SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 138
Compostos relacionadosCompostos relacionados
aos seres vivosaos seres vivos
ProfProfaa
Adriana NogueiraAdriana Nogueira
Os compostos existentes nas
células, que funcionam na transformação de
energia, de modo a disponibilizá-la rapidamente,
são comuns em todos os seres vivos.
As proporções relativas de substâncias
energéticas (carboidratos, gorduras e proteínas) e
de outras substâncias, como as vitaminas
e sais minerais, são, também, muito próximas na
maioria das células e guardam
as mesmas funções.
Substâncias da Matéria VivaSubstâncias da Matéria Viva
A bioquímicaA bioquímica
no cotidianono cotidiano
InformaçãoInformação
NutriçãoNutrição
SaúdeSaúde
Estruturas representativas de
algumas
macromoléculas biológicas: em A,
ácido desoxirribonucléico,
ou DNA (as fitas laterais
representam os carboidratos
ligados a grupos fosfatos e as
‘hastes’ do interior, em azul,
vermelho e branco, são as bases
nitrogenadas que formam
o código genético); em B,
albumina, proteína mais
abundante do plasma, com 585
aminoácidos e rica
em estruturas espirais conhecidas
como ‘hélices’
(cada cor representa uma região
da proteína);
em C, micela, uma estrutura
formada por várias moléculas
de lipídio em solução aquosa (as
linhas verdes representam
a ‘cauda’ hidrofóbica e as esferas
azuis a ‘cabeça’
hidrofílica); em D, a glicose,
principal monossacarídeo
da natureza, formada por átomos
de hidrogênio (em cinza),
oxigênio (em vermelho) e carbono
(em verde)
Fontes de obtençãoFontes de obtenção
Dieta equilibradaDieta equilibrada
Transtornos alimentaresTranstornos alimentares
 As biomoléculas são de fundamental importância naAs biomoléculas são de fundamental importância na
formação da matéria humana e a geração da bioenergiaformação da matéria humana e a geração da bioenergia
para a realização de várias atividades, o mundo volta ospara a realização de várias atividades, o mundo volta os
olhos para os problemas causados pelo malolhos para os problemas causados pelo mal
aproveitamento dessas moléculas, em decorrência do diaaproveitamento dessas moléculas, em decorrência do dia
a dia estressante em que vivemos e hábitos nadaa dia estressante em que vivemos e hábitos nada
saudáveis de vida. Cabe então aos processossaudáveis de vida. Cabe então aos processos
educacionais incluir a temática em seus estudos, paraeducacionais incluir a temática em seus estudos, para
despertar a população ao enfrentamento dessesdespertar a população ao enfrentamento desses
problemas.problemas.
 A interação das biomoléculas em seres humanos podeA interação das biomoléculas em seres humanos pode
determinar o grau de saúde de cada indivíduo. O estilo dedeterminar o grau de saúde de cada indivíduo. O estilo de
vida com práticas de exercícios físicos e bons hábitosvida com práticas de exercícios físicos e bons hábitos
alimentares, pode ser a saída para evitar doençasalimentares, pode ser a saída para evitar doenças
relacionadas ao controle dessas biomoléculas nos seresrelacionadas ao controle dessas biomoléculas nos seres
humanos.humanos.
ÁguaÁgua
- Metabolismo
- Desidratação - riscos
Moléculas Inorgânicas -Moléculas Inorgânicas - ÁGUAÁGUA
Fenômenos osmóticosFenômenos osmóticos
Moléculas Inorgânicas -Moléculas Inorgânicas - ÁGUAÁGUA
Fenômenos osmóticosFenômenos osmóticos
Moléculas Inorgânicas -Moléculas Inorgânicas - SAISSAIS
Os sais minerais possuem papéis essenciaisOs sais minerais possuem papéis essenciais
Constituintes estruturais dos tecidosConstituintes estruturais dos tecidos
corpóreos (cálcio e fósforo em ossos ecorpóreos (cálcio e fósforo em ossos e
dentes);dentes);
Reguladores no controle dos impulsosReguladores no controle dos impulsos
nervosos, da atividade muscular e donervosos, da atividade muscular e do
balanço ácido-base do organismo;balanço ácido-base do organismo;
Componentes ou ativadores/reguladoresComponentes ou ativadores/reguladores
de muitas enzimas.de muitas enzimas.
Sais mineraisSais minerais
 Bebidas isotônicasBebidas isotônicas
benefíciosbenefícios
riscosriscos
Sais mineraisSais minerais
- fast food
- alimentos industrializados
Moléculas OrgânicasMoléculas Orgânicas
GlicídiosGlicídios
 QuitosanaQuitosana
tratamento de águatratamento de água
combate à obesidadecombate à obesidade
 Sinalização celularSinalização celular
sistema AB0sistema AB0
hemáciashemácias
GlicídiosGlicídios
Controlar os níveis da glicose
é fundamental para preservar
a saúde, em qualquer idade.
(Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia)
CARBOIDRATOSCARBOIDRATOS
Características gerais:Características gerais:
 São também conhecidos como açúcares;São também conhecidos como açúcares;
hidratos de carbono, glicídios, glúcides.hidratos de carbono, glicídios, glúcides.
 RepresentamRepresentam a principal fonte de energiaa principal fonte de energia
para a célula.para a célula.
 São tambémSão também componentes estruturaiscomponentes estruturais
importantes das paredes celulares e dasimportantes das paredes celulares e das
substâncias intracelulares.substâncias intracelulares.
 Classificação: monossacarídeos,Classificação: monossacarídeos,
dissacarídeos e polissacarídeos.dissacarídeos e polissacarídeos.
Moléculas Orgânicas - GlicídiosMoléculas Orgânicas - Glicídios
CarboidratosCarboidratos (maioria formada apenas por C, O e H)(maioria formada apenas por C, O e H)
com grupo aldeídico ou cetônico.com grupo aldeídico ou cetônico.
Moléculas Orgânicas - GlicídiosMoléculas Orgânicas - Glicídios
Importância:Importância:
 Acumulador de energia luminosa.Acumulador de energia luminosa.
Glicose –Glicose – fotossíntese.fotossíntese.
 Reserva energética para uso rápido.Reserva energética para uso rápido.
Polissacarídeos -Polissacarídeos - amido nos vegetais eamido nos vegetais e
glicogênio nos animaisglicogênio nos animais..
 Componente estrutural da parede celular.Componente estrutural da parede celular.
CeluloseCelulose - nos vegetais.- nos vegetais.
Moléculas Orgânicas - GlicídiosMoléculas Orgânicas - Glicídios
 MonossacarídeosMonossacarídeos - glicídios mais simples.- glicídios mais simples.
Classificados segundo o número deClassificados segundo o número de
átomos de carbonoátomos de carbono (trioses, tetroses,(trioses, tetroses,
pentoses, hexoses...).pentoses, hexoses...).
 PolissacarídeosPolissacarídeos - polímeros de glicídios- polímeros de glicídios
simples.simples.
Síntese por desidratação.Síntese por desidratação.
MONOSSACARÍDEOSMONOSSACARÍDEOS
São glicídios simples,São glicídios simples, que não sofremque não sofrem
hidrólisehidrólise, de fórmula geral C, de fórmula geral Cnn(H(H22O)O) nn, cujo, cujo
valor devalor de nn varia de 3 a 7.varia de 3 a 7.
MONOSSACARÍDEOSMONOSSACARÍDEOS
PENTOSESPENTOSES
São monossacarídeos comSão monossacarídeos com 5 carbonos5 carbonos..
Ribose: é o açúcar do ácido nucléicoRibose: é o açúcar do ácido nucléico RNA eRNA e
do ATP.do ATP.
Desoxirribose: é o açúcar do ácido nucléicoDesoxirribose: é o açúcar do ácido nucléico
DNA.DNA.
MONOSSACARÍDEOSMONOSSACARÍDEOS
HEXOSESHEXOSES
São monossacarídeos comSão monossacarídeos com 6 carbonos6 carbonos..
Glicose: é o açúcar produzido pelo vegetal naGlicose: é o açúcar produzido pelo vegetal na
fotossíntesefotossíntese. É o. É o principal combustívelprincipal combustível dada
célula.célula.
Frutose: é o açúcar presente nos frutos e noFrutose: é o açúcar presente nos frutos e no
esperma humano.esperma humano.
Galactose: é um dos componentes doGalactose: é um dos componentes do açúcaraçúcar
do leite.do leite.
DISSACARÍDEOSDISSACARÍDEOS
São formados pelaSão formados pela união de 2união de 2
monossacarídeosmonossacarídeos..
Quando os monossacarídeos se fundem,Quando os monossacarídeos se fundem, háhá
perda de uma molécula de águaperda de uma molécula de água (reação de(reação de
desidratação) e a ligação que se estabelecedesidratação) e a ligação que se estabelece
entre eles recebe o nome deentre eles recebe o nome de ligaçãoligação
glicosídicaglicosídica..
DISSACARÍDEOSDISSACARÍDEOS
Sacarose =Sacarose = glicose + frutoseglicose + frutose: é o açúcar daé o açúcar da
cana-de-açúcar, compõe a chamada seivacana-de-açúcar, compõe a chamada seiva
elaborada dos vegetais.elaborada dos vegetais.
Lactose =Lactose = glicose + galactoseglicose + galactose: é o açúcar: é o açúcar
do leite.do leite.
Maltose =Maltose = glicose + glicoseglicose + glicose: é o açúcar: é o açúcar
típico dos vegetais, usado na fabricação detípico dos vegetais, usado na fabricação de
cerveja.cerveja.
POLISSACARÍDEOSPOLISSACARÍDEOS
São formados pelaSão formados pela união de muitosunião de muitos
monossacarídeosmonossacarídeos porpor ligaçãoligação
glicosídicaglicosídica..
Classificados de acordo com sua função:Classificados de acordo com sua função:
RESERVA ou ESTRUTURA.RESERVA ou ESTRUTURA.
POLISSACARÍDEOS - RESERVAPOLISSACARÍDEOS - RESERVA
São substâncias que são armazenadas comoSão substâncias que são armazenadas como
fonte de energiafonte de energia pelos seres vivos.pelos seres vivos.
 Amido -Amido - reserva dos vegetais -reserva dos vegetais - presente empresente em
grande quantidade em sementes, no caule egrande quantidade em sementes, no caule e
nas raízes.nas raízes.
 Glicogênio -Glicogênio - reserva dos animaisreserva dos animais e fungos -e fungos -
presente em grande quantidade no fígado epresente em grande quantidade no fígado e
nos músculos estriados esqueléticosnos músculos estriados esqueléticos..
Moléculas Orgânicas - GlicídiosMoléculas Orgânicas - Glicídios
ExemplosExemplos
AmidoAmido
Celulose
POLISSACARÍDEOS - ESTRUTURAPOLISSACARÍDEOS - ESTRUTURA
São substâncias importantes naSão substâncias importantes na construçãoconstrução
dos organismos vivosdos organismos vivos..
 Celulose: é oCelulose: é o principal componente da paredeprincipal componente da parede
celularcelular dos vegetais, por isso, é odos vegetais, por isso, é o
polissacarídeo mais abundante na natureza.polissacarídeo mais abundante na natureza.
 Quitina: contém N na sua composição.Quitina: contém N na sua composição.
É encontrado naÉ encontrado na parede celular dos fungos eparede celular dos fungos e
na carapaça (exoesqueleto) de artrópodesna carapaça (exoesqueleto) de artrópodes
como: insetos, aranhas e crustáceos.como: insetos, aranhas e crustáceos.
Na digestãoNa digestão
Os dissacarídeos e os polissacarídeos sãoOs dissacarídeos e os polissacarídeos são
quebrados em carboidratos mais simples, noquebrados em carboidratos mais simples, no
tubo digestivo, com a ajuda de enzimas nastubo digestivo, com a ajuda de enzimas nas
reações de hidrólisereações de hidrólise (quebra com água).(quebra com água).
A celulose não é digerida pelo intestino dosA celulose não é digerida pelo intestino dos
mamíferos, sendo necessários nosmamíferos, sendo necessários nos
ruminantes, aruminantes, a simbiosesimbiose com algunscom alguns
protozoários que quebram a celulose.protozoários que quebram a celulose.
e foi assim na prova...e foi assim na prova...
A quase totalidade da energia utilizada na Terra tem sua origem nasA quase totalidade da energia utilizada na Terra tem sua origem nas
radiações que recebemos do Sol. Uma parte é aproveitada diretamenteradiações que recebemos do Sol. Uma parte é aproveitada diretamente
dessas radiações (iluminação, aquecedores e baterias solares, etc.) edessas radiações (iluminação, aquecedores e baterias solares, etc.) e
outra parte, bem mais ampla, é transformada e armazenada sob diversasoutra parte, bem mais ampla, é transformada e armazenada sob diversas
formas antes de ser usada (carvão, petróleo, energia eólica, hidráulica,formas antes de ser usada (carvão, petróleo, energia eólica, hidráulica,
etc). A energia - incluindo a luz visível e as radiações ultravioleta eetc). A energia - incluindo a luz visível e as radiações ultravioleta e
infravermelha - é um dos componentes abióticos dos ecossistemas einfravermelha - é um dos componentes abióticos dos ecossistemas e
juntamente com a atmosfera e o solo deve ser considerada no estudo dosjuntamente com a atmosfera e o solo deve ser considerada no estudo dos
diversos níveis de organização dos ecossistemas, desde moléculasdiversos níveis de organização dos ecossistemas, desde moléculas
orgânicas, células, tecidos, organismos, populações e comunidades.orgânicas, células, tecidos, organismos, populações e comunidades.
(Adaptado de Antônio Máximo e Beatriz Alvarenga. "Curso de Física". v. 2. S. Paulo: Scipione, 1997. p. 433).(Adaptado de Antônio Máximo e Beatriz Alvarenga. "Curso de Física". v. 2. S. Paulo: Scipione, 1997. p. 433).
Considere as afirmativas a seguir, sobre a obtenção e armazenamentoConsidere as afirmativas a seguir, sobre a obtenção e armazenamento
de energia nos seres vivos.de energia nos seres vivos.
I.I. Os animais adquirem energia para suas atividades através daOs animais adquirem energia para suas atividades através da
alimentação.alimentação.
II.II. Nos vertebrados, parte dos carboidratos ingeridos é convertida emNos vertebrados, parte dos carboidratos ingeridos é convertida em
glicogênio.glicogênio.
III.III. O glicogênio é armazenado no pâncreas e no fígado.O glicogênio é armazenado no pâncreas e no fígado.
IV.IV. O excesso de carboidratos é transformado em amido.O excesso de carboidratos é transformado em amido.
Estão corretas SOMENTEEstão corretas SOMENTE
a) II, III e IV b) I, II e III c) III e IV d) II e IV e) I e IIa) II, III e IV b) I, II e III c) III e IV d) II e IV e) I e II
E
A invertase é a enzima que hidrolisa a sacarose em glicose e frutose.A invertase é a enzima que hidrolisa a sacarose em glicose e frutose.
Incubou-se, em condições adequadas, essa enzima com sacarose, deIncubou-se, em condições adequadas, essa enzima com sacarose, de
tal forma que a concentração inicial, em milimoles por litro, dotal forma que a concentração inicial, em milimoles por litro, do
dissacarídeo fosse de 10mM.dissacarídeo fosse de 10mM.
Observe os gráficos abaixo:Observe os gráficos abaixo:
Aquele que melhor representa a variação das concentrações, emAquele que melhor representa a variação das concentrações, em
função do tempo de incubação, da sacarose e da glicose, é o defunção do tempo de incubação, da sacarose e da glicose, é o de
número:número:
a)a) 44 b)b) 33 c)c) 22 d)d) 11
2
Glc + frutose
LipídeosLipídeos
 ColesterolColesterol
bom?bom?
ruim?ruim?
 Propagandas enganosasPropagandas enganosas
 AteroscleroseAterosclerose
 ácidos graxos insaturadosácidos graxos insaturados
AnabolizantesAnabolizantes
- Fantasia
- Efeitos colaterais
Moléculas Orgânicas - LipídiosMoléculas Orgânicas - Lipídios
Moléculas Orgânicas - LipídiosMoléculas Orgânicas - Lipídios
Formados pela união de ácidos graxos com álcool (glicerol).Formados pela união de ácidos graxos com álcool (glicerol).
Moléculas Orgânicas - LipídiosMoléculas Orgânicas - Lipídios
LIPÍDIOSLIPÍDIOS
Características gerais:Características gerais:
 São substâncias orgânicas, que liberam umaSão substâncias orgânicas, que liberam uma
grandegrande quantidade de energiaquantidade de energia, quando oxidadas., quando oxidadas.
 SãoSão insolúveis em águainsolúveis em água e solúveis em solventese solúveis em solventes
orgânicos.orgânicos.
 São formadas pela união de dois tipos deSão formadas pela união de dois tipos de
substâncias orgânicas:substâncias orgânicas: ácidos graxos e álcooácidos graxos e álcooll
formando umformando um éster.éster.
 São encontradas em várias estruturas celularesSão encontradas em várias estruturas celulares
como as membranas, podendo também sercomo as membranas, podendo também ser
encontrados livres na célula, servindo comoencontrados livres na célula, servindo como
material dematerial de reserva de energiareserva de energia, como as gorduras., como as gorduras.
LipídeosLipídeos
- grupo diverso de compostos.
- não têm unidade monomérica
- não têm um grupo funcional característico
Característica-identidade:
insolubilidade em água
Apolaridade → Hidrofobicidade
Moléculas Orgânicas - LipídeosMoléculas Orgânicas - Lipídeos
 Importância:Importância:
Reserva energética para uso a longo prazo.Reserva energética para uso a longo prazo.
Impermeabilizante.Impermeabilizante.
Isolante térmico e contra choques.Isolante térmico e contra choques.
Hormônios esteróides (sexuais, por ex.).Hormônios esteróides (sexuais, por ex.).
MembranasMembranas →→ constituídas por lipídios comconstituídas por lipídios com
regiões distintas (uma hidrófila e outraregiões distintas (uma hidrófila e outra
hidrófoba),hidrófoba),
FunçõesFunções
FunçõesFunções
1.1. Energética: ao serem degradados liberam umaEnergética: ao serem degradados liberam uma
grande quantidade de energia.grande quantidade de energia.
2.2. Isolante térmico: a camada de gordura que seIsolante térmico: a camada de gordura que se
acumula sobre a peleacumula sobre a pele (panículo adiposo)(panículo adiposo) ajuda aajuda a
evitarevitar a perda excessiva de calora perda excessiva de calor..
3.3. Amortecedora: sob a palma das mãos e a plantasAmortecedora: sob a palma das mãos e a plantas
dos pés, existe uma camada de gordura chamadodos pés, existe uma camada de gordura chamado
dede coxins amortecedorescoxins amortecedores, que funcionam como, que funcionam como
verdadeiros colchões,verdadeiros colchões, diminuindo o impactodiminuindo o impacto
com as superfícies.com as superfícies.
FunçõesFunções
4.4. Impermeabilizante: os vegetais possuem urnaImpermeabilizante: os vegetais possuem urna
camada de ceracamada de cera (cutícula)(cutícula) sobre suas folhas,sobre suas folhas,
com a função de evitar perdas excessivas decom a função de evitar perdas excessivas de
água porágua por transpiraçãotranspiração. As aves utilizam um óleo,. As aves utilizam um óleo,
produzido na glândula uropigeana, paraproduzido na glândula uropigeana, para
impermeabilizar as penas.impermeabilizar as penas.
5.5. Hormonal: vários hormônios, entre eles osHormonal: vários hormônios, entre eles os
sexuais, têm constituição lipídica.sexuais, têm constituição lipídica.
6.6. Estrutural: os fosfolipídios estão entre osEstrutural: os fosfolipídios estão entre os
principais componentes das membranasprincipais componentes das membranas
celulares.celulares.
Classificação (Lehninger)
Lipídios - classificaçãoLipídios - classificação
Os lipídios são classificados, de acordoOs lipídios são classificados, de acordo
com o tipo de álcool que possuem em suacom o tipo de álcool que possuem em sua
composição.composição.
glicerídeosglicerídeos
cerídeoscerídeos
esteroidesesteroides
carotenoidescarotenoides
fosfolipídiosfosfolipídios
Lipídios - glicerídeos (triglicerídeos)Lipídios - glicerídeos (triglicerídeos)
São moléculas resultantes da união deSão moléculas resultantes da união de
três moléculas de ácidos graxos com umatrês moléculas de ácidos graxos com uma
molécula de um álcool chamadomolécula de um álcool chamado glicerol,glicerol,
perdendo água.perdendo água.
Essa ligação recebe o nome deEssa ligação recebe o nome de reaçãoreação
de esterificaçãode esterificação..
São exemplos de glicerídeos ceras, óleosSão exemplos de glicerídeos ceras, óleos
e gorduras.e gorduras.
Triacilglicerois
• Funções: armazenam de energia e conferem isolamento
térmico
• Moléculas apolares, hidrofóbicas e insolúveis em água
• Gotículas de óleo no citosol aquoso
• Óleo em sementes de plantas
• Vantagem em comparação aos polissacarídeos: os átomos
de C são mais reduzidos, oxidação libera mais E
• Hidrofóbicos: não há peso extra da água de hidratação
– Humanos de peso moderado carregam de 15 a 20 kg de
TGs (fonte de energia por meses)
Fontes na natureza de TGs
Muitos alimentos contêm TGs
• Gorduras naturais: óleos
vegetais, gordura animal
• Hidrogenação: redução da
C=C em lig. Simples (óleos
vegetais – gordura sólida)
• Triestearina: gordura bovina
Fontes em alimentosFontes em alimentos
Triacilgliceróis
Moléculas Orgânicas - LipídiosMoléculas Orgânicas - Lipídios
 GordurasGorduras (sólidas à temperatura ambiente)(sólidas à temperatura ambiente) →→ ácidosácidos
graxosgraxos saturadossaturados (ligações entre carbonos)(ligações entre carbonos)..
 ÓleosÓleos (líquidos à temperatura ambiente)(líquidos à temperatura ambiente) →→ ácidosácidos
graxosgraxos insaturadosinsaturados (dupla ligação entre(dupla ligação entre
carbonos), o que provoca um dobramento nacarbonos), o que provoca um dobramento na
molécula impedindo que elas fiquem muitomolécula impedindo que elas fiquem muito
próximas.próximas.
Lipídios de reserva energética
• Gorduras e óleos: forma universal em
organismos vivos
• Derivados de ácidos graxos
Ácido graxo → CO2 + H20 + energia
Oxidação celular
• lipídeo ~ 9 kcal/g x 4 kcal/g carboidrato
Armazenados nos adipócitos (> 80% massa)
ÓLEOS X GORDURASÓLEOS X GORDURAS
 Óleos: são encontradosÓleos: são encontrados principalmenteprincipalmente
nos vegetaisnos vegetais, especialmente em, especialmente em
sementes, como é o caso dos óleos desementes, como é o caso dos óleos de
soja, de algodão, de amendoim, de milho,soja, de algodão, de amendoim, de milho,
de girassol e de arroz.de girassol e de arroz.
 Gorduras: são maisGorduras: são mais abundantes nosabundantes nos
animaisanimais acumulando-se principalmente emacumulando-se principalmente em
células adiposascélulas adiposas..
CerídeosCerídeos
São moléculas resultantes da união de ácidosSão moléculas resultantes da união de ácidos
graxos com um álcool degraxos com um álcool de cadeia maior que ocadeia maior que o
glicerol.glicerol.
Cerídeos - cerasCerídeos - ceras
Produzidas pelas plantas, impermeabilizam asProduzidas pelas plantas, impermeabilizam as
superfícies de folhas, flores e frutos reduzindo,superfícies de folhas, flores e frutos reduzindo,
dessa forma a evaporação; formam também odessa forma a evaporação; formam também o
cerume presente no ouvido dos mamíferos, com acerume presente no ouvido dos mamíferos, com a
função de proteção contra a entrada defunção de proteção contra a entrada de
microorganismos; além disso, são também usadasmicroorganismos; além disso, são também usadas
pelas abelhas na construção dos favos.pelas abelhas na construção dos favos.
Ceras biológicasCeras biológicas
• Armazenam energia e são
repelentes de água
• Ésteres de ácidos graxos
saturado e insaturado de cadeia
longa (C14 –C36) com álcoois de
cadeia longa (C16 – C30)
• Indústria farmacêutica,
cosmética e outras: óleos,
loções, cera de abelha etc.
FosfolipídiosFosfolipídios
São lipídios que apresentam uma molécula deSão lipídios que apresentam uma molécula de
glicerol ligada aglicerol ligada a dois ácidos graxos e um ácidodois ácidos graxos e um ácido
fosfóricofosfórico, ligado, por sua vez a outro álcool, que, ligado, por sua vez a outro álcool, que
pode ser, por exemplo, a colina e opode ser, por exemplo, a colina e o inusitol.inusitol.
Os fosfolipídios são encontrados nas membranasOs fosfolipídios são encontrados nas membranas
celulares.celulares.
Os principais exemplos de fosfolipídios são aOs principais exemplos de fosfolipídios são a
lecitina e a cefalina.lecitina e a cefalina.
CarotenoidesCarotenoides
São lipídios encontrados nos plastos vegetais,São lipídios encontrados nos plastos vegetais,
que possuem na sua composiçãoque possuem na sua composição pigmentospigmentos,,
dando a estes, cores variadas como vermelhos,dando a estes, cores variadas como vermelhos,
amarelos pardos etc.amarelos pardos etc.
Esterois
 Molécula anfipática: cabeça polar (OH em C-3)
corpo hidrocarbono apolar (núcleo esteróide e
cadeia lateral de hidrocarbono no C-17)
 Tão longo quanto um ácido graxo de 16 C
Esterois
• Lipídeos estruturais presentes na maioria das
células eucarióticas
• Esterol mais comum em animais: colesterol
• Outras atividades:
- hormônios esteróides (potentes sinalizadores em
regulação de expressão gênica)
- ácidos biliares (derivados polares do colesterol que
atuam como detergentes no intestino)
EsteroidesEsteroides
São moléculas resultantes da esterificação de ácidosSão moléculas resultantes da esterificação de ácidos
graxos e um álcool:graxos e um álcool: colesterolcolesterol ou oou o ergosterolergosterol..
O colesterol pode ser encontrado livre na membranaO colesterol pode ser encontrado livre na membrana
plasmática das células animais,plasmática das células animais, não sendonão sendo
encontradoencontrado nas células vegetaisnas células vegetais..
O colesterol é um álcool que, associada a molécula de ácido graxo,O colesterol é um álcool que, associada a molécula de ácido graxo,
origina oorigina o éster de colesteriléster de colesteril..
EsteroidesEsteroides
- hormônios sexuais- hormônios sexuais (estrógeno, progesterona e(estrógeno, progesterona e
testosterona)testosterona)
- sais biliares- sais biliares (auxiliam a digestão das gorduras)(auxiliam a digestão das gorduras)
- aldosterona- aldosterona (produzido nas glândulas supra-renais.(produzido nas glândulas supra-renais.
aumenta a reabsorção ativa de Na nos túbulos renais - maioraumenta a reabsorção ativa de Na nos túbulos renais - maior
retenção de água no organismo)retenção de água no organismo)
- vitamina D- vitamina D (produzida pela decomposição do ergosterol,(produzida pela decomposição do ergosterol,
pela açãopela ação dos raios UV do sol - contra o raquitismo)dos raios UV do sol - contra o raquitismo)
Lipoproteínas –Lipoproteínas – transportando colesteroltransportando colesterol
HDL X LDL - LipoproteínasHDL X LDL - Lipoproteínas
 HDL: lipoproteína de alta densidade; é conhecidaHDL: lipoproteína de alta densidade; é conhecida
como bom colesterol porque retira e elimina acomo bom colesterol porque retira e elimina a
gordura do sangue.gordura do sangue.
 LDL: lipoproteína de baixa densidade; é conhecidaLDL: lipoproteína de baixa densidade; é conhecida
como mau colesterol, por fazer o papel inverso, oucomo mau colesterol, por fazer o papel inverso, ou
seja, traz de volta aseja, traz de volta a gordura para o sangue.gordura para o sangue.
O colesterol circula pelo sangue unido a proteínas,O colesterol circula pelo sangue unido a proteínas,
formando lipoproteínas (HDL E LDL).formando lipoproteínas (HDL E LDL).
O colesterolO colesterol
O colesterol existente no corpo humanoO colesterol existente no corpo humano
pode ter duas origens: exógena, quandopode ter duas origens: exógena, quando
ingerido com alimentos como ovos, leite eingerido com alimentos como ovos, leite e
derivados, carnes em geral, caranguejos ederivados, carnes em geral, caranguejos e
camarões, entre outros; e endógenacamarões, entre outros; e endógena,,
quando fabricado pelo próprio organismo.quando fabricado pelo próprio organismo.
O fígado não só produz colesterol comoO fígado não só produz colesterol como
também pode degradá-lo, atuando, assim,também pode degradá-lo, atuando, assim,
como um órgão regulador da taxa dessacomo um órgão regulador da taxa dessa
substância no sangue.substância no sangue.
O colesterolO colesterol
Como vimos, o colesterol é importante paraComo vimos, o colesterol é importante para
o nosso organismo, urna vez que participao nosso organismo, urna vez que participa
da formação da membrana plasmática dasda formação da membrana plasmática das
células e atua como substancia precursoracélulas e atua como substancia precursora
de hormônios diversos, como os hormôniosde hormônios diversos, como os hormônios
sexuais testosterona e progesterona.sexuais testosterona e progesterona.
O colesterol, ainda, permite a formação daO colesterol, ainda, permite a formação da
vitamina D, (7-deidrocolesterol ativado) evitamina D, (7-deidrocolesterol ativado) e
dos sais biliares, que participam,dos sais biliares, que participam,
respectivamente, da absorção de cálcio erespectivamente, da absorção de cálcio e
de ácidos graxos no intestino.de ácidos graxos no intestino.
O colesterolO colesterol
Precisa ser mantido em nível normal, paraPrecisa ser mantido em nível normal, para
que o organismo não seja prejudicado.que o organismo não seja prejudicado.
Principalmente quando atinge altos níveisPrincipalmente quando atinge altos níveis
no sangue, o colesterol contribui para ano sangue, o colesterol contribui para a
formação de placas de ateromaformação de placas de ateroma,, acúmulosacúmulos
lipídicos que vão se depositando naslipídicos que vão se depositando nas
paredes das artérias, provocando-lhes umparedes das artérias, provocando-lhes um
estreitamento.estreitamento.
Além disso, a calcificação do ateromaAlém disso, a calcificação do ateroma
contribui para a perda da elasticidade dacontribui para a perda da elasticidade da
artéria.artéria.
O colesterol - ateroscleroseO colesterol - aterosclerose
Todo esse processo, que configura a doençaTodo esse processo, que configura a doença
chamada aterosclerosechamada aterosclerose,, reduz o fluxo dereduz o fluxo de
sangue nas artérias e pode comprometer asangue nas artérias e pode comprometer a
atividade de órgãos por elas irrigados.atividade de órgãos por elas irrigados.
No coração, por exemplo, a insuficiência doNo coração, por exemplo, a insuficiência do
fluxo sanguíneo pode provocar a morte defluxo sanguíneo pode provocar a morte de
parte do músculo cardíaco (miocárdio), o queparte do músculo cardíaco (miocárdio), o que
caracteriza o infartocaracteriza o infarto..
O colesterolO colesterol
Indivíduos com níveis de colesterol abaixo deIndivíduos com níveis de colesterol abaixo de
200 mg/100 mL de sangue são menos200 mg/100 mL de sangue são menos
propensos a ter doenças cardiovasculares dopropensos a ter doenças cardiovasculares do
que aqueles com leituras acima de 240 mg/100que aqueles com leituras acima de 240 mg/100
mL de sangue. Acima dessa faixa, o médicomL de sangue. Acima dessa faixa, o médico
receitará urna dieta adequada e, se for o caso,receitará urna dieta adequada e, se for o caso,
medicamentos próprios para colocar o nível demedicamentos próprios para colocar o nível de
colesterol, dentro da faixa considerada normal.colesterol, dentro da faixa considerada normal.
Suspeita-se que a aterosclerose ocorra emSuspeita-se que a aterosclerose ocorra em
conseqüência de urna certa predisposiçãoconseqüência de urna certa predisposição
hereditária, além de outros fatores como o hábitohereditária, além de outros fatores como o hábito
de fumar, o estresse, a vida sedentária e ode fumar, o estresse, a vida sedentária e o
consumo freqüente de alimentos que contenhamconsumo freqüente de alimentos que contenham
altos índices de colesterol.altos índices de colesterol.
Moléculas Orgânicas - LipídiosMoléculas Orgânicas - Lipídios
Lipídeos como
sinalizadores
(metabólitos,
mensageiros,
hormônios),
cofatores enzimáticos
(transporte de e-
em
cloroplastos e
mitocôndrias) e
pigmentos (absorção de
luz visível em visão e
fotossíntese).
Ácidos graxos
Ácidos carboxilícos com cadeias de
hidrocarbono (C4 a C36)
Características
Classificação e nomenclaturaClassificação e nomenclatura
Saturado ou insaturadoSaturado ou insaturado
Fluidez da membranaFluidez da membrana
Ácidos graxos saturados são menos fluidos, pois possuemÁcidos graxos saturados são menos fluidos, pois possuem
maior força de van der Waals.maior força de van der Waals.
Quanto mais sólido, mais próximas estão as moléculas.Quanto mais sólido, mais próximas estão as moléculas.
Quanto mais perto uma cadeia hidrofóbica da outra, maiorQuanto mais perto uma cadeia hidrofóbica da outra, maior
será a força de van der Waals.será a força de van der Waals.
As cadeias insaturadas têm maior fluidez porque asAs cadeias insaturadas têm maior fluidez porque as
moléculas não estarão tão próximas uma das outras,moléculas não estarão tão próximas uma das outras,
conseqüentemente a força de van der Waals diminui.conseqüentemente a força de van der Waals diminui.
Obs.: as quebras das insaturações não permitem que asObs.: as quebras das insaturações não permitem que as
moléculas fiquem próximas uma das outras, o que diminuimoléculas fiquem próximas uma das outras, o que diminui
a força de van der Waals.a força de van der Waals.
SolubilidadeSolubilidade
Ponto de fusãoPonto de fusão
 Saturados: cera
 Insaturados: óleo
 Diferentes graus de empacotamento
Lipídeos estruturais de membranaLipídeos estruturais de membrana
Membranas biológicas:
característica principal →
dupla camada lipídica
• Lipídeos: anfipáticos
• Interações hidrofóbicas entre si
e hidrofílicas com H2O → bicamada
• 3 tipos:
- glicerofosfolipídeos,
- esfingolipídeos
- esteróis
• 5 a 10% da massa seca
da maioria das células
Glicerofosfolipídeos - fosfogliceroisGlicerofosfolipídeos - fosfoglicerois
Região hidrofóbica: 2 ácidos graxos ligados a um
glicerol
Derivados do ácido fosfatídico
Comuns: diacilgliceróis ligados a um grupo álcool
através de ligação fosfodiéster
Exemplo de glicerofosfolipídeo
 Os ácidos graxos nos
glicerofosfolipídeos podem ser
de uma grande variedade.
 Um fosfolipídeo pode consistir
em várias espécies
moleculares, cada uma com
seu complemento de ácidos
graxos.
 Geralmente
 saturado (C16 ou C18) em C-1
 insaturado (C18 a C20) em C-2
EsfingolipídeosEsfingolipídeos
• Derivados de esfingosina (amino álcool, ou 1 de seus
derivados)
• Segunda maior classe de lipídeos de membrana
• Cabeça polar (ligação glicosídica ou fosfodiéster) e duas
caudas
apolares
• Sem glicerol!
• Três subclasses: esfingomielinas, glicolipídeos neutros (não
carregados - diferença: grupo cabeça) e gangliosídeos.
EsfingolipídeosEsfingolipídeos
Reconhecimento biológicoReconhecimento biológico
Esfingolipídeos na superfície
celular são sítios de
reconhecimento biológico
• Humanos: pelo menos 60
diferentes esfingolipídeos foram
identificados
• Oligossacarídeos de
glicoesfingolipídeos definem
em parte os grupos sanguíneos
humanos e, consequentemente,
as transfusões
Johann LW Thudichum (1829-1901)
EsfingolipídeosEsfingolipídeos
Lipídeos: sinalizadores,
cofatores e pigmentos
• Concentrações bem menores
• Função ativa no movimento metabólico como
metabólitos ou mensageiros
• Função como cofatores enzimáticos
• Pigmentos: absorção de luz visível
Lipídeos como sinalizadores
• Potentes sinalizadores: hormônios carregados no sangue
de um tecido para outro (hormônios esteróides).
• Mensageiros intracelulares produzidos a partir de um sinal
extracelular (hormônio ou fator de crescimento) –
ex: fosfatidil-inositol
• Eicosanóides: hormônios parácrinos (ação em células
vizinhas à síntese).
Envolvidos com função reprodutiva, inflamação, febre, dor,
coagulação.
Prostaglandinas, tromboxanas, leucotrienos.
Derivados do ácido aracdônico 20:4 (D5,8,11,14).
Eicosanoides
Anti-inflamatórios esteroidais - Inibição da liberação do aracdonato por
fosfolipase, e assim inibindo a síntese das prostaglandinas,
leucotrienos e tromboxanas
Extração de lipídeos
• Requer o uso de solventes orgânicos
– Triacilgliceróis, ceras, pigmentos: facilmente extraídos de
tecidos com éter etílico, clorofórmio, ou benzeno.
Solventes nos quais o arranjo lipídico dirigido pelas
interações hidrofóbicas não ocorrem.
– Lipídeos de membranas: solventes polares orgânicos
(etanol ou metanol) reduzem as interações hidrofóbicas e
enfraquecem as ligações de H e interações eletrostáticas
que ligam os lipídeos às proteínas de membrana.
ProteínasProteínas
Moléculas Orgânicas - ProteínasMoléculas Orgânicas - Proteínas
 Compostos de alto peso molecular.Compostos de alto peso molecular.
 Formadas pelo encadeamento deFormadas pelo encadeamento de
aminoácidos (aminoácidos (ligação peptídicaligação peptídica).).
 Representam cerca do 50 a 80% do peso seco da célulaRepresentam cerca do 50 a 80% do peso seco da célula
sendo, portanto, o composto orgânico mais abundantesendo, portanto, o composto orgânico mais abundante
de matéria viva.de matéria viva.
Do grego proteios, = primeiro, devido à importância que têm para a vida.
Moléculas Orgânicas - ProteínasMoléculas Orgânicas - Proteínas
AminoácidosAminoácidos
sãosão
mmonômerosonômeros
de peptídeos e dede peptídeos e de
proteínas.proteínas.
A união de aminoácidos
forma peptídeos.
LIGAÇÃO PEPTÍDICALIGAÇÃO PEPTÍDICA
OOu amídicau amídica é formada entre o carbono daé formada entre o carbono da
carboxila de um aminoácido com o grupocarboxila de um aminoácido com o grupo
amino de outro.amino de outro.
Dessa junção surge uma nova função orgânica -Dessa junção surge uma nova função orgânica - a amida.a amida.
Moléculas Orgânicas - ProteínasMoléculas Orgânicas - Proteínas
 A forma das proteínasA forma das proteínas
está diretamenteestá diretamente
relacionada à estruturarelacionada à estrutura
primária e,primária e,
consequentemente à suaconsequentemente à sua
função. Se for alterada, afunção. Se for alterada, a
proteína torna-se inativa.proteína torna-se inativa.
 Desnaturação – ocorreDesnaturação – ocorre
devido a alterações dedevido a alterações de
pH e de temperatura.pH e de temperatura.
ESTRUTURA DAS PROTEÍNASESTRUTURA DAS PROTEÍNAS
- Primária- Primária
Seqüência linear dos aminoácidos.Seqüência linear dos aminoácidos.
Ex: InsulinaEx: Insulina
ESTRUTURA DAS PROTEÍNASESTRUTURA DAS PROTEÍNAS
- Secundária- Secundária
Formato espiral ou helicoidal, devido à existênciaFormato espiral ou helicoidal, devido à existência
de ligação hidrogênio entre as moléculas dade ligação hidrogênio entre as moléculas da
proteína.proteína.
Ex: Queratina encontrada nas unhas.Ex: Queratina encontrada nas unhas.
ESTRUTURA DAS PROTEÍNASESTRUTURA DAS PROTEÍNAS
- Terciária- Terciária
Composição das estruturas primária eComposição das estruturas primária e
secundária ao mesmo tempo.secundária ao mesmo tempo.
ESTRUTURA DAS PROTEÍNASESTRUTURA DAS PROTEÍNAS
- Quaternária- Quaternária
Resulta da reunião de vários espirais, assumindo formasResulta da reunião de vários espirais, assumindo formas
espaciais bem definidas.espaciais bem definidas.
Ex: Proteína globularEx: Proteína globular
HemoglobinaHemoglobina
Moléculas Orgânicas - ProteínasMoléculas Orgânicas - Proteínas
 Função estruturalFunção estrutural - participam da estrutura dos tecidos.- participam da estrutura dos tecidos.
Ex.: cEx.: colágenoolágeno
Moléculas Orgânicas - ProteínasMoléculas Orgânicas - Proteínas
 FunçãoFunção
enzimáticaenzimática
AAs enzimas sãos enzimas são
reguladoras dasreguladoras das
reaçõesreações
biológicas.biológicas.
Ex.:Ex.: LipasesLipases
TToda enzima é umaoda enzima é uma
proteína.proteína.
Moléculas Orgânicas - ProteínasMoléculas Orgânicas - Proteínas
As enzimas aproximam os
reagentes/substratos, tornando a reação
mais favorável, pois colocam os
reagentes na distância e conformação
necessárias; além de diminuírem a
temperatura necessária para a
ocorrência das reações – função de
biocatalisador.
Moléculas Orgânicas - ProteínasMoléculas Orgânicas - Proteínas
 Função hormonalFunção hormonal
Muitos hormôniosMuitos hormônios
são de naturezasão de natureza
protéica.protéica.
Ex.:Ex.: InsulinaInsulina
Moléculas Orgânicas - ProteínasMoléculas Orgânicas - Proteínas
 Função de defesaFunção de defesa
Existem célulasExistem células
capazes decapazes de
"reconhecer""reconhecer"
proteínas "estranhas"proteínas "estranhas"
(antígenos) e produzir(antígenos) e produzir
proteínas de defesaproteínas de defesa
(anticorpos).(anticorpos).
A reação antígeno-anticorpo é altamente específica.A reação antígeno-anticorpo é altamente específica.
Moléculas Orgânicas - ProteínasMoléculas Orgânicas - Proteínas
Outras funções:Outras funções:
 Coagulação sanguínea - vários fatores daCoagulação sanguínea - vários fatores da
coagulação possuem natureza protéicacoagulação possuem natureza protéica
(fibrinogênio, globulina anti-hemofílica).(fibrinogênio, globulina anti-hemofílica).
 Transporte - hemoglobina, proteína responsávelTransporte - hemoglobina, proteína responsável
pelo transporte de oxigênio no sangue.pelo transporte de oxigênio no sangue.
e foi assim na prova...e foi assim na prova...
UERJ-2001/2UERJ-2001/2
Um estudante recebeu um quebra-cabeça que contémUm estudante recebeu um quebra-cabeça que contém
peças numeradas de 1 a 6, representando partes depeças numeradas de 1 a 6, representando partes de
moléculas.moléculas.
Para montar a
estrutura de uma
unidade
fundamental de
uma proteína, ele
deverá juntar três
peças do jogo na
seguinte seqüência:
a) 1, 5 e 3
b) 1, 5 e 6
c) 4, 2 e 3
d) 4, 2 e 6
UERJ-2007/2UERJ-2007/2
Observe, abaixo, o esquema simplificado de comoObserve, abaixo, o esquema simplificado de como
acontece, em diversos animais, o catabolismo doacontece, em diversos animais, o catabolismo do
aminoácido alanina.aminoácido alanina.
Nos animais ovíparos, como as
aves e os répteis, o principal
produto de excreção derivado
do grupamento de caráter
básico desse aminoácido
denomina-se:
a) uréia
b) ácido úrico
c) ácido pirúvico
d) gás carbônico
ÁcidosÁcidos
nucleicosnucleicos
 EngenhariaEngenharia
genéticagenética
 Teste deTeste de
paternidadepaternidade
Moléculas Orgânicas –Moléculas Orgânicas – Ácidos NucleicosÁcidos Nucleicos
 São polímeros, formados por monômerosSão polímeros, formados por monômeros
denominadosdenominados nucleotídeosnucleotídeos..
 São responsáveis pela síntese de proteínasSão responsáveis pela síntese de proteínas
e pela transmissão das características dose pela transmissão das características dos
organismos de uma geração para a outra.organismos de uma geração para a outra.
Ácidos Nucleicos - NucleotídeosÁcidos Nucleicos - Nucleotídeos
Ácidos Nucleicos - DNAÁcidos Nucleicos - DNA
Ácidos Nucleicos - DNAÁcidos Nucleicos - DNA
Ácidos Nucleicos - RNAÁcidos Nucleicos - RNA
 RNA TransportadorRNA Transportador
Ácidos Nucleicos - RNAÁcidos Nucleicos - RNA
 RNA Mensageiro - sínteseRNA Mensageiro - síntese
Testes genéticos: a ciência se antecipa à doençaTestes genéticos: a ciência se antecipa à doença
Com o avanço no mapeamento de 100 mil genes dos 23Com o avanço no mapeamento de 100 mil genes dos 23
pares de cromossomos do núcleo da célulapares de cromossomos do núcleo da célula (projeto Genoma,(projeto Genoma,
iniciado em 1990, nos EUA)iniciado em 1990, nos EUA), já é possível detectar por meio de, já é possível detectar por meio de
exames de DNAexames de DNA (ácido desoxirribonucleico)(ácido desoxirribonucleico) a probabilidade de umaa probabilidade de uma
pessoa desenvolver doenças (...).pessoa desenvolver doenças (...).
(O Globo, 10/08/97)(O Globo, 10/08/97)
Sabe-se que o citado mapeamento é feito a partir doSabe-se que o citado mapeamento é feito a partir do
conhecimento da seqüência de bases do DNA.conhecimento da seqüência de bases do DNA.
O esquema abaixo que representa o pareamento típico deO esquema abaixo que representa o pareamento típico de
bases encontradas na molécula de DNA, é:bases encontradas na molécula de DNA, é:
a)
b)
c)
d)
A
VitaminasVitaminas
 Falsas propagandas.Falsas propagandas.
 Inibidores de absorção de gorduras.Inibidores de absorção de gorduras.
Moléculas Orgânicas - VitaminasMoléculas Orgânicas - Vitaminas
 Apresentam natureza química heterogênea.Apresentam natureza química heterogênea.
 Necessárias em pequenas quantidades.Necessárias em pequenas quantidades.
 Desempenham importantes papéis emDesempenham importantes papéis em
vários processos metabólicos.vários processos metabólicos.
Vitaminas
• Compostos essenciais à saúde humana obtidos
somente pela dieta
Classificadas em:
– lipossolúveis (solventes orgânicos não polares).
Absorvidas junto à gordura.
Podem atingir níveis tóxicos.
A, D, E e K.
– hidrossolúveis: não são acumuladas no
organismo. Complexo B e vit.C
VitaminasVitaminas
HidrossoHidrosso
lúveislúveis
Vitaminas - LipossolúveisVitaminas - Lipossolúveis
e foi assim na prova...e foi assim na prova...
VITAMINASVITAMINAS
"Megadoses de desconfiança""Megadoses de desconfiança"
Utilização de tratamento alternativos e práticas deUtilização de tratamento alternativos e práticas de
terapia ortomolecular provocam polêmica entre médicos.terapia ortomolecular provocam polêmica entre médicos.
("Época", 14/09/98)("Época", 14/09/98)
Algumas vitaminas, entre elas o ácido ascórbico e oAlgumas vitaminas, entre elas o ácido ascórbico e o
tocoferol ou vitamina E, são preconizadas em dosestocoferol ou vitamina E, são preconizadas em doses
elevadas pelos defensores da chamada medicinaelevadas pelos defensores da chamada medicina
ortomolecular, com o objetivo de prevenir uma série deortomolecular, com o objetivo de prevenir uma série de
doenças provocadas, segundo eles, por um acúmulo dedoenças provocadas, segundo eles, por um acúmulo de
radicais livres no organismo.radicais livres no organismo.
A utilização com essa finalidade está baseada naA utilização com essa finalidade está baseada na
seguinte propriedade química dos compostos citados:seguinte propriedade química dos compostos citados:
a) oxidantea) oxidante
b) redutorab) redutora
c) detergentec) detergente
d) emulsionanted) emulsionante
B
Sobre as substâncias que compõem os seresSobre as substâncias que compõem os seres
vivos, é correto afirmar que:vivos, é correto afirmar que:
(01) os carboidratos, os lipídios e as vitaminas são(01) os carboidratos, os lipídios e as vitaminas são
fontes de energia para os seres vivos;fontes de energia para os seres vivos;
(02) a água é a substância inorgânica encontrada(02) a água é a substância inorgânica encontrada
em maior quantidade nos seres vivos;em maior quantidade nos seres vivos;
(04) além de sua função energética, os carboidratos(04) além de sua função energética, os carboidratos
estão presentes na formação de algumasestão presentes na formação de algumas
estruturas dos seres vivos;estruturas dos seres vivos;
(08) as gorduras constituem o principal componente(08) as gorduras constituem o principal componente
estrutural dos seres vivos;estrutural dos seres vivos;
(16) os seres vivos apresentam uma composição(16) os seres vivos apresentam uma composição
química mais complexa do que a matéria bruta,química mais complexa do que a matéria bruta,
sendo formados por substâncias orgânicas, comosendo formados por substâncias orgânicas, como
as proteínas, os lipídios, os carboidratos, asas proteínas, os lipídios, os carboidratos, as
vitaminas e os ácidos nucléicos.vitaminas e os ácidos nucléicos.
22
Dúvidas?????????Dúvidas?????????
Obrigada pela atenção.Obrigada pela atenção.
Consultas realizadasConsultas realizadas
 www.biologia.bio.brwww.biologia.bio.br
Mapeamento conceitual como estratégia para romper fronteiras disciplinares: aMapeamento conceitual como estratégia para romper fronteiras disciplinares: a
isomeria nos sistemas biológicosisomeria nos sistemas biológicos
Ciência & Educação (Bauru)Ciência & Educação (Bauru) Print versionPrint version ISSN 1516-7313ISSN 1516-7313
Ciênc. educ. (Bauru) vol.14 no.3 Bauru 2008Ciênc. educ. (Bauru) vol.14 no.3 Bauru 2008
doi: 10.1590/S1516-73132008000300008doi: 10.1590/S1516-73132008000300008
http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1516-73132008000300008&script=sci_arttexthttp://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1516-73132008000300008&script=sci_arttext

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Os invertebrados
Os invertebrados Os invertebrados
Os invertebrados
 
Mimetismo e camuflagem
Mimetismo e camuflagemMimetismo e camuflagem
Mimetismo e camuflagem
 
Metais pesados
Metais pesadosMetais pesados
Metais pesados
 
Algas
AlgasAlgas
Algas
 
Camada de ozonio
Camada de ozonioCamada de ozonio
Camada de ozonio
 
Aula 1 O corpo humano
Aula 1 O corpo humanoAula 1 O corpo humano
Aula 1 O corpo humano
 
A água slide
A água slideA água slide
A água slide
 
Saneamento Básico e Saúde Pública
Saneamento Básico e Saúde PúblicaSaneamento Básico e Saúde Pública
Saneamento Básico e Saúde Pública
 
Células
CélulasCélulas
Células
 
Tratamento da água
Tratamento da águaTratamento da água
Tratamento da água
 
Células ppt
Células   pptCélulas   ppt
Células ppt
 
As Algas
As AlgasAs Algas
As Algas
 
Importância da biodiversidade
Importância da biodiversidade Importância da biodiversidade
Importância da biodiversidade
 
Filos do Reino Animalia
Filos do Reino AnimaliaFilos do Reino Animalia
Filos do Reino Animalia
 
Ciclo do carbono
Ciclo do carbonoCiclo do carbono
Ciclo do carbono
 
Poluição ambiental
Poluição ambientalPoluição ambiental
Poluição ambiental
 
Classificação das Plantas
Classificação das PlantasClassificação das Plantas
Classificação das Plantas
 
Vitaminas
VitaminasVitaminas
Vitaminas
 
Sistemas circulatórios dos animais: uma comparação
Sistemas circulatórios dos animais: uma comparaçãoSistemas circulatórios dos animais: uma comparação
Sistemas circulatórios dos animais: uma comparação
 
Ciclo Da áGua
Ciclo Da áGuaCiclo Da áGua
Ciclo Da áGua
 

Semelhante a Composicao quimica compostosrelacionadosaos_seresvivos_eu_mazzetti

Composição Química Carboidratos e Lipídios
Composição Química Carboidratos e LipídiosComposição Química Carboidratos e Lipídios
Composição Química Carboidratos e LipídiosLaguat
 
Alimentos e-nutrientes
Alimentos e-nutrientesAlimentos e-nutrientes
Alimentos e-nutrientesthiagoluiz6
 
Nutricao saude-1-capitulo-1-ano-de-enfermagem (1)
Nutricao saude-1-capitulo-1-ano-de-enfermagem (1)Nutricao saude-1-capitulo-1-ano-de-enfermagem (1)
Nutricao saude-1-capitulo-1-ano-de-enfermagem (1)Cíntia Ribeiro
 
Nutricao saude-1-capitulo-1-ano-de-enfermagem
Nutricao saude-1-capitulo-1-ano-de-enfermagemNutricao saude-1-capitulo-1-ano-de-enfermagem
Nutricao saude-1-capitulo-1-ano-de-enfermagemIvone Reges
 
BIOQUIMIA - Introdução.pptxppppppppppppppp
BIOQUIMIA - Introdução.pptxpppppppppppppppBIOQUIMIA - Introdução.pptxppppppppppppppp
BIOQUIMIA - Introdução.pptxpppppppppppppppVictorGomes173122
 
Principais componentes dos alimentos. carboidratos
Principais componentes dos alimentos. carboidratosPrincipais componentes dos alimentos. carboidratos
Principais componentes dos alimentos. carboidratosRenato Delmondes
 
A4.1 comp.quimica da célula
A4.1 comp.quimica da célulaA4.1 comp.quimica da célula
A4.1 comp.quimica da célulaSimone Costa
 
ENFERMAGEM - MÓDULO I - NUTRIÇÃO E DIETÉTICA.pptx
ENFERMAGEM - MÓDULO I - NUTRIÇÃO E DIETÉTICA.pptxENFERMAGEM - MÓDULO I - NUTRIÇÃO E DIETÉTICA.pptx
ENFERMAGEM - MÓDULO I - NUTRIÇÃO E DIETÉTICA.pptxLarissaMorais89
 
Pdf biologia
Pdf biologiaPdf biologia
Pdf biologiaEMSNEWS
 
Química celular completo
Química celular completoQuímica celular completo
Química celular completoDalu Barreto
 
Bioquímica - Enem compacto
Bioquímica - Enem compactoBioquímica - Enem compacto
Bioquímica - Enem compactoemanuel
 
Bioquímica Celular e os nutrientes do organismo
Bioquímica Celular e os nutrientes do organismoBioquímica Celular e os nutrientes do organismo
Bioquímica Celular e os nutrientes do organismoLetícia da Silva
 
Carboidratos shared
Carboidratos sharedCarboidratos shared
Carboidratos sharedErica Alves
 
Proteínas, lipídios, vitaminas e ácidos nucléicos
Proteínas, lipídios, vitaminas e ácidos nucléicos Proteínas, lipídios, vitaminas e ácidos nucléicos
Proteínas, lipídios, vitaminas e ácidos nucléicos Rayssa Ferreira
 

Semelhante a Composicao quimica compostosrelacionadosaos_seresvivos_eu_mazzetti (20)

Bioquímica dos alimentos.pptx
Bioquímica dos alimentos.pptxBioquímica dos alimentos.pptx
Bioquímica dos alimentos.pptx
 
Composição Química Carboidratos e Lipídios
Composição Química Carboidratos e LipídiosComposição Química Carboidratos e Lipídios
Composição Química Carboidratos e Lipídios
 
Quimica da vida
Quimica da vida   Quimica da vida
Quimica da vida
 
Apresentação dieta e nutrição
Apresentação dieta e nutriçãoApresentação dieta e nutrição
Apresentação dieta e nutrição
 
Alimentos e-nutrientes
Alimentos e-nutrientesAlimentos e-nutrientes
Alimentos e-nutrientes
 
Nutricao saude-1-capitulo-1-ano-de-enfermagem (1)
Nutricao saude-1-capitulo-1-ano-de-enfermagem (1)Nutricao saude-1-capitulo-1-ano-de-enfermagem (1)
Nutricao saude-1-capitulo-1-ano-de-enfermagem (1)
 
Nutricao saude-1-capitulo-1-ano-de-enfermagem
Nutricao saude-1-capitulo-1-ano-de-enfermagemNutricao saude-1-capitulo-1-ano-de-enfermagem
Nutricao saude-1-capitulo-1-ano-de-enfermagem
 
BIOQUIMIA - Introdução.pptxppppppppppppppp
BIOQUIMIA - Introdução.pptxpppppppppppppppBIOQUIMIA - Introdução.pptxppppppppppppppp
BIOQUIMIA - Introdução.pptxppppppppppppppp
 
Principais componentes dos alimentos. carboidratos
Principais componentes dos alimentos. carboidratosPrincipais componentes dos alimentos. carboidratos
Principais componentes dos alimentos. carboidratos
 
A4.1 comp.quimica da célula
A4.1 comp.quimica da célulaA4.1 comp.quimica da célula
A4.1 comp.quimica da célula
 
ENFERMAGEM - MÓDULO I - NUTRIÇÃO E DIETÉTICA.pptx
ENFERMAGEM - MÓDULO I - NUTRIÇÃO E DIETÉTICA.pptxENFERMAGEM - MÓDULO I - NUTRIÇÃO E DIETÉTICA.pptx
ENFERMAGEM - MÓDULO I - NUTRIÇÃO E DIETÉTICA.pptx
 
Pdf biologia
Pdf biologiaPdf biologia
Pdf biologia
 
Apostila de Biologia
Apostila de BiologiaApostila de Biologia
Apostila de Biologia
 
Carboidratos
CarboidratosCarboidratos
Carboidratos
 
Química celular completo
Química celular completoQuímica celular completo
Química celular completo
 
ramiressom1.pptx
ramiressom1.pptxramiressom1.pptx
ramiressom1.pptx
 
Bioquímica - Enem compacto
Bioquímica - Enem compactoBioquímica - Enem compacto
Bioquímica - Enem compacto
 
Bioquímica Celular e os nutrientes do organismo
Bioquímica Celular e os nutrientes do organismoBioquímica Celular e os nutrientes do organismo
Bioquímica Celular e os nutrientes do organismo
 
Carboidratos shared
Carboidratos sharedCarboidratos shared
Carboidratos shared
 
Proteínas, lipídios, vitaminas e ácidos nucléicos
Proteínas, lipídios, vitaminas e ácidos nucléicos Proteínas, lipídios, vitaminas e ácidos nucléicos
Proteínas, lipídios, vitaminas e ácidos nucléicos
 

Mais de MatheusMesquitaMelo

9º ano reda cem - 9.32-arena e barra
9º ano   reda cem - 9.32-arena e barra9º ano   reda cem - 9.32-arena e barra
9º ano reda cem - 9.32-arena e barraMatheusMesquitaMelo
 
9º ano reda cem - 9.32-arena e barra
9º ano   reda cem - 9.32-arena e barra9º ano   reda cem - 9.32-arena e barra
9º ano reda cem - 9.32-arena e barraMatheusMesquitaMelo
 
8º ano reda cem - 8.32-todas as unidades
8º ano   reda cem - 8.32-todas as unidades8º ano   reda cem - 8.32-todas as unidades
8º ano reda cem - 8.32-todas as unidadesMatheusMesquitaMelo
 
7º ano reda cem - 7.32-barra e jpa
7º ano   reda cem - 7.32-barra e jpa7º ano   reda cem - 7.32-barra e jpa
7º ano reda cem - 7.32-barra e jpaMatheusMesquitaMelo
 
6º ano reda cem - 6.32-arena e barra
6º ano   reda cem - 6.32-arena e barra6º ano   reda cem - 6.32-arena e barra
6º ano reda cem - 6.32-arena e barraMatheusMesquitaMelo
 
2º série reda cem - 20.32-barra
2º série   reda cem -  20.32-barra2º série   reda cem -  20.32-barra
2º série reda cem - 20.32-barraMatheusMesquitaMelo
 
1ª serie reda cem - 10.32-arena
1ª serie   reda cem -  10.32-arena1ª serie   reda cem -  10.32-arena
1ª serie reda cem - 10.32-arenaMatheusMesquitaMelo
 
English cem high school 2nd grade - 20.15
English cem   high school 2nd grade - 20.15English cem   high school 2nd grade - 20.15
English cem high school 2nd grade - 20.15MatheusMesquitaMelo
 
English cem high school 1st grade - 10.15
English cem   high school 1st grade - 10.15English cem   high school 1st grade - 10.15
English cem high school 1st grade - 10.15MatheusMesquitaMelo
 
English cem 9th grade more 4 - 9.15
English cem   9th grade more 4 - 9.15English cem   9th grade more 4 - 9.15
English cem 9th grade more 4 - 9.15MatheusMesquitaMelo
 

Mais de MatheusMesquitaMelo (20)

9º ano reda cem - 9.32-arena e barra
9º ano   reda cem - 9.32-arena e barra9º ano   reda cem - 9.32-arena e barra
9º ano reda cem - 9.32-arena e barra
 
9º ano reda cem - 9.32-arena e barra
9º ano   reda cem - 9.32-arena e barra9º ano   reda cem - 9.32-arena e barra
9º ano reda cem - 9.32-arena e barra
 
8º ano reda cem - 8.32-todas as unidades
8º ano   reda cem - 8.32-todas as unidades8º ano   reda cem - 8.32-todas as unidades
8º ano reda cem - 8.32-todas as unidades
 
7º ano reda cem - 7.32-barra e jpa
7º ano   reda cem - 7.32-barra e jpa7º ano   reda cem - 7.32-barra e jpa
7º ano reda cem - 7.32-barra e jpa
 
6º ano reda cem - 6.32-jpa
6º ano   reda cem - 6.32-jpa6º ano   reda cem - 6.32-jpa
6º ano reda cem - 6.32-jpa
 
6º ano reda cem - 6.32-arena e barra
6º ano   reda cem - 6.32-arena e barra6º ano   reda cem - 6.32-arena e barra
6º ano reda cem - 6.32-arena e barra
 
2º série reda cem - 20.32-jpa
2º série   reda cem -  20.32-jpa2º série   reda cem -  20.32-jpa
2º série reda cem - 20.32-jpa
 
2º série reda cem - 20.32-barra
2º série   reda cem -  20.32-barra2º série   reda cem -  20.32-barra
2º série reda cem - 20.32-barra
 
1º série reda cem - 10.32-jpa
1º série   reda cem -  10.32-jpa1º série   reda cem -  10.32-jpa
1º série reda cem - 10.32-jpa
 
1ª serie reda cem - 10.32-arena
1ª serie   reda cem -  10.32-arena1ª serie   reda cem -  10.32-arena
1ª serie reda cem - 10.32-arena
 
9º ano reda cem - 9.32-jpa
9º ano   reda cem - 9.32-jpa9º ano   reda cem - 9.32-jpa
9º ano reda cem - 9.32-jpa
 
1º série reda cem - 10.31
1º série   reda cem -  10.311º série   reda cem -  10.31
1º série reda cem - 10.31
 
9º ano reda cem - 9.31
9º ano   reda cem - 9.319º ano   reda cem - 9.31
9º ano reda cem - 9.31
 
8º ano reda cem - 8.31
8º ano   reda cem - 8.318º ano   reda cem - 8.31
8º ano reda cem - 8.31
 
7º ano reda cem - 7.31
7º ano   reda cem - 7.317º ano   reda cem - 7.31
7º ano reda cem - 7.31
 
6º ano reda cem - 6.31
6º ano   reda cem - 6.316º ano   reda cem - 6.31
6º ano reda cem - 6.31
 
2º série reda cem - 20.31
2º série   reda cem -  20.312º série   reda cem -  20.31
2º série reda cem - 20.31
 
English cem high school 2nd grade - 20.15
English cem   high school 2nd grade - 20.15English cem   high school 2nd grade - 20.15
English cem high school 2nd grade - 20.15
 
English cem high school 1st grade - 10.15
English cem   high school 1st grade - 10.15English cem   high school 1st grade - 10.15
English cem high school 1st grade - 10.15
 
English cem 9th grade more 4 - 9.15
English cem   9th grade more 4 - 9.15English cem   9th grade more 4 - 9.15
English cem 9th grade more 4 - 9.15
 

Último

Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEblogdoelvis
 
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024azulassessoria9
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASyan1305goncalves
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdfAntonio Barros
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasMonizeEvellin2
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteLeonel Morgado
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoIlda Bicacro
 
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdfSistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdfAntonio Barros
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfssuser06ee57
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfManuais Formação
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaHenrique Santos
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorialNeuroppIsnayaLciaMar
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalcarlamgalves5
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfcarloseduardogonalve36
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoVALMIRARIBEIRO1
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxIlda Bicacro
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfMarcianaClaudioClaud
 

Último (20)

Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdfSistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
 

Composicao quimica compostosrelacionadosaos_seresvivos_eu_mazzetti

  • 1. Compostos relacionadosCompostos relacionados aos seres vivosaos seres vivos ProfProfaa Adriana NogueiraAdriana Nogueira
  • 2.
  • 3.
  • 4. Os compostos existentes nas células, que funcionam na transformação de energia, de modo a disponibilizá-la rapidamente, são comuns em todos os seres vivos. As proporções relativas de substâncias energéticas (carboidratos, gorduras e proteínas) e de outras substâncias, como as vitaminas e sais minerais, são, também, muito próximas na maioria das células e guardam as mesmas funções.
  • 5. Substâncias da Matéria VivaSubstâncias da Matéria Viva
  • 6. A bioquímicaA bioquímica no cotidianono cotidiano
  • 8. Estruturas representativas de algumas macromoléculas biológicas: em A, ácido desoxirribonucléico, ou DNA (as fitas laterais representam os carboidratos ligados a grupos fosfatos e as ‘hastes’ do interior, em azul, vermelho e branco, são as bases nitrogenadas que formam o código genético); em B, albumina, proteína mais abundante do plasma, com 585 aminoácidos e rica em estruturas espirais conhecidas como ‘hélices’ (cada cor representa uma região da proteína); em C, micela, uma estrutura formada por várias moléculas de lipídio em solução aquosa (as linhas verdes representam a ‘cauda’ hidrofóbica e as esferas azuis a ‘cabeça’ hidrofílica); em D, a glicose, principal monossacarídeo da natureza, formada por átomos de hidrogênio (em cinza), oxigênio (em vermelho) e carbono (em verde)
  • 12.  As biomoléculas são de fundamental importância naAs biomoléculas são de fundamental importância na formação da matéria humana e a geração da bioenergiaformação da matéria humana e a geração da bioenergia para a realização de várias atividades, o mundo volta ospara a realização de várias atividades, o mundo volta os olhos para os problemas causados pelo malolhos para os problemas causados pelo mal aproveitamento dessas moléculas, em decorrência do diaaproveitamento dessas moléculas, em decorrência do dia a dia estressante em que vivemos e hábitos nadaa dia estressante em que vivemos e hábitos nada saudáveis de vida. Cabe então aos processossaudáveis de vida. Cabe então aos processos educacionais incluir a temática em seus estudos, paraeducacionais incluir a temática em seus estudos, para despertar a população ao enfrentamento dessesdespertar a população ao enfrentamento desses problemas.problemas.  A interação das biomoléculas em seres humanos podeA interação das biomoléculas em seres humanos pode determinar o grau de saúde de cada indivíduo. O estilo dedeterminar o grau de saúde de cada indivíduo. O estilo de vida com práticas de exercícios físicos e bons hábitosvida com práticas de exercícios físicos e bons hábitos alimentares, pode ser a saída para evitar doençasalimentares, pode ser a saída para evitar doenças relacionadas ao controle dessas biomoléculas nos seresrelacionadas ao controle dessas biomoléculas nos seres humanos.humanos.
  • 13.
  • 15.
  • 16. Moléculas Inorgânicas -Moléculas Inorgânicas - ÁGUAÁGUA Fenômenos osmóticosFenômenos osmóticos
  • 17. Moléculas Inorgânicas -Moléculas Inorgânicas - ÁGUAÁGUA Fenômenos osmóticosFenômenos osmóticos
  • 18. Moléculas Inorgânicas -Moléculas Inorgânicas - SAISSAIS Os sais minerais possuem papéis essenciaisOs sais minerais possuem papéis essenciais Constituintes estruturais dos tecidosConstituintes estruturais dos tecidos corpóreos (cálcio e fósforo em ossos ecorpóreos (cálcio e fósforo em ossos e dentes);dentes); Reguladores no controle dos impulsosReguladores no controle dos impulsos nervosos, da atividade muscular e donervosos, da atividade muscular e do balanço ácido-base do organismo;balanço ácido-base do organismo; Componentes ou ativadores/reguladoresComponentes ou ativadores/reguladores de muitas enzimas.de muitas enzimas.
  • 19. Sais mineraisSais minerais  Bebidas isotônicasBebidas isotônicas benefíciosbenefícios riscosriscos
  • 20. Sais mineraisSais minerais - fast food - alimentos industrializados
  • 22. GlicídiosGlicídios  QuitosanaQuitosana tratamento de águatratamento de água combate à obesidadecombate à obesidade  Sinalização celularSinalização celular sistema AB0sistema AB0 hemáciashemácias
  • 23. GlicídiosGlicídios Controlar os níveis da glicose é fundamental para preservar a saúde, em qualquer idade. (Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia)
  • 24. CARBOIDRATOSCARBOIDRATOS Características gerais:Características gerais:  São também conhecidos como açúcares;São também conhecidos como açúcares; hidratos de carbono, glicídios, glúcides.hidratos de carbono, glicídios, glúcides.  RepresentamRepresentam a principal fonte de energiaa principal fonte de energia para a célula.para a célula.  São tambémSão também componentes estruturaiscomponentes estruturais importantes das paredes celulares e dasimportantes das paredes celulares e das substâncias intracelulares.substâncias intracelulares.  Classificação: monossacarídeos,Classificação: monossacarídeos, dissacarídeos e polissacarídeos.dissacarídeos e polissacarídeos.
  • 25. Moléculas Orgânicas - GlicídiosMoléculas Orgânicas - Glicídios CarboidratosCarboidratos (maioria formada apenas por C, O e H)(maioria formada apenas por C, O e H) com grupo aldeídico ou cetônico.com grupo aldeídico ou cetônico.
  • 26. Moléculas Orgânicas - GlicídiosMoléculas Orgânicas - Glicídios Importância:Importância:  Acumulador de energia luminosa.Acumulador de energia luminosa. Glicose –Glicose – fotossíntese.fotossíntese.  Reserva energética para uso rápido.Reserva energética para uso rápido. Polissacarídeos -Polissacarídeos - amido nos vegetais eamido nos vegetais e glicogênio nos animaisglicogênio nos animais..  Componente estrutural da parede celular.Componente estrutural da parede celular. CeluloseCelulose - nos vegetais.- nos vegetais.
  • 27. Moléculas Orgânicas - GlicídiosMoléculas Orgânicas - Glicídios  MonossacarídeosMonossacarídeos - glicídios mais simples.- glicídios mais simples. Classificados segundo o número deClassificados segundo o número de átomos de carbonoátomos de carbono (trioses, tetroses,(trioses, tetroses, pentoses, hexoses...).pentoses, hexoses...).  PolissacarídeosPolissacarídeos - polímeros de glicídios- polímeros de glicídios simples.simples. Síntese por desidratação.Síntese por desidratação.
  • 28.
  • 29. MONOSSACARÍDEOSMONOSSACARÍDEOS São glicídios simples,São glicídios simples, que não sofremque não sofrem hidrólisehidrólise, de fórmula geral C, de fórmula geral Cnn(H(H22O)O) nn, cujo, cujo valor devalor de nn varia de 3 a 7.varia de 3 a 7.
  • 30. MONOSSACARÍDEOSMONOSSACARÍDEOS PENTOSESPENTOSES São monossacarídeos comSão monossacarídeos com 5 carbonos5 carbonos.. Ribose: é o açúcar do ácido nucléicoRibose: é o açúcar do ácido nucléico RNA eRNA e do ATP.do ATP. Desoxirribose: é o açúcar do ácido nucléicoDesoxirribose: é o açúcar do ácido nucléico DNA.DNA.
  • 31. MONOSSACARÍDEOSMONOSSACARÍDEOS HEXOSESHEXOSES São monossacarídeos comSão monossacarídeos com 6 carbonos6 carbonos.. Glicose: é o açúcar produzido pelo vegetal naGlicose: é o açúcar produzido pelo vegetal na fotossíntesefotossíntese. É o. É o principal combustívelprincipal combustível dada célula.célula. Frutose: é o açúcar presente nos frutos e noFrutose: é o açúcar presente nos frutos e no esperma humano.esperma humano. Galactose: é um dos componentes doGalactose: é um dos componentes do açúcaraçúcar do leite.do leite.
  • 32. DISSACARÍDEOSDISSACARÍDEOS São formados pelaSão formados pela união de 2união de 2 monossacarídeosmonossacarídeos.. Quando os monossacarídeos se fundem,Quando os monossacarídeos se fundem, háhá perda de uma molécula de águaperda de uma molécula de água (reação de(reação de desidratação) e a ligação que se estabelecedesidratação) e a ligação que se estabelece entre eles recebe o nome deentre eles recebe o nome de ligaçãoligação glicosídicaglicosídica..
  • 33. DISSACARÍDEOSDISSACARÍDEOS Sacarose =Sacarose = glicose + frutoseglicose + frutose: é o açúcar daé o açúcar da cana-de-açúcar, compõe a chamada seivacana-de-açúcar, compõe a chamada seiva elaborada dos vegetais.elaborada dos vegetais. Lactose =Lactose = glicose + galactoseglicose + galactose: é o açúcar: é o açúcar do leite.do leite. Maltose =Maltose = glicose + glicoseglicose + glicose: é o açúcar: é o açúcar típico dos vegetais, usado na fabricação detípico dos vegetais, usado na fabricação de cerveja.cerveja.
  • 34. POLISSACARÍDEOSPOLISSACARÍDEOS São formados pelaSão formados pela união de muitosunião de muitos monossacarídeosmonossacarídeos porpor ligaçãoligação glicosídicaglicosídica.. Classificados de acordo com sua função:Classificados de acordo com sua função: RESERVA ou ESTRUTURA.RESERVA ou ESTRUTURA.
  • 35. POLISSACARÍDEOS - RESERVAPOLISSACARÍDEOS - RESERVA São substâncias que são armazenadas comoSão substâncias que são armazenadas como fonte de energiafonte de energia pelos seres vivos.pelos seres vivos.  Amido -Amido - reserva dos vegetais -reserva dos vegetais - presente empresente em grande quantidade em sementes, no caule egrande quantidade em sementes, no caule e nas raízes.nas raízes.  Glicogênio -Glicogênio - reserva dos animaisreserva dos animais e fungos -e fungos - presente em grande quantidade no fígado epresente em grande quantidade no fígado e nos músculos estriados esqueléticosnos músculos estriados esqueléticos..
  • 36. Moléculas Orgânicas - GlicídiosMoléculas Orgânicas - Glicídios ExemplosExemplos AmidoAmido Celulose
  • 37. POLISSACARÍDEOS - ESTRUTURAPOLISSACARÍDEOS - ESTRUTURA São substâncias importantes naSão substâncias importantes na construçãoconstrução dos organismos vivosdos organismos vivos..  Celulose: é oCelulose: é o principal componente da paredeprincipal componente da parede celularcelular dos vegetais, por isso, é odos vegetais, por isso, é o polissacarídeo mais abundante na natureza.polissacarídeo mais abundante na natureza.  Quitina: contém N na sua composição.Quitina: contém N na sua composição. É encontrado naÉ encontrado na parede celular dos fungos eparede celular dos fungos e na carapaça (exoesqueleto) de artrópodesna carapaça (exoesqueleto) de artrópodes como: insetos, aranhas e crustáceos.como: insetos, aranhas e crustáceos.
  • 38. Na digestãoNa digestão Os dissacarídeos e os polissacarídeos sãoOs dissacarídeos e os polissacarídeos são quebrados em carboidratos mais simples, noquebrados em carboidratos mais simples, no tubo digestivo, com a ajuda de enzimas nastubo digestivo, com a ajuda de enzimas nas reações de hidrólisereações de hidrólise (quebra com água).(quebra com água). A celulose não é digerida pelo intestino dosA celulose não é digerida pelo intestino dos mamíferos, sendo necessários nosmamíferos, sendo necessários nos ruminantes, aruminantes, a simbiosesimbiose com algunscom alguns protozoários que quebram a celulose.protozoários que quebram a celulose.
  • 39.
  • 40. e foi assim na prova...e foi assim na prova...
  • 41. A quase totalidade da energia utilizada na Terra tem sua origem nasA quase totalidade da energia utilizada na Terra tem sua origem nas radiações que recebemos do Sol. Uma parte é aproveitada diretamenteradiações que recebemos do Sol. Uma parte é aproveitada diretamente dessas radiações (iluminação, aquecedores e baterias solares, etc.) edessas radiações (iluminação, aquecedores e baterias solares, etc.) e outra parte, bem mais ampla, é transformada e armazenada sob diversasoutra parte, bem mais ampla, é transformada e armazenada sob diversas formas antes de ser usada (carvão, petróleo, energia eólica, hidráulica,formas antes de ser usada (carvão, petróleo, energia eólica, hidráulica, etc). A energia - incluindo a luz visível e as radiações ultravioleta eetc). A energia - incluindo a luz visível e as radiações ultravioleta e infravermelha - é um dos componentes abióticos dos ecossistemas einfravermelha - é um dos componentes abióticos dos ecossistemas e juntamente com a atmosfera e o solo deve ser considerada no estudo dosjuntamente com a atmosfera e o solo deve ser considerada no estudo dos diversos níveis de organização dos ecossistemas, desde moléculasdiversos níveis de organização dos ecossistemas, desde moléculas orgânicas, células, tecidos, organismos, populações e comunidades.orgânicas, células, tecidos, organismos, populações e comunidades. (Adaptado de Antônio Máximo e Beatriz Alvarenga. "Curso de Física". v. 2. S. Paulo: Scipione, 1997. p. 433).(Adaptado de Antônio Máximo e Beatriz Alvarenga. "Curso de Física". v. 2. S. Paulo: Scipione, 1997. p. 433). Considere as afirmativas a seguir, sobre a obtenção e armazenamentoConsidere as afirmativas a seguir, sobre a obtenção e armazenamento de energia nos seres vivos.de energia nos seres vivos. I.I. Os animais adquirem energia para suas atividades através daOs animais adquirem energia para suas atividades através da alimentação.alimentação. II.II. Nos vertebrados, parte dos carboidratos ingeridos é convertida emNos vertebrados, parte dos carboidratos ingeridos é convertida em glicogênio.glicogênio. III.III. O glicogênio é armazenado no pâncreas e no fígado.O glicogênio é armazenado no pâncreas e no fígado. IV.IV. O excesso de carboidratos é transformado em amido.O excesso de carboidratos é transformado em amido. Estão corretas SOMENTEEstão corretas SOMENTE a) II, III e IV b) I, II e III c) III e IV d) II e IV e) I e IIa) II, III e IV b) I, II e III c) III e IV d) II e IV e) I e II E
  • 42. A invertase é a enzima que hidrolisa a sacarose em glicose e frutose.A invertase é a enzima que hidrolisa a sacarose em glicose e frutose. Incubou-se, em condições adequadas, essa enzima com sacarose, deIncubou-se, em condições adequadas, essa enzima com sacarose, de tal forma que a concentração inicial, em milimoles por litro, dotal forma que a concentração inicial, em milimoles por litro, do dissacarídeo fosse de 10mM.dissacarídeo fosse de 10mM. Observe os gráficos abaixo:Observe os gráficos abaixo: Aquele que melhor representa a variação das concentrações, emAquele que melhor representa a variação das concentrações, em função do tempo de incubação, da sacarose e da glicose, é o defunção do tempo de incubação, da sacarose e da glicose, é o de número:número: a)a) 44 b)b) 33 c)c) 22 d)d) 11 2 Glc + frutose
  • 43. LipídeosLipídeos  ColesterolColesterol bom?bom? ruim?ruim?  Propagandas enganosasPropagandas enganosas  AteroscleroseAterosclerose  ácidos graxos insaturadosácidos graxos insaturados
  • 45. Moléculas Orgânicas - LipídiosMoléculas Orgânicas - Lipídios
  • 46. Moléculas Orgânicas - LipídiosMoléculas Orgânicas - Lipídios Formados pela união de ácidos graxos com álcool (glicerol).Formados pela união de ácidos graxos com álcool (glicerol).
  • 47. Moléculas Orgânicas - LipídiosMoléculas Orgânicas - Lipídios
  • 48. LIPÍDIOSLIPÍDIOS Características gerais:Características gerais:  São substâncias orgânicas, que liberam umaSão substâncias orgânicas, que liberam uma grandegrande quantidade de energiaquantidade de energia, quando oxidadas., quando oxidadas.  SãoSão insolúveis em águainsolúveis em água e solúveis em solventese solúveis em solventes orgânicos.orgânicos.  São formadas pela união de dois tipos deSão formadas pela união de dois tipos de substâncias orgânicas:substâncias orgânicas: ácidos graxos e álcooácidos graxos e álcooll formando umformando um éster.éster.  São encontradas em várias estruturas celularesSão encontradas em várias estruturas celulares como as membranas, podendo também sercomo as membranas, podendo também ser encontrados livres na célula, servindo comoencontrados livres na célula, servindo como material dematerial de reserva de energiareserva de energia, como as gorduras., como as gorduras.
  • 49. LipídeosLipídeos - grupo diverso de compostos. - não têm unidade monomérica - não têm um grupo funcional característico Característica-identidade: insolubilidade em água Apolaridade → Hidrofobicidade
  • 50.
  • 51. Moléculas Orgânicas - LipídeosMoléculas Orgânicas - Lipídeos  Importância:Importância: Reserva energética para uso a longo prazo.Reserva energética para uso a longo prazo. Impermeabilizante.Impermeabilizante. Isolante térmico e contra choques.Isolante térmico e contra choques. Hormônios esteróides (sexuais, por ex.).Hormônios esteróides (sexuais, por ex.). MembranasMembranas →→ constituídas por lipídios comconstituídas por lipídios com regiões distintas (uma hidrófila e outraregiões distintas (uma hidrófila e outra hidrófoba),hidrófoba),
  • 53. FunçõesFunções 1.1. Energética: ao serem degradados liberam umaEnergética: ao serem degradados liberam uma grande quantidade de energia.grande quantidade de energia. 2.2. Isolante térmico: a camada de gordura que seIsolante térmico: a camada de gordura que se acumula sobre a peleacumula sobre a pele (panículo adiposo)(panículo adiposo) ajuda aajuda a evitarevitar a perda excessiva de calora perda excessiva de calor.. 3.3. Amortecedora: sob a palma das mãos e a plantasAmortecedora: sob a palma das mãos e a plantas dos pés, existe uma camada de gordura chamadodos pés, existe uma camada de gordura chamado dede coxins amortecedorescoxins amortecedores, que funcionam como, que funcionam como verdadeiros colchões,verdadeiros colchões, diminuindo o impactodiminuindo o impacto com as superfícies.com as superfícies.
  • 54. FunçõesFunções 4.4. Impermeabilizante: os vegetais possuem urnaImpermeabilizante: os vegetais possuem urna camada de ceracamada de cera (cutícula)(cutícula) sobre suas folhas,sobre suas folhas, com a função de evitar perdas excessivas decom a função de evitar perdas excessivas de água porágua por transpiraçãotranspiração. As aves utilizam um óleo,. As aves utilizam um óleo, produzido na glândula uropigeana, paraproduzido na glândula uropigeana, para impermeabilizar as penas.impermeabilizar as penas. 5.5. Hormonal: vários hormônios, entre eles osHormonal: vários hormônios, entre eles os sexuais, têm constituição lipídica.sexuais, têm constituição lipídica. 6.6. Estrutural: os fosfolipídios estão entre osEstrutural: os fosfolipídios estão entre os principais componentes das membranasprincipais componentes das membranas celulares.celulares.
  • 56. Lipídios - classificaçãoLipídios - classificação Os lipídios são classificados, de acordoOs lipídios são classificados, de acordo com o tipo de álcool que possuem em suacom o tipo de álcool que possuem em sua composição.composição. glicerídeosglicerídeos cerídeoscerídeos esteroidesesteroides carotenoidescarotenoides fosfolipídiosfosfolipídios
  • 57. Lipídios - glicerídeos (triglicerídeos)Lipídios - glicerídeos (triglicerídeos) São moléculas resultantes da união deSão moléculas resultantes da união de três moléculas de ácidos graxos com umatrês moléculas de ácidos graxos com uma molécula de um álcool chamadomolécula de um álcool chamado glicerol,glicerol, perdendo água.perdendo água. Essa ligação recebe o nome deEssa ligação recebe o nome de reaçãoreação de esterificaçãode esterificação.. São exemplos de glicerídeos ceras, óleosSão exemplos de glicerídeos ceras, óleos e gorduras.e gorduras.
  • 58. Triacilglicerois • Funções: armazenam de energia e conferem isolamento térmico • Moléculas apolares, hidrofóbicas e insolúveis em água • Gotículas de óleo no citosol aquoso • Óleo em sementes de plantas • Vantagem em comparação aos polissacarídeos: os átomos de C são mais reduzidos, oxidação libera mais E • Hidrofóbicos: não há peso extra da água de hidratação – Humanos de peso moderado carregam de 15 a 20 kg de TGs (fonte de energia por meses)
  • 59. Fontes na natureza de TGs Muitos alimentos contêm TGs • Gorduras naturais: óleos vegetais, gordura animal • Hidrogenação: redução da C=C em lig. Simples (óleos vegetais – gordura sólida) • Triestearina: gordura bovina
  • 62. Moléculas Orgânicas - LipídiosMoléculas Orgânicas - Lipídios  GordurasGorduras (sólidas à temperatura ambiente)(sólidas à temperatura ambiente) →→ ácidosácidos graxosgraxos saturadossaturados (ligações entre carbonos)(ligações entre carbonos)..  ÓleosÓleos (líquidos à temperatura ambiente)(líquidos à temperatura ambiente) →→ ácidosácidos graxosgraxos insaturadosinsaturados (dupla ligação entre(dupla ligação entre carbonos), o que provoca um dobramento nacarbonos), o que provoca um dobramento na molécula impedindo que elas fiquem muitomolécula impedindo que elas fiquem muito próximas.próximas.
  • 63. Lipídios de reserva energética • Gorduras e óleos: forma universal em organismos vivos • Derivados de ácidos graxos Ácido graxo → CO2 + H20 + energia Oxidação celular • lipídeo ~ 9 kcal/g x 4 kcal/g carboidrato Armazenados nos adipócitos (> 80% massa)
  • 64. ÓLEOS X GORDURASÓLEOS X GORDURAS  Óleos: são encontradosÓleos: são encontrados principalmenteprincipalmente nos vegetaisnos vegetais, especialmente em, especialmente em sementes, como é o caso dos óleos desementes, como é o caso dos óleos de soja, de algodão, de amendoim, de milho,soja, de algodão, de amendoim, de milho, de girassol e de arroz.de girassol e de arroz.  Gorduras: são maisGorduras: são mais abundantes nosabundantes nos animaisanimais acumulando-se principalmente emacumulando-se principalmente em células adiposascélulas adiposas..
  • 65. CerídeosCerídeos São moléculas resultantes da união de ácidosSão moléculas resultantes da união de ácidos graxos com um álcool degraxos com um álcool de cadeia maior que ocadeia maior que o glicerol.glicerol.
  • 66. Cerídeos - cerasCerídeos - ceras Produzidas pelas plantas, impermeabilizam asProduzidas pelas plantas, impermeabilizam as superfícies de folhas, flores e frutos reduzindo,superfícies de folhas, flores e frutos reduzindo, dessa forma a evaporação; formam também odessa forma a evaporação; formam também o cerume presente no ouvido dos mamíferos, com acerume presente no ouvido dos mamíferos, com a função de proteção contra a entrada defunção de proteção contra a entrada de microorganismos; além disso, são também usadasmicroorganismos; além disso, são também usadas pelas abelhas na construção dos favos.pelas abelhas na construção dos favos.
  • 67. Ceras biológicasCeras biológicas • Armazenam energia e são repelentes de água • Ésteres de ácidos graxos saturado e insaturado de cadeia longa (C14 –C36) com álcoois de cadeia longa (C16 – C30) • Indústria farmacêutica, cosmética e outras: óleos, loções, cera de abelha etc.
  • 68. FosfolipídiosFosfolipídios São lipídios que apresentam uma molécula deSão lipídios que apresentam uma molécula de glicerol ligada aglicerol ligada a dois ácidos graxos e um ácidodois ácidos graxos e um ácido fosfóricofosfórico, ligado, por sua vez a outro álcool, que, ligado, por sua vez a outro álcool, que pode ser, por exemplo, a colina e opode ser, por exemplo, a colina e o inusitol.inusitol. Os fosfolipídios são encontrados nas membranasOs fosfolipídios são encontrados nas membranas celulares.celulares. Os principais exemplos de fosfolipídios são aOs principais exemplos de fosfolipídios são a lecitina e a cefalina.lecitina e a cefalina.
  • 69. CarotenoidesCarotenoides São lipídios encontrados nos plastos vegetais,São lipídios encontrados nos plastos vegetais, que possuem na sua composiçãoque possuem na sua composição pigmentospigmentos,, dando a estes, cores variadas como vermelhos,dando a estes, cores variadas como vermelhos, amarelos pardos etc.amarelos pardos etc.
  • 70. Esterois  Molécula anfipática: cabeça polar (OH em C-3) corpo hidrocarbono apolar (núcleo esteróide e cadeia lateral de hidrocarbono no C-17)  Tão longo quanto um ácido graxo de 16 C
  • 71. Esterois • Lipídeos estruturais presentes na maioria das células eucarióticas • Esterol mais comum em animais: colesterol • Outras atividades: - hormônios esteróides (potentes sinalizadores em regulação de expressão gênica) - ácidos biliares (derivados polares do colesterol que atuam como detergentes no intestino)
  • 72. EsteroidesEsteroides São moléculas resultantes da esterificação de ácidosSão moléculas resultantes da esterificação de ácidos graxos e um álcool:graxos e um álcool: colesterolcolesterol ou oou o ergosterolergosterol.. O colesterol pode ser encontrado livre na membranaO colesterol pode ser encontrado livre na membrana plasmática das células animais,plasmática das células animais, não sendonão sendo encontradoencontrado nas células vegetaisnas células vegetais.. O colesterol é um álcool que, associada a molécula de ácido graxo,O colesterol é um álcool que, associada a molécula de ácido graxo, origina oorigina o éster de colesteriléster de colesteril..
  • 73. EsteroidesEsteroides - hormônios sexuais- hormônios sexuais (estrógeno, progesterona e(estrógeno, progesterona e testosterona)testosterona) - sais biliares- sais biliares (auxiliam a digestão das gorduras)(auxiliam a digestão das gorduras) - aldosterona- aldosterona (produzido nas glândulas supra-renais.(produzido nas glândulas supra-renais. aumenta a reabsorção ativa de Na nos túbulos renais - maioraumenta a reabsorção ativa de Na nos túbulos renais - maior retenção de água no organismo)retenção de água no organismo) - vitamina D- vitamina D (produzida pela decomposição do ergosterol,(produzida pela decomposição do ergosterol, pela açãopela ação dos raios UV do sol - contra o raquitismo)dos raios UV do sol - contra o raquitismo)
  • 74. Lipoproteínas –Lipoproteínas – transportando colesteroltransportando colesterol
  • 75. HDL X LDL - LipoproteínasHDL X LDL - Lipoproteínas  HDL: lipoproteína de alta densidade; é conhecidaHDL: lipoproteína de alta densidade; é conhecida como bom colesterol porque retira e elimina acomo bom colesterol porque retira e elimina a gordura do sangue.gordura do sangue.  LDL: lipoproteína de baixa densidade; é conhecidaLDL: lipoproteína de baixa densidade; é conhecida como mau colesterol, por fazer o papel inverso, oucomo mau colesterol, por fazer o papel inverso, ou seja, traz de volta aseja, traz de volta a gordura para o sangue.gordura para o sangue. O colesterol circula pelo sangue unido a proteínas,O colesterol circula pelo sangue unido a proteínas, formando lipoproteínas (HDL E LDL).formando lipoproteínas (HDL E LDL).
  • 76. O colesterolO colesterol O colesterol existente no corpo humanoO colesterol existente no corpo humano pode ter duas origens: exógena, quandopode ter duas origens: exógena, quando ingerido com alimentos como ovos, leite eingerido com alimentos como ovos, leite e derivados, carnes em geral, caranguejos ederivados, carnes em geral, caranguejos e camarões, entre outros; e endógenacamarões, entre outros; e endógena,, quando fabricado pelo próprio organismo.quando fabricado pelo próprio organismo. O fígado não só produz colesterol comoO fígado não só produz colesterol como também pode degradá-lo, atuando, assim,também pode degradá-lo, atuando, assim, como um órgão regulador da taxa dessacomo um órgão regulador da taxa dessa substância no sangue.substância no sangue.
  • 77. O colesterolO colesterol Como vimos, o colesterol é importante paraComo vimos, o colesterol é importante para o nosso organismo, urna vez que participao nosso organismo, urna vez que participa da formação da membrana plasmática dasda formação da membrana plasmática das células e atua como substancia precursoracélulas e atua como substancia precursora de hormônios diversos, como os hormôniosde hormônios diversos, como os hormônios sexuais testosterona e progesterona.sexuais testosterona e progesterona. O colesterol, ainda, permite a formação daO colesterol, ainda, permite a formação da vitamina D, (7-deidrocolesterol ativado) evitamina D, (7-deidrocolesterol ativado) e dos sais biliares, que participam,dos sais biliares, que participam, respectivamente, da absorção de cálcio erespectivamente, da absorção de cálcio e de ácidos graxos no intestino.de ácidos graxos no intestino.
  • 78. O colesterolO colesterol Precisa ser mantido em nível normal, paraPrecisa ser mantido em nível normal, para que o organismo não seja prejudicado.que o organismo não seja prejudicado. Principalmente quando atinge altos níveisPrincipalmente quando atinge altos níveis no sangue, o colesterol contribui para ano sangue, o colesterol contribui para a formação de placas de ateromaformação de placas de ateroma,, acúmulosacúmulos lipídicos que vão se depositando naslipídicos que vão se depositando nas paredes das artérias, provocando-lhes umparedes das artérias, provocando-lhes um estreitamento.estreitamento. Além disso, a calcificação do ateromaAlém disso, a calcificação do ateroma contribui para a perda da elasticidade dacontribui para a perda da elasticidade da artéria.artéria.
  • 79. O colesterol - ateroscleroseO colesterol - aterosclerose Todo esse processo, que configura a doençaTodo esse processo, que configura a doença chamada aterosclerosechamada aterosclerose,, reduz o fluxo dereduz o fluxo de sangue nas artérias e pode comprometer asangue nas artérias e pode comprometer a atividade de órgãos por elas irrigados.atividade de órgãos por elas irrigados. No coração, por exemplo, a insuficiência doNo coração, por exemplo, a insuficiência do fluxo sanguíneo pode provocar a morte defluxo sanguíneo pode provocar a morte de parte do músculo cardíaco (miocárdio), o queparte do músculo cardíaco (miocárdio), o que caracteriza o infartocaracteriza o infarto..
  • 80. O colesterolO colesterol Indivíduos com níveis de colesterol abaixo deIndivíduos com níveis de colesterol abaixo de 200 mg/100 mL de sangue são menos200 mg/100 mL de sangue são menos propensos a ter doenças cardiovasculares dopropensos a ter doenças cardiovasculares do que aqueles com leituras acima de 240 mg/100que aqueles com leituras acima de 240 mg/100 mL de sangue. Acima dessa faixa, o médicomL de sangue. Acima dessa faixa, o médico receitará urna dieta adequada e, se for o caso,receitará urna dieta adequada e, se for o caso, medicamentos próprios para colocar o nível demedicamentos próprios para colocar o nível de colesterol, dentro da faixa considerada normal.colesterol, dentro da faixa considerada normal. Suspeita-se que a aterosclerose ocorra emSuspeita-se que a aterosclerose ocorra em conseqüência de urna certa predisposiçãoconseqüência de urna certa predisposição hereditária, além de outros fatores como o hábitohereditária, além de outros fatores como o hábito de fumar, o estresse, a vida sedentária e ode fumar, o estresse, a vida sedentária e o consumo freqüente de alimentos que contenhamconsumo freqüente de alimentos que contenham altos índices de colesterol.altos índices de colesterol.
  • 81. Moléculas Orgânicas - LipídiosMoléculas Orgânicas - Lipídios Lipídeos como sinalizadores (metabólitos, mensageiros, hormônios), cofatores enzimáticos (transporte de e- em cloroplastos e mitocôndrias) e pigmentos (absorção de luz visível em visão e fotossíntese).
  • 82. Ácidos graxos Ácidos carboxilícos com cadeias de hidrocarbono (C4 a C36) Características
  • 85. Fluidez da membranaFluidez da membrana Ácidos graxos saturados são menos fluidos, pois possuemÁcidos graxos saturados são menos fluidos, pois possuem maior força de van der Waals.maior força de van der Waals. Quanto mais sólido, mais próximas estão as moléculas.Quanto mais sólido, mais próximas estão as moléculas. Quanto mais perto uma cadeia hidrofóbica da outra, maiorQuanto mais perto uma cadeia hidrofóbica da outra, maior será a força de van der Waals.será a força de van der Waals. As cadeias insaturadas têm maior fluidez porque asAs cadeias insaturadas têm maior fluidez porque as moléculas não estarão tão próximas uma das outras,moléculas não estarão tão próximas uma das outras, conseqüentemente a força de van der Waals diminui.conseqüentemente a força de van der Waals diminui. Obs.: as quebras das insaturações não permitem que asObs.: as quebras das insaturações não permitem que as moléculas fiquem próximas uma das outras, o que diminuimoléculas fiquem próximas uma das outras, o que diminui a força de van der Waals.a força de van der Waals.
  • 87. Ponto de fusãoPonto de fusão  Saturados: cera  Insaturados: óleo  Diferentes graus de empacotamento
  • 88. Lipídeos estruturais de membranaLipídeos estruturais de membrana Membranas biológicas: característica principal → dupla camada lipídica • Lipídeos: anfipáticos • Interações hidrofóbicas entre si e hidrofílicas com H2O → bicamada • 3 tipos: - glicerofosfolipídeos, - esfingolipídeos - esteróis • 5 a 10% da massa seca da maioria das células
  • 89. Glicerofosfolipídeos - fosfogliceroisGlicerofosfolipídeos - fosfoglicerois Região hidrofóbica: 2 ácidos graxos ligados a um glicerol Derivados do ácido fosfatídico Comuns: diacilgliceróis ligados a um grupo álcool através de ligação fosfodiéster
  • 90. Exemplo de glicerofosfolipídeo  Os ácidos graxos nos glicerofosfolipídeos podem ser de uma grande variedade.  Um fosfolipídeo pode consistir em várias espécies moleculares, cada uma com seu complemento de ácidos graxos.  Geralmente  saturado (C16 ou C18) em C-1  insaturado (C18 a C20) em C-2
  • 91. EsfingolipídeosEsfingolipídeos • Derivados de esfingosina (amino álcool, ou 1 de seus derivados) • Segunda maior classe de lipídeos de membrana • Cabeça polar (ligação glicosídica ou fosfodiéster) e duas caudas apolares • Sem glicerol! • Três subclasses: esfingomielinas, glicolipídeos neutros (não carregados - diferença: grupo cabeça) e gangliosídeos.
  • 93. Reconhecimento biológicoReconhecimento biológico Esfingolipídeos na superfície celular são sítios de reconhecimento biológico • Humanos: pelo menos 60 diferentes esfingolipídeos foram identificados • Oligossacarídeos de glicoesfingolipídeos definem em parte os grupos sanguíneos humanos e, consequentemente, as transfusões Johann LW Thudichum (1829-1901)
  • 95. Lipídeos: sinalizadores, cofatores e pigmentos • Concentrações bem menores • Função ativa no movimento metabólico como metabólitos ou mensageiros • Função como cofatores enzimáticos • Pigmentos: absorção de luz visível
  • 96. Lipídeos como sinalizadores • Potentes sinalizadores: hormônios carregados no sangue de um tecido para outro (hormônios esteróides). • Mensageiros intracelulares produzidos a partir de um sinal extracelular (hormônio ou fator de crescimento) – ex: fosfatidil-inositol • Eicosanóides: hormônios parácrinos (ação em células vizinhas à síntese). Envolvidos com função reprodutiva, inflamação, febre, dor, coagulação. Prostaglandinas, tromboxanas, leucotrienos. Derivados do ácido aracdônico 20:4 (D5,8,11,14).
  • 97. Eicosanoides Anti-inflamatórios esteroidais - Inibição da liberação do aracdonato por fosfolipase, e assim inibindo a síntese das prostaglandinas, leucotrienos e tromboxanas
  • 98. Extração de lipídeos • Requer o uso de solventes orgânicos – Triacilgliceróis, ceras, pigmentos: facilmente extraídos de tecidos com éter etílico, clorofórmio, ou benzeno. Solventes nos quais o arranjo lipídico dirigido pelas interações hidrofóbicas não ocorrem. – Lipídeos de membranas: solventes polares orgânicos (etanol ou metanol) reduzem as interações hidrofóbicas e enfraquecem as ligações de H e interações eletrostáticas que ligam os lipídeos às proteínas de membrana.
  • 100. Moléculas Orgânicas - ProteínasMoléculas Orgânicas - Proteínas  Compostos de alto peso molecular.Compostos de alto peso molecular.  Formadas pelo encadeamento deFormadas pelo encadeamento de aminoácidos (aminoácidos (ligação peptídicaligação peptídica).).  Representam cerca do 50 a 80% do peso seco da célulaRepresentam cerca do 50 a 80% do peso seco da célula sendo, portanto, o composto orgânico mais abundantesendo, portanto, o composto orgânico mais abundante de matéria viva.de matéria viva. Do grego proteios, = primeiro, devido à importância que têm para a vida.
  • 101. Moléculas Orgânicas - ProteínasMoléculas Orgânicas - Proteínas AminoácidosAminoácidos sãosão mmonômerosonômeros de peptídeos e dede peptídeos e de proteínas.proteínas. A união de aminoácidos forma peptídeos.
  • 102.
  • 103. LIGAÇÃO PEPTÍDICALIGAÇÃO PEPTÍDICA OOu amídicau amídica é formada entre o carbono daé formada entre o carbono da carboxila de um aminoácido com o grupocarboxila de um aminoácido com o grupo amino de outro.amino de outro. Dessa junção surge uma nova função orgânica -Dessa junção surge uma nova função orgânica - a amida.a amida.
  • 104. Moléculas Orgânicas - ProteínasMoléculas Orgânicas - Proteínas  A forma das proteínasA forma das proteínas está diretamenteestá diretamente relacionada à estruturarelacionada à estrutura primária e,primária e, consequentemente à suaconsequentemente à sua função. Se for alterada, afunção. Se for alterada, a proteína torna-se inativa.proteína torna-se inativa.  Desnaturação – ocorreDesnaturação – ocorre devido a alterações dedevido a alterações de pH e de temperatura.pH e de temperatura.
  • 105. ESTRUTURA DAS PROTEÍNASESTRUTURA DAS PROTEÍNAS - Primária- Primária Seqüência linear dos aminoácidos.Seqüência linear dos aminoácidos. Ex: InsulinaEx: Insulina
  • 106. ESTRUTURA DAS PROTEÍNASESTRUTURA DAS PROTEÍNAS - Secundária- Secundária Formato espiral ou helicoidal, devido à existênciaFormato espiral ou helicoidal, devido à existência de ligação hidrogênio entre as moléculas dade ligação hidrogênio entre as moléculas da proteína.proteína. Ex: Queratina encontrada nas unhas.Ex: Queratina encontrada nas unhas.
  • 107. ESTRUTURA DAS PROTEÍNASESTRUTURA DAS PROTEÍNAS - Terciária- Terciária Composição das estruturas primária eComposição das estruturas primária e secundária ao mesmo tempo.secundária ao mesmo tempo.
  • 108. ESTRUTURA DAS PROTEÍNASESTRUTURA DAS PROTEÍNAS - Quaternária- Quaternária Resulta da reunião de vários espirais, assumindo formasResulta da reunião de vários espirais, assumindo formas espaciais bem definidas.espaciais bem definidas. Ex: Proteína globularEx: Proteína globular HemoglobinaHemoglobina
  • 109. Moléculas Orgânicas - ProteínasMoléculas Orgânicas - Proteínas  Função estruturalFunção estrutural - participam da estrutura dos tecidos.- participam da estrutura dos tecidos. Ex.: cEx.: colágenoolágeno
  • 110. Moléculas Orgânicas - ProteínasMoléculas Orgânicas - Proteínas  FunçãoFunção enzimáticaenzimática AAs enzimas sãos enzimas são reguladoras dasreguladoras das reaçõesreações biológicas.biológicas. Ex.:Ex.: LipasesLipases TToda enzima é umaoda enzima é uma proteína.proteína.
  • 111. Moléculas Orgânicas - ProteínasMoléculas Orgânicas - Proteínas As enzimas aproximam os reagentes/substratos, tornando a reação mais favorável, pois colocam os reagentes na distância e conformação necessárias; além de diminuírem a temperatura necessária para a ocorrência das reações – função de biocatalisador.
  • 112. Moléculas Orgânicas - ProteínasMoléculas Orgânicas - Proteínas  Função hormonalFunção hormonal Muitos hormôniosMuitos hormônios são de naturezasão de natureza protéica.protéica. Ex.:Ex.: InsulinaInsulina
  • 113. Moléculas Orgânicas - ProteínasMoléculas Orgânicas - Proteínas  Função de defesaFunção de defesa Existem célulasExistem células capazes decapazes de "reconhecer""reconhecer" proteínas "estranhas"proteínas "estranhas" (antígenos) e produzir(antígenos) e produzir proteínas de defesaproteínas de defesa (anticorpos).(anticorpos). A reação antígeno-anticorpo é altamente específica.A reação antígeno-anticorpo é altamente específica.
  • 114. Moléculas Orgânicas - ProteínasMoléculas Orgânicas - Proteínas Outras funções:Outras funções:  Coagulação sanguínea - vários fatores daCoagulação sanguínea - vários fatores da coagulação possuem natureza protéicacoagulação possuem natureza protéica (fibrinogênio, globulina anti-hemofílica).(fibrinogênio, globulina anti-hemofílica).  Transporte - hemoglobina, proteína responsávelTransporte - hemoglobina, proteína responsável pelo transporte de oxigênio no sangue.pelo transporte de oxigênio no sangue.
  • 115. e foi assim na prova...e foi assim na prova...
  • 116. UERJ-2001/2UERJ-2001/2 Um estudante recebeu um quebra-cabeça que contémUm estudante recebeu um quebra-cabeça que contém peças numeradas de 1 a 6, representando partes depeças numeradas de 1 a 6, representando partes de moléculas.moléculas. Para montar a estrutura de uma unidade fundamental de uma proteína, ele deverá juntar três peças do jogo na seguinte seqüência: a) 1, 5 e 3 b) 1, 5 e 6 c) 4, 2 e 3 d) 4, 2 e 6
  • 117. UERJ-2007/2UERJ-2007/2 Observe, abaixo, o esquema simplificado de comoObserve, abaixo, o esquema simplificado de como acontece, em diversos animais, o catabolismo doacontece, em diversos animais, o catabolismo do aminoácido alanina.aminoácido alanina. Nos animais ovíparos, como as aves e os répteis, o principal produto de excreção derivado do grupamento de caráter básico desse aminoácido denomina-se: a) uréia b) ácido úrico c) ácido pirúvico d) gás carbônico
  • 119. Moléculas Orgânicas –Moléculas Orgânicas – Ácidos NucleicosÁcidos Nucleicos  São polímeros, formados por monômerosSão polímeros, formados por monômeros denominadosdenominados nucleotídeosnucleotídeos..  São responsáveis pela síntese de proteínasSão responsáveis pela síntese de proteínas e pela transmissão das características dose pela transmissão das características dos organismos de uma geração para a outra.organismos de uma geração para a outra.
  • 120. Ácidos Nucleicos - NucleotídeosÁcidos Nucleicos - Nucleotídeos
  • 121. Ácidos Nucleicos - DNAÁcidos Nucleicos - DNA
  • 122. Ácidos Nucleicos - DNAÁcidos Nucleicos - DNA
  • 123. Ácidos Nucleicos - RNAÁcidos Nucleicos - RNA  RNA TransportadorRNA Transportador
  • 124. Ácidos Nucleicos - RNAÁcidos Nucleicos - RNA  RNA Mensageiro - sínteseRNA Mensageiro - síntese
  • 125. Testes genéticos: a ciência se antecipa à doençaTestes genéticos: a ciência se antecipa à doença Com o avanço no mapeamento de 100 mil genes dos 23Com o avanço no mapeamento de 100 mil genes dos 23 pares de cromossomos do núcleo da célulapares de cromossomos do núcleo da célula (projeto Genoma,(projeto Genoma, iniciado em 1990, nos EUA)iniciado em 1990, nos EUA), já é possível detectar por meio de, já é possível detectar por meio de exames de DNAexames de DNA (ácido desoxirribonucleico)(ácido desoxirribonucleico) a probabilidade de umaa probabilidade de uma pessoa desenvolver doenças (...).pessoa desenvolver doenças (...). (O Globo, 10/08/97)(O Globo, 10/08/97) Sabe-se que o citado mapeamento é feito a partir doSabe-se que o citado mapeamento é feito a partir do conhecimento da seqüência de bases do DNA.conhecimento da seqüência de bases do DNA. O esquema abaixo que representa o pareamento típico deO esquema abaixo que representa o pareamento típico de bases encontradas na molécula de DNA, é:bases encontradas na molécula de DNA, é: a) b) c) d) A
  • 126. VitaminasVitaminas  Falsas propagandas.Falsas propagandas.  Inibidores de absorção de gorduras.Inibidores de absorção de gorduras.
  • 127. Moléculas Orgânicas - VitaminasMoléculas Orgânicas - Vitaminas  Apresentam natureza química heterogênea.Apresentam natureza química heterogênea.  Necessárias em pequenas quantidades.Necessárias em pequenas quantidades.  Desempenham importantes papéis emDesempenham importantes papéis em vários processos metabólicos.vários processos metabólicos.
  • 128. Vitaminas • Compostos essenciais à saúde humana obtidos somente pela dieta Classificadas em: – lipossolúveis (solventes orgânicos não polares). Absorvidas junto à gordura. Podem atingir níveis tóxicos. A, D, E e K. – hidrossolúveis: não são acumuladas no organismo. Complexo B e vit.C
  • 131. e foi assim na prova...e foi assim na prova...
  • 132. VITAMINASVITAMINAS "Megadoses de desconfiança""Megadoses de desconfiança" Utilização de tratamento alternativos e práticas deUtilização de tratamento alternativos e práticas de terapia ortomolecular provocam polêmica entre médicos.terapia ortomolecular provocam polêmica entre médicos. ("Época", 14/09/98)("Época", 14/09/98) Algumas vitaminas, entre elas o ácido ascórbico e oAlgumas vitaminas, entre elas o ácido ascórbico e o tocoferol ou vitamina E, são preconizadas em dosestocoferol ou vitamina E, são preconizadas em doses elevadas pelos defensores da chamada medicinaelevadas pelos defensores da chamada medicina ortomolecular, com o objetivo de prevenir uma série deortomolecular, com o objetivo de prevenir uma série de doenças provocadas, segundo eles, por um acúmulo dedoenças provocadas, segundo eles, por um acúmulo de radicais livres no organismo.radicais livres no organismo. A utilização com essa finalidade está baseada naA utilização com essa finalidade está baseada na seguinte propriedade química dos compostos citados:seguinte propriedade química dos compostos citados: a) oxidantea) oxidante b) redutorab) redutora c) detergentec) detergente d) emulsionanted) emulsionante B
  • 133. Sobre as substâncias que compõem os seresSobre as substâncias que compõem os seres vivos, é correto afirmar que:vivos, é correto afirmar que: (01) os carboidratos, os lipídios e as vitaminas são(01) os carboidratos, os lipídios e as vitaminas são fontes de energia para os seres vivos;fontes de energia para os seres vivos; (02) a água é a substância inorgânica encontrada(02) a água é a substância inorgânica encontrada em maior quantidade nos seres vivos;em maior quantidade nos seres vivos; (04) além de sua função energética, os carboidratos(04) além de sua função energética, os carboidratos estão presentes na formação de algumasestão presentes na formação de algumas estruturas dos seres vivos;estruturas dos seres vivos; (08) as gorduras constituem o principal componente(08) as gorduras constituem o principal componente estrutural dos seres vivos;estrutural dos seres vivos; (16) os seres vivos apresentam uma composição(16) os seres vivos apresentam uma composição química mais complexa do que a matéria bruta,química mais complexa do que a matéria bruta, sendo formados por substâncias orgânicas, comosendo formados por substâncias orgânicas, como as proteínas, os lipídios, os carboidratos, asas proteínas, os lipídios, os carboidratos, as vitaminas e os ácidos nucléicos.vitaminas e os ácidos nucléicos. 22
  • 136.
  • 137.
  • 138. Consultas realizadasConsultas realizadas  www.biologia.bio.brwww.biologia.bio.br Mapeamento conceitual como estratégia para romper fronteiras disciplinares: aMapeamento conceitual como estratégia para romper fronteiras disciplinares: a isomeria nos sistemas biológicosisomeria nos sistemas biológicos Ciência & Educação (Bauru)Ciência & Educação (Bauru) Print versionPrint version ISSN 1516-7313ISSN 1516-7313 Ciênc. educ. (Bauru) vol.14 no.3 Bauru 2008Ciênc. educ. (Bauru) vol.14 no.3 Bauru 2008 doi: 10.1590/S1516-73132008000300008doi: 10.1590/S1516-73132008000300008 http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1516-73132008000300008&script=sci_arttexthttp://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1516-73132008000300008&script=sci_arttext