SlideShare uma empresa Scribd logo
SOFIA ANTUNES
Acidente vascular cerebral é primeira causa de morte em Portugal

De acordo com os últimos dados
referentes a 2000, a mortalidade
geral em Portugal foi de 105364
óbitos e, embora tenha sofrido
uma redução, as doenças
cardiovasculares foram
responsáveis por cerca de 41 mil
mortes, sendo que o AVC
provocou 20995 óbitos


As marcas físicas que o AVC
pode deixar são: incapacidade
motora ou de comunicação, é
afectado psicologicamente e
pode atravessar fases de
depressão, ansiedade,
diminuição do empenhamento
ou dependência de terceiros. Ao
mesmo tempo, é uma patologia
que implica custos directos e
indirectos elevados.
O Cancro, é a segunda maior causa de morte em Portugal

O Cancro, nome comum da
neoplasía maligna, é uma
doença caracterizada por uma
população de células que
cresce e se dividem sem
respeitar os limites normais,
invadem e destroem tecidos
adjacentes, e podem-se
espalhar-se para lugares
distantes no corpo. O cancro
pode afectar pessoas de todas
as idades, mas o risco para a
maioria dos tipos de cancro
aumenta com o aumento da
idade. O cancro causa cerca de
13% de todas as mortes no
mundo, sendo os cancros de
pulmão, estômago, fígado,
cólon e mama os que mais
matam.
Cancros mais mortais na
Mulher: Mama(~25%),
Pulmão(~15%), Cólon e
Recto (~10%)Pâncreas (~5%),
Ovário (~5%), Útero (~4%),
outros (~25%).

 A dificuldade do tratamento do
 cancro consiste em fazer a
 distinção entre as células
 malignas e as células normais
 do corpo. Ambas são
 provenientes da mesma origem
 e são muito semelhantes, daí
 não haver reconhecimento
 significativo por parte do
 sistema imunitário da ameaça.
Cancros mais mortais no
Homem :

Pulmão (~30%);
 Cólon e Recto (~10%);
Próstata (10%)
;Leucemias e Linfomas
não Hodgkins (~10%),;
Pâncreas (5%);
Bexiga, Fígado, Rim,
Esófago (cada um 2-3%);
 outros (~20%).
Alimentação para prevenção do cancro
 Alguns cientistas afirmam que uma
  alimentação monótona, deficiente
  em nutrientes e substâncias
  protectoras é causadora de muitos
  cancros. Os principais factores que
  aumentam as possibilidades do
  aparecimento do cancro são baixos
  níveis de antioxidantes e fibras e
  altos níveis de gorduras animais.

  Os cancros associados à
  alimentação são os dos intestinos,
  estômago, mama, pulmões,
  pâncreas, fígado e próstata.
A serra leoa encontra-se em último lugar no índice de
 desenvolvimento, e é um país muito pobre. Algumas das
doenças presentes, em países desenvolvidos, poderiam ser
                                    facilmente resolvidas.
Malária
 A malária ou paludismo é
  uma doença
  infecciosa aguda ou crónica causada
  por protozoários parasitas do
  género Plasmodium, transmitidos
  pela picada do mosquito Anopheles.
 A malária mata 3 milhões de pessoas
  por ano, uma taxa só comparável à
  da SIDA, e afecta mais de 500
  milhões de pessoas todos os anos.
Tratamento
 O tratamento farmacológico da malária baseia-se na
 susceptibilidade do parasita aos radicais livres e substâncias
 oxidantes, morrendo em concentrações destes agentes
 inferiores às mortais para as células humanas. Os fármacos
 usados aumentam essas concentrações.

                                   Algumas plantas como a
                                   Chinchona são usadas no
                                   tratamento da Malária
Sida
 A SIDA é provocada pelo Vírus da Imunodeficiência
 Humana (VIH), que penetra no organismo por contacto
 com uma pessoa infectada. A transmissão pode acontecer
 de três formas: relações sexuais; contacto com sangue
 infectado; de mãe para filho, durante a gravidez ou o parto e
 pela amamentação.
Cura
 Ainda não existe cura para a SIDA, e portanto é uma doença
 que exige bastante cuidado por parte da sociedade, com
 métodos de prevenção.
Prevenção
 Usar sempre preservativo nas relações
  sexuais, não partilhar agulhas, seringas,
  material usado na preparação de drogas
  injectáveis e objectos cortantes (agulhas de
  acupunctura, instrumentos para fazer
  tatuagens e piercings, de cabeleireiro,
  manicura).
 Além dos preservativos comuns, vendidos
  em farmácias e supermercados, existem
  outros, menos vulgares, que podem ser
  utilizados como protecção durante as mais
  diversas práticas sexuais.
 É, também, preciso ter atenção à utilização
  de objectos, uma vez que, se estiverem em
  contacto com sémen, fluidos vaginais e
  sangue infectados, podem transmitir o
  vírus.
Comportamentos de Risco
 Toxicodependentes que se injectam e partilham agulhas,
  seringas e outro material usado na preparação da droga
  para injecção.
 Pessoas que não praticam sexo seguro, isto é, que não usam
  preservativos e têm mais do que um parceiro sexual.
 Profissionais de saúde - acidentes com contacto com
  objectos cortantes contaminados (agulhas) ou com sangue,
  ou outros líquidos orgânicos, contaminados.
Numeros da Sida
Sida em Portugal
Cólera
 A cólera (ou cólera asiática)
  é uma doença causada pelo
  vibrião colérico (Vibrio
  cholerae), uma bactéria em
  forma de vírgula ou
  bastonete que se multiplica
  rapidamente
  no intestino humano
                                  Ela afecta apenas os seres humanos e a sua
  produzindo uma potente          transmissão é directamente dos dejectos
  toxina que                      fecais de doentes por ingestão oral,
  provoca diarreia intensa.       principalmente em água contaminada.
Tratamento
 O tratamento imediato é o soro
  fisiológico ou soro caseiro para repor a
  água e os sais minerais: uma pitada de
  sal, meia xícara de açúcar e meio litro
  de água tratada. No hospital, é
  administrado de emergência por via
  intravenosa solução salina. A causa é
  adicionalmente eliminada com doses
  de antibiótico (a doxiciclina).
  Medicamentos antidiarreicos não são
  indicados, já que facilitam a
  multiplicação da bactéria por
  diminuírem o peristaltismo intestinal.
Transmissão
 A cólera é transmitida através da ingestão de água ou
 alimentos contaminados com cistos. São necessários em
 média 100 milhões de víbrios (e no mínimo um milhão)
 ingeridos para se estabelecer a infecção, uma vez que não
 são resistentes à acidez gástrica e morrem em grandes
 números na passagem pelo estômago.
Numeros
da Cólera
Febre Amarela
 A febre amarela é
 uma doença
 infecciosa transmitida
 por mosquitos contaminados
 por um flavivirus e ocorre
 na América Central,
 na América do Sul e
 na África.
Prevenção
 A prevenção da febre amarela dá através do combate ao
 mosquito e de vacinação
Combate ao Mosquito
 Substituir a água dos vasos de plantas por terra e manter seco o
    prato coletor.
   Utilizar água tratada com cloro (40 gotas de água sanitária a
    2,5% para cada litro) para regar plantas.
   Desobstruir as calhas do telhado, para não haver acúmulo de
    água.
   Não deixar pneus ou recipientes que possam acumular água
    expostos à chuva.
   Manter sempre tapadas as caixas de água, cisternas, barris e
    filtros.
   Colocar os resíduos domiciliar em sacos plásticos fechados ou
    latões com tampa.
Vacinação
 Pessoas que residem ou viajam para zonas endémicas de
 febre amarela devem ser vacinadas. A vacina, com 95% de
 eficácia, tem validade de 10 anos. A pessoa não deve tomá-la
 novamente enquanto a validade permanecer.
Hepatite B
 A hepatite B é uma doença infecciosa
  frequentemente crónica causada
  pelo vírus da Hepatite B (HBV). É
  transmitida sexualmente ou por
  agulhas com sangue infectado e pode
  progredir para cirrose
  hepática ou cancro do
  fígado (hepatocarcinoma). O vírus da
  hepatite D é um vírus que só ataca
  células já infectadas pelo HBV piorando
  o prognóstico dos doentes com hepatite
  B crônica.
Diagnóstico
 O diagnóstico da hepatite B deve não só identificar as
 pessoas com anticorpos contra a doença, mas também
 diferenciar aqueles que já tiveram a doença aguda, mas
 estão nessa altura curados dos com hepatite crónica que
 necessitam de vigilância e tratamento.
Distribuição da Hepatite B

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Power Point Sobre A Sida 1
Power Point Sobre A Sida 1Power Point Sobre A Sida 1
Power Point Sobre A Sida 1
efaesvn
 
DoençAs Infecto Contagiosas Terminais Humanas
DoençAs Infecto Contagiosas Terminais HumanasDoençAs Infecto Contagiosas Terminais Humanas
DoençAs Infecto Contagiosas Terminais Humanas
CIVEC
 
Grandes Epidemias A Febre TifóIde E A Antraz
Grandes Epidemias   A Febre TifóIde E A AntrazGrandes Epidemias   A Febre TifóIde E A Antraz
Grandes Epidemias A Febre TifóIde E A Antraz
cnaturais9
 

Mais procurados (20)

Febres entéricas
Febres entéricasFebres entéricas
Febres entéricas
 
Power Point Sobre A Sida 1
Power Point Sobre A Sida 1Power Point Sobre A Sida 1
Power Point Sobre A Sida 1
 
DoençAs Infecto Contagiosas Terminais Humanas
DoençAs Infecto Contagiosas Terminais HumanasDoençAs Infecto Contagiosas Terminais Humanas
DoençAs Infecto Contagiosas Terminais Humanas
 
Doenças infeciosas
Doenças infeciosas Doenças infeciosas
Doenças infeciosas
 
Resumo
ResumoResumo
Resumo
 
Guia de-vigilancia-em-saude-2017-volume-2
Guia de-vigilancia-em-saude-2017-volume-2Guia de-vigilancia-em-saude-2017-volume-2
Guia de-vigilancia-em-saude-2017-volume-2
 
doenças
  doenças  doenças
doenças
 
Doenças reemergentes são as que reaparecem
Doenças reemergentes são as que reaparecemDoenças reemergentes são as que reaparecem
Doenças reemergentes são as que reaparecem
 
Aedes Aegypti
Aedes AegyptiAedes Aegypti
Aedes Aegypti
 
Endemias e epidemias no brasil
Endemias e epidemias no brasilEndemias e epidemias no brasil
Endemias e epidemias no brasil
 
HIV/AIDS - Patogênese e alterações morfológicas
HIV/AIDS - Patogênese e alterações morfológicasHIV/AIDS - Patogênese e alterações morfológicas
HIV/AIDS - Patogênese e alterações morfológicas
 
sida
sidasida
sida
 
História das Vacinas
História das VacinasHistória das Vacinas
História das Vacinas
 
Emergencias saude - RSI - Plano de resposta
Emergencias saude - RSI - Plano de respostaEmergencias saude - RSI - Plano de resposta
Emergencias saude - RSI - Plano de resposta
 
Prevencao IST HIV Aids Unesp Botucatu 2019
Prevencao IST HIV Aids Unesp Botucatu 2019 Prevencao IST HIV Aids Unesp Botucatu 2019
Prevencao IST HIV Aids Unesp Botucatu 2019
 
4 hiv sida
4 hiv sida4 hiv sida
4 hiv sida
 
Aids.2
Aids.2Aids.2
Aids.2
 
Grandes Epidemias A Febre TifóIde E A Antraz
Grandes Epidemias   A Febre TifóIde E A AntrazGrandes Epidemias   A Febre TifóIde E A Antraz
Grandes Epidemias A Febre TifóIde E A Antraz
 
Hiv sida
Hiv sidaHiv sida
Hiv sida
 
SIDA
SIDASIDA
SIDA
 

Destaque

Dia mundial da luta contra o cancro
Dia mundial da luta contra o cancroDia mundial da luta contra o cancro
Dia mundial da luta contra o cancro
pief2
 
O cancro powerpoint
O cancro powerpointO cancro powerpoint
O cancro powerpoint
boaera
 
Cancro: descontrolo celular
Cancro: descontrolo celularCancro: descontrolo celular
Cancro: descontrolo celular
himorani
 
E saude brasil
E saude brasilE saude brasil
E saude brasil
UniJorge
 
Projeto de marketing nutricional
Projeto de marketing nutricionalProjeto de marketing nutricional
Projeto de marketing nutricional
virtuu666
 
Apresentação marketing em saúde 2010
Apresentação marketing em saúde 2010Apresentação marketing em saúde 2010
Apresentação marketing em saúde 2010
EPMJunior
 

Destaque (20)

Trab. cancro
Trab. cancroTrab. cancro
Trab. cancro
 
Dia mundial da luta contra o cancro
Dia mundial da luta contra o cancroDia mundial da luta contra o cancro
Dia mundial da luta contra o cancro
 
Cancro
CancroCancro
Cancro
 
Cancro
CancroCancro
Cancro
 
O cancro powerpoint
O cancro powerpointO cancro powerpoint
O cancro powerpoint
 
Cancro: descontrolo celular
Cancro: descontrolo celularCancro: descontrolo celular
Cancro: descontrolo celular
 
E saude brasil
E saude brasilE saude brasil
E saude brasil
 
Ministério da Saúde - Apresentação do ministro Alexandre Padilha no Senado [0...
Ministério da Saúde - Apresentação do ministro Alexandre Padilha no Senado [0...Ministério da Saúde - Apresentação do ministro Alexandre Padilha no Senado [0...
Ministério da Saúde - Apresentação do ministro Alexandre Padilha no Senado [0...
 
Cancro
CancroCancro
Cancro
 
Cancro
CancroCancro
Cancro
 
Malaria aula
Malaria aulaMalaria aula
Malaria aula
 
Cancro mole e hpv
Cancro mole e hpvCancro mole e hpv
Cancro mole e hpv
 
Cancro
CancroCancro
Cancro
 
Marketing na saúde
Marketing na saúdeMarketing na saúde
Marketing na saúde
 
Marketing digital no sector Health & Fitness - Inesting
Marketing digital no sector Health & Fitness - InestingMarketing digital no sector Health & Fitness - Inesting
Marketing digital no sector Health & Fitness - Inesting
 
Projeto de marketing nutricional
Projeto de marketing nutricionalProjeto de marketing nutricional
Projeto de marketing nutricional
 
Cancro Mole
Cancro MoleCancro Mole
Cancro Mole
 
Apresentação marketing em saúde 2010
Apresentação marketing em saúde 2010Apresentação marketing em saúde 2010
Apresentação marketing em saúde 2010
 
Cancro
Cancro Cancro
Cancro
 
Apresentação de marketing nutricional
Apresentação de marketing nutricionalApresentação de marketing nutricional
Apresentação de marketing nutricional
 

Semelhante a Principais causas de morte no mundo

Doenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveisDoenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveis
Marina
 
Trab Pronto D Tuberculose
Trab Pronto D TuberculoseTrab Pronto D Tuberculose
Trab Pronto D Tuberculose
ITPAC PORTO
 
Saúde e higiene (1)
Saúde e higiene (1)Saúde e higiene (1)
Saúde e higiene (1)
kcamoes
 
Doencas emergentes e reemergentes 2008-novo
Doencas emergentes e reemergentes 2008-novoDoencas emergentes e reemergentes 2008-novo
Doencas emergentes e reemergentes 2008-novo
bhbiohorrores
 
Trabalho biologia
Trabalho biologiaTrabalho biologia
Trabalho biologia
2° PD
 
Doenças Sexualmente Transmissíveis e Métodos Contracetivos
Doenças Sexualmente Transmissíveis e Métodos ContracetivosDoenças Sexualmente Transmissíveis e Métodos Contracetivos
Doenças Sexualmente Transmissíveis e Métodos Contracetivos
lucia_nunes
 
Sociedade tecnologia e ciência doenças contagiosas
Sociedade tecnologia e ciência doenças contagiosasSociedade tecnologia e ciência doenças contagiosas
Sociedade tecnologia e ciência doenças contagiosas
stcnsaidjv
 

Semelhante a Principais causas de morte no mundo (20)

Epidemiol..
Epidemiol..Epidemiol..
Epidemiol..
 
Epidemiol..
Epidemiol..Epidemiol..
Epidemiol..
 
Doenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveisDoenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveis
 
Trab Pronto D Tuberculose
Trab Pronto D TuberculoseTrab Pronto D Tuberculose
Trab Pronto D Tuberculose
 
Doenças tropicais
Doenças tropicaisDoenças tropicais
Doenças tropicais
 
Doenças-Biologia-COTUCA
Doenças-Biologia-COTUCADoenças-Biologia-COTUCA
Doenças-Biologia-COTUCA
 
Saúde e higiene (1)
Saúde e higiene (1)Saúde e higiene (1)
Saúde e higiene (1)
 
Doencas emergentes e reemergentes 2008-novo
Doencas emergentes e reemergentes 2008-novoDoencas emergentes e reemergentes 2008-novo
Doencas emergentes e reemergentes 2008-novo
 
Trabalho biologia
Trabalho biologiaTrabalho biologia
Trabalho biologia
 
Trabalho biologia
Trabalho biologiaTrabalho biologia
Trabalho biologia
 
Doenças Sexualmente Transmissíveis e Métodos Contracetivos
Doenças Sexualmente Transmissíveis e Métodos ContracetivosDoenças Sexualmente Transmissíveis e Métodos Contracetivos
Doenças Sexualmente Transmissíveis e Métodos Contracetivos
 
Sociedade tecnologia e ciência doenças contagiosas
Sociedade tecnologia e ciência doenças contagiosasSociedade tecnologia e ciência doenças contagiosas
Sociedade tecnologia e ciência doenças contagiosas
 
Gripe SuíNa
Gripe SuíNaGripe SuíNa
Gripe SuíNa
 
Dssms Gripe SuíNa
Dssms   Gripe SuíNaDssms   Gripe SuíNa
Dssms Gripe SuíNa
 
Gripe SuíNa
Gripe SuíNaGripe SuíNa
Gripe SuíNa
 
Gripe Suina - Elaborado pela Petrobras
Gripe Suina - Elaborado pela PetrobrasGripe Suina - Elaborado pela Petrobras
Gripe Suina - Elaborado pela Petrobras
 
Doenças causadas por água contaminada
Doenças causadas por água contaminadaDoenças causadas por água contaminada
Doenças causadas por água contaminada
 
FEBRE TIFÓIDE
FEBRE TIFÓIDEFEBRE TIFÓIDE
FEBRE TIFÓIDE
 
Medidas profiláticas doenças
Medidas profiláticas  doençasMedidas profiláticas  doenças
Medidas profiláticas doenças
 
AIDS
AIDSAIDS
AIDS
 

Principais causas de morte no mundo

  • 2.
  • 3. Acidente vascular cerebral é primeira causa de morte em Portugal De acordo com os últimos dados referentes a 2000, a mortalidade geral em Portugal foi de 105364 óbitos e, embora tenha sofrido uma redução, as doenças cardiovasculares foram responsáveis por cerca de 41 mil mortes, sendo que o AVC provocou 20995 óbitos As marcas físicas que o AVC pode deixar são: incapacidade motora ou de comunicação, é afectado psicologicamente e pode atravessar fases de depressão, ansiedade, diminuição do empenhamento ou dependência de terceiros. Ao mesmo tempo, é uma patologia que implica custos directos e indirectos elevados.
  • 4. O Cancro, é a segunda maior causa de morte em Portugal O Cancro, nome comum da neoplasía maligna, é uma doença caracterizada por uma população de células que cresce e se dividem sem respeitar os limites normais, invadem e destroem tecidos adjacentes, e podem-se espalhar-se para lugares distantes no corpo. O cancro pode afectar pessoas de todas as idades, mas o risco para a maioria dos tipos de cancro aumenta com o aumento da idade. O cancro causa cerca de 13% de todas as mortes no mundo, sendo os cancros de pulmão, estômago, fígado, cólon e mama os que mais matam.
  • 5. Cancros mais mortais na Mulher: Mama(~25%), Pulmão(~15%), Cólon e Recto (~10%)Pâncreas (~5%), Ovário (~5%), Útero (~4%), outros (~25%). A dificuldade do tratamento do cancro consiste em fazer a distinção entre as células malignas e as células normais do corpo. Ambas são provenientes da mesma origem e são muito semelhantes, daí não haver reconhecimento significativo por parte do sistema imunitário da ameaça.
  • 6. Cancros mais mortais no Homem : Pulmão (~30%); Cólon e Recto (~10%); Próstata (10%) ;Leucemias e Linfomas não Hodgkins (~10%),; Pâncreas (5%); Bexiga, Fígado, Rim, Esófago (cada um 2-3%); outros (~20%).
  • 7. Alimentação para prevenção do cancro  Alguns cientistas afirmam que uma alimentação monótona, deficiente em nutrientes e substâncias protectoras é causadora de muitos cancros. Os principais factores que aumentam as possibilidades do aparecimento do cancro são baixos níveis de antioxidantes e fibras e altos níveis de gorduras animais. Os cancros associados à alimentação são os dos intestinos, estômago, mama, pulmões, pâncreas, fígado e próstata.
  • 8. A serra leoa encontra-se em último lugar no índice de desenvolvimento, e é um país muito pobre. Algumas das doenças presentes, em países desenvolvidos, poderiam ser facilmente resolvidas.
  • 9. Malária  A malária ou paludismo é uma doença infecciosa aguda ou crónica causada por protozoários parasitas do género Plasmodium, transmitidos pela picada do mosquito Anopheles.  A malária mata 3 milhões de pessoas por ano, uma taxa só comparável à da SIDA, e afecta mais de 500 milhões de pessoas todos os anos.
  • 10. Tratamento  O tratamento farmacológico da malária baseia-se na susceptibilidade do parasita aos radicais livres e substâncias oxidantes, morrendo em concentrações destes agentes inferiores às mortais para as células humanas. Os fármacos usados aumentam essas concentrações. Algumas plantas como a Chinchona são usadas no tratamento da Malária
  • 11. Sida  A SIDA é provocada pelo Vírus da Imunodeficiência Humana (VIH), que penetra no organismo por contacto com uma pessoa infectada. A transmissão pode acontecer de três formas: relações sexuais; contacto com sangue infectado; de mãe para filho, durante a gravidez ou o parto e pela amamentação.
  • 12. Cura  Ainda não existe cura para a SIDA, e portanto é uma doença que exige bastante cuidado por parte da sociedade, com métodos de prevenção.
  • 13. Prevenção  Usar sempre preservativo nas relações sexuais, não partilhar agulhas, seringas, material usado na preparação de drogas injectáveis e objectos cortantes (agulhas de acupunctura, instrumentos para fazer tatuagens e piercings, de cabeleireiro, manicura).  Além dos preservativos comuns, vendidos em farmácias e supermercados, existem outros, menos vulgares, que podem ser utilizados como protecção durante as mais diversas práticas sexuais.  É, também, preciso ter atenção à utilização de objectos, uma vez que, se estiverem em contacto com sémen, fluidos vaginais e sangue infectados, podem transmitir o vírus.
  • 14. Comportamentos de Risco  Toxicodependentes que se injectam e partilham agulhas, seringas e outro material usado na preparação da droga para injecção.  Pessoas que não praticam sexo seguro, isto é, que não usam preservativos e têm mais do que um parceiro sexual.  Profissionais de saúde - acidentes com contacto com objectos cortantes contaminados (agulhas) ou com sangue, ou outros líquidos orgânicos, contaminados.
  • 17.
  • 18. Cólera  A cólera (ou cólera asiática) é uma doença causada pelo vibrião colérico (Vibrio cholerae), uma bactéria em forma de vírgula ou bastonete que se multiplica rapidamente no intestino humano Ela afecta apenas os seres humanos e a sua produzindo uma potente transmissão é directamente dos dejectos toxina que fecais de doentes por ingestão oral, provoca diarreia intensa. principalmente em água contaminada.
  • 19. Tratamento  O tratamento imediato é o soro fisiológico ou soro caseiro para repor a água e os sais minerais: uma pitada de sal, meia xícara de açúcar e meio litro de água tratada. No hospital, é administrado de emergência por via intravenosa solução salina. A causa é adicionalmente eliminada com doses de antibiótico (a doxiciclina). Medicamentos antidiarreicos não são indicados, já que facilitam a multiplicação da bactéria por diminuírem o peristaltismo intestinal.
  • 20. Transmissão  A cólera é transmitida através da ingestão de água ou alimentos contaminados com cistos. São necessários em média 100 milhões de víbrios (e no mínimo um milhão) ingeridos para se estabelecer a infecção, uma vez que não são resistentes à acidez gástrica e morrem em grandes números na passagem pelo estômago.
  • 22.
  • 23.
  • 24. Febre Amarela  A febre amarela é uma doença infecciosa transmitida por mosquitos contaminados por um flavivirus e ocorre na América Central, na América do Sul e na África.
  • 25. Prevenção  A prevenção da febre amarela dá através do combate ao mosquito e de vacinação
  • 26. Combate ao Mosquito  Substituir a água dos vasos de plantas por terra e manter seco o prato coletor.  Utilizar água tratada com cloro (40 gotas de água sanitária a 2,5% para cada litro) para regar plantas.  Desobstruir as calhas do telhado, para não haver acúmulo de água.  Não deixar pneus ou recipientes que possam acumular água expostos à chuva.  Manter sempre tapadas as caixas de água, cisternas, barris e filtros.  Colocar os resíduos domiciliar em sacos plásticos fechados ou latões com tampa.
  • 27. Vacinação  Pessoas que residem ou viajam para zonas endémicas de febre amarela devem ser vacinadas. A vacina, com 95% de eficácia, tem validade de 10 anos. A pessoa não deve tomá-la novamente enquanto a validade permanecer.
  • 28.
  • 29. Hepatite B  A hepatite B é uma doença infecciosa frequentemente crónica causada pelo vírus da Hepatite B (HBV). É transmitida sexualmente ou por agulhas com sangue infectado e pode progredir para cirrose hepática ou cancro do fígado (hepatocarcinoma). O vírus da hepatite D é um vírus que só ataca células já infectadas pelo HBV piorando o prognóstico dos doentes com hepatite B crônica.
  • 30. Diagnóstico  O diagnóstico da hepatite B deve não só identificar as pessoas com anticorpos contra a doença, mas também diferenciar aqueles que já tiveram a doença aguda, mas estão nessa altura curados dos com hepatite crónica que necessitam de vigilância e tratamento.