SlideShare uma empresa Scribd logo
Manual de Estágio Supervisionado Híbrido 2021
ÁREA DE
LINGUAGENS E
SOCIEDADE
LICENCIATURAS
LETRAS
HISTÓRIA
FORMAÇÃO PEDAGÓGICA EM
LETRAS
HISTÓRIA
SEGUNDA LICENCIATURA EM
LETRAS
HISTÓRIA
ENSINO
Curitiba/PR
2021
SUMÁRIO
3	Apresentação
6	 1. FORMATOS PARA O DESENVOLVIMENTO DO
ESTÁGIO SUPERVISIONADO
6	 Ensino (Licenciaturas)
7	 2. BASE LEGAL
8	 3. DIMENSÕES DO ESTÁGIO
9	 4. ETAPAS DO ESTÁGIO
9	 4.1 Possibilidade 1
10	 4.2 Possibilidade 2
11	 4.3 Possibilidade 3
11	 4.4 Possibilidade 4
12	 5. EXPLICANDO O ESTÁGIO DE ENSINO PARA AS
LICENCIATURAS
12	 1º momento – Carta de apresentação
14	 2º momento – Termo de compromisso
17	 3º momento – Plano de ação/aula
17	 4º momento – Ficha de frequência
17	 5º momento – Produção conceitual
20	 ANEXO I
23	 ANEXO II
25	 ANEXO III
28	 ANEXO IV
40	 ANEXO V
3
APRESENTAÇÃO
“Quando se une a prática com a teoria tem-se a práxis, a ação
criadora e modificadora da realidade”
(Paulo Freire)
Neste manual, encontram-se todas as diretrizes a respeito do
estágio supervisionado de seu curso de Licenciatura do Centro
Universitário Internacional Uninter. Estas normas e orientações
são fundamentais para o desenvolvimento das atividades, pois
contribuem para a organização, o planejamento e a operacio-
nalização no ano de 2021, abrangendo todos os estudantes
matriculados nas disciplinas de estágio curricular, independente-
mente se concluinte ou não no corrente ano.
O estágio supervisionado sofreu alterações em seu formato
ao longo dos últimos anos, tanto para atender às necessidades
da legislação quanto para acompanhar os avanços tecnológicos
e respeitar o contexto em que o documento foi criado. Dessa
forma, em um esforço pedagógico, com a edição do Manual de
Estágio Híbrido do ano 2021, todos os estágios foram unificados.
Portanto, a partir deste ano, somente terão validade as práticas
realizadas de acordo com este documento.
Com o papel imprescindível de conciliar teoria e prática,
o estágio curricular supervisionado permite aos estudantes
e egressos dos diversos cursos a experiência por meio da aplica-
ção dos fundamentos e dos conhecimentos adquiridos durante
sua formação acadêmica.
4
O estágio supervisionado constitui-se em um processo de
transição do estudante para o profissional, proporcionando
ao estudante a oportunidade de demonstrar os conhecimentos,
habilidades, atitudes e valores. É também o momento no qual
se torna possível o reconhecimento das competências daqueles
profissionais que já atuam na área. Além disso, o estágio pro-
picia a aprendizagem na convivência e a realização de distintas
atividades, desde o planejamento até a transposição didática
nos diferentes assuntos de seu curso de formação.
Nesse sentido, o estágio supervisionado deve favorecer
a descoberta, ser um processo dinâmico de aprendizagem em
diferentes áreas de atuação no campo profissional e em situa-
ções reais em contextos possíveis da futura atuação profissional.
É uma honra adentrar em distintos espaços para observar, anali-
sar e praticar atividades. Aproveite este momento para demons-
trar os princípios éticos que regem sua atuação na sociedade da
fluidez. Estenda sua mão para os profissionais e para as famílias,
conviva de forma harmônica, saiba o momento de apresentar
e aceitar ideias.
Os princípios que norteiam o estágio supervisionado estão
assim distribuídos: sólida formação teórica e interdisciplinar;
união entre teoria e prática; trabalho coletivo e interdisciplinar;
compromisso social e valorização do profissional da educação;
gestão democrática e participativa; avaliação diagnóstica e for-
mativa; e regulação.
O estágio supervisionado híbrido pode ser realizado em
um dos formatos disponíveis: ENSINO (para Licenciaturas) /
PROFISSIONAL (para Bacharelados), EXTENSÃO (para
Licenciaturas e Bacharelados) e/ou INICIAÇÃO CIENTÍFICA (para
Licenciaturas e Bacharelados). Portanto, temos três manuais
para atender aos distintos tipos de estágio supervisionado.
5
Para o desenvolvimento das atividades no formato escolhido,
o estudante tem como opção três formas: PRESENCIAL, que
compreende a participação presencial física do estudante em
determinado espaço; HÍBRIDA, que compreende realização do
estágio supervisionado com presença física e presença digital
(on-line); ON-LINE, que compreende o estágio supervisionado
realizado totalmente com presença digital (on-line).
Por fim, o princípio da pesquisa em que o tema analisado
no estágio supervisionado poderá ser aprofundado no traba-
lho de conclusão de curso (TCC), seguindo as linhas indicadas
neste manual.
Somos gratos por estarmos ao seu lado nesta etapa de sua
formação e em um momento excepcional para humanidade.
Saudações acadêmicas!
Equipe Multidisciplinar de Professores e Administrativos da
Área de Linguagens e Sociedade
Profa. Dra. Deisily de Quadros
Coordenadora da Área de Linguagens e Sociedade
Profa. Dra. Dinamara Pereira Machado
Diretora da Escola de Educação
Profa. Me. Cristiane Dall Agnol da Silva Benvenutti
Professora e Coordenadora da Área de Práticas
Simone Barbosa Prestes
Analista de Projetos
6
1.	 FORMATOS PARA O
DESENVOLVIMENTO DO ESTÁGIO
SUPERVISIONADO
O estágio supervisionado oferece ao estudante a possibilidade
de conhecer cenários de atuação ligados aos diferentes níveis
de ensino e contextos educacionais. Para realizar cada disciplina
de estágio supervisionado, pode optar por um formato entre
os três apresentados a seguir.
Ensino (Licenciaturas)
O estudante dos cursos de Licenciaturas realizará seus está-
gios supervisionado tanto por um profissional do Centro
Universitário Internacional Uninter quanto da escola ou da insti-
tuição onde realizará o estágio em diferente contexto. Em todos
os seus estágios, vivenciará o ambiente educacional da escola
ou da instituição de diferente contexto com público das diversas
etapas da Educação Básica. Por meio de observação participante,
produção e aplicação de Plano de Aula (docência), obterá evidên-
cias e aprendizagens, articulando seu conhecimento acadêmico
com a prática vivida, o que contribuirá para sua formação profis-
sional docente.
Lembramos, ainda, que existem outros tipos de estágio
supervisionado:
	
‘ Profissional: destinado prioritariamente para os cursos de
Bacharelados.
7
	
‘ Extensão: destinado para Licenciatura e Bacharelados, reali-
zado em parceria com Polo de Apoio Presencial.
	
‘ Iniciação científica: destinado para Licenciaturas e
Bacharelados, realizado a partir de 5 (cinco) participações
na linha de pesquisa do curso e outra do grupo de pesquisa
EAD, presencial e híbrido – vários cenários profissionais, de
gestão, de currículo, de aprendizagem e políticas públicas.
2.	 BASE LEGAL
O estágio é regulamentado nacionalmente com fundamento em
quatro prismas:
1.	 Diretriz Curricular da área de formação de professores, que
dispõe, de forma sistêmica, como deve acontecer o estágio
supervisionado em todos os cursos de licenciatura.
2.	 Diretriz Curricular do curso, que, a partir da diretriz nacional,
especifica como devem ser as atividades de estágio supervi-
sionado de cada curso.
3.	 Plano Nacional de Educação, que aponta o direcionamento
do estágio em todos os cursos.
4.	 Lei do Estágio Remunerado, que trata das normas para
o estágio remunerado e das implicações para o estudante
e para a empresa contratante.
Ao aparato legal no ano de 2020 acrescentam-se as norma-
tivas da Portaria MEC n. 544, de 16 de junho de 2020, da Nota
Técnica Conjunta CGLNRS/DPR/SERES/SERES n. 17/2020 e do
Parecer n. 5, de 28 de abril de 2020.
8
3.	 DIMENSÕES DO ESTÁGIO
Ao tratarmos do estágio supervisionado, devem consideradas
as seguintes dimensões:
POLÍTICA
Construir rede de relacio-
namentos, oportunizar
a empregabilidade e
consolidar a escolha
profissional.
SOCIAL
Reconhecer a convivência e o aprendi-
zado coletivo no desenvolvimento de
COMPETÊNCIAS, a fim de ressignificar
seu papel na sociedade, para que esta
seja mais justa e democrática e respeite
a diversidade humana.
TRANSPOSIÇÃO
Aplicar os conhecimentos
de acordo com as neces-
sidades e a realidade
de aprendizagem dos
estudantes.
POLÍTICA	
	
S
O
C
I
A
L
	
	
T
R
A
N
S
P
O
S
I
Ç
Ã
O
A partir das dimensões de formação, estrutura-se como
objetivo:
	
‘ Reconhecer a liberdade de aprender, ensinar, pesquisar
e divulgar a cultura, o pensamento, a arte e o saber; o plu-
ralismo de ideias e de concepções pedagógicas; o respeito
à liberdade e o apreço à tolerância; a valorização do profis-
sional da educação; a gestão democrática e participativa dos
ensinos público e privado; a garantia de um padrão de quali-
dade; a valorização da experiência extraescolar; a vinculação
entre a educação escolar, o trabalho e as práticas sociais;
o respeito à diversidade étnico-racial e sua valorização,
9
entre outros, constituem princípios vitais para a melhoria
e a democratização da gestão e do ensino.
4.	 ETAPAS DO ESTÁGIO
O estágio supervisionado está atrelado à TURMA em que o estu-
dante está matriculado e estruturado em uma sequência de
etapas. Para cumprir cada etapa, o estudante, em seu AVA, na
Área Trabalhos, dispõe de links que são abertos em sequência,
de acordo com a etapa cumprida ou a cumprir. Assim, as etapas
estão vinculadas às turmas e, por consequência, pode existir
estudante no mesmo Polo de Apoio Presencial com configura-
ções distintas dessas etapas. Por essa É fundamental que estu-
dantes e profissionais de Polos de Apoio Presencial percebam
que não existe um formato único de postagem, mas sim 4 (qua-
tro) diferentes tipos de postagem.
A seguir, demonstramos cada possibilidade de sequência de
etapas que o estudante pode ter em seu AVA Univirtus, con-
forme a TURMA de matrícula.
4.1 Possibilidade 1
A Possibilidade 1 aparece no AVA dos estudantes matricula-
dos entre os anos de 2012 e 2015, nos cursos de Licenciaturas,
sendo, portanto, uma característica de turmas antigas.
Mantém-se essa possibilidade porque há estudantes que esta-
vam com status “trancado” e retornaram aos cursos de origem e,
10
na perspectiva de facilitar a continuidade das atividades ante-
riormente realizadas, aplica-se o mesmo formato.
ETAPA 1
1ª CHAMADA ENTREGA DO
RELATÓRIO
Termo no AVA
Plano de Estágio Supervisionado
Ensino
+ Ficha de Frequência
+ Produção Conceitual
ETAPA 2
2ª CHAMADA ENTREGA DO
RELATÓRIO
SOMENTE SE NÃO POSTOU NA
1ª ETAPA
Termo no AVA
Plano de Estágio Supervisionado
Ensino
+ Ficha de Frequência
+ Produção Conceitual
ETAPA 3
REFEITOS ENTREGA DO
RELATÓRIO
SOMENTE SE REPROVOU OU NÃO
POSTOU NA 1ª E 2ª ETAPAS
Termo no AVA
+ Ficha de Frequência
+ Produção Conceitual
4.2 Possibilidade 2
Aplica-se a Possibilidade 2 para as turmas entre 2016 e 2017.
Semelhantemente ao que acontece na Possibilidade 1, mantém-
-se essa opção porque há estudantes que estavam com status
“trancado” e retornaram aos cursos de origem.
ETAPA 1
1ª CHAMADA
TERMO DE
COMPROMISSO
Postagem
do Termo de
Compromisso
no sistema
ETAPA 2
2ª CHAMADA
TERMO DE
COMPROMISSO
SOMENTE SE
NÃO POSTOU
NA 1ª ETAPA
Postagem
do Termo de
Compromisso
no sistema
ETAPA 3
REFEITOS
TERMO DE
COMPROMISSO
SOMENTE SE
REPROVOU OU
NÃO POSTOU
NA 1ª E 2ª
ETAPAS
Postagem
do Termo de
Compromisso
no sistema
ETAPA 5
2ª CHAMADA
ENTREGA DO
RELATÓRIO
Plano de
Estágio
Supervisionado
Ensino
+ Ficha de
Frequência
+ Produção
Conceitual
ETAPA 4
ENTREGA DO
RELATÓRIO
Plano de
Estágio
Supervisionado
Ensino
+ Ficha de
Frequência/
Declaração
+ Produção
Conceitual
ETAPA 6
REFEITOS
Plano de
Estágio
Supervisionado
Ensino
+ Ficha de
Frequência
+ Produção
Conceitual
11
4.3 Possibilidade 3
Tendo em vista a mesma necessidade de adequação, aplica-se
a Possibilidade 3 para as turmas de 2018.
ETAPA 1
TERMO DE COMPROMISSO
Postagem do Termo de
Compromisso no sistema
ETAPA 2
Ficha de frequência
ETAPA 3
Plano de Estágio Supervisionado
Ensino
+ Produção Conceitual
4.4 Possibilidade 4
Após o avanço nas discussões pedagógicas e com vistas à imple-
mentação de melhorias tecnológicas, está vigente, desde o ano
de 2019, o formato da Possibilidade 4 de estágio supervisionado
para os cursos de Licenciaturas e de Bacharelados.
ETAPA 1
Termo de Compromisso
ETAPA 2
PLano de Estágio
ETAPA 3
Ficha de Frequência
ETAPA 4
Produção Conceitual
É obrigatória a realização de todo o fluxo administrativo e
pedagógico do estágio supervisionado para autorização, reali-
zação e comprovação das disciplinas de estágio supervisionado.
12
5.	 EXPLICANDO O ESTÁGIO DE
ENSINO PARA AS LICENCIATURAS
O estudante dos cursos de Licenciaturas realizará seus está-
gios, supervisionado tanto por um profissional do Centro
Universitário Internacional Uninter quanto da escola ou da insti-
tuição onde realizará o estágio em diferente contexto. Em todos
os seus estágios, vivenciará o ambiente educacional da escola
ou da instituição de diferente contexto com público das diversas
etapas da Educação Básica. Por meio de observação participante,
produção e aplicação de Plano de Aula (docência), obterá evidên-
cias e aprendizagens, articulando seu conhecimento acadêmico
com a prática vivida, o que contribuirá para sua formação profis-
sional docente.
Para realização do estágio supervisionado, é IMPRESCINDÍVEL
observar todos os momentos a seguir indicados:
1º momento – Carta de apresentação
O primeiro passo para desenvolver o estágio no formato ensino
é apresentar-se para uma escola ou instituição de diferente con-
texto, que é chamada de Unidade Concedente, a qual vai recebê-
-lo e supervisioná-lo no desenvolvimento do estágio. Para tanto,
você deve levar uma Carta de Apresentação – documento que
inicia a disciplina de Estágio Supervisionado. Nesse documento,
além de apresentarmos VOCÊ, repassamos orientações acerca
de suas atividades para que a aprendizagem e o compromisso
13
de todos estejam presentes durante essa nova etapa de
sua formação.
Para obtê-la, siga os passos a seguir:
1.	 No Anexo I, você encontrará o modelo da Carta de
Apresentação, com lacunas para preenchimento.
2.	 Você deve imprimir a Carta de Apresentação, que já está assi-
nada pela Coordenação do curso, e preencher seus dados de
acordo com os dados da matrícula do estágio supervisionado,
identificando em qual estágio você está matriculado.
3.	 A Carta de Apresentação pode ser entregue presencialmente
na Unidade Concedente ou, atendendo ao disposto na
Portaria MEC n. 544, de 16 de junho de 2020, na Nota Técnica
Conjunta CGLNRS/DPR/SERES/SERES n. 17/2020 e no Parecer
n. 5, de 28 de abril de 2020, pode ser enviada de forma
on-line para Unidade Concedente.
IMPORTANTE: Ainda que o estágio supervisionado seja reali-
zado em grupo, a Carta de Apresentação deve ser individual.
OBSERVAÇÃO: A Carta de Apresentação não é postada no
sistema, mas comprova para a Unidade Concedente a matrí-
cula do estudante, dá respaldo legal e estabelece a primeira
comunicação entre o Centro Universitário Internacional Uninter
e a Unidade Concedente. Após o Aceite da Unidade Concedente
em receber o estudante e supervisioná-lo, inicia-se o processo
de realização da sequência dos demais momentos do estágio
supervisionado.
14
2º momento – Termo de compromisso
O Termo de Compromisso é um documento jurídico previsto na
Lei nº 11.788, de 25 de setembro de 2008.
O Termo de Compromisso é preenchido a partir dos dados do
sistema. Portanto, após o preenchimento dos dados no ato da
matrícula, o estudante é o responsável direto pelas informações.
Aconselhamos que você confira os dados antes de iniciar os pro-
cedimentos do Termo de Compromisso. No Anexo II, você encon-
tra um passo a passo para preenchimento desse termo no AVA.
Para obter a validação desse documento, observe as seguintes
orientações:
1.	 Antes de preencher o Termo de Compromisso, colete todas
as informações necessárias com a Unidade Concedente
(escola/instituição estagiada).
•	 Carga horária: (horas de atuação em campo).
•	 Unidade concedente: (insira o nome da instituição).
•	 Endereço: (insira o endereço da instituição).
•	 Inscrição no CNPJ: (insira o número do CNPJ da instituição).
•	 Supervisor de estágio: (insira o nome do profissional
da escola estagiada e o nome do Profa. Dra. Deisily de
Quadros).
•	 Descrição das atividades: (descreva brevemente as ati-
vidades que executará em campo no estágio) – as ativida-
des devem ter relação com a temática do estágio: Ensino
Fundamental Anos Finais, Ensino Médio, gestão educacio-
nal, diferentes contextos.
15
OBSERVAÇÃO SOBRE A CLÁUSULA 4ª: Esse campo (no AVA
aparece como “Descrição de atividades”) é destinado ao preen-
chimento das atividades a serem desenvolvidas em campo
de estágio, conforme o formato escolhido. É imprescindível
informar o formato escolhido – Ensino – e as atividades efeti-
vamente realizadas em seu estágio, como: observação das aulas,
levantamento de dados sobre a escola, elaboração do Plano de
Aula, docência, elaboração da Produção Conceitual, entre outros.
2.	 Com as informações coletadas em mãos, clique na aba
Trabalhos, dentro da disciplina do estágio em curso e, em
seguida, clique no link Entregar Termo de Compromisso.
Nesse espaço, insira todas as informações para preenchi-
mento indicadas no item anterior.
3.	 Em seguida, clique em Gerar Ficha. O sistema gerará
o Termo de Compromisso em PDF devidamente preenchido.
4.	 Entregue o Termo de Compromisso presencialmente ou,
atendendo ao disposto na Portaria MEC n. 544, de 16 de
junho de 2020, na Nota Técnica Conjunta CGLNRS/DPR/
SERES/SERES n. 17/2020 e no Parecer nº 5, de 28 de abril
de 2020, envie de forma on-line para a Unidade Concedente
carimbar e assinar.
IMPORTANTE: A Unidade Concedente deve devolver a você
o documento devidamente digitalizado em aplicativo de scanner,
inclusive a partir de aparelho de celular. Não será validado docu-
mento em foto de aparelho celular ou similar.
16
5.	 Após receber da Unidade Concedente o Termo de
Compromisso carimbado e assinado, você deverá postar no
AVA Univirtus, no link Trabalhos – Postagem do Termo de
Compromisso e aguardar a análise da Central de Estágio.
IMPORTANTE: Ainda que o estágio seja realizado em grupo,
o Termo de Compromisso deve ser individual.
6.	 A Central de Estágio receberá o documento e fará a análise
e a devolutiva (Deferido ou Indeferido) no prazo de 2 dias
úteis. Somente é possível iniciar o estágio supervisionado
após o deferimento do Termo de Compromisso de Estágio
Supervisionado.
IMPORTANTE: Iniciar o estágio supervisionado antes do deferi-
mento do termo resulta em reprovação da atividade de estágio
supervisionado, por estar em desacordo com a legislação.
7.	 Caso o Termo de Compromisso seja DEFERIDO, basta impri-
mir ou baixar o arquivo com carimbo e assinatura do repre-
sentante do Centro Universitário Internacional Uninter para
entregar para a Unidade Concedente de forma presencial,
híbrida ou on-line.
8.	 O Termo de Compromisso deferido tem validade de
1 ano (12 meses) para a realização e o término do estágio
supervisionado.
17
3º momento – Plano de ação/aula
O Plano de Ação/Aula é o documento no qual são apresentadas
as atividades a serem desenvolvidas durante o período do está-
gio híbrido supervisionado no formato Ensino. Para postagem,
é imprescindível verificar em qual turma o estudante está matri-
culado, pois é a partir da turma que se configura a possibilidade
de postagem, ou seja, uma entre as quatro possibilidades que
foram demonstradas anteriormente.
O Plano de Ação/Aula pode ser postado individualmente ou, em
caso de realização em grupo, devem ser acrescentados o nome
e o RU de todos os participantes. Quando realizado em grupo, ape-
nas um dos membros do grupo deve fazer a postagem do Plano de
Ação/Aula. No Anexo III, consta um exemplo de plano de aula.
4º momento – Ficha de frequência
A Ficha de Frequência contém toda carga horária estipulada para
o estágio a ser cumprido. Nela é apresentada cada atividade
com a respectiva carga horária, totalizando, ao final, a soma das
horas exigidas.
Quando o estágio é realizado em grupo, cada estudante deve
ter sua Ficha de Frequência e realizar a postagem de forma indi-
vidual. O modelo de ficha de frequência se encontra no roteiro
de estudo.
5º momento – Produção conceitual
A Produção Conceitual do estágio supervisionado no formato
Ensino para Licenciaturas é idêntica para todas as turmas,
18
independentemente do ano de matrícula ou do curso escolhido
e das possibilidades de postagem no AVA Univirtus.
A Produção Conceitual pode ser desenvolvida em grupo de
até 4 (quatro) estudantes, desde que todos estejam inscritos na
mesma oferta/turma da disciplina de Estágio Supervisionado.
No ato da postagem, é imprescindível inserir a identificação (RU)
de todos os estudantes, e somente um estudante deve realizar
a postagem da Produção Conceitual.
A Produção Conceitual é o resultado de um conjunto de
fatores vivenciados, como estudo, pesquisa e produção escrita,
relacionados às experiências adquiridas com as atividades de
campo. Na Produção Conceitual são apresentados os aprendiza-
dos em uma estrutura acadêmico-científica, contribuindo para
a formação profissional.
A composição obrigatória da Produção Conceitual deve contem-
plar os seguintes itens:
	
‘ Capa
	
‘ Sumário
	
‘ Introdução (entre 1 e 2 páginas)
	
‘ Desenvolvimento (entre 10 e 15 páginas)
	
‘ Considerações finais (entre 1 e 2 páginas)
	
‘ Referências
19
IMPORTANTE: Será considerada cópia todo e qualquer docu-
mento que apresentar semelhança literal em mais de 30% do
texto. Cópia de Produção Conceitual é considerada PLÁGIO
e será desconsiderada como avaliação autoral individual ou
do grupo.
No Anexo IV consta o template para a elaboração da
Produção Conceitual.
ANEXO I
21
CARTA DE APRESENTAÇÃO
____________________________________________
[Nome da cidade, dia, mês e ano]
Ilmo(a) Senhor(a),
Na condição de Coordenadora dos Cursos da Área de
Linguagens e Sociedade da Escola Superior de Educação –
Centro Universitário Internacional Uninter, formalizo a apresen-
tação do(a) aluno(a) regularmente matriculado(a):
Nome completo: RU:
Registro Acadêmico:
CURSO
__LICENCIATURA
__FORMAÇÃO PEDAGÓGICA
__2ª LICENCIATURA
Em:
___________________________________________
___________________________________________
Necessita realizar ______ horas (equivalente a 30% da carga
horária total do estágio) na Instituição Concedente referente
ao estágio de _____________________________________ [inserir deno-
minação do estágio supervisionado], sendo:
	
‘ _____ Observação participativa;
	
‘ _____ Atuação.
Este estágio não cria vínculo empregatício de qualquer natu-
reza entre o Estagiário e a Unidade Concedente.
Na vigência do presente estágio, o estudante estará incluído
na cobertura do SEGURO CONTRA ACIDENTES PESSOAIS da
22
METLIFE, Apólice n. 82.01432, proporcionado pelo Centro
Universitário Internacional Uninter, denominado Instituição
de Ensino.
Em nome dos alunos e da Diretoria Acadêmica do Centro
Universitário Internacional Uninter, agradeço a inestimável cola-
boração a ser prestada por Vossa Senhoria aos nossos alunos
e às nossas alunas.
Profa. Dra. Deisily de Quadros
Coordenadora da Área de Linguagens e Sociedade
Escola Superior de Educação – Uninter
ANEXO II
24
TERMO DE COMPROMISSO
O Termo de Compromisso de Estágio é celebrado entre
o aluno, a Unidade Concedente e o Centro Universitário
Internacional Uninter, no qual estão determinadas a vigência,
a carga horária, as atividades, a apólice de seguros e as respon-
sabilidades de cada uma das partes.
O Termo de Compromisso não será mais disponibilizado no
material complementar na disciplina do estágio.
O aluno deverá realizar o seguinte o passo a passo:
Acessar o AVA.
Clicar na “disciplina
do estágio”.
Na aba “Termo de
Compromisso e Carta
de Apresentação”,
está disponível o
informativo, que
deverá ser preenchido
em conjunto com a
Unidade Concedente.
Após o preenchi-
mento do infor-
mativo, clicar em
“Trabalhos”.
Clicar na chamada
referente ao período
da entrega.
Clicar em “Entregar
Termo de
Compromisso”.
Preencher todas
as informações do
estágio.
Clicar em “Gerar
documento/ficha”.
Imprimir a 1ª via.
Levar à Unidade
Concedente do
estágio e recolher as
assinaturas.
Digitalizar o Termo
de Compromisso
devidamente
assinado por todas
as partes, postar no
AVA e aguardar a
análise.
Se deferido, o aluno
poderá iniciar suas
atividades em
campo.
A utilização de Termo de Compromisso em modelo antigo acar-
retará o indeferimento.
ANEXO III
26
ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO
PLANO DE AÇÃO/AULA
1. Identificação
Disciplina: ______________________________
Ano/Série: _________
2. Conteúdo da aula ou projeto de ensino
Apresente o conteúdo (componente curricular) que será abor-
dado na aula.
3. Objetivos
Indique 3 (três) objetivos do Plano de Aula ou do Projeto de
Ensino que contemplem, de maneira clara, o que se pretende
atingir. Os objetivos devem iniciar com um verbo no infinitivo.
4. Síntese do assunto (pressupostos
teóricos do conteúdo)
Apresente aqui os principais conceitos e autores que embasam
o Plano de Aula ou o Projeto de Ensino. Cite dois ou três autores
do campo de conhecimento de seu curso de Licenciatura que
fundamentam seu Plano de Aula ou Projeto (ou seja, o conteúdo
a ser desenvolvido na aula toma quais autores como base?).
Liste esses autores e suas ideias principais. Não se esqueça de,
27
ao citá-los, indicar o ano da obra pesquisada. Essas obras deve-
rão constar no relatório, no item REFERÊNCIAS.
5. Desenvolvimento da aula ou do projeto
(introdução, desenvolvimento e
encerramento, em formato de texto
detalhado)
Descreva detalhadamente as ações, atividades e exercícios que
serão desenvolvidos para atingir os objetivos pretendidos.
6. Recursos
Descreva os recursos tecnológicos educacionais que serão utili-
zados para desenvolver o Plano de Aula ou o Projeto de Ensino
(por exemplo: projetor, rádio, televisão, quadro de giz, entre
outros).
7. Referências
Liste todas as referências utilizadas.
ANEXO IV
29
ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO
DA PRODUÇÃO CONCEITUAL
A Produção Conceitual deverá ser composta pelas seguintes
etapas:
	
‘ Capa
	
‘ Sumário
	
‘ Introdução (entre 1 e 2 páginas)
	
‘ Desenvolvimento (entre 10 e 15 páginas)
	
‘ Considerações finais (entre 1 e 2 páginas)
	
‘ Referências
IMPORTANTE: Será considerada cópia todo e qualquer docu-
mento que apresentar semelhança literal em mais de 30% do
texto. Cópia de Produção Conceitual é considerada PLÁGIO
e será desconsiderada como avaliação autoral individual ou
do grupo.
Veja, a seguir, as particularidades de cada uma dessas etapas.
1. Introdução
Na introdução, você deve descrever uma apresentação geral
do estágio, ou seja, a sua percepção sobre a relevância da
atividade para sua formação profissional, além de descrever
o local estagiado, apresentando, assim, o lócus explorado para
a construção do estágio. Por questões que envolvem a ética na
30
pesquisa, é proibido identificar nominalmente o espaço esta-
giado. Identifique-o com nome fictício.
A introdução deve apresentar, de forma breve, todos os itens
de sua produção conceitual e, obrigatoriamente, deve conter:
	
‘ Objetivos do estágio.
	
‘ Onde ele foi realizado – instituição presencial ou remota
(descrição do local).
	
‘ Metodologia – Como o estágio está estruturado?
	
‘ Atividades desenvolvidas no estágio.
2. Desenvolvimento
Inicie o desenvolvimento com um texto de dois a cinco pará-
grafos indicando quais itens/atividades compõem o desenvol-
vimento de seu estágio. Em seguida, descreva cada atividade
realizada ao longo de seu estágio (modalidade educação), obser-
vando a sequência apresentada a seguir:
2.1  Estado da arte
Estado da Arte é uma metodologia de pesquisa para verificar
pesquisas científicas realizadas que se relacionam com o tema
do Plano de Ação de seu estágio, a fim de contribuir com a fun-
damentação teórica para sua Produção Conceitual.
Como fazer?
	
‘ Passo 1 – Acessar a base de dados da Capes ou o Google
Acadêmico.
31
	
‘ Passo 2 – No tema do seu Plano de Ação, separe palavras-
-chaves que o definem, o que, nessa metodologia, chama-
mos de descritores.
	
‘ Passo 3 – Na busca da base de dados, digitar o descritor
entre “aspas”. Você verificará que aparecerão diversos arti-
gos, dissertações ou teses com essa palavra ou expressão.
	
‘ Passo 4 – Filtrar temas da área de conhecimento da
Educação e um período de tempo, por exemplo: 2010 a 2020.
	
‘ Passo 5 – Entre os trabalhos que restaram, escolher temas
que conversam com seu tema.
	
‘ Passo 6 – Abrir os resumos e ver aqueles que contribuem em
teoria e pesquisa prática para seu tema.
	
‘ Passo 7 – Elaborar o texto de desenvolvimento, relacionando
seu Plano de Ação com os aprendizados gerados nessa pes-
quisa do Estado da Arte. (1 a 2 páginas)
2.2  Campo externo remoto – Análise Imagética
Neste tópico, você deverá inserir sua ficha de análise do filme,
OU documentário, OU espaço cultural virtual. Dessa forma,
primeiro você escolhe 1 (um) filme, OU 1 (um) documentário, OU
1 (um) espaço cultural virtual que esteja relacionado com seu
Plano de Ação/Aula. Após assistir ao filme ou ao documentário,
ou visitar virtualmente o espaço cultural escolhido, deverá pro-
duzir o respectivo texto. (2 a 3 páginas)
32
Para a elaboração do texto, sugerimos observar os questio-
namentos a seguir sobre o filme/documentário a que assistiu ou
o espaço cultural que visitou:
2.2.1 Contexto
	
‘ Identifique o tema central do documentário, ou do filme, ou
do espaço cultural virtual.
	
‘ Caracterize o tema. Político? Religioso? Moral? Social?
	
‘ Em qual contexto se passa o documentário, ou o filme, ou
o espaço cultural virtual? Urbano, rural, ambos? O que
predomina?
	
‘ Qual o tipo de ambiente predominante? Físico: natureza,
campo, montanha, praia, cidade, fazenda etc. Social: algum
agrupamento social específico, família, amigos, trabalhado-
res, times, nobres etc.
2.2.2 Roteiro
	
‘ Apresente de que forma ocorre a introdução do documentá-
rio, ou do filme, ou do espaço cultural virtual. Como a temá-
tica central é introduzida?
	
‘ Além dos elementos históricos ou baseados em fatos reais,
há algum indício de ficção?
	
‘ Há uma unidade na narrativa? Os fatos se encadeiam logica-
mente ou são episódios mais independentes/autônomos?
	
‘ Há diferentes temporalidades apresentadas? Os fatos retra-
tados ocorrem simultaneamente ou não?
33
2.2.3 Ambiente/espaço
	
‘ Qual(is) é(são) o(s) local(is) dos acontecimentos? Há mais de
um lugar central? O ambiente ou cenário se destaca na nar-
rativa? É detalhadamente apresentado?
	
‘ Nas cenas predominam os elementos físicos do ambiente ou
se destacam mais aspectos emocionais ou psicológicos?
	
‘ Qual é o histórico do espaço visitado?
	
‘ Qual é a composição do acervo?
	
‘ Qual é a importância desse espaço cultural para a comuni-
dade local, brasileira, mundial?
	
‘ Como é a estrutura e como são os recursos do espaço
visitado?
2.2.4 Personagens
	
‘ Sobre as características que compõem os personagens ou
pessoas apresentadas, quais aspectos psicológicos se desta-
cam? Os personagens são calmos, obsessivos, serenos, frios,
objetivos, maquiavélicos, bondosos etc.?
	
‘ O uso desses aspectos mencionados conduz de alguma
maneira a construção da própria narrativa? De que forma?
	
‘ Quais são os elementos que você destacaria para a composi-
ção e o andamento da narrativa?
2.2.5 Reflexões interdisciplinares
	
‘ Quais foram suas impressões após ter assistido ao documen-
tário/filme ou ter visitado o espaço cultural virtual?
	
‘ Há, ao longo do documentário, ou do filme, ou espaço
cultural virtual, algum elemento que tenha feito você
34
estabelecer relações com algum conhecimento prévio seu
(outro filme, leitura literária, expressão e produção das artes
plásticas etc.)?
2.2.6 Relações com sua formação acadêmica pedagógica
	
‘ Quais aspectos que se relacionam com seu curso?
	
‘ Aponte as contribuições para a unidade curricular de estágio.
	
‘ Em quais temas de seu curso você poderia utilizar o docu-
mentário, ou o filme, ou o espaço cultural virtual?
De que forma?
	
‘ De que forma o documentário, ou o filme, ou o espaço cultu-
ral virtual contribui para sua formação?
2.2.7 Ficha técnica
Por último, preencha a ficha técnica a seguir, que expressa de
forma resumida seu texto:
Nome/título do filme ou documentário ou espaço cultural:
Ano (produção do filme/documentário ou inaugura-
ção do espaço cultural):
País de origem:
Palavras-chave: Idade recomendada filme/documentário
ou público e tipo de interação possível com
o acervo do espaço cultural:
Gênero filme/documentário: Cor filme/documentário:
Direção filme/documentário: Idioma filme/documentário:
Elenco principal filme/documentário:
35
Identificação – imagem e categoria do espaço visitado:
Composição do acervo do espaço visitado (salas, temas, principais obras):
Importância local/regional/nacional/mundial do espaço visitado:
Duração do filme/documentário ou da visita ao espaço cultural:
Informações de produção1
ou histórico do espaço visitado:
Restrições:
Sinopse do filme/documentário ou resumo do que é possível conhecer no espaço cultural:
Conteúdos explícitos2
: Conteúdos implícitos3
:
Interdisciplinaridade com outras áreas4
:
Observações:
1	 Informações de produção: são informações como locações, custos de produção,
adaptações de livros, entre outras, e que possibilitam ao professor contextualizar o uso
da obra. Essas informações também podem estabelecer ações interdisciplinares com
outras áreas.
2	 Conteúdos explícitos: são aqueles conteúdos que a narrativa/acervo apresenta de
forma clara e direta, ou seja, que o aluno identifica sem dificuldades. Podem represen-
tar um desdobramento do assunto.
3	 Conteúdos implícitos: são aqueles que, de alguma forma, podem ser subentendidos
na narrativa/acervo. Não ocupam uma cena principal, porém fazem parte, implicita-
mente, da história. Podem surgir em diálogos, ações, figurinos, cenários, músicas ou
outras formas.
4	 Interdisciplinaridade com outras áreas: relaciona as áreas que podem estabelecer
diálogos com a área principal. A interdisciplinaridade ocorre, ou pode ser proposta,
a partir da área de formação do professor que propõe a utilização do documentário.
36
FICHA PARA ANÁLISE DO ESPAÇO CULTURAL
ORIENTAÇÕES PARA O PREENCHIMENTO DO RELATÓRIO
DE VISITA CULTURAL
Kramer diz: “[...] para ser educativa, a arte precisa ser arte e não
arte educativa; do mesmo modo, para ser educativo, o museu
precisa ser espaço de cultura e não um museu educativo. É na
sua precípua ação cultural que se apresenta a possibilidade
de ser educativo. O museu não é lugar de ensinar a cultura,
mas, sim, lugar de cultura” (KRAMER, apud, LEITE e OSTETTO,
2005, p.36).
1. IDENTIFICAÇÃO
ALUNO(S):
ESPAÇO CULTURAL:
DISCIPLINA: Estágio Supervisionado
CIDADE E DATA:
DURAÇÃO DA VISITA:
2. APRESENTAÇÃO
Breve relato sobre o espaço cultural, histórico, localização, atuação cultural, outras informações relevan-
tes sobre o espaço visitado.
3. DESENVOLVIMENTO
Escreva um texto contendo os seguintes itens:
	
‘ Descrição do espaço.
	
‘ Foram recepcionados por ...cargo...
	
‘ Visita aos seguintes setores:
	
‘ Existem programas de incentivo a participação da comunidade?
	
‘ Contexto histórico da exposição visitada;
	
‘ Justificativa para escolha da exposição ou do espaço cultural e destaque da relevância cultural para a
comunidade.
	
‘ Escolha um espaço durante a visita para a seguinte análise específica (não entendi muito bem este
tópico. Seria escolher uma obra específica, uma sala específica do museu, por exemplo? Se for isto,
colocaria os dois últimos tópicos na análise geral – copiei para cima – e deixaria somente estes dois
abaixo nesta análise específica):
	
‘ Temática e descrição visual a partir da observação deste espaço;
	
‘ Relacione o tema com o seu curso.
37
4. CONCLUSÃO
Citar aspectos positivos que fazem a diferença no espaço cultural visitado;
Destacar aspectos que precisam ser melhorados no espaço para atender as necessidades da comuni-
dade (exemplo: acessibilidade);
Descrever sua opinião sobre a importância das ações culturais, a partir do desenvolvimento realizado
durante a visita cultural.
5. REFLEXÕES INTERDISCIPLINARES
Aponte as contribuições da visita do espaço cultural na disciplina de Estágio Supervisionado e na sua
formação como professor.
OBSERVAÇÃO GERAL:
	
‘ Será considerado cópia de relatório todo e qualquer documento que apresentar semelhança literal
em mais de 30% do texto.
	
‘ Cópia de relatório é considerada PLÁGIO e será desconsiderada como avaliação autoral.
MATERIAL DE APOIO – Leitura complementar:
PROFESSORES, VISITAS ORIENTADAS E MUSEU DE CIÊNCIA:
UMA PROPOSTA DE ESTUDO DA COLABORAÇÃO ENTRE MUSEU
E ESCOLA:
http://www.posgrad.fae.ufmg.br/posgrad/viienpec/pdfs/817.pdf
MEDIAÇÃO CULTURAL: UMA PERSPECTIVA INTERTEXTUAL:
https://www.udesc.br/arquivos/ceart/id_cpmenu/5937/Media__
o_cultural_uma_perspectiva_intertextual_15501728042917_
5937.pdf
MUSEU PARA TODOS:
http://museu.pinacoteca.org.br/textos-educativos/
textos-de-referencia/
LEITURA DE IMAGENS, CULTURA VISUAL E PRÁTICA EDUCATIVA:
http://www.scielo.br/pdf/cp/v36n128/v36n128a09.pdf
38
2.3  Material didático: criação e reflexão
O material didático é um recurso que você deverá produzir
e utilizar em sua atividade, ou seja, criar e produzir um material
concreto, como, por exemplo, um jogo, uma tecnologia assistiva,
um equipamento de treino etc. Esse material varia conforme
sua escolha de campo de estágio e, consequentemente, de seu
Plano de Ação.
Além da criação, aqui você deverá explanar sobre ele, reali-
zando uma descrição reflexiva e detalhada sobre o uso desse
recurso criado. Pode inserir imagem, porém, tome cuidado com
o espaço utilizado. (2 a 3 páginas)
2.4  Prática do campo e as teorias: práxis
Neste item, você deverá descrever detalhadamente os conheci-
mentos construídos durante seu estágio. É nesse momento que
você fará a articulação entre a teoria e a prática, ou seja, entre
os conhecimentos teóricos de seu curso de Licenciatura, bem
como do campo de estágio escolhido, com as atividades realiza-
das ao longo do estágio híbrido. (4 a 6 páginas)
3 Considerações finais
Neste item, você deverá apresentar os resultados finais de
seu estágio, inserindo as principais aprendizagens realizadas
nos três espaços: estudo, pesquisa e produção escrita.
(1 a 2 páginas)
39
4 Referências
Inserir todos os teóricos e todas as obras utilizadas para a cons-
trução da Produção Conceitual.
ANEXO V
41
SUGESTÕES DE FILMES,
DOCUMENTÁRIOS E ESPAÇOS
CULTURAIS VIRTUAIS PARA
DESENVOLVIMENTO DAS ATIVIDADES
DE ESTÁGIO
Título: VIDAS DE CAROLINA Gênero: Documentário
Direção: Jéssica Queiroz Ano: 2015
Tema central: Literatura, desigualdade social, mulheres e
empoderamento
Tempo (duração): 10 min
Contemplado pela sétima edição prêmio Criando Asas, Vidas de Carolina conta a história de duas mulhe-
res que sobrevivem da coleta de resíduos recicláveis. O documentário foi inspirado na vida da inusitada
catadora de lixo e escritora da década de 1940 Carolina Maria de Jesus. Relatos de familiares da escritora
e trechos do livro Quarto de despejo conectam as três histórias.
Título: DÉCIMA TERCEIRA EMENDA Gênero: Documentário
Direção: Ava DuVernay Ano: 2016
Tema central: Escravidão, liberdade e racismo nos Estados Unidos Tempo (duração): 100 min
Documentário que discute a Décima Terceira Emenda à Constituição dos Estados Unidos – “Não haverá,
nos Estados Unidos ou em qualquer lugar sujeito a sua jurisdição, nem escravidão, nem trabalhos força-
dos, salvo como punição de um crime pelo qual o réu tenha sido devidamente condenado” –
e seu terrível impacto na vida dos afro-americanos.
Título: PRO DIA NASCER FELIZ Gênero: Documentário
Direção: João Jardim Ano: 2005
Tema central: Educação, desigualdade, ensino, magistério Tempo (duração): 88 min
Depoimentos de estudantes das redes pública e particular sobre medos e anseios no ambiente escolar.
Adolescentes de três estados, de classes sociais distintas, falam de suas vidas na escola, seus projetos
e suas inquietações.
42
Título: TRÊS IRMÃOS DE SANGUE Gênero: Documentário
Direção: Ângela Patrícia Reiniger Ano: 2006
Tema central: Democratização, solidariedade, resistência Tempo (duração): 102 min
Esse documentário retrata a vida dos irmãos Betinho, Henfil e Chico Mário, brasileiros que fizeram da
solidariedade a sua grande arma na luta pela vida e que ajudaram a tornar o Brasil um país mais justo
e solidário.
Título: NUNCA ME SONHARAM Gênero: Documentário
Direção: Cacau Rhoden Ano: 2017
Tema central: Realidade do ensino nas escolas públicas do Brasil Tempo (duração): 90 min
O documentário traça um panorama sobre o ensino médio nas escolas públicas do Brasil sob diferentes
pontos de vista, principalmente a partir dos estudantes. Isso é mostrado através de relatos de jovens,
professores, diretores de escolas e especialistas, que revelam o valor da educação, os desafios do pre-
sente, as expectativas para o futuro e os sonhos de quem vive essa realidade.
Título: VALSA COM BASHIR Gênero: Animação/
Documentário
Direção: Ari Folman Ano: 2008 
Tema central: Guerra do Líbano no início dos anos 1980 Tempo (duração): 87 min
Em um bar, um amigo conta ao diretor Ari Folman sobre um sonho constante que tem, no qual é perse-
guido por 26 cães ferozes. Durante a conversa, eles concluem que a imagem tem ligação com sua missão
na 1ª Guerra do Líbano, no início dos anos 1980, quando defendia o exército de Israel. Como Ari nada se
lembra do evento, ele passa a buscar e entrevistar seus velhos companheiros da época.
Título: HUMAN Gênero: Documentário
Direção: Yann Arthus-Bertrand Ano: 2016
Tema central: Amor, mulheres, trabalho, pobreza Tempo (duração): 149 min
Com testemunhos e imagens aéreas exclusivas, o introspectivo documentário aborda quem nós somos
hoje em dia. Não só como comunidade, mas como indivíduos. Com guerras, discriminações e desigual-
dades, confrontamos a realidade que também contempla discursos de solidariedade. Uma reflexão do
futuro que queremos para nós, seres humanos, e o planeta.
Título: EDUCAÇÃO PROIBIDA Gênero: Documentário
Direção: Germán Doin Ano: 2012
Tema central: Educação Tempo (duração): 115 min
A Educação Proibida é um projeto feito por jovens que, partilhando dessa visão, embarcaram em uma
pesquisa em oito países realizando entrevistas com mais de 90 educadores com propostas educativas
alternativas. O filme foi financiado coletivamente graças a centenas de coprodutores e tem licença livre
que permite e incentiva sua cópia e reprodução. O filme se propõe a iniciar e alimentar um debate de
reflexão social sobre as bases que sustentam a escola, promovendo o desenvolvimento de uma educa-
ção integral centrada no amor, no respeito, na liberdade e na aprendizagem.
43
Título: MBYÁ REKO PYGUÁ, A LUZ DAS PALAVRAS Gênero: Documentário
Direção: Kátia Klock, Cinthia Creatini da Rocha Ano: 2012
Tema central: Espiritualidade Tempo (duração): 18 min
A sensibilidade do povo Guarani em educar as crianças permanece viva apesar das influências da
sociedade contemporânea. Mas os caminhos e esforços dos líderes espirituais e professores indígenas
são marcados por dilemas, buscas, encontros e desencontros. Esse registro todo gravado em Guarani
na Aldeia Yynn Moroti Wherá, em Biguaçu, Santa Catarina, no sul do Brasil, comprova: espiritualidade,
simplicidade e verdade são palavras que traduzem “a luz” dos Guarani em seu processo de educação.
Título: OS REINOS PERDIDOS DA ÁFRICA Gênero: Documentário
Direção: BBC London Ano: 2014
Tema central: História da África Tempo (duração): 58 min
Trata-se de uma série de documentários de televisão britânica. É produzida pela BBC e descreve a histó-
ria pré-colonial da África. A série é narrada por Dr. Gus Casely-Hayford.
Título: HOLOCAUSTO BRASILEIRO Gênero: Documentário
Direção: Daniela Arbex, Armando Mendz Ano: 2016
Tema central: Genocídio Tempo (duração): 90 min
Esse documentário, baseado no livro homônimo de Daniela Arbex, mostra o genocídio que aconteceu no
Hospital Colônia em Barbacena (MG) enquanto discute questões atinentes ao papel dos manicômios.
Título: MEMÓRIAS DO CHUMBO – O FUTEBOL NOS TEMPOS DO
CONDOR
Gênero: Documentário
Direção: Lúcio de Castro Ano: 2013
Tema central: Ditadura militar, futebol, Operação Condor Tempo (duração): 51 min
Série exibida na ESPN Brasil sobre o futebol nos tempos do Condor, durante a ditadura militar nos países
do Cone Sul.
Título: QUANDO SINTO QUE JÁ SEI Gênero: Documentário
Direção: Anderson Lima Antonio Lovato Raul Perez Ano: 2014
Tema central: Educação, valores, autonomia Tempo (duração): 78 min
A proposta do documentário é levantar uma discussão sobre o atual momento da educação no Brasil.
Carteiras enfileiradas, aulas de 50 minutos, provas, sinal de fábrica para indicar o intervalo, grades
curriculares, conhecimento dividido em diferentes caixas. As escolas, como são hoje oferecem os recur-
sos necessários para que uma criança se desenvolva ou a transformam em um robô, com habilidades
técnicas, mas sem senso crítico? O projeto surgiu da percepção de que valores importantes da formação
humana estão sendo deixados fora da sala de aula.
44
Título: OLHOS AZUIS Gênero: Documentário
Direção: Bertram Verhaag Ano: 1996
Tema central: Preconceito, igualdade racial Tempo (duração): 90 min
O documentário retrata o trabalho da professora e socióloga estadunidense Jane Elliot, que, em resposta
à intolerância racial que culminou no assassinato de Martin Luther King, iniciou suas experiências empá-
ticas de educação para a igualdade racial em uma sala de terceira série primária. Nesse documentário,
há cenas do documentário de 1968.
Título: GUERRAS SUJAS Gênero: Documentário
Direção: Rick Rowley Ano: 2016
Tema central: Bastidores de guerras, política Tempo (duração): 84 min
Jeremy Scahill, repórter investigativo e autor do best-seller Blackwater, investiga dados escondidos por
trás das guerras americanas, desde o Afeganistão até a Somália, entre outras. As histórias paralelas
às contadas pelo governo e empresas americanas são descobertas através de uma profunda jornada
investigativa. 
Título: SHE IS BEAUTIFUL WHEN SHE IS ANGRY Gênero: Documentário
Direção: Mary Dore Ano: 2014
Tema central: Feminismo, direitos civis, direitos humanos Tempo (duração): 92 min
Conta a história das mulheres que criaram o movimento feminista nos anos 1960, fazendo uma revolu-
ção em todos os âmbitos sociais. O filme fala basicamente sobre o nascimento de organizações como
NOW (Organização Nacional das Mulheres) e da FLF (Feminist Liberation Front), além do surgimento
da chamada “Segunda Onda” do feminismo nos Estados Unidos nas décadas de 1960 e 1970. Foi esse
período que pavimentou, sustentou e direcionou caminhos para a expansão do feminismo como
o conhecemos e o definimos hoje.
Título: PROMESSAS DE UM MUNDO NOVO Gênero: Documentário
Direção: B. Z. Goldberg, Carlos Bolado, Justine Shapiro Ano: 2001
Tema central: Guerra, conflitos no Oriente Médio Tempo (duração): 106 min
Retrata a história de sete crianças israelenses e palestinas em Jerusalém, que, apesar de morarem no
mesmo lugar, vivem em mundos completamente distintos, separados por diferenças religiosas. Com
idades entre 8 e 13 anos, raramente elas falam por si mesmas e estão isoladas pelo medo. Nesse filme,
suas histórias oferecem uma nova e emocionante perspectiva sobre o conflito no Oriente Médio.
Título: THE MASK YOU LIVE IN Gênero: Documentário
Direção: Jennifer Siebel Newsom Ano: 2015
Tema central: Sexualidade, saúde emocional Tempo (duração): 97 min
Dirigido por Jennifer Siebel Newsom e lançado em 2015, o documentário The Mask You Live In (“A máscara
em que você vive”, em tradução livre) mostra de forma impactante e comovente o modo como a cultura,
mais especificamente nos Estados Unidos, constrói socialmente um conceito de “masculinidade” que
colabora para perpetuar as práticas sexistas e homofóbicas na sociedade. Através de uma série de
depoimentos de educadores, psicólogos e outros especialistas, além do relato de homens e meninos
americanos, a produção vai desmitificando todos os estereótipos ligados à noção de “ser homem” que
vêm sendo reproduzidos por meio das mais diversas formas de produção cultural e transmitidos ao
longo das gerações desde muito tempo atrás.
45
Título: CORATIO – BRASIL NUNCA MAIS Gênero: Documentário
Direção: Ana Castro e Gabriel Mitani Ano: 2015
Tema central: Ditadura militar, direitos civis, direitos humanos Tempo (duração): 56 min
Qual é o fio que liga a repressão do passado, as violações da ditadura militar, com a violência que vive-
mos hoje? O que a tortura, as violências praticadas pelos militares têm a ver com o genocídio da popu-
lação negra e periférica? O filme Coratio provoca a reflexão sobre a continuidade da violência por parte
da polícia e de como a impunidade com os crimes do passado permite que a repressão se perpetue.
Trata dos 30 anos do lançamento do livro Brasil Nunca Mais, um marco na luta pelos direitos humanos
no Brasil. A ideia do Nunca Mais era tentar garantir que a tortura e o desrespeito aos direitos humanos
praticados por agentes do Estado não acontecessem mais. Três décadas depois do lançamento, ainda
não podemos dizer “nunca mais” para a tortura e a violência.
Título: LÍNGUA: VIDAS EM PORTUGUÊS Gênero: Documentário
Direção: Victor Lopes Ano: 2001
Tema central: Processos históricos, diversidade linguística, língua
portuguesa
Tempo (duração): 105 min
O documentário, coproduzido por Brasil e Portugal e filmado em seis países (Brasil, Moçambique, Índia,
Portugal, França e Japão), é um mergulho nas muitas histórias da língua portuguesa e na sua perma-
nência entre culturas variadas do planeta. A lusofonia é, sobretudo, fala, surpreendida do cotidiano de
personagens ilustres e anônimos de quatro continentes. Em cada um deles, o português amalgamou
deuses, melodias, climas, ritmos; misturou-se aos alimentos e às paisagens; foi reinventado centenas de
vezes e alimentado sucessivas vezes por colonizadores, imigrantes e descendentes. O filme, ao entrar
e sair da vida dos personagens, desvia-se de suas rotas cotidianas para encontrar cerimônias, casais,
locais de trabalho, esquinas e paisagens, traçando retratos reveladores da cultura de cada um dos
países visitados.
Título: ENTRE OS MUROS DA ESCOLA Gênero: Comédia dramática
Direção Laurant Cantet Ano: 2008
Tema central: Relação professor-aluno, ensino e aprendizagem Tempo (duração): 128 min
O professor de língua francesa, François Marin, tem um grande desafio no começo do ano letivo em
uma escola de ensino médio localizada na periferia de Paris. Lecionando aulas de francês para filhos
de imigrantes, o professor e seus colegas buscam estimular os alunos, no entanto, precisam lidar com
conflitos, descaso e problemas que os adolescentes trazem para dentro dos muros da escola.
Título: ESCRITORES DA LIBERDADE Gênero: Drama
Direção: Richard LaGravanese Ano: 2007
Tema central: Relação professor-aluno, relação entre alunos, tolerância,
criação de vínculos em sala de aula
Tempo (duração): 124 min
Uma jovem e idealista professora chega a uma escola do subúrbio problemático de Long Beach,
Califórnia, Estados Unidos, corrompido pela agressividade e violência. Os alunos se mostram rebeldes
e sem vontade de aprender, e há entre eles uma constante tensão racial. Assim, para fazer com que
os alunos aprendam e também falem mais de suas complicadas vidas, a professora Gruwell (Hilary
Swank) lança mão de métodos diferentes de ensino. Aos poucos, os alunos vão retomando a confiança
em si mesmos, aceitando mais o conhecimento e reconhecendo valores como a tolerância e o respeito
ao próximo.
46
Título: NARRADORES DE JAVÉ Gênero: Drama
Direção: Eliane Caffé Ano: 2004
Tema central: Memória, narrativas orais e escritas, história, fonte histó-
rica, cidades, comunidades, impactos de grandes construções
Tempo (duração): 100 min
A pequena cidade Javé será submersa pelas águas de uma enorme usina hidrelétrica. Seus moradores
não serão indenizados e não foram sequer notificados porque não têm registros nem documentos das
terras. Inconformados, descobrem que o local poderia ser preservado se tivesse um valor patrimonial
histórico comprovado em “documento científico”. Decidem, então, escrever a história da cidade, mas
poucos sabem ler e só um morador, o carteiro, Antônio Biá, sabe escrever. Depois disso, todos procuram
o escrivão da obra de cunho histórico para acrescentar algumas linhas e ter seu nome citado.
Título: O SORRISO DE MONALISA Gênero: Romance/Drama
Direção: Mike Newell Ano: 2003
Tema central: Educação, costumes e mulheres nos Estados Unidos dos
anos 1950, história da arte, relação entre professoras e alunas
Tempo (duração): 119 min
Recria a atmosfera e os costumes do início da década de 1950. Tem como protagonista a personagem
Katherine Watson, uma professora de História da Arte que, educada na liberal Universidade de Berkeley,
na Califórnia, enfrenta uma escola feminina tradicionalista – Wellesley College, onde as melhores
e mais brilhantes jovens mulheres dos Estados Unidos recebem uma dispendiosa educação para se
transformarem em cultas esposas e responsáveis mães. No filme, a professora irá tentar abrir a mente
de suas alunas, enfrentando a administração da escola e as próprias garotas. O maior desafio para essa
professora será fazer com que suas alunas assumam sua identidade cultural como ser social e histórico.
Esse filme nos traz uma visão mais ampla da descoberta de novos conhecimentos.
Título: O MENINO QUE DESCOBRIU O VENTO Gênero: Drama
Direção: Chiwetel Ejiofor Ano: 2019
Tema central: Educação, inovação, seca e fome na África Oriental Tempo (duração): 113 min
O filme é baseado na história real de William Kamkwamba, um garoto de 13 anos do Malawi (na África
Oriental) que, no ano de 2001, inovou para lutar contra a seca e a fome em sua vila. Sedento por
conhecimento, mesmo forçado a deixar a escola para ajudar a família, o jovem passou a pesquisar por
conta própria até começar a desenvolver uma inovadora turbina de vento. Em uma pequena biblioteca
próxima de sua casa, o garoto se apoiou nos livros para superar os obstáculos vividos em sua região,
descobrindo o funcionamento dos moinhos de vento. Utilizando materiais improvisados, recolhidos em
ferros-velhos, William conseguiu construir dois moinhos que mudariam sua vida por completo.
Título: BATISMO DE SANGUE Gênero: Drama
Direção: Helvécio Ratton Ano: 2007
Tema central: Ditadura militar no Brasil, resistência, participação do
clero, tortura
Tempo (duração): 110 min
São Paulo, fim dos anos 1960. O convento dos frades dominicanos torna-se uma trincheira de resistência
à ditadura militar que governa o Brasil. Movidos por ideais cristãos, os freis Tito (Caio Blat), Betto (Daniel
de Oliveira), Oswaldo (Ângelo Antônio), Fernando (Léo Quintão) e Ivo (Odilon Esteves) passam a apoiar
o grupo guerrilheiro Ação Libertadora Nacional, comandado por Carlos Marighella (Marku Ribas). Eles
logo passam a ser vigiados pela polícia e, posteriormente, são presos, passando por terríveis torturas.
47
Título: NO Gênero: Drama
Direção: Pablo Larraín Ano: 2012
Tema central: Ditadura militar no Chile, plebiscito e luta pela
democracia
Tempo (duração): 117 min
Chile, 1988. Pressionado pela comunidade internacional, o ditador Augusto Pinochet aceita realizar um
plebiscito nacional para definir sua continuidade ou não no poder. Acreditando que seja uma oportuni-
dade única de pôr fim à ditadura, os líderes do governo resolvem contratar René Saavedra para coorde-
nar a campanha contra a manutenção de Pinochet. Com poucos recursos e sob a constante observação
dos agentes do governo, Saavedra consegue criar uma campanha consistente que ajuda o país a se ver
livre da opressão governamental.
Título: O CARTEIRO E O POETA Gênero: Romance/Drama
Direção: Michael Radford Ano: 1994
Tema central: Amizade, escrita, poesia, alfabetização, exílio em con-
texto ditatorial
Tempo (duração): 100 min
Por razões políticas, o poeta Pablo Neruda (Philippe Noiret) se exila em uma ilha na Itália. Lá, um desem-
pregado quase analfabeto, Mario, é contratado como carteiro extra, encarregado de cuidar da larga
correspondência endereçada ao poeta. Gradativamente entre os dois se forma uma sólida amizade.
Mario se torna um aluno do poeta e usa a arte da poesia para impressionar uma garçonete.
Título: O NOME DA ROSA Gênero: Drama/Suspense
Direção: Jean-Jacques Annaud Ano: 1986
Tema central: Monasticismo na Idade Média europeia, inquisição,
heresia, tortura
Tempo (duração): 131 min
Em 1327, William de Baskerville, um monge franciscano, e Adso von Melk, um noviço, chegam a um
remoto mosteiro no norte da Itália. William de Baskerville pretende participar de um conclave para
decidir se a Igreja deve doar parte de suas riquezas, mas a atenção é desviada por vários assassinatos
que acontecem no mosteiro. William de Baskerville começa a investigar o caso, que se mostra bastante
intrincando, além dos mais religiosos acreditarem que é obra do Demônio. William de Baskerville não
partilha dessa opinião, mas, antes que ele conclua as investigações, Bernardo Gui, o Grão-Inquisidor,
chega no local e está pronto para torturar qualquer suspeito de heresia que tenha cometido assassina-
tos em nome do Diabo. Como não gosta de Baskerville, ele é inclinado a colocá-lo no topo da lista dos
que são diabolicamente influenciados. Essa batalha, junto a uma guerra ideológica entre franciscanos
e dominicanos, é travada enquanto o motivo dos assassinatos é lentamente solucionado.
Título: SOU SURDO E NÃO SABIA Gênero: Documentário
Direção: Igor Ochronowicz Ano: 2009
Tema central: Surdez Tempo (duração): 70 min
Por anos, Sandrine não sabia que era surda de nascença. Filha de pais ouvintes, frequentou a escola
regular e lá se perguntava como os outros compreendiam o que a professora estava tentando transmitir.
O documentário olha para a questão da surdez pela perspectiva de Sandrine e sua história verídica.
O filme ainda levanta a discussão sobre a conveniência do implante coclear, da oralização de crianças
surdas e da língua dos sinais.
48
Título: HISTÓRIAS CRUZADAS Gênero: Drama/Romance
Direção: Tate Taylor Ano: 2011
Tema central: Mulheres, racismo, resistência, superação Tempo (duração): 146 min
Nos anos 1960, no Mississippi, Skeeter é uma garota da sociedade que retorna determinada a se tornar
escritora. Ela começa a entrevistar as mulheres negras da cidade, que deixaram suas vidas para trabalhar
na criação dos filhos da elite branca, da qual a própria Skeeter faz parte. Aibileen Clark, a empregada da
melhor amiga de Skeeter, é a primeira a conceder uma entrevista. Apesar das críticas, Skeeter e Aibileen
continuam trabalhando juntas e, aos poucos, conseguem novas adesões.
Título: INFILTRADO NA KLAN Gênero: Drama/Suspense
Direção: Spike Lee Ano: 2018
Tema central: Movimento negro nos Estados Unidos dos anos 1970,
racismo
Tempo (duração): 136 min
Em 1978, Ron Stallworth, um policial negro do Colorado consegue se infiltrar na Ku Klux Klan local. Ele se
comunica com os outros membros do grupo por meio de telefonemas e cartas, e quando precisava estar
fisicamente presente, ele envia outro policial branco em seu lugar. Depois de meses de investigação, Ron
fica próximo do líder da seita, sendo responsável por sabotar uma série de linchamentos e outros crimes
de ódio orquestrados pelos racistas.
Título: UMA HISTÓRIA DE AMOR E FÚRIA Gênero: Animação/Drama
Direção: Luiz Bolognesi, Jean de Moura Ano: 2013
Tema central: História do Brasil, conflitos, resistência Tempo (duração): 75 min
Um homem (Selton Mello) com quase 600 anos de idade acompanha a história do Brasil enquanto pro-
cura a ressurreição de sua amada Janaína (Camila Pitanga). Ele enfrenta as batalhas entre tupinambás
e tupiniquins, antes de os portugueses chegarem ao país, e passa pela Balaiada e pelo movimento de
resistência contra a ditadura militar, antes de enfrentar a guerra pela água em 2096.
Título: O PROFESSOR SUBSTITUTO Gênero: Drama
Direção: Sébastien Marnier Ano: 2019
Tema central: Comportamento humano, conhecimento, comporta-
mento excludente
Tempo (duração): 103 min
Pierre Hoffman (Laurent Latiffe) é contratado como professor substituto de uma escola logo após
o então docente da turma ter cometido suicídio se jogando pela janela da sala na presença de seus
alunos adolescentes. Percebe, então, que seis de seus novos alunos são indiferentes ao que acontece
no entorno, apresentando comportamento estranho. Assim, Hoffman passa a observá-los, até descobrir
a intenção do pequeno grupo.
Título: A VIAGEM DE CHIHIRO Gênero: Fantasia/Aventura
Direção: Hayao Miyazaki Ano: 2003
Tema central: Comportamento humano, relações humanas Tempo (duração): 125 min
Chihiro, uma adolescente de 10 anos, apresenta um comportamento um tanto egocêntrico. Descobre
que irá se mudar e, com isso, fica furiosa. No caminho para a nova cidade, o pai de Chihiro se perde
e percebem um grande túnel guardado por uma estátua. Curiosos, adentram o túnel e se deparam com
um local deserto. A menina vai passear, e os pais decidem comer os alimentos encontrados em uma das
casas. Ao retornar, Chihiro percebe que os pais se transformaram em porcos gigantes. A partir de então,
a personagem inicia uma jornada de aventuras, deparando-se com seres fantásticos para quem os seres
humanos não são bem-vindos.
49
Título: RAPA NUI Gênero: Aventura
Direção: Kevin Reynolds Ano: 1994
Tema central: Vida em sociedade, cultura, crenças Tempo (duração): 108 min
A narrativa se passa na Ilha de Páscoa, em 1680, período anterior à chegada dos europeus. A ilha
é dividida entre duas tribos, Orelhas Grandes e Orelhas Pequenas, que disputam entre si. Os costumes
e as crenças dessas tribos são retratados no filme, que traz suposições sobre a presença de vida extra-
terrestre na Terra.
Título: O AUTO DA COMPADECIDA Gênero: Comédia/Aventura
Direção: Guel Arraes Ano: 2000
Tema central: Cultura nordestina, relações humanas e sociais. Tempo (duração): 95 min
O filme é uma adaptação da obra de Ariano Suassuna. Dois homens nordestinos, Chicó e João Grilo, são
os protagonistas vivem as aventuras do dia a dia, lutando diariamente pela sobrevivência no pequeno
vilarejo de Taperoá, no sertão da Paraíba. Nossa Senhora salva a dupla de seus pecados.
Título: MEMÓRIAS PÓSTUMAS Gênero: Comédia dramática
Direção: André Klotzel Ano: 2001
Tema central: Costumes do século XIX Tempo (duração): 102 min
Baseado na obra Memórias Póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis, o filme apresenta o persona-
gem Brás Cubas, que, depois de morto, decide revisitar e narrar os fatos mais importantes de sua vida,
seus amigos e seus amores.
Título: O TEMPO E O VENTO Gênero: Drama/Romance
Direção: Jayme Monjardim Ano: 2013
Tema central: Costumes do século XIX, relações humanas Tempo (duração): 127 min
Esse filme tem como base o romance de Érico Veríssimo. A história de desenvolve no século XIX, no
Rio Grande do Sul, retratando o cotidiano da família Terra Cambará, principalmente nos diálogos entre
a matriarca Bibiana e seu falecido marido, o capitão Rodrigo.
Título: O LEITOR Gênero: Romance/Drama
Direção: Stephen Daldry Ano: 2009
Tema central: Pós-Segunda Guerra Mundial, leitura Tempo (duração): 123 min
O cenário é a Alemanha pós-Segunda Guerra Mundial. O adolescente Michael Berg conhece e se
apaixona por Hanna Schimitz, mulher mais velha de diferente classe social. Vivem uma bonita história
de amor em que, constantemente, Michael lia para Hanna. Oito anos depois, reencontram-se em um
tribunal, Michael como estudante de direito, e Hanna sendo julgada por crimes nazistas.
50
Título: CAPITÃES DE AREIA Gênero: Drama/Aventura
Direção: Cecília Amado, Guy Gonçalves Ano: 2011
Tema central: Jovens, família, comunidade, vida na rua Tempo (duração): 96 min
Filme baseado na obra do escritor Jorge Amado, narra a história de adolescentes que crescem sem
a família, abandonados nas ruas de Salvador, na Bahia. Vivem em comunidade com outros jovens no
Trapiche, cometendo assaltos e outros delitos, sendo frequentemente perseguidos pela polícia. Certo
dia, o líder dos Capitães de areia conhece Dora, por quem tem imenso afeto, e que passa a integrar
o grupo.
Título: NJINGA, RAINHA DE ANGOLA Gênero: Drama/Ficção
histórica
Direção: Sérgio Graciano Ano: 2012
Tema central: Personalidade histórica Njinga, rainha da Angola Tempo (duração): 109 min
O filme retrata a personalidade histórica Njinga (Lesliana Pereira), uma importante rainha da Angola que
se destacou a partir das invasões europeias nos territórios africanos. Embora seja uma obra ficcional
elaborada a partir de uma personalidade que faz parte do imaginário angolano, o filme ganha destaque
por fazer um retrato de protagonismo para Njinga, que chegou a receber o nome de Ana de Souza em
seu batismo católico, tornando-se foco de diversas lendas e contradições.
Título: XINGU Gênero: Drama/Aventura
Direção: Cao Hamburguer Ano: 2012
Tema central: Povos nativos brasileiros, reserva ambiental, Parque
Nacional do Xingu
Tempo (duração): 102 min
Os irmãos Orlando (Felipe Camargo), Cláudio (João Miguel) e Leonardo Villas Bôas (Caio Blat) resolvem
trocar o conforto da vida na cidade grande pela aventura de viver nas matas. Para isso, resolvem alistar-
-se no programa de expansão na região do Brasil central, incentivado pelo governo. Com enorme poder
de persuasão e afinidade com os habitantes da floresta, os três se tornam referência nas relações com
os povos indígenas, vivenciando incríveis experiências, entre elas a eterna conquista do Parque Nacional
do Xingu.
Título: 1492 – A CONQUISTA DO PARAÍSO Gênero: Drama/Aventura
Direção: Ridley Scott Ano: 1992
Tema central: Viagens de Cristóvão Colombo, conquistas de novos
territórios, rotas comerciais marítimas
Tempo (duração): 150 min
A viagem de Cristóvão Colombo, que acreditava ser possível atingir “el levante por el poniente”, ou
seja, o Oriente navegando para o Ocidente, é o cenário épico desse filme de Ridley Scott. A odisseia de
Colombo está presente no filme através do cotidiano desgastante, dos motins da tripulação e de toda
incerteza que cercava uma expedição daquela época quanto ao rumo e ao prosseguimento da viagem.
Sem apoio financeiro de Portugal, a maior potência da época, Colombo dirigiu-se à Espanha e associou-
-se aos irmãos Pinzon, recebendo ainda uma ajuda dos reis católicos Fernando de Aragão e Isabel de
Castela. Com uma nau (Santa Maria) e duas caravelas (Pinta e Nina), o navegador de origem controversa
(genovês ou catalão) partiu do porto de Palos em 3 de agosto de 1492, fazendo escala nas ilhas Canárias
para reparo de uma das embarcações. Em 12 de outubro do mesmo ano, avistou a ilha de Guanani (atual
São Salvador). Sem duvidar que estava no Oriente, realizou ainda mais quatro viagens, tentando encon-
trar os mercados indianos. O filme focaliza também espírito vanguardista de Colombo, suas negociações
com a Coroa espanhola e a tentativa de estabelecer colônias na América, retratando, até a velhice,
aquele que é considerado um dos navegantes mais ousados de sua época.
51
Título: TEMPOS MODERNOS Gênero: Comédia/Romance
Direção: Charles Chaplin Ano: 1936
Tema central: Efeitos da modernidade, relações de trabalho, desigual-
dades sociais
Tempo (duração): 87 min
Um operário de uma linha de montagem, que testou uma “máquina revolucionária” para evitar a hora do
almoço, é levado à loucura pela “monotonia frenética” de seu trabalho. Após um longo período em um
sanatório, ele fica curado de sua crise nervosa, mas desempregado. Ele deixa o hospital para começar
sua nova vida, mas encontra uma crise generalizada e, equivocadamente, é preso como um agitador
comunista, que liderava uma marcha de operários em protesto. Simultaneamente, uma jovem rouba
comida para salvar suas irmãs famintas, que ainda são bem garotas. Elas não têm mãe e o pai delas está
desempregado, mas o pior ainda está por vir, pois ele é morto em um conflito. A lei vai cuidar das órfãs,
mas enquanto as menores são levadas, a jovem consegue escapar.
Título: O GERMINAL Gênero: Drama/Épico
Direção: Claude Berri Ano: 1993
Tema central: Caracterizações do trabalho após as revoluções
burguesas
Tempo (duração): 160 min
Baseado no romance francês Germinal, de Émile Zola, Germinal, o filme é uma representação bem
realista do que fora a vida dos mineiros na França em meados do século XVIII, período que configura
o final da Revolução Industrial e início da Revolução Francesa. Logo nas primeiras cenas, quando o jovem
Etienne vai à mina Voreux à procura de emprego, ele se depara com Boa Morte, mineiro desde os 8 anos
de idade, cujo nome faz jus às diversas mazelas já sofridas em razão do trabalho exaustivo e arriscado
nas minas de carvão. Essa é a primeira cena em que é percebida a indiferença do sistema capitalista no
que se refere ao trabalhador. Boa Morte é o retrato perfeito do saldo da miséria e precariedade proce-
dente da clara exploração do trabalho existente na época. Ele é um senhor que aparenta ter uma idade
muito maior do que a tida e que mal consegue respirar, tendo acessos constantes de tosse acompa-
nhada da expectoração de carvão.
Título: A ONDA Gênero: Drama/Suspense
Direção: Dennis Gansel Ano: 2009
Tema central: Ideologia, espaço escolar, fascismo Tempo (duração): 108 min
Em uma escola da Alemanha, alunos tem de escolher entre duas disciplinas eletivas, uma sobre anarquia
e a outra sobre autocracia. O professor Rainer Wenger (Jürgen Vogel) é colocado para dar aulas sobre
autocracia, mesmo sendo contra sua vontade. Após alguns minutos da primeira aula, ele decide, para
exemplificar melhor aos alunos, formar um governo fascista dentro da sala de aula. Eles dão o nome de
“A Onda” ao movimento e escolhem um uniforme e até mesmo uma saudação. Só que o professor acaba
perdendo o controle da situação, e os alunos começam a propagar “A Onda” pela cidade, tornando o pro-
jeto da escola um movimento real. Quando as coisas começam a ficar sérias e fanáticas demais, Wenger
tenta acabar com “A Onda”, mas aí já é tarde demais.
52
Título: A QUEDA – AS ÚLTIMAS HORAS DE HITLER Gênero: Drama/Ficção
histórica
Direção: Oliver Hirschbiegel Ano: 2004
Tema central: Nazismo, história de relatos Tempo (duração): 150 min
Traudl Junge (Alexandra Maria Lara) trabalhava como secretária de Adolf Hitler (Bruno Ganz) durante
a Segunda Guerra Mundial. Ela narra os últimos dias do líder alemão, que estava confinado em um
quarto de segurança máxima. Longe de buscar uma humanização do personagem histórico (Hitler),
o diretor Hirschbiegel inicia e termina seu filme buscando demonstrar como é possível imaginar o que
o regime nazista significava também para quem estava próximo do líder, também buscando efetivar
uma reconstrução estética dos dias finais de Hitler. Ainda que seja passível de críticas, o trabalho
realizado nesse filme é enaltecido pelas atuações e oferece a possibilidade de diversos debates acerca
da realidade.
Título: 12 ANOS DE ESCRAVIDÃO Gênero: Drama
Direção: Steve McQueen (II) Ano: 2014
Tema central: Racismo estrutural, sistema escravista, processos de
escravização
Tempo (duração): 133 min
Em 1841, Solomon Northup (Chiwetel Ejiofor) é um escravo liberto, que vive em paz ao lado da esposa
e filhos. Um dia, após aceitar um trabalho que o leva a outra cidade, ele é sequestrado e acorrentado.
Vendido como se fosse um escravo, Solomon precisa superar humilhações físicas e emocionais para
sobreviver. Ao longo de doze anos, ele passa por dois senhores, Ford (Benedict Cumberbatch) e Edwin
Epps (Michael Fassbender), que, cada um à sua maneira, exploram seus serviços.
Título: CENTRAL DO BRASIL Gênero: Drama
Direção: Walter Salles Ano: 1998
Tema central: Vínculos sociais, desigualdade social brasileira Tempo (duração): 115 min
Dora (Fernanda Montenegro) trabalha escrevendo cartas para analfabetos na estação Central do Brasil,
no centro da cidade do Rio de Janeiro. Ainda que a escrivã não envie todas as cartas que escreve, cartas
que considera inúteis ou fantasiosas demais, ela decide ajudar um menino (Vinícius de Oliveira), após sua
mãe ser atropelada, a tentar encontrar o pai que nunca conheceu, no interior do Nordeste.
Espaços culturais virtuais
CULTURA ENDEREÇO ELETRÔNICO
1. Museu Virtual da Água http://www.museuvirtualdaagua.com 
2. American Museum of Natural History https://www.amnh.org/plan-your-visit
3. Museu Virtual UnB http://www.museuvirtual.unb.br/
4.Museu da Faculdade de Medicina UFRJ http://www.museuvirtual.medicina.ufrj.br/
5. Museu Virtual de Artes http://www.acervosvirtuais.com.br/layout/
museuvirtualdearte/colecoes.php
6. My Studios http://www.mystudios.com/artgallery/
53
CULTURA ENDEREÇO ELETRÔNICO
7. Museu Virtual de Arte Moderna http://eravirtual.org/museu-victor-meirelles/
8. RTP Museu Virtual https://museu.rtp.pt/
9. Museu Virtual de Ouro Preto http://eravirtual.org/ouro-preto/
10. Museu Virtual do Transporte http://www.museudantu.org.br/principal.asp
11. Van Gogh Museum https://www.vangoghmuseum.nl/
12. Museu do Louvre https://www.louvre.fr/en
13. Museu Virtual de Informática http://piano.dsi.uminho.pt/museuv/
14. Museu Virtual da Imprensa http://piano.dsi.uminho.pt/museuv/
15. Museu Mazzaropi https://museumazzaropi.org.br/
16. Museu Virtual Aristides Sousa Mendes http://mvasm.sapo.pt/
17. British Museum https://www.britishmuseum.org/visit
18. Virtual Museum of Canada http://www.virtualmuseum.ca/home/
19. Museu Oscar Niemeyer https://museuoscarniemeyer.org.br/visite/
visita-virtual-3D 
20. Museum with no Frontiers http://www.museumwnf.org/#
21. Virtual Egyptian Museum https://www.virtual-egyptian-museum.org/
22. Museu Virtual FEB http://museuvirtualfeb.blogspot.com/
23. Museu Nacional de Arqueologia http://www.museunacional.ufrj.br/dir/
exposicoes/arqueologia/index.html
24. Museu Virtual do Iraque http://www.virtualmuseumiraq.cnr.it/prehome.
htm
25. Museu da Casa de Portinari http://www.virtualmuseumiraq.cnr.it/prehome.
htm
26. Museu da História da Arte do Uruguai http://muhar.montevideo.gub.uy/
27. Vários museus da Natural History https://naturalhistory2.si.edu/vt3/list-3-past.
html
28. Diversos museus e exposições em Minas Gerais http://eravirtual.org/
29. Tour virtual 360º 3D para museus e galerias de arte https://www.iteleport.com.br/imoveis/
tour-virtual-360-3d/museus/
30. Museu Virtual do Corpo Humano UFRGS http://www.ufrgs.br/museuvirtual/
31. Museu Virtual da Evolução Humana http://evolucaohumana.ib.usp.br/
32. Museu Virtual do Louvre https://www.louvre.fr/en/visites-en-ligne
33. Masp https://artsandculture.google.com/partner/
masp
34. Museu do Futebol https://www.museudofutebol.org.br/pagina/
exposicoes-virtuais
35. Biblioteca Nacional https://bndigital.bn.gov.br/
36. Museu da Imigração http://museudaimigracao.org.br/exposicoes/
virtuais/
54
CULTURA ENDEREÇO ELETRÔNICO
37. Museu da Inconfidência http://eravirtual.org/inconfidencia_br/
38. Museu Afro Brasil https://artsandculture.google.com/partner/
museu-afro-brasil?hl=pt-BR
39. CPDOC https://expo-virtual-cpdoc.fgv.br/
40. Museu da Cora Coralina http://eravirtual.org/casa-de-cora-coralina/
41. Museu Virtual do Cartoon http://www.cartoonvirtualmuseum.org/
42. Museu da UNB http://www.museuvirtual.unb.br/
43. Hemeroteca do IHGB https://www.ihgb.org.br/pesquisa/hemeroteca.
html
44. Instituto Moreira Salles https://ims.com.br/
45. Museu Imperial http://eravirtual.org/museu-imperial/
46. Museu da República http://www.eravirtual.org/mrepublica_01_br/
47. Museu da Pessoa https://www.museudapessoa.net/pt/
museu-da-pessoa
48. Museu Histórico Nacional https://artsandculture.google.com/partner/
museu-historico-nacional
49. Museu do Amanhã https://museudoamanha.org.br/pt-br/content/
tour-virtual
50. Museu do Índio http://www.museudoindio.gov.br/visitas/
visita-virtual

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Programa de ação PEI Adriano Silvestre de Oliveira Junior 2023.pdf
Programa de ação PEI Adriano Silvestre de Oliveira Junior 2023.pdfPrograma de ação PEI Adriano Silvestre de Oliveira Junior 2023.pdf
Programa de ação PEI Adriano Silvestre de Oliveira Junior 2023.pdf
AdrianoSilvestre6
 
Cerimonial 15 anos camila
Cerimonial 15 anos camilaCerimonial 15 anos camila
Cerimonial 15 anos camila
otonielbisneto
 
Relatório do Trabalho Realizado
Relatório do Trabalho RealizadoRelatório do Trabalho Realizado
Relatório do Trabalho Realizado
grupoapesm12c1
 
Capa, contra capa, introdução ,conclusão, biografia,
Capa, contra capa, introdução ,conclusão, biografia,Capa, contra capa, introdução ,conclusão, biografia,
Capa, contra capa, introdução ,conclusão, biografia,
Jaqueline Sarges
 
Roteiro básico Projeto de Intervenção
Roteiro básico Projeto de IntervençãoRoteiro básico Projeto de Intervenção
Roteiro básico Projeto de Intervenção
Goretti Silva
 
PLANO DE GESTÃO ESCOLA MUNICIPAL SANTA LUZIA.pptx
PLANO DE GESTÃO ESCOLA MUNICIPAL SANTA LUZIA.pptxPLANO DE GESTÃO ESCOLA MUNICIPAL SANTA LUZIA.pptx
PLANO DE GESTÃO ESCOLA MUNICIPAL SANTA LUZIA.pptx
carinasantana12
 
Apresentação Preparatório OTP
Apresentação Preparatório  OTPApresentação Preparatório  OTP
Apresentação Preparatório OTP
Instituto Consciência GO
 
Modelo de relatório de alunos em recuperação em Cada Bimestre (6º aio 9º ano)...
Modelo de relatório de alunos em recuperação em Cada Bimestre (6º aio 9º ano)...Modelo de relatório de alunos em recuperação em Cada Bimestre (6º aio 9º ano)...
Modelo de relatório de alunos em recuperação em Cada Bimestre (6º aio 9º ano)...
Adilson P Motta Motta
 
Projeto de intervenção
Projeto de intervençãoProjeto de intervenção
Projeto de intervenção
Fábio de Oliveira Matos
 
Relatorio Educacao Especial
Relatorio Educacao EspecialRelatorio Educacao Especial
Relatorio Educacao Especial
Jorge Barbosa
 
Projeto aluno-nota-10
Projeto aluno-nota-10Projeto aluno-nota-10
Projeto aluno-nota-10
Arislaneoliveiracoel
 
Sugestões metodológicas de Orientação Educacional
Sugestões metodológicas de Orientação EducacionalSugestões metodológicas de Orientação Educacional
Sugestões metodológicas de Orientação Educacional
suelianeisaac
 
Sugestões de temas para o pré projeto
  Sugestões de temas para o pré projeto  Sugestões de temas para o pré projeto
Sugestões de temas para o pré projeto
Wellington Alves
 
Programa-de-Acao-PEI 2022_MARIA EUGENIA_atualizado.docx
Programa-de-Acao-PEI 2022_MARIA EUGENIA_atualizado.docxPrograma-de-Acao-PEI 2022_MARIA EUGENIA_atualizado.docx
Programa-de-Acao-PEI 2022_MARIA EUGENIA_atualizado.docx
MaxLuisEspinosa
 
Apresentação estágio 1
Apresentação estágio 1Apresentação estágio 1
Apresentação estágio 1
Luis Alberto Bassoli
 
Relatorio de estágio do ensino médio
Relatorio de estágio do ensino médio Relatorio de estágio do ensino médio
Relatorio de estágio do ensino médio
Giselle Coutinho
 
Plano diretor de ação 2014 pronto
Plano diretor de ação 2014 prontoPlano diretor de ação 2014 pronto
Plano diretor de ação 2014 pronto
Iolanda Bieler
 
Plano de-ac3a7c3a3o-modelo-01
Plano de-ac3a7c3a3o-modelo-01Plano de-ac3a7c3a3o-modelo-01
Plano de-ac3a7c3a3o-modelo-01
Eveline Sol
 
Capa faculdade estácio atual
Capa faculdade estácio atualCapa faculdade estácio atual
Capa faculdade estácio atual
stones De moura
 

Mais procurados (20)

Programa de ação PEI Adriano Silvestre de Oliveira Junior 2023.pdf
Programa de ação PEI Adriano Silvestre de Oliveira Junior 2023.pdfPrograma de ação PEI Adriano Silvestre de Oliveira Junior 2023.pdf
Programa de ação PEI Adriano Silvestre de Oliveira Junior 2023.pdf
 
Cerimonial 15 anos camila
Cerimonial 15 anos camilaCerimonial 15 anos camila
Cerimonial 15 anos camila
 
Relatório do Trabalho Realizado
Relatório do Trabalho RealizadoRelatório do Trabalho Realizado
Relatório do Trabalho Realizado
 
Capa, contra capa, introdução ,conclusão, biografia,
Capa, contra capa, introdução ,conclusão, biografia,Capa, contra capa, introdução ,conclusão, biografia,
Capa, contra capa, introdução ,conclusão, biografia,
 
Roteiro básico Projeto de Intervenção
Roteiro básico Projeto de IntervençãoRoteiro básico Projeto de Intervenção
Roteiro básico Projeto de Intervenção
 
PLANO DE GESTÃO ESCOLA MUNICIPAL SANTA LUZIA.pptx
PLANO DE GESTÃO ESCOLA MUNICIPAL SANTA LUZIA.pptxPLANO DE GESTÃO ESCOLA MUNICIPAL SANTA LUZIA.pptx
PLANO DE GESTÃO ESCOLA MUNICIPAL SANTA LUZIA.pptx
 
Apresentação Preparatório OTP
Apresentação Preparatório  OTPApresentação Preparatório  OTP
Apresentação Preparatório OTP
 
Modelo de relatório de alunos em recuperação em Cada Bimestre (6º aio 9º ano)...
Modelo de relatório de alunos em recuperação em Cada Bimestre (6º aio 9º ano)...Modelo de relatório de alunos em recuperação em Cada Bimestre (6º aio 9º ano)...
Modelo de relatório de alunos em recuperação em Cada Bimestre (6º aio 9º ano)...
 
Projeto de intervenção
Projeto de intervençãoProjeto de intervenção
Projeto de intervenção
 
Relatorio Educacao Especial
Relatorio Educacao EspecialRelatorio Educacao Especial
Relatorio Educacao Especial
 
Projeto aluno-nota-10
Projeto aluno-nota-10Projeto aluno-nota-10
Projeto aluno-nota-10
 
Sugestões metodológicas de Orientação Educacional
Sugestões metodológicas de Orientação EducacionalSugestões metodológicas de Orientação Educacional
Sugestões metodológicas de Orientação Educacional
 
Sugestões de temas para o pré projeto
  Sugestões de temas para o pré projeto  Sugestões de temas para o pré projeto
Sugestões de temas para o pré projeto
 
Programa-de-Acao-PEI 2022_MARIA EUGENIA_atualizado.docx
Programa-de-Acao-PEI 2022_MARIA EUGENIA_atualizado.docxPrograma-de-Acao-PEI 2022_MARIA EUGENIA_atualizado.docx
Programa-de-Acao-PEI 2022_MARIA EUGENIA_atualizado.docx
 
Apresentação estágio 1
Apresentação estágio 1Apresentação estágio 1
Apresentação estágio 1
 
Relatorio de estágio do ensino médio
Relatorio de estágio do ensino médio Relatorio de estágio do ensino médio
Relatorio de estágio do ensino médio
 
Tabela de números de 1 a 100
Tabela de números de 1 a 100Tabela de números de 1 a 100
Tabela de números de 1 a 100
 
Plano diretor de ação 2014 pronto
Plano diretor de ação 2014 prontoPlano diretor de ação 2014 pronto
Plano diretor de ação 2014 pronto
 
Plano de-ac3a7c3a3o-modelo-01
Plano de-ac3a7c3a3o-modelo-01Plano de-ac3a7c3a3o-modelo-01
Plano de-ac3a7c3a3o-modelo-01
 
Capa faculdade estácio atual
Capa faculdade estácio atualCapa faculdade estácio atual
Capa faculdade estácio atual
 

Semelhante a 1_Manual_Estagio_Hibrido_Ensino_pdf.pdf

Apresentação Paulo Marcello
Apresentação Paulo MarcelloApresentação Paulo Marcello
Apresentação Paulo Marcello
Ouvidoria Geral do Estado da Bahia
 
Livro25 anosecl
Livro25 anoseclLivro25 anosecl
Livro25 anosecl
escolacomerciolisboa
 
Apresentação power
Apresentação powerApresentação power
Apresentação power
pibidlicfisica2011
 
PlanodeacaodoCoordenador.pdf
PlanodeacaodoCoordenador.pdfPlanodeacaodoCoordenador.pdf
PlanodeacaodoCoordenador.pdf
AnaCristinaLuizaSouz
 
Guia resolução consensual de conflitos
Guia resolução consensual de conflitosGuia resolução consensual de conflitos
Guia resolução consensual de conflitos
jotadiver1950
 
CURRICULARIZAÇÃO DA EXTENSÃO - live.pdf
CURRICULARIZAÇÃO DA EXTENSÃO - live.pdfCURRICULARIZAÇÃO DA EXTENSÃO - live.pdf
CURRICULARIZAÇÃO DA EXTENSÃO - live.pdf
SimoneSantos909215
 
O estágio supervisionado na formação continuada docente
O estágio supervisionado na formação continuada docenteO estágio supervisionado na formação continuada docente
O estágio supervisionado na formação continuada docente
Eberson Luz
 
C:\Fakepath\Forumdir 2006
C:\Fakepath\Forumdir 2006C:\Fakepath\Forumdir 2006
C:\Fakepath\Forumdir 2006
Solange Soares
 
Peid
PeidPeid
Open Day do PPGE-UFRRJ - Programa de Pós Graduação em Gestão e Estratégia da ...
Open Day do PPGE-UFRRJ - Programa de Pós Graduação em Gestão e Estratégia da ...Open Day do PPGE-UFRRJ - Programa de Pós Graduação em Gestão e Estratégia da ...
Open Day do PPGE-UFRRJ - Programa de Pós Graduação em Gestão e Estratégia da ...
Flávia Galindo
 
Gcd atividade 3 - apresentação slide - conhecendo a cead - final jvt
Gcd   atividade 3 - apresentação slide - conhecendo a cead - final jvtGcd   atividade 3 - apresentação slide - conhecendo a cead - final jvt
Gcd atividade 3 - apresentação slide - conhecendo a cead - final jvt
Jovert Freire
 
Orientaço..[1] pro 2012 2013
Orientaço..[1] pro 2012 2013Orientaço..[1] pro 2012 2013
Orientaço..[1] pro 2012 2013
Tania Mara Carlos Custódio
 
Texto 1 ewerton1
Texto 1 ewerton1Texto 1 ewerton1
Texto 1 ewerton1
Hermes Thorvalden
 
Curriculo.pptx
Curriculo.pptxCurriculo.pptx
Curriculo.pptx
CcladesSadeeAT
 
Universidade do estado da bahia.docx pro
Universidade do estado da bahia.docx proUniversidade do estado da bahia.docx pro
Universidade do estado da bahia.docx pro
Conceição Ramos
 
Planejamento 2014
Planejamento 2014Planejamento 2014
Planejamento 2014
Pet Esef
 
Slides o projeto de extensão-Fortalecendo laços e rompendo barreiras através ...
Slides o projeto de extensão-Fortalecendo laços e rompendo barreiras através ...Slides o projeto de extensão-Fortalecendo laços e rompendo barreiras através ...
Slides o projeto de extensão-Fortalecendo laços e rompendo barreiras através ...
Telma Maria Rodrigues
 
Fast ead 1º semestre de 2008
Fast ead 1º semestre de 2008Fast ead 1º semestre de 2008
Declaração de Bolonha
Declaração de BolonhaDeclaração de Bolonha
Declaração de Bolonha
Chuck Gary
 
Relatório estágio de observação edição 2 1
Relatório estágio de observação edição 2 1Relatório estágio de observação edição 2 1
Relatório estágio de observação edição 2 1
Arivaldo Bispo
 

Semelhante a 1_Manual_Estagio_Hibrido_Ensino_pdf.pdf (20)

Apresentação Paulo Marcello
Apresentação Paulo MarcelloApresentação Paulo Marcello
Apresentação Paulo Marcello
 
Livro25 anosecl
Livro25 anoseclLivro25 anosecl
Livro25 anosecl
 
Apresentação power
Apresentação powerApresentação power
Apresentação power
 
PlanodeacaodoCoordenador.pdf
PlanodeacaodoCoordenador.pdfPlanodeacaodoCoordenador.pdf
PlanodeacaodoCoordenador.pdf
 
Guia resolução consensual de conflitos
Guia resolução consensual de conflitosGuia resolução consensual de conflitos
Guia resolução consensual de conflitos
 
CURRICULARIZAÇÃO DA EXTENSÃO - live.pdf
CURRICULARIZAÇÃO DA EXTENSÃO - live.pdfCURRICULARIZAÇÃO DA EXTENSÃO - live.pdf
CURRICULARIZAÇÃO DA EXTENSÃO - live.pdf
 
O estágio supervisionado na formação continuada docente
O estágio supervisionado na formação continuada docenteO estágio supervisionado na formação continuada docente
O estágio supervisionado na formação continuada docente
 
C:\Fakepath\Forumdir 2006
C:\Fakepath\Forumdir 2006C:\Fakepath\Forumdir 2006
C:\Fakepath\Forumdir 2006
 
Peid
PeidPeid
Peid
 
Open Day do PPGE-UFRRJ - Programa de Pós Graduação em Gestão e Estratégia da ...
Open Day do PPGE-UFRRJ - Programa de Pós Graduação em Gestão e Estratégia da ...Open Day do PPGE-UFRRJ - Programa de Pós Graduação em Gestão e Estratégia da ...
Open Day do PPGE-UFRRJ - Programa de Pós Graduação em Gestão e Estratégia da ...
 
Gcd atividade 3 - apresentação slide - conhecendo a cead - final jvt
Gcd   atividade 3 - apresentação slide - conhecendo a cead - final jvtGcd   atividade 3 - apresentação slide - conhecendo a cead - final jvt
Gcd atividade 3 - apresentação slide - conhecendo a cead - final jvt
 
Orientaço..[1] pro 2012 2013
Orientaço..[1] pro 2012 2013Orientaço..[1] pro 2012 2013
Orientaço..[1] pro 2012 2013
 
Texto 1 ewerton1
Texto 1 ewerton1Texto 1 ewerton1
Texto 1 ewerton1
 
Curriculo.pptx
Curriculo.pptxCurriculo.pptx
Curriculo.pptx
 
Universidade do estado da bahia.docx pro
Universidade do estado da bahia.docx proUniversidade do estado da bahia.docx pro
Universidade do estado da bahia.docx pro
 
Planejamento 2014
Planejamento 2014Planejamento 2014
Planejamento 2014
 
Slides o projeto de extensão-Fortalecendo laços e rompendo barreiras através ...
Slides o projeto de extensão-Fortalecendo laços e rompendo barreiras através ...Slides o projeto de extensão-Fortalecendo laços e rompendo barreiras através ...
Slides o projeto de extensão-Fortalecendo laços e rompendo barreiras através ...
 
Fast ead 1º semestre de 2008
Fast ead 1º semestre de 2008Fast ead 1º semestre de 2008
Fast ead 1º semestre de 2008
 
Declaração de Bolonha
Declaração de BolonhaDeclaração de Bolonha
Declaração de Bolonha
 
Relatório estágio de observação edição 2 1
Relatório estágio de observação edição 2 1Relatório estágio de observação edição 2 1
Relatório estágio de observação edição 2 1
 

Último

APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
RenanSilva991968
 
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manualUFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
Manuais Formação
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
Escola Municipal Jesus Cristo
 
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
DeuzinhaAzevedo
 
proposta curricular ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
proposta curricular  ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...proposta curricular  ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
proposta curricular ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
Escola Municipal Jesus Cristo
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
NatySousa3
 
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Luana Neres
 
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdflivro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
Escola Municipal Jesus Cristo
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Mary Alvarenga
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
analuisasesso
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
RenanSilva991968
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
carlaslr1
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Mary Alvarenga
 
Acróstico - Reciclar é preciso
Acróstico   -  Reciclar é preciso Acróstico   -  Reciclar é preciso
Acróstico - Reciclar é preciso
Mary Alvarenga
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
Biologia - Jogos da memória genetico.pdf
Biologia - Jogos da memória genetico.pdfBiologia - Jogos da memória genetico.pdf
Biologia - Jogos da memória genetico.pdf
Ana Da Silva Ponce
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 

Último (20)

APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
 
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manualUFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
 
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
 
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
 
proposta curricular ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
proposta curricular  ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...proposta curricular  ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
proposta curricular ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
 
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
 
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdflivro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
 
Acróstico - Reciclar é preciso
Acróstico   -  Reciclar é preciso Acróstico   -  Reciclar é preciso
Acróstico - Reciclar é preciso
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
Biologia - Jogos da memória genetico.pdf
Biologia - Jogos da memória genetico.pdfBiologia - Jogos da memória genetico.pdf
Biologia - Jogos da memória genetico.pdf
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 

1_Manual_Estagio_Hibrido_Ensino_pdf.pdf

  • 1. Manual de Estágio Supervisionado Híbrido 2021 ÁREA DE LINGUAGENS E SOCIEDADE LICENCIATURAS LETRAS HISTÓRIA FORMAÇÃO PEDAGÓGICA EM LETRAS HISTÓRIA SEGUNDA LICENCIATURA EM LETRAS HISTÓRIA ENSINO Curitiba/PR 2021
  • 2. SUMÁRIO 3 Apresentação 6 1. FORMATOS PARA O DESENVOLVIMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO 6 Ensino (Licenciaturas) 7 2. BASE LEGAL 8 3. DIMENSÕES DO ESTÁGIO 9 4. ETAPAS DO ESTÁGIO 9 4.1 Possibilidade 1 10 4.2 Possibilidade 2 11 4.3 Possibilidade 3 11 4.4 Possibilidade 4 12 5. EXPLICANDO O ESTÁGIO DE ENSINO PARA AS LICENCIATURAS 12 1º momento – Carta de apresentação 14 2º momento – Termo de compromisso 17 3º momento – Plano de ação/aula 17 4º momento – Ficha de frequência 17 5º momento – Produção conceitual 20 ANEXO I 23 ANEXO II 25 ANEXO III 28 ANEXO IV 40 ANEXO V
  • 3. 3 APRESENTAÇÃO “Quando se une a prática com a teoria tem-se a práxis, a ação criadora e modificadora da realidade” (Paulo Freire) Neste manual, encontram-se todas as diretrizes a respeito do estágio supervisionado de seu curso de Licenciatura do Centro Universitário Internacional Uninter. Estas normas e orientações são fundamentais para o desenvolvimento das atividades, pois contribuem para a organização, o planejamento e a operacio- nalização no ano de 2021, abrangendo todos os estudantes matriculados nas disciplinas de estágio curricular, independente- mente se concluinte ou não no corrente ano. O estágio supervisionado sofreu alterações em seu formato ao longo dos últimos anos, tanto para atender às necessidades da legislação quanto para acompanhar os avanços tecnológicos e respeitar o contexto em que o documento foi criado. Dessa forma, em um esforço pedagógico, com a edição do Manual de Estágio Híbrido do ano 2021, todos os estágios foram unificados. Portanto, a partir deste ano, somente terão validade as práticas realizadas de acordo com este documento. Com o papel imprescindível de conciliar teoria e prática, o estágio curricular supervisionado permite aos estudantes e egressos dos diversos cursos a experiência por meio da aplica- ção dos fundamentos e dos conhecimentos adquiridos durante sua formação acadêmica.
  • 4. 4 O estágio supervisionado constitui-se em um processo de transição do estudante para o profissional, proporcionando ao estudante a oportunidade de demonstrar os conhecimentos, habilidades, atitudes e valores. É também o momento no qual se torna possível o reconhecimento das competências daqueles profissionais que já atuam na área. Além disso, o estágio pro- picia a aprendizagem na convivência e a realização de distintas atividades, desde o planejamento até a transposição didática nos diferentes assuntos de seu curso de formação. Nesse sentido, o estágio supervisionado deve favorecer a descoberta, ser um processo dinâmico de aprendizagem em diferentes áreas de atuação no campo profissional e em situa- ções reais em contextos possíveis da futura atuação profissional. É uma honra adentrar em distintos espaços para observar, anali- sar e praticar atividades. Aproveite este momento para demons- trar os princípios éticos que regem sua atuação na sociedade da fluidez. Estenda sua mão para os profissionais e para as famílias, conviva de forma harmônica, saiba o momento de apresentar e aceitar ideias. Os princípios que norteiam o estágio supervisionado estão assim distribuídos: sólida formação teórica e interdisciplinar; união entre teoria e prática; trabalho coletivo e interdisciplinar; compromisso social e valorização do profissional da educação; gestão democrática e participativa; avaliação diagnóstica e for- mativa; e regulação. O estágio supervisionado híbrido pode ser realizado em um dos formatos disponíveis: ENSINO (para Licenciaturas) / PROFISSIONAL (para Bacharelados), EXTENSÃO (para Licenciaturas e Bacharelados) e/ou INICIAÇÃO CIENTÍFICA (para Licenciaturas e Bacharelados). Portanto, temos três manuais para atender aos distintos tipos de estágio supervisionado.
  • 5. 5 Para o desenvolvimento das atividades no formato escolhido, o estudante tem como opção três formas: PRESENCIAL, que compreende a participação presencial física do estudante em determinado espaço; HÍBRIDA, que compreende realização do estágio supervisionado com presença física e presença digital (on-line); ON-LINE, que compreende o estágio supervisionado realizado totalmente com presença digital (on-line). Por fim, o princípio da pesquisa em que o tema analisado no estágio supervisionado poderá ser aprofundado no traba- lho de conclusão de curso (TCC), seguindo as linhas indicadas neste manual. Somos gratos por estarmos ao seu lado nesta etapa de sua formação e em um momento excepcional para humanidade. Saudações acadêmicas! Equipe Multidisciplinar de Professores e Administrativos da Área de Linguagens e Sociedade Profa. Dra. Deisily de Quadros Coordenadora da Área de Linguagens e Sociedade Profa. Dra. Dinamara Pereira Machado Diretora da Escola de Educação Profa. Me. Cristiane Dall Agnol da Silva Benvenutti Professora e Coordenadora da Área de Práticas Simone Barbosa Prestes Analista de Projetos
  • 6. 6 1. FORMATOS PARA O DESENVOLVIMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO O estágio supervisionado oferece ao estudante a possibilidade de conhecer cenários de atuação ligados aos diferentes níveis de ensino e contextos educacionais. Para realizar cada disciplina de estágio supervisionado, pode optar por um formato entre os três apresentados a seguir. Ensino (Licenciaturas) O estudante dos cursos de Licenciaturas realizará seus está- gios supervisionado tanto por um profissional do Centro Universitário Internacional Uninter quanto da escola ou da insti- tuição onde realizará o estágio em diferente contexto. Em todos os seus estágios, vivenciará o ambiente educacional da escola ou da instituição de diferente contexto com público das diversas etapas da Educação Básica. Por meio de observação participante, produção e aplicação de Plano de Aula (docência), obterá evidên- cias e aprendizagens, articulando seu conhecimento acadêmico com a prática vivida, o que contribuirá para sua formação profis- sional docente. Lembramos, ainda, que existem outros tipos de estágio supervisionado: ‘ Profissional: destinado prioritariamente para os cursos de Bacharelados.
  • 7. 7 ‘ Extensão: destinado para Licenciatura e Bacharelados, reali- zado em parceria com Polo de Apoio Presencial. ‘ Iniciação científica: destinado para Licenciaturas e Bacharelados, realizado a partir de 5 (cinco) participações na linha de pesquisa do curso e outra do grupo de pesquisa EAD, presencial e híbrido – vários cenários profissionais, de gestão, de currículo, de aprendizagem e políticas públicas. 2. BASE LEGAL O estágio é regulamentado nacionalmente com fundamento em quatro prismas: 1. Diretriz Curricular da área de formação de professores, que dispõe, de forma sistêmica, como deve acontecer o estágio supervisionado em todos os cursos de licenciatura. 2. Diretriz Curricular do curso, que, a partir da diretriz nacional, especifica como devem ser as atividades de estágio supervi- sionado de cada curso. 3. Plano Nacional de Educação, que aponta o direcionamento do estágio em todos os cursos. 4. Lei do Estágio Remunerado, que trata das normas para o estágio remunerado e das implicações para o estudante e para a empresa contratante. Ao aparato legal no ano de 2020 acrescentam-se as norma- tivas da Portaria MEC n. 544, de 16 de junho de 2020, da Nota Técnica Conjunta CGLNRS/DPR/SERES/SERES n. 17/2020 e do Parecer n. 5, de 28 de abril de 2020.
  • 8. 8 3. DIMENSÕES DO ESTÁGIO Ao tratarmos do estágio supervisionado, devem consideradas as seguintes dimensões: POLÍTICA Construir rede de relacio- namentos, oportunizar a empregabilidade e consolidar a escolha profissional. SOCIAL Reconhecer a convivência e o aprendi- zado coletivo no desenvolvimento de COMPETÊNCIAS, a fim de ressignificar seu papel na sociedade, para que esta seja mais justa e democrática e respeite a diversidade humana. TRANSPOSIÇÃO Aplicar os conhecimentos de acordo com as neces- sidades e a realidade de aprendizagem dos estudantes. POLÍTICA S O C I A L T R A N S P O S I Ç Ã O A partir das dimensões de formação, estrutura-se como objetivo: ‘ Reconhecer a liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar a cultura, o pensamento, a arte e o saber; o plu- ralismo de ideias e de concepções pedagógicas; o respeito à liberdade e o apreço à tolerância; a valorização do profis- sional da educação; a gestão democrática e participativa dos ensinos público e privado; a garantia de um padrão de quali- dade; a valorização da experiência extraescolar; a vinculação entre a educação escolar, o trabalho e as práticas sociais; o respeito à diversidade étnico-racial e sua valorização,
  • 9. 9 entre outros, constituem princípios vitais para a melhoria e a democratização da gestão e do ensino. 4. ETAPAS DO ESTÁGIO O estágio supervisionado está atrelado à TURMA em que o estu- dante está matriculado e estruturado em uma sequência de etapas. Para cumprir cada etapa, o estudante, em seu AVA, na Área Trabalhos, dispõe de links que são abertos em sequência, de acordo com a etapa cumprida ou a cumprir. Assim, as etapas estão vinculadas às turmas e, por consequência, pode existir estudante no mesmo Polo de Apoio Presencial com configura- ções distintas dessas etapas. Por essa É fundamental que estu- dantes e profissionais de Polos de Apoio Presencial percebam que não existe um formato único de postagem, mas sim 4 (qua- tro) diferentes tipos de postagem. A seguir, demonstramos cada possibilidade de sequência de etapas que o estudante pode ter em seu AVA Univirtus, con- forme a TURMA de matrícula. 4.1 Possibilidade 1 A Possibilidade 1 aparece no AVA dos estudantes matricula- dos entre os anos de 2012 e 2015, nos cursos de Licenciaturas, sendo, portanto, uma característica de turmas antigas. Mantém-se essa possibilidade porque há estudantes que esta- vam com status “trancado” e retornaram aos cursos de origem e,
  • 10. 10 na perspectiva de facilitar a continuidade das atividades ante- riormente realizadas, aplica-se o mesmo formato. ETAPA 1 1ª CHAMADA ENTREGA DO RELATÓRIO Termo no AVA Plano de Estágio Supervisionado Ensino + Ficha de Frequência + Produção Conceitual ETAPA 2 2ª CHAMADA ENTREGA DO RELATÓRIO SOMENTE SE NÃO POSTOU NA 1ª ETAPA Termo no AVA Plano de Estágio Supervisionado Ensino + Ficha de Frequência + Produção Conceitual ETAPA 3 REFEITOS ENTREGA DO RELATÓRIO SOMENTE SE REPROVOU OU NÃO POSTOU NA 1ª E 2ª ETAPAS Termo no AVA + Ficha de Frequência + Produção Conceitual 4.2 Possibilidade 2 Aplica-se a Possibilidade 2 para as turmas entre 2016 e 2017. Semelhantemente ao que acontece na Possibilidade 1, mantém- -se essa opção porque há estudantes que estavam com status “trancado” e retornaram aos cursos de origem. ETAPA 1 1ª CHAMADA TERMO DE COMPROMISSO Postagem do Termo de Compromisso no sistema ETAPA 2 2ª CHAMADA TERMO DE COMPROMISSO SOMENTE SE NÃO POSTOU NA 1ª ETAPA Postagem do Termo de Compromisso no sistema ETAPA 3 REFEITOS TERMO DE COMPROMISSO SOMENTE SE REPROVOU OU NÃO POSTOU NA 1ª E 2ª ETAPAS Postagem do Termo de Compromisso no sistema ETAPA 5 2ª CHAMADA ENTREGA DO RELATÓRIO Plano de Estágio Supervisionado Ensino + Ficha de Frequência + Produção Conceitual ETAPA 4 ENTREGA DO RELATÓRIO Plano de Estágio Supervisionado Ensino + Ficha de Frequência/ Declaração + Produção Conceitual ETAPA 6 REFEITOS Plano de Estágio Supervisionado Ensino + Ficha de Frequência + Produção Conceitual
  • 11. 11 4.3 Possibilidade 3 Tendo em vista a mesma necessidade de adequação, aplica-se a Possibilidade 3 para as turmas de 2018. ETAPA 1 TERMO DE COMPROMISSO Postagem do Termo de Compromisso no sistema ETAPA 2 Ficha de frequência ETAPA 3 Plano de Estágio Supervisionado Ensino + Produção Conceitual 4.4 Possibilidade 4 Após o avanço nas discussões pedagógicas e com vistas à imple- mentação de melhorias tecnológicas, está vigente, desde o ano de 2019, o formato da Possibilidade 4 de estágio supervisionado para os cursos de Licenciaturas e de Bacharelados. ETAPA 1 Termo de Compromisso ETAPA 2 PLano de Estágio ETAPA 3 Ficha de Frequência ETAPA 4 Produção Conceitual É obrigatória a realização de todo o fluxo administrativo e pedagógico do estágio supervisionado para autorização, reali- zação e comprovação das disciplinas de estágio supervisionado.
  • 12. 12 5. EXPLICANDO O ESTÁGIO DE ENSINO PARA AS LICENCIATURAS O estudante dos cursos de Licenciaturas realizará seus está- gios, supervisionado tanto por um profissional do Centro Universitário Internacional Uninter quanto da escola ou da insti- tuição onde realizará o estágio em diferente contexto. Em todos os seus estágios, vivenciará o ambiente educacional da escola ou da instituição de diferente contexto com público das diversas etapas da Educação Básica. Por meio de observação participante, produção e aplicação de Plano de Aula (docência), obterá evidên- cias e aprendizagens, articulando seu conhecimento acadêmico com a prática vivida, o que contribuirá para sua formação profis- sional docente. Para realização do estágio supervisionado, é IMPRESCINDÍVEL observar todos os momentos a seguir indicados: 1º momento – Carta de apresentação O primeiro passo para desenvolver o estágio no formato ensino é apresentar-se para uma escola ou instituição de diferente con- texto, que é chamada de Unidade Concedente, a qual vai recebê- -lo e supervisioná-lo no desenvolvimento do estágio. Para tanto, você deve levar uma Carta de Apresentação – documento que inicia a disciplina de Estágio Supervisionado. Nesse documento, além de apresentarmos VOCÊ, repassamos orientações acerca de suas atividades para que a aprendizagem e o compromisso
  • 13. 13 de todos estejam presentes durante essa nova etapa de sua formação. Para obtê-la, siga os passos a seguir: 1. No Anexo I, você encontrará o modelo da Carta de Apresentação, com lacunas para preenchimento. 2. Você deve imprimir a Carta de Apresentação, que já está assi- nada pela Coordenação do curso, e preencher seus dados de acordo com os dados da matrícula do estágio supervisionado, identificando em qual estágio você está matriculado. 3. A Carta de Apresentação pode ser entregue presencialmente na Unidade Concedente ou, atendendo ao disposto na Portaria MEC n. 544, de 16 de junho de 2020, na Nota Técnica Conjunta CGLNRS/DPR/SERES/SERES n. 17/2020 e no Parecer n. 5, de 28 de abril de 2020, pode ser enviada de forma on-line para Unidade Concedente. IMPORTANTE: Ainda que o estágio supervisionado seja reali- zado em grupo, a Carta de Apresentação deve ser individual. OBSERVAÇÃO: A Carta de Apresentação não é postada no sistema, mas comprova para a Unidade Concedente a matrí- cula do estudante, dá respaldo legal e estabelece a primeira comunicação entre o Centro Universitário Internacional Uninter e a Unidade Concedente. Após o Aceite da Unidade Concedente em receber o estudante e supervisioná-lo, inicia-se o processo de realização da sequência dos demais momentos do estágio supervisionado.
  • 14. 14 2º momento – Termo de compromisso O Termo de Compromisso é um documento jurídico previsto na Lei nº 11.788, de 25 de setembro de 2008. O Termo de Compromisso é preenchido a partir dos dados do sistema. Portanto, após o preenchimento dos dados no ato da matrícula, o estudante é o responsável direto pelas informações. Aconselhamos que você confira os dados antes de iniciar os pro- cedimentos do Termo de Compromisso. No Anexo II, você encon- tra um passo a passo para preenchimento desse termo no AVA. Para obter a validação desse documento, observe as seguintes orientações: 1. Antes de preencher o Termo de Compromisso, colete todas as informações necessárias com a Unidade Concedente (escola/instituição estagiada). • Carga horária: (horas de atuação em campo). • Unidade concedente: (insira o nome da instituição). • Endereço: (insira o endereço da instituição). • Inscrição no CNPJ: (insira o número do CNPJ da instituição). • Supervisor de estágio: (insira o nome do profissional da escola estagiada e o nome do Profa. Dra. Deisily de Quadros). • Descrição das atividades: (descreva brevemente as ati- vidades que executará em campo no estágio) – as ativida- des devem ter relação com a temática do estágio: Ensino Fundamental Anos Finais, Ensino Médio, gestão educacio- nal, diferentes contextos.
  • 15. 15 OBSERVAÇÃO SOBRE A CLÁUSULA 4ª: Esse campo (no AVA aparece como “Descrição de atividades”) é destinado ao preen- chimento das atividades a serem desenvolvidas em campo de estágio, conforme o formato escolhido. É imprescindível informar o formato escolhido – Ensino – e as atividades efeti- vamente realizadas em seu estágio, como: observação das aulas, levantamento de dados sobre a escola, elaboração do Plano de Aula, docência, elaboração da Produção Conceitual, entre outros. 2. Com as informações coletadas em mãos, clique na aba Trabalhos, dentro da disciplina do estágio em curso e, em seguida, clique no link Entregar Termo de Compromisso. Nesse espaço, insira todas as informações para preenchi- mento indicadas no item anterior. 3. Em seguida, clique em Gerar Ficha. O sistema gerará o Termo de Compromisso em PDF devidamente preenchido. 4. Entregue o Termo de Compromisso presencialmente ou, atendendo ao disposto na Portaria MEC n. 544, de 16 de junho de 2020, na Nota Técnica Conjunta CGLNRS/DPR/ SERES/SERES n. 17/2020 e no Parecer nº 5, de 28 de abril de 2020, envie de forma on-line para a Unidade Concedente carimbar e assinar. IMPORTANTE: A Unidade Concedente deve devolver a você o documento devidamente digitalizado em aplicativo de scanner, inclusive a partir de aparelho de celular. Não será validado docu- mento em foto de aparelho celular ou similar.
  • 16. 16 5. Após receber da Unidade Concedente o Termo de Compromisso carimbado e assinado, você deverá postar no AVA Univirtus, no link Trabalhos – Postagem do Termo de Compromisso e aguardar a análise da Central de Estágio. IMPORTANTE: Ainda que o estágio seja realizado em grupo, o Termo de Compromisso deve ser individual. 6. A Central de Estágio receberá o documento e fará a análise e a devolutiva (Deferido ou Indeferido) no prazo de 2 dias úteis. Somente é possível iniciar o estágio supervisionado após o deferimento do Termo de Compromisso de Estágio Supervisionado. IMPORTANTE: Iniciar o estágio supervisionado antes do deferi- mento do termo resulta em reprovação da atividade de estágio supervisionado, por estar em desacordo com a legislação. 7. Caso o Termo de Compromisso seja DEFERIDO, basta impri- mir ou baixar o arquivo com carimbo e assinatura do repre- sentante do Centro Universitário Internacional Uninter para entregar para a Unidade Concedente de forma presencial, híbrida ou on-line. 8. O Termo de Compromisso deferido tem validade de 1 ano (12 meses) para a realização e o término do estágio supervisionado.
  • 17. 17 3º momento – Plano de ação/aula O Plano de Ação/Aula é o documento no qual são apresentadas as atividades a serem desenvolvidas durante o período do está- gio híbrido supervisionado no formato Ensino. Para postagem, é imprescindível verificar em qual turma o estudante está matri- culado, pois é a partir da turma que se configura a possibilidade de postagem, ou seja, uma entre as quatro possibilidades que foram demonstradas anteriormente. O Plano de Ação/Aula pode ser postado individualmente ou, em caso de realização em grupo, devem ser acrescentados o nome e o RU de todos os participantes. Quando realizado em grupo, ape- nas um dos membros do grupo deve fazer a postagem do Plano de Ação/Aula. No Anexo III, consta um exemplo de plano de aula. 4º momento – Ficha de frequência A Ficha de Frequência contém toda carga horária estipulada para o estágio a ser cumprido. Nela é apresentada cada atividade com a respectiva carga horária, totalizando, ao final, a soma das horas exigidas. Quando o estágio é realizado em grupo, cada estudante deve ter sua Ficha de Frequência e realizar a postagem de forma indi- vidual. O modelo de ficha de frequência se encontra no roteiro de estudo. 5º momento – Produção conceitual A Produção Conceitual do estágio supervisionado no formato Ensino para Licenciaturas é idêntica para todas as turmas,
  • 18. 18 independentemente do ano de matrícula ou do curso escolhido e das possibilidades de postagem no AVA Univirtus. A Produção Conceitual pode ser desenvolvida em grupo de até 4 (quatro) estudantes, desde que todos estejam inscritos na mesma oferta/turma da disciplina de Estágio Supervisionado. No ato da postagem, é imprescindível inserir a identificação (RU) de todos os estudantes, e somente um estudante deve realizar a postagem da Produção Conceitual. A Produção Conceitual é o resultado de um conjunto de fatores vivenciados, como estudo, pesquisa e produção escrita, relacionados às experiências adquiridas com as atividades de campo. Na Produção Conceitual são apresentados os aprendiza- dos em uma estrutura acadêmico-científica, contribuindo para a formação profissional. A composição obrigatória da Produção Conceitual deve contem- plar os seguintes itens: ‘ Capa ‘ Sumário ‘ Introdução (entre 1 e 2 páginas) ‘ Desenvolvimento (entre 10 e 15 páginas) ‘ Considerações finais (entre 1 e 2 páginas) ‘ Referências
  • 19. 19 IMPORTANTE: Será considerada cópia todo e qualquer docu- mento que apresentar semelhança literal em mais de 30% do texto. Cópia de Produção Conceitual é considerada PLÁGIO e será desconsiderada como avaliação autoral individual ou do grupo. No Anexo IV consta o template para a elaboração da Produção Conceitual.
  • 21. 21 CARTA DE APRESENTAÇÃO ____________________________________________ [Nome da cidade, dia, mês e ano] Ilmo(a) Senhor(a), Na condição de Coordenadora dos Cursos da Área de Linguagens e Sociedade da Escola Superior de Educação – Centro Universitário Internacional Uninter, formalizo a apresen- tação do(a) aluno(a) regularmente matriculado(a): Nome completo: RU: Registro Acadêmico: CURSO __LICENCIATURA __FORMAÇÃO PEDAGÓGICA __2ª LICENCIATURA Em: ___________________________________________ ___________________________________________ Necessita realizar ______ horas (equivalente a 30% da carga horária total do estágio) na Instituição Concedente referente ao estágio de _____________________________________ [inserir deno- minação do estágio supervisionado], sendo: ‘ _____ Observação participativa; ‘ _____ Atuação. Este estágio não cria vínculo empregatício de qualquer natu- reza entre o Estagiário e a Unidade Concedente. Na vigência do presente estágio, o estudante estará incluído na cobertura do SEGURO CONTRA ACIDENTES PESSOAIS da
  • 22. 22 METLIFE, Apólice n. 82.01432, proporcionado pelo Centro Universitário Internacional Uninter, denominado Instituição de Ensino. Em nome dos alunos e da Diretoria Acadêmica do Centro Universitário Internacional Uninter, agradeço a inestimável cola- boração a ser prestada por Vossa Senhoria aos nossos alunos e às nossas alunas. Profa. Dra. Deisily de Quadros Coordenadora da Área de Linguagens e Sociedade Escola Superior de Educação – Uninter
  • 24. 24 TERMO DE COMPROMISSO O Termo de Compromisso de Estágio é celebrado entre o aluno, a Unidade Concedente e o Centro Universitário Internacional Uninter, no qual estão determinadas a vigência, a carga horária, as atividades, a apólice de seguros e as respon- sabilidades de cada uma das partes. O Termo de Compromisso não será mais disponibilizado no material complementar na disciplina do estágio. O aluno deverá realizar o seguinte o passo a passo: Acessar o AVA. Clicar na “disciplina do estágio”. Na aba “Termo de Compromisso e Carta de Apresentação”, está disponível o informativo, que deverá ser preenchido em conjunto com a Unidade Concedente. Após o preenchi- mento do infor- mativo, clicar em “Trabalhos”. Clicar na chamada referente ao período da entrega. Clicar em “Entregar Termo de Compromisso”. Preencher todas as informações do estágio. Clicar em “Gerar documento/ficha”. Imprimir a 1ª via. Levar à Unidade Concedente do estágio e recolher as assinaturas. Digitalizar o Termo de Compromisso devidamente assinado por todas as partes, postar no AVA e aguardar a análise. Se deferido, o aluno poderá iniciar suas atividades em campo. A utilização de Termo de Compromisso em modelo antigo acar- retará o indeferimento.
  • 26. 26 ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE AÇÃO/AULA 1. Identificação Disciplina: ______________________________ Ano/Série: _________ 2. Conteúdo da aula ou projeto de ensino Apresente o conteúdo (componente curricular) que será abor- dado na aula. 3. Objetivos Indique 3 (três) objetivos do Plano de Aula ou do Projeto de Ensino que contemplem, de maneira clara, o que se pretende atingir. Os objetivos devem iniciar com um verbo no infinitivo. 4. Síntese do assunto (pressupostos teóricos do conteúdo) Apresente aqui os principais conceitos e autores que embasam o Plano de Aula ou o Projeto de Ensino. Cite dois ou três autores do campo de conhecimento de seu curso de Licenciatura que fundamentam seu Plano de Aula ou Projeto (ou seja, o conteúdo a ser desenvolvido na aula toma quais autores como base?). Liste esses autores e suas ideias principais. Não se esqueça de,
  • 27. 27 ao citá-los, indicar o ano da obra pesquisada. Essas obras deve- rão constar no relatório, no item REFERÊNCIAS. 5. Desenvolvimento da aula ou do projeto (introdução, desenvolvimento e encerramento, em formato de texto detalhado) Descreva detalhadamente as ações, atividades e exercícios que serão desenvolvidos para atingir os objetivos pretendidos. 6. Recursos Descreva os recursos tecnológicos educacionais que serão utili- zados para desenvolver o Plano de Aula ou o Projeto de Ensino (por exemplo: projetor, rádio, televisão, quadro de giz, entre outros). 7. Referências Liste todas as referências utilizadas.
  • 29. 29 ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO DA PRODUÇÃO CONCEITUAL A Produção Conceitual deverá ser composta pelas seguintes etapas: ‘ Capa ‘ Sumário ‘ Introdução (entre 1 e 2 páginas) ‘ Desenvolvimento (entre 10 e 15 páginas) ‘ Considerações finais (entre 1 e 2 páginas) ‘ Referências IMPORTANTE: Será considerada cópia todo e qualquer docu- mento que apresentar semelhança literal em mais de 30% do texto. Cópia de Produção Conceitual é considerada PLÁGIO e será desconsiderada como avaliação autoral individual ou do grupo. Veja, a seguir, as particularidades de cada uma dessas etapas. 1. Introdução Na introdução, você deve descrever uma apresentação geral do estágio, ou seja, a sua percepção sobre a relevância da atividade para sua formação profissional, além de descrever o local estagiado, apresentando, assim, o lócus explorado para a construção do estágio. Por questões que envolvem a ética na
  • 30. 30 pesquisa, é proibido identificar nominalmente o espaço esta- giado. Identifique-o com nome fictício. A introdução deve apresentar, de forma breve, todos os itens de sua produção conceitual e, obrigatoriamente, deve conter: ‘ Objetivos do estágio. ‘ Onde ele foi realizado – instituição presencial ou remota (descrição do local). ‘ Metodologia – Como o estágio está estruturado? ‘ Atividades desenvolvidas no estágio. 2. Desenvolvimento Inicie o desenvolvimento com um texto de dois a cinco pará- grafos indicando quais itens/atividades compõem o desenvol- vimento de seu estágio. Em seguida, descreva cada atividade realizada ao longo de seu estágio (modalidade educação), obser- vando a sequência apresentada a seguir: 2.1  Estado da arte Estado da Arte é uma metodologia de pesquisa para verificar pesquisas científicas realizadas que se relacionam com o tema do Plano de Ação de seu estágio, a fim de contribuir com a fun- damentação teórica para sua Produção Conceitual. Como fazer? ‘ Passo 1 – Acessar a base de dados da Capes ou o Google Acadêmico.
  • 31. 31 ‘ Passo 2 – No tema do seu Plano de Ação, separe palavras- -chaves que o definem, o que, nessa metodologia, chama- mos de descritores. ‘ Passo 3 – Na busca da base de dados, digitar o descritor entre “aspas”. Você verificará que aparecerão diversos arti- gos, dissertações ou teses com essa palavra ou expressão. ‘ Passo 4 – Filtrar temas da área de conhecimento da Educação e um período de tempo, por exemplo: 2010 a 2020. ‘ Passo 5 – Entre os trabalhos que restaram, escolher temas que conversam com seu tema. ‘ Passo 6 – Abrir os resumos e ver aqueles que contribuem em teoria e pesquisa prática para seu tema. ‘ Passo 7 – Elaborar o texto de desenvolvimento, relacionando seu Plano de Ação com os aprendizados gerados nessa pes- quisa do Estado da Arte. (1 a 2 páginas) 2.2  Campo externo remoto – Análise Imagética Neste tópico, você deverá inserir sua ficha de análise do filme, OU documentário, OU espaço cultural virtual. Dessa forma, primeiro você escolhe 1 (um) filme, OU 1 (um) documentário, OU 1 (um) espaço cultural virtual que esteja relacionado com seu Plano de Ação/Aula. Após assistir ao filme ou ao documentário, ou visitar virtualmente o espaço cultural escolhido, deverá pro- duzir o respectivo texto. (2 a 3 páginas)
  • 32. 32 Para a elaboração do texto, sugerimos observar os questio- namentos a seguir sobre o filme/documentário a que assistiu ou o espaço cultural que visitou: 2.2.1 Contexto ‘ Identifique o tema central do documentário, ou do filme, ou do espaço cultural virtual. ‘ Caracterize o tema. Político? Religioso? Moral? Social? ‘ Em qual contexto se passa o documentário, ou o filme, ou o espaço cultural virtual? Urbano, rural, ambos? O que predomina? ‘ Qual o tipo de ambiente predominante? Físico: natureza, campo, montanha, praia, cidade, fazenda etc. Social: algum agrupamento social específico, família, amigos, trabalhado- res, times, nobres etc. 2.2.2 Roteiro ‘ Apresente de que forma ocorre a introdução do documentá- rio, ou do filme, ou do espaço cultural virtual. Como a temá- tica central é introduzida? ‘ Além dos elementos históricos ou baseados em fatos reais, há algum indício de ficção? ‘ Há uma unidade na narrativa? Os fatos se encadeiam logica- mente ou são episódios mais independentes/autônomos? ‘ Há diferentes temporalidades apresentadas? Os fatos retra- tados ocorrem simultaneamente ou não?
  • 33. 33 2.2.3 Ambiente/espaço ‘ Qual(is) é(são) o(s) local(is) dos acontecimentos? Há mais de um lugar central? O ambiente ou cenário se destaca na nar- rativa? É detalhadamente apresentado? ‘ Nas cenas predominam os elementos físicos do ambiente ou se destacam mais aspectos emocionais ou psicológicos? ‘ Qual é o histórico do espaço visitado? ‘ Qual é a composição do acervo? ‘ Qual é a importância desse espaço cultural para a comuni- dade local, brasileira, mundial? ‘ Como é a estrutura e como são os recursos do espaço visitado? 2.2.4 Personagens ‘ Sobre as características que compõem os personagens ou pessoas apresentadas, quais aspectos psicológicos se desta- cam? Os personagens são calmos, obsessivos, serenos, frios, objetivos, maquiavélicos, bondosos etc.? ‘ O uso desses aspectos mencionados conduz de alguma maneira a construção da própria narrativa? De que forma? ‘ Quais são os elementos que você destacaria para a composi- ção e o andamento da narrativa? 2.2.5 Reflexões interdisciplinares ‘ Quais foram suas impressões após ter assistido ao documen- tário/filme ou ter visitado o espaço cultural virtual? ‘ Há, ao longo do documentário, ou do filme, ou espaço cultural virtual, algum elemento que tenha feito você
  • 34. 34 estabelecer relações com algum conhecimento prévio seu (outro filme, leitura literária, expressão e produção das artes plásticas etc.)? 2.2.6 Relações com sua formação acadêmica pedagógica ‘ Quais aspectos que se relacionam com seu curso? ‘ Aponte as contribuições para a unidade curricular de estágio. ‘ Em quais temas de seu curso você poderia utilizar o docu- mentário, ou o filme, ou o espaço cultural virtual? De que forma? ‘ De que forma o documentário, ou o filme, ou o espaço cultu- ral virtual contribui para sua formação? 2.2.7 Ficha técnica Por último, preencha a ficha técnica a seguir, que expressa de forma resumida seu texto: Nome/título do filme ou documentário ou espaço cultural: Ano (produção do filme/documentário ou inaugura- ção do espaço cultural): País de origem: Palavras-chave: Idade recomendada filme/documentário ou público e tipo de interação possível com o acervo do espaço cultural: Gênero filme/documentário: Cor filme/documentário: Direção filme/documentário: Idioma filme/documentário: Elenco principal filme/documentário:
  • 35. 35 Identificação – imagem e categoria do espaço visitado: Composição do acervo do espaço visitado (salas, temas, principais obras): Importância local/regional/nacional/mundial do espaço visitado: Duração do filme/documentário ou da visita ao espaço cultural: Informações de produção1 ou histórico do espaço visitado: Restrições: Sinopse do filme/documentário ou resumo do que é possível conhecer no espaço cultural: Conteúdos explícitos2 : Conteúdos implícitos3 : Interdisciplinaridade com outras áreas4 : Observações: 1 Informações de produção: são informações como locações, custos de produção, adaptações de livros, entre outras, e que possibilitam ao professor contextualizar o uso da obra. Essas informações também podem estabelecer ações interdisciplinares com outras áreas. 2 Conteúdos explícitos: são aqueles conteúdos que a narrativa/acervo apresenta de forma clara e direta, ou seja, que o aluno identifica sem dificuldades. Podem represen- tar um desdobramento do assunto. 3 Conteúdos implícitos: são aqueles que, de alguma forma, podem ser subentendidos na narrativa/acervo. Não ocupam uma cena principal, porém fazem parte, implicita- mente, da história. Podem surgir em diálogos, ações, figurinos, cenários, músicas ou outras formas. 4 Interdisciplinaridade com outras áreas: relaciona as áreas que podem estabelecer diálogos com a área principal. A interdisciplinaridade ocorre, ou pode ser proposta, a partir da área de formação do professor que propõe a utilização do documentário.
  • 36. 36 FICHA PARA ANÁLISE DO ESPAÇO CULTURAL ORIENTAÇÕES PARA O PREENCHIMENTO DO RELATÓRIO DE VISITA CULTURAL Kramer diz: “[...] para ser educativa, a arte precisa ser arte e não arte educativa; do mesmo modo, para ser educativo, o museu precisa ser espaço de cultura e não um museu educativo. É na sua precípua ação cultural que se apresenta a possibilidade de ser educativo. O museu não é lugar de ensinar a cultura, mas, sim, lugar de cultura” (KRAMER, apud, LEITE e OSTETTO, 2005, p.36). 1. IDENTIFICAÇÃO ALUNO(S): ESPAÇO CULTURAL: DISCIPLINA: Estágio Supervisionado CIDADE E DATA: DURAÇÃO DA VISITA: 2. APRESENTAÇÃO Breve relato sobre o espaço cultural, histórico, localização, atuação cultural, outras informações relevan- tes sobre o espaço visitado. 3. DESENVOLVIMENTO Escreva um texto contendo os seguintes itens: ‘ Descrição do espaço. ‘ Foram recepcionados por ...cargo... ‘ Visita aos seguintes setores: ‘ Existem programas de incentivo a participação da comunidade? ‘ Contexto histórico da exposição visitada; ‘ Justificativa para escolha da exposição ou do espaço cultural e destaque da relevância cultural para a comunidade. ‘ Escolha um espaço durante a visita para a seguinte análise específica (não entendi muito bem este tópico. Seria escolher uma obra específica, uma sala específica do museu, por exemplo? Se for isto, colocaria os dois últimos tópicos na análise geral – copiei para cima – e deixaria somente estes dois abaixo nesta análise específica): ‘ Temática e descrição visual a partir da observação deste espaço; ‘ Relacione o tema com o seu curso.
  • 37. 37 4. CONCLUSÃO Citar aspectos positivos que fazem a diferença no espaço cultural visitado; Destacar aspectos que precisam ser melhorados no espaço para atender as necessidades da comuni- dade (exemplo: acessibilidade); Descrever sua opinião sobre a importância das ações culturais, a partir do desenvolvimento realizado durante a visita cultural. 5. REFLEXÕES INTERDISCIPLINARES Aponte as contribuições da visita do espaço cultural na disciplina de Estágio Supervisionado e na sua formação como professor. OBSERVAÇÃO GERAL: ‘ Será considerado cópia de relatório todo e qualquer documento que apresentar semelhança literal em mais de 30% do texto. ‘ Cópia de relatório é considerada PLÁGIO e será desconsiderada como avaliação autoral. MATERIAL DE APOIO – Leitura complementar: PROFESSORES, VISITAS ORIENTADAS E MUSEU DE CIÊNCIA: UMA PROPOSTA DE ESTUDO DA COLABORAÇÃO ENTRE MUSEU E ESCOLA: http://www.posgrad.fae.ufmg.br/posgrad/viienpec/pdfs/817.pdf MEDIAÇÃO CULTURAL: UMA PERSPECTIVA INTERTEXTUAL: https://www.udesc.br/arquivos/ceart/id_cpmenu/5937/Media__ o_cultural_uma_perspectiva_intertextual_15501728042917_ 5937.pdf MUSEU PARA TODOS: http://museu.pinacoteca.org.br/textos-educativos/ textos-de-referencia/ LEITURA DE IMAGENS, CULTURA VISUAL E PRÁTICA EDUCATIVA: http://www.scielo.br/pdf/cp/v36n128/v36n128a09.pdf
  • 38. 38 2.3  Material didático: criação e reflexão O material didático é um recurso que você deverá produzir e utilizar em sua atividade, ou seja, criar e produzir um material concreto, como, por exemplo, um jogo, uma tecnologia assistiva, um equipamento de treino etc. Esse material varia conforme sua escolha de campo de estágio e, consequentemente, de seu Plano de Ação. Além da criação, aqui você deverá explanar sobre ele, reali- zando uma descrição reflexiva e detalhada sobre o uso desse recurso criado. Pode inserir imagem, porém, tome cuidado com o espaço utilizado. (2 a 3 páginas) 2.4  Prática do campo e as teorias: práxis Neste item, você deverá descrever detalhadamente os conheci- mentos construídos durante seu estágio. É nesse momento que você fará a articulação entre a teoria e a prática, ou seja, entre os conhecimentos teóricos de seu curso de Licenciatura, bem como do campo de estágio escolhido, com as atividades realiza- das ao longo do estágio híbrido. (4 a 6 páginas) 3 Considerações finais Neste item, você deverá apresentar os resultados finais de seu estágio, inserindo as principais aprendizagens realizadas nos três espaços: estudo, pesquisa e produção escrita. (1 a 2 páginas)
  • 39. 39 4 Referências Inserir todos os teóricos e todas as obras utilizadas para a cons- trução da Produção Conceitual.
  • 41. 41 SUGESTÕES DE FILMES, DOCUMENTÁRIOS E ESPAÇOS CULTURAIS VIRTUAIS PARA DESENVOLVIMENTO DAS ATIVIDADES DE ESTÁGIO Título: VIDAS DE CAROLINA Gênero: Documentário Direção: Jéssica Queiroz Ano: 2015 Tema central: Literatura, desigualdade social, mulheres e empoderamento Tempo (duração): 10 min Contemplado pela sétima edição prêmio Criando Asas, Vidas de Carolina conta a história de duas mulhe- res que sobrevivem da coleta de resíduos recicláveis. O documentário foi inspirado na vida da inusitada catadora de lixo e escritora da década de 1940 Carolina Maria de Jesus. Relatos de familiares da escritora e trechos do livro Quarto de despejo conectam as três histórias. Título: DÉCIMA TERCEIRA EMENDA Gênero: Documentário Direção: Ava DuVernay Ano: 2016 Tema central: Escravidão, liberdade e racismo nos Estados Unidos Tempo (duração): 100 min Documentário que discute a Décima Terceira Emenda à Constituição dos Estados Unidos – “Não haverá, nos Estados Unidos ou em qualquer lugar sujeito a sua jurisdição, nem escravidão, nem trabalhos força- dos, salvo como punição de um crime pelo qual o réu tenha sido devidamente condenado” – e seu terrível impacto na vida dos afro-americanos. Título: PRO DIA NASCER FELIZ Gênero: Documentário Direção: João Jardim Ano: 2005 Tema central: Educação, desigualdade, ensino, magistério Tempo (duração): 88 min Depoimentos de estudantes das redes pública e particular sobre medos e anseios no ambiente escolar. Adolescentes de três estados, de classes sociais distintas, falam de suas vidas na escola, seus projetos e suas inquietações.
  • 42. 42 Título: TRÊS IRMÃOS DE SANGUE Gênero: Documentário Direção: Ângela Patrícia Reiniger Ano: 2006 Tema central: Democratização, solidariedade, resistência Tempo (duração): 102 min Esse documentário retrata a vida dos irmãos Betinho, Henfil e Chico Mário, brasileiros que fizeram da solidariedade a sua grande arma na luta pela vida e que ajudaram a tornar o Brasil um país mais justo e solidário. Título: NUNCA ME SONHARAM Gênero: Documentário Direção: Cacau Rhoden Ano: 2017 Tema central: Realidade do ensino nas escolas públicas do Brasil Tempo (duração): 90 min O documentário traça um panorama sobre o ensino médio nas escolas públicas do Brasil sob diferentes pontos de vista, principalmente a partir dos estudantes. Isso é mostrado através de relatos de jovens, professores, diretores de escolas e especialistas, que revelam o valor da educação, os desafios do pre- sente, as expectativas para o futuro e os sonhos de quem vive essa realidade. Título: VALSA COM BASHIR Gênero: Animação/ Documentário Direção: Ari Folman Ano: 2008  Tema central: Guerra do Líbano no início dos anos 1980 Tempo (duração): 87 min Em um bar, um amigo conta ao diretor Ari Folman sobre um sonho constante que tem, no qual é perse- guido por 26 cães ferozes. Durante a conversa, eles concluem que a imagem tem ligação com sua missão na 1ª Guerra do Líbano, no início dos anos 1980, quando defendia o exército de Israel. Como Ari nada se lembra do evento, ele passa a buscar e entrevistar seus velhos companheiros da época. Título: HUMAN Gênero: Documentário Direção: Yann Arthus-Bertrand Ano: 2016 Tema central: Amor, mulheres, trabalho, pobreza Tempo (duração): 149 min Com testemunhos e imagens aéreas exclusivas, o introspectivo documentário aborda quem nós somos hoje em dia. Não só como comunidade, mas como indivíduos. Com guerras, discriminações e desigual- dades, confrontamos a realidade que também contempla discursos de solidariedade. Uma reflexão do futuro que queremos para nós, seres humanos, e o planeta. Título: EDUCAÇÃO PROIBIDA Gênero: Documentário Direção: Germán Doin Ano: 2012 Tema central: Educação Tempo (duração): 115 min A Educação Proibida é um projeto feito por jovens que, partilhando dessa visão, embarcaram em uma pesquisa em oito países realizando entrevistas com mais de 90 educadores com propostas educativas alternativas. O filme foi financiado coletivamente graças a centenas de coprodutores e tem licença livre que permite e incentiva sua cópia e reprodução. O filme se propõe a iniciar e alimentar um debate de reflexão social sobre as bases que sustentam a escola, promovendo o desenvolvimento de uma educa- ção integral centrada no amor, no respeito, na liberdade e na aprendizagem.
  • 43. 43 Título: MBYÁ REKO PYGUÁ, A LUZ DAS PALAVRAS Gênero: Documentário Direção: Kátia Klock, Cinthia Creatini da Rocha Ano: 2012 Tema central: Espiritualidade Tempo (duração): 18 min A sensibilidade do povo Guarani em educar as crianças permanece viva apesar das influências da sociedade contemporânea. Mas os caminhos e esforços dos líderes espirituais e professores indígenas são marcados por dilemas, buscas, encontros e desencontros. Esse registro todo gravado em Guarani na Aldeia Yynn Moroti Wherá, em Biguaçu, Santa Catarina, no sul do Brasil, comprova: espiritualidade, simplicidade e verdade são palavras que traduzem “a luz” dos Guarani em seu processo de educação. Título: OS REINOS PERDIDOS DA ÁFRICA Gênero: Documentário Direção: BBC London Ano: 2014 Tema central: História da África Tempo (duração): 58 min Trata-se de uma série de documentários de televisão britânica. É produzida pela BBC e descreve a histó- ria pré-colonial da África. A série é narrada por Dr. Gus Casely-Hayford. Título: HOLOCAUSTO BRASILEIRO Gênero: Documentário Direção: Daniela Arbex, Armando Mendz Ano: 2016 Tema central: Genocídio Tempo (duração): 90 min Esse documentário, baseado no livro homônimo de Daniela Arbex, mostra o genocídio que aconteceu no Hospital Colônia em Barbacena (MG) enquanto discute questões atinentes ao papel dos manicômios. Título: MEMÓRIAS DO CHUMBO – O FUTEBOL NOS TEMPOS DO CONDOR Gênero: Documentário Direção: Lúcio de Castro Ano: 2013 Tema central: Ditadura militar, futebol, Operação Condor Tempo (duração): 51 min Série exibida na ESPN Brasil sobre o futebol nos tempos do Condor, durante a ditadura militar nos países do Cone Sul. Título: QUANDO SINTO QUE JÁ SEI Gênero: Documentário Direção: Anderson Lima Antonio Lovato Raul Perez Ano: 2014 Tema central: Educação, valores, autonomia Tempo (duração): 78 min A proposta do documentário é levantar uma discussão sobre o atual momento da educação no Brasil. Carteiras enfileiradas, aulas de 50 minutos, provas, sinal de fábrica para indicar o intervalo, grades curriculares, conhecimento dividido em diferentes caixas. As escolas, como são hoje oferecem os recur- sos necessários para que uma criança se desenvolva ou a transformam em um robô, com habilidades técnicas, mas sem senso crítico? O projeto surgiu da percepção de que valores importantes da formação humana estão sendo deixados fora da sala de aula.
  • 44. 44 Título: OLHOS AZUIS Gênero: Documentário Direção: Bertram Verhaag Ano: 1996 Tema central: Preconceito, igualdade racial Tempo (duração): 90 min O documentário retrata o trabalho da professora e socióloga estadunidense Jane Elliot, que, em resposta à intolerância racial que culminou no assassinato de Martin Luther King, iniciou suas experiências empá- ticas de educação para a igualdade racial em uma sala de terceira série primária. Nesse documentário, há cenas do documentário de 1968. Título: GUERRAS SUJAS Gênero: Documentário Direção: Rick Rowley Ano: 2016 Tema central: Bastidores de guerras, política Tempo (duração): 84 min Jeremy Scahill, repórter investigativo e autor do best-seller Blackwater, investiga dados escondidos por trás das guerras americanas, desde o Afeganistão até a Somália, entre outras. As histórias paralelas às contadas pelo governo e empresas americanas são descobertas através de uma profunda jornada investigativa.  Título: SHE IS BEAUTIFUL WHEN SHE IS ANGRY Gênero: Documentário Direção: Mary Dore Ano: 2014 Tema central: Feminismo, direitos civis, direitos humanos Tempo (duração): 92 min Conta a história das mulheres que criaram o movimento feminista nos anos 1960, fazendo uma revolu- ção em todos os âmbitos sociais. O filme fala basicamente sobre o nascimento de organizações como NOW (Organização Nacional das Mulheres) e da FLF (Feminist Liberation Front), além do surgimento da chamada “Segunda Onda” do feminismo nos Estados Unidos nas décadas de 1960 e 1970. Foi esse período que pavimentou, sustentou e direcionou caminhos para a expansão do feminismo como o conhecemos e o definimos hoje. Título: PROMESSAS DE UM MUNDO NOVO Gênero: Documentário Direção: B. Z. Goldberg, Carlos Bolado, Justine Shapiro Ano: 2001 Tema central: Guerra, conflitos no Oriente Médio Tempo (duração): 106 min Retrata a história de sete crianças israelenses e palestinas em Jerusalém, que, apesar de morarem no mesmo lugar, vivem em mundos completamente distintos, separados por diferenças religiosas. Com idades entre 8 e 13 anos, raramente elas falam por si mesmas e estão isoladas pelo medo. Nesse filme, suas histórias oferecem uma nova e emocionante perspectiva sobre o conflito no Oriente Médio. Título: THE MASK YOU LIVE IN Gênero: Documentário Direção: Jennifer Siebel Newsom Ano: 2015 Tema central: Sexualidade, saúde emocional Tempo (duração): 97 min Dirigido por Jennifer Siebel Newsom e lançado em 2015, o documentário The Mask You Live In (“A máscara em que você vive”, em tradução livre) mostra de forma impactante e comovente o modo como a cultura, mais especificamente nos Estados Unidos, constrói socialmente um conceito de “masculinidade” que colabora para perpetuar as práticas sexistas e homofóbicas na sociedade. Através de uma série de depoimentos de educadores, psicólogos e outros especialistas, além do relato de homens e meninos americanos, a produção vai desmitificando todos os estereótipos ligados à noção de “ser homem” que vêm sendo reproduzidos por meio das mais diversas formas de produção cultural e transmitidos ao longo das gerações desde muito tempo atrás.
  • 45. 45 Título: CORATIO – BRASIL NUNCA MAIS Gênero: Documentário Direção: Ana Castro e Gabriel Mitani Ano: 2015 Tema central: Ditadura militar, direitos civis, direitos humanos Tempo (duração): 56 min Qual é o fio que liga a repressão do passado, as violações da ditadura militar, com a violência que vive- mos hoje? O que a tortura, as violências praticadas pelos militares têm a ver com o genocídio da popu- lação negra e periférica? O filme Coratio provoca a reflexão sobre a continuidade da violência por parte da polícia e de como a impunidade com os crimes do passado permite que a repressão se perpetue. Trata dos 30 anos do lançamento do livro Brasil Nunca Mais, um marco na luta pelos direitos humanos no Brasil. A ideia do Nunca Mais era tentar garantir que a tortura e o desrespeito aos direitos humanos praticados por agentes do Estado não acontecessem mais. Três décadas depois do lançamento, ainda não podemos dizer “nunca mais” para a tortura e a violência. Título: LÍNGUA: VIDAS EM PORTUGUÊS Gênero: Documentário Direção: Victor Lopes Ano: 2001 Tema central: Processos históricos, diversidade linguística, língua portuguesa Tempo (duração): 105 min O documentário, coproduzido por Brasil e Portugal e filmado em seis países (Brasil, Moçambique, Índia, Portugal, França e Japão), é um mergulho nas muitas histórias da língua portuguesa e na sua perma- nência entre culturas variadas do planeta. A lusofonia é, sobretudo, fala, surpreendida do cotidiano de personagens ilustres e anônimos de quatro continentes. Em cada um deles, o português amalgamou deuses, melodias, climas, ritmos; misturou-se aos alimentos e às paisagens; foi reinventado centenas de vezes e alimentado sucessivas vezes por colonizadores, imigrantes e descendentes. O filme, ao entrar e sair da vida dos personagens, desvia-se de suas rotas cotidianas para encontrar cerimônias, casais, locais de trabalho, esquinas e paisagens, traçando retratos reveladores da cultura de cada um dos países visitados. Título: ENTRE OS MUROS DA ESCOLA Gênero: Comédia dramática Direção Laurant Cantet Ano: 2008 Tema central: Relação professor-aluno, ensino e aprendizagem Tempo (duração): 128 min O professor de língua francesa, François Marin, tem um grande desafio no começo do ano letivo em uma escola de ensino médio localizada na periferia de Paris. Lecionando aulas de francês para filhos de imigrantes, o professor e seus colegas buscam estimular os alunos, no entanto, precisam lidar com conflitos, descaso e problemas que os adolescentes trazem para dentro dos muros da escola. Título: ESCRITORES DA LIBERDADE Gênero: Drama Direção: Richard LaGravanese Ano: 2007 Tema central: Relação professor-aluno, relação entre alunos, tolerância, criação de vínculos em sala de aula Tempo (duração): 124 min Uma jovem e idealista professora chega a uma escola do subúrbio problemático de Long Beach, Califórnia, Estados Unidos, corrompido pela agressividade e violência. Os alunos se mostram rebeldes e sem vontade de aprender, e há entre eles uma constante tensão racial. Assim, para fazer com que os alunos aprendam e também falem mais de suas complicadas vidas, a professora Gruwell (Hilary Swank) lança mão de métodos diferentes de ensino. Aos poucos, os alunos vão retomando a confiança em si mesmos, aceitando mais o conhecimento e reconhecendo valores como a tolerância e o respeito ao próximo.
  • 46. 46 Título: NARRADORES DE JAVÉ Gênero: Drama Direção: Eliane Caffé Ano: 2004 Tema central: Memória, narrativas orais e escritas, história, fonte histó- rica, cidades, comunidades, impactos de grandes construções Tempo (duração): 100 min A pequena cidade Javé será submersa pelas águas de uma enorme usina hidrelétrica. Seus moradores não serão indenizados e não foram sequer notificados porque não têm registros nem documentos das terras. Inconformados, descobrem que o local poderia ser preservado se tivesse um valor patrimonial histórico comprovado em “documento científico”. Decidem, então, escrever a história da cidade, mas poucos sabem ler e só um morador, o carteiro, Antônio Biá, sabe escrever. Depois disso, todos procuram o escrivão da obra de cunho histórico para acrescentar algumas linhas e ter seu nome citado. Título: O SORRISO DE MONALISA Gênero: Romance/Drama Direção: Mike Newell Ano: 2003 Tema central: Educação, costumes e mulheres nos Estados Unidos dos anos 1950, história da arte, relação entre professoras e alunas Tempo (duração): 119 min Recria a atmosfera e os costumes do início da década de 1950. Tem como protagonista a personagem Katherine Watson, uma professora de História da Arte que, educada na liberal Universidade de Berkeley, na Califórnia, enfrenta uma escola feminina tradicionalista – Wellesley College, onde as melhores e mais brilhantes jovens mulheres dos Estados Unidos recebem uma dispendiosa educação para se transformarem em cultas esposas e responsáveis mães. No filme, a professora irá tentar abrir a mente de suas alunas, enfrentando a administração da escola e as próprias garotas. O maior desafio para essa professora será fazer com que suas alunas assumam sua identidade cultural como ser social e histórico. Esse filme nos traz uma visão mais ampla da descoberta de novos conhecimentos. Título: O MENINO QUE DESCOBRIU O VENTO Gênero: Drama Direção: Chiwetel Ejiofor Ano: 2019 Tema central: Educação, inovação, seca e fome na África Oriental Tempo (duração): 113 min O filme é baseado na história real de William Kamkwamba, um garoto de 13 anos do Malawi (na África Oriental) que, no ano de 2001, inovou para lutar contra a seca e a fome em sua vila. Sedento por conhecimento, mesmo forçado a deixar a escola para ajudar a família, o jovem passou a pesquisar por conta própria até começar a desenvolver uma inovadora turbina de vento. Em uma pequena biblioteca próxima de sua casa, o garoto se apoiou nos livros para superar os obstáculos vividos em sua região, descobrindo o funcionamento dos moinhos de vento. Utilizando materiais improvisados, recolhidos em ferros-velhos, William conseguiu construir dois moinhos que mudariam sua vida por completo. Título: BATISMO DE SANGUE Gênero: Drama Direção: Helvécio Ratton Ano: 2007 Tema central: Ditadura militar no Brasil, resistência, participação do clero, tortura Tempo (duração): 110 min São Paulo, fim dos anos 1960. O convento dos frades dominicanos torna-se uma trincheira de resistência à ditadura militar que governa o Brasil. Movidos por ideais cristãos, os freis Tito (Caio Blat), Betto (Daniel de Oliveira), Oswaldo (Ângelo Antônio), Fernando (Léo Quintão) e Ivo (Odilon Esteves) passam a apoiar o grupo guerrilheiro Ação Libertadora Nacional, comandado por Carlos Marighella (Marku Ribas). Eles logo passam a ser vigiados pela polícia e, posteriormente, são presos, passando por terríveis torturas.
  • 47. 47 Título: NO Gênero: Drama Direção: Pablo Larraín Ano: 2012 Tema central: Ditadura militar no Chile, plebiscito e luta pela democracia Tempo (duração): 117 min Chile, 1988. Pressionado pela comunidade internacional, o ditador Augusto Pinochet aceita realizar um plebiscito nacional para definir sua continuidade ou não no poder. Acreditando que seja uma oportuni- dade única de pôr fim à ditadura, os líderes do governo resolvem contratar René Saavedra para coorde- nar a campanha contra a manutenção de Pinochet. Com poucos recursos e sob a constante observação dos agentes do governo, Saavedra consegue criar uma campanha consistente que ajuda o país a se ver livre da opressão governamental. Título: O CARTEIRO E O POETA Gênero: Romance/Drama Direção: Michael Radford Ano: 1994 Tema central: Amizade, escrita, poesia, alfabetização, exílio em con- texto ditatorial Tempo (duração): 100 min Por razões políticas, o poeta Pablo Neruda (Philippe Noiret) se exila em uma ilha na Itália. Lá, um desem- pregado quase analfabeto, Mario, é contratado como carteiro extra, encarregado de cuidar da larga correspondência endereçada ao poeta. Gradativamente entre os dois se forma uma sólida amizade. Mario se torna um aluno do poeta e usa a arte da poesia para impressionar uma garçonete. Título: O NOME DA ROSA Gênero: Drama/Suspense Direção: Jean-Jacques Annaud Ano: 1986 Tema central: Monasticismo na Idade Média europeia, inquisição, heresia, tortura Tempo (duração): 131 min Em 1327, William de Baskerville, um monge franciscano, e Adso von Melk, um noviço, chegam a um remoto mosteiro no norte da Itália. William de Baskerville pretende participar de um conclave para decidir se a Igreja deve doar parte de suas riquezas, mas a atenção é desviada por vários assassinatos que acontecem no mosteiro. William de Baskerville começa a investigar o caso, que se mostra bastante intrincando, além dos mais religiosos acreditarem que é obra do Demônio. William de Baskerville não partilha dessa opinião, mas, antes que ele conclua as investigações, Bernardo Gui, o Grão-Inquisidor, chega no local e está pronto para torturar qualquer suspeito de heresia que tenha cometido assassina- tos em nome do Diabo. Como não gosta de Baskerville, ele é inclinado a colocá-lo no topo da lista dos que são diabolicamente influenciados. Essa batalha, junto a uma guerra ideológica entre franciscanos e dominicanos, é travada enquanto o motivo dos assassinatos é lentamente solucionado. Título: SOU SURDO E NÃO SABIA Gênero: Documentário Direção: Igor Ochronowicz Ano: 2009 Tema central: Surdez Tempo (duração): 70 min Por anos, Sandrine não sabia que era surda de nascença. Filha de pais ouvintes, frequentou a escola regular e lá se perguntava como os outros compreendiam o que a professora estava tentando transmitir. O documentário olha para a questão da surdez pela perspectiva de Sandrine e sua história verídica. O filme ainda levanta a discussão sobre a conveniência do implante coclear, da oralização de crianças surdas e da língua dos sinais.
  • 48. 48 Título: HISTÓRIAS CRUZADAS Gênero: Drama/Romance Direção: Tate Taylor Ano: 2011 Tema central: Mulheres, racismo, resistência, superação Tempo (duração): 146 min Nos anos 1960, no Mississippi, Skeeter é uma garota da sociedade que retorna determinada a se tornar escritora. Ela começa a entrevistar as mulheres negras da cidade, que deixaram suas vidas para trabalhar na criação dos filhos da elite branca, da qual a própria Skeeter faz parte. Aibileen Clark, a empregada da melhor amiga de Skeeter, é a primeira a conceder uma entrevista. Apesar das críticas, Skeeter e Aibileen continuam trabalhando juntas e, aos poucos, conseguem novas adesões. Título: INFILTRADO NA KLAN Gênero: Drama/Suspense Direção: Spike Lee Ano: 2018 Tema central: Movimento negro nos Estados Unidos dos anos 1970, racismo Tempo (duração): 136 min Em 1978, Ron Stallworth, um policial negro do Colorado consegue se infiltrar na Ku Klux Klan local. Ele se comunica com os outros membros do grupo por meio de telefonemas e cartas, e quando precisava estar fisicamente presente, ele envia outro policial branco em seu lugar. Depois de meses de investigação, Ron fica próximo do líder da seita, sendo responsável por sabotar uma série de linchamentos e outros crimes de ódio orquestrados pelos racistas. Título: UMA HISTÓRIA DE AMOR E FÚRIA Gênero: Animação/Drama Direção: Luiz Bolognesi, Jean de Moura Ano: 2013 Tema central: História do Brasil, conflitos, resistência Tempo (duração): 75 min Um homem (Selton Mello) com quase 600 anos de idade acompanha a história do Brasil enquanto pro- cura a ressurreição de sua amada Janaína (Camila Pitanga). Ele enfrenta as batalhas entre tupinambás e tupiniquins, antes de os portugueses chegarem ao país, e passa pela Balaiada e pelo movimento de resistência contra a ditadura militar, antes de enfrentar a guerra pela água em 2096. Título: O PROFESSOR SUBSTITUTO Gênero: Drama Direção: Sébastien Marnier Ano: 2019 Tema central: Comportamento humano, conhecimento, comporta- mento excludente Tempo (duração): 103 min Pierre Hoffman (Laurent Latiffe) é contratado como professor substituto de uma escola logo após o então docente da turma ter cometido suicídio se jogando pela janela da sala na presença de seus alunos adolescentes. Percebe, então, que seis de seus novos alunos são indiferentes ao que acontece no entorno, apresentando comportamento estranho. Assim, Hoffman passa a observá-los, até descobrir a intenção do pequeno grupo. Título: A VIAGEM DE CHIHIRO Gênero: Fantasia/Aventura Direção: Hayao Miyazaki Ano: 2003 Tema central: Comportamento humano, relações humanas Tempo (duração): 125 min Chihiro, uma adolescente de 10 anos, apresenta um comportamento um tanto egocêntrico. Descobre que irá se mudar e, com isso, fica furiosa. No caminho para a nova cidade, o pai de Chihiro se perde e percebem um grande túnel guardado por uma estátua. Curiosos, adentram o túnel e se deparam com um local deserto. A menina vai passear, e os pais decidem comer os alimentos encontrados em uma das casas. Ao retornar, Chihiro percebe que os pais se transformaram em porcos gigantes. A partir de então, a personagem inicia uma jornada de aventuras, deparando-se com seres fantásticos para quem os seres humanos não são bem-vindos.
  • 49. 49 Título: RAPA NUI Gênero: Aventura Direção: Kevin Reynolds Ano: 1994 Tema central: Vida em sociedade, cultura, crenças Tempo (duração): 108 min A narrativa se passa na Ilha de Páscoa, em 1680, período anterior à chegada dos europeus. A ilha é dividida entre duas tribos, Orelhas Grandes e Orelhas Pequenas, que disputam entre si. Os costumes e as crenças dessas tribos são retratados no filme, que traz suposições sobre a presença de vida extra- terrestre na Terra. Título: O AUTO DA COMPADECIDA Gênero: Comédia/Aventura Direção: Guel Arraes Ano: 2000 Tema central: Cultura nordestina, relações humanas e sociais. Tempo (duração): 95 min O filme é uma adaptação da obra de Ariano Suassuna. Dois homens nordestinos, Chicó e João Grilo, são os protagonistas vivem as aventuras do dia a dia, lutando diariamente pela sobrevivência no pequeno vilarejo de Taperoá, no sertão da Paraíba. Nossa Senhora salva a dupla de seus pecados. Título: MEMÓRIAS PÓSTUMAS Gênero: Comédia dramática Direção: André Klotzel Ano: 2001 Tema central: Costumes do século XIX Tempo (duração): 102 min Baseado na obra Memórias Póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis, o filme apresenta o persona- gem Brás Cubas, que, depois de morto, decide revisitar e narrar os fatos mais importantes de sua vida, seus amigos e seus amores. Título: O TEMPO E O VENTO Gênero: Drama/Romance Direção: Jayme Monjardim Ano: 2013 Tema central: Costumes do século XIX, relações humanas Tempo (duração): 127 min Esse filme tem como base o romance de Érico Veríssimo. A história de desenvolve no século XIX, no Rio Grande do Sul, retratando o cotidiano da família Terra Cambará, principalmente nos diálogos entre a matriarca Bibiana e seu falecido marido, o capitão Rodrigo. Título: O LEITOR Gênero: Romance/Drama Direção: Stephen Daldry Ano: 2009 Tema central: Pós-Segunda Guerra Mundial, leitura Tempo (duração): 123 min O cenário é a Alemanha pós-Segunda Guerra Mundial. O adolescente Michael Berg conhece e se apaixona por Hanna Schimitz, mulher mais velha de diferente classe social. Vivem uma bonita história de amor em que, constantemente, Michael lia para Hanna. Oito anos depois, reencontram-se em um tribunal, Michael como estudante de direito, e Hanna sendo julgada por crimes nazistas.
  • 50. 50 Título: CAPITÃES DE AREIA Gênero: Drama/Aventura Direção: Cecília Amado, Guy Gonçalves Ano: 2011 Tema central: Jovens, família, comunidade, vida na rua Tempo (duração): 96 min Filme baseado na obra do escritor Jorge Amado, narra a história de adolescentes que crescem sem a família, abandonados nas ruas de Salvador, na Bahia. Vivem em comunidade com outros jovens no Trapiche, cometendo assaltos e outros delitos, sendo frequentemente perseguidos pela polícia. Certo dia, o líder dos Capitães de areia conhece Dora, por quem tem imenso afeto, e que passa a integrar o grupo. Título: NJINGA, RAINHA DE ANGOLA Gênero: Drama/Ficção histórica Direção: Sérgio Graciano Ano: 2012 Tema central: Personalidade histórica Njinga, rainha da Angola Tempo (duração): 109 min O filme retrata a personalidade histórica Njinga (Lesliana Pereira), uma importante rainha da Angola que se destacou a partir das invasões europeias nos territórios africanos. Embora seja uma obra ficcional elaborada a partir de uma personalidade que faz parte do imaginário angolano, o filme ganha destaque por fazer um retrato de protagonismo para Njinga, que chegou a receber o nome de Ana de Souza em seu batismo católico, tornando-se foco de diversas lendas e contradições. Título: XINGU Gênero: Drama/Aventura Direção: Cao Hamburguer Ano: 2012 Tema central: Povos nativos brasileiros, reserva ambiental, Parque Nacional do Xingu Tempo (duração): 102 min Os irmãos Orlando (Felipe Camargo), Cláudio (João Miguel) e Leonardo Villas Bôas (Caio Blat) resolvem trocar o conforto da vida na cidade grande pela aventura de viver nas matas. Para isso, resolvem alistar- -se no programa de expansão na região do Brasil central, incentivado pelo governo. Com enorme poder de persuasão e afinidade com os habitantes da floresta, os três se tornam referência nas relações com os povos indígenas, vivenciando incríveis experiências, entre elas a eterna conquista do Parque Nacional do Xingu. Título: 1492 – A CONQUISTA DO PARAÍSO Gênero: Drama/Aventura Direção: Ridley Scott Ano: 1992 Tema central: Viagens de Cristóvão Colombo, conquistas de novos territórios, rotas comerciais marítimas Tempo (duração): 150 min A viagem de Cristóvão Colombo, que acreditava ser possível atingir “el levante por el poniente”, ou seja, o Oriente navegando para o Ocidente, é o cenário épico desse filme de Ridley Scott. A odisseia de Colombo está presente no filme através do cotidiano desgastante, dos motins da tripulação e de toda incerteza que cercava uma expedição daquela época quanto ao rumo e ao prosseguimento da viagem. Sem apoio financeiro de Portugal, a maior potência da época, Colombo dirigiu-se à Espanha e associou- -se aos irmãos Pinzon, recebendo ainda uma ajuda dos reis católicos Fernando de Aragão e Isabel de Castela. Com uma nau (Santa Maria) e duas caravelas (Pinta e Nina), o navegador de origem controversa (genovês ou catalão) partiu do porto de Palos em 3 de agosto de 1492, fazendo escala nas ilhas Canárias para reparo de uma das embarcações. Em 12 de outubro do mesmo ano, avistou a ilha de Guanani (atual São Salvador). Sem duvidar que estava no Oriente, realizou ainda mais quatro viagens, tentando encon- trar os mercados indianos. O filme focaliza também espírito vanguardista de Colombo, suas negociações com a Coroa espanhola e a tentativa de estabelecer colônias na América, retratando, até a velhice, aquele que é considerado um dos navegantes mais ousados de sua época.
  • 51. 51 Título: TEMPOS MODERNOS Gênero: Comédia/Romance Direção: Charles Chaplin Ano: 1936 Tema central: Efeitos da modernidade, relações de trabalho, desigual- dades sociais Tempo (duração): 87 min Um operário de uma linha de montagem, que testou uma “máquina revolucionária” para evitar a hora do almoço, é levado à loucura pela “monotonia frenética” de seu trabalho. Após um longo período em um sanatório, ele fica curado de sua crise nervosa, mas desempregado. Ele deixa o hospital para começar sua nova vida, mas encontra uma crise generalizada e, equivocadamente, é preso como um agitador comunista, que liderava uma marcha de operários em protesto. Simultaneamente, uma jovem rouba comida para salvar suas irmãs famintas, que ainda são bem garotas. Elas não têm mãe e o pai delas está desempregado, mas o pior ainda está por vir, pois ele é morto em um conflito. A lei vai cuidar das órfãs, mas enquanto as menores são levadas, a jovem consegue escapar. Título: O GERMINAL Gênero: Drama/Épico Direção: Claude Berri Ano: 1993 Tema central: Caracterizações do trabalho após as revoluções burguesas Tempo (duração): 160 min Baseado no romance francês Germinal, de Émile Zola, Germinal, o filme é uma representação bem realista do que fora a vida dos mineiros na França em meados do século XVIII, período que configura o final da Revolução Industrial e início da Revolução Francesa. Logo nas primeiras cenas, quando o jovem Etienne vai à mina Voreux à procura de emprego, ele se depara com Boa Morte, mineiro desde os 8 anos de idade, cujo nome faz jus às diversas mazelas já sofridas em razão do trabalho exaustivo e arriscado nas minas de carvão. Essa é a primeira cena em que é percebida a indiferença do sistema capitalista no que se refere ao trabalhador. Boa Morte é o retrato perfeito do saldo da miséria e precariedade proce- dente da clara exploração do trabalho existente na época. Ele é um senhor que aparenta ter uma idade muito maior do que a tida e que mal consegue respirar, tendo acessos constantes de tosse acompa- nhada da expectoração de carvão. Título: A ONDA Gênero: Drama/Suspense Direção: Dennis Gansel Ano: 2009 Tema central: Ideologia, espaço escolar, fascismo Tempo (duração): 108 min Em uma escola da Alemanha, alunos tem de escolher entre duas disciplinas eletivas, uma sobre anarquia e a outra sobre autocracia. O professor Rainer Wenger (Jürgen Vogel) é colocado para dar aulas sobre autocracia, mesmo sendo contra sua vontade. Após alguns minutos da primeira aula, ele decide, para exemplificar melhor aos alunos, formar um governo fascista dentro da sala de aula. Eles dão o nome de “A Onda” ao movimento e escolhem um uniforme e até mesmo uma saudação. Só que o professor acaba perdendo o controle da situação, e os alunos começam a propagar “A Onda” pela cidade, tornando o pro- jeto da escola um movimento real. Quando as coisas começam a ficar sérias e fanáticas demais, Wenger tenta acabar com “A Onda”, mas aí já é tarde demais.
  • 52. 52 Título: A QUEDA – AS ÚLTIMAS HORAS DE HITLER Gênero: Drama/Ficção histórica Direção: Oliver Hirschbiegel Ano: 2004 Tema central: Nazismo, história de relatos Tempo (duração): 150 min Traudl Junge (Alexandra Maria Lara) trabalhava como secretária de Adolf Hitler (Bruno Ganz) durante a Segunda Guerra Mundial. Ela narra os últimos dias do líder alemão, que estava confinado em um quarto de segurança máxima. Longe de buscar uma humanização do personagem histórico (Hitler), o diretor Hirschbiegel inicia e termina seu filme buscando demonstrar como é possível imaginar o que o regime nazista significava também para quem estava próximo do líder, também buscando efetivar uma reconstrução estética dos dias finais de Hitler. Ainda que seja passível de críticas, o trabalho realizado nesse filme é enaltecido pelas atuações e oferece a possibilidade de diversos debates acerca da realidade. Título: 12 ANOS DE ESCRAVIDÃO Gênero: Drama Direção: Steve McQueen (II) Ano: 2014 Tema central: Racismo estrutural, sistema escravista, processos de escravização Tempo (duração): 133 min Em 1841, Solomon Northup (Chiwetel Ejiofor) é um escravo liberto, que vive em paz ao lado da esposa e filhos. Um dia, após aceitar um trabalho que o leva a outra cidade, ele é sequestrado e acorrentado. Vendido como se fosse um escravo, Solomon precisa superar humilhações físicas e emocionais para sobreviver. Ao longo de doze anos, ele passa por dois senhores, Ford (Benedict Cumberbatch) e Edwin Epps (Michael Fassbender), que, cada um à sua maneira, exploram seus serviços. Título: CENTRAL DO BRASIL Gênero: Drama Direção: Walter Salles Ano: 1998 Tema central: Vínculos sociais, desigualdade social brasileira Tempo (duração): 115 min Dora (Fernanda Montenegro) trabalha escrevendo cartas para analfabetos na estação Central do Brasil, no centro da cidade do Rio de Janeiro. Ainda que a escrivã não envie todas as cartas que escreve, cartas que considera inúteis ou fantasiosas demais, ela decide ajudar um menino (Vinícius de Oliveira), após sua mãe ser atropelada, a tentar encontrar o pai que nunca conheceu, no interior do Nordeste. Espaços culturais virtuais CULTURA ENDEREÇO ELETRÔNICO 1. Museu Virtual da Água http://www.museuvirtualdaagua.com  2. American Museum of Natural History https://www.amnh.org/plan-your-visit 3. Museu Virtual UnB http://www.museuvirtual.unb.br/ 4.Museu da Faculdade de Medicina UFRJ http://www.museuvirtual.medicina.ufrj.br/ 5. Museu Virtual de Artes http://www.acervosvirtuais.com.br/layout/ museuvirtualdearte/colecoes.php 6. My Studios http://www.mystudios.com/artgallery/
  • 53. 53 CULTURA ENDEREÇO ELETRÔNICO 7. Museu Virtual de Arte Moderna http://eravirtual.org/museu-victor-meirelles/ 8. RTP Museu Virtual https://museu.rtp.pt/ 9. Museu Virtual de Ouro Preto http://eravirtual.org/ouro-preto/ 10. Museu Virtual do Transporte http://www.museudantu.org.br/principal.asp 11. Van Gogh Museum https://www.vangoghmuseum.nl/ 12. Museu do Louvre https://www.louvre.fr/en 13. Museu Virtual de Informática http://piano.dsi.uminho.pt/museuv/ 14. Museu Virtual da Imprensa http://piano.dsi.uminho.pt/museuv/ 15. Museu Mazzaropi https://museumazzaropi.org.br/ 16. Museu Virtual Aristides Sousa Mendes http://mvasm.sapo.pt/ 17. British Museum https://www.britishmuseum.org/visit 18. Virtual Museum of Canada http://www.virtualmuseum.ca/home/ 19. Museu Oscar Niemeyer https://museuoscarniemeyer.org.br/visite/ visita-virtual-3D  20. Museum with no Frontiers http://www.museumwnf.org/# 21. Virtual Egyptian Museum https://www.virtual-egyptian-museum.org/ 22. Museu Virtual FEB http://museuvirtualfeb.blogspot.com/ 23. Museu Nacional de Arqueologia http://www.museunacional.ufrj.br/dir/ exposicoes/arqueologia/index.html 24. Museu Virtual do Iraque http://www.virtualmuseumiraq.cnr.it/prehome. htm 25. Museu da Casa de Portinari http://www.virtualmuseumiraq.cnr.it/prehome. htm 26. Museu da História da Arte do Uruguai http://muhar.montevideo.gub.uy/ 27. Vários museus da Natural History https://naturalhistory2.si.edu/vt3/list-3-past. html 28. Diversos museus e exposições em Minas Gerais http://eravirtual.org/ 29. Tour virtual 360º 3D para museus e galerias de arte https://www.iteleport.com.br/imoveis/ tour-virtual-360-3d/museus/ 30. Museu Virtual do Corpo Humano UFRGS http://www.ufrgs.br/museuvirtual/ 31. Museu Virtual da Evolução Humana http://evolucaohumana.ib.usp.br/ 32. Museu Virtual do Louvre https://www.louvre.fr/en/visites-en-ligne 33. Masp https://artsandculture.google.com/partner/ masp 34. Museu do Futebol https://www.museudofutebol.org.br/pagina/ exposicoes-virtuais 35. Biblioteca Nacional https://bndigital.bn.gov.br/ 36. Museu da Imigração http://museudaimigracao.org.br/exposicoes/ virtuais/
  • 54. 54 CULTURA ENDEREÇO ELETRÔNICO 37. Museu da Inconfidência http://eravirtual.org/inconfidencia_br/ 38. Museu Afro Brasil https://artsandculture.google.com/partner/ museu-afro-brasil?hl=pt-BR 39. CPDOC https://expo-virtual-cpdoc.fgv.br/ 40. Museu da Cora Coralina http://eravirtual.org/casa-de-cora-coralina/ 41. Museu Virtual do Cartoon http://www.cartoonvirtualmuseum.org/ 42. Museu da UNB http://www.museuvirtual.unb.br/ 43. Hemeroteca do IHGB https://www.ihgb.org.br/pesquisa/hemeroteca. html 44. Instituto Moreira Salles https://ims.com.br/ 45. Museu Imperial http://eravirtual.org/museu-imperial/ 46. Museu da República http://www.eravirtual.org/mrepublica_01_br/ 47. Museu da Pessoa https://www.museudapessoa.net/pt/ museu-da-pessoa 48. Museu Histórico Nacional https://artsandculture.google.com/partner/ museu-historico-nacional 49. Museu do Amanhã https://museudoamanha.org.br/pt-br/content/ tour-virtual 50. Museu do Índio http://www.museudoindio.gov.br/visitas/ visita-virtual