O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.
Terra Roxa recebe embaixador da Namíbia 
Agosto de 2014 
No dia 31 de julho a Terra Roxa recepcionou o embaixador da Namíb...
equipamentos de construção civil, cosméticos, geladeiras e refrigeradores, alimentos, móveis, 
entre tantos outros. 
“O go...
3 
10 anos da Terra Roxa 
Há 10 anos, a Agência de Desenvolvimento Terra Roxa começava a ser gestada. Em 29 de julho de 
2...
4 
Mantenedores 
Missão 
“Ser um agente independente para atrair novos investimentos e promover negócios, 
integrando e de...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

58 newsletter agosto 2014

241 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

58 newsletter agosto 2014

  1. 1. Terra Roxa recebe embaixador da Namíbia Agosto de 2014 No dia 31 de julho a Terra Roxa recepcionou o embaixador da Namíbia no Brasil, Lineekela Josephat Mboti. A entidade apresentou, na ocasião, as perspectivas da missão paranaense à Namíbia e também debateu as oportunidades de negócios no sul do continente africano. O encontro foi realizado na Acil, com a participação dos empresários interessados em viajar àquele país. A missão, inicialmente prevista para o mês de agosto, foi adiada devido às notícias sobre o vírus Ebola em alguns países africanos e será, em breve, remarcada. A missão comercial e institucional está sendo organizada pela Terra Roxa em parceria com Walvis Bay Corridor Group. A Namíbia, localizada entre Angola e África do Sul, é um país de forte tradição no mercado internacional, estabilidade fiscal, política, institucional e financeira. Faz parte da SACU (União Aduaneira da África Austral) e SADC (Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral), mercados que possuem grande mercado consumidor. É considerado o 10º país mais estável para se fazer negócios no mundo, com instituições financeiras de primeira linha. Seu Porto, que possui o menor transit time, entre o Brasil e África, é conhecido como o melhor de todo o continente Africano, estando conectado a um mercado de mais de cinco países. Segundo destacou o embaixador, na reunião com os empresários, a Namíbia está em busca de parceiros em vários setores, como os de embalagem, produção de sucos e de refrigerantes, produtos médico-hospitalares, plantio e industrialização de cana-de-açúcar, material e 1
  2. 2. equipamentos de construção civil, cosméticos, geladeiras e refrigeradores, alimentos, móveis, entre tantos outros. “O governo da Namíbia acaba de lançar um projeto de construção de 185 mil casas populares, portanto, precisamos de muita coisa na área de construção civil e também de móveis”, exemplificou. O embaixador ressaltou os pontos fortes de seu país, destacando possuir o 24º melhor porto do mundo, sendo porta de entrada para um mercado consumidor com aproximadamente 350 milhões de pessoas, incluindo os países vizinhos com os quais a Namíbia forma blocos econômicos. Ele disse ainda que a Namíbia é um país pacífico, democrático, tem registrado um crescimento de cerca de 4% ao ano nos últimos 10 anos, possui uma população de 2,5 milhões de pessoas e um PIB de US$ 12 bilhões. “A Namíbia está de portas abertas e tem muitas possibilidades de negócios”, disse. 2 Para mais informações: info@terraroxa.org.br ou pelo telefone (43) 3255-3131 Missão Japonesa é recepcionada em Londrina e Maringá Também esteve em Londrina e Maringá uma comitiva de empresários japoneses com foco em produtos de eficiência energética. Toda a agenda foi acompanhada pela Terra Roxa, com organização da consultoria Ernest Young e apoio da Codel, Codem e prefeituras de Londrina e Maringá. As reuniões foram com empresários e autoridades. O grupo japonês já possui negócios no Brasil, mas tem a intenção de expandir sua atuação para o interior do país. Hoje, eles estão presentes em Curitiba, São Paulo e Rio de Janeiro. De acordo com a analista de mercado internacional da TRI, Megumi Goto Hayashi, os empresários apresentaram seus produtos, e as negociações continuam, agora, entre os interessados com apoio das entidades envolvidas. Visitas a empresas no Japão A analista de mercado internacional da TRI, Megumi Goto Hayashi, em recente viagem de férias para o Japão, aproveitou para visitar quatro empresas dos setores de metalmecânica e alimentos nas cidades de Yamagata, Yokohama e Saitama. “Minha intenção foi conhecer o processo dessas empresas e os contatos foram muito bons”, comenta Megumi. Segundo ela, uma das empresas visitadas, que trabalha com produção de moldes para produtos plásticos, mostrou forte interesse em parcerias para comercialização de seus produtos no Brasil. A Terra Roxa dispõe de materiais para fornecer aos interessados no setor e também toda a expertise para contatos com a empresa no Japão.
  3. 3. 3 10 anos da Terra Roxa Há 10 anos, a Agência de Desenvolvimento Terra Roxa começava a ser gestada. Em 29 de julho de 2004, era finalizado em Rolândia, Norte do Paraná, o Encontro de Integração Brasil – Alemanha para o Norte do Paraná, com a divulgação da “Declaração de Rolândia”, um compromisso que as pessoas e instituições ali reunidas assumiam em somar esforços para a o desenvolvimento e promoção, em nível nacional e internacional – da região Norte do Paraná. A Declaração de Rolândia foi assinada por todos os participantes - entre eles Acil, Acim, Acir, Adetec, Codel, Codem, ITM, Consulado da Alemanha, Câmara de Comércio Brasil-Alemanha, Faciap, Faep, Fiep, Ocepar, Associações de Municípios e Sociedade Rural do Paraná. “Desde então, a Terra Roxa cumpre seu papel e se consolidou como um organismo de atração de investimentos e promoção de negócios da região, possuindo uma base de conhecimento e contatos que faz da entidade uma referência a quem busca informações sobre os potenciais do Norte do Paraná”, salienta o presidente da entidade, José Carlos Valêncio. Desde sua criação, a Terra Roxa organizou várias missões para o exterior, acompanhando empresários e lideranças, levando na bagagem informações importantes sobre a região, capazes de encantar muitos investidores que, ao ouvir falar do Brasil, pensavam apenas no eixo Rio de Janeiro-São Paulo, ou cidades próximas a portos. Além de missões para o exterior, a equipe da Terra Roxa, embora enxuta e a maioria formada por voluntários, não deixa de participar de eventos nacionais em que possa visualizar as oportunidades de divulgar a região e mostrar ao mundo seus potenciais. “Um dos grandes feitos da agência, podemos dizer, foi sua capacidade de unir entidades e lideranças de toda a região numa ampla articulação cujo único objetivo é o desenvolvimento regional, buscando a formação do conceito de uma grande metrópole linear unindo todas as cidades na rota e no entorno de Maringá a Londrina. Um desses projetos é o Trem Pé-Vermelho, cujo projeto avança e temos certeza, está prestes a ser viabilizado”, ressalta Valêncio. Ele observa que a força adquirida pela Terra Roxa reflete a força das entidades que integram-na, a grande maioria participante dessa ideia desde o início e outras que foram agregadas ao longo dos anos, como Acia, Acejan, Unicesumar, Sicoob, APD, Peiex, Apex-Brasil, MRE, Câmaras de Comércio, Consulados e Embaixadas. “Também precisamos contabilizar na conta das ações positivas proporcionadas pela criação da TRI o amadurecimento do empresariado de nossa região para a necessidade de buscar parcerias estratégicas, novas tecnologias, novos mercados”, comenta. A Terra Roxa tem ainda muito trabalho e projetos pela frente. Um dos focos da agência é a identificação de projetos de interesse comum para a região, além de continuar atendendo os empresários locais e as comitivas internacionais interessadas nas oportunidades de negócios oferecidas pelo Norte do Paraná.
  4. 4. 4 Mantenedores Missão “Ser um agente independente para atrair novos investimentos e promover negócios, integrando e desenvolvendo os setores econômicos da região Norte do Paraná”. www.terraroxa.org.br Parceiros

×