O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

37 newsletter fevereiro 2012

204 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

37 newsletter fevereiro 2012

  1. 1. Terra Roxa integra missão empresarial a países árabes A Agência de Desenvolvimento Terra Roxa Investimentos (TRI) está participando da Missão Empresarial ao Oriente Médio, passando pelos Emirados Árabes e Arábia Saudita, que acontece até o próximo dia 16 de fevereiro. A missão é organizada pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior; o Ministério das Relações Exteriores; a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos; a Confederação Nacional da Indústria e a Câmara de Comércio Árabe Brasileira. A Terra Roxa está representada pelo presidente Fernando Kireeff, que leva na bagagem dois importantes projetos da região para serem apresentados a potenciais investidores: o Trem Pé Vermelho e o Aeroporto Arco Norte. A Terra Roxa, a pedido da Apex-Brasil, previamente fez um levantamento com os municípios e a sociedade civil da região para identificar projetos com potencial. Oportunidade ímpar “Será uma grande oportunidade de mostrarmos nossa região a investidores daqueles países e ainda apresentarmos dois excelentes projetos que representarão um importante avanço para nossa região”, comentou Kireeff antes de embarcar. Ele ressaltou que o convite para que a Terra Roxa participasse da Missão é fruto do relacionamento que a entidade vem construindo com órgãos nacionais nos últimos anos. “Temos nos aproximado de todos os órgãos em que vemos a oportunidade de apresentar nossa região às demais regiões do Brasil e do exterior. Nesse contexto, a Apex-Brasil tem sido um importante contato e já nos incluiu na sua relação de regiões com potencial para investimentos”, comenta Kireeff. Seleção dos projetos Liderados pelo ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, empresários de vários setores integram a missão, que tem como objetivo ampliar as exportações brasileiras, diversificando a pauta e estabelecendo novos contatos comerciais. Segundo Adriano Augusto Teixeira de Carvalho Campos, analista de investimentos da Apex-Brasil, a missão possui diferentes vertentes, como de promoção de exportações para alimentos e materiais de construção e decoração, atração de investimentos estrangeiros, promoção de internacionalização de empresas brasileiras de construção e engenharia. “Ao todo são cerca de 50 empresas. No braço de atração de investimentos, aquele na qual a Terra Roxa Investimentos participa, teremos 8 empresas e instituições que apresentarão seus projetos”, informou. Cada uma das oito empresas/instituições participantes apresentará de um a dois projetos. Campos explicou que a seleção dos projetos foi feita considerando o potencial de geração de impactos na sociedade, ou seja, geração de empregos pós-construção, desenvolvimento regional, possibilidade de transbordo do investimento gerando mais negócios, etc. “Além disso, também foi levado em conta a viabilidade do projeto e o potencial de chamar a atenção do público árabe”, finalizou.
  2. 2. Reunião em Rolândia Prestação de contas reúne representantes da região No mês de janeiro, a Terra Roxa realizou uma reunião em Rolândia com representantes da região, ocasião em que foram prestadas contas das últimas ações da entidade, analisadas a evolução da entidade e também projetadas novas ações para o ano de 2012. Participaram representantes de Apucarana, Arapongas, Londrina, Maringá e Rolândia. Ativos Na avaliação dos dirigentes da Terra Roxa, a agência evoluiu e ocupou um expressivo espaço na agenda econômica do Norte do Estado. “Nesses seis anos desde sua fundação, a Terra Roxa conseguiu um ativo bastante importante. Hoje temos uma articulação em toda a região e no estado, que nos permite responder prontamente às demandas de informações de potenciais investidores. Também temos uma aproximação com o governo federal, por meio da Apex Brasil, que nos inclui na prospecção de empresas. Órgãos do governo federal já nos veem como região bem organizada. E isso é um grande ativo”, expôs Fernando Kireeff, presidente da TRI, aos participantes da reunião. Para exemplificar, Kireeff informou que só no mês de janeiro, a Terra Roxa recebeu três demandas da Apex-Brasil. Uma delas, foi a Missão para o Oriente Médio. O vice-presidente da TRI, Adrian Von Treuenfels lembrou que ao ser fundada, há seis anos, o incentivador de sua criação, Caio Koch-Weser, comentou que em 20 anos a região sentiria a diferença em seu desenvolvimento com a existência de uma agência de desenvolvimento. “Na ocasião, achamos que seria muito tempo, pois temos urgência em ver resultados. Mas podemos dizer hoje que já estamos conseguindo, em um espaço de tempo relativamente curto, a articulação da sociedade civil em prol dos interesses coletivos”, comentou. Agências do Estado Ainda dentro das ações de aproximação com órgãos governamentais, Kireeff destacou, na reunião, os contatos feitos com as agências que o governo do Estado do Paraná criou: a de Internacionalização do Paraná e a de Desenvolvimento do Paraná. O trabalho dessas agências vem ao encontro do que é realizado pela Terra Roxa e o diálogo pode potencializar ainda mais as ações planejadas. Buscando informações sobre a região
  3. 3. Além do convite da Apex-Brasil para que a Terra Roxa integrasse a Missão Empresarial ao Oriente Médio, outras duas demandas foram enviadas à TRI pelo órgão em janeiro: de uma multinacional da área de BPO (business process outsourcing), que tem interesse em abrir uma unidade de call center no Brasil, gerando inicialmente 200 empregos e podendo chegar a 500 colaboradores em um curto prazo; e de uma empresa de semicondutores, que planeja investir US$ 50 milhões numa nova unidade e gerar 350 empregos. “Enviamos a essas empresas todas as informações solicitadas e continuamos a fornecer os detalhes que elas nos solicitam”, informou Alexandre Farina, diretor-executivo da TRI. Showcase 2012 Após o sucesso e excelente retorno do show case desenvolvido pela Terra Roxa, apresentando a região em português e inglês e cuja edição já se esgotou, uma nova edição começa a ser planejada. A informação foi confirmada aos representantes presentes à reunião da Terra Roxa, em Rolândia. “Este é um excelente material, pois destacamos as informações que são de interesse de investidores e ele é distribuído a um público específico, capaz de ser um agente reprodutor daquelas informações”, comentou Alexandre Farina, diretor-executivo da Terra Roxa. A nova edição do show case terá quatro mil exemplares impressos além de uma distribuição virtual ilimitada. Em busca de novas parcerias Finalizando a reunião realizada em janeiro, em Rolândia, e após discussões entre os participantes, ficou decidido que este ano a Terra Roxa buscará novas parcerias, além de aprofundar as relações com os parceiros já existentes; realizará reuniões com mais frequência para discutir os projetos em andamento; e começará a preparar a sucessão do atual presidente, Fernando Kireeff, cujo mandato se encerra no final do ano. Recepção ao cônsul americano No dia 27 de janeiro, a Terra Roxa participou da recepção ao cônsul honorário do Brasil nos EUA, Gary Neeleman. Ele se reuniu com empresários na sede da Associação Comercial e Industrial de Londrina e a pauta girou em torno de interesses comerciais entre o Norte do Paraná e o Estado de Utah, nos EUA. Gary Neeleman - que é pai de David Neeleman, fundador e ex dirigente das companhias aéreas estadunidenses JetBlue Airways e Morris Air, da canadense WestJet e da Azul Linhas Aéreas – disse ser sempre consultado por empresários americanos interessados em investir no Brasil. A convite do consultor de empresas Newton Silva, a TRI apresentou ao cônsul os potenciais do Norte do Estado. Ao final do encontro, devido ao interesse mútuo das lideranças da região e de Neeleman, a TRI foi convidada a organizar uma missão empresarial para o estado de Utah, que está pré-agendada para o mês de outubro. O objetivo será identificar oportunidades de interação.

×