SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 32
Caio Alves Pinheiro
Milho – Segunda Safra
Escolha do Híbrido
Sumário
O que é Segunda Safra?
Mapas da produção agrícola;
Zoneamento climático;
Diferenças entre safra e safrinha;
Sucesso da safrinha;
Estudo de Caso – Fazenda GEAGRA;
Cálculo da quantidade de semente;
Fonte: Pinheiro, 2015.
Safrinha ou Segunda Safra
Safra obtida entre os períodos de entressafra;
Antecipação da cultura de verão;
Aproveitamento das condições climáticas;
Utilização dos resíduos da adubação da safra verão;
Obtenção de recursos financeiros extras;
Produção de cobertura vegetal;
Geração de renda;
Necessita de logística e estrutura;
Fonte: Rural Centro
Safra ou “Safrinha”?
MILHO SAFRINHA
“FORA DA JANELA”
DE PLANTIO,
SIGNIFICA REDUÇÃO
DE ÁREA E
PRODUTIVIDADE?
No que a safrinha difere do
período normal de plantio?
Menor quantidade de chuvas;
Maior intensidade de pragas;
Inversão térmica;
Quantidade de horas de luz/dia;
TEMPO é uma peça chave
para um bom resultado final.
SUCESSO DA SAFRINHA
Soja precoce;
Rotação de cultura;
Seleção correta do material a ser utilizado;
Época de plantio ideal
Fonte: Agrolink
Exserohilum turcicum
Cercospora zeae-maydis
Phaeosphaeria maydis
SUCESSO DA SAFRINHA
Fonte: Rural Centro.
Sempre faça adubação de cobertura e plantio;
Siga recomendação de população/estande;
Atenção aos resíduos de herbicidas da cultura anterior;
Plante o milho na área de maior fertilidade;
Fonte: Jornal O Presente Rural.
Fonte: Pioneer, 2001.
FAZENDA
GEAGRA
Parâmetros de escolha do Híbrido:
“Preço”;
Biotecnologia;
Produtividade;
Exigência nutricional;
Resistência a doenças;
Ciclo;
Baixo fator de reprodução a nematóides;
Fonte: Pinheiro, 2015.
Tecnologias/Empresas
Fonte: Repórter Brasil.
Híbrido
Dekalb 390 (Potencial Produtivo)
TECNOLOGIAS: RR, VTPRO, YIELDGARD, VTPRO2,
VTPROMAX
CICLO: Precoce
PORTE: 2,20 metros
POPULAÇÃO: 60 – 65 mil
INSERÇÃO DE ESPIGA: 1,25 metros
TIPO DE GRÃO: Duro – Amarelo/alaranjado
STAYGREEN: Excelente
RECOMENDAÇÃO: Verão, meio e fechamento da
safrinha
Dekalb 310 (Sanidade Foliar)
TECNOLOGIAS: VTPRO, YIELDGARD, VTPRO2,
VTPROMAX
CICLO: Normal
PORTE: 2,40 a 2,60 metros
POPULAÇÃO: 55 – 65 mil
INSERÇÃO DE ESPIGA: 1,20 a 1,60 metros
TIPO DE GRÃO: Semiduro – Amarelo/alaranjado
STAYGREEN: Muito bom
RECOMENDAÇÃO: Verão, abertura e meio da safrinha
Híbrido
Dekalb 290 (Sanidade Produtiva)
TECNOLOGIAS: VTPRO, YIELDGARD, VTPRO3
CICLO: Precoce
PORTE: 2,10 a 2,60 metros
POPULAÇÃO: 60 – 75 mil
INSERÇÃO DE ESPIGA: 1,05 a 1,52 metros
TIPO DE GRÃO: Semidentado – Alaranjado
STAYGREEN: Bom
RECOMENDAÇÃO: Verão, abertura e meio da safrinha
Híbrido
Dekalb 285 (Precocidade e alto teto produtivo)
TECNOLOGIAS: VTPRO, YIELDGARD, VTPRO2
CICLO: Superprecoce
PORTE: 2,10 a 2,50 metros
POPULAÇÃO: 50 – 60 mil
INSERÇÃO DE ESPIGA: 1,00 a 1,25 metros
TIPO DE GRÃO: Semidentado – Amarelo/alaranjado
STAYGREEN: Excelente
RECOMENDAÇÃO: Verão, abertura e meio da safrinha
Híbrido
Dekalb 350 (Amplitude de plantio e estabilidade)
TECNOLOGIAS: VTPRO, YIELDGARD
CICLO: Precoce
PORTE: 2,20 a 2,35 metros
POPULAÇÃO: 50 – 65 mil
INSERÇÃO DE ESPIGA: 1,15 a 1,25 metros
TIPO DE GRÃO: Duro – Alaranjado
STAYGREEN: Bom
RECOMENDAÇÃO: Verão, abertura, meio e fim da
safrinha
Híbrido
Nidera – NS90 (Ótima sanidade geral)
TECNOLOGIAS: PRO, PRO2, RR2
CICLO: Precoce
PORTE: 2,20 a 2,30 metros
POPULAÇÃO: 55 – 60 mil
INSERÇÃO DE ESPIGA: 1,10 a 1,20 metros
TIPO DE GRÃO: Semiduro – Alaranjado
STAYGREEN: Bom
RECOMENDAÇÃO: Verão, abertura, meio de safrinha
Híbrido
Pioneer 3630H (Potencial produtivo e estabilidade)
TECNOLOGIAS: HERCULEX
CICLO: Superprecoce
PORTE: 2,10 a 2,50 metros
POPULAÇÃO: 60 – 65 mil
INSERÇÃO DE ESPIGA: 1,00 a 1,25 metros
TIPO DE GRÃO: Semidentado – Amarelo/alaranjado
STAYGREEN: Bom
RECOMENDAÇÃO: Verão, abertura e meio da safrinha
Híbrido
Pioneer 30k75Y (Potencial produtivo em diferentes
localidades)
TECNOLOGIAS: HERCULEX, YELDGUARD
CICLO: Precoce
PORTE: 2,20 a 2,40 metros
POPULAÇÃO: 50 – 60 mil
INSERÇÃO DE ESPIGA: 1,10 a 1,15 metros
TIPO DE GRÃO: Dentado – Amarelo/alaranjado
STAYGREEN: Excelente
RECOMENDAÇÃO: Verão, abertura, meio e fechamento de
safrinha
Híbrido
Pioneer 30S31 (Potencial produtivo na safrrinha)
TECNOLOGIAS: HERCULEX, YELDGUARD, RR,
INTRASECT
CICLO: Precoce
PORTE: 2,10 a 2,30 metros
POPULAÇÃO: 55 – 60 mil
INSERÇÃO DE ESPIGA: 1,20 a 1,25 metros
TIPO DE GRÃO: Duro – Alaranjado
STAYGREEN: Excelente
RECOMENDAÇÃO: Verão, abertura, meio e fechamento de
safrinha
Híbrido
Agroeste - AS 1581 (Potencial produtivo)
TECNOLOGIAS: YIELDGARD
CICLO: Semiprecoce
PORTE: Alto
POPULAÇÃO: 55 – 60 mil
INSERÇÃO DE ESPIGA: Alta
TIPO DE GRÃO: Semiduro – Alaranjado
STAYGREEN: Excelente
RECOMENDAÇÃO: Verão, abertura, meio de safrinha
Híbrido
BG 7049H
BG 7037H
BG 7036H
LG 6036 YH, VTPRO2
LG 6038 YH, VTPRO2
LG 6304 YH
SYN-TRUCK VIPTERA
SYN-FEROZ VIPTERA
SYN–IMPACTO VIPTERA
Outros híbridos:
DEZ MANDAMENTOS DA SAFRINHA:
1º - Plantio: Sucesso ou fracasso
2º - Regulagem da semeadoura
3º - Velocidade de plantio
4º - Época de plantio
5º - População e espaçamento
6º - Correção do solo
7º - Lavoura no limpo
9º - Adubações (plantio e cobertura)
10º - Qualidade na colheita
- Estande inicial: 60.000 mil plantas/ha
- Considerando 5% de perda (falta de vigor na semente)
- Estande de plantio: 68.000 mil sementes/ha
- Espaçamento: 0,50 metros
20.000 metros lineares – 68.000 mil sementes
1 metro linear - X
X = 3,4 sementes/metro
Cálculo da quantidade de sementes:
AGRICULTURA o maior trabalho da
TERRA...
Caio Alves Pinheiro
apinheirocaio@gmail.com
62 - 81587126
Obrigado!
Referências
Seed News - 2002. Disponível em:
<http://www.seednews.inf.br/portugues/seed66/milho66.shtml> Acesso
em: 12 de Jan. de 2016.
Folheto Pioneer - 2015. Disponível em:
<http://http://www.pioneersementes.com.br/DownloadCenter/Folheto-
Pos-Fumo.pdf> Acesso em: 10 de Jan. de 2016.
MAPA – Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento - 2015.
Disponível em:
<http://http://www.agricultura.gov.br/vegetal/estatisticas> Acesso em:
14 de Jan. de 2016.
EMBRAPA Milho e Sorgo - 2015. Disponível em:
<http://www.cnpms.embrapa.br/publicacoes/sorgo_6_ed/plantio-
semeadura.htm> Acesso em: 14 de Jan. de 2016.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Morfologia e fisiologia algodão
Morfologia e fisiologia algodãoMorfologia e fisiologia algodão
Morfologia e fisiologia algodãoGeagra UFG
 
Fenologia e fisiologia da cultura da soja
Fenologia e fisiologia da cultura da soja Fenologia e fisiologia da cultura da soja
Fenologia e fisiologia da cultura da soja Geagra UFG
 
Nutrição e adubação do milho
Nutrição e adubação do milhoNutrição e adubação do milho
Nutrição e adubação do milhoGeagra UFG
 
Manejo de lagartas, percevejos e pulgões no milho
Manejo de lagartas, percevejos e pulgões no milhoManejo de lagartas, percevejos e pulgões no milho
Manejo de lagartas, percevejos e pulgões no milhoGeagra UFG
 
NUTRIÇÃO E ADUBAÇÃO DE SORGO E MILHETO.pptx
NUTRIÇÃO E ADUBAÇÃO DE SORGO E MILHETO.pptxNUTRIÇÃO E ADUBAÇÃO DE SORGO E MILHETO.pptx
NUTRIÇÃO E ADUBAÇÃO DE SORGO E MILHETO.pptxGeagra UFG
 
Apresentação Aspectos Fisiológicos da Cultura da Soja
Apresentação   Aspectos Fisiológicos da Cultura da SojaApresentação   Aspectos Fisiológicos da Cultura da Soja
Apresentação Aspectos Fisiológicos da Cultura da SojaGustavo Avila
 
Manejo de Milho: Tratamento de sementes e plantio
Manejo de Milho: Tratamento de sementes e plantioManejo de Milho: Tratamento de sementes e plantio
Manejo de Milho: Tratamento de sementes e plantioAM Placas Ltda. Placas
 
Manejo de Lagartas e Percevejos no Milho
Manejo de Lagartas e Percevejos no MilhoManejo de Lagartas e Percevejos no Milho
Manejo de Lagartas e Percevejos no MilhoGeagra UFG
 
Grupo de Maturação e Posicionamento de Cultivares
Grupo de Maturação e Posicionamento de CultivaresGrupo de Maturação e Posicionamento de Cultivares
Grupo de Maturação e Posicionamento de CultivaresGeagra UFG
 
Plantas daninhas e seu controle
Plantas daninhas e seu controlePlantas daninhas e seu controle
Plantas daninhas e seu controleGeagra UFG
 
Biotecnologias e posicionamento de cultivares de soja
Biotecnologias e posicionamento de cultivares de soja Biotecnologias e posicionamento de cultivares de soja
Biotecnologias e posicionamento de cultivares de soja Geagra UFG
 
Manejo de doenças na soja
Manejo de doenças na soja Manejo de doenças na soja
Manejo de doenças na soja Geagra UFG
 
Manejo de Podridão de Colmo, Raiz, Espigas, Grãos ardidos e Helmintosporiose
Manejo de Podridão de Colmo, Raiz, Espigas, Grãos ardidos e HelmintosporioseManejo de Podridão de Colmo, Raiz, Espigas, Grãos ardidos e Helmintosporiose
Manejo de Podridão de Colmo, Raiz, Espigas, Grãos ardidos e HelmintosporioseGeagra UFG
 
INTRODUÇÃO À CULTURA DA SOJA
INTRODUÇÃO À CULTURA DA SOJAINTRODUÇÃO À CULTURA DA SOJA
INTRODUÇÃO À CULTURA DA SOJAGeagra UFG
 
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NA SOJA
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NA SOJA MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NA SOJA
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NA SOJA Geagra UFG
 
MORFOLOGIA E FISIOLOGIA DO ALGODOEIRO
MORFOLOGIA E FISIOLOGIA DO ALGODOEIROMORFOLOGIA E FISIOLOGIA DO ALGODOEIRO
MORFOLOGIA E FISIOLOGIA DO ALGODOEIROGeagra UFG
 
Manejo de doenças no algodoeiro
Manejo de doenças no algodoeiroManejo de doenças no algodoeiro
Manejo de doenças no algodoeiroGeagra UFG
 
Preparação do solo, uso de corretivos e tecnologias de aplicação.
Preparação do solo,  uso de corretivos e tecnologias de aplicação.Preparação do solo,  uso de corretivos e tecnologias de aplicação.
Preparação do solo, uso de corretivos e tecnologias de aplicação.AM Placas Ltda. Placas
 
Preparo do Solo e Plantio do Milho
Preparo do Solo e Plantio do MilhoPreparo do Solo e Plantio do Milho
Preparo do Solo e Plantio do MilhoGeagra UFG
 

Mais procurados (20)

Morfologia e fisiologia algodão
Morfologia e fisiologia algodãoMorfologia e fisiologia algodão
Morfologia e fisiologia algodão
 
Fenologia e fisiologia da cultura da soja
Fenologia e fisiologia da cultura da soja Fenologia e fisiologia da cultura da soja
Fenologia e fisiologia da cultura da soja
 
Nutrição e adubação do milho
Nutrição e adubação do milhoNutrição e adubação do milho
Nutrição e adubação do milho
 
Manejo de lagartas, percevejos e pulgões no milho
Manejo de lagartas, percevejos e pulgões no milhoManejo de lagartas, percevejos e pulgões no milho
Manejo de lagartas, percevejos e pulgões no milho
 
NUTRIÇÃO E ADUBAÇÃO DE SORGO E MILHETO.pptx
NUTRIÇÃO E ADUBAÇÃO DE SORGO E MILHETO.pptxNUTRIÇÃO E ADUBAÇÃO DE SORGO E MILHETO.pptx
NUTRIÇÃO E ADUBAÇÃO DE SORGO E MILHETO.pptx
 
Apresentação Aspectos Fisiológicos da Cultura da Soja
Apresentação   Aspectos Fisiológicos da Cultura da SojaApresentação   Aspectos Fisiológicos da Cultura da Soja
Apresentação Aspectos Fisiológicos da Cultura da Soja
 
Manejo de Milho: Tratamento de sementes e plantio
Manejo de Milho: Tratamento de sementes e plantioManejo de Milho: Tratamento de sementes e plantio
Manejo de Milho: Tratamento de sementes e plantio
 
Manejo de Lagartas e Percevejos no Milho
Manejo de Lagartas e Percevejos no MilhoManejo de Lagartas e Percevejos no Milho
Manejo de Lagartas e Percevejos no Milho
 
Grupo de Maturação e Posicionamento de Cultivares
Grupo de Maturação e Posicionamento de CultivaresGrupo de Maturação e Posicionamento de Cultivares
Grupo de Maturação e Posicionamento de Cultivares
 
Plantas daninhas e seu controle
Plantas daninhas e seu controlePlantas daninhas e seu controle
Plantas daninhas e seu controle
 
Biotecnologias e posicionamento de cultivares de soja
Biotecnologias e posicionamento de cultivares de soja Biotecnologias e posicionamento de cultivares de soja
Biotecnologias e posicionamento de cultivares de soja
 
Manejo de doenças na soja
Manejo de doenças na soja Manejo de doenças na soja
Manejo de doenças na soja
 
Cana de-açucar
Cana de-açucarCana de-açucar
Cana de-açucar
 
Manejo de Podridão de Colmo, Raiz, Espigas, Grãos ardidos e Helmintosporiose
Manejo de Podridão de Colmo, Raiz, Espigas, Grãos ardidos e HelmintosporioseManejo de Podridão de Colmo, Raiz, Espigas, Grãos ardidos e Helmintosporiose
Manejo de Podridão de Colmo, Raiz, Espigas, Grãos ardidos e Helmintosporiose
 
INTRODUÇÃO À CULTURA DA SOJA
INTRODUÇÃO À CULTURA DA SOJAINTRODUÇÃO À CULTURA DA SOJA
INTRODUÇÃO À CULTURA DA SOJA
 
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NA SOJA
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NA SOJA MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NA SOJA
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NA SOJA
 
MORFOLOGIA E FISIOLOGIA DO ALGODOEIRO
MORFOLOGIA E FISIOLOGIA DO ALGODOEIROMORFOLOGIA E FISIOLOGIA DO ALGODOEIRO
MORFOLOGIA E FISIOLOGIA DO ALGODOEIRO
 
Manejo de doenças no algodoeiro
Manejo de doenças no algodoeiroManejo de doenças no algodoeiro
Manejo de doenças no algodoeiro
 
Preparação do solo, uso de corretivos e tecnologias de aplicação.
Preparação do solo,  uso de corretivos e tecnologias de aplicação.Preparação do solo,  uso de corretivos e tecnologias de aplicação.
Preparação do solo, uso de corretivos e tecnologias de aplicação.
 
Preparo do Solo e Plantio do Milho
Preparo do Solo e Plantio do MilhoPreparo do Solo e Plantio do Milho
Preparo do Solo e Plantio do Milho
 

Destaque

Análise de Solo e Recomendação para a cultura do milho (Safrinha)
Análise de Solo e Recomendação para a cultura do milho (Safrinha)Análise de Solo e Recomendação para a cultura do milho (Safrinha)
Análise de Solo e Recomendação para a cultura do milho (Safrinha)Geagra UFG
 
Colheita - Milho
Colheita - MilhoColheita - Milho
Colheita - MilhoGeagra UFG
 
Aplicações Complementares na cultura do Milho
Aplicações Complementares na cultura do MilhoAplicações Complementares na cultura do Milho
Aplicações Complementares na cultura do MilhoGeagra UFG
 
Tecnologia utilizada no feijão irrigado
Tecnologia utilizada no feijão irrigadoTecnologia utilizada no feijão irrigado
Tecnologia utilizada no feijão irrigadoGeagra UFG
 
Colheita do Arroz
Colheita do ArrozColheita do Arroz
Colheita do ArrozGeagra UFG
 
Mercado e comercialização do milho 2ª safra
Mercado e comercialização do milho   2ª safraMercado e comercialização do milho   2ª safra
Mercado e comercialização do milho 2ª safraGeagra UFG
 
Sistemas de Irrigação no Arroz
Sistemas de Irrigação no ArrozSistemas de Irrigação no Arroz
Sistemas de Irrigação no ArrozGeagra UFG
 
Manejo Integrado de Doenças no Arroz
Manejo Integrado de Doenças no ArrozManejo Integrado de Doenças no Arroz
Manejo Integrado de Doenças no ArrozGeagra UFG
 
Manejo Integrado de Pragas no Arroz
Manejo Integrado de Pragas no ArrozManejo Integrado de Pragas no Arroz
Manejo Integrado de Pragas no ArrozGeagra UFG
 
Pós-colheita e Beneficiamento do Arroz
Pós-colheita e Beneficiamento do ArrozPós-colheita e Beneficiamento do Arroz
Pós-colheita e Beneficiamento do ArrozGeagra UFG
 
Como a Planta de Arroz de Desenvolve
Como a Planta de Arroz de DesenvolveComo a Planta de Arroz de Desenvolve
Como a Planta de Arroz de DesenvolveGeagra UFG
 
Manejo do Solo no Arroz de Terras Altas
Manejo do Solo no Arroz de Terras AltasManejo do Solo no Arroz de Terras Altas
Manejo do Solo no Arroz de Terras AltasGeagra UFG
 
Manejo de Plantas Daninhas na Cultura do Arroz
Manejo de Plantas Daninhas na Cultura do ArrozManejo de Plantas Daninhas na Cultura do Arroz
Manejo de Plantas Daninhas na Cultura do ArrozGeagra UFG
 
Mercado e Comercialização do Feijão
Mercado e Comercialização do FeijãoMercado e Comercialização do Feijão
Mercado e Comercialização do FeijãoGeagra UFG
 
MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS NO FEIJÃO
MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS NO FEIJÃOMANEJO INTEGRADO DE PRAGAS NO FEIJÃO
MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS NO FEIJÃOGeagra UFG
 
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NO FEIJÃO
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NO FEIJÃO MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NO FEIJÃO
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NO FEIJÃO Geagra UFG
 
Apresentação Colheita de Soja
Apresentação Colheita de SojaApresentação Colheita de Soja
Apresentação Colheita de SojaGeagra UFG
 

Destaque (20)

Análise de Solo e Recomendação para a cultura do milho (Safrinha)
Análise de Solo e Recomendação para a cultura do milho (Safrinha)Análise de Solo e Recomendação para a cultura do milho (Safrinha)
Análise de Solo e Recomendação para a cultura do milho (Safrinha)
 
Fungicida no Milho
Fungicida no MilhoFungicida no Milho
Fungicida no Milho
 
Colheita - Milho
Colheita - MilhoColheita - Milho
Colheita - Milho
 
Herbicidas - 2ª safra
Herbicidas - 2ª safraHerbicidas - 2ª safra
Herbicidas - 2ª safra
 
Aplicações Complementares na cultura do Milho
Aplicações Complementares na cultura do MilhoAplicações Complementares na cultura do Milho
Aplicações Complementares na cultura do Milho
 
Inseticidas
InseticidasInseticidas
Inseticidas
 
Tecnologia utilizada no feijão irrigado
Tecnologia utilizada no feijão irrigadoTecnologia utilizada no feijão irrigado
Tecnologia utilizada no feijão irrigado
 
Colheita do Arroz
Colheita do ArrozColheita do Arroz
Colheita do Arroz
 
Mercado e comercialização do milho 2ª safra
Mercado e comercialização do milho   2ª safraMercado e comercialização do milho   2ª safra
Mercado e comercialização do milho 2ª safra
 
Sistemas de Irrigação no Arroz
Sistemas de Irrigação no ArrozSistemas de Irrigação no Arroz
Sistemas de Irrigação no Arroz
 
Manejo Integrado de Doenças no Arroz
Manejo Integrado de Doenças no ArrozManejo Integrado de Doenças no Arroz
Manejo Integrado de Doenças no Arroz
 
Manejo Integrado de Pragas no Arroz
Manejo Integrado de Pragas no ArrozManejo Integrado de Pragas no Arroz
Manejo Integrado de Pragas no Arroz
 
Pós-colheita e Beneficiamento do Arroz
Pós-colheita e Beneficiamento do ArrozPós-colheita e Beneficiamento do Arroz
Pós-colheita e Beneficiamento do Arroz
 
Como a Planta de Arroz de Desenvolve
Como a Planta de Arroz de DesenvolveComo a Planta de Arroz de Desenvolve
Como a Planta de Arroz de Desenvolve
 
Manejo do Solo no Arroz de Terras Altas
Manejo do Solo no Arroz de Terras AltasManejo do Solo no Arroz de Terras Altas
Manejo do Solo no Arroz de Terras Altas
 
Manejo de Plantas Daninhas na Cultura do Arroz
Manejo de Plantas Daninhas na Cultura do ArrozManejo de Plantas Daninhas na Cultura do Arroz
Manejo de Plantas Daninhas na Cultura do Arroz
 
Mercado e Comercialização do Feijão
Mercado e Comercialização do FeijãoMercado e Comercialização do Feijão
Mercado e Comercialização do Feijão
 
MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS NO FEIJÃO
MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS NO FEIJÃOMANEJO INTEGRADO DE PRAGAS NO FEIJÃO
MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS NO FEIJÃO
 
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NO FEIJÃO
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NO FEIJÃO MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NO FEIJÃO
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NO FEIJÃO
 
Apresentação Colheita de Soja
Apresentação Colheita de SojaApresentação Colheita de Soja
Apresentação Colheita de Soja
 

Semelhante a Escolha do Híbrido de Milho para Safrinha

Semelhante a Escolha do Híbrido de Milho para Safrinha (8)

Palestra Marcelo
Palestra MarceloPalestra Marcelo
Palestra Marcelo
 
Palestra Marcelo Candiotto
Palestra Marcelo CandiottoPalestra Marcelo Candiotto
Palestra Marcelo Candiotto
 
Planejamento e plantio de sorgo e milheto
Planejamento e plantio de sorgo e milheto Planejamento e plantio de sorgo e milheto
Planejamento e plantio de sorgo e milheto
 
Palestra gladyston EPAMIG
Palestra gladyston EPAMIGPalestra gladyston EPAMIG
Palestra gladyston EPAMIG
 
Rega das Culturas / Uso <eficiente da Água
Rega das Culturas / Uso <eficiente da ÁguaRega das Culturas / Uso <eficiente da Água
Rega das Culturas / Uso <eficiente da Água
 
Mandioca02
Mandioca02Mandioca02
Mandioca02
 
CULTURA DO TRIGO.pptx
CULTURA DO TRIGO.pptxCULTURA DO TRIGO.pptx
CULTURA DO TRIGO.pptx
 
Boletim novembro 2016 sm
Boletim novembro 2016   smBoletim novembro 2016   sm
Boletim novembro 2016 sm
 

Mais de Geagra UFG

INTRODUÇÃO À COTONICULTURA - THAÍS MOREIRA.pptx
INTRODUÇÃO À COTONICULTURA - THAÍS MOREIRA.pptxINTRODUÇÃO À COTONICULTURA - THAÍS MOREIRA.pptx
INTRODUÇÃO À COTONICULTURA - THAÍS MOREIRA.pptxGeagra UFG
 
Colheita e armazenamento da soja........
Colheita e armazenamento da soja........Colheita e armazenamento da soja........
Colheita e armazenamento da soja........Geagra UFG
 
Manejo de doenças da soja...............
Manejo de doenças da soja...............Manejo de doenças da soja...............
Manejo de doenças da soja...............Geagra UFG
 
Mecanismo de ação de fungicidas.........
Mecanismo de ação de fungicidas.........Mecanismo de ação de fungicidas.........
Mecanismo de ação de fungicidas.........Geagra UFG
 
Mecanismo de ação de inseticidas........
Mecanismo de ação de inseticidas........Mecanismo de ação de inseticidas........
Mecanismo de ação de inseticidas........Geagra UFG
 
SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pptx
SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pptxSLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pptx
SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pptxGeagra UFG
 
Cópia de SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pdf
Cópia de SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pdfCópia de SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pdf
Cópia de SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pdfGeagra UFG
 
SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1) (1).pptx
SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1) (1).pptxSLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1) (1).pptx
SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1) (1).pptxGeagra UFG
 
MANEJO DE PLANTAS DANINHAS DA SOJA. .pptx
MANEJO DE PLANTAS DANINHAS DA SOJA. .pptxMANEJO DE PLANTAS DANINHAS DA SOJA. .pptx
MANEJO DE PLANTAS DANINHAS DA SOJA. .pptxGeagra UFG
 
Manejo do solo e plantio de soja
Manejo do solo e plantio de sojaManejo do solo e plantio de soja
Manejo do solo e plantio de sojaGeagra UFG
 
Tecnologia de aplicação
Tecnologia de aplicaçãoTecnologia de aplicação
Tecnologia de aplicaçãoGeagra UFG
 
Manejo do solo e plantio de soja
Manejo do solo e plantio de sojaManejo do solo e plantio de soja
Manejo do solo e plantio de sojaGeagra UFG
 
inoculantes_coinoculantes_e_adubaASSAPSo_foliar.pptx
inoculantes_coinoculantes_e_adubaASSAPSo_foliar.pptxinoculantes_coinoculantes_e_adubaASSAPSo_foliar.pptx
inoculantes_coinoculantes_e_adubaASSAPSo_foliar.pptxGeagra UFG
 
Correção do solo e adubação na soja
Correção do solo e adubação na sojaCorreção do solo e adubação na soja
Correção do solo e adubação na sojaGeagra UFG
 
SLIDE DINÂMICA DOS NUTRIENTES OF.pptx
SLIDE DINÂMICA DOS NUTRIENTES OF.pptxSLIDE DINÂMICA DOS NUTRIENTES OF.pptx
SLIDE DINÂMICA DOS NUTRIENTES OF.pptxGeagra UFG
 
BIOTECNOLOGIA E RECOMENDAÇÃO DE CULTIVARES DE SOJA
BIOTECNOLOGIA E RECOMENDAÇÃO DE CULTIVARES DE SOJA BIOTECNOLOGIA E RECOMENDAÇÃO DE CULTIVARES DE SOJA
BIOTECNOLOGIA E RECOMENDAÇÃO DE CULTIVARES DE SOJA Geagra UFG
 
FENOLOGIA E FISIOLOGIA DA SOJA.pptx
FENOLOGIA E FISIOLOGIA DA SOJA.pptxFENOLOGIA E FISIOLOGIA DA SOJA.pptx
FENOLOGIA E FISIOLOGIA DA SOJA.pptxGeagra UFG
 
FENOLOGIA E FISIOLOGIA DA SOJA.pptx
FENOLOGIA E FISIOLOGIA DA SOJA.pptxFENOLOGIA E FISIOLOGIA DA SOJA.pptx
FENOLOGIA E FISIOLOGIA DA SOJA.pptxGeagra UFG
 
Produção de milho-doce, milho-pipoca e milho-verde no Brasil.
Produção de milho-doce, milho-pipoca e milho-verde no Brasil. Produção de milho-doce, milho-pipoca e milho-verde no Brasil.
Produção de milho-doce, milho-pipoca e milho-verde no Brasil. Geagra UFG
 
Colheita e armazenamento do milho
Colheita e armazenamento do milhoColheita e armazenamento do milho
Colheita e armazenamento do milhoGeagra UFG
 

Mais de Geagra UFG (20)

INTRODUÇÃO À COTONICULTURA - THAÍS MOREIRA.pptx
INTRODUÇÃO À COTONICULTURA - THAÍS MOREIRA.pptxINTRODUÇÃO À COTONICULTURA - THAÍS MOREIRA.pptx
INTRODUÇÃO À COTONICULTURA - THAÍS MOREIRA.pptx
 
Colheita e armazenamento da soja........
Colheita e armazenamento da soja........Colheita e armazenamento da soja........
Colheita e armazenamento da soja........
 
Manejo de doenças da soja...............
Manejo de doenças da soja...............Manejo de doenças da soja...............
Manejo de doenças da soja...............
 
Mecanismo de ação de fungicidas.........
Mecanismo de ação de fungicidas.........Mecanismo de ação de fungicidas.........
Mecanismo de ação de fungicidas.........
 
Mecanismo de ação de inseticidas........
Mecanismo de ação de inseticidas........Mecanismo de ação de inseticidas........
Mecanismo de ação de inseticidas........
 
SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pptx
SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pptxSLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pptx
SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pptx
 
Cópia de SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pdf
Cópia de SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pdfCópia de SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pdf
Cópia de SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pdf
 
SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1) (1).pptx
SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1) (1).pptxSLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1) (1).pptx
SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1) (1).pptx
 
MANEJO DE PLANTAS DANINHAS DA SOJA. .pptx
MANEJO DE PLANTAS DANINHAS DA SOJA. .pptxMANEJO DE PLANTAS DANINHAS DA SOJA. .pptx
MANEJO DE PLANTAS DANINHAS DA SOJA. .pptx
 
Manejo do solo e plantio de soja
Manejo do solo e plantio de sojaManejo do solo e plantio de soja
Manejo do solo e plantio de soja
 
Tecnologia de aplicação
Tecnologia de aplicaçãoTecnologia de aplicação
Tecnologia de aplicação
 
Manejo do solo e plantio de soja
Manejo do solo e plantio de sojaManejo do solo e plantio de soja
Manejo do solo e plantio de soja
 
inoculantes_coinoculantes_e_adubaASSAPSo_foliar.pptx
inoculantes_coinoculantes_e_adubaASSAPSo_foliar.pptxinoculantes_coinoculantes_e_adubaASSAPSo_foliar.pptx
inoculantes_coinoculantes_e_adubaASSAPSo_foliar.pptx
 
Correção do solo e adubação na soja
Correção do solo e adubação na sojaCorreção do solo e adubação na soja
Correção do solo e adubação na soja
 
SLIDE DINÂMICA DOS NUTRIENTES OF.pptx
SLIDE DINÂMICA DOS NUTRIENTES OF.pptxSLIDE DINÂMICA DOS NUTRIENTES OF.pptx
SLIDE DINÂMICA DOS NUTRIENTES OF.pptx
 
BIOTECNOLOGIA E RECOMENDAÇÃO DE CULTIVARES DE SOJA
BIOTECNOLOGIA E RECOMENDAÇÃO DE CULTIVARES DE SOJA BIOTECNOLOGIA E RECOMENDAÇÃO DE CULTIVARES DE SOJA
BIOTECNOLOGIA E RECOMENDAÇÃO DE CULTIVARES DE SOJA
 
FENOLOGIA E FISIOLOGIA DA SOJA.pptx
FENOLOGIA E FISIOLOGIA DA SOJA.pptxFENOLOGIA E FISIOLOGIA DA SOJA.pptx
FENOLOGIA E FISIOLOGIA DA SOJA.pptx
 
FENOLOGIA E FISIOLOGIA DA SOJA.pptx
FENOLOGIA E FISIOLOGIA DA SOJA.pptxFENOLOGIA E FISIOLOGIA DA SOJA.pptx
FENOLOGIA E FISIOLOGIA DA SOJA.pptx
 
Produção de milho-doce, milho-pipoca e milho-verde no Brasil.
Produção de milho-doce, milho-pipoca e milho-verde no Brasil. Produção de milho-doce, milho-pipoca e milho-verde no Brasil.
Produção de milho-doce, milho-pipoca e milho-verde no Brasil.
 
Colheita e armazenamento do milho
Colheita e armazenamento do milhoColheita e armazenamento do milho
Colheita e armazenamento do milho
 

Último

Treinamento de NR06 Equipamento de Proteção Individual
Treinamento de NR06 Equipamento de Proteção IndividualTreinamento de NR06 Equipamento de Proteção Individual
Treinamento de NR06 Equipamento de Proteção Individualpablocastilho3
 
A Importância dos EPI's no trabalho e no dia a dia laboral
A Importância dos EPI's no trabalho e no dia a dia laboralA Importância dos EPI's no trabalho e no dia a dia laboral
A Importância dos EPI's no trabalho e no dia a dia laboralFranciscaArrudadaSil
 
LEAN SIX SIGMA - Garantia da qualidade e segurança
LEAN SIX SIGMA - Garantia da qualidade e segurançaLEAN SIX SIGMA - Garantia da qualidade e segurança
LEAN SIX SIGMA - Garantia da qualidade e segurançaGuilhermeLucio9
 
Eletricista instalador - Senai Almirante Tamandaré
Eletricista instalador - Senai Almirante TamandaréEletricista instalador - Senai Almirante Tamandaré
Eletricista instalador - Senai Almirante TamandaréGuilhermeLucio9
 
Estatística aplicada à experimentação animal
Estatística aplicada à experimentação animalEstatística aplicada à experimentação animal
Estatística aplicada à experimentação animalleandroladesenvolvim
 
Tecnólogo em Mecatrônica - Universidade Anhanguera
Tecnólogo em Mecatrônica - Universidade AnhangueraTecnólogo em Mecatrônica - Universidade Anhanguera
Tecnólogo em Mecatrônica - Universidade AnhangueraGuilhermeLucio9
 
Livro Vibrações Mecânicas - Rao Singiresu - 4ª Ed.pdf
Livro Vibrações Mecânicas - Rao Singiresu - 4ª Ed.pdfLivro Vibrações Mecânicas - Rao Singiresu - 4ª Ed.pdf
Livro Vibrações Mecânicas - Rao Singiresu - 4ª Ed.pdfSamuel Ramos
 
MODELO LAUDO AVALIAÇÃO MÁQUINAS EQUIPAM
MODELO LAUDO AVALIAÇÃO MÁQUINAS  EQUIPAMMODELO LAUDO AVALIAÇÃO MÁQUINAS  EQUIPAM
MODELO LAUDO AVALIAÇÃO MÁQUINAS EQUIPAMCassio Rodrigo
 

Último (8)

Treinamento de NR06 Equipamento de Proteção Individual
Treinamento de NR06 Equipamento de Proteção IndividualTreinamento de NR06 Equipamento de Proteção Individual
Treinamento de NR06 Equipamento de Proteção Individual
 
A Importância dos EPI's no trabalho e no dia a dia laboral
A Importância dos EPI's no trabalho e no dia a dia laboralA Importância dos EPI's no trabalho e no dia a dia laboral
A Importância dos EPI's no trabalho e no dia a dia laboral
 
LEAN SIX SIGMA - Garantia da qualidade e segurança
LEAN SIX SIGMA - Garantia da qualidade e segurançaLEAN SIX SIGMA - Garantia da qualidade e segurança
LEAN SIX SIGMA - Garantia da qualidade e segurança
 
Eletricista instalador - Senai Almirante Tamandaré
Eletricista instalador - Senai Almirante TamandaréEletricista instalador - Senai Almirante Tamandaré
Eletricista instalador - Senai Almirante Tamandaré
 
Estatística aplicada à experimentação animal
Estatística aplicada à experimentação animalEstatística aplicada à experimentação animal
Estatística aplicada à experimentação animal
 
Tecnólogo em Mecatrônica - Universidade Anhanguera
Tecnólogo em Mecatrônica - Universidade AnhangueraTecnólogo em Mecatrônica - Universidade Anhanguera
Tecnólogo em Mecatrônica - Universidade Anhanguera
 
Livro Vibrações Mecânicas - Rao Singiresu - 4ª Ed.pdf
Livro Vibrações Mecânicas - Rao Singiresu - 4ª Ed.pdfLivro Vibrações Mecânicas - Rao Singiresu - 4ª Ed.pdf
Livro Vibrações Mecânicas - Rao Singiresu - 4ª Ed.pdf
 
MODELO LAUDO AVALIAÇÃO MÁQUINAS EQUIPAM
MODELO LAUDO AVALIAÇÃO MÁQUINAS  EQUIPAMMODELO LAUDO AVALIAÇÃO MÁQUINAS  EQUIPAM
MODELO LAUDO AVALIAÇÃO MÁQUINAS EQUIPAM
 

Escolha do Híbrido de Milho para Safrinha

  • 1. Caio Alves Pinheiro Milho – Segunda Safra Escolha do Híbrido
  • 2. Sumário O que é Segunda Safra? Mapas da produção agrícola; Zoneamento climático; Diferenças entre safra e safrinha; Sucesso da safrinha; Estudo de Caso – Fazenda GEAGRA; Cálculo da quantidade de semente; Fonte: Pinheiro, 2015.
  • 3. Safrinha ou Segunda Safra Safra obtida entre os períodos de entressafra; Antecipação da cultura de verão; Aproveitamento das condições climáticas; Utilização dos resíduos da adubação da safra verão; Obtenção de recursos financeiros extras; Produção de cobertura vegetal; Geração de renda; Necessita de logística e estrutura; Fonte: Rural Centro
  • 4.
  • 5.
  • 7. MILHO SAFRINHA “FORA DA JANELA” DE PLANTIO, SIGNIFICA REDUÇÃO DE ÁREA E PRODUTIVIDADE?
  • 8.
  • 9. No que a safrinha difere do período normal de plantio? Menor quantidade de chuvas; Maior intensidade de pragas; Inversão térmica; Quantidade de horas de luz/dia; TEMPO é uma peça chave para um bom resultado final.
  • 10. SUCESSO DA SAFRINHA Soja precoce; Rotação de cultura; Seleção correta do material a ser utilizado; Época de plantio ideal Fonte: Agrolink Exserohilum turcicum Cercospora zeae-maydis Phaeosphaeria maydis
  • 11. SUCESSO DA SAFRINHA Fonte: Rural Centro. Sempre faça adubação de cobertura e plantio; Siga recomendação de população/estande; Atenção aos resíduos de herbicidas da cultura anterior; Plante o milho na área de maior fertilidade; Fonte: Jornal O Presente Rural.
  • 14. Parâmetros de escolha do Híbrido: “Preço”; Biotecnologia; Produtividade; Exigência nutricional; Resistência a doenças; Ciclo; Baixo fator de reprodução a nematóides; Fonte: Pinheiro, 2015.
  • 16. Híbrido Dekalb 390 (Potencial Produtivo) TECNOLOGIAS: RR, VTPRO, YIELDGARD, VTPRO2, VTPROMAX CICLO: Precoce PORTE: 2,20 metros POPULAÇÃO: 60 – 65 mil INSERÇÃO DE ESPIGA: 1,25 metros TIPO DE GRÃO: Duro – Amarelo/alaranjado STAYGREEN: Excelente RECOMENDAÇÃO: Verão, meio e fechamento da safrinha
  • 17. Dekalb 310 (Sanidade Foliar) TECNOLOGIAS: VTPRO, YIELDGARD, VTPRO2, VTPROMAX CICLO: Normal PORTE: 2,40 a 2,60 metros POPULAÇÃO: 55 – 65 mil INSERÇÃO DE ESPIGA: 1,20 a 1,60 metros TIPO DE GRÃO: Semiduro – Amarelo/alaranjado STAYGREEN: Muito bom RECOMENDAÇÃO: Verão, abertura e meio da safrinha Híbrido
  • 18. Dekalb 290 (Sanidade Produtiva) TECNOLOGIAS: VTPRO, YIELDGARD, VTPRO3 CICLO: Precoce PORTE: 2,10 a 2,60 metros POPULAÇÃO: 60 – 75 mil INSERÇÃO DE ESPIGA: 1,05 a 1,52 metros TIPO DE GRÃO: Semidentado – Alaranjado STAYGREEN: Bom RECOMENDAÇÃO: Verão, abertura e meio da safrinha Híbrido
  • 19. Dekalb 285 (Precocidade e alto teto produtivo) TECNOLOGIAS: VTPRO, YIELDGARD, VTPRO2 CICLO: Superprecoce PORTE: 2,10 a 2,50 metros POPULAÇÃO: 50 – 60 mil INSERÇÃO DE ESPIGA: 1,00 a 1,25 metros TIPO DE GRÃO: Semidentado – Amarelo/alaranjado STAYGREEN: Excelente RECOMENDAÇÃO: Verão, abertura e meio da safrinha Híbrido
  • 20. Dekalb 350 (Amplitude de plantio e estabilidade) TECNOLOGIAS: VTPRO, YIELDGARD CICLO: Precoce PORTE: 2,20 a 2,35 metros POPULAÇÃO: 50 – 65 mil INSERÇÃO DE ESPIGA: 1,15 a 1,25 metros TIPO DE GRÃO: Duro – Alaranjado STAYGREEN: Bom RECOMENDAÇÃO: Verão, abertura, meio e fim da safrinha Híbrido
  • 21. Nidera – NS90 (Ótima sanidade geral) TECNOLOGIAS: PRO, PRO2, RR2 CICLO: Precoce PORTE: 2,20 a 2,30 metros POPULAÇÃO: 55 – 60 mil INSERÇÃO DE ESPIGA: 1,10 a 1,20 metros TIPO DE GRÃO: Semiduro – Alaranjado STAYGREEN: Bom RECOMENDAÇÃO: Verão, abertura, meio de safrinha Híbrido
  • 22. Pioneer 3630H (Potencial produtivo e estabilidade) TECNOLOGIAS: HERCULEX CICLO: Superprecoce PORTE: 2,10 a 2,50 metros POPULAÇÃO: 60 – 65 mil INSERÇÃO DE ESPIGA: 1,00 a 1,25 metros TIPO DE GRÃO: Semidentado – Amarelo/alaranjado STAYGREEN: Bom RECOMENDAÇÃO: Verão, abertura e meio da safrinha Híbrido
  • 23. Pioneer 30k75Y (Potencial produtivo em diferentes localidades) TECNOLOGIAS: HERCULEX, YELDGUARD CICLO: Precoce PORTE: 2,20 a 2,40 metros POPULAÇÃO: 50 – 60 mil INSERÇÃO DE ESPIGA: 1,10 a 1,15 metros TIPO DE GRÃO: Dentado – Amarelo/alaranjado STAYGREEN: Excelente RECOMENDAÇÃO: Verão, abertura, meio e fechamento de safrinha Híbrido
  • 24. Pioneer 30S31 (Potencial produtivo na safrrinha) TECNOLOGIAS: HERCULEX, YELDGUARD, RR, INTRASECT CICLO: Precoce PORTE: 2,10 a 2,30 metros POPULAÇÃO: 55 – 60 mil INSERÇÃO DE ESPIGA: 1,20 a 1,25 metros TIPO DE GRÃO: Duro – Alaranjado STAYGREEN: Excelente RECOMENDAÇÃO: Verão, abertura, meio e fechamento de safrinha Híbrido
  • 25. Agroeste - AS 1581 (Potencial produtivo) TECNOLOGIAS: YIELDGARD CICLO: Semiprecoce PORTE: Alto POPULAÇÃO: 55 – 60 mil INSERÇÃO DE ESPIGA: Alta TIPO DE GRÃO: Semiduro – Alaranjado STAYGREEN: Excelente RECOMENDAÇÃO: Verão, abertura, meio de safrinha Híbrido
  • 26. BG 7049H BG 7037H BG 7036H LG 6036 YH, VTPRO2 LG 6038 YH, VTPRO2 LG 6304 YH SYN-TRUCK VIPTERA SYN-FEROZ VIPTERA SYN–IMPACTO VIPTERA Outros híbridos:
  • 27. DEZ MANDAMENTOS DA SAFRINHA: 1º - Plantio: Sucesso ou fracasso 2º - Regulagem da semeadoura 3º - Velocidade de plantio 4º - Época de plantio 5º - População e espaçamento 6º - Correção do solo 7º - Lavoura no limpo 9º - Adubações (plantio e cobertura) 10º - Qualidade na colheita
  • 28.
  • 29. - Estande inicial: 60.000 mil plantas/ha - Considerando 5% de perda (falta de vigor na semente) - Estande de plantio: 68.000 mil sementes/ha - Espaçamento: 0,50 metros 20.000 metros lineares – 68.000 mil sementes 1 metro linear - X X = 3,4 sementes/metro Cálculo da quantidade de sementes:
  • 30. AGRICULTURA o maior trabalho da TERRA...
  • 32. Referências Seed News - 2002. Disponível em: <http://www.seednews.inf.br/portugues/seed66/milho66.shtml> Acesso em: 12 de Jan. de 2016. Folheto Pioneer - 2015. Disponível em: <http://http://www.pioneersementes.com.br/DownloadCenter/Folheto- Pos-Fumo.pdf> Acesso em: 10 de Jan. de 2016. MAPA – Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento - 2015. Disponível em: <http://http://www.agricultura.gov.br/vegetal/estatisticas> Acesso em: 14 de Jan. de 2016. EMBRAPA Milho e Sorgo - 2015. Disponível em: <http://www.cnpms.embrapa.br/publicacoes/sorgo_6_ed/plantio- semeadura.htm> Acesso em: 14 de Jan. de 2016.