SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 38
IMPACTOS DAS MUDANÇAS
CLIMÁTICAS NA AGROPECUÁRIA
REGIONAL
SETE LAGOAS 26 de MAIO de 2015
Marcelo Candiotto
Presidente CRPRSL
 FUNDADA EM OUTUBRO DE 1948FUNDADA EM OUTUBRO DE 1948
 OBJETIVOS DA SUA FUNDAÇÃOOBJETIVOS DA SUA FUNDAÇÃO
 ATUAL DIRETORIA:ATUAL DIRETORIA:
Marcelo Candiotto – PresidenteMarcelo Candiotto – Presidente
Rômulo Reis – FinançasRômulo Reis – Finanças
Mauro Figueiredo – ComercialMauro Figueiredo – Comercial
 Volume de Captação:Volume de Captação: 122.000 litros/dia CCPR/Itambé122.000 litros/dia CCPR/Itambé
IMPACTOS AMBIENTAIS
 Brasil – país continental
 Impactos diferentes em cada regioão e culturas.
EXTREMOS CLIMÁTICOS
Média 10 anos = 1.410 mm
Exemplo: Sete Lagoas - MG
Média Últ. 3 anos = 925
Média últ. 3 anos Faz. = 854
IMPACTOS DIRETOS NA
AGROPECUÁRIA
 Estações pouco definidas.
 Falta de água.
 Uso reduzido das pastagens.
 Extresse térmico dos animais.
 Produção irregular de volumosos.
 Elevação dos custos de produção.
PRODUÇÃO DE LEITE
GENÓTIPOGENÓTIPOAMBIENTEAMBIENTE
ALIMENTAÇÃOALIMENTAÇÃO
(70 %)(70 %)
CONFORTOCONFORTO
(20 %)(20 %)
SANIDADESANIDADE
(10 %)(10 %)
Potencial Produtivo
8lts/dia
15lts/dia
PANORAMA ATUAL
 Pastagens degradadas
 Lavouras pouco produtivas
 Canaviais mal manejados
 Baixa eficiência produtiva
ALTERNATIVAS
Riscos Benefícios
• Planejamento da atividade.
• Assistência Técnica.
• Recuperação de áreas degradadas.
• Produção eficiente de volumos: cana,
sorgo e capineira.
• Priorização do uso de pastagens
(macega).
• ILP
• Uso de irrigação de salvamento.
Sombreamento em Pastagens
Reserva de alimento para a secaManejo de Pastagens
Manejo da Água
Prover funções vitais do organismo;
Requerida para manter fluidos corporais;
 Balanço iônico adequado;
 Auxílio na digestão, absorção e metabolização de
nutrientes;
Eliminar resíduos e excesso de calor;
Prover ambiente fluido para o feto;
TERRACEAMENTO
LOCAÇÃO ESTRADAS
PLANTIO EM NÍVEL
PLANTIO EM NÍVEL
BOLSÕES / BARRAGINHAS
CURVA DE NÍVEL
PLANTIO DIRETO
MATA CILIAR
SUBSOLAGEM
FAIXAS VEGETATIVAS
TOPO DE MORRO
BARRAGINHA
MATA DE TOPO
PROTEÇÃO NASCENTES
NECESSIDADE DE ÁGUA POR DIA:
•garrotes/ novilhas: 45 L( 8 a 9 l /100 kg)
•Vacas leiteiras: 40 a 65 L ( até 140 L )
•1,5 a 2 L água / Kg leite produzido
Bovinos não gostam de água suja,
muito fria, funda
SOMOS PÉSSIMOS AGRICULTORES!!!!!
CANA DE AÇUCAR
• Alta produtividade por área.
• Maturidade e disponibilidade
no período da seca.
• Disponibilidade de variedades
com diferentes ciclos de
produção.
• Amplitude da época de plantio.
• Opção para ensilagem e corte
mecanizado.
• Viveiro de Mudas (Epamig).
Nitromineral EPAMIG Cana
É a inclusão de minerais na mistura
cana+uréia+sulfato de amônio
Proporciona ingestão balanceada de
minerais pelos bovinos
Ferreira et al., 2007
Nitromineral EPAMIG – NUC
55 % de Uréia
6 % de Sulfato de amônio
14 % de Fosfato bicálcico
20 % de Sal Mineral
5 % de Sal comum
Fornecer: 14 gramas/kg de cana picada
Exemplo: 280 gramas/20 kg de cana
picada
Ferreira et al., 2007
Fotos Geraldo Macêdo
Pesar o balaio de
cana
Pesar o Nitromineral
Picar a cana bem fina
Boa mistura do
nitromineral ao volumoso
Fornecer alimento fresco
2 a 3 vezes por dia
Fotos Geraldo Macêdo
SUPLEMENTAÇÃO COM RAÇÃOSUPLEMENTAÇÃO COM RAÇÃO
BALANCEADABALANCEADA
CONSUMO DE CANA COM
NUC
Kg de leite/vaca/dia
20 kg Acima de 0,0
25 kg Acima de 3,0
30 kg Acima de 5,0
OPÇÃO PELA SILAGEM DE
SORGO
ORIGEM: regiões de clima tropical provavelmente da África.
 CARACTERISTICAS: não suporta baixas temperaturas e por isso,
no Brasil, é cultivado em regiões e situações de temperaturas
médias superiores a 200
.
AMPLITUDE DE PLANTIO: setembro a fevereiro.
ALTA CAPACIDADE PRODUTIVA: planta e rebrota.
BAIXO CUSTO DE PRODUÇÃO.
CARACTERÍSTICAS BROMATOLÓGICAS.
25
Teor médio de proteína (%)
Pastagem de
Mês do ano
10 11 12 1 2 3 4 5 6 7 8 9
Brachiaria
decumbens
8,12 8,93 7,14 5,25
Brachiaria
ruziziensis
11,40 11,36 7,64 4,56
Capim Guiné 11,60 11,45 8,65 5,07
Capim Setaria 11,81 13,34 10,47 7,94
Precipitação, mm* 620 582 88 50
SECAPRÉ-SECOÁGUAS
Divisão do Ano
*Águas: Novembro a Março -Pasto + Concentrado 9,5 a 20%;
* Pré seco : Março a Maio - Pasto + Uréia + Concentrado 24%
e lanche;
* Seco: Maio a Novembro – Cana ou Silagem + NUC ou NUS
+ Concentrado 22%.
26
MANEJO DO PASTO IRRIGADO
 Pesquisa = 20 há irrigado;
 Pastejo irrigado de tifton 85, Braquiária Marandú e Braquiária Mulato;
 6UA/há/ano;
 0 Kg de Concentrado = 12Kg de leite;
 2Kg de concentrado 16% de PB com 2% de uréia = 13,1lts de leite;
 2Kg de concentrado 16% de PB sem uréia = 13,2lts de leite;
 OBS. Sem afetar a reprodução.
ILP – Área com milho recém colhido
ILP – Piatã 15 dias de colhido
ILP – Piatã 30 dias de colhido
ILP – Piatã 45 dias de colhido
Integração Lavoura Pecuária- SPD
OPORTUNIDADES: SUB-PRODUTOS CERVEJARIAS
TENDÊNCIAS
 UTILIZAÇÃO DE VOLUMOSO RESISTENTE A SECA – EX.UTILIZAÇÃO DE VOLUMOSO RESISTENTE A SECA – EX.
SORGO, CAPINEIRA E CANA;SORGO, CAPINEIRA E CANA;
 MANEJO DE PASTAGEM ECOLÓGICO – ALTURA DE CAPIMMANEJO DE PASTAGEM ECOLÓGICO – ALTURA DE CAPIM
COM PLUVIOSIDADE;COM PLUVIOSIDADE;
 POTENCIALIZAR AS ÁREAS DA ATIVIDADE LEITEIRA – SÓPOTENCIALIZAR AS ÁREAS DA ATIVIDADE LEITEIRA – SÓ
PASTO PERTO DO CURRAL PARA AS VACAS DE LEITE,PASTO PERTO DO CURRAL PARA AS VACAS DE LEITE,
ÁREAS DE LAVOURA MAIS LONGE;ÁREAS DE LAVOURA MAIS LONGE;
 DIMINUIR CUSTOS – MELHORIA DO USO DO VOLUMOSODIMINUIR CUSTOS – MELHORIA DO USO DO VOLUMOSO
(LEIA-SE PASTAGEM);(LEIA-SE PASTAGEM);
 TERCERIZAÇÃO DO SISTEMA – COMPRA DE VOLUMOSOTERCERIZAÇÃO DO SISTEMA – COMPRA DE VOLUMOSO
(SILAGEM DE MILHO);(SILAGEM DE MILHO);
 RECRIA A PASTO DA FAZENDA OU AULGADO, TIRAR DORECRIA A PASTO DA FAZENDA OU AULGADO, TIRAR DO
COCHO;COCHO;
 Gado produtivo, porém rústico = F1 E PRODUÇÃO DE FIVGado produtivo, porém rústico = F1 E PRODUÇÃO DE FIV
PARA REPOSIÇÃO E BEZERROS DE CORTE PARA VENDA.PARA REPOSIÇÃO E BEZERROS DE CORTE PARA VENDA.
AFINAL O QUE QUEREMOS??????
Grato pela atenção !!!!!!
Marcelo Candiotto
(31) 3779-2350

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 2 princípios do manejo de pastagem
Aula 2   princípios do manejo de pastagemAula 2   princípios do manejo de pastagem
Aula 2 princípios do manejo de pastagem
Paulo Adami
 
[Palestra] Armindo Kichel: Degradação e Recuperação de Pastagem
[Palestra] Armindo Kichel: Degradação e Recuperação de Pastagem[Palestra] Armindo Kichel: Degradação e Recuperação de Pastagem
[Palestra] Armindo Kichel: Degradação e Recuperação de Pastagem
AgroTalento
 
Sao joaquim 21 03-13 fundamentos pecuaria a base de pasto spies
Sao joaquim 21 03-13 fundamentos pecuaria a base de pasto spiesSao joaquim 21 03-13 fundamentos pecuaria a base de pasto spies
Sao joaquim 21 03-13 fundamentos pecuaria a base de pasto spies
Reprotec
 
Seminário ANCP 2016 – Carlos Viacava – Produção agropecuária sustentável em s...
Seminário ANCP 2016 – Carlos Viacava – Produção agropecuária sustentável em s...Seminário ANCP 2016 – Carlos Viacava – Produção agropecuária sustentável em s...
Seminário ANCP 2016 – Carlos Viacava – Produção agropecuária sustentável em s...
ANCP Ribeirão Preto
 
120711 07-wbeef-sust-mário-wolf
120711 07-wbeef-sust-mário-wolf120711 07-wbeef-sust-mário-wolf
120711 07-wbeef-sust-mário-wolf
AgroTalento
 
Manejo pré abate e pega do frango-como reduzir perdas e maximizar o lucro
Manejo  pré abate e pega do frango-como reduzir perdas e maximizar o lucroManejo  pré abate e pega do frango-como reduzir perdas e maximizar o lucro
Manejo pré abate e pega do frango-como reduzir perdas e maximizar o lucro
Fabio Nunes
 

Mais procurados (20)

Palestra Podas do Cafeeiro (Como e quando fazer) Alysson Vilela Fagundes – E...
Palestra Podas do Cafeeiro (Como e quando fazer)  Alysson Vilela Fagundes – E...Palestra Podas do Cafeeiro (Como e quando fazer)  Alysson Vilela Fagundes – E...
Palestra Podas do Cafeeiro (Como e quando fazer) Alysson Vilela Fagundes – E...
 
Palestra gladyston EPAMIG
Palestra gladyston EPAMIGPalestra gladyston EPAMIG
Palestra gladyston EPAMIG
 
Rafael Henrique - Fenação
Rafael Henrique - FenaçãoRafael Henrique - Fenação
Rafael Henrique - Fenação
 
Aula 2 princípios do manejo de pastagem
Aula 2   princípios do manejo de pastagemAula 2   princípios do manejo de pastagem
Aula 2 princípios do manejo de pastagem
 
[Palestra] Armindo Kichel: Degradação e Recuperação de Pastagem
[Palestra] Armindo Kichel: Degradação e Recuperação de Pastagem[Palestra] Armindo Kichel: Degradação e Recuperação de Pastagem
[Palestra] Armindo Kichel: Degradação e Recuperação de Pastagem
 
AdubaçãO De Pastagens
AdubaçãO De PastagensAdubaçãO De Pastagens
AdubaçãO De Pastagens
 
Leguminosas nativas: o uso da biodiversidade do Cerrado na produção pecuária
Leguminosas nativas: o uso da biodiversidade do Cerrado na produção pecuáriaLeguminosas nativas: o uso da biodiversidade do Cerrado na produção pecuária
Leguminosas nativas: o uso da biodiversidade do Cerrado na produção pecuária
 
Sao joaquim 21 03-13 fundamentos pecuaria a base de pasto spies
Sao joaquim 21 03-13 fundamentos pecuaria a base de pasto spiesSao joaquim 21 03-13 fundamentos pecuaria a base de pasto spies
Sao joaquim 21 03-13 fundamentos pecuaria a base de pasto spies
 
Pós-colheita e armazenamento de grãos
Pós-colheita e armazenamento de grãosPós-colheita e armazenamento de grãos
Pós-colheita e armazenamento de grãos
 
Paletra PODAS NO MANEJO DE CAFÉZAIS - J.B. Matiello - Eng. Agr. MAPA/Procafé ...
Paletra PODAS NO MANEJO DE CAFÉZAIS - J.B. Matiello - Eng. Agr. MAPA/Procafé ...Paletra PODAS NO MANEJO DE CAFÉZAIS - J.B. Matiello - Eng. Agr. MAPA/Procafé ...
Paletra PODAS NO MANEJO DE CAFÉZAIS - J.B. Matiello - Eng. Agr. MAPA/Procafé ...
 
Projeto o leite da fazenda sítio dos milagres
Projeto o leite da fazenda sítio dos milagresProjeto o leite da fazenda sítio dos milagres
Projeto o leite da fazenda sítio dos milagres
 
Apresentação Colheita de Soja
Apresentação Colheita de SojaApresentação Colheita de Soja
Apresentação Colheita de Soja
 
Seminário ANCP 2016 – Carlos Viacava – Produção agropecuária sustentável em s...
Seminário ANCP 2016 – Carlos Viacava – Produção agropecuária sustentável em s...Seminário ANCP 2016 – Carlos Viacava – Produção agropecuária sustentável em s...
Seminário ANCP 2016 – Carlos Viacava – Produção agropecuária sustentável em s...
 
Manejo de Plantio
Manejo de PlantioManejo de Plantio
Manejo de Plantio
 
"Restauração de Pastagens Degradadas e Sistemas de Integração Lavoura-Pecuári...
"Restauração de Pastagens Degradadas e Sistemas de Integração Lavoura-Pecuári..."Restauração de Pastagens Degradadas e Sistemas de Integração Lavoura-Pecuári...
"Restauração de Pastagens Degradadas e Sistemas de Integração Lavoura-Pecuári...
 
Avaliação e seleção de cultivares de Capim Elefante (Pennisetum purpureun sch...
Avaliação e seleção de cultivares de Capim Elefante (Pennisetum purpureun sch...Avaliação e seleção de cultivares de Capim Elefante (Pennisetum purpureun sch...
Avaliação e seleção de cultivares de Capim Elefante (Pennisetum purpureun sch...
 
120711 07-wbeef-sust-mário-wolf
120711 07-wbeef-sust-mário-wolf120711 07-wbeef-sust-mário-wolf
120711 07-wbeef-sust-mário-wolf
 
José Basílio - Cultivo intensivo do cacaueiro
José Basílio - Cultivo intensivo do cacaueiroJosé Basílio - Cultivo intensivo do cacaueiro
José Basílio - Cultivo intensivo do cacaueiro
 
Palestra_Ulisses
Palestra_UlissesPalestra_Ulisses
Palestra_Ulisses
 
Manejo pré abate e pega do frango-como reduzir perdas e maximizar o lucro
Manejo  pré abate e pega do frango-como reduzir perdas e maximizar o lucroManejo  pré abate e pega do frango-como reduzir perdas e maximizar o lucro
Manejo pré abate e pega do frango-como reduzir perdas e maximizar o lucro
 

Semelhante a Palestra Marcelo Candiotto

A ciência no campo... 1º seminário são joaquim cassiano
A ciência no campo... 1º seminário são joaquim  cassianoA ciência no campo... 1º seminário são joaquim  cassiano
A ciência no campo... 1º seminário são joaquim cassiano
Reprotec
 

Semelhante a Palestra Marcelo Candiotto (20)

CULTURA DO TRIGO.pptx
CULTURA DO TRIGO.pptxCULTURA DO TRIGO.pptx
CULTURA DO TRIGO.pptx
 
Rega das Culturas / Uso <eficiente da Água
Rega das Culturas / Uso <eficiente da ÁguaRega das Culturas / Uso <eficiente da Água
Rega das Culturas / Uso <eficiente da Água
 
Ribeirão do pinhal
Ribeirão do pinhalRibeirão do pinhal
Ribeirão do pinhal
 
Ribeirão do pinhal
Ribeirão do pinhalRibeirão do pinhal
Ribeirão do pinhal
 
Ribeirão do pinhal
Ribeirão do pinhalRibeirão do pinhal
Ribeirão do pinhal
 
Projeto leite é bom demais da conta, sô!
Projeto leite é bom demais da conta, sô!Projeto leite é bom demais da conta, sô!
Projeto leite é bom demais da conta, sô!
 
Estimativa de aumento de produtividade com o uso de irrigação.
Estimativa de aumento de produtividade com o uso de irrigação. Estimativa de aumento de produtividade com o uso de irrigação.
Estimativa de aumento de produtividade com o uso de irrigação.
 
Café uso eficaz dos fertilizantes helio casale palestra fencafé - 05 de m...
Café uso eficaz dos fertilizantes helio casale   palestra fencafé  - 05 de  m...Café uso eficaz dos fertilizantes helio casale   palestra fencafé  - 05 de  m...
Café uso eficaz dos fertilizantes helio casale palestra fencafé - 05 de m...
 
Manejo na Apicultura Racional
Manejo na Apicultura RacionalManejo na Apicultura Racional
Manejo na Apicultura Racional
 
A importância da integração lavoura-pecuária com plantio direto na estratégia...
A importância da integração lavoura-pecuária com plantio direto na estratégia...A importância da integração lavoura-pecuária com plantio direto na estratégia...
A importância da integração lavoura-pecuária com plantio direto na estratégia...
 
Uma palmeira exótica no cenário brasileiro - o coqueiro gigante. Vol.I
Uma palmeira exótica no cenário brasileiro - o coqueiro gigante. Vol.IUma palmeira exótica no cenário brasileiro - o coqueiro gigante. Vol.I
Uma palmeira exótica no cenário brasileiro - o coqueiro gigante. Vol.I
 
01 módulo manejo_da_cultura_algodão
01 módulo manejo_da_cultura_algodão01 módulo manejo_da_cultura_algodão
01 módulo manejo_da_cultura_algodão
 
Palestra emerson borghi sit 2015
Palestra emerson borghi sit 2015Palestra emerson borghi sit 2015
Palestra emerson borghi sit 2015
 
Palestra Emerson Borghi
Palestra Emerson BorghiPalestra Emerson Borghi
Palestra Emerson Borghi
 
Agricultura
Agricultura Agricultura
Agricultura
 
E:\Blog José L Hernandes
E:\Blog José L  HernandesE:\Blog José L  Hernandes
E:\Blog José L Hernandes
 
Planejamento Agronômico.pptx
Planejamento Agronômico.pptxPlanejamento Agronômico.pptx
Planejamento Agronômico.pptx
 
Manual de Boas Práticas de Produção de Pataqueira
Manual de Boas Práticas de Produção de PataqueiraManual de Boas Práticas de Produção de Pataqueira
Manual de Boas Práticas de Produção de Pataqueira
 
A ciência no campo... 1º seminário são joaquim cassiano
A ciência no campo... 1º seminário são joaquim  cassianoA ciência no campo... 1º seminário são joaquim  cassiano
A ciência no campo... 1º seminário são joaquim cassiano
 
Tecnologia e custo da cana-de-açúcar para a alimentação animal
Tecnologia e custo da cana-de-açúcar para a alimentação animalTecnologia e custo da cana-de-açúcar para a alimentação animal
Tecnologia e custo da cana-de-açúcar para a alimentação animal
 

Mais de Embrapa Milho e Sorgo

Mais de Embrapa Milho e Sorgo (16)

Emater mg alimentacao_gado_leiteiro
Emater mg alimentacao_gado_leiteiroEmater mg alimentacao_gado_leiteiro
Emater mg alimentacao_gado_leiteiro
 
Sicoob dieta graos_warley_rocha
Sicoob dieta graos_warley_rochaSicoob dieta graos_warley_rocha
Sicoob dieta graos_warley_rocha
 
Plano energia mudancas_climaticas_mg
Plano energia mudancas_climaticas_mgPlano energia mudancas_climaticas_mg
Plano energia mudancas_climaticas_mg
 
Mitigacao agrotoxicos mg
Mitigacao agrotoxicos mgMitigacao agrotoxicos mg
Mitigacao agrotoxicos mg
 
Mapa fernando costa
Mapa fernando costaMapa fernando costa
Mapa fernando costa
 
Fitossanidade agronegocio mg_agropec
Fitossanidade agronegocio mg_agropecFitossanidade agronegocio mg_agropec
Fitossanidade agronegocio mg_agropec
 
Epm alimentacao gado_leiteiro
Epm alimentacao gado_leiteiroEpm alimentacao gado_leiteiro
Epm alimentacao gado_leiteiro
 
Epamig clenderson goncalves
Epamig clenderson goncalvesEpamig clenderson goncalves
Epamig clenderson goncalves
 
Ems cont biol_ivan_cruz
Ems cont biol_ivan_cruzEms cont biol_ivan_cruz
Ems cont biol_ivan_cruz
 
Ems baculovirus bt_fernando_valicente
Ems baculovirus bt_fernando_valicenteEms baculovirus bt_fernando_valicente
Ems baculovirus bt_fernando_valicente
 
Emater rs alencar_rugeri
Emater rs alencar_rugeriEmater rs alencar_rugeri
Emater rs alencar_rugeri
 
Emater mg encontro_regional_pecuaria_leiteira
Emater mg encontro_regional_pecuaria_leiteiraEmater mg encontro_regional_pecuaria_leiteira
Emater mg encontro_regional_pecuaria_leiteira
 
Ems risco agropecuaria_mudancas_climaticas
Ems risco agropecuaria_mudancas_climaticasEms risco agropecuaria_mudancas_climaticas
Ems risco agropecuaria_mudancas_climaticas
 
Palestra Andrea
Palestra AndreaPalestra Andrea
Palestra Andrea
 
Palestra j herbert sit 2015
Palestra j herbert sit 2015Palestra j herbert sit 2015
Palestra j herbert sit 2015
 
Palestra emerson alvarenga sit 2015
Palestra emerson alvarenga sit 2015Palestra emerson alvarenga sit 2015
Palestra emerson alvarenga sit 2015
 

Palestra Marcelo Candiotto

  • 1. IMPACTOS DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS NA AGROPECUÁRIA REGIONAL SETE LAGOAS 26 de MAIO de 2015 Marcelo Candiotto Presidente CRPRSL
  • 2.  FUNDADA EM OUTUBRO DE 1948FUNDADA EM OUTUBRO DE 1948  OBJETIVOS DA SUA FUNDAÇÃOOBJETIVOS DA SUA FUNDAÇÃO  ATUAL DIRETORIA:ATUAL DIRETORIA: Marcelo Candiotto – PresidenteMarcelo Candiotto – Presidente Rômulo Reis – FinançasRômulo Reis – Finanças Mauro Figueiredo – ComercialMauro Figueiredo – Comercial  Volume de Captação:Volume de Captação: 122.000 litros/dia CCPR/Itambé122.000 litros/dia CCPR/Itambé
  • 3. IMPACTOS AMBIENTAIS  Brasil – país continental  Impactos diferentes em cada regioão e culturas. EXTREMOS CLIMÁTICOS
  • 4.
  • 5. Média 10 anos = 1.410 mm Exemplo: Sete Lagoas - MG Média Últ. 3 anos = 925 Média últ. 3 anos Faz. = 854
  • 6. IMPACTOS DIRETOS NA AGROPECUÁRIA  Estações pouco definidas.  Falta de água.  Uso reduzido das pastagens.  Extresse térmico dos animais.  Produção irregular de volumosos.  Elevação dos custos de produção.
  • 7. PRODUÇÃO DE LEITE GENÓTIPOGENÓTIPOAMBIENTEAMBIENTE ALIMENTAÇÃOALIMENTAÇÃO (70 %)(70 %) CONFORTOCONFORTO (20 %)(20 %) SANIDADESANIDADE (10 %)(10 %) Potencial Produtivo 8lts/dia 15lts/dia
  • 8.
  • 9. PANORAMA ATUAL  Pastagens degradadas  Lavouras pouco produtivas  Canaviais mal manejados  Baixa eficiência produtiva
  • 10. ALTERNATIVAS Riscos Benefícios • Planejamento da atividade. • Assistência Técnica. • Recuperação de áreas degradadas. • Produção eficiente de volumos: cana, sorgo e capineira. • Priorização do uso de pastagens (macega). • ILP • Uso de irrigação de salvamento.
  • 11. Sombreamento em Pastagens Reserva de alimento para a secaManejo de Pastagens Manejo da Água
  • 12. Prover funções vitais do organismo; Requerida para manter fluidos corporais;  Balanço iônico adequado;  Auxílio na digestão, absorção e metabolização de nutrientes; Eliminar resíduos e excesso de calor; Prover ambiente fluido para o feto;
  • 13. TERRACEAMENTO LOCAÇÃO ESTRADAS PLANTIO EM NÍVEL PLANTIO EM NÍVEL BOLSÕES / BARRAGINHAS CURVA DE NÍVEL PLANTIO DIRETO
  • 14. MATA CILIAR SUBSOLAGEM FAIXAS VEGETATIVAS TOPO DE MORRO BARRAGINHA MATA DE TOPO PROTEÇÃO NASCENTES
  • 15. NECESSIDADE DE ÁGUA POR DIA: •garrotes/ novilhas: 45 L( 8 a 9 l /100 kg) •Vacas leiteiras: 40 a 65 L ( até 140 L ) •1,5 a 2 L água / Kg leite produzido Bovinos não gostam de água suja, muito fria, funda SOMOS PÉSSIMOS AGRICULTORES!!!!!
  • 16. CANA DE AÇUCAR • Alta produtividade por área. • Maturidade e disponibilidade no período da seca. • Disponibilidade de variedades com diferentes ciclos de produção. • Amplitude da época de plantio. • Opção para ensilagem e corte mecanizado. • Viveiro de Mudas (Epamig).
  • 17.
  • 18.
  • 19. Nitromineral EPAMIG Cana É a inclusão de minerais na mistura cana+uréia+sulfato de amônio Proporciona ingestão balanceada de minerais pelos bovinos Ferreira et al., 2007
  • 20. Nitromineral EPAMIG – NUC 55 % de Uréia 6 % de Sulfato de amônio 14 % de Fosfato bicálcico 20 % de Sal Mineral 5 % de Sal comum Fornecer: 14 gramas/kg de cana picada Exemplo: 280 gramas/20 kg de cana picada Ferreira et al., 2007
  • 21. Fotos Geraldo Macêdo Pesar o balaio de cana Pesar o Nitromineral Picar a cana bem fina
  • 22. Boa mistura do nitromineral ao volumoso Fornecer alimento fresco 2 a 3 vezes por dia Fotos Geraldo Macêdo
  • 23. SUPLEMENTAÇÃO COM RAÇÃOSUPLEMENTAÇÃO COM RAÇÃO BALANCEADABALANCEADA CONSUMO DE CANA COM NUC Kg de leite/vaca/dia 20 kg Acima de 0,0 25 kg Acima de 3,0 30 kg Acima de 5,0
  • 24. OPÇÃO PELA SILAGEM DE SORGO ORIGEM: regiões de clima tropical provavelmente da África.  CARACTERISTICAS: não suporta baixas temperaturas e por isso, no Brasil, é cultivado em regiões e situações de temperaturas médias superiores a 200 . AMPLITUDE DE PLANTIO: setembro a fevereiro. ALTA CAPACIDADE PRODUTIVA: planta e rebrota. BAIXO CUSTO DE PRODUÇÃO. CARACTERÍSTICAS BROMATOLÓGICAS.
  • 25. 25 Teor médio de proteína (%) Pastagem de Mês do ano 10 11 12 1 2 3 4 5 6 7 8 9 Brachiaria decumbens 8,12 8,93 7,14 5,25 Brachiaria ruziziensis 11,40 11,36 7,64 4,56 Capim Guiné 11,60 11,45 8,65 5,07 Capim Setaria 11,81 13,34 10,47 7,94 Precipitação, mm* 620 582 88 50 SECAPRÉ-SECOÁGUAS
  • 26. Divisão do Ano *Águas: Novembro a Março -Pasto + Concentrado 9,5 a 20%; * Pré seco : Março a Maio - Pasto + Uréia + Concentrado 24% e lanche; * Seco: Maio a Novembro – Cana ou Silagem + NUC ou NUS + Concentrado 22%. 26
  • 27. MANEJO DO PASTO IRRIGADO  Pesquisa = 20 há irrigado;  Pastejo irrigado de tifton 85, Braquiária Marandú e Braquiária Mulato;  6UA/há/ano;  0 Kg de Concentrado = 12Kg de leite;  2Kg de concentrado 16% de PB com 2% de uréia = 13,1lts de leite;  2Kg de concentrado 16% de PB sem uréia = 13,2lts de leite;  OBS. Sem afetar a reprodução.
  • 28.
  • 29. ILP – Área com milho recém colhido ILP – Piatã 15 dias de colhido ILP – Piatã 30 dias de colhido ILP – Piatã 45 dias de colhido Integração Lavoura Pecuária- SPD
  • 30.
  • 31.
  • 32.
  • 33.
  • 34.
  • 36. TENDÊNCIAS  UTILIZAÇÃO DE VOLUMOSO RESISTENTE A SECA – EX.UTILIZAÇÃO DE VOLUMOSO RESISTENTE A SECA – EX. SORGO, CAPINEIRA E CANA;SORGO, CAPINEIRA E CANA;  MANEJO DE PASTAGEM ECOLÓGICO – ALTURA DE CAPIMMANEJO DE PASTAGEM ECOLÓGICO – ALTURA DE CAPIM COM PLUVIOSIDADE;COM PLUVIOSIDADE;  POTENCIALIZAR AS ÁREAS DA ATIVIDADE LEITEIRA – SÓPOTENCIALIZAR AS ÁREAS DA ATIVIDADE LEITEIRA – SÓ PASTO PERTO DO CURRAL PARA AS VACAS DE LEITE,PASTO PERTO DO CURRAL PARA AS VACAS DE LEITE, ÁREAS DE LAVOURA MAIS LONGE;ÁREAS DE LAVOURA MAIS LONGE;  DIMINUIR CUSTOS – MELHORIA DO USO DO VOLUMOSODIMINUIR CUSTOS – MELHORIA DO USO DO VOLUMOSO (LEIA-SE PASTAGEM);(LEIA-SE PASTAGEM);  TERCERIZAÇÃO DO SISTEMA – COMPRA DE VOLUMOSOTERCERIZAÇÃO DO SISTEMA – COMPRA DE VOLUMOSO (SILAGEM DE MILHO);(SILAGEM DE MILHO);  RECRIA A PASTO DA FAZENDA OU AULGADO, TIRAR DORECRIA A PASTO DA FAZENDA OU AULGADO, TIRAR DO COCHO;COCHO;  Gado produtivo, porém rústico = F1 E PRODUÇÃO DE FIVGado produtivo, porém rústico = F1 E PRODUÇÃO DE FIV PARA REPOSIÇÃO E BEZERROS DE CORTE PARA VENDA.PARA REPOSIÇÃO E BEZERROS DE CORTE PARA VENDA.
  • 37. AFINAL O QUE QUEREMOS??????
  • 38. Grato pela atenção !!!!!! Marcelo Candiotto (31) 3779-2350