Geografia 2ano 4bim1

981 visualizações

Publicada em

Slides do 2º ano - Colégio Bimbatti (4ºBimestre)

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
981
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
29
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Geografia 2ano 4bim1

  1. 1. A INDÚSTRIA NO MUNDO ATUAL 2º TITÂNIO (4º BIMESTRE)
  2. 2.  O espaço geográfico é em grande parte resultado das Revoluções Industriais;  Promoveram: - Grandes transformações urbanas; - Desenvolvimento dos meios de transporte e comunicação; - Aumento da produção agrícola; - Nova organização social (modo de vida, consumo, profissões, classes)
  3. 3.  Processo de produção que ocorre nas fábricas, com o uso do trabalho humano e máquinas, que transforma e combina matérias-primas para produzir mercadorias;
  4. 4.  Extrativa: extração de recursos naturais;  Transformação: produção de bens a partir da transformação de matérias-primas). Subdivide-se: • Bens de produção: produzem matéria-prima (metalúrgica, siderúrgica, cimento, petroquímica) • Bens de capital: produzem peças, máquinas e equipamentos; • Bens de consumo: mercadorias diretas. Pode ser: -Bens de consumo duráveis: automóveis, eletrodomésticos...; -Bens de consumo não duráveis: alimentos, bebidas, roupas...  As indústrias de bens de produção e de bens de capital formam a chamada indústria de base;  Também podemos classificar de acordo com o setor de atuação: construção civil, construção naval, aeronáutica, bélica (armamentos);
  5. 5.  Iniciada na Inglaterra no meio do século XVIII;  Concentração da produção em um mesmo local: as fábricas;  Consolidou o trabalho assalariado;  Ampliou a divisão do trabalho dentro da fábrica e na sociedade;  Estabeleceu a DIT entre países industriais e fornecedores de produtos agrícolas e minerais;  Propiciou o avanço do capitalismo e a distinção entre o campo e a cidade;  Promoveu a revolução agrícola, modificação no sistema de propriedade e organização no campo, que expulsou vários camponeses que vieram a servir de mão de obra barata para as indústrias;  Intensificação do intercambio comercial;  Origem do liberalismo econômico (Estado não interfere na economia, livre concorrência);
  6. 6.  Durante a Primeira Revolução Industrial as indústrias eram instaladas próximas as minas de carvão, já na Segunda, com a advento do petróleo e eletricidade, já se espalharam pelos territórios;  Caracterizada por muitas invenções, com destaque para o motor a combustão;  Expansão das ferrovias pelo mundo;  Surgimento de grandes siderúrgicas, indústrias químicas e automobilísticas;  A Inglaterra mantinha equipamentos e máquinas tradicionais ao passo que outras regiões (EUA e Japão) incorporavam tecnologias em consonância com as novas infraestruturas de transporte e energia;
  7. 7.  Inicio após a Segunda Guerra, mas se intensificou nas três últimas décadas;  Características principais: •Avanço nos sistemas de telecomunicações; •Desenvolvimento e utilização da informática e integração com as telecomunicações (telemática); •Desenvolvimento da microeletrônica e da robótica;  Desenvolvimento científico e tecnológico é convertido em novos produtos;  Grandes empresas possuem seus próprios centros de pesquisa (C&T) e o Estado também investe, por meio de universidades e centros de C&T, visando ao desenvolvimento econômico;
  8. 8.  A velocidade nas inovações é cada vez mais rápida, chegando bens de consumo duráveis (como PCs) serem cada vez mais descartáveis, já que se tornam obsoletos rapidamente;  Causa um aumento nas atividades ligadas aos serviços e comércio;  O número de indústrias não é mais um indicador, já que países desenvolvidos se dedicam a administração e desenvolvimento de novos produtos;  Ao passo que gera mais riqueza e amplia os lucros também é responsável pelo desemprego, já que há a redução da mão de obra (máquinas substituindo o trabalhador – desemprego estrutural);  aumento do abismo entre os países desenvolvidos e os subdesenvolvidos
  9. 9.  Fabrica reúne os trabalhadores antes dispersos;  Máquinas tornam-se elementos fundamentais;  Trabalhadores têm salários previamente estipulados;  Surge na II Revolução Industrial o Taylorismo e o Fordismo, além do Toyotismo na III Revolução Industrial.
  10. 10.  Criado pelo engenheiro estadunidense Taylor;  Conjunto de tarefas independentes sem exigência de conhecimentos técnicos por parte dos trabalhadores;  Somente o gerente deve conhecer todo o processo de produção;  Divisão Técnica do Trabalho – divisão entre o trabalho intelectual e o braçal;
  11. 11.  Criado por Henry Ford no processo de produção dos automóveis;  Criou a linha de montagem associado ao taylorismo;  Agora é a mercadoria que desloca-se pela fábrica e o trabalhador, especializado numa tarefa (repetitiva), cumpre-a num determinado tempo para prosseguimento da mercadoria na linha de produção;  Utilizava-se imensos espaços geográficos para alocar o “chão de fábrica” e os inúmeros e grandiosos depósitos;
  12. 12.  Criado no Japão, país com pequeno território;  Incorporado pelas demais indústrias na 3º Revolução Industrial;  Combinação entre a entrada de matérias primas, produção e entrega aos compradores;  Entrada de matéria prima corresponde exatamente ao que será produzido de acordo com o pedido e dentro de um prazo (tempo);  Trabalho repetitivo do fordismo foi substituído por um sistema flexível, onde o trabalho pode ser deslocado para realizar diferentes funções;  Microeletrônica, robótica e informática visibilizam a flexibilização industrial;  Intensificou o fluxo de mercadorias e informações ;  Ampliou a rede de empresas, agrupamento de fornecedores, e aumento de terceirização.
  13. 13.  Indústria tradicionais próximas: a rios, litoral, jazidas de matérias-primas ou mercado consumidor;  Após a II Guerra Mundial houve a desconcentração industrial – multinacionais;  Parte administrativa, pesquisa e desenvolvimento, marketing, continuam nos grandes centros, mas o chão de fábrica espalhou-se pelo espaço geográfico;  Formação de clusters: áreas agrupadas de empresas do mesmo ramo; diminui os custos, eleva a inovação e são beneficiadas pela infraestrutura;  Tecnopolos: regiões de alta tecnologia, próximas a universidades, institutos de pesquisas e apoio governamental;
  14. 14. EUA  Manufaturing Belt (Cinturão Fabril) localizado próximo aos Grandes Lagos (nordeste): Pittsburg (ferro), Massachusetts (tecnologia de ponta) e Detroit (automobilística). Com a 3º Revolução Industrial houve a desconcentração industrial e transformou-se em Rust Belt (Cinturão da ferrugem), tornando a região forte no setor terciário;  Sun Belt (Cinturão do Sol) localizado na costa oeste até o litoral Atlântico. Predomina empresas de alta tecnologia (Vale do Silício, por exemplo) e petróleo (Texas e Califórnia). Sede da NASA e Grandes universidades (Stanford, Califórnia)
  15. 15. UNIÃO EUROPEIA  Misto de áreas industriais tradicionais e novas áreas, localizadas próximas a centros de pesquisa, universidades, etc;  Indústrias tradicionais: Manchester, vale do rios Reno e Ruhr (Alemanha), Lyon, Milan, Turim, Madri, Barcelona, etc  Novos parques: Cambridge, Edimburgo, Nice, Baviera, Stuttgart, Bari, Varsóvia e Praga.
  16. 16. JAPÃO  Grande exportação industrial e importação de matérias primas;  Início na Era Meiji, surgimento de empresas familiares;  Recebeu apoio estadunidense (Plano Colombo) após a II Guerra Mundial;  Pioneiro no Just in Time e na robotização;  Grande investimento governamental em educação, ciência e tecnologia;
  17. 17. AMÉRICA LATINA  Brasil, México e Argentina a industrialização baseou-se na substituição de importações;  Atração de multinacionais oferecendo mão de obra barata, investimento em infraestrutura e incentivos fiscais;  No México, com o NAFTA, houve o domínio das maquiladoras, indústrias que montam os produtos;  Na década de 1990, houve privatização em massa, seguindo o Consenso de Whashington;
  18. 18. TIGRES ASIÁTICOS  Cingapura, Hong Kong, Coreia do Sul e Taiwan;  Na década de 1960 tiveram um crescimento industrial muito acelerado orientada para a exportação e com forte investimento japonês;  Aliança entre empresas privadas e governo;  Forte repressão sindical por parte do governo;  A Coreia do Sul seguiu o modelo japonês, com grandes empresas multinacionais: Hyunday, Samsung, Daewoo e Lucky Gold Star;  Na década de 1990, priorizaram as indústrias de alta tecnologia;
  19. 19. NOVOS TIGRES ASIÁTICOS  Indonésia, Vietnã, Malásia, Tailândia e Filipinas;  Instalação de indústrias tradicionais e de tecnologia com apoio estadunidense, do Japão e dos primeiros tigres asiáticos;
  20. 20. CHINA  País socialista que transformou e dinamizou a economia;  Criou quatro ZEEs (Zonas Econômicas Especiais) e quatorze ZCAs (Zonas de Comércio Aberto);  ZEEs= Economia nos moldes capitalista;  ZCAs= Regiões abertas a multinacionais e tem que se associar ao governo ou empresas chinesas (Joint ventures);  Mão de obra barata, baixos impostos, além do grande mercado consumidor;  Indústrias tradicionais até indústrias modernas;  Hong Kong e Macau, devolvidos à China são Regiões Administrativas Especiais (RAEs) com certa autonomia;
  21. 21. ÁFRICA  Continente com o menor nível de industrialização;  Grande reservas minerais e indústrias ligadas a esse setor;  A China é o país que mais investe na África, em especial no setor de petróleo;  O Brasil também estreitou relações com a África; 
  22. 22. (Fuvest) Identifique, entre as afirmativas a seguir, a que se refere a consequências da Revolução Industrial: a) redução do processo de urbanização, aumento da população dos campos e sensível êxodo urbano. b) maior divisão técnica do trabalho, utilização constante de máquinas e afirmação do capitalismo como modo de produção dominante. c) declínio do proletariado como classe na nova estrutura social, valorização das corporações e manufaturas. d) formação, nos grandes centros de produção, das associações de operários denominadas "trade unions", que promoveram a conciliação entre patrões e empregados. e) manutenção da estrutura das grandes propriedades, com as terras comunais, e da garantia plena dos direitos dos arrendatários agrícolas.
  23. 23. (Fuvest) Identifique, entre as afirmativas a seguir, a que se refere a consequências da Revolução Industrial: a) redução do processo de urbanização, aumento da população dos campos e sensível êxodo urbano. b) maior divisão técnica do trabalho, utilização constante de máquinas e afirmação do capitalismo como modo de produção dominante. c) declínio do proletariado como classe na nova estrutura social, valorização das corporações e manufaturas. d) formação, nos grandes centros de produção, das associações de operários denominadas "trade unions", que promoveram a conciliação entre patrões e empregados. e) manutenção da estrutura das grandes propriedades, com as terras comunais, e da garantia plena dos direitos dos arrendatários agrícolas.
  24. 24. (UFRN) A Terceira Revolução Industrial, que se iniciou desde a década de 1970, vem impulsionando alterações no que se refere à espacialização de áreas fabris. No atual ciclo de inovações, configuram-se novas regiões industriais que primam pela localização nas proximidades de a) grandes aglomerações de força de trabalho. b) áreas com recursos naturais abundantes. c) amplos mercados consumidores. d) universidades e institutos de pesquisa.
  25. 25. (UFRN) A Terceira Revolução Industrial, que se iniciou desde a década de 1970, vem impulsionando alterações no que se refere à espacialização de áreas fabris. No atual ciclo de inovações, configuram-se novas regiões industriais que primam pela localização nas proximidades de a) grandes aglomerações de força de trabalho. b) áreas com recursos naturais abundantes. c) amplos mercados consumidores. d) universidades e institutos de pesquisa.
  26. 26. (UEL) No início do século XX, o desenvolvimento industrial das cidades criou as condições necessárias para aquilo que Thomas Gounet denominou “civilização do automóvel”. Nesse contexto, um nome se destacou, o de Henri Ford, cujas indústrias aglutinavam contingentes de trabalhadores maiores que o de pequenas cidades com menos de 10.000 habitantes. O nome de Ford ficou marcado pela forma de organização de trabalho que propôs para a indústria. Com base nos conhecimentos sobre a organização do trabalho nos princípios propostos por Ford, assinale a alternativa correta. a) A organização dos sindicatos de trabalhadores dentro da fábrica transformou-os em colaboradores da empresa. b) A implantação da produção flexível de automóveis garantiu uma variedade de modelos para o consumidor. c) A produção em massa foi substituída pela de pequenos lotes de mercadorias, a fim de evitar estoques de produtos. d) O método de Ford potencializou o parcelamento de tarefas, largamente utilizado por Taylor. e) Para obter ganhos elevados, a organização fordista implicava uma drástica redução dos salários dos trabalhadores.
  27. 27. (UEL) No início do século XX, o desenvolvimento industrial das cidades criou as condições necessárias para aquilo que Thomas Gounet denominou “civilização do automóvel”. Nesse contexto, um nome se destacou, o de Henri Ford, cujas indústrias aglutinavam contingentes de trabalhadores maiores que o de pequenas cidades com menos de 10.000 habitantes. O nome de Ford ficou marcado pela forma de organização de trabalho que propôs para a indústria. Com base nos conhecimentos sobre a organização do trabalho nos princípios propostos por Ford, assinale a alternativa correta. a) A organização dos sindicatos de trabalhadores dentro da fábrica transformou-os em colaboradores da empresa. b) A implantação da produção flexível de automóveis garantiu uma variedade de modelos para o consumidor. c) A produção em massa foi substituída pela de pequenos lotes de mercadorias, a fim de evitar estoques de produtos. d) O método de Ford potencializou o parcelamento de tarefas, largamente utilizado por Taylor. e) Para obter ganhos elevados, a organização fordista implicava uma drástica redução dos salários dos trabalhadores.

×