Teorias Pedagógicas e a Cibercultura: Corrente Racional-Tecnológica

266 visualizações

Publicada em

Teorias Pedagógicas e a Cibercultura: Corrente Racional-Tecnológica
Miguel Lobato Rodrigues
Polo Volta Redonda-RJ
Grupo: 11

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
266
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Teorias Pedagógicas e a Cibercultura: Corrente Racional-Tecnológica

  1. 1. Corrente Racional-TecnológicaCorrente Racional-Tecnológica Miguel Lobato Rodrigues Informática Educativa I – NTEM 2015
  2. 2. Este trabalho tem como objetivo destacar uma das teorias pedagógicas citadas no artigo “As Teorias Pedagógicas Modernas Resiginificadas Pelo Debate Contemporâneo na Educação” de José Carlos Libâneo no contexto da cibercultura, ou seja, como essas tecnologias podem ser utilizadas na educação segundo a teoria pedagógica escolhida.
  3. 3. São aquelas formadas em plena modernidade e que estão ligadas a acontecimentos cruciais que vão desde a Reforma Protestante a Industrialização.
  4. 4. Neste trabalho será destacada a teoria Racional- Tecnológica, mostrando como as tecnologias podem ser utilizadas para essa corrente.
  5. 5. Essa corrente corresponde à concepção que tem sido designada de neotecnicismo e está associada a uma pedagogia a serviço da formação para o sistema produtivo. Pressupõe a formulação de objetivos e conteúdos, padrões de desempenho, competências e habilidades com base em critérios científicos e técnicos. Diferentemente do cunho acadêmico da pedagogia tradicional, a corrente racional-tecnológica busca seu fundamento na racionalidade técnica e instrumental, visando a desenvolver habilidades e destrezas para formar o técnico.
  6. 6. Caracteriza-se pela introdução de técnicas mais refinadas de transmissão de conhecimentos incluindo os computadores, as mídias. Uma derivação dessa concepção é o currículo por competências, na perspectiva economicista, em que a organização curricular resulta de objetivos assentados em habilidades e destrezas a serem dominados pelos alunos no percurso de formação.
  7. 7. Em seu artigo Edméa Santos define a cibercultura como sendo a cultura contemporânea estruturada pelo uso das tecnologias digitais em rede nas esferas do ciberespaço e das cidades. Para Santaella, “o ciberespaço é todo e qualquer espaço informacional multidimensional que, dependente da interação do usuário, permite a este o acesso, a manipulação, a transformação e o intercâmbio de seus fluxos codificados de informação”
  8. 8. A corrente racional-tecnológica tem como uma de suas características a utilização mais intensiva dos meios de comunicação e informação e do aparato tecnológico, com isso, podemos perceber a forte ligação dessa corrente com a cibercultura.
  9. 9. A utilização da tecnologia no ensino ajuda na absorção do conteúdo, pois permite tornar o teórico em algo mais prático para o aluno, permitindo assim uma melhor fixação do conteúdo. Mas para que o uso dessa tecnologia funcione é necessária a capacitação dos professores. Um professor bem capacitado consegue inserir a tecnologia em suas aulas, tornando-as mais dinâmicas e atrativas.
  10. 10. Um exemplo do uso da tecnologia na educação são os cursos em EAD (Ensino à Distancia), os cursos em EAD exploram ao máximo a cibercultura e o ciberespaço, utilizando todas as ferramentas disponíveis. Hoje existem uma grande quantidade de pessoas se graduando e especializando nessa modalidade de ensino, e isso nos mostra como o uso da tecnologia é viável, importante e fundamental.
  11. 11. Educação e ciberespaço: estudos, propostas e desafios. / organização, Glaucio José Couri Machado – Aracaju : Virtus, 2010. LIBÂNEO, J.C. As teorias pedagógicas modernas designadas pelo combate contemporâneo na educação. In: Educação na era do conhecimento em rede e transdisciplinaridade. São Paulo: Alínea, 2005. SANTOS, E. A cibercultura e a educação em tempos de mobilidades e redes sociais: conversando com os cotidianos. Práticas Pedagógicas Linguagem e Mídias: desafios à Pós- graduação em educação em suas múltiplas dimensões. Rio de Janeiro: ANPED Nacional, 2011.

×