Aleitamento materno slide

203 visualizações

Publicada em

ALEITAMENTO MATERNO, REALIZADO PELAS ALUNAS DO CURSO TÉCNICO EM ENFERMAGEM

Publicada em: Saúde
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
203
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
0
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aleitamento materno slide

  1. 1. ESCOLA DE ENFERMAGEM DO HOSPITAL EVANGÉLICO TRABALHO DE SAÚDE COLETIVA PROFº MARCUS TEMA: ALEITAMENTO MATERNO GRUPO: Ana Beatriz, Cláudia Cristina, Gabriela Rariany e Regiane
  2. 2. ANATOMIA DA MAMA 1 – Parede torácica; 2 – Músculos peitorais; 3 – Lobo mamário: glândulas produtoras de leite; 4 – Mamilo; 5 – Aréola; 6 – Ductos lactíferos: transportam o leite dos lobos ao mamilo; 7 – Tecido adiposo e conjuntivo que envolve os lobos e os ductos: estroma; 8 – Pele.
  3. 3. ANATOMIA DA MAMA 1) Linfonodos da cadeia axilar 2) Linfonodos da cadeia mamária interna 3) Linfonodos da cadeia supraclavicular Drenagem linfática
  4. 4. • São inúmeros os benefícios que esta prática pode trazer tanto para a criança, quanto para a mãe, a família e a sociedade. Aleitamento Materno Para a criança: • Alimento completo até 6 meses, aspecto nutricional e digestivo; • Facilita a eliminação de mecônio e diminui o risco de icterícia; • Protege contra infecções; • Aumenta o laço afetivo mãe-filho; • Colabora efetivamente para diminuir a taxa de desnutrição e os índices de mortalidade infantil; • Diminui a probabilidade de processos alérgicos, promovidos por proteínas existentes no leite de vaca; • Melhor resposta às vacinações e capacidade de combater doenças mais rapidamente.
  5. 5. Para a mãe: • Facilita o estabelecimento do vínculo afetivo mãe-filho; • Previne as complicações hemorrágicas no pós-parto e favorece a regressão uterina ao seu tamanho normal; • Contribui para o retorno mais rápido ao peso pré-gestacional; • É um método natural de planejamento familiar; • Pode reduzir o risco da câncer de ovário e mama; • Pode prevenir a osteoporose. Para a família e para a sociedade: • O leite materno é de graça; Em contrapartida, o leite de vaca ou o leite em pó pra RN tem um valor alto e ainda causa problemas ao bebê; • É limpo e não contém microrganismos; • Diminui os custos de internações por problemas gastrointestinais, respiratórios e outras doenças; • Representa uma econômica quanto ao uso de gás de cozinha, porque dispensa o aquecimento e preparo: já vem pronto e está na temperatura certa. Aleitamento Materno
  6. 6. Padrões de aleitamento materno: 1) Aleitamento materno exclusivo; 2) Aleitamento materno predominante; 3) Aleitamento materno total; e 4) Aleitamento materno parcial. Composição e características do leite humano: O leite materno é o alimento ideal para o lactante, pois contém: • Nutrientes, inclusive água; • Anticorpos; • Fatores de crescimento que preparam o intestino imaturo da criança para digerir e absorver; • Sofre alterações na sua composição de acordo com a hora do dia, os dias do parto e durante uma mesma mamada (anterior e posterior), o leite posterior difere om anterior por ser mais rico em gorduras. O leite do começo “mata a sede” e o leite do fim “engorda”. Aleitamento Materno
  7. 7. A PRODUÇÃO E EJEÇÃO DO LEITE: A produção do leite se dá por estímulo neuro-endócrino e neste processo três órgão são extremamente importantes: placenta, hipófise e a mama. A placenta produz esteróides placentários (estrógenos e progesterona), durante a gravidez , preparam a mama para a lactação, estimulando a deposição de gorduras, o crescimento dos ductos e alvéolos. Após o parto com a saída da placenta, o níveis de esteróides caem, conduzindo a hipófise anterior a liberar prolactina, hormônio que vai estimular os alvéolos mamários a produzir o leite. Na gravidez a alta concentração de esteróides placentários, inibem a secreção do leite, formando apenas o pré-colostro, que é rico em imunoglobulinas e lactoferrina, e a medida que caem, logo após o parto, a produção de leite tem início. O período que se inicia a produção de leite é chamado de apojadura ou “descida”, acontece de 48 a 72 hs após o parto. A ocitocina, é o hormônio liberado pela hipófise posterior, age na liberação do leite materno e na contração das fibras musculares uterinas. A liberação de ocitocina pode ser estimulada pelo toque, cheiro, visual, auditivos e até mesmo pelo pensamento e proximidade física. O estresse poderá inibir a descida do leite.
  8. 8. COMPOSIÇÃO DO LEITE: Ao se analisar a composição do leite, encontramos 4 tipos, que se apresentam com características bioquímicas diferente e adequadas a cada determinado período da vida da criança: colostro, leite de transição, leite maduro e leite pré-termo. A) COLOSTRO: produzido nos primeiros dias após o parto e permanece por cerca de 7 dias. Apresenta exsudato do plasma, células, IgA, lactoferrina, soroalbumina, sódio, cloro e pequena qtde de latose e grande quantidade de linfócitos e macrófagos, conferem de proteção ao RN; facilita eliminação do mecônio e auxilia na prevenção de icterícia. B) LEITE DE TRANSIÇÃO: produzido entre os 7º e o 15º dia após o parto. Volume e quantidade variável em média 500 ml/dia; C) LEITE MADURO: produzido a partir do 15º dia. Tem em sua composição: 88% é de água e o restante são proteínas, carboidratos, lipídeos, minerais e vitaminas. D) LEITE PRÉ-TERMO: produzido por mães de crianças prematuras  maior teor de proteínas, lipídeos e calorias, lactose, IgA e lactoferrina. O leite materno não supre as necessidades de cálcio e fósforo, quando a criança tem peso inferior a 1500 g ou 1,5 KG.
  9. 9. ORIENTAÇÕES DE ENFERMAGEM:
  10. 10. CUIDADOS DE ENFERMAGEM:  Orientar a gestante sobre todos o cuidados anteriores com a mama e a amamentação;  Esclarecer que a retirada do colostro, durante a gestação, é contraindicada;  Avisar que deverá se evitar o uso de sabão, creme ou pomadas no mamilo;  Ensinar a gestante a explorar sua mama, pois, os mamilos podem ser protruso (saliente), semi-protuso (pouco saliente, invertido (oposto ao normal ) e o falso invertido (apresenta-se oposto ao normal, mas após estímulo, tem um “pega” adequada). ANTIGAMENTE, se recomendava o uso de bomba e seringa de 20 ml pra resolver estes problemas, mas hoje em dia, é recomendado apenas massagens, estímulos manuais, da acordo com as enfermeiras do posto de saúde que visitamos. O uso de sutiã com orifício também está contraindicado. O sutiã normal é necessário pra manter elevada.  É importante oferecer a gestante oportunidade de troca de experiências, através de reuniões de grupo com objetivo de informar e facilitar a amamentação;  Estimular amamentação logo após o parto; o RN deve ser colocado junto a mãe o mais precocemente possível, de preferência ainda na primeira hora de vida, de acordo com o Programa de Incentivo ao Aleitamento Materno;  Continuar incentivando o banho de sol nos mamilos para aumentar a resistência na região mamilo-areolar.
  11. 11. CUIDADOS DE ENFERMAGEM:  Orientar que a lubrificação da região mamilo-areolar deve ser feita apenas com o leite materno;  Orientar quanto ao posicionamento da criança e da mãe, que deverá estar sentada em local confortável e tranquilo, com o bebê no colo, encostando o abdome da criança ao da mãe e com a face toda virada na direção ao seio materno;  Recomendar que após a amamentação deverá fazer a palpação das mamas. Se estiverem pesadas e com pontos de dor, retirar o excesso de leite até o ponto de conforto, ou seja, até o desaparecimento da dor. Dificuldades encontradas no aleitamento materno:  Preensão incorreta do mamilo: provoca dor e fissuras e deixa a mãe tensa, ansiosa e perca autoconfiança; Fissuras (rachaduras): evitar usar sabonetes, pomadas e cremes e proceder a pega correta da mama; deve-se iniciar a mamada pela mama sadia; Mamas ingurgitadas : são dolorosa, edemaciadas (pela brilhante), podendo estar avermelhada e a mulher ter febre. É diferente de mama cheia. Caso a mulher não consiga amamentar, deve-se retirar de forma manual. Se não ocorrer melhora em 24 hs e a mam estiver quente, avermelhada, a mulher apresentar febre, provavelmente é mastite e deverá ser encaminhada para atendimento médico para ser corretamente diagnosticada e tratada.
  12. 12. CONTRAINDICAÇÕES: São raras as contraindicações, tanto maternas quanto neonatais.  MATERNAS: estão as mulheres com câncer de mama que foram tratadas ou estão em tratamento, mulheres HIV+ (so podem dar o próprio leite se este for pasteurizado), mulheres com distúrbios da consciência ou comportamento grave, entre outras.  NEONATAIS: estão as crianças com alterações da consciência de qualquer natureza, baixo peso com imaturidade para succção ou deglutição (deverá ser administrado via sonda orogástrica) e com fenda palatina que impossibilite o ato de sugar (oferecer o leite ordenhado) Nenhuma medicação deve ser administrada pela puérpera amamentando sem orientação médica. BANCO DE LEITE: Existem vários bancos de leite em Belo Horizonte, mas o material coletado é destinado apenas as crianças que se encontram em unidades de internação intensiva (CTI Neonatal). A coleta é realizada por algumas unidades de saúde e encaminhado para tratamento e enviado a Maternidade Odete Valadares para distribuição para vários hospitais.

×