SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 24
Selantes
de fóssulas e fissuras
Profª Francielle Romanowski
Selar:
Fechar hermeticamente
As superfícies oclusais:
primeiras a serem atingidas e as mais
prevalentes em relação às lesões de cárie
Momento crítico do dente
quanto à susceptibilidade à
doença cárie
Completa oclusão
com o antagonista
Irrompimento
Novo paradigma de abordagem
da doença cárie
Atuação nos agente etiológicos
Odontologia de mínima intervenção
Restaurações não curam cárie
Selantes no momento atual:
Sem nenhuma invasão ou remoção
tecidual
Utilização dos selantes:
Preventiva: em superfícies de risco para
desenvolvimento de lesões de cárie
Terapêutica: como uma alternativa em lesões de
cárie presentes e limitadas ao esmalte –
mancha branca ativa ou cavidade em esmalte.
Utilização terapêutica
Após a aplicação dos selantes:
 Redução superior a 75% do número de
microrganismos viáveis
 Supressão virtual da fonte de nutrição das
bactérias
 Paralização da evolução do processo carioso
NUNES, M.C.P & IMPARATO, J.C.P., Rev. Odont.,v.3,n.3,p.133-138, 1994
LOYOLA-RODRIGUES & GARCIA-GODOI, J. Clin. Ped. Dent, v.2, p.109-111, 1996
Selante
Recurso adicional que não funciona
sozinho
Selar ou não
selar?
Eis a questão....
Determinantes
Correto diagnóstico
Senso clínico
Critérios para avaliação
Tempo de erupção
Anatomia do dente
Estado motivacional do paciente
Controle do biofilme bacteriano
Avaliação do risco ou atividade de cárie do
paciente
Materiais:
Selantes resinosos (à base de Bis-GMA)
Cimentos de ionômero de vidro
Selantes resinosos
Maior adesão
Técnica “sensível”
Exige cautela
na realização
Na realização de isolamento e
condicionamento ácido inadequados,
ocorre a diminuição da união
mecânica.
Infiltração e
progressão da lesão
Aplicação de um agente de
união
Uso de um sistema adesivo como uma camada
entre o esmalte e o selante:
 Diminuição do risco de fratura dos selantes
oclusais em 47%
 Redução em 65% do risco de fratura dos selantes
aplicados nas superfície vestibulares e linguais
FEIGAL et al. Improved sealant retention with bonding agents: A clinical study of
two-bottle and single bottle systems. J Dent Res. v.79, p.1850-1856, 2000
Com a utilização do sistema
adesivo
Melhor ligação inicial e uma
ligação resiliente por tempo mais
longo
Profilaxia
As superfícies a serem seladas devem ser
minuciosamente limpas
 Remoção de resíduos e/ou camada de proteína
que estejam cobrindo o esmalte dentro ou ao
redor das fissuras.
A falha na limpeza pode inibir a penetração do
agente condicionador e prejudicar a técnica de
aplicação
Agente de união + selante
Aplica-se o agente de união sobre toda a área
condicionada, espalhando cuidadosamente com
o ar comprimido
Imediatamente aplica-se o selante distribuindo-o
sobre todas as fóssulas e fissuras
Polimerização conjunta
Cimentos de ionômero de vidro
Quando o controle da umidade for limitado, em
dentes parcialmente irrompidos ou hipoplásicos,
ou em pacientes com risco específico para o
desenvolvimento ou evolução de lesões que
estão em esmalte, este material é uma
alternativa
Cimentos de ionômero de vidro
Menor resistência e menor retenção
Presença contínua de pequenas quantidades de
fluoretos na base aquosa ao redor do dente (↑ do
pH)
Propriedades cariostáticas semelhantes
aos selantes resinosos
Vitremer
Ionômero de vidro modificado por resina
Pode ser utilizado para selar fóssula e fissuras
Desempenho clínico melhor que os ionômeros
convencionais
No esmalte: ataque com ácido fosfórico pode
melhorar a adesão
Protocolo Clínico – Selante resinoso
 Anestesia
 Isolamento absoluto
 Profilaxia com pedra pomes e água
 Condicionamento ácido fosfórico 37% por 15
seg – lavagem e secagem
 Aplicação do agente de união
 Leve jato de ar para espalhar o agente de união
 Aplicação do selante
 Polimerização por 40 seg – agente de união +
selante
 Verificação e ajuste da oclusão
 Acompanhamento clínico
Conclusões:
A indicação e o emprego clínico dos selantes
dependem do senso clínico do profissional.
As características e as necessidades individuais
do paciente devem ser sempre levadas em
consideração .

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Desvendando o Tratamento Restaurador Atraumático
Desvendando o Tratamento Restaurador AtraumáticoDesvendando o Tratamento Restaurador Atraumático
Desvendando o Tratamento Restaurador AtraumáticoFlavio Salomao-Miranda
 
Principios de oclusão
Principios de oclusãoPrincipios de oclusão
Principios de oclusãoItalo Gabriel
 
Cimento de ionômero de vidro civ
Cimento de ionômero de vidro  civCimento de ionômero de vidro  civ
Cimento de ionômero de vidro civDr.João Calais.:
 
Tratamento das Urgências Endodônticas
Tratamento das Urgências Endodônticas  Tratamento das Urgências Endodônticas
Tratamento das Urgências Endodônticas Ines Jacyntho Inojosa
 
Princípios cirúrgicos e manobras fundamentais 2013
Princípios cirúrgicos e manobras fundamentais 2013Princípios cirúrgicos e manobras fundamentais 2013
Princípios cirúrgicos e manobras fundamentais 2013Guilherme Terra
 
Exodontia com normalidade de forma e função 2013
Exodontia com normalidade de forma e função 2013Exodontia com normalidade de forma e função 2013
Exodontia com normalidade de forma e função 2013Guilherme Terra
 
Resumo de Endodontia - Medicação Intracanal - Hidróxido de Cálcio, Otosporin,...
Resumo de Endodontia - Medicação Intracanal - Hidróxido de Cálcio, Otosporin,...Resumo de Endodontia - Medicação Intracanal - Hidróxido de Cálcio, Otosporin,...
Resumo de Endodontia - Medicação Intracanal - Hidróxido de Cálcio, Otosporin,...André Milioli Martins
 
Medicação intracanal na Endodontia (Paramonoclorofenol canforado + Hidróxido...
Medicação intracanal na Endodontia (Paramonoclorofenol canforado  + Hidróxido...Medicação intracanal na Endodontia (Paramonoclorofenol canforado  + Hidróxido...
Medicação intracanal na Endodontia (Paramonoclorofenol canforado + Hidróxido...Ines Jacyntho Inojosa
 
Considerações gerais sobre Prótese Total
Considerações gerais sobre Prótese TotalConsiderações gerais sobre Prótese Total
Considerações gerais sobre Prótese TotalItalo Gabriel
 
DENTES INCLUSOS E IMPACTADOS
DENTES INCLUSOS E IMPACTADOSDENTES INCLUSOS E IMPACTADOS
DENTES INCLUSOS E IMPACTADOSCamilla Bringel
 
Restaurações em resinas compostas
Restaurações em resinas compostasRestaurações em resinas compostas
Restaurações em resinas compostasprofguilhermeterra
 
Fotopolimerização e fatores de contração
Fotopolimerização e fatores de contraçãoFotopolimerização e fatores de contração
Fotopolimerização e fatores de contraçãoprofguilhermeterra
 
Relações intermaxilares em Prótese Total
Relações intermaxilares em Prótese TotalRelações intermaxilares em Prótese Total
Relações intermaxilares em Prótese TotalItalo Gabriel
 

Mais procurados (20)

Desvendando o Tratamento Restaurador Atraumático
Desvendando o Tratamento Restaurador AtraumáticoDesvendando o Tratamento Restaurador Atraumático
Desvendando o Tratamento Restaurador Atraumático
 
Principios de oclusão
Principios de oclusãoPrincipios de oclusão
Principios de oclusão
 
Cimento de ionômero de vidro civ
Cimento de ionômero de vidro  civCimento de ionômero de vidro  civ
Cimento de ionômero de vidro civ
 
Tratamento das Urgências Endodônticas
Tratamento das Urgências Endodônticas  Tratamento das Urgências Endodônticas
Tratamento das Urgências Endodônticas
 
Exame clínico em Dentística
Exame clínico em DentísticaExame clínico em Dentística
Exame clínico em Dentística
 
Princípios cirúrgicos e manobras fundamentais 2013
Princípios cirúrgicos e manobras fundamentais 2013Princípios cirúrgicos e manobras fundamentais 2013
Princípios cirúrgicos e manobras fundamentais 2013
 
Exodontia com normalidade de forma e função 2013
Exodontia com normalidade de forma e função 2013Exodontia com normalidade de forma e função 2013
Exodontia com normalidade de forma e função 2013
 
Resumo de Endodontia - Medicação Intracanal - Hidróxido de Cálcio, Otosporin,...
Resumo de Endodontia - Medicação Intracanal - Hidróxido de Cálcio, Otosporin,...Resumo de Endodontia - Medicação Intracanal - Hidróxido de Cálcio, Otosporin,...
Resumo de Endodontia - Medicação Intracanal - Hidróxido de Cálcio, Otosporin,...
 
Preparo biomecânico
Preparo biomecânico  Preparo biomecânico
Preparo biomecânico
 
Medicação intracanal na Endodontia (Paramonoclorofenol canforado + Hidróxido...
Medicação intracanal na Endodontia (Paramonoclorofenol canforado  + Hidróxido...Medicação intracanal na Endodontia (Paramonoclorofenol canforado  + Hidróxido...
Medicação intracanal na Endodontia (Paramonoclorofenol canforado + Hidróxido...
 
RESUMO DE DENTÍSTICA
RESUMO DE DENTÍSTICARESUMO DE DENTÍSTICA
RESUMO DE DENTÍSTICA
 
Considerações gerais sobre Prótese Total
Considerações gerais sobre Prótese TotalConsiderações gerais sobre Prótese Total
Considerações gerais sobre Prótese Total
 
DENTES INCLUSOS E IMPACTADOS
DENTES INCLUSOS E IMPACTADOSDENTES INCLUSOS E IMPACTADOS
DENTES INCLUSOS E IMPACTADOS
 
Restaurações em resinas compostas
Restaurações em resinas compostasRestaurações em resinas compostas
Restaurações em resinas compostas
 
Materiais Dentários
Materiais DentáriosMateriais Dentários
Materiais Dentários
 
Endodontia (Revisão e resumo)
Endodontia (Revisão e resumo)Endodontia (Revisão e resumo)
Endodontia (Revisão e resumo)
 
Prótese dentária
Prótese dentáriaPrótese dentária
Prótese dentária
 
Fotopolimerização e fatores de contração
Fotopolimerização e fatores de contraçãoFotopolimerização e fatores de contração
Fotopolimerização e fatores de contração
 
Resina composta
Resina compostaResina composta
Resina composta
 
Relações intermaxilares em Prótese Total
Relações intermaxilares em Prótese TotalRelações intermaxilares em Prótese Total
Relações intermaxilares em Prótese Total
 

Destaque

Materiais dentários em odontopediatria
Materiais dentários em odontopediatriaMateriais dentários em odontopediatria
Materiais dentários em odontopediatriaFlavio Salomao-Miranda
 
Apresentação odontopediatria (2)
Apresentação   odontopediatria (2)Apresentação   odontopediatria (2)
Apresentação odontopediatria (2)Jhonny Marques
 
Odontopediatria aula 1 e 2 - Prof. Flavio Salomao
Odontopediatria  aula 1 e 2 - Prof. Flavio SalomaoOdontopediatria  aula 1 e 2 - Prof. Flavio Salomao
Odontopediatria aula 1 e 2 - Prof. Flavio SalomaoFlavio Salomao-Miranda
 
Endodontia em odontopediatria - tratamento pulpar dente decíduo
Endodontia em odontopediatria - tratamento pulpar dente decíduoEndodontia em odontopediatria - tratamento pulpar dente decíduo
Endodontia em odontopediatria - tratamento pulpar dente decíduoCristhiane Amaral
 
Dentição decídua
Dentição decídua Dentição decídua
Dentição decídua Mara Farias
 
Exame clínico, diagnóstico e plano de tratamento em odontopediatria.
Exame clínico, diagnóstico e plano de tratamento em odontopediatria.Exame clínico, diagnóstico e plano de tratamento em odontopediatria.
Exame clínico, diagnóstico e plano de tratamento em odontopediatria.Cristhiane Amaral
 
Anestesia em odontopediatria
Anestesia em odontopediatriaAnestesia em odontopediatria
Anestesia em odontopediatriaGracieleSonobe1
 
PROMOÇÃO DE SAÚDE (TRA, CARIOSTÁTICO E FLÚOR VERNIZ)
PROMOÇÃO DE SAÚDE (TRA, CARIOSTÁTICO E FLÚOR VERNIZ)PROMOÇÃO DE SAÚDE (TRA, CARIOSTÁTICO E FLÚOR VERNIZ)
PROMOÇÃO DE SAÚDE (TRA, CARIOSTÁTICO E FLÚOR VERNIZ)Oyara Mello
 
Clinica Odontologica Infantil - passo a passo
Clinica Odontologica Infantil - passo a passoClinica Odontologica Infantil - passo a passo
Clinica Odontologica Infantil - passo a passoGracieleSonobe1
 
Prescrição medicamentosa em Odontopediatria
Prescrição medicamentosa em OdontopediatriaPrescrição medicamentosa em Odontopediatria
Prescrição medicamentosa em OdontopediatriaFlavio Salomao-Miranda
 
Curso terapêutica odontopediatria
Curso terapêutica odontopediatriaCurso terapêutica odontopediatria
Curso terapêutica odontopediatriaCristhiane Amaral
 
Instrumentais odontologicos
Instrumentais odontologicosInstrumentais odontologicos
Instrumentais odontologicosRômulo Augusto
 
Prescrição em odontopediatria
Prescrição em odontopediatriaPrescrição em odontopediatria
Prescrição em odontopediatriaIvan Rê
 

Destaque (20)

Materiais dentários em odontopediatria
Materiais dentários em odontopediatriaMateriais dentários em odontopediatria
Materiais dentários em odontopediatria
 
Prótese em odontopediatria
Prótese em odontopediatriaPrótese em odontopediatria
Prótese em odontopediatria
 
Apresentação odontopediatria (2)
Apresentação   odontopediatria (2)Apresentação   odontopediatria (2)
Apresentação odontopediatria (2)
 
Odontopediatria aula 1 e 2 - Prof. Flavio Salomao
Odontopediatria  aula 1 e 2 - Prof. Flavio SalomaoOdontopediatria  aula 1 e 2 - Prof. Flavio Salomao
Odontopediatria aula 1 e 2 - Prof. Flavio Salomao
 
Endodontia em odontopediatria - tratamento pulpar dente decíduo
Endodontia em odontopediatria - tratamento pulpar dente decíduoEndodontia em odontopediatria - tratamento pulpar dente decíduo
Endodontia em odontopediatria - tratamento pulpar dente decíduo
 
Dentição decídua
Dentição decíduaDentição decídua
Dentição decídua
 
Dentição decídua
Dentição decídua Dentição decídua
Dentição decídua
 
Endodontia Em Dentes Deciduos
Endodontia Em Dentes DeciduosEndodontia Em Dentes Deciduos
Endodontia Em Dentes Deciduos
 
Exame clínico, diagnóstico e plano de tratamento em odontopediatria.
Exame clínico, diagnóstico e plano de tratamento em odontopediatria.Exame clínico, diagnóstico e plano de tratamento em odontopediatria.
Exame clínico, diagnóstico e plano de tratamento em odontopediatria.
 
Anestesia em odontopediatria
Anestesia em odontopediatriaAnestesia em odontopediatria
Anestesia em odontopediatria
 
PROMOÇÃO DE SAÚDE (TRA, CARIOSTÁTICO E FLÚOR VERNIZ)
PROMOÇÃO DE SAÚDE (TRA, CARIOSTÁTICO E FLÚOR VERNIZ)PROMOÇÃO DE SAÚDE (TRA, CARIOSTÁTICO E FLÚOR VERNIZ)
PROMOÇÃO DE SAÚDE (TRA, CARIOSTÁTICO E FLÚOR VERNIZ)
 
Cimento de ionômero de vidro
Cimento de ionômero de vidroCimento de ionômero de vidro
Cimento de ionômero de vidro
 
Clinica Odontologica Infantil - passo a passo
Clinica Odontologica Infantil - passo a passoClinica Odontologica Infantil - passo a passo
Clinica Odontologica Infantil - passo a passo
 
Prescrição medicamentosa em Odontopediatria
Prescrição medicamentosa em OdontopediatriaPrescrição medicamentosa em Odontopediatria
Prescrição medicamentosa em Odontopediatria
 
Curso terapêutica odontopediatria
Curso terapêutica odontopediatriaCurso terapêutica odontopediatria
Curso terapêutica odontopediatria
 
Instrumentais odontologicos
Instrumentais odontologicosInstrumentais odontologicos
Instrumentais odontologicos
 
Art graduação
Art graduaçãoArt graduação
Art graduação
 
Periodontia em odontopediatria
Periodontia em odontopediatriaPeriodontia em odontopediatria
Periodontia em odontopediatria
 
Plano de tratamento
Plano de tratamentoPlano de tratamento
Plano de tratamento
 
Prescrição em odontopediatria
Prescrição em odontopediatriaPrescrição em odontopediatria
Prescrição em odontopediatria
 

Semelhante a Selantes odontopediatria

Trauma buco dento-alveolar
Trauma buco dento-alveolarTrauma buco dento-alveolar
Trauma buco dento-alveolarGuilherme Terra
 
Princípios de exodontia da disciplina de cururgia i da faculdade de odontolo...
Princípios de  exodontia da disciplina de cururgia i da faculdade de odontolo...Princípios de  exodontia da disciplina de cururgia i da faculdade de odontolo...
Princípios de exodontia da disciplina de cururgia i da faculdade de odontolo...Rodrigo Mega
 
Princípios de exodontia da disciplina de cururgia i da faculdade de odontolo...
Princípios de  exodontia da disciplina de cururgia i da faculdade de odontolo...Princípios de  exodontia da disciplina de cururgia i da faculdade de odontolo...
Princípios de exodontia da disciplina de cururgia i da faculdade de odontolo...José Rodrigo Mega Rocha
 
Criecominteressedentstica 111115154555-phpapp02
Criecominteressedentstica 111115154555-phpapp02Criecominteressedentstica 111115154555-phpapp02
Criecominteressedentstica 111115154555-phpapp02Elizangela Zago
 
traumabuco-dento-alveolar-120119002641-phpapp02.pdf
traumabuco-dento-alveolar-120119002641-phpapp02.pdftraumabuco-dento-alveolar-120119002641-phpapp02.pdf
traumabuco-dento-alveolar-120119002641-phpapp02.pdfJessikaFreireMidlejL
 
traumabuco-dento-alveolar-120119002641-phpapp02.pdf
traumabuco-dento-alveolar-120119002641-phpapp02.pdftraumabuco-dento-alveolar-120119002641-phpapp02.pdf
traumabuco-dento-alveolar-120119002641-phpapp02.pdfJessikaFreireMidlejL
 
Cárie com interesse à Dentística
Cárie com interesse à DentísticaCárie com interesse à Dentística
Cárie com interesse à Dentísticaprofguilhermeterra
 
Proteção do complexo dentino pulpar 2012-1
Proteção do complexo dentino pulpar 2012-1Proteção do complexo dentino pulpar 2012-1
Proteção do complexo dentino pulpar 2012-1Guilherme Terra
 
Sistemas Adesivos (1).pdf
Sistemas Adesivos (1).pdfSistemas Adesivos (1).pdf
Sistemas Adesivos (1).pdfJussaraFelipe2
 
Isolamento do Campo Operatório
Isolamento do Campo OperatórioIsolamento do Campo Operatório
Isolamento do Campo Operatórioprofguilhermeterra
 
Materiais Odontológicos aula 03.09.pptx
Materiais Odontológicos aula 03.09.pptxMateriais Odontológicos aula 03.09.pptx
Materiais Odontológicos aula 03.09.pptxAnnaFlaviaDantas
 
Diamino Fluoreto de Prata(DFP).pptx
Diamino Fluoreto de Prata(DFP).pptxDiamino Fluoreto de Prata(DFP).pptx
Diamino Fluoreto de Prata(DFP).pptxLuizMaurcioNunes
 

Semelhante a Selantes odontopediatria (20)

Sistemas Adesivos.pdf
Sistemas Adesivos.pdfSistemas Adesivos.pdf
Sistemas Adesivos.pdf
 
87 318-1-pb
87 318-1-pb87 318-1-pb
87 318-1-pb
 
Trauma buco dento-alveolar
Trauma buco dento-alveolarTrauma buco dento-alveolar
Trauma buco dento-alveolar
 
Princípios de exodontia da disciplina de cururgia i da faculdade de odontolo...
Princípios de  exodontia da disciplina de cururgia i da faculdade de odontolo...Princípios de  exodontia da disciplina de cururgia i da faculdade de odontolo...
Princípios de exodontia da disciplina de cururgia i da faculdade de odontolo...
 
Princípios de exodontia da disciplina de cururgia i da faculdade de odontolo...
Princípios de  exodontia da disciplina de cururgia i da faculdade de odontolo...Princípios de  exodontia da disciplina de cururgia i da faculdade de odontolo...
Princípios de exodontia da disciplina de cururgia i da faculdade de odontolo...
 
Criecominteressedentstica 111115154555-phpapp02
Criecominteressedentstica 111115154555-phpapp02Criecominteressedentstica 111115154555-phpapp02
Criecominteressedentstica 111115154555-phpapp02
 
Prevencao carie guia
Prevencao carie   guiaPrevencao carie   guia
Prevencao carie guia
 
traumabuco-dento-alveolar-120119002641-phpapp02.pdf
traumabuco-dento-alveolar-120119002641-phpapp02.pdftraumabuco-dento-alveolar-120119002641-phpapp02.pdf
traumabuco-dento-alveolar-120119002641-phpapp02.pdf
 
traumabuco-dento-alveolar-120119002641-phpapp02.pdf
traumabuco-dento-alveolar-120119002641-phpapp02.pdftraumabuco-dento-alveolar-120119002641-phpapp02.pdf
traumabuco-dento-alveolar-120119002641-phpapp02.pdf
 
Cárie com interesse à Dentística
Cárie com interesse à DentísticaCárie com interesse à Dentística
Cárie com interesse à Dentística
 
Apostila de estágio v
Apostila de estágio vApostila de estágio v
Apostila de estágio v
 
Proteção do complexo dentino pulpar 2012-1
Proteção do complexo dentino pulpar 2012-1Proteção do complexo dentino pulpar 2012-1
Proteção do complexo dentino pulpar 2012-1
 
Dentes inclusos
Dentes inclusosDentes inclusos
Dentes inclusos
 
Sistemas Adesivos (1).pdf
Sistemas Adesivos (1).pdfSistemas Adesivos (1).pdf
Sistemas Adesivos (1).pdf
 
Apostila de estágio vi
Apostila de estágio vi Apostila de estágio vi
Apostila de estágio vi
 
Cárie dentária 2012 1
Cárie dentária 2012 1Cárie dentária 2012 1
Cárie dentária 2012 1
 
Isolamento do Campo Operatório
Isolamento do Campo OperatórioIsolamento do Campo Operatório
Isolamento do Campo Operatório
 
Retratamento endodôntico
Retratamento endodônticoRetratamento endodôntico
Retratamento endodôntico
 
Materiais Odontológicos aula 03.09.pptx
Materiais Odontológicos aula 03.09.pptxMateriais Odontológicos aula 03.09.pptx
Materiais Odontológicos aula 03.09.pptx
 
Diamino Fluoreto de Prata(DFP).pptx
Diamino Fluoreto de Prata(DFP).pptxDiamino Fluoreto de Prata(DFP).pptx
Diamino Fluoreto de Prata(DFP).pptx
 

Mais de Gabriella Lourenço

Mais de Gabriella Lourenço (6)

Hemossedimentação
HemossedimentaçãoHemossedimentação
Hemossedimentação
 
Cárie Dentária
Cárie Dentária Cárie Dentária
Cárie Dentária
 
Farmacologia
FarmacologiaFarmacologia
Farmacologia
 
Síncope vasovagal
Síncope vasovagalSíncope vasovagal
Síncope vasovagal
 
Apresentação hiperventilação
Apresentação hiperventilaçãoApresentação hiperventilação
Apresentação hiperventilação
 
Paciente diabético e hipoglicemia
Paciente diabético e hipoglicemiaPaciente diabético e hipoglicemia
Paciente diabético e hipoglicemia
 

Último

ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdfATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdfvejic16888
 
AULA 02 TEMPO CIRURGICO-SEGURANÇA DO PACIENTE.pptx
AULA 02 TEMPO CIRURGICO-SEGURANÇA DO PACIENTE.pptxAULA 02 TEMPO CIRURGICO-SEGURANÇA DO PACIENTE.pptx
AULA 02 TEMPO CIRURGICO-SEGURANÇA DO PACIENTE.pptxmikashopassos123
 
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion  ais.pdfrelatorio ciencias morfofuncion  ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdfHELLEN CRISTINA
 
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdf
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdfCrianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdf
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdfivana Sobrenome
 
Treinamento NR 18.pdf .......................................
Treinamento NR 18.pdf .......................................Treinamento NR 18.pdf .......................................
Treinamento NR 18.pdf .......................................paulo222341
 
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfRELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfHELLEN CRISTINA
 
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfrelatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfHELLEN CRISTINA
 
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfrelatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfHELLEN CRISTINA
 
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUSHomens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUSProf. Marcus Renato de Carvalho
 

Último (9)

ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdfATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
 
AULA 02 TEMPO CIRURGICO-SEGURANÇA DO PACIENTE.pptx
AULA 02 TEMPO CIRURGICO-SEGURANÇA DO PACIENTE.pptxAULA 02 TEMPO CIRURGICO-SEGURANÇA DO PACIENTE.pptx
AULA 02 TEMPO CIRURGICO-SEGURANÇA DO PACIENTE.pptx
 
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion  ais.pdfrelatorio ciencias morfofuncion  ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
 
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdf
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdfCrianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdf
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdf
 
Treinamento NR 18.pdf .......................................
Treinamento NR 18.pdf .......................................Treinamento NR 18.pdf .......................................
Treinamento NR 18.pdf .......................................
 
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfRELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
 
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfrelatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
 
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfrelatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
 
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUSHomens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
 

Selantes odontopediatria

  • 1. Selantes de fóssulas e fissuras Profª Francielle Romanowski
  • 3. As superfícies oclusais: primeiras a serem atingidas e as mais prevalentes em relação às lesões de cárie
  • 4. Momento crítico do dente quanto à susceptibilidade à doença cárie Completa oclusão com o antagonista Irrompimento
  • 5. Novo paradigma de abordagem da doença cárie Atuação nos agente etiológicos Odontologia de mínima intervenção Restaurações não curam cárie
  • 6. Selantes no momento atual: Sem nenhuma invasão ou remoção tecidual
  • 7. Utilização dos selantes: Preventiva: em superfícies de risco para desenvolvimento de lesões de cárie Terapêutica: como uma alternativa em lesões de cárie presentes e limitadas ao esmalte – mancha branca ativa ou cavidade em esmalte.
  • 8. Utilização terapêutica Após a aplicação dos selantes:  Redução superior a 75% do número de microrganismos viáveis  Supressão virtual da fonte de nutrição das bactérias  Paralização da evolução do processo carioso NUNES, M.C.P & IMPARATO, J.C.P., Rev. Odont.,v.3,n.3,p.133-138, 1994 LOYOLA-RODRIGUES & GARCIA-GODOI, J. Clin. Ped. Dent, v.2, p.109-111, 1996
  • 9. Selante Recurso adicional que não funciona sozinho
  • 10. Selar ou não selar? Eis a questão....
  • 12. Critérios para avaliação Tempo de erupção Anatomia do dente Estado motivacional do paciente Controle do biofilme bacteriano Avaliação do risco ou atividade de cárie do paciente
  • 13. Materiais: Selantes resinosos (à base de Bis-GMA) Cimentos de ionômero de vidro
  • 14. Selantes resinosos Maior adesão Técnica “sensível” Exige cautela na realização
  • 15. Na realização de isolamento e condicionamento ácido inadequados, ocorre a diminuição da união mecânica. Infiltração e progressão da lesão
  • 16. Aplicação de um agente de união Uso de um sistema adesivo como uma camada entre o esmalte e o selante:  Diminuição do risco de fratura dos selantes oclusais em 47%  Redução em 65% do risco de fratura dos selantes aplicados nas superfície vestibulares e linguais FEIGAL et al. Improved sealant retention with bonding agents: A clinical study of two-bottle and single bottle systems. J Dent Res. v.79, p.1850-1856, 2000
  • 17. Com a utilização do sistema adesivo Melhor ligação inicial e uma ligação resiliente por tempo mais longo
  • 18. Profilaxia As superfícies a serem seladas devem ser minuciosamente limpas  Remoção de resíduos e/ou camada de proteína que estejam cobrindo o esmalte dentro ou ao redor das fissuras. A falha na limpeza pode inibir a penetração do agente condicionador e prejudicar a técnica de aplicação
  • 19. Agente de união + selante Aplica-se o agente de união sobre toda a área condicionada, espalhando cuidadosamente com o ar comprimido Imediatamente aplica-se o selante distribuindo-o sobre todas as fóssulas e fissuras Polimerização conjunta
  • 20. Cimentos de ionômero de vidro Quando o controle da umidade for limitado, em dentes parcialmente irrompidos ou hipoplásicos, ou em pacientes com risco específico para o desenvolvimento ou evolução de lesões que estão em esmalte, este material é uma alternativa
  • 21. Cimentos de ionômero de vidro Menor resistência e menor retenção Presença contínua de pequenas quantidades de fluoretos na base aquosa ao redor do dente (↑ do pH) Propriedades cariostáticas semelhantes aos selantes resinosos
  • 22. Vitremer Ionômero de vidro modificado por resina Pode ser utilizado para selar fóssula e fissuras Desempenho clínico melhor que os ionômeros convencionais No esmalte: ataque com ácido fosfórico pode melhorar a adesão
  • 23. Protocolo Clínico – Selante resinoso  Anestesia  Isolamento absoluto  Profilaxia com pedra pomes e água  Condicionamento ácido fosfórico 37% por 15 seg – lavagem e secagem  Aplicação do agente de união  Leve jato de ar para espalhar o agente de união  Aplicação do selante  Polimerização por 40 seg – agente de união + selante  Verificação e ajuste da oclusão  Acompanhamento clínico
  • 24. Conclusões: A indicação e o emprego clínico dos selantes dependem do senso clínico do profissional. As características e as necessidades individuais do paciente devem ser sempre levadas em consideração .