SlideShare uma empresa Scribd logo
MODALIDADE
S DE
ATENÇÃO AO
IDOSO
O que são Modalidades de Atenção ao
Idoso?
 Crescimento da população idosa
 Políticas públicas
 Modalidades
Instituição de Longa
Permanência para o Idoso
 Segundo a Anvisa:
‘ILPIs (instituições de longa permanência para idosos)
são instituições governamentais ou não-
governamentais, de caráter residencial, destinadas a
domicílio coletivo de pessoas com idade igual ou
superior a 60 anos, com ou sem suporte familiar, em
condição de liberdade, dignidade e cidadania.’
 Outras referências:
casas de repouso, clinicas geriátricas, abrigos e asilos.
Instituição de Longa
Permanência para o Idoso
 Idosos independentes para AVD’s,
acima de 60 anos, que utilizem ou não
dispositivos de auto ajuda.
 Capacidade máxima recomendada: 40
pessoas, com 70% de quartos para 4
idosos e 30% para 2 idosos.
MODALIDADE I
 -Idosos dependentes e independentes; -cuidados
especializados e -
acompanhamento;
RESTRIÇÃO: idosos com dependência física acentuada, e
transtorno mental incapacitante.
 Capacidade máxima recomendada: 22 pessoas, com
50% de quartos para 4 idosos e 50% para 2 idosos.
Instituição de Longa
Permanência para o Idoso
MODALIDADE II
Instituição de Longa
Permanência para o Idoso
 Idosos que necessitam de assistência em tempo
integral;
- que não realizam pelo menos uma AVD sozinho;
- equipe interdisciplinar de saúde.
 Capacidade máxima recomendada: 20 pessoas,
com 70% de quartos para 2 idosos e 30% para 4
idosos.
MODALIDADE III
Instituição de Longa
Permanência para o Idoso
 Objetivo: atender as necessidades do
idoso de forma integral, priorizando a
integração comunitária e o vínculo
familiar.
Centro-Dia
 Voltado para o idoso que não pode ficar
desacompanhado durante o período
diurno pelo fato ter alguma restrição ou
dificuldade para realizar as AVD’s.
 Assistência multiprofissional
Centro-Dia
 Serão proporcionados:
- atendimento a necessidades
pessoais básicas;
- atividades terapêuticas;
- atividades socioculturais.
Centro-Dia
 Estrutura:
- pisos antiderrapantes, corrimão, rampas,
adaptações nos banheiros, cozinha funcional, salas
para artesanato, espaço de jogos, leitura e atividades
pedagógicas, pátio para atividades externas.
 Equipe multiprofissional
Centro-Dia
 Objetivo:
- assistência a saúde ( psicólogo,
fisioterapeuta, médico-psiquiatrico); apoio
sócio-familiar; lazer; atividades
ocupacionais;
Assistência Domiciliar
 Prestado ao idoso com alguma dependência, em sua
própria residência.
 Reforça o vínculo familiar
 Público ou privado.
Assistência Domiciliar
 Objetivos Gerais:
- promoção do envelhecimento saudável
- integração em atividades culturais,
vocacionais e lúdicas, preservando o
vínculo familiar e integração comunitária.
Assistência Domiciliar
 Objetivos Específicos:
- a autonomia do idoso;
- manter a individualidade do idoso;
- respeitar a memória física e afetiva do
paciente (autonomia);
- reforçar os vínculos familiares e sociais;
- recuperar capacidades funcionais
(AVD’s);
-
Centro de Convivência
 locais para atividades físicas,
recreativas, culturais, educacionais e
artísticos.
 idosos totalmente independentes.
 eles que escolhem a hora de ir ao local
e de voltar para casa, bem como as
atividades realizadas.
PPT - Modalidades de Atenção ao Idoso - Giovanna Aguiar.pdf
PPT - Modalidades de Atenção ao Idoso - Giovanna Aguiar.pdf
PPT - Modalidades de Atenção ao Idoso - Giovanna Aguiar.pdf
Centro de Convivência
 Objetivo:
- melhoria da qualidade de vida
- convívio familiar
- comunidade
Público Alvo e Capacidade de
Atendimento Usuário
 Idosos independentes;
 Com 60 anos ou mais, e seus familiares;
 Capacidade de atendimento para 200 idosos,
frequentando 4 dias semanais, 4 horas/dia.
A Fisioterapia
 Idoso dependente ou semi-dependente;
 Ações preventivas;
 Ações reabilitadoras;
 Ações paliativas;
EM DOMICÍLIO
A Fisioterapia
 O fisioterapeuta conhece o lugar
em que vive o paciente
- melhor para treino de AVD’s;
- melhor adaptção;
- aproximação com o paciente e
seus valores.
EM DOMICÍLIO
A Fisioterapia
 Objetivos específicos:
 readequar padrões neurológicos,
 manter ou ganhar força muscular e resistência,
 melhorar a flexibilidade e ADM,
 promover melhora cinesiofuncional,
 promover relaxamento muscular,
 ampliar ou manter capacidade
cardiorrespiratória,
 melhorar e/ou manter o equilíbrio postural e
marcha funcional.
EM ILPI
A Fisioterapia
 Objetivo principal :
Independência do idoso para AVD’s
- minimizando os efeitos do
envelhecimento e patologias
EM ILPI
A Fisioterapia
 Forma preventiva
 Exercícios físicos e respiratórios
- insônia
- ansiedade
- depressão
- melhora postura
- equilíbrio
- ADM
- autoestima e sociabilidade
EM CENTRO DE
CONVIVÊNCIA
A Fisioterapia
 Preventiva e na reabilitação;
 mobilidade
- equilíbrio
- marcha
 tratamento de dores (artrite)
 Exercícios cognitivos
- memória
- percepção
Autoestima e convívio social
EM CENTRO-DIA
Atuação da Enfermagem no atendimento á
Domicílio
 Individualizado e
Humanizado
 Benefícios:
- menor risco de infecção
- melhor qualidade de vida
 Procedimentos realizados:
- aplicação de medicamentos
- realizações de curativos;
- passagem de sondas de
alimentação, sonda vesical;
- auxilia no tratamento de
escaras;
- retirada de pontos; lavagem
intestinal;
- realização de banhos de
aspersão, banho no leito;
- cuidados com drenos e
cateteres;
- troca de colostomias;
Atuação do Educador-Físico no Centro-Dia
 Atuação diversificada, com atividades de
forma recreativa , podendo trabalhar com
diversos materiais como : bola, bambolês,
elásticos, circuitos de dança
- atividade física
Atuação do Nutricionista nas ILPI’s
 Promove a alimentação adequada ao
idoso
- manutenção e recuperação da saúde
de pessoas idosas
 Alimentação completa em macro e
micronutrientes
Atuação do Psicólogo no Centro de
Convivência
 Não é tratamento psicopatológico
 Trabalha com interação de todos de
forma descontraída
- através da convivência;
- atividades coletivas;
- projetos.
 CAPs (Centros de Atenção Psicossociais)
ARTIGO
Metodologia
 ESTUDO TRANVERSAL - pesquisa
observacional, que analisa dados coletados
ao longo de um período de tempo.
 ILPI e CENTRO-DIA (Bauru-SP)
 48 sujeitos, sendo 21 homens, 5 do Centro
Dia e 16 asilados, e 27 mulheres, 16 do
Centro Dia e 11 asiladas, que responderaim
aos questionários: caracterização
sociodemográfica, WHOQOL-Old e WHOQOL-
Bref
 Caracterização sociodemográfica :
-(sexo, raça, anos de estudo, uso da TV, quantidade de
doenças e realização de atividades domésticas)
 WHOQOL-OLD :
- Este questionário pergunta a respeito dos seus pensamentos,
sentimentos e sobre certos aspectos de sua qualidade de vida,
e aborda questões que podem ser importantes para você como
membro mais velho da sociedade.
 WHOQOL-BREF :
- valoriza a percepção individual, podendo avaliar a QV em
diversos grupos e situações, independentemente do nível de
escolaridade. Por meio desse instrumento, é possível descrever
a percepção subjetiva de um indivíduo em relação à sua saúde
física e psicológica, às relações sociais e ao ambiente em que
vive.
 Os domínios com escores mais baixos
foram: Meio Ambiente (42,6 ± 10,7
para as asiladas e 44,4 ± 9,7 para os
homens do Centro Dia) e Intimidade
(13,1 ± 17,3 para as asiladas e 9,4 ±
22,7 para os asilados).
 Os mais altos foram: Relações Sociais
(74,0 ± 13,6 para as mulheres do Centro
Dia e 68,3 ± 10,9 para os homens do
Centro Dia) e Morte/Morrer (83,6 ± 22,0
para as mulheres do Centro Dia e 80,0 ±
32,6 para os homens do Centro Dia).

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apresentando a caderneta do Idoso
Apresentando a caderneta do IdosoApresentando a caderneta do Idoso
Apresentando a caderneta do Idoso
Ana Hollanders
 
Funesdocuidadoremercadodetrabalho 130820160047-phpapp02
Funesdocuidadoremercadodetrabalho 130820160047-phpapp02Funesdocuidadoremercadodetrabalho 130820160047-phpapp02
Funesdocuidadoremercadodetrabalho 130820160047-phpapp02
Jocilaine Moreira
 
As Políticas Nacionais em Relação à Saúde Mental
As Políticas Nacionais em Relação à Saúde MentalAs Políticas Nacionais em Relação à Saúde Mental
As Políticas Nacionais em Relação à Saúde Mental
Vida Mental Consultoria de Saúde Mental e Nutricional
 
Slide violência contra o idoso
Slide violência contra o idosoSlide violência contra o idoso
Slide violência contra o idoso
Karolina Peixoto
 
Manual do caps
Manual do capsManual do caps
Manual do caps
Dacir Castro
 
Aula saúde do idoso - turma regular
Aula saúde do idoso - turma regularAula saúde do idoso - turma regular
Aula saúde do idoso - turma regular
Ismael Costa
 
Reforma Psiquiátrica no Brasil.pptx
Reforma Psiquiátrica no Brasil.pptxReforma Psiquiátrica no Brasil.pptx
Reforma Psiquiátrica no Brasil.pptx
LauroMarcos1
 
Politicas de saúde mental: organização da rede de assistência psicossocial no...
Politicas de saúde mental: organização da rede de assistência psicossocial no...Politicas de saúde mental: organização da rede de assistência psicossocial no...
Politicas de saúde mental: organização da rede de assistência psicossocial no...
Aroldo Gavioli
 
SAÚDE DO IDOSO: ENFERMAGEM
SAÚDE DO IDOSO: ENFERMAGEMSAÚDE DO IDOSO: ENFERMAGEM
SAÚDE DO IDOSO: ENFERMAGEM
Centro Universitário Ages
 
Curso Introduorio ESF - Conteudo teorico modulo 2 - Aula 2
Curso Introduorio ESF - Conteudo teorico modulo 2 - Aula 2Curso Introduorio ESF - Conteudo teorico modulo 2 - Aula 2
Curso Introduorio ESF - Conteudo teorico modulo 2 - Aula 2
eadsantamarcelina
 
Maus tratos aos idosos
Maus tratos aos idososMaus tratos aos idosos
Maus tratos aos idosos
Andressa Noélha Caetano
 
Apresentação saude do idoso coletiva
Apresentação saude do idoso coletivaApresentação saude do idoso coletiva
Apresentação saude do idoso coletiva
Carla Couto
 
Violencia contra o idoso
Violencia contra o idosoViolencia contra o idoso
Violencia contra o idoso
JP ABNT
 
Violência idosos
Violência idososViolência idosos
Violência idosos
Marcia Orlando
 
Aula suporte respiratorio em uti
Aula suporte respiratorio em uti Aula suporte respiratorio em uti
Aula suporte respiratorio em uti
mesquitah
 
Políticas.Publicas.Saúde.1945/1965
Políticas.Publicas.Saúde.1945/1965Políticas.Publicas.Saúde.1945/1965
Políticas.Publicas.Saúde.1945/1965
otineto
 
O Idoso, Suas Teorias e as Principais Modificações da Terceira Idade
O Idoso, Suas Teorias e as Principais Modificações da Terceira IdadeO Idoso, Suas Teorias e as Principais Modificações da Terceira Idade
O Idoso, Suas Teorias e as Principais Modificações da Terceira Idade
Greicy Kapisch
 
Envelhecimento Ativo - Saúde do Idoso
Envelhecimento Ativo - Saúde do IdosoEnvelhecimento Ativo - Saúde do Idoso
Envelhecimento Ativo - Saúde do Idoso
Enfº Ícaro Araújo
 
História e reforma psiquiátrica parte 1
História e reforma psiquiátrica parte 1História e reforma psiquiátrica parte 1
História e reforma psiquiátrica parte 1
Eduardo Gomes da Silva
 
Apresentação do caps
Apresentação do capsApresentação do caps
Apresentação do caps
Adriana Emidio
 

Mais procurados (20)

Apresentando a caderneta do Idoso
Apresentando a caderneta do IdosoApresentando a caderneta do Idoso
Apresentando a caderneta do Idoso
 
Funesdocuidadoremercadodetrabalho 130820160047-phpapp02
Funesdocuidadoremercadodetrabalho 130820160047-phpapp02Funesdocuidadoremercadodetrabalho 130820160047-phpapp02
Funesdocuidadoremercadodetrabalho 130820160047-phpapp02
 
As Políticas Nacionais em Relação à Saúde Mental
As Políticas Nacionais em Relação à Saúde MentalAs Políticas Nacionais em Relação à Saúde Mental
As Políticas Nacionais em Relação à Saúde Mental
 
Slide violência contra o idoso
Slide violência contra o idosoSlide violência contra o idoso
Slide violência contra o idoso
 
Manual do caps
Manual do capsManual do caps
Manual do caps
 
Aula saúde do idoso - turma regular
Aula saúde do idoso - turma regularAula saúde do idoso - turma regular
Aula saúde do idoso - turma regular
 
Reforma Psiquiátrica no Brasil.pptx
Reforma Psiquiátrica no Brasil.pptxReforma Psiquiátrica no Brasil.pptx
Reforma Psiquiátrica no Brasil.pptx
 
Politicas de saúde mental: organização da rede de assistência psicossocial no...
Politicas de saúde mental: organização da rede de assistência psicossocial no...Politicas de saúde mental: organização da rede de assistência psicossocial no...
Politicas de saúde mental: organização da rede de assistência psicossocial no...
 
SAÚDE DO IDOSO: ENFERMAGEM
SAÚDE DO IDOSO: ENFERMAGEMSAÚDE DO IDOSO: ENFERMAGEM
SAÚDE DO IDOSO: ENFERMAGEM
 
Curso Introduorio ESF - Conteudo teorico modulo 2 - Aula 2
Curso Introduorio ESF - Conteudo teorico modulo 2 - Aula 2Curso Introduorio ESF - Conteudo teorico modulo 2 - Aula 2
Curso Introduorio ESF - Conteudo teorico modulo 2 - Aula 2
 
Maus tratos aos idosos
Maus tratos aos idososMaus tratos aos idosos
Maus tratos aos idosos
 
Apresentação saude do idoso coletiva
Apresentação saude do idoso coletivaApresentação saude do idoso coletiva
Apresentação saude do idoso coletiva
 
Violencia contra o idoso
Violencia contra o idosoViolencia contra o idoso
Violencia contra o idoso
 
Violência idosos
Violência idososViolência idosos
Violência idosos
 
Aula suporte respiratorio em uti
Aula suporte respiratorio em uti Aula suporte respiratorio em uti
Aula suporte respiratorio em uti
 
Políticas.Publicas.Saúde.1945/1965
Políticas.Publicas.Saúde.1945/1965Políticas.Publicas.Saúde.1945/1965
Políticas.Publicas.Saúde.1945/1965
 
O Idoso, Suas Teorias e as Principais Modificações da Terceira Idade
O Idoso, Suas Teorias e as Principais Modificações da Terceira IdadeO Idoso, Suas Teorias e as Principais Modificações da Terceira Idade
O Idoso, Suas Teorias e as Principais Modificações da Terceira Idade
 
Envelhecimento Ativo - Saúde do Idoso
Envelhecimento Ativo - Saúde do IdosoEnvelhecimento Ativo - Saúde do Idoso
Envelhecimento Ativo - Saúde do Idoso
 
História e reforma psiquiátrica parte 1
História e reforma psiquiátrica parte 1História e reforma psiquiátrica parte 1
História e reforma psiquiátrica parte 1
 
Apresentação do caps
Apresentação do capsApresentação do caps
Apresentação do caps
 

Semelhante a PPT - Modalidades de Atenção ao Idoso - Giovanna Aguiar.pdf

sademental-230304202733-265eec07 (1).pptx
sademental-230304202733-265eec07 (1).pptxsademental-230304202733-265eec07 (1).pptx
sademental-230304202733-265eec07 (1).pptx
fosbass45
 
SAÚDE MENTAL.pptx
SAÚDE MENTAL.pptxSAÚDE MENTAL.pptx
SAÚDE MENTAL.pptx
VanessaAlvesDeSouza4
 
"Atenção à Saúde do Idoso: Exame Físico"
"Atenção à Saúde do Idoso: Exame Físico""Atenção à Saúde do Idoso: Exame Físico"
"Atenção à Saúde do Idoso: Exame Físico"
Tainá Martins
 
Lar São Salvador
Lar São SalvadorLar São Salvador
Lar São Salvador
Ricardo Pires
 
Lar São Salvador
Lar São SalvadorLar São Salvador
Lar São Salvador
Ricardo Pires
 
Conceitos++básico geriatria
Conceitos++básico geriatriaConceitos++básico geriatria
Conceitos++básico geriatria
Madaisa Sousa
 
Saúde Mental no seu Contexto Geral tesouro o1.pptx
Saúde Mental no seu Contexto Geral tesouro o1.pptxSaúde Mental no seu Contexto Geral tesouro o1.pptx
Saúde Mental no seu Contexto Geral tesouro o1.pptx
AndreiaCosta151227
 
CAPS.pptx
CAPS.pptxCAPS.pptx
CAPS.pptx
Joice Lima
 
AULA 1-2B IDOSO.pptx
AULA 1-2B  IDOSO.pptxAULA 1-2B  IDOSO.pptx
AULA 1-2B IDOSO.pptx
PatriciaNoro1
 
Trabalhando em Grupos na AB.pptx
Trabalhando em Grupos na AB.pptxTrabalhando em Grupos na AB.pptx
Trabalhando em Grupos na AB.pptx
ssuser51d27c1
 
Determinantes sociais da saúde.pptx
Determinantes sociais da saúde.pptxDeterminantes sociais da saúde.pptx
Determinantes sociais da saúde.pptx
JeanMarques37
 
Agente em geriatria 18.06.15
Agente em geriatria 18.06.15Agente em geriatria 18.06.15
Agente em geriatria 18.06.15
Daniela Lopes
 
Saúde Mental
Saúde MentalSaúde Mental
Saúde Mental
Taianna Ribeiro
 
3553_-_saude_mental_na_3._idade.pptx
3553_-_saude_mental_na_3._idade.pptx3553_-_saude_mental_na_3._idade.pptx
3553_-_saude_mental_na_3._idade.pptx
MartaMatos44
 
Uiara idoso pronto para apresentar.....
Uiara idoso pronto para apresentar.....Uiara idoso pronto para apresentar.....
Uiara idoso pronto para apresentar.....
Augusto Senna
 
AULA 1 SAUDE MENTAL.pptx
AULA 1 SAUDE MENTAL.pptxAULA 1 SAUDE MENTAL.pptx
AULA 1 SAUDE MENTAL.pptx
kenia244003
 
Desenvolvimento do ciclo de vida - Idosos: perdas de ganhos
Desenvolvimento do ciclo de vida - Idosos: perdas de ganhosDesenvolvimento do ciclo de vida - Idosos: perdas de ganhos
Desenvolvimento do ciclo de vida - Idosos: perdas de ganhos
Jessica Monteiro
 
Enfermagem psiquiatrica
Enfermagem psiquiatricaEnfermagem psiquiatrica
Enfermagem psiquiatrica
Jose Roberto
 
Envelhecimento
EnvelhecimentoEnvelhecimento
Envelhecimento
Janaína Lassala
 
SLIDES_DE_APOIO_UNIDADE_2_FISIOTERAPIA_NA_SAÚDE_DO_IDOSO.pptx
SLIDES_DE_APOIO_UNIDADE_2_FISIOTERAPIA_NA_SAÚDE_DO_IDOSO.pptxSLIDES_DE_APOIO_UNIDADE_2_FISIOTERAPIA_NA_SAÚDE_DO_IDOSO.pptx
SLIDES_DE_APOIO_UNIDADE_2_FISIOTERAPIA_NA_SAÚDE_DO_IDOSO.pptx
ivomaxgata
 

Semelhante a PPT - Modalidades de Atenção ao Idoso - Giovanna Aguiar.pdf (20)

sademental-230304202733-265eec07 (1).pptx
sademental-230304202733-265eec07 (1).pptxsademental-230304202733-265eec07 (1).pptx
sademental-230304202733-265eec07 (1).pptx
 
SAÚDE MENTAL.pptx
SAÚDE MENTAL.pptxSAÚDE MENTAL.pptx
SAÚDE MENTAL.pptx
 
"Atenção à Saúde do Idoso: Exame Físico"
"Atenção à Saúde do Idoso: Exame Físico""Atenção à Saúde do Idoso: Exame Físico"
"Atenção à Saúde do Idoso: Exame Físico"
 
Lar São Salvador
Lar São SalvadorLar São Salvador
Lar São Salvador
 
Lar São Salvador
Lar São SalvadorLar São Salvador
Lar São Salvador
 
Conceitos++básico geriatria
Conceitos++básico geriatriaConceitos++básico geriatria
Conceitos++básico geriatria
 
Saúde Mental no seu Contexto Geral tesouro o1.pptx
Saúde Mental no seu Contexto Geral tesouro o1.pptxSaúde Mental no seu Contexto Geral tesouro o1.pptx
Saúde Mental no seu Contexto Geral tesouro o1.pptx
 
CAPS.pptx
CAPS.pptxCAPS.pptx
CAPS.pptx
 
AULA 1-2B IDOSO.pptx
AULA 1-2B  IDOSO.pptxAULA 1-2B  IDOSO.pptx
AULA 1-2B IDOSO.pptx
 
Trabalhando em Grupos na AB.pptx
Trabalhando em Grupos na AB.pptxTrabalhando em Grupos na AB.pptx
Trabalhando em Grupos na AB.pptx
 
Determinantes sociais da saúde.pptx
Determinantes sociais da saúde.pptxDeterminantes sociais da saúde.pptx
Determinantes sociais da saúde.pptx
 
Agente em geriatria 18.06.15
Agente em geriatria 18.06.15Agente em geriatria 18.06.15
Agente em geriatria 18.06.15
 
Saúde Mental
Saúde MentalSaúde Mental
Saúde Mental
 
3553_-_saude_mental_na_3._idade.pptx
3553_-_saude_mental_na_3._idade.pptx3553_-_saude_mental_na_3._idade.pptx
3553_-_saude_mental_na_3._idade.pptx
 
Uiara idoso pronto para apresentar.....
Uiara idoso pronto para apresentar.....Uiara idoso pronto para apresentar.....
Uiara idoso pronto para apresentar.....
 
AULA 1 SAUDE MENTAL.pptx
AULA 1 SAUDE MENTAL.pptxAULA 1 SAUDE MENTAL.pptx
AULA 1 SAUDE MENTAL.pptx
 
Desenvolvimento do ciclo de vida - Idosos: perdas de ganhos
Desenvolvimento do ciclo de vida - Idosos: perdas de ganhosDesenvolvimento do ciclo de vida - Idosos: perdas de ganhos
Desenvolvimento do ciclo de vida - Idosos: perdas de ganhos
 
Enfermagem psiquiatrica
Enfermagem psiquiatricaEnfermagem psiquiatrica
Enfermagem psiquiatrica
 
Envelhecimento
EnvelhecimentoEnvelhecimento
Envelhecimento
 
SLIDES_DE_APOIO_UNIDADE_2_FISIOTERAPIA_NA_SAÚDE_DO_IDOSO.pptx
SLIDES_DE_APOIO_UNIDADE_2_FISIOTERAPIA_NA_SAÚDE_DO_IDOSO.pptxSLIDES_DE_APOIO_UNIDADE_2_FISIOTERAPIA_NA_SAÚDE_DO_IDOSO.pptx
SLIDES_DE_APOIO_UNIDADE_2_FISIOTERAPIA_NA_SAÚDE_DO_IDOSO.pptx
 

Último

Posicionamento dos ombros para avalizaçao por RX
Posicionamento dos ombros para avalizaçao por RXPosicionamento dos ombros para avalizaçao por RX
Posicionamento dos ombros para avalizaçao por RX
paathizinhya
 
Relação de Médicos e Prestadores 2023.pdf
Relação de Médicos e Prestadores 2023.pdfRelação de Médicos e Prestadores 2023.pdf
Relação de Médicos e Prestadores 2023.pdf
maripinkmarianne
 
mini curso de suturas para enfermeiros 2024
mini curso de suturas para enfermeiros 2024mini curso de suturas para enfermeiros 2024
mini curso de suturas para enfermeiros 2024
OttomGonalvesDaSilva
 
9 - Nutrição e Longevidade - apóstila.pdf
9 - Nutrição e Longevidade - apóstila.pdf9 - Nutrição e Longevidade - apóstila.pdf
9 - Nutrição e Longevidade - apóstila.pdf
KauFelipo
 
TREINAMENTO PROTEÇÃO DAS MÃOS.ppt Proteção das Mãos
TREINAMENTO PROTEÇÃO DAS MÃOS.ppt Proteção das MãosTREINAMENTO PROTEÇÃO DAS MÃOS.ppt Proteção das Mãos
TREINAMENTO PROTEÇÃO DAS MÃOS.ppt Proteção das Mãos
Anderson1783
 
NR 12 - OPERADOR DE CESTO AÉREO elet.pdf
NR 12 - OPERADOR DE CESTO AÉREO elet.pdfNR 12 - OPERADOR DE CESTO AÉREO elet.pdf
NR 12 - OPERADOR DE CESTO AÉREO elet.pdf
guilhermefontenele8
 
Cirurgia Bucomaxilofacial - Roberto Prado _ OCR.pdf
Cirurgia Bucomaxilofacial - Roberto Prado _ OCR.pdfCirurgia Bucomaxilofacial - Roberto Prado _ OCR.pdf
Cirurgia Bucomaxilofacial - Roberto Prado _ OCR.pdf
BrunaNeves80
 

Último (7)

Posicionamento dos ombros para avalizaçao por RX
Posicionamento dos ombros para avalizaçao por RXPosicionamento dos ombros para avalizaçao por RX
Posicionamento dos ombros para avalizaçao por RX
 
Relação de Médicos e Prestadores 2023.pdf
Relação de Médicos e Prestadores 2023.pdfRelação de Médicos e Prestadores 2023.pdf
Relação de Médicos e Prestadores 2023.pdf
 
mini curso de suturas para enfermeiros 2024
mini curso de suturas para enfermeiros 2024mini curso de suturas para enfermeiros 2024
mini curso de suturas para enfermeiros 2024
 
9 - Nutrição e Longevidade - apóstila.pdf
9 - Nutrição e Longevidade - apóstila.pdf9 - Nutrição e Longevidade - apóstila.pdf
9 - Nutrição e Longevidade - apóstila.pdf
 
TREINAMENTO PROTEÇÃO DAS MÃOS.ppt Proteção das Mãos
TREINAMENTO PROTEÇÃO DAS MÃOS.ppt Proteção das MãosTREINAMENTO PROTEÇÃO DAS MÃOS.ppt Proteção das Mãos
TREINAMENTO PROTEÇÃO DAS MÃOS.ppt Proteção das Mãos
 
NR 12 - OPERADOR DE CESTO AÉREO elet.pdf
NR 12 - OPERADOR DE CESTO AÉREO elet.pdfNR 12 - OPERADOR DE CESTO AÉREO elet.pdf
NR 12 - OPERADOR DE CESTO AÉREO elet.pdf
 
Cirurgia Bucomaxilofacial - Roberto Prado _ OCR.pdf
Cirurgia Bucomaxilofacial - Roberto Prado _ OCR.pdfCirurgia Bucomaxilofacial - Roberto Prado _ OCR.pdf
Cirurgia Bucomaxilofacial - Roberto Prado _ OCR.pdf
 

PPT - Modalidades de Atenção ao Idoso - Giovanna Aguiar.pdf

  • 2. O que são Modalidades de Atenção ao Idoso?  Crescimento da população idosa  Políticas públicas  Modalidades
  • 3. Instituição de Longa Permanência para o Idoso  Segundo a Anvisa: ‘ILPIs (instituições de longa permanência para idosos) são instituições governamentais ou não- governamentais, de caráter residencial, destinadas a domicílio coletivo de pessoas com idade igual ou superior a 60 anos, com ou sem suporte familiar, em condição de liberdade, dignidade e cidadania.’  Outras referências: casas de repouso, clinicas geriátricas, abrigos e asilos.
  • 4. Instituição de Longa Permanência para o Idoso  Idosos independentes para AVD’s, acima de 60 anos, que utilizem ou não dispositivos de auto ajuda.  Capacidade máxima recomendada: 40 pessoas, com 70% de quartos para 4 idosos e 30% para 2 idosos. MODALIDADE I
  • 5.  -Idosos dependentes e independentes; -cuidados especializados e - acompanhamento; RESTRIÇÃO: idosos com dependência física acentuada, e transtorno mental incapacitante.  Capacidade máxima recomendada: 22 pessoas, com 50% de quartos para 4 idosos e 50% para 2 idosos. Instituição de Longa Permanência para o Idoso MODALIDADE II
  • 6. Instituição de Longa Permanência para o Idoso  Idosos que necessitam de assistência em tempo integral; - que não realizam pelo menos uma AVD sozinho; - equipe interdisciplinar de saúde.  Capacidade máxima recomendada: 20 pessoas, com 70% de quartos para 2 idosos e 30% para 4 idosos. MODALIDADE III
  • 7. Instituição de Longa Permanência para o Idoso  Objetivo: atender as necessidades do idoso de forma integral, priorizando a integração comunitária e o vínculo familiar.
  • 8. Centro-Dia  Voltado para o idoso que não pode ficar desacompanhado durante o período diurno pelo fato ter alguma restrição ou dificuldade para realizar as AVD’s.  Assistência multiprofissional
  • 9. Centro-Dia  Serão proporcionados: - atendimento a necessidades pessoais básicas; - atividades terapêuticas; - atividades socioculturais.
  • 10. Centro-Dia  Estrutura: - pisos antiderrapantes, corrimão, rampas, adaptações nos banheiros, cozinha funcional, salas para artesanato, espaço de jogos, leitura e atividades pedagógicas, pátio para atividades externas.  Equipe multiprofissional
  • 11. Centro-Dia  Objetivo: - assistência a saúde ( psicólogo, fisioterapeuta, médico-psiquiatrico); apoio sócio-familiar; lazer; atividades ocupacionais;
  • 12. Assistência Domiciliar  Prestado ao idoso com alguma dependência, em sua própria residência.  Reforça o vínculo familiar  Público ou privado.
  • 13. Assistência Domiciliar  Objetivos Gerais: - promoção do envelhecimento saudável - integração em atividades culturais, vocacionais e lúdicas, preservando o vínculo familiar e integração comunitária.
  • 14. Assistência Domiciliar  Objetivos Específicos: - a autonomia do idoso; - manter a individualidade do idoso; - respeitar a memória física e afetiva do paciente (autonomia); - reforçar os vínculos familiares e sociais; - recuperar capacidades funcionais (AVD’s); -
  • 15. Centro de Convivência  locais para atividades físicas, recreativas, culturais, educacionais e artísticos.  idosos totalmente independentes.  eles que escolhem a hora de ir ao local e de voltar para casa, bem como as atividades realizadas.
  • 19. Centro de Convivência  Objetivo: - melhoria da qualidade de vida - convívio familiar - comunidade
  • 20. Público Alvo e Capacidade de Atendimento Usuário  Idosos independentes;  Com 60 anos ou mais, e seus familiares;  Capacidade de atendimento para 200 idosos, frequentando 4 dias semanais, 4 horas/dia.
  • 21. A Fisioterapia  Idoso dependente ou semi-dependente;  Ações preventivas;  Ações reabilitadoras;  Ações paliativas; EM DOMICÍLIO
  • 22. A Fisioterapia  O fisioterapeuta conhece o lugar em que vive o paciente - melhor para treino de AVD’s; - melhor adaptção; - aproximação com o paciente e seus valores. EM DOMICÍLIO
  • 23. A Fisioterapia  Objetivos específicos:  readequar padrões neurológicos,  manter ou ganhar força muscular e resistência,  melhorar a flexibilidade e ADM,  promover melhora cinesiofuncional,  promover relaxamento muscular,  ampliar ou manter capacidade cardiorrespiratória,  melhorar e/ou manter o equilíbrio postural e marcha funcional. EM ILPI
  • 24. A Fisioterapia  Objetivo principal : Independência do idoso para AVD’s - minimizando os efeitos do envelhecimento e patologias EM ILPI
  • 25. A Fisioterapia  Forma preventiva  Exercícios físicos e respiratórios - insônia - ansiedade - depressão - melhora postura - equilíbrio - ADM - autoestima e sociabilidade EM CENTRO DE CONVIVÊNCIA
  • 26. A Fisioterapia  Preventiva e na reabilitação;  mobilidade - equilíbrio - marcha  tratamento de dores (artrite)  Exercícios cognitivos - memória - percepção Autoestima e convívio social EM CENTRO-DIA
  • 27. Atuação da Enfermagem no atendimento á Domicílio  Individualizado e Humanizado  Benefícios: - menor risco de infecção - melhor qualidade de vida  Procedimentos realizados: - aplicação de medicamentos - realizações de curativos; - passagem de sondas de alimentação, sonda vesical; - auxilia no tratamento de escaras; - retirada de pontos; lavagem intestinal; - realização de banhos de aspersão, banho no leito; - cuidados com drenos e cateteres; - troca de colostomias;
  • 28. Atuação do Educador-Físico no Centro-Dia  Atuação diversificada, com atividades de forma recreativa , podendo trabalhar com diversos materiais como : bola, bambolês, elásticos, circuitos de dança - atividade física
  • 29. Atuação do Nutricionista nas ILPI’s  Promove a alimentação adequada ao idoso - manutenção e recuperação da saúde de pessoas idosas  Alimentação completa em macro e micronutrientes
  • 30. Atuação do Psicólogo no Centro de Convivência  Não é tratamento psicopatológico  Trabalha com interação de todos de forma descontraída - através da convivência; - atividades coletivas; - projetos.  CAPs (Centros de Atenção Psicossociais)
  • 32. Metodologia  ESTUDO TRANVERSAL - pesquisa observacional, que analisa dados coletados ao longo de um período de tempo.  ILPI e CENTRO-DIA (Bauru-SP)  48 sujeitos, sendo 21 homens, 5 do Centro Dia e 16 asilados, e 27 mulheres, 16 do Centro Dia e 11 asiladas, que responderaim aos questionários: caracterização sociodemográfica, WHOQOL-Old e WHOQOL- Bref
  • 33.  Caracterização sociodemográfica : -(sexo, raça, anos de estudo, uso da TV, quantidade de doenças e realização de atividades domésticas)  WHOQOL-OLD : - Este questionário pergunta a respeito dos seus pensamentos, sentimentos e sobre certos aspectos de sua qualidade de vida, e aborda questões que podem ser importantes para você como membro mais velho da sociedade.  WHOQOL-BREF : - valoriza a percepção individual, podendo avaliar a QV em diversos grupos e situações, independentemente do nível de escolaridade. Por meio desse instrumento, é possível descrever a percepção subjetiva de um indivíduo em relação à sua saúde física e psicológica, às relações sociais e ao ambiente em que vive.
  • 34.  Os domínios com escores mais baixos foram: Meio Ambiente (42,6 ± 10,7 para as asiladas e 44,4 ± 9,7 para os homens do Centro Dia) e Intimidade (13,1 ± 17,3 para as asiladas e 9,4 ± 22,7 para os asilados).  Os mais altos foram: Relações Sociais (74,0 ± 13,6 para as mulheres do Centro Dia e 68,3 ± 10,9 para os homens do Centro Dia) e Morte/Morrer (83,6 ± 22,0 para as mulheres do Centro Dia e 80,0 ± 32,6 para os homens do Centro Dia).