SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 32
2º Ano do E.M.
Colégio Bimbatti
Profº Junior
 Grandes navegações:
• Metrópoles = países desenvolvidos,
• Colônias de povoamento= países desenvolvidos,
• Colônias de exploração= países subdesenvolvidos;
 Divisão Internacional do Trabalho:
• Países Periféricos = exportam matérias primas e
importam produtos industrializados;
 A expansão das técnicas e dos modos de produção
capitalista (Revolução Industrial);
 As alterações políticas responsáveis pelo surgimento
dos Estados-nações;
 Os enormes avanços no sistema de transportes e nos
meios de comunicação
 Países desenvolvidos: melhores condições financeiras,
distribuição de renda mais justa e melhor qualidade de
vida;
 Países subdesenvolvidos:
 Industrializados (em desenvolvimento ou emergentes):
condições financeiras boas, distribuição de renda
desigual e qualidade de vida mediana/ruim;
 Não Industrializados (ou simplesmente
subdesenvolvidos): vivem da agricultura e extração,
grande dependência econômica e péssima qualidade de
vida.
 Países Centrais do Capitalismo: países
desenvolvidos;
 Países semiperiféricos (da semiperiferia): Países
Subdesenvolvidos Industrializados (em
desenvolvimento ou emergentes);
 Países periféricos: Países Subdesenvolvidos Não
Industrializados (ou simplesmente
subdesenvolvidos).
 Países do Norte: Países Desenvolvidos;
 Países do Sul: Países Subdesenvolvidos;
 Acreditava-se que a industrialização diminuiria
a diferença entre periferia e centro (Teoria da
dependência);
 Alguns países conseguiram avanços (Brasil)
porém com dependência às multinacionais e
com endividamento do Estado(governo),
Esse crescimento econômico foi concentrador e
excludente, aumentando as desigualdades sociais
dentro do país, não gerando benefícios sociais e
culturais;
o Graves problemas sociais;
o Desigualdades entre os grupos;
o Dependência tecnológica e financeira;
o Ineficiência dos meios de transportes;
o Sistemas de comunicação precários;
o Falhas na transmissão de energia;
o Integração nacional escassa;
o Produção predominantes ligadas a produtos
primários;
A globalização acentuou as diferenças entre os países
desenvolvidos e os subdesenvolvidos.
 Reforma fiscal, empresas passaram a pagar menos
impostos (em especial as transnacionais);
 Abertura comercial, liberação das importações e
exportações, além da facilidade de entrada e saída
de capitais;
 Privatizações, venda de empresas públicas;
 Corte de salários e demissão de funcionários
públicos, reforma na previdência e diminuição dos
gastos públicos (dívida pública);
Não obteve-se conquistas sociais e as desigualdades se
acentuaram
 Redução dos impostos de importação;
 Indústrias nacionais faliram ou foram vendidas a
multinacionais;
 Balança comercial em déficit (anos 1990);
 Incentivos fiscais e privatizações de estatais;
 Multinacionais exigem qualificação e postos de
trabalho foram fechados (mecanização), aumento da
terceirização;
 Além de privatizações, o Brasil criou a concessão
nos meios de transporte e fim do monopólio da
Petrobras;
 Alegou-se que as estatais davam prejuízo, mas as
que foram vendidas davam lucros (CVRD, CSN);
 Criticou-se: setores estratégicos, dinheiro do
BNDES, saneamento das empresas antes da venda;
 Privatização ocorreu com capital estrangeiro;
 Lucro das privatizações : diminuir a dívida pública
(porém juros altos a fez crescer novamente)
 Introdução do Real e estabilidade inflacionária (1994);
 Brasil participa com 1% do comercio mundial;
 Exportações baseadas em commodities (matérias
primas) e produtos de baixo valor agregado;
 Importações: alto valor, produtos tecnológicos;
 Devido aos subsídios (protecionismo), empresas
brasileiras abrem filiais em outros países
(transnacionais brasileira – JBS, Gerdau, Petrobras);
 Mesmo assim a balança comercial apresenta boa
relatividade entre importações e exportações.
 Soma de todas as transações efetuadas com o
restante do mundo (comércio de bens, de serviços,
royalties, juros da dívida externa,...)
 A dívida externa estrangula o balanço de
pagamentos;
 Acordos com o FMI comprometeu o país a gerar um
superávit primário o que não ocorreu com êxito,
acarretando em déficit nominal;
 No início de 2008, as reservas internacionais
superaram a dívida externa, mas já no final desse
mesmo ano já era superior.
(UCS) O governo Collor (1990-1992) inaugurou uma fase na história política
brasileira denominada “neoliberalismo”. Considere as seguintes afirmativas
sobre o significado desse termo.
Trata-se da reedição do liberalismo clássico, com uma nova roupagem:
defesa do Estado mínimo, que leva às privatizações, e da flexibilização das
leis trabalhistas.
II. É uma vertente do antigo desenvolvimentismo, que imperou no Brasil nos
anos 50, defendendo a manutenção das empresas estatais e abrindo o
mercado nacional à penetração do capital estrangeiro.
III. Seus seguidores defendem que as conquistas trabalhistas sejam
intocáveis; em função disso, há uma forte tendência de o movimento sindical
apoiar as medidas neoliberais.
Das afirmativas acima, pode-se dizer que
a) apenas I está correta.
b) apenas II está correta.
c) apenas I e II estão corretas.
d) apenas II e III estão corretas.
e) I, II e III estão corretas.
 Liberalismo – estado não interfere na economia
(Adam Smith);
Opositores: Karl Marx e Keynes
 Neoliberalismo – (filho do liberalismo) estado
tem atuação mínima nos campos sociais e na
economia, reforma administrativa do Estado,
abertura ao capital estrangeiro e privatizações.
(UEMG) BRASIL: POTÊNCIA OU COLÔNIA?
Não há dúvidas de que, em alguns aspectos, a economia brasileira vai bem, com seu crescimento
puxado pelo forte consumo do mercado interno. Também é preciso reconhecer que nos últimos anos o
país obteve resultados expressivos no que diz respeito às políticas sociais, tendo tirado mais de 20
milhões de brasileiros do estado de miséria e elevado mais de 30 milhões à classe média. Por outro
lado, alguns indicadores ainda nos envergonham e mostram que estamos muito distantes do mínimo
necessário para nos considerarmos uma nação em desenvolvimento. Como exemplo, podemos citar
um quesito fundamental à saúde, que é o saneamento ambiental, cujos indicadores são alarmantes (...).
Na educação, ciência e tecnologia a situação não é diferente(...). No que se refere à Política Industrial, a
situação também é extremamente preocupante, pois o atual modelo econômico nos empurra para uma
primarização da economia. O fato é que o Brasil está priorizando a exportação de commodities em
detrimento das exportações de bens de maior valor agregado(...). NETO, Luiz Aubert. Revista Mercado
Comum. Ano XVIII – Ed. 218. p. 112, 113.Texto adaptado.
Em relação ao texto acima e seu título, são apresentadas as seguintes afirmativas:
I. O Brasil mostra características de potência, devido ao valor agregado dos seus produtos
industrializados.
II. Alguns indicadores de extrema relevância, como saúde, educação, política industrial ainda incluem
o país na classificação do subdesenvolvimento.
III. A exportação de commodities, em detrimento das exportações de bens de maior valor, coloca o
Brasil na categoria de potência.
IV. Os fatores de expressivos resultados nas políticas sociais e o crescimento da economia através do
fortalecimento do mercado interno têm levado a crer que o Brasil está na categoria de potência.
Está CORRETO apenas o que se afirma em
a) II e IV
b) II e III
c) I e IV
d) I e II
(UNEAL) A primeira eleição de Ronald Reagan para a
presidência dos Estados Unidos (1980) coincidiu com o início do
governo de Margaret Thatcher, líder do Partido Conservador, na
Inglaterra. Orientados por uma mesma concepção de governo,
dariam dimensão internacional ao neoliberalismo (...)
Alceu L. Pazzinato e Maria Helena V. Senise, História Moderna e Contemporânea
A doutrina econômica a que o texto se refere defende
a) o Estado de Bem Estar Social nas nações
subdesenvolvidas.
b) a prática da estatização dos recursos naturais.
c) a intervenção mínima do Estado da economia.
d) o desestímulo à livre circulação de capitais
internacionais.
e) a criação de rígida legislação de proteção ao trabalho.
(UFBA) A contextualização do momento histórico compreendido nas
últimas quatro décadas do século XX explica a divulgação de duas
teorias político-econômicas — o neoliberalismo e a globalização
capitalista —, que passaram a exercer grande influência nas relações
internas e externas do mundo atual.
Apresente o conceito de neoliberalismo e indique uma prática
resultante da sua aplicação.
Teoria política e econômica que se fundamenta na crença do poder de
livre regulamentação do mercado; assim sendo, o mercado deve
funcionar sem nenhuma restrição, e a liberdade econômica deve ser
absoluta.
Inglaterra – Margareth Tatcher (1979-1990) – Cortou os gastos sociais,
aumentou o desemprego, derrotou sindicatos, privatizou empresas
estatais e baixou os impostos dos ricos.
Estados Unidos – Ronald Reagan (1980-1988) – pôs em prática a
política de valorização do dólar.
Brasil – Fernando Collor de Melo e Fernando Henrique Cardoso –
abriram o mercado à livre concorrência e puseram em prática as
privatizações.
 Não é protagonista, mas se destaca sendo emergente;
 DIT baseada em commodities e produtos de médio
valor agregado;
 Ficamos atrás de alguns emergentes (China, Índia);
 Coreia do Sul- investimento em ciência e tecnologia,
exportador de tecnologia( Samsung, LG, Hyundai);
 Fazemos parte do BRIC, porém:
 Rússia- bom nível educacional, tecnologia de ponta
militar e aeroespacial, exceto nos bens de consumo;
 China e Índia- investimento em tecnologia, alta
produtividade, estimulo a internacionalização de
suas empresas e exportação;
 Brasil- agora que vem estimulando a
internacionalização através do BNDES, só falta
ampliar o investimento em tecnologia (educação);
 Vantagens do Brasil: terras agricultáveis,
disponibilidade de água, potencial energético,
urbanização consolidada e ausência de conflitos
internos;
 Tentamos estreitar relações com países africanos, do
Oriente Médio;
 Na América Latina exerce um poder de liderança;
 Rússia, Índia e China são potências nucleares e o
Brasil possui reservas de urânio;
 Consolidou a democracia (últimos 25 anos);
 Graves problemas de corrupção;
 Elevada carga tributária (impostos), gerando
benefícios sociais (bolsa família) mas onerando os
preços dos produtos;
 Impostos indiretos: pagos por todos, recaindo no
mais pobre, que proporcionalmente paga mais
impostos (33% enquanto o rico 23% do orçamento);
 Elevada carga tributária não reflete em melhorias
para a população (qualidade na saúde, educação...).
 Carência de infraestrutura:
- Energia – não atende a crescente demanda,
- Transportes – predomínio do rodoviário (faltam
ferrovias e hidrovias) e falta construir terminais
intermodais;
- Portos precários, no limite de capacidade;
- Comunicação – falta uma rede eficiente.
 Conforme já indicado no tema do trabalho, podemos
regionalizar (dividir) o Brasil em três formas
distintas:
- Macrorregiões do IBGE;
- Complexos regionais;
- Divisão regional segundo Milton Santos.
 Cinco grandes regiões (obedecendo a divisão dos estados) sendo:
- Norte – maior região, presença floresta Amazônica, clima
equatorial, população de origem indígena e nordestina, grande
extração de minérios e extrativismo apresentando também a Zona
Franca de Manaus (polo industrial);
- Nordeste – início da colonização portuguesa, ciclo da cana gerou
riqueza mas depois entra em “decadência”, Cidades litorâneas
contribui para o turismo, sertão nordestino = semiárido (seca),
segunda região em população, caatinga, cerrado e mata de cocais.
- Centro-Oeste –área integrada recentemente (1960 –construção de
Brasília), capital do país, predomínio do cerrado, do clima tropical e
planaltos, destaque em pecuária e no agronegócio.
- Sul – menor região, população de origem europeia, clima
subtropical, mata de araucárias e pampas, destaque na produção
industrial, de grãos, couro e pecuária.
- Sudeste – riqueza após o ciclo do café, é a região mais populosa,
povoada, urbanizada, industrializada do país, grande produção
agropecuária, área ligada diretamente à globalização.
 Com base nessa divisão do IBGE, o governo criou
ações para desenvolver as regiões e diminuir suas
diferenças;
- SUDENE (1959-2001, 2007 -): região Nordeste,
estendeu-se para o norte de MG (2002-2006=ADENE);
- SUDAM (1966-2001, 2007 -): região Norte, MT e oeste
do Maranhão (2001-2006=ADA);
- SUDESUL (1967 -1990)- região Sul, pouco recurso;
- SUDECO (1967 -1990, 2009 -): região Centro-Oeste,
pouco recurso. Após 2009, atua em GO, MT, MS e DF.
As superintendências foram acusadas de
irregularidades e corrupção durante os governos
militares.
 Dividimos em três grandes áreas, que não acompanha a
divisão dos estados, mas sim a característica histórico-
econômica do país;
 Os estados de MG, MA, MT e TO são “cortados” pertencendo
a duas regiões;
- Nordeste – auge durante o Brasil-colônia, hoje apresenta: os
piores indicadores sociais, maior concentração de pobreza do
país, área de emigração durante anos;
- Amazônia – vasta extensão florestal, ocupação recente, grandes
projetos de mineração, expansão da fronteira agrícola, governos
militares – ocupação era essencial para garantir a soberania;
- Centro-Sul – maior concentração populacional e industrial,
liderança na agropecuária, destaque no setor de serviços, sede de
grandes empresas, grandes contrastes sociais e econômicos;
 Considera os aspectos: recursos tecnológicos, atividades
econômicas modernas(finanças, comércio, serviços, indústria)
e agronegócio;
- Concentrada: densa rede de fluxos, alta urbanização, atividade
industrial e comercial intensa, alto padrão de consumo
atividades modernas e globalizadas, exerce influência sobre as
demais.
- Centro-Oeste: agronegócio de alta tecnologia (exportação e
através de multinacionais), globalizado, Brasília estabeleceu uma
rede de transportes e comunicações.
- Nordeste: circulações (dinheiro, produtos...) precárias,
urbanização irregular, agricultura pouco intensiva, tecnologias
restritas aos grandes centros urbanos (litoral).
- Amazônia: pouca tecnologia, baixa densidade demográfica,
extrativismo e mineração é o forte, além da restrita Zona Franca
de Manaus.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A nova ordem mundial
A nova ordem mundialA nova ordem mundial
A nova ordem mundial
Isabel Aguiar
 
Neoliberalismo globalizacao
Neoliberalismo globalizacaoNeoliberalismo globalizacao
Neoliberalismo globalizacao
João Couto
 
A historia e as fases do capitalismo do mercantilismo ao neoliberalismo
A historia e as fases do capitalismo do mercantilismo ao neoliberalismoA historia e as fases do capitalismo do mercantilismo ao neoliberalismo
A historia e as fases do capitalismo do mercantilismo ao neoliberalismo
N C
 
Revisão de geo
Revisão de geoRevisão de geo
Revisão de geo
edudeoliv
 
O processo de desenvolvimento do capitalismo
O processo de desenvolvimento do capitalismoO processo de desenvolvimento do capitalismo
O processo de desenvolvimento do capitalismo
Lilian Damares
 

Mais procurados (20)

A nova ordem mundial ou mulitpolaridade
A nova ordem mundial ou mulitpolaridadeA nova ordem mundial ou mulitpolaridade
A nova ordem mundial ou mulitpolaridade
 
Brasil economia e população observações de texto
Brasil  economia e população  observações de textoBrasil  economia e população  observações de texto
Brasil economia e população observações de texto
 
Nova ordem mundial
Nova ordem mundialNova ordem mundial
Nova ordem mundial
 
O neoliberalismo
O neoliberalismoO neoliberalismo
O neoliberalismo
 
A nova ordem mundial
A nova ordem mundialA nova ordem mundial
A nova ordem mundial
 
Liberalismo, neoliberalismo e globalização
Liberalismo, neoliberalismo e globalizaçãoLiberalismo, neoliberalismo e globalização
Liberalismo, neoliberalismo e globalização
 
Nova Ordem Mundial
Nova Ordem MundialNova Ordem Mundial
Nova Ordem Mundial
 
Brasil capitalista com industrialização do tipo tardia
Brasil capitalista com  industrialização do tipo tardiaBrasil capitalista com  industrialização do tipo tardia
Brasil capitalista com industrialização do tipo tardia
 
A nova ordem mundial
A nova ordem mundialA nova ordem mundial
A nova ordem mundial
 
Nova ordem mundial
Nova ordem mundialNova ordem mundial
Nova ordem mundial
 
Neoliberalismo 77slides prof. heraldo
Neoliberalismo 77slides prof. heraldoNeoliberalismo 77slides prof. heraldo
Neoliberalismo 77slides prof. heraldo
 
O capitalismo e a dit
O capitalismo e a ditO capitalismo e a dit
O capitalismo e a dit
 
Neoliberalismo globalizacao
Neoliberalismo globalizacaoNeoliberalismo globalizacao
Neoliberalismo globalizacao
 
Texto de apoio: Capitalismo
Texto de apoio: CapitalismoTexto de apoio: Capitalismo
Texto de apoio: Capitalismo
 
Países emergentes
Países emergentesPaíses emergentes
Países emergentes
 
A historia e as fases do capitalismo do mercantilismo ao neoliberalismo
A historia e as fases do capitalismo do mercantilismo ao neoliberalismoA historia e as fases do capitalismo do mercantilismo ao neoliberalismo
A historia e as fases do capitalismo do mercantilismo ao neoliberalismo
 
Revisão de geo
Revisão de geoRevisão de geo
Revisão de geo
 
O processo de desenvolvimento do capitalismo
O processo de desenvolvimento do capitalismoO processo de desenvolvimento do capitalismo
O processo de desenvolvimento do capitalismo
 
Presentation8.1
Presentation8.1Presentation8.1
Presentation8.1
 
Capitalismo
CapitalismoCapitalismo
Capitalismo
 

Destaque

Metodos de estudio
Metodos de estudioMetodos de estudio
Metodos de estudio
litoxuch
 
Franz March
Franz MarchFranz March
Franz March
hafize
 
Compras y ventas de bienes y servicios en internet
Compras y ventas de bienes y servicios en internetCompras y ventas de bienes y servicios en internet
Compras y ventas de bienes y servicios en internet
GREISI76
 
Reunion servicios v_correcion_ccs_(2)
Reunion servicios v_correcion_ccs_(2)Reunion servicios v_correcion_ccs_(2)
Reunion servicios v_correcion_ccs_(2)
aprofex
 
A EpopéIa De Gilgamesh (Rev) Anonimo
A EpopéIa De Gilgamesh (Rev)   AnonimoA EpopéIa De Gilgamesh (Rev)   Anonimo
A EpopéIa De Gilgamesh (Rev) Anonimo
Willian Papp
 
LEONARDO DA VINCI Y MIGUEL ANGEL
LEONARDO DA VINCI Y MIGUEL ANGELLEONARDO DA VINCI Y MIGUEL ANGEL
LEONARDO DA VINCI Y MIGUEL ANGEL
quintobpablovi
 
Vocabulario
VocabularioVocabulario
Vocabulario
haimiken
 

Destaque (20)

Aula 3
Aula 3 Aula 3
Aula 3
 
Modelos pedagogicos
Modelos pedagogicosModelos pedagogicos
Modelos pedagogicos
 
Direito penal
Direito penalDireito penal
Direito penal
 
Enterprise 2.0: The new face of CRM
Enterprise 2.0: The new face of CRMEnterprise 2.0: The new face of CRM
Enterprise 2.0: The new face of CRM
 
Metodos de estudio
Metodos de estudioMetodos de estudio
Metodos de estudio
 
Franz March
Franz MarchFranz March
Franz March
 
[BPM DAY SP 2015] Melhoria da Experiência do Cliente: Processo Conceder Benef...
[BPM DAY SP 2015] Melhoria da Experiência do Cliente: Processo Conceder Benef...[BPM DAY SP 2015] Melhoria da Experiência do Cliente: Processo Conceder Benef...
[BPM DAY SP 2015] Melhoria da Experiência do Cliente: Processo Conceder Benef...
 
Modalidades de la disciplina
Modalidades de la disciplinaModalidades de la disciplina
Modalidades de la disciplina
 
Compras y ventas de bienes y servicios en internet
Compras y ventas de bienes y servicios en internetCompras y ventas de bienes y servicios en internet
Compras y ventas de bienes y servicios en internet
 
Jornal
JornalJornal
Jornal
 
Reunion servicios v_correcion_ccs_(2)
Reunion servicios v_correcion_ccs_(2)Reunion servicios v_correcion_ccs_(2)
Reunion servicios v_correcion_ccs_(2)
 
Las drogas
Las drogasLas drogas
Las drogas
 
A EpopéIa De Gilgamesh (Rev) Anonimo
A EpopéIa De Gilgamesh (Rev)   AnonimoA EpopéIa De Gilgamesh (Rev)   Anonimo
A EpopéIa De Gilgamesh (Rev) Anonimo
 
LEONARDO DA VINCI Y MIGUEL ANGEL
LEONARDO DA VINCI Y MIGUEL ANGELLEONARDO DA VINCI Y MIGUEL ANGEL
LEONARDO DA VINCI Y MIGUEL ANGEL
 
Mindfulness Training - Mindful Listening - Basics
Mindfulness Training - Mindful Listening - BasicsMindfulness Training - Mindful Listening - Basics
Mindfulness Training - Mindful Listening - Basics
 
Newton
NewtonNewton
Newton
 
Prevención de accidentes: quemaduras
Prevención de accidentes: quemadurasPrevención de accidentes: quemaduras
Prevención de accidentes: quemaduras
 
Resolvimecflu3
Resolvimecflu3Resolvimecflu3
Resolvimecflu3
 
Peritonitis bacteriana espontanea (pbe)
Peritonitis bacteriana espontanea (pbe)Peritonitis bacteriana espontanea (pbe)
Peritonitis bacteriana espontanea (pbe)
 
Vocabulario
VocabularioVocabulario
Vocabulario
 

Semelhante a Geografia 2 ano

Lista de atividades - globalização
Lista de atividades - globalizaçãoLista de atividades - globalização
Lista de atividades - globalização
matheuslw
 
O Período Militar - Geografia
O Período Militar - GeografiaO Período Militar - Geografia
O Período Militar - Geografia
Lucas Castro
 
O brasil em um mundo globalizado
O brasil em um mundo globalizadoO brasil em um mundo globalizado
O brasil em um mundo globalizado
totonhodemorais
 
Geo globalização 9º
Geo  globalização 9ºGeo  globalização 9º
Geo globalização 9º
profgilvano
 
2a lista revisao_sartre_coc_3o_ano_2012
2a lista revisao_sartre_coc_3o_ano_20122a lista revisao_sartre_coc_3o_ano_2012
2a lista revisao_sartre_coc_3o_ano_2012
Ademir Aquino
 
Exercícios de economia brasileira cap 5,6,7,8,9,10
Exercícios de economia brasileira cap 5,6,7,8,9,10Exercícios de economia brasileira cap 5,6,7,8,9,10
Exercícios de economia brasileira cap 5,6,7,8,9,10
Elessandro Manuel
 
Neoliberalismo aula pronta
Neoliberalismo aula prontaNeoliberalismo aula pronta
Neoliberalismo aula pronta
limananda
 

Semelhante a Geografia 2 ano (20)

Lista de atividades - globalização
Lista de atividades - globalizaçãoLista de atividades - globalização
Lista de atividades - globalização
 
AULA 2 - TEORIAS DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO.ppt
AULA 2 - TEORIAS DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO.pptAULA 2 - TEORIAS DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO.ppt
AULA 2 - TEORIAS DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO.ppt
 
Neoliberalismo
NeoliberalismoNeoliberalismo
Neoliberalismo
 
Cledionora brasil
Cledionora brasilCledionora brasil
Cledionora brasil
 
Aula1DesenEco.ppt
Aula1DesenEco.pptAula1DesenEco.ppt
Aula1DesenEco.ppt
 
Revisão IBC
Revisão IBCRevisão IBC
Revisão IBC
 
Seminário_0ddasdsadasdasdsadasd9_11.pptx
Seminário_0ddasdsadasdasdsadasd9_11.pptxSeminário_0ddasdsadasdasdsadasd9_11.pptx
Seminário_0ddasdsadasdasdsadasd9_11.pptx
 
Atividade de Sociologia - 3º ano (2015)
Atividade de Sociologia - 3º ano (2015)Atividade de Sociologia - 3º ano (2015)
Atividade de Sociologia - 3º ano (2015)
 
O Período Militar - Geografia
O Período Militar - GeografiaO Período Militar - Geografia
O Período Militar - Geografia
 
Prova upe-2011-sociologia (1)
Prova upe-2011-sociologia (1)Prova upe-2011-sociologia (1)
Prova upe-2011-sociologia (1)
 
O brasil em um mundo globalizado
O brasil em um mundo globalizadoO brasil em um mundo globalizado
O brasil em um mundo globalizado
 
www.TutoresDePlantao.Com.Br - Geografia - Globalização
www.TutoresDePlantao.Com.Br - Geografia - Globalizaçãowww.TutoresDePlantao.Com.Br - Geografia - Globalização
www.TutoresDePlantao.Com.Br - Geografia - Globalização
 
www.aulasapoio.com.br - Geografia - Globalização
www.aulasapoio.com.br  - Geografia - Globalizaçãowww.aulasapoio.com.br  - Geografia - Globalização
www.aulasapoio.com.br - Geografia - Globalização
 
www.aulaparticularonline.net.br - Geografia - Globalização
www.aulaparticularonline.net.br - Geografia - Globalizaçãowww.aulaparticularonline.net.br - Geografia - Globalização
www.aulaparticularonline.net.br - Geografia - Globalização
 
Globalização
GlobalizaçãoGlobalização
Globalização
 
Como a china promoveu seu desenvolvimento econômico
Como a china promoveu seu desenvolvimento econômicoComo a china promoveu seu desenvolvimento econômico
Como a china promoveu seu desenvolvimento econômico
 
Geo globalização 9º
Geo  globalização 9ºGeo  globalização 9º
Geo globalização 9º
 
2a lista revisao_sartre_coc_3o_ano_2012
2a lista revisao_sartre_coc_3o_ano_20122a lista revisao_sartre_coc_3o_ano_2012
2a lista revisao_sartre_coc_3o_ano_2012
 
Exercícios de economia brasileira cap 5,6,7,8,9,10
Exercícios de economia brasileira cap 5,6,7,8,9,10Exercícios de economia brasileira cap 5,6,7,8,9,10
Exercícios de economia brasileira cap 5,6,7,8,9,10
 
Neoliberalismo aula pronta
Neoliberalismo aula prontaNeoliberalismo aula pronta
Neoliberalismo aula pronta
 

Mais de Junior Oliveira (9)

Geografia 2ano 4bim1
Geografia 2ano 4bim1Geografia 2ano 4bim1
Geografia 2ano 4bim1
 
Geografia 1ano 4bim1
Geografia 1ano 4bim1Geografia 1ano 4bim1
Geografia 1ano 4bim1
 
Geografia 1ano3bim3
Geografia 1ano3bim3Geografia 1ano3bim3
Geografia 1ano3bim3
 
Slides de Geografia- Colégio Bimbatti 1ano EM
Slides de Geografia- Colégio Bimbatti 1ano EMSlides de Geografia- Colégio Bimbatti 1ano EM
Slides de Geografia- Colégio Bimbatti 1ano EM
 
Geografia 3ano3bim Colégio Bimbatti
Geografia 3ano3bim Colégio BimbattiGeografia 3ano3bim Colégio Bimbatti
Geografia 3ano3bim Colégio Bimbatti
 
Geografia 2ano3bim
Geografia 2ano3bimGeografia 2ano3bim
Geografia 2ano3bim
 
Geografia 1ano3bim
Geografia  1ano3bimGeografia  1ano3bim
Geografia 1ano3bim
 
Geografia 3 ano
Geografia 3 anoGeografia 3 ano
Geografia 3 ano
 
Geografia 1 ano
Geografia 1 anoGeografia 1 ano
Geografia 1 ano
 

Último

O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
VALMIRARIBEIRO1
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Pastor Robson Colaço
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
carlaOliveira438
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
ssuserbb4ac2
 

Último (20)

Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfanálise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.pptAula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
 
TIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptx
TIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptxTIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptx
TIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptx
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
 

Geografia 2 ano

  • 1. 2º Ano do E.M. Colégio Bimbatti Profº Junior
  • 2.  Grandes navegações: • Metrópoles = países desenvolvidos, • Colônias de povoamento= países desenvolvidos, • Colônias de exploração= países subdesenvolvidos;  Divisão Internacional do Trabalho: • Países Periféricos = exportam matérias primas e importam produtos industrializados;  A expansão das técnicas e dos modos de produção capitalista (Revolução Industrial);  As alterações políticas responsáveis pelo surgimento dos Estados-nações;  Os enormes avanços no sistema de transportes e nos meios de comunicação
  • 3.  Países desenvolvidos: melhores condições financeiras, distribuição de renda mais justa e melhor qualidade de vida;  Países subdesenvolvidos:  Industrializados (em desenvolvimento ou emergentes): condições financeiras boas, distribuição de renda desigual e qualidade de vida mediana/ruim;  Não Industrializados (ou simplesmente subdesenvolvidos): vivem da agricultura e extração, grande dependência econômica e péssima qualidade de vida.
  • 4.  Países Centrais do Capitalismo: países desenvolvidos;  Países semiperiféricos (da semiperiferia): Países Subdesenvolvidos Industrializados (em desenvolvimento ou emergentes);  Países periféricos: Países Subdesenvolvidos Não Industrializados (ou simplesmente subdesenvolvidos).
  • 5.  Países do Norte: Países Desenvolvidos;  Países do Sul: Países Subdesenvolvidos;
  • 6.
  • 7.  Acreditava-se que a industrialização diminuiria a diferença entre periferia e centro (Teoria da dependência);  Alguns países conseguiram avanços (Brasil) porém com dependência às multinacionais e com endividamento do Estado(governo), Esse crescimento econômico foi concentrador e excludente, aumentando as desigualdades sociais dentro do país, não gerando benefícios sociais e culturais;
  • 8. o Graves problemas sociais; o Desigualdades entre os grupos; o Dependência tecnológica e financeira; o Ineficiência dos meios de transportes; o Sistemas de comunicação precários; o Falhas na transmissão de energia; o Integração nacional escassa; o Produção predominantes ligadas a produtos primários; A globalização acentuou as diferenças entre os países desenvolvidos e os subdesenvolvidos.
  • 9.  Reforma fiscal, empresas passaram a pagar menos impostos (em especial as transnacionais);  Abertura comercial, liberação das importações e exportações, além da facilidade de entrada e saída de capitais;  Privatizações, venda de empresas públicas;  Corte de salários e demissão de funcionários públicos, reforma na previdência e diminuição dos gastos públicos (dívida pública); Não obteve-se conquistas sociais e as desigualdades se acentuaram
  • 10.  Redução dos impostos de importação;  Indústrias nacionais faliram ou foram vendidas a multinacionais;  Balança comercial em déficit (anos 1990);  Incentivos fiscais e privatizações de estatais;  Multinacionais exigem qualificação e postos de trabalho foram fechados (mecanização), aumento da terceirização;
  • 11.  Além de privatizações, o Brasil criou a concessão nos meios de transporte e fim do monopólio da Petrobras;  Alegou-se que as estatais davam prejuízo, mas as que foram vendidas davam lucros (CVRD, CSN);  Criticou-se: setores estratégicos, dinheiro do BNDES, saneamento das empresas antes da venda;  Privatização ocorreu com capital estrangeiro;  Lucro das privatizações : diminuir a dívida pública (porém juros altos a fez crescer novamente)
  • 12.
  • 13.  Introdução do Real e estabilidade inflacionária (1994);  Brasil participa com 1% do comercio mundial;  Exportações baseadas em commodities (matérias primas) e produtos de baixo valor agregado;  Importações: alto valor, produtos tecnológicos;  Devido aos subsídios (protecionismo), empresas brasileiras abrem filiais em outros países (transnacionais brasileira – JBS, Gerdau, Petrobras);  Mesmo assim a balança comercial apresenta boa relatividade entre importações e exportações.
  • 14.
  • 15.  Soma de todas as transações efetuadas com o restante do mundo (comércio de bens, de serviços, royalties, juros da dívida externa,...)  A dívida externa estrangula o balanço de pagamentos;  Acordos com o FMI comprometeu o país a gerar um superávit primário o que não ocorreu com êxito, acarretando em déficit nominal;  No início de 2008, as reservas internacionais superaram a dívida externa, mas já no final desse mesmo ano já era superior.
  • 16. (UCS) O governo Collor (1990-1992) inaugurou uma fase na história política brasileira denominada “neoliberalismo”. Considere as seguintes afirmativas sobre o significado desse termo. Trata-se da reedição do liberalismo clássico, com uma nova roupagem: defesa do Estado mínimo, que leva às privatizações, e da flexibilização das leis trabalhistas. II. É uma vertente do antigo desenvolvimentismo, que imperou no Brasil nos anos 50, defendendo a manutenção das empresas estatais e abrindo o mercado nacional à penetração do capital estrangeiro. III. Seus seguidores defendem que as conquistas trabalhistas sejam intocáveis; em função disso, há uma forte tendência de o movimento sindical apoiar as medidas neoliberais. Das afirmativas acima, pode-se dizer que a) apenas I está correta. b) apenas II está correta. c) apenas I e II estão corretas. d) apenas II e III estão corretas. e) I, II e III estão corretas.
  • 17.  Liberalismo – estado não interfere na economia (Adam Smith); Opositores: Karl Marx e Keynes  Neoliberalismo – (filho do liberalismo) estado tem atuação mínima nos campos sociais e na economia, reforma administrativa do Estado, abertura ao capital estrangeiro e privatizações.
  • 18. (UEMG) BRASIL: POTÊNCIA OU COLÔNIA? Não há dúvidas de que, em alguns aspectos, a economia brasileira vai bem, com seu crescimento puxado pelo forte consumo do mercado interno. Também é preciso reconhecer que nos últimos anos o país obteve resultados expressivos no que diz respeito às políticas sociais, tendo tirado mais de 20 milhões de brasileiros do estado de miséria e elevado mais de 30 milhões à classe média. Por outro lado, alguns indicadores ainda nos envergonham e mostram que estamos muito distantes do mínimo necessário para nos considerarmos uma nação em desenvolvimento. Como exemplo, podemos citar um quesito fundamental à saúde, que é o saneamento ambiental, cujos indicadores são alarmantes (...). Na educação, ciência e tecnologia a situação não é diferente(...). No que se refere à Política Industrial, a situação também é extremamente preocupante, pois o atual modelo econômico nos empurra para uma primarização da economia. O fato é que o Brasil está priorizando a exportação de commodities em detrimento das exportações de bens de maior valor agregado(...). NETO, Luiz Aubert. Revista Mercado Comum. Ano XVIII – Ed. 218. p. 112, 113.Texto adaptado. Em relação ao texto acima e seu título, são apresentadas as seguintes afirmativas: I. O Brasil mostra características de potência, devido ao valor agregado dos seus produtos industrializados. II. Alguns indicadores de extrema relevância, como saúde, educação, política industrial ainda incluem o país na classificação do subdesenvolvimento. III. A exportação de commodities, em detrimento das exportações de bens de maior valor, coloca o Brasil na categoria de potência. IV. Os fatores de expressivos resultados nas políticas sociais e o crescimento da economia através do fortalecimento do mercado interno têm levado a crer que o Brasil está na categoria de potência. Está CORRETO apenas o que se afirma em a) II e IV b) II e III c) I e IV d) I e II
  • 19. (UNEAL) A primeira eleição de Ronald Reagan para a presidência dos Estados Unidos (1980) coincidiu com o início do governo de Margaret Thatcher, líder do Partido Conservador, na Inglaterra. Orientados por uma mesma concepção de governo, dariam dimensão internacional ao neoliberalismo (...) Alceu L. Pazzinato e Maria Helena V. Senise, História Moderna e Contemporânea A doutrina econômica a que o texto se refere defende a) o Estado de Bem Estar Social nas nações subdesenvolvidas. b) a prática da estatização dos recursos naturais. c) a intervenção mínima do Estado da economia. d) o desestímulo à livre circulação de capitais internacionais. e) a criação de rígida legislação de proteção ao trabalho.
  • 20. (UFBA) A contextualização do momento histórico compreendido nas últimas quatro décadas do século XX explica a divulgação de duas teorias político-econômicas — o neoliberalismo e a globalização capitalista —, que passaram a exercer grande influência nas relações internas e externas do mundo atual. Apresente o conceito de neoliberalismo e indique uma prática resultante da sua aplicação. Teoria política e econômica que se fundamenta na crença do poder de livre regulamentação do mercado; assim sendo, o mercado deve funcionar sem nenhuma restrição, e a liberdade econômica deve ser absoluta. Inglaterra – Margareth Tatcher (1979-1990) – Cortou os gastos sociais, aumentou o desemprego, derrotou sindicatos, privatizou empresas estatais e baixou os impostos dos ricos. Estados Unidos – Ronald Reagan (1980-1988) – pôs em prática a política de valorização do dólar. Brasil – Fernando Collor de Melo e Fernando Henrique Cardoso – abriram o mercado à livre concorrência e puseram em prática as privatizações.
  • 21.  Não é protagonista, mas se destaca sendo emergente;  DIT baseada em commodities e produtos de médio valor agregado;  Ficamos atrás de alguns emergentes (China, Índia);  Coreia do Sul- investimento em ciência e tecnologia, exportador de tecnologia( Samsung, LG, Hyundai);  Fazemos parte do BRIC, porém:  Rússia- bom nível educacional, tecnologia de ponta militar e aeroespacial, exceto nos bens de consumo;  China e Índia- investimento em tecnologia, alta produtividade, estimulo a internacionalização de suas empresas e exportação;
  • 22.  Brasil- agora que vem estimulando a internacionalização através do BNDES, só falta ampliar o investimento em tecnologia (educação);  Vantagens do Brasil: terras agricultáveis, disponibilidade de água, potencial energético, urbanização consolidada e ausência de conflitos internos;  Tentamos estreitar relações com países africanos, do Oriente Médio;  Na América Latina exerce um poder de liderança;  Rússia, Índia e China são potências nucleares e o Brasil possui reservas de urânio;
  • 23.  Consolidou a democracia (últimos 25 anos);  Graves problemas de corrupção;  Elevada carga tributária (impostos), gerando benefícios sociais (bolsa família) mas onerando os preços dos produtos;  Impostos indiretos: pagos por todos, recaindo no mais pobre, que proporcionalmente paga mais impostos (33% enquanto o rico 23% do orçamento);  Elevada carga tributária não reflete em melhorias para a população (qualidade na saúde, educação...).
  • 24.  Carência de infraestrutura: - Energia – não atende a crescente demanda, - Transportes – predomínio do rodoviário (faltam ferrovias e hidrovias) e falta construir terminais intermodais; - Portos precários, no limite de capacidade; - Comunicação – falta uma rede eficiente.
  • 25.  Conforme já indicado no tema do trabalho, podemos regionalizar (dividir) o Brasil em três formas distintas: - Macrorregiões do IBGE; - Complexos regionais; - Divisão regional segundo Milton Santos.
  • 26.
  • 27.  Cinco grandes regiões (obedecendo a divisão dos estados) sendo: - Norte – maior região, presença floresta Amazônica, clima equatorial, população de origem indígena e nordestina, grande extração de minérios e extrativismo apresentando também a Zona Franca de Manaus (polo industrial); - Nordeste – início da colonização portuguesa, ciclo da cana gerou riqueza mas depois entra em “decadência”, Cidades litorâneas contribui para o turismo, sertão nordestino = semiárido (seca), segunda região em população, caatinga, cerrado e mata de cocais. - Centro-Oeste –área integrada recentemente (1960 –construção de Brasília), capital do país, predomínio do cerrado, do clima tropical e planaltos, destaque em pecuária e no agronegócio. - Sul – menor região, população de origem europeia, clima subtropical, mata de araucárias e pampas, destaque na produção industrial, de grãos, couro e pecuária. - Sudeste – riqueza após o ciclo do café, é a região mais populosa, povoada, urbanizada, industrializada do país, grande produção agropecuária, área ligada diretamente à globalização.
  • 28.  Com base nessa divisão do IBGE, o governo criou ações para desenvolver as regiões e diminuir suas diferenças; - SUDENE (1959-2001, 2007 -): região Nordeste, estendeu-se para o norte de MG (2002-2006=ADENE); - SUDAM (1966-2001, 2007 -): região Norte, MT e oeste do Maranhão (2001-2006=ADA); - SUDESUL (1967 -1990)- região Sul, pouco recurso; - SUDECO (1967 -1990, 2009 -): região Centro-Oeste, pouco recurso. Após 2009, atua em GO, MT, MS e DF. As superintendências foram acusadas de irregularidades e corrupção durante os governos militares.
  • 29.
  • 30.  Dividimos em três grandes áreas, que não acompanha a divisão dos estados, mas sim a característica histórico- econômica do país;  Os estados de MG, MA, MT e TO são “cortados” pertencendo a duas regiões; - Nordeste – auge durante o Brasil-colônia, hoje apresenta: os piores indicadores sociais, maior concentração de pobreza do país, área de emigração durante anos; - Amazônia – vasta extensão florestal, ocupação recente, grandes projetos de mineração, expansão da fronteira agrícola, governos militares – ocupação era essencial para garantir a soberania; - Centro-Sul – maior concentração populacional e industrial, liderança na agropecuária, destaque no setor de serviços, sede de grandes empresas, grandes contrastes sociais e econômicos;
  • 31.
  • 32.  Considera os aspectos: recursos tecnológicos, atividades econômicas modernas(finanças, comércio, serviços, indústria) e agronegócio; - Concentrada: densa rede de fluxos, alta urbanização, atividade industrial e comercial intensa, alto padrão de consumo atividades modernas e globalizadas, exerce influência sobre as demais. - Centro-Oeste: agronegócio de alta tecnologia (exportação e através de multinacionais), globalizado, Brasília estabeleceu uma rede de transportes e comunicações. - Nordeste: circulações (dinheiro, produtos...) precárias, urbanização irregular, agricultura pouco intensiva, tecnologias restritas aos grandes centros urbanos (litoral). - Amazônia: pouca tecnologia, baixa densidade demográfica, extrativismo e mineração é o forte, além da restrita Zona Franca de Manaus.