico-21-1-2015
 
Estudo dos Geradores (2017)
Estudo dos Geradores (2017)Estudo dos Geradores (2017)
Estudo dos Geradores (2017)
 
Teorema de thévenin
Teorema de théveninTeorema de thévenin
Teorema de thévenin
 
43640380 mecanica-vetorial[2]
43640380 mecanica-vetorial[2]43640380 mecanica-vetorial[2]
43640380 mecanica-vetorial[2]
 
Porque raiz 3 nos circuitos trifasicos
Porque raiz 3 nos circuitos trifasicosPorque raiz 3 nos circuitos trifasicos
Porque raiz 3 nos circuitos trifasicos
 
3 Métodos para calcular a corrente de curto circuito (1) (7)
3 Métodos para calcular a corrente de curto circuito (1) (7)3 Métodos para calcular a corrente de curto circuito (1) (7)
3 Métodos para calcular a corrente de curto circuito (1) (7)
 
Aula 23 -Fasores I (1) (1).pdf
Aula 23 -Fasores I (1) (1).pdfAula 23 -Fasores I (1) (1).pdf
Aula 23 -Fasores I (1) (1).pdf
 
Leis de Kirchhoff e teorema da substituição
Leis de Kirchhoff e teorema da substituiçãoLeis de Kirchhoff e teorema da substituição
Leis de Kirchhoff e teorema da substituição
 
Sinais senoidais
Sinais senoidaisSinais senoidais
Sinais senoidais
 
Aula 11 associação de resistores
Aula 11   associação de resistoresAula 11   associação de resistores
Aula 11 associação de resistores
 
Potência em ca
Potência em ca  Potência em ca
Potência em ca
 
Corrente alternada circuitos
Corrente alternada circuitosCorrente alternada circuitos
Corrente alternada circuitos
 
Relatório final de física ii eletricidade
Relatório final de física ii   eletricidadeRelatório final de física ii   eletricidade
Relatório final de física ii eletricidade
 

Semelhante a Teorema de Thevenin alex

Teorema de thévenin e norton
Teorema de thévenin e nortonTeorema de thévenin e norton
Teorema de thévenin e norton
Claudio Arkan
 
Theven iaula9ce
Theven iaula9ceTheven iaula9ce
Theven iaula9ce
zeu1507
 
Laboratório 2.pptx
Laboratório 2.pptxLaboratório 2.pptx
Laboratório 2.pptx
jacklima19
 
Exercícios de thevénin
Exercícios de thevéninExercícios de thevénin
Exercícios de thevénin
Gabriel Dutra
 
IPP UFSC Nocoes basicas de circuitos eletricos.pdf
IPP UFSC Nocoes basicas de circuitos eletricos.pdfIPP UFSC Nocoes basicas de circuitos eletricos.pdf
IPP UFSC Nocoes basicas de circuitos eletricos.pdf
MussageVirgilioSaide
 
Aposteletrotecnica2
Aposteletrotecnica2Aposteletrotecnica2
Aposteletrotecnica2
resolvidos
 
Unidade Curricular Modelagem e Simulação de Sistemas Elétricos e Magnéticos.pdf
Unidade Curricular Modelagem e Simulação de Sistemas Elétricos e Magnéticos.pdfUnidade Curricular Modelagem e Simulação de Sistemas Elétricos e Magnéticos.pdf
Unidade Curricular Modelagem e Simulação de Sistemas Elétricos e Magnéticos.pdf
JeffersonMonteiro46
 
fisca
fiscafisca
Cap1_Pdwawd awd awd aw daw daw daw d awE.pptx
Cap1_Pdwawd awd awd aw daw daw daw d awE.pptxCap1_Pdwawd awd awd aw daw daw daw d awE.pptx
Cap1_Pdwawd awd awd aw daw daw daw d awE.pptx
TrajetoPolicial
 
Lei de kirchoff
Lei de kirchoffLei de kirchoff
Lei de kirchoff
Robson Lopes
 
Superposicao fonte
Superposicao fonteSuperposicao fonte
Superposicao fonte
Alessandro Camolesi
 
Aula1 tensão corrente_alunos
Aula1 tensão corrente_alunosAula1 tensão corrente_alunos
Aula1 tensão corrente_alunos
Ana Paula Dias Pacífico
 
Lista 2 medidas
Lista 2   medidasLista 2   medidas
Lista 2 medidas
Eberson-Thyss Oliveira
 
Experimento de Franck-Hertz
Experimento de Franck-Hertz Experimento de Franck-Hertz
Experimento de Franck-Hertz
Luã Sevalho Catique
 
Conversores
ConversoresConversores
Conversores
Débora Amorim
 
Corrente elétrica Fisica
Corrente elétrica FisicaCorrente elétrica Fisica
Corrente elétrica Fisica
Lucas Pinheiro
 
03_Circuitos Elétricos em CC.pdf
03_Circuitos Elétricos em CC.pdf03_Circuitos Elétricos em CC.pdf
03_Circuitos Elétricos em CC.pdf
Emerson Assis
 
03_Circuitos Elétricos em CC.pdf
03_Circuitos Elétricos em CC.pdf03_Circuitos Elétricos em CC.pdf
03_Circuitos Elétricos em CC.pdf
Emerson Assis
 
Redes equivalentes e Teoremas sobre redes
Redes equivalentes e Teoremas sobre redesRedes equivalentes e Teoremas sobre redes
Redes equivalentes e Teoremas sobre redes
JOANESMARTINSGALVAO
 
Corrente aula2
Corrente aula2Corrente aula2
Corrente aula2
ISJ
 

Semelhante a Teorema de Thevenin alex (20)

Teorema de thévenin e norton
Teorema de thévenin e nortonTeorema de thévenin e norton
Teorema de thévenin e norton
 
Theven iaula9ce
Theven iaula9ceTheven iaula9ce
Theven iaula9ce
 
Laboratório 2.pptx
Laboratório 2.pptxLaboratório 2.pptx
Laboratório 2.pptx
 
Exercícios de thevénin
Exercícios de thevéninExercícios de thevénin
Exercícios de thevénin
 
IPP UFSC Nocoes basicas de circuitos eletricos.pdf
IPP UFSC Nocoes basicas de circuitos eletricos.pdfIPP UFSC Nocoes basicas de circuitos eletricos.pdf
IPP UFSC Nocoes basicas de circuitos eletricos.pdf
 
Aposteletrotecnica2
Aposteletrotecnica2Aposteletrotecnica2
Aposteletrotecnica2
 
Unidade Curricular Modelagem e Simulação de Sistemas Elétricos e Magnéticos.pdf
Unidade Curricular Modelagem e Simulação de Sistemas Elétricos e Magnéticos.pdfUnidade Curricular Modelagem e Simulação de Sistemas Elétricos e Magnéticos.pdf
Unidade Curricular Modelagem e Simulação de Sistemas Elétricos e Magnéticos.pdf
 
fisca
fiscafisca
fisca
 
Cap1_Pdwawd awd awd aw daw daw daw d awE.pptx
Cap1_Pdwawd awd awd aw daw daw daw d awE.pptxCap1_Pdwawd awd awd aw daw daw daw d awE.pptx
Cap1_Pdwawd awd awd aw daw daw daw d awE.pptx
 
Lei de kirchoff
Lei de kirchoffLei de kirchoff
Lei de kirchoff
 
Superposicao fonte
Superposicao fonteSuperposicao fonte
Superposicao fonte
 
Aula1 tensão corrente_alunos
Aula1 tensão corrente_alunosAula1 tensão corrente_alunos
Aula1 tensão corrente_alunos
 
Lista 2 medidas
Lista 2   medidasLista 2   medidas
Lista 2 medidas
 
Experimento de Franck-Hertz
Experimento de Franck-Hertz Experimento de Franck-Hertz
Experimento de Franck-Hertz
 
Conversores
ConversoresConversores
Conversores
 
Corrente elétrica Fisica
Corrente elétrica FisicaCorrente elétrica Fisica
Corrente elétrica Fisica
 
03_Circuitos Elétricos em CC.pdf
03_Circuitos Elétricos em CC.pdf03_Circuitos Elétricos em CC.pdf
03_Circuitos Elétricos em CC.pdf
 
03_Circuitos Elétricos em CC.pdf
03_Circuitos Elétricos em CC.pdf03_Circuitos Elétricos em CC.pdf
03_Circuitos Elétricos em CC.pdf
 
Redes equivalentes e Teoremas sobre redes
Redes equivalentes e Teoremas sobre redesRedes equivalentes e Teoremas sobre redes
Redes equivalentes e Teoremas sobre redes
 
Corrente aula2
Corrente aula2Corrente aula2
Corrente aula2
 

Último

oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
marcos oliveira
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
FLAVIOROBERTOGOUVEA
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
mozalgebrista
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa CivilSeminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
EduardoLealSilva
 
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CristviaFerreira
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
VictorEmanoel37
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.pptNR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
Vanessa F. Rezende
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa CivilSeminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
 
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.pptNR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
 

Teorema de Thevenin alex

  • 1. Eletricidade Geral Eletricidade Geral Prof. Alex Teorema de Thévenin
  • 2. Teorema de Thévenin Eletricidade Geral Prof. Alex “Todo circuito composto por elementos lineares pode ser substituído por um gerador de tensão formado por uma fonte de tensão equivalente ( VTh ) em série com uma resistência interna equivalente ( RTh ) ” Gerador de Tensão equivalente de Thévenin Circuito complexo Teorema: Proposição que pode ser demonstrada por meio de um processo lógico.
  • 3. Teorema de Thévenin Eletricidade Geral Prof. Alex VTH: Tensão em aberto entre A e B RTH: Resistência equivalente vista pelos pontos A e B. Para reduzirmos o circuito em um gerador equivalente de Thévenin, temos que achar:
  • 4. Teorema de Thévenin Eletricidade Geral Prof. Alex Como exemplo, no circuito abaixo, queremos determinar a tensão e a corrente no resistor R5 = 910 Ω
  • 5. Teorema de Thévenin Eletricidade Geral Prof. Alex 3. Calcula VTh por Kirchhoff (Lei das Malhas) Cálculo de VTh : Aplicando Kirchhoff na malha, temos: – R 1 + 12 – R 2 – 3 – R 4 – R 3 = 0 1. Retira o resistor R5 2. Deixa os terminais do resistor em aberto: A e B; – 100 I + 12 – 330 I – 3 – 100 I – 470 I = 0 9 – 1000 I = 0 – 1000 I = – 9 I = . – 9 .= 0,009 A ou 9 mA – 1000
  • 6. Teorema de Thévenin Eletricidade Geral Prof. Alex Depois de calculada a corrente da malha (I = 9 mA), podemos encon- trar VTh: VTh = 3 + (100 . 0,009) VTh = 3 + 0,9 VTh = 3,9 V Como o ramo AB está em paralelo com o ramo ( E 2 + V R4 ), temos: VTh = E 2 + V R4
  • 7. Teorema de Thévenin Eletricidade Geral Prof. Alex 4. Cálculo de RTh : Para calcular RTh devemos curto-circuitar as fontes E 1 e E 2 . Olhando para a associação de resistores através dos pontos A e B, temos: 1. Série de R 1 , R 2 e R 3 : R A = 100 + 330 + 470 R A = 900 Ω 2. R A em paralelo com R 4 : RTh = . 900 . 100 .= . 90000 . 900 + 100 1000 RTh = . 90 Ω
  • 8. Teorema de Thévenin Eletricidade Geral Prof. Alex 5. Gerador equivalente de Thévenin:
  • 9. Teorema de Thévenin Eletricidade Geral Prof. Alex 6. Calculo da corrente e da tensão em R5 . Para isso devemos conectá-lo novamente no circuito equivalente. Aplicando a Lei de Ohm, temos: I = . V . Req Req = 90 + 910 .= 1000 Ω I = . 3,9 . = 0,0039 A ou 3,9 mA 1000 V = R 5 . I V = 910 . 0,0039 = 3,55 V
  • 10. Teorema de Thévenin Eletricidade Geral Prof. Alex Resumindo: 1.Retira-se o resistor que se quer calcular ; 2.Deixa os terminais do resistor em aberto: Pontos A e B; 3.Calcula-se VTh por Kirchhoff (Lei das Malhas); 4.Calcula-se RTh (Resistor equivalente visto do ponto AB); 5.Monta-se o gerador equivalente de Thévenin; 6.Adiciona-se o resistor ao gerador equivalente de Thévenin; 7.Calcula-se a corrente e a tensão no resistor escolhido.