Apostila textos - Tecnicas de Coleta

2.180 visualizações

Publicada em

Apostila textos - Tecnicas de Coleta

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.180
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
32
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apostila textos - Tecnicas de Coleta

  1. 1. 66 Preparo do Paciente A) Seção: Bioquimica 1) Dosagem de Colesterol Permanecer em jejum, à exceção de água, durante 12 a 14 horas. Abster-se de álcool durante as 72 horas que antecedem a coleta de sangue. Manter a dieta habitual e o peso por, pelo menos, 2 semanas antes da realização do exame. Não fazer nenhuma atividade física vigorosa nas 24 horas que antecedem o exame. Informar os medicamentos utilizados. Cuidados para Coleta: Não há recomendações. 2) Dosagem de Triglicérides Permanecer em jejum, à exceção de água, durante 12 a 14 horas. Abster-se de álcool durante as 72 horas que antecedem a coleta de sangue. Manter a dieta habitual e o peso por pelo menos, 2 semanas antes da realização do exame. Não fazer nenhuma atividade física vigorosa nas 24 horas que antecedem o exame. Informar os medicamentos utilizados. Cuidados para Coleta: Não há recomendações. 3) Dosagem de Colesterol Frações Permanecer em jejum, à exceção de água, durante 12 a 14 horas. Abster-se de álcool durante as 72 horas que antecedem a coleta de sangue. Manter a dieta habitual e o peso por pelo menos, 2 semanas antes da realização do exame. Não fazer nenhuma atividade física vigorosa nas 24 horas que antecedem o exame. Informar os medicamentos utilizados. Cuidados para Coleta: Não há recomendações. 4) Dosagem de Bilirrubina Preferencialmente o paciente deve permanecer em jejum por 8 horas antes da prova. Cuidados para Coleta: Não há recomendações. 5) Dosagem de Creatinoquinase (C.K) É recomendável jejum mínino de 4 horas para todas as dosagens. Não ingerir álcool no dia anterior ao teste. Cuidados para Coleta: Se a dosagem tiver por objetivo a avaliação de distúrbios da musculatura esquelética, o paciente deve evitar exercícios vigorosos durante 24 horas. Não ingerir álcool no dia anterior ao teste. 6) Dosagem de Ferro É recomendável o jejum de 8 horas, sendo obrigatório o tempo mínimo de 4 horas. Cuidados para Coleta: Não há recomendações.
  2. 2. 67 7) Dosagem de Creatinina É desejável o jejum mínimo de 4 horas. Cuidados para Coleta: Evitar prática de exercício excessivo durante 8 horas antes do teste. Evitar a ingestão de carne vermelha em excesso durante 24 horas antes da prova. 8) Dosagem de Uréia É recomendável o jejum mínimo de 4 horas. Cuidados para Coleta: Não há cuidados especiais. 9) Dosagem de Cálcio Total É desejável o jejum mínimo de 8 horas, deve-se coletar o material pela manhã. Cuidados para Coleta: Evitar o uso do torniquete por tempo superior a um minuto. 10) Dosagem de Fósforo Inorgânico Permanecer em jejum por 8 a 12 horas antes da coleta. Após ingestão de alimentos ou administração de glicose, ocorre redução da fosfatemia. Cuidados para Coleta: Após ingestão de alimentos ou administração de glicose, ocorre redução da fosfatemia. A diminuição se deve ao aumento do pH sanguineo após a refeição, o que eleva a formação de complexos cálcio-fosfato. Também contribui para a hipomagnesemia a captação, induzida pela insulina, do fosfato sérico pelo músculo e pelo fígado, o que possibilita a formação de intermediários glicose-fosfato. 11) Dosagem de Cloretos Não exige cuidados especiais. Cuidados para Coleta: Não exige cuidados especiais. 12) Dosagem de Sódio É recomendável jejum mínimo de 4 horas. Cuidados para Coleta: É recomendável evitar atividade física rigorosa nas 24 horas antecedentes ao teste. 13) Dosagem de Potássio É recomendável jejum mínimo de 4 horas. Cuidados para Coleta: É recomendável evitar atividade física rigorosa nas 24 horas antecedentes ao teste. 14) Dosagem de Magnésio É recomendável jejum mínimo de 8 horas. Cuidados para Coleta: Evitar o uso de torniquete por tempo superior a 1 minuto. Não coletar o material em tubos contendo citrato, oxalato, fluoreto e EDTA.
  3. 3. 68 15) Dosagem de Glicose Jejum obrigatório o Adulto: entre 8 e 12 horas; o Crianças entre 1 e 5 anos: 6 horas; o Crianças menores que 1 ano: 3 horas. Cuidados para Coleta: A coleta deve ser efetuada pela manhã, caso seja diabético, se possível não usar insulina ou hipoglicemiantes orais no momento da coleta (somente o médico assistente pode suspender o uso de medicamentos). 16) Dosagem de Hemoglobina Glicada O paciente não necessita de jejum obrigatório, no entanto, é desejável jejum de 4 horas, pois resultados mais acurados são obtidos em amostras sem quilomícrons. Cuidados para Coleta: Não há nenhum cuidado especial. 17) Dosagem de Proteínas Totais É recomendável o jejum mínimo de 4 horas, mas não deve-se ingerir dieta rica em gorduras durante 8 horas antes do teste. Cuidados para Coleta Não realizar atividade física vigorosa nas 24 horas antes do teste. Não utilizar o anticoagulante do tipo EDTA, citrato e heparina. 18) Dosagem de Albumina É recomendável jejum mínimo de 4 horas, não consumir dieta rica em gordura por 48 horas antes da prova. Cuidados para Coleta Evitar atividades físicas vigorosas 24 horas antes do teste; Evitar “stress” emocional; Manter o uso de drogas que não possam ser interrompidas. B) Seção: Parasitologia 1) Exame Parasitológico Não necessita preparo especial. Cuidados para Coleta: Colher fezes em recipiente limpo e seco. Parte do material coletado deve ser transferido para frasco próprio (oferecido pelo laboratório ou adquirido em farmácias), de boca larga, bem fechado e identificado (contendo nome do paciente, idade e data da coleta). Este deve ser encaminhado ao laboratório imediatamente. 2) Pesquisa de sangue oculto nas fezes Não usar medicamentos irritantes da mucosa gástrica (Aspirina, anti-inflamatórios, corticóides...). Se utilizar, informar ao Laboratório no momento da entrega do material. Evitar sangramento gengival (com escova de dentes, palito...). Se ocorrer, informar ao Laboratório no momento da entrega do material.
  4. 4. 69 Cuidados para Coleta: Colher fezes em recipiente limpo e seco. Parte do material coletado deve ser transferido para frasco próprio (oferecido pelo laboratório ou adquirido em farmácias), de boca larga, bem fechado e identificado (contendo nome do paciente, idade e data da coleta). Este deve ser encaminhado ao laboratório imediatamente C) Seção: Uranálise 1) EAS ( Elementos Anormais do Sedimento) Não necessita preparo especial. Cuidados para Coleta (adultos): De preferência colher a 1ª urina da manhã. Antes da coleta deve-se lavar os órgãos genitais externos com água e sabão, secar e em seguida desprezar o 1° jato, logo após coletar o jato médio , 40 a 50 ml de urina em frasco próprio (oferecido pelo laboratório ou adquirido em farmácia), limpo e seco, de boca larga, bem fechado e identificado (contendo nome do paciente, idade e data da coleta). Colher somente o jato médio, desprezando o início e o fim da micção. Para coleta de urina em mulheres, recomenda se abstinência sexual de pelo menos 24 horas e em mulheres menstruadas (em caso de urgência) usar tampão vaginal depois da lavagem, para não contaminar a urina com sangue. O ideal seria coletar a urina de 3 a 5 dias após o término do sangramento menstrual. 2) Urina de 24 hrs Não necessita preparo especial. Alimentação normal. Cuidados para Coleta: Pela manhã, ao acordar, esvaziar completamente a bexiga e desprezar a urina. Marcar a hora exata (p.ex.: 8 horas da manhã). Daí em diante colher as urinas produzidas durante o dia e a noite, até o mesmo horário do dia seguinte, juntando-as em um ou mais frascos limpos ou frascos fornecidos pelo laboratório (3 litros). Mantê-los no refrigerador e ao abrigo da luz. A – Caso haja pedido de exame para EAS: Pela manhã do dia seguinte, exatamente 24 horas após a hora em que foi desprezada a urina do começo da prova (p.ex.: 8 horas da manhã do dia seguinte), colher toda a urina da bexiga, em frasco separado, rotulando-o “Primeira urina da manhã, nome do paciente, idade e data da coleta...” B – Caso não haja pedido de exame para EAS: Após 24 horas exatamente, colher toda a urina e juntar com as outras do frasco. Em seguida enviar todas as urinas para o laboratório imediatamente. D) Seção: Microbiologia 1) Hemocultura Não necessita preparo especial. Cuidados para Coleta :Lavar e secar as mãos; Remover os selos da tampa dos frascos de hemocultura, e fazer antissepsia prévia nas tampas com álcool 70%; Garrotear o braço do paciente e selecionar uma veia adequada. Esta área não deverá mais ser tocada com os dedos; Fazer anti-sepsia com álcool 70% de forma circular e de dentro para fora; Coletar a quantidade de sangue e o número de amostras recomendadas de acordo com as orientações
  5. 5. 70 descritas ou discriminadas no pedido médico; Identificar cada frasco com todas as informações padronizadas; 2) Cultura de urina A amostra de urina pode ser coletada em qualquer momento do dia, preferencialmente após 4 horas da última micção, ver anotações sobre coleta de urina para maiores informações. Cuidados para Coleta : Utilizar frascos descartáveis, não reutilizados e estéreis; Não adicionar agentes conservantes a amostra de urina. 3) Pesquisa de Bacilo Álcool- Ácido Resistente- BAAR 4) Cultura para Micobactéria Escarro Espontâneo: Ao despertar pela manhã, lavar a boca, sem escovar os dentes, inspirar profundamente, prender a respiração por um instante e escarrar após forçar a tosse. Repetir essa operação até obter duas eliminações de escarro. Escarro induzido: Nebulizar a 1 a 2,5mL/minuto durante 20 minutos. Se o material não for obtido na primeira tentativa, aguardar 30 minutos para repetir o procedimento por mais uma única vez. 5) Líquor GRAM e Cultura A amostra deve ser coletada pelo médico em ambulatório ou hospital. Cuidados para Coleta : Utilizar frascos descartáveis, não reutilizados e estéreis; 6) Cultura de fezes Não exige preparo especial. Cuidados para Coleta: Utilizar frascos estéreis, descartáveis, não reutilizados. Orientar o paciente para coletar as fezes, sem urina, em frasco limpo e seco de boca larga. E) Seção: Hormônios 1) Vitamina B12 Não necessita preparo especial. Jejum não obrigatório. Não ingerir álcool 24h antes do exame. Paciente não deve fazer uso de antagonistas do ácido fólico, methotrexate, aminoglicosídeos. Cuidados para Coleta: Enviar amostra protegida da luz. 2) Dosagem de Ferritina Não necessita preparo especial. Jejum não obrigatório.
  6. 6. 71 3) Dosagem de T4 (Tiroxina) livre Sérico 4) Dosagem de T4 (Tiroxina) Sérico 5) Dosagem de T3 (T3 - Triiodotironina) Sérico 6) Dosagem de TSH Permanecer em jejum, à exceção de água, durante 4 horas. Informar o uso de medicamentos. Cuidados para Coleta: Não há recomendações. 7) Dosagem de Anti - TPO Permanecer em jejum, à exceção de água, durante 8 horas. Informar o uso de medicamentos. Cuidados para Coleta: Não há recomendações. 8) Dosagem de Prolactina Permanecer em jejum, à exceção de água, durante 12 horas. Antes da coleta manter o paciente por 15 minutos em repouso. Cuidados para Coleta: Não há recomendações. 9) Dosagem de Hormônio Folículo Estimulante 10) Dosagem de Hormônio Luteinizante 11) Dosagem de Estradiol 12) Dosagem de Progesterona Permanecer em jejum, à exceção de água, durante 12 horas. Informar a data da última menstruação. Cuidados para Coleta: É recomendado fornecer a data da última menstruação. 13) Dosagem de Beta HGC quantitativo Não necessita preparo especial. Jejum não obrigatório. Cuidados para Coleta: É recomendado fornecer a data da última menstruação. 14) Dosagem de PSA livre 15) Dosagem de PSA total Jejum não obrigatório. Aguardar 2 dias após ejaculação. Aguardar 2 dias após equitação, exercício em bicicleta comum ou ergométrica e motociclismo. Aguardar 3 dias após uso de supositório, sondagem uretral ou toque retal. Aguardar 5 dias após realização de cistoscopia. Aguardar 7 dias após ultrassom transretal. Aguardar 15 dias após colonoscopia ou retossigmoidoscopia. Aguardar 21 dias após realização de estudo urodinâmico. Aguardar 30 dias após biópsia de próstata. Nos casos de prostatectomia total não é necessário o preparo Cuidados para Coleta: Verificar cumprimento do preparo do paciente.
  7. 7. 72 16) Dosagem de Testosterona Não necessita preparo especial. Jejum não obrigatório. Cuidados para Coleta: Não há recomendações. 18) Ritmo de Cortisol Permanecer em jejum, à exceção de água, durante 12 horas. Cuidados para Coleta: A dosagem de Cortisol deve ser realizada às 08h00 e às 16h00. Como o stress altera os níveis séricos de cortisol, antes da coleta, o paciente deve permanecer 15 minutos em repouso. F) Seção: Imunologia 1) Sorologia para HIV ( Pesquisa de anticorpos em geral – ELISA) Jejum não obrigatório. Cuidados para Coleta: Não há cuidados especiais. G) Seção: Hematologia 1) Hemograma É recomendável jejum de 4 horas. Cuidados para Coleta: Nenhum cuidado especial 2) Proteína C atividade / Proteína C da coagulação Jejum obrigatório de 8 horas. É desejável que o paciente não esteja usando anticoagulante oral por pelo menos 4 semanas e heparina por 48 horas. A suspensão de qualquer medicamento deverá ser feita sob autorização do médico responsável pelo paciente. Cuidados para Coleta: Nenhum cuidado especial. 3) Dosagem de Fator VIII Jejum não obrigatório. Cuidados para Coleta: Evitar estase na coleta. 4) Dosagem de Fibrinogênio Jejum não obrigatório. Cuidados para Coleta: Evitar estase na coleta (garrote). 5) Tempo de Tromboplastina Parcial Ativado (TTPa) 6) Tempo de Protrombina (TP) Jejum obrigatório de 4 horas. Informar o uso atual ou recente de anticoagulantes, história de sangramentos anteriores e testes de coagulação inalterados. Cuidados para Coleta A concentração de citrato usada deve ser de 3,2% ou de 3,8%. A coleta não pode ser traumática e o garroteamento não deve ultrapassar 1 minuto.
  8. 8. 73 7) Velocidade de Hemossedimentação (VHS) É recomendável jejum mínimo de 8 horas. Informar o uso atual ou recente de anticoagulantes, história de sangramentos anteriores e testes de coagulação inalterados. Cuidados para Coleta :Evitar garroteamento prolongado (1 minuto). Colher amostra suficiente (5mL).
  9. 9. 74 Tipos de Tubos para Coleta a Vácuo Do ponto de vista da sua constituição, o sangue é considerado como um sistema complexo e relativamente constante, constituído de elementos sólidos (células sanguíneas), substância líquida (soro ou plasma) e elementos gasosos (oxigênio e gás carbônico). Embora não seja necessário conhecer todos os detalhes sobre os procedimentos analíticos dos testes, é essencial conhecer o tipo de amostra necessária para cada tipo de análise. Tubos para coleta Cada tipo de amostra deve ser coletada em um tubo específico para cada tipo de análise, sendo de extrema importância conhecê-los para a realização de uma coleta de material biológico. O material colhido em recipiente inadequado será rejeitado e descartado pelo laboratório, pois não terá validade para a realização da análise. Todos os tubos deverão ser homogeneizados imediatamente após a coleta. Deve-se invertê-los de 5 a 8 vezes, suavemente. Tubos homogeneizados inadequadamente poderão conter pequenos coágulos sanguíneos que diminuirão a utilidade do tubo. DEVE-SE RESPEITAR RIGOROSAMENTE O VOLUME CRÍTICO DE AMOSTRA INDICADO PARA CADA TIPO DE RECIPIENTE Quando o paciente possui mais de um exame solicitado e estes exames necessitam de materiais diferentes que devem ser coletados em recipientes diferentes, deve-se obedecer a uma sequência para coleta dos materiais para que não haja contaminação dos aditivos de um tubo para outro, o que ocasiona grandes alterações em alguns parâmetros analíticos. A sequência de coleta para tubos a vácuo de sangue é tubo com citrato de sódio (tampa azul), tubo sem anticoagulante (tampa vermelha ou tampa amarela), tubo com heparina (tampa verde), tubo com EDTA (tampa roxa) e tubo com fluoreto de sódio (tampa cinza). Quando o paciente tiver apenas exames de coagulação, deverá ser coletado primeiro um tubo de descarte. Isso é devido ao fato de o primeiro fluxo de sangue coletado conter os fatores de coagulação, principalmente a protrombina, o que altera os resultados.
  10. 10. 75 Análises de Coagulação Quando se pretende fazer análise de coagulação, deverá ser colhida uma amostra de plasma (CITRATO DE SÓDIO). Esta será obtida através da coleta em tubo de citrato de tampa azul. Este tubo contém Citrato de Sódio, o sangue colhido com anticoagulante deve ser cuidadosamente homogeneizado por inversão de 5 a 8 vezes para evitar hemólise e a coagulação do sangue. Deve-se colher um volume máximo de 1,8ml de sangue neste tubo. Ex: Tempo de coagulação, Tempo de Atividade da Protrombina (TAP), Tempo de Tromboplasmina Parcial Ativada (TTPA), Dosagem de Fibrinogênio Análises Bioquímicas e Sorológicas Quando se pretende fazer análise bioquímica ou sorológica, deverá ser colhida uma amostra de soro. Esta será obtida através da coleta em tubo sem anticoagulante para que ocorra o processo de coagulação. Portanto, a coleta deve ser feita no tubo de tampa vermelha sem gel ou no tubo de tampa amarela com gel. Estes tubos contêm ativador de coágulo e deve-se, imediatamente após a coleta, homogeneizá-los por inversão de 5 a 8 vezes para evitar hemólise, manter em repouso na posição vertical por 30 minutos para retrair o coágulo e seguir a centrifugação a 3.000 rpm durante 10 minutos. Deve-se colher um volume máximo de 7ml de soro nestes tubos. Ex: Ácido Úrico, Dosagem de Anticorpos (IgM, IgG, IgE), Colesterol, Triglicerídeos, Hormônios. Análises Bioquímicas Quando se pretende fazer análise bioquímica, gasometria ou outros exames deverá ser colhido uma amostra de plasma (HEPARINA). Está será obtida através da coleta em tubo de heparina de tampa verde. Este tubo contém Heparina, o sangue colhido com anticoagulante deve ser cuidadosamente homogeneizado por inversão de 8 a 10 vezes para evitar hemólise e a coagulação do sangue. Deve-se colher um volume máximo de 4ml de sangue neste tubo. Ex: Dosagem de Chumbo, Dosagem de Citocinas, Hemogasometria. Análises Hematológicas Quando se pretende fazer análise hematológica, deverá ser colhida uma amostra de sangue total (EDTA). Esta será obtida através da coleta em tubo de EDTA de tampa roxa. Este tubo contém anticoagulante específico para evitar a coagulação. O sangue colhido com anticoagulante deve ser cuidadosamente homogeneizado por inversão de 5 a 8 vezes para evitar hemólise e a coagulação do sangue. Deve-se colher um volume máximo de 2ml de sangue neste tubo. Ex: Carga Viral HIV, Teste de Coombs, Eletroforese de Hemoglobina, Eritrograma, Fator Rh, Grupo ABO, Hemoglobina Glicada, Leucograma.
  11. 11. 76 Análises Glicêmicas Quando se pretende fazer análise de glicemia, deverá ser colhida uma amostra de plasma (FLUORETO DE SÓDIO). Esta será obtida através da coleta em tubo de tampa cinza. Este tubo contém fluoreto de sódio com EDTA, o sangue colhido com anticoagulante deve ser cuidadosamente homogeneizado por inversão de 5 a 8 vezes para evitar hemólise e a coagulação do sangue. Deve-se colher um volume máximo de 2,5ml de sangue neste tubo.
  12. 12. 77 Técnica de Coleta de Urina, Sangue, Esperma, Escarro, Fezes, raspados, pus e secreção Uretral Coleta de Escarro O escarro está presente nas vias respiratórias é formado de muco e células. Os exames laboratoriais com esse material são indicados para diagnóstico de infecções pulmonares e células cancerígenas. Para a coleta desse tipo de material deve-se pedir para o cliente para tossir e expectorar profundamente e posteriormente escarrar dentro do frasco, com o mínimo de saliva possível. Coleta de Urina Existem 3 tipos de coleta de urina possíveis:  Tipo I: coleta da primeira micção do dia em recipiente limpo e seco para análise quantitativa de substâncias como proteína, glicose, bactérias, hemácias. Coletar sempre o jato médio.  Urina 24h/ proteinúria/ glicosúria: coleta de todas as micções em 24h para avaliar função renal e quadro de diabetes;  Urocultura: coleta em recipiente estéril para avaliar presença de microrganismos na urina. Orientar o paciente a fazer assepsia das mãos, coletar o jato médio e coletar o material direto em recipiente estéril. Coleta de Fezes As amostras de fezes são coletadas para 3 finalidades:  Parasitológico (EPF): pesquisa de parasitas;  Coprocultura: coleta em recipiente estéril para avaliar presença de microrganismos;  Pesquisa de sangue oculto: identificar a presença de sangue nas fezes; Obs. Orientar o paciente que não é necessário completar o volume do frasco com fezes. Uma pequena amostra já é suficiente para realizar os exames. Coleta de Secreções Em pacientes do sexo masculino, a secreção uretral é o material de escolha para o diagnóstico, em mulheres utiliza-se a secreção endocervical e a uretral.
  13. 13. 78 O material utilizado para coleta é o swab e varia de acordo com a finalidade do exame.  Para bacterioscopia, exame a fresco e algumas culturas bacteriológicas de rotina, utilize swab com haste plástica, alumínio ou madeira e algodão não tratado.  Para cultura de gonococo, utilize swab com algodão alginatado ou com carvão.  Para imunofluorescência direta - IFD, ensaio imunoenzimático – Elisa ou cultura de clamídia, utilize swab com haste plástica ou de alumínio. Como fazer a coleta da secreção uretral masculina? 1. Coloque uma gota de salina sobre uma lâmina previamente identificada; 2. Solicite ao paciente para retrair o prepúcio; 3. Limpe a secreção emergente com gaze estéril; 4. Certifique-se de que a uretra esteja reta; 5. Introduza o swab cerca de 2 centímetros no canal uretral atravessando a fossa navicular; 6. Gire o swab delicadamente de 8 a 10 vezes para absorver a secreção; 7. Retire o swab, coloque a secreção sobre a salina na lâmina e homogeneize; 8. Cubra com uma lamínula e examine o esfregaço sob microscopia em aumento de 40x. Lembre-se: A fossa navicular é uma porção da uretra anterior, distante cerca de 2 cm do meato uretral externo. Devido a sua anatomia, concentra microorganismos viáveis para pesquisa sem a contaminação de agentes externos ou da ação de enzimas contidas na secreção. Qual o procedimento de coleta da secreção uretral feminina ? 1. Faça a expressão da secreção das glândulas parauretrais pressionando a parede vaginal com o dedo médio; 2. Introduza o swab cerca de 2 centímetros na uretra; 3. Colete a secreção girando delicadamente o swab de 8 a 10 vezes. Atenção: Faça a coleta após três horas da última micção. Como fazer a coleta da secreção vaginal? 1. Coloque uma gota de salina sobre uma lâmina limpa, previamente identificada; 2. Introduza o espéculo; 3. Colete a amostra do saco vaginal com o auxílio de um swab; 4. Retire o swab, coloque a secreção sobre a sallina na lâmina e homogeneize; 5. Cubra com lamínula e examine imediatamente o esfregaço sob microscopia em aumento de 40x.
  14. 14. 79 Pus Nas lesões cutâneas com vesículas (bolhas pequenas) e pústulas (bolhas pequenas inflamadas com pus) faz-se punção com seringa e agulha ou pressiona-se com o swab, dispondo a amostra em tubo contendo salina. Caso a amostra seja subcutânea O pus é coletado assepticamente de abscessos não drenados com uma agulha estéril em seringa. Esperma A coleta de esperma tem a finalidade de 2 exames: a espermocultura e o espermograma. O procedimento para coleta é realizado da seguinte maneira: 1. A coleta deverá ser realizada no Laboratório; 2. Não manter relações sexuais no período mínimo de 3 dias e máximo de 5 dias; 3. Não há necessidade de jejum alimentar; 4. Informar os medicamentos em uso nos últimos 30 dias; 5. Antes da coleta, realizar a higiene da região peniana; 6. Através de masturbação, coletar todo o esperma ejaculado no frasco estéril evitando perdas; 7. Entregar o material no Laboratório no horário das 07:00 ás 09:00hs Raspados Com o intuito de diminuir a microbiota bacteriana e aumentar a sensibilidade do exame micológico, recomenda-se realizar a desinfecção da área acometida com álcool 70%. Com relação à coleta de amostras de pele, deve-se raspar a lesão com bisturi, cureta esterilizada ou lâminas de vidro previamente flambadas. A coleta deve ser feita nas bordas da lesão e no sítio ativo da infecção. Pode-se utilizar o método de Porto, o qual consiste em se pressionar uma fita adesiva transparente sobre a lesão e em seguida a fixar sobre uma lâmina, no entanto, nesse caso, não é possível realizar o cultivo da amostra. Após coleta, coloca-se o material entre duas lâminas esterilizadas, ou ao menos limpas, secas e flambadas, as quais deverão ter suas bordas vedadas com fita adesiva, evitando perda do material.
  15. 15. 80 O Microscópio Óptico Lente ocular é constituída por duas lentes que ampliam a imagem formada pelas objetivas e ajusta possíveis deficiências ópticas. Tubo ou canhão serve de suporte para as lentes oculares. Revólver ou Óptico utensílio giratório que tem como função portar as lentes objetivas. Objetivas são um sistema de lentes com diferentes aumentos e seu número varia de acordo com o microscópio. Braço ou coluna está fixado à base e serve de estruturação para o restante do aparelho de microscopia. Platina ou mesa serve como apoio para o material a ser observado, possui uma passagem de vidro por onde os raios de luz atravessam e também é dotada de parafusos dentados permitindo o deslocamento do material pela mesma. Condensador e diafragma são responsáveis pela uniformidade da iluminação e redução ou ampliação da região a ser iluminada. Lâmpada embutida é a fonte de luz do sistema. Pé ou base trata-se do apoio e do ponto de fixação do microscópio. Parafuso macrométrico é um objeto passível de rotação e permite a movimentação vertical da mesa.
  16. 16. 81 Parafuso micrométrico por sua vez é responsável pelos movimentos verticais e sutis da mesa, permitindo aperfeiçoar a focagem. Charriot é responsável pela movimentação lateral da lâmina em observação, sendo possível analisá-la de forma totalitária
  17. 17. 82
  18. 18. 83 Atividade – Anatomia para Coleta Sanguínea ARTERIAS VEIAS Nomes das ARTERIAS NOME DAS VEIAS _________________________________ ______________________________ _________________________________ ______________________________ _________________________________ ______________________________ _________________________________ ______________________________
  19. 19. 84 Atividade – Anatomia para Coleta Sanguínea Células do Sangue Monócito Linfócito Basófilo Eosinófilo Neutrófilo Segmentado Neutrófilo Bastonete

×