SlideShare uma empresa Scribd logo
Espiritizar, Qualificar, Humanizar
Fonte: http://www.deolindoamorim.org.br/artigos/ESPIRITIZAR_QUALIFICAR_HUMANIZAR_%20Joanna.pdf
Responsável: Cristiane S S Souza – Tia Cris
Maio/2015
 Palestra proferida na Casa de Oração Bezerra
de Menezes, em 8 de maio de 1998, expôs a
proposta de Joanna de Ângelis de Novos
Rumos para o Centro Espírita, baseada em
uma triologia: Espiritizar, Qualificar e
Humanizar.
 O médium iniciou lembrando que Kardec estabeleceu
como normativa de dignificação do Movimento
Espírita : trabalho, solidariedade e tolerância,
embasado nos ensinamentos de Pestalozzi, grande
educador.
 Através do TRABALHO o indivíduo administra o
conhecimento, liberta-se, esclarece-se;
 Da SOLIDARIEDADE conduz à união, tornando o ser
parte integrante e equilibrado de um todo;
 Da TOLERÂNCIA permite a convivência e a
compreensão dos limites de cada um, inclusive os
próprios.
 A Casa Espírita é um local de trabalho (para todos), de
solidariedade (entre todos) e de tolerância (para com
todos).
 É também uma escola e uma oficina e, ao mesmo tempo,
um hospital de almas, onde consolo, esclarecimento,
trabalho e amor são as terapias oferecidas.
 Assim, o Centro Espírita não é a parede, o chão, o teto; é,
realmente, a união das pessoas que ali estão,
frequentadores e trabalhadores, encarnados e
desencarnados.
 É a guia espiritual do Médium Espírita Brasileiro –
Divaldo Franco.
 Santa Clara de Assis (1194-1253) que viveu no
século XIII, seguidora de São Francisco de Assis e
fundadora da Ordem das Clarissas.
 Juana Inés de La Cruz (1651-1695) (pseudônimo
religioso da poetisa mexicana Juana de Asbaje,
que viveu durante o século XVII).
 Joanna Angélica de Jesus (1761-1822), também
sóror e depois abadessa que viveu no início do
século XIX e protagonizou doloroso d
Humanizar , Espiritiza Qualificar
 Orientando sobre responsabilidade e
crescimento espiritual dos Centros Espíritas,
sugeriu um triângulo equilátero.
 No vértice superior colocou o verbo
Espiritizar, através do estudo, da reflexão, do
conhecimento, visando a lapidação das
arestas morais; porque ser espírita "é
empenhar-se para ser hoje melhor do que
ontem e amanhã melhor do que hoje".
 Sentido de resgate, de atrair as pessoas que apenas
frequentam o Centro para que se tornem praticantes,
adotando o Espiritismo e não querendo ser adotados por
ele, permitindo que o Espiritismo entre neles e não
apenas eles entrem no Espiritismo.
 É viver a Doutrina como ela é, na sua essência, sem
adulterações, modismos, sem adaptações e sem outras
correntes de ideias, por mais respeitáveis que possam
ser.
 A segunda etapa do triângulo é a Qualificação.
 Qualificar significa adquirir a consciência da
responsabilidade e do conhecimento necessários à tarefa do
bem; é saber o que fazer e como realizar; não significa ser
exageradamente instruído ou técnico, mas ser, ao menos,
preparado para a tarefa.
 Como nos diz Divaldo: "... buscar a qualificação espírita é
tentar saber realmente o que é o Espiritismo... procurar
melhorar as qualidades morais, sociais, familiares, funcionais
e as de trabalhador da Casa Espírita...“
 O vértice da direita é a humanização.
 O sentimento de humanidade, que é a caridade na sua
mais pura expressão.
 Humanizar é o oferecer-se, o despersonalizar-se,
libertando-se do ego dominador para se dedicar ao
próximo, colocando-se no lugar dele, para ajudar com
alegria e amor.
 É a percepção de que tudo o que se faz visa o ser
humano, espírito imortal, rumo à perfeição.
 "O Espiritismo é a nossa escola, a nossa oficina, é
nosso santuário e também nosso lar." O lar onde
erramos, acertamos, aprendemos; o lar que nos mostra
que é possível viver em sociedade, fraternalmente, com
tolerância e humanização, evoluindo sempre.
Divaldo encerrou sua palestra deixando-nos um
desafio:
... "com esses requisitos eu devo ser bom,
nobre, justo, paciente, gentil, e se eu tiver algumas
dessas qualidades, já terei o suficiente para ser um
homem de bem, embora outras tantas ainda me
faltem, mas que eu procurarei conquistar através
dos tempos futuros."
Baseado no livro Novos Rumos para o Centro Espírita
Palestra de Divaldo Pereira Franco
Divulgação: 3 de dezembro de 2012
Humanizar , Espiritiza Qualificar

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Fé pela ótica espírita
Fé pela ótica espíritaFé pela ótica espírita
Fé pela ótica espírita
Eduardo Ottonelli Pithan
 
LIMITES DA REENCARNAÇÃO
LIMITES DA REENCARNAÇÃOLIMITES DA REENCARNAÇÃO
LIMITES DA REENCARNAÇÃO
Francisco de Assis Alencar
 
As Mulheres Da Casa Do Caminho
As Mulheres Da Casa Do CaminhoAs Mulheres Da Casa Do Caminho
As Mulheres Da Casa Do Caminho
guestb30c415
 
Transição planetária
Transição planetáriaTransição planetária
Transição planetária
Levi Antonio Amancio
 
Não se pode servir a deus e a mamon ppt
Não se pode servir a deus e a mamon pptNão se pode servir a deus e a mamon ppt
Não se pode servir a deus e a mamon ppt
Silvânio Barcelos
 
Ninguém pode ver o Reino dos Céus se não nascer de novo
Ninguém pode ver o Reino dos Céus se não nascer de novoNinguém pode ver o Reino dos Céus se não nascer de novo
Ninguém pode ver o Reino dos Céus se não nascer de novo
CEENA_SS
 
TOLERÂNCIA NA VISÃO ESPÍRITA
TOLERÂNCIA NA VISÃO ESPÍRITATOLERÂNCIA NA VISÃO ESPÍRITA
TOLERÂNCIA NA VISÃO ESPÍRITA
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
Emprego da riqueza
Emprego da riquezaEmprego da riqueza
Emprego da riqueza
Kclitiacadente
 
Estudando com Andre Luiz - Os Mensageiros 01 conceitos fundamentais
Estudando com Andre Luiz - Os Mensageiros  01 conceitos fundamentaisEstudando com Andre Luiz - Os Mensageiros  01 conceitos fundamentais
Estudando com Andre Luiz - Os Mensageiros 01 conceitos fundamentais
Jose Luiz Maio
 
Dimensões espirituais do centro espírita!
Dimensões espirituais do centro espírita!Dimensões espirituais do centro espírita!
Dimensões espirituais do centro espírita!
Leonardo Pereira
 
Conhece se a árvore pelos frutos gec 03-09-2011
Conhece se a árvore pelos frutos gec 03-09-2011Conhece se a árvore pelos frutos gec 03-09-2011
Conhece se a árvore pelos frutos gec 03-09-2011
Izabel Cristina Fonseca
 
Trabalhador espírita
Trabalhador espíritaTrabalhador espírita
Trabalhador espírita
Norberto Tomasini Jr
 
Educação à Luz do Espiritismo
Educação à Luz do EspiritismoEducação à Luz do Espiritismo
Educação à Luz do Espiritismo
Ricardo Azevedo
 
A importância da palestra espirita
A importância da palestra espiritaA importância da palestra espirita
A importância da palestra espirita
carlos freire
 
Palestra - O Despertar da Consciência Espiritual - Rosana De Rosa-Palestra
Palestra - O Despertar da Consciência Espiritual  - Rosana De Rosa-PalestraPalestra - O Despertar da Consciência Espiritual  - Rosana De Rosa-Palestra
Palestra - O Despertar da Consciência Espiritual - Rosana De Rosa-Palestra
Rosana De Rosa
 
A casa espírita
A casa espírita A casa espírita
A casa espírita
telmacorte
 
Pensamento e vontade
Pensamento e vontadePensamento e vontade
Pensamento e vontade
Dalila Melo
 
AFINIDADE E SINTONIA ESPIRITUAL na visão Espírita
AFINIDADE E SINTONIA ESPIRITUAL na visão EspíritaAFINIDADE E SINTONIA ESPIRITUAL na visão Espírita
AFINIDADE E SINTONIA ESPIRITUAL na visão Espírita
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
O Centro Espírita - ESDE
O Centro Espírita - ESDEO Centro Espírita - ESDE
PALESTRA - RENOVANDO ATITUDES
PALESTRA - RENOVANDO ATITUDESPALESTRA - RENOVANDO ATITUDES
PALESTRA - RENOVANDO ATITUDES
Mauro Santos
 

Mais procurados (20)

Fé pela ótica espírita
Fé pela ótica espíritaFé pela ótica espírita
Fé pela ótica espírita
 
LIMITES DA REENCARNAÇÃO
LIMITES DA REENCARNAÇÃOLIMITES DA REENCARNAÇÃO
LIMITES DA REENCARNAÇÃO
 
As Mulheres Da Casa Do Caminho
As Mulheres Da Casa Do CaminhoAs Mulheres Da Casa Do Caminho
As Mulheres Da Casa Do Caminho
 
Transição planetária
Transição planetáriaTransição planetária
Transição planetária
 
Não se pode servir a deus e a mamon ppt
Não se pode servir a deus e a mamon pptNão se pode servir a deus e a mamon ppt
Não se pode servir a deus e a mamon ppt
 
Ninguém pode ver o Reino dos Céus se não nascer de novo
Ninguém pode ver o Reino dos Céus se não nascer de novoNinguém pode ver o Reino dos Céus se não nascer de novo
Ninguém pode ver o Reino dos Céus se não nascer de novo
 
TOLERÂNCIA NA VISÃO ESPÍRITA
TOLERÂNCIA NA VISÃO ESPÍRITATOLERÂNCIA NA VISÃO ESPÍRITA
TOLERÂNCIA NA VISÃO ESPÍRITA
 
Emprego da riqueza
Emprego da riquezaEmprego da riqueza
Emprego da riqueza
 
Estudando com Andre Luiz - Os Mensageiros 01 conceitos fundamentais
Estudando com Andre Luiz - Os Mensageiros  01 conceitos fundamentaisEstudando com Andre Luiz - Os Mensageiros  01 conceitos fundamentais
Estudando com Andre Luiz - Os Mensageiros 01 conceitos fundamentais
 
Dimensões espirituais do centro espírita!
Dimensões espirituais do centro espírita!Dimensões espirituais do centro espírita!
Dimensões espirituais do centro espírita!
 
Conhece se a árvore pelos frutos gec 03-09-2011
Conhece se a árvore pelos frutos gec 03-09-2011Conhece se a árvore pelos frutos gec 03-09-2011
Conhece se a árvore pelos frutos gec 03-09-2011
 
Trabalhador espírita
Trabalhador espíritaTrabalhador espírita
Trabalhador espírita
 
Educação à Luz do Espiritismo
Educação à Luz do EspiritismoEducação à Luz do Espiritismo
Educação à Luz do Espiritismo
 
A importância da palestra espirita
A importância da palestra espiritaA importância da palestra espirita
A importância da palestra espirita
 
Palestra - O Despertar da Consciência Espiritual - Rosana De Rosa-Palestra
Palestra - O Despertar da Consciência Espiritual  - Rosana De Rosa-PalestraPalestra - O Despertar da Consciência Espiritual  - Rosana De Rosa-Palestra
Palestra - O Despertar da Consciência Espiritual - Rosana De Rosa-Palestra
 
A casa espírita
A casa espírita A casa espírita
A casa espírita
 
Pensamento e vontade
Pensamento e vontadePensamento e vontade
Pensamento e vontade
 
AFINIDADE E SINTONIA ESPIRITUAL na visão Espírita
AFINIDADE E SINTONIA ESPIRITUAL na visão EspíritaAFINIDADE E SINTONIA ESPIRITUAL na visão Espírita
AFINIDADE E SINTONIA ESPIRITUAL na visão Espírita
 
O Centro Espírita - ESDE
O Centro Espírita - ESDEO Centro Espírita - ESDE
O Centro Espírita - ESDE
 
PALESTRA - RENOVANDO ATITUDES
PALESTRA - RENOVANDO ATITUDESPALESTRA - RENOVANDO ATITUDES
PALESTRA - RENOVANDO ATITUDES
 

Destaque

Revista espirita 1858
Revista espirita 1858Revista espirita 1858
Revista espirita 1858
Tarcillo Armindo Schmaedecke
 
Contrafp2005
Contrafp2005Contrafp2005
Contrafp2005
Alice Lirio
 
Internato em Pediatria I: "Humanizado, Humanescente"
Internato em Pediatria I: "Humanizado, Humanescente"Internato em Pediatria I: "Humanizado, Humanescente"
Internato em Pediatria I: "Humanizado, Humanescente"
blogped1
 
Onde Estão os Botões? Os desafios das novas interfaces e a humanização da...
Onde Estão os Botões? Os desafios das novas interfaces e a humanização da...Onde Estão os Botões? Os desafios das novas interfaces e a humanização da...
Onde Estão os Botões? Os desafios das novas interfaces e a humanização da...
Carlos Gustavo Xavier
 
Pnh
PnhPnh
(Re)Humanização na Saúde
(Re)Humanização na Saúde(Re)Humanização na Saúde
(Re)Humanização na Saúde
Patrícia Cruz Rodrigues Marion
 
Humanização na saude
Humanização na saudeHumanização na saude
Humanização na saude
Juliermeson Morais
 
Você faz a diferença!
Você faz a diferença!Você faz a diferença!
Você faz a diferença!
Associação Viva e Deixe Viver
 
Trabalhadores Da úLtima Hora
Trabalhadores Da úLtima HoraTrabalhadores Da úLtima Hora
Trabalhadores Da úLtima Hora
Sergio Menezes
 
Caminhos da humanizacao_na_saude
Caminhos da humanizacao_na_saudeCaminhos da humanizacao_na_saude
Caminhos da humanizacao_na_saude
jccbf
 
Obreiros do senhor!
Obreiros do senhor!Obreiros do senhor!
Obreiros do senhor!
Dalila Melo
 
Trabalhador Espírita, vamos Trabalhar?
Trabalhador Espírita, vamos Trabalhar?Trabalhador Espírita, vamos Trabalhar?
Trabalhador Espírita, vamos Trabalhar?
igmateus
 
Aula de humanização plt
Aula de humanização pltAula de humanização plt
Aula de humanização plt
enfanhanguera
 
O compromisso com a tarefa
O compromisso com a tarefaO compromisso com a tarefa
O compromisso com a tarefa
umecamaqua
 
Humanizar o atendimento na saúde
Humanizar o atendimento na saúdeHumanizar o atendimento na saúde
Humanizar o atendimento na saúde
WM Treinamentos Cursos e Palestras Ltda
 
Humanização na Saúde
Humanização na SaúdeHumanização na Saúde
Humanização na Saúde
Ylla Cohim
 

Destaque (16)

Revista espirita 1858
Revista espirita 1858Revista espirita 1858
Revista espirita 1858
 
Contrafp2005
Contrafp2005Contrafp2005
Contrafp2005
 
Internato em Pediatria I: "Humanizado, Humanescente"
Internato em Pediatria I: "Humanizado, Humanescente"Internato em Pediatria I: "Humanizado, Humanescente"
Internato em Pediatria I: "Humanizado, Humanescente"
 
Onde Estão os Botões? Os desafios das novas interfaces e a humanização da...
Onde Estão os Botões? Os desafios das novas interfaces e a humanização da...Onde Estão os Botões? Os desafios das novas interfaces e a humanização da...
Onde Estão os Botões? Os desafios das novas interfaces e a humanização da...
 
Pnh
PnhPnh
Pnh
 
(Re)Humanização na Saúde
(Re)Humanização na Saúde(Re)Humanização na Saúde
(Re)Humanização na Saúde
 
Humanização na saude
Humanização na saudeHumanização na saude
Humanização na saude
 
Você faz a diferença!
Você faz a diferença!Você faz a diferença!
Você faz a diferença!
 
Trabalhadores Da úLtima Hora
Trabalhadores Da úLtima HoraTrabalhadores Da úLtima Hora
Trabalhadores Da úLtima Hora
 
Caminhos da humanizacao_na_saude
Caminhos da humanizacao_na_saudeCaminhos da humanizacao_na_saude
Caminhos da humanizacao_na_saude
 
Obreiros do senhor!
Obreiros do senhor!Obreiros do senhor!
Obreiros do senhor!
 
Trabalhador Espírita, vamos Trabalhar?
Trabalhador Espírita, vamos Trabalhar?Trabalhador Espírita, vamos Trabalhar?
Trabalhador Espírita, vamos Trabalhar?
 
Aula de humanização plt
Aula de humanização pltAula de humanização plt
Aula de humanização plt
 
O compromisso com a tarefa
O compromisso com a tarefaO compromisso com a tarefa
O compromisso com a tarefa
 
Humanizar o atendimento na saúde
Humanizar o atendimento na saúdeHumanizar o atendimento na saúde
Humanizar o atendimento na saúde
 
Humanização na Saúde
Humanização na SaúdeHumanização na Saúde
Humanização na Saúde
 

Semelhante a Humanizar , Espiritiza Qualificar

A importância do centro espírita na nossa atual existência
A importância do centro espírita na nossa atual existênciaA importância do centro espírita na nossa atual existência
A importância do centro espírita na nossa atual existência
Atendimento_CEACE
 
Dimensao espiritual do centro esprita
Dimensao  espiritual do centro espritaDimensao  espiritual do centro esprita
Dimensao espiritual do centro esprita
Claudio Macedo
 
Sugestão Material Encontro Bloco Leste
Sugestão Material Encontro Bloco LesteSugestão Material Encontro Bloco Leste
Sugestão Material Encontro Bloco Leste
Norberto Tomasini Jr
 
O Papel da Casa Espírita
O Papel da Casa EspíritaO Papel da Casa Espírita
O Papel da Casa Espírita
Ricardo Azevedo
 
O centro espírita na era de regeneração
O centro espírita na era de regeneraçãoO centro espírita na era de regeneração
O centro espírita na era de regeneração
umecamaqua
 
O centro espírita
O centro espíritaO centro espírita
O centro espírita
Eduardo Manoel Araujo
 
Convivência
ConvivênciaConvivência
A Ação Educativa da Casa Espírita
A Ação Educativa da Casa EspíritaA Ação Educativa da Casa Espírita
A Ação Educativa da Casa Espírita
igmateus
 
Eae 108 O Cristão no meio religioso e no meio profano
Eae 108 O Cristão no meio religioso e no meio profanoEae 108 O Cristão no meio religioso e no meio profano
Eae 108 O Cristão no meio religioso e no meio profano
PatiSousa1
 
Abrangencia Evangelizacao
Abrangencia EvangelizacaoAbrangencia Evangelizacao
Abrangencia Evangelizacao
josyespirita
 
( Espiritismo) # - amag ramgis - diferenca entre mediuns espirita e de umbanda
( Espiritismo)   # - amag ramgis - diferenca entre mediuns espirita e de umbanda( Espiritismo)   # - amag ramgis - diferenca entre mediuns espirita e de umbanda
( Espiritismo) # - amag ramgis - diferenca entre mediuns espirita e de umbanda
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
Ere capa
Ere capaEre capa
# Amag ramgis - medium espirita e medium de umbanda - [ espiritismo]
#   Amag ramgis - medium espirita e medium de umbanda - [ espiritismo]#   Amag ramgis - medium espirita e medium de umbanda - [ espiritismo]
# Amag ramgis - medium espirita e medium de umbanda - [ espiritismo]
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
A diferença entre médium espírita e de umbanda
A diferença entre médium espírita e de umbandaA diferença entre médium espírita e de umbanda
A diferença entre médium espírita e de umbanda
Milton De Souza Oliveira
 
Edição n. 41 do CH Noticias - Novembro/2018
Edição n. 41 do CH Noticias - Novembro/2018Edição n. 41 do CH Noticias - Novembro/2018
Edição n. 41 do CH Noticias - Novembro/2018
CH Notícias - Casa dos Humildes - Recife
 
Uma razao para viver (richard simonetti)
Uma razao para viver (richard simonetti)Uma razao para viver (richard simonetti)
Uma razao para viver (richard simonetti)
Helio Cruz
 
Um pouco sobre o espiritismo
Um pouco sobre o espiritismoUm pouco sobre o espiritismo
Um pouco sobre o espiritismo
Helio Cruz
 
Espiritismo
EspiritismoEspiritismo
Espiritismo
infoAndreia
 
YESHUA - M2A6 - A Jornada Iniciática de Jesus.pdf
YESHUA - M2A6 - A Jornada Iniciática de Jesus.pdfYESHUA - M2A6 - A Jornada Iniciática de Jesus.pdf
YESHUA - M2A6 - A Jornada Iniciática de Jesus.pdf
GarantiaCorujonda
 
Terapia espírita louis neilmoris
Terapia espírita louis neilmorisTerapia espírita louis neilmoris
Terapia espírita louis neilmoris
siaromjo
 

Semelhante a Humanizar , Espiritiza Qualificar (20)

A importância do centro espírita na nossa atual existência
A importância do centro espírita na nossa atual existênciaA importância do centro espírita na nossa atual existência
A importância do centro espírita na nossa atual existência
 
Dimensao espiritual do centro esprita
Dimensao  espiritual do centro espritaDimensao  espiritual do centro esprita
Dimensao espiritual do centro esprita
 
Sugestão Material Encontro Bloco Leste
Sugestão Material Encontro Bloco LesteSugestão Material Encontro Bloco Leste
Sugestão Material Encontro Bloco Leste
 
O Papel da Casa Espírita
O Papel da Casa EspíritaO Papel da Casa Espírita
O Papel da Casa Espírita
 
O centro espírita na era de regeneração
O centro espírita na era de regeneraçãoO centro espírita na era de regeneração
O centro espírita na era de regeneração
 
O centro espírita
O centro espíritaO centro espírita
O centro espírita
 
Convivência
ConvivênciaConvivência
Convivência
 
A Ação Educativa da Casa Espírita
A Ação Educativa da Casa EspíritaA Ação Educativa da Casa Espírita
A Ação Educativa da Casa Espírita
 
Eae 108 O Cristão no meio religioso e no meio profano
Eae 108 O Cristão no meio religioso e no meio profanoEae 108 O Cristão no meio religioso e no meio profano
Eae 108 O Cristão no meio religioso e no meio profano
 
Abrangencia Evangelizacao
Abrangencia EvangelizacaoAbrangencia Evangelizacao
Abrangencia Evangelizacao
 
( Espiritismo) # - amag ramgis - diferenca entre mediuns espirita e de umbanda
( Espiritismo)   # - amag ramgis - diferenca entre mediuns espirita e de umbanda( Espiritismo)   # - amag ramgis - diferenca entre mediuns espirita e de umbanda
( Espiritismo) # - amag ramgis - diferenca entre mediuns espirita e de umbanda
 
Ere capa
Ere capaEre capa
Ere capa
 
# Amag ramgis - medium espirita e medium de umbanda - [ espiritismo]
#   Amag ramgis - medium espirita e medium de umbanda - [ espiritismo]#   Amag ramgis - medium espirita e medium de umbanda - [ espiritismo]
# Amag ramgis - medium espirita e medium de umbanda - [ espiritismo]
 
A diferença entre médium espírita e de umbanda
A diferença entre médium espírita e de umbandaA diferença entre médium espírita e de umbanda
A diferença entre médium espírita e de umbanda
 
Edição n. 41 do CH Noticias - Novembro/2018
Edição n. 41 do CH Noticias - Novembro/2018Edição n. 41 do CH Noticias - Novembro/2018
Edição n. 41 do CH Noticias - Novembro/2018
 
Uma razao para viver (richard simonetti)
Uma razao para viver (richard simonetti)Uma razao para viver (richard simonetti)
Uma razao para viver (richard simonetti)
 
Um pouco sobre o espiritismo
Um pouco sobre o espiritismoUm pouco sobre o espiritismo
Um pouco sobre o espiritismo
 
Espiritismo
EspiritismoEspiritismo
Espiritismo
 
YESHUA - M2A6 - A Jornada Iniciática de Jesus.pdf
YESHUA - M2A6 - A Jornada Iniciática de Jesus.pdfYESHUA - M2A6 - A Jornada Iniciática de Jesus.pdf
YESHUA - M2A6 - A Jornada Iniciática de Jesus.pdf
 
Terapia espírita louis neilmoris
Terapia espírita louis neilmorisTerapia espírita louis neilmoris
Terapia espírita louis neilmoris
 

Último

Lição 11 - Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
Lição 11 -  Avivamento e a Missão da Igreja.pptxLição 11 -  Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
Lição 11 - Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
LaerciodeSouzaSilva1
 
Especialidade Arqueologia Bíblica.pptx
Especialidade  Arqueologia  Bíblica.pptxEspecialidade  Arqueologia  Bíblica.pptx
Especialidade Arqueologia Bíblica.pptx
AlexandreJr7
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
AlexandreCarvalho858758
 
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
PIB Penha
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
grabovoi apostila.pdf FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
grabovoi apostila.pdf  FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃOgrabovoi apostila.pdf  FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
grabovoi apostila.pdf FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
luartfelt
 
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
PIB Penha
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
PIB Penha
 
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.pptPALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
FranciscoAudisio2
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
SanturioTacararu
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Ricardo Azevedo
 
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
PIB Penha
 
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdfauxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
EzeirAlvesdaSilva
 
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
EdimarEdigesso
 
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
PIB Penha
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
Marta Gomes
 
7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA
7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA
7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA
OBrasilParaCristoRad
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.pptAngelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
mfixa3824
 

Último (20)

Lição 11 - Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
Lição 11 -  Avivamento e a Missão da Igreja.pptxLição 11 -  Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
Lição 11 - Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
 
Especialidade Arqueologia Bíblica.pptx
Especialidade  Arqueologia  Bíblica.pptxEspecialidade  Arqueologia  Bíblica.pptx
Especialidade Arqueologia Bíblica.pptx
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
 
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
grabovoi apostila.pdf FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
grabovoi apostila.pdf  FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃOgrabovoi apostila.pdf  FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
grabovoi apostila.pdf FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
 
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
 
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.pptPALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
 
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
 
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdfauxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
 
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
 
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
 
7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA
7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA
7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.pptAngelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
 

Humanizar , Espiritiza Qualificar

  • 1. Espiritizar, Qualificar, Humanizar Fonte: http://www.deolindoamorim.org.br/artigos/ESPIRITIZAR_QUALIFICAR_HUMANIZAR_%20Joanna.pdf Responsável: Cristiane S S Souza – Tia Cris Maio/2015
  • 2.  Palestra proferida na Casa de Oração Bezerra de Menezes, em 8 de maio de 1998, expôs a proposta de Joanna de Ângelis de Novos Rumos para o Centro Espírita, baseada em uma triologia: Espiritizar, Qualificar e Humanizar.
  • 3.  O médium iniciou lembrando que Kardec estabeleceu como normativa de dignificação do Movimento Espírita : trabalho, solidariedade e tolerância, embasado nos ensinamentos de Pestalozzi, grande educador.  Através do TRABALHO o indivíduo administra o conhecimento, liberta-se, esclarece-se;  Da SOLIDARIEDADE conduz à união, tornando o ser parte integrante e equilibrado de um todo;  Da TOLERÂNCIA permite a convivência e a compreensão dos limites de cada um, inclusive os próprios.
  • 4.  A Casa Espírita é um local de trabalho (para todos), de solidariedade (entre todos) e de tolerância (para com todos).  É também uma escola e uma oficina e, ao mesmo tempo, um hospital de almas, onde consolo, esclarecimento, trabalho e amor são as terapias oferecidas.  Assim, o Centro Espírita não é a parede, o chão, o teto; é, realmente, a união das pessoas que ali estão, frequentadores e trabalhadores, encarnados e desencarnados.
  • 5.  É a guia espiritual do Médium Espírita Brasileiro – Divaldo Franco.  Santa Clara de Assis (1194-1253) que viveu no século XIII, seguidora de São Francisco de Assis e fundadora da Ordem das Clarissas.  Juana Inés de La Cruz (1651-1695) (pseudônimo religioso da poetisa mexicana Juana de Asbaje, que viveu durante o século XVII).  Joanna Angélica de Jesus (1761-1822), também sóror e depois abadessa que viveu no início do século XIX e protagonizou doloroso d
  • 7.  Orientando sobre responsabilidade e crescimento espiritual dos Centros Espíritas, sugeriu um triângulo equilátero.  No vértice superior colocou o verbo Espiritizar, através do estudo, da reflexão, do conhecimento, visando a lapidação das arestas morais; porque ser espírita "é empenhar-se para ser hoje melhor do que ontem e amanhã melhor do que hoje".
  • 8.  Sentido de resgate, de atrair as pessoas que apenas frequentam o Centro para que se tornem praticantes, adotando o Espiritismo e não querendo ser adotados por ele, permitindo que o Espiritismo entre neles e não apenas eles entrem no Espiritismo.  É viver a Doutrina como ela é, na sua essência, sem adulterações, modismos, sem adaptações e sem outras correntes de ideias, por mais respeitáveis que possam ser.
  • 9.  A segunda etapa do triângulo é a Qualificação.  Qualificar significa adquirir a consciência da responsabilidade e do conhecimento necessários à tarefa do bem; é saber o que fazer e como realizar; não significa ser exageradamente instruído ou técnico, mas ser, ao menos, preparado para a tarefa.  Como nos diz Divaldo: "... buscar a qualificação espírita é tentar saber realmente o que é o Espiritismo... procurar melhorar as qualidades morais, sociais, familiares, funcionais e as de trabalhador da Casa Espírita...“
  • 10.  O vértice da direita é a humanização.  O sentimento de humanidade, que é a caridade na sua mais pura expressão.  Humanizar é o oferecer-se, o despersonalizar-se, libertando-se do ego dominador para se dedicar ao próximo, colocando-se no lugar dele, para ajudar com alegria e amor.  É a percepção de que tudo o que se faz visa o ser humano, espírito imortal, rumo à perfeição.
  • 11.  "O Espiritismo é a nossa escola, a nossa oficina, é nosso santuário e também nosso lar." O lar onde erramos, acertamos, aprendemos; o lar que nos mostra que é possível viver em sociedade, fraternalmente, com tolerância e humanização, evoluindo sempre.
  • 12. Divaldo encerrou sua palestra deixando-nos um desafio: ... "com esses requisitos eu devo ser bom, nobre, justo, paciente, gentil, e se eu tiver algumas dessas qualidades, já terei o suficiente para ser um homem de bem, embora outras tantas ainda me faltem, mas que eu procurarei conquistar através dos tempos futuros." Baseado no livro Novos Rumos para o Centro Espírita Palestra de Divaldo Pereira Franco Divulgação: 3 de dezembro de 2012