Historia de Castro Alves

1.642 visualizações

Publicada em

A grande Historia de Castro Alves

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.642
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
33
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Castro Alves dirige-se ao camarim da atriz Eugénia da Câmara. Bate à porta, e Eugénia que se encontra sentada diante do espelho a pentear-se.
    OS ANOS DE OURO DO CINEMA PORTUGUÊS, CASTRO ALVES E EUGÉNIA CÂMARA BEIJAM-SE APAIXONADAMENTE
  • Historia de Castro Alves

    1. 1. Antônio Frederico de Castro Alves nasceu em 14 de março de 1847em Curralinho, na Bahia. Em 1862 foi para Recife com o intuito de estudar Direito. Lá além de inicia seu romance com a atriz portuguesa Eugenia
    2. 2. Em 1968 vai pra São Paulo acompanhado de Eugenia Câmera do amigo Rui Barbosa, com quem fundou uma sociedade abolicionista e matriculou-se no terceiro ano na faculdade de Direito do largo de São Francisco, onde declara pela primeira vez. O poema ‘’Navio Negreiro’’.
    3. 3. E ri-se a orquestra, irônica, estridente, e da ronda fantástica serpente Faz doudas espiras... Se o velho arqueja... se no chão resvala Ouvem-se os gritos... o chicote estala, E voam mais e mais.
    4. 4. Presa no elo de uma só cadeia, a multidão faminta cambaleia, E chora e dança ali! (...) De raiva delira, outro enlouquece... Outro, de martírios embrutece, Cantando, geme e ri!
    5. 5. No entanto o capitão manda a manda a manobra. E após, fitando o céu que se desdobra Tão puro sobre o mar, Diz do fumo dentre os densos nevoeiros: ‘’ VIBRAI RIJO O CHICOTE MARINHEIRO. ’’ Fazei-os mais dançar!...
    6. 6. A obra ‘’navio negreiro’’ denunciava os maus tratos aos quais os negros eram submetidos. Além da poesia de caráter social, este grande escritor também escreveu versos líricos-amorosos , de acordo com o estilo de VITOR HUGO. Pode-se dizer que CASTRO ALVES foi um poeta de transição entre o Romantismo e o Parnasianismo.
    7. 7. Ainda neste ano é abandonado por Eugenia e, durante uma caçada, fere acidentalmente o pé com uma arma de fogo. Esse a acidente provocou a amputação de seu pé, e logo em seguida sal tuberculose agrava-se e o poeta vai para Bahia. Onde falece em 06 de Julho 1871.
    8. 8. A obra de Castro Alves, o poeta dos escravos, foi fortemente influenciada pela literatura político-social de Vitor Hugo. O poeta cultivou o egocentrismo, porém, diferentemente dos romantismos tradicionais, interessou-se também pelo mundo que o cercava e defendeu a republica, a liberdade e a igualdade de classes sócias. Castro Alves, segundo Jorge Amado, teve muito amores, porém, o maior de todos eles foi a LIBERDADE.
    9. 9. Se por um lado a temática social adotada por Castro Alves já o aproximavam do Realismo, por outro a sua linguagem, repleta de figuras de estilo (metáforas, comparações, personificações, invocações, hipérboles, típicas do condoreiríssimo) o enquadrada perfeitamente no movimento Romântico.
    10. 10. Além disso, o poeta não deixou de lado a poesia de caráter lírico- amoroso, cultivada por todos os escritores de sua época. Mas, diferentemente contemporâneos, raramente idealizada a figura feminina; ela nos apresenta uma mulher mais concreta, mas próxima de um ser ‘’carne e osso’’, mais sensual.
    11. 11. O jovem baiano simpático e gentil, apesar de possuir gosto sofisticado para roupas e de levar uma vida relativamente confortável, foi capaz de compreender a dificuldade dos negros escravizados. No período em que viveu, ainda existia a escravidão no Brasil.

    ×