SlideShare uma empresa Scribd logo
LoremK. de Morais Sousa
Delineamento em Prótese Parcial Removível
O delineamento em Prótese Parcial Removível (PPR) objetiva determinar o eixo de inserção e
remoção adequado da prótese (a direção em que a PPR se desloca, desde o ponto de primeiro
contato de suas partes com os dentes pilares, até a posição total de repouso), a verificação do
posicionamento adequado dos constituintes da PPR, por meio do traçado da linha do equador
protético. Ainda, permite a análise do contorno dos tecidos moles e duros, prevenindo a ocorrência
de lesões.
Componentes do delineador:
É um aparelho composto de uma plataforma horizontal ligada à três hastes: uma
haste horizontal ou transversalmóvel, uma haste vertical fixa e uma haste vertical móvel. Além
destes há a mesa analisadora, que se constitui da base ou plataforma e a platina, e há o mandril e
pontas acessórias que serão adaptadas a este (Di Fiore et al., 2013; Kliemann et al., 2011).
• Base do delineador: Tem superfície plana e suporta as demais estruturas do delineador.
• Mesa porta-modelos: é onde o modelo é fixado. Tem conexão universal com a base
permitindo movimentação livre em todos os ângulos.
• Base da platina: Serve como alicerce para a mesa porta modelos e possui uma trava para
fixar o modelo na posição desejada
• Junta universal: Une a mesa porta-modelo a base da platina.
• Haste vertical fixa: Serve de apoio para a haste horizontal e é soldada de forma rígida
na base do delineador.
• Haste horizontal: Articula-se com a haste vertical fixa, mas realiza apenas movimentos
de rotação e horizontalmente.
• Haste vertical móvel: é fixa no plano horizontal, mas permite movimentos de elevação e
abaixamento das pontas acessórias.
• Mandril: Tem como função acoplar as pontas de trabalho
• Suporte de caneta:Serve para fixar a peça reta e manter seu paralelismo.
Pontas acessórias
• Pontas analisadoras: determinam trajetória de inserção, responsáveis por determinar o
paralelismo relativo entre as superfícies.
• Ponta protetora do grafite - prendem o grafite, quando este contorna a superfície dos
dentes. Dessa maneira determina-se o equador protético de cada dente segundo o eixo
de inserção que foi determinado.
LoremK. de Morais Sousa
• Pontas calibradoras - medem ou determinam a quantidade de retenção obtida pelo
grampo em determinada área do dente. Podem ser de 0,25 , 0,50 e 0, 75 mm, mas
usualmente a retenção de 0,25 mm é utilizada, devido a liga utilizada. Tem função de
determinar que todos os dentes pilares haja a mesma quantidade de retenção.
• Pontas recortadoras ( facas para recorte ) - são utilizadas principalmente para o
planejamento de planos-guia e nos recortes de cera.
Técnicas dé délinéaménto do modélo dé éstudo:
Método de Roach ou dos “Três Pontos”
É o método mais utilizado, e baseia-se no principio que três pontos formam um plano.
 Três pontos são marcados sobre o modelo, formando entre eles um plano.
 Arco dental superior: fossetas mesiais dos primeiros molares direitos e esquerdos e entre
os incisivos centrais na região palatina.
 Arco dental inferior: fossetas mesiais dos primeiros molares (direitos e esquerdos) e na
superfície incisal entre os incisivos centrais.
 A trajetória de inserção será perpendicular a esse plano criado.
 Caso um dente esteja ausente, deve ser substituído por um rolete de cera.
Método das Bissetrizes (Técnica de Roth)
É o método mais difícil de ser realizado. Leva em consideração o grau de inclinação dos longos
eixos dos dentes suporte.
 Na base do modelo traçam se linhas paralelas ao longo eixo dos dentes suporte no sentido
mesiodistal, obtendo-se as bissetrizes dessas linhas.
Método seletivo de Applegate ou das Tentativas
É o método mais cientifico e baseia-se em quatro requisitos:
 Equilíbrio das retenções
 Planos guia
 Trajetória de inserção com o mínimo de Interferências.
 Estética (principalmente em anteriores).
LoremK. de Morais Sousa
O melhor posicionamento será aquele que proporciona maiores vantagens de paralelismo,
maior retenção,melhorestéticae menor interferênciacomo rebordo. É necessárioequilibrar
da melhorformapossível aalturado equadorprotéticoemtodososdentespresentesnoarco.
Seu passo a passo segue abaixo:
1. Selecionar uma trajetória de inserção com o mínimo de interferência e o mínimo de
ângulos mortos e proporcionar planos guia efetivos na estabilização do dente e da
prótese (pontas analisadoras).
2. Fixar trajetória de inserção: cimentar uma haste metálica no modelo para reposicionar
modelo quando necessário.
3. Marcar Equador protético (porta grafite).
4. Equilibrar bilateralmente as retenções (realizar desgastes e acréscimos onde
necessários). (Pontas calibradoras)
5. Mapear os preparos a serem realizados nos dentes pilares (casquetes).

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Conectores maiores
Conectores               maioresConectores               maiores
Conectores maiores
Rhuan
 
TÉCNICAS ANESTÉSICAS DA MAXILA
TÉCNICAS ANESTÉSICAS DA MAXILATÉCNICAS ANESTÉSICAS DA MAXILA
TÉCNICAS ANESTÉSICAS DA MAXILA
Camilla Bringel
 
Classificação das más oclusões
Classificação das más oclusõesClassificação das más oclusões
Classificação das más oclusões
edmarchristovam
 
Anestesia em mandíbula
Anestesia em mandíbulaAnestesia em mandíbula
Anestesia em mandíbula
politocasi
 

Mais procurados (20)

Prótese Parcial Removível Odontológico
Prótese Parcial Removível OdontológicoPrótese Parcial Removível Odontológico
Prótese Parcial Removível Odontológico
 
Ppr br
Ppr brPpr br
Ppr br
 
Princípios de Oclusao e ajuste oclusal
Princípios de Oclusao e ajuste oclusalPrincípios de Oclusao e ajuste oclusal
Princípios de Oclusao e ajuste oclusal
 
Relações intermaxilares em Prótese Total
Relações intermaxilares em Prótese TotalRelações intermaxilares em Prótese Total
Relações intermaxilares em Prótese Total
 
Conectores maiores
Conectores               maioresConectores               maiores
Conectores maiores
 
Cirurgia Odontológica - apostila
Cirurgia Odontológica - apostilaCirurgia Odontológica - apostila
Cirurgia Odontológica - apostila
 
Considerações gerais sobre Prótese Total
Considerações gerais sobre Prótese TotalConsiderações gerais sobre Prótese Total
Considerações gerais sobre Prótese Total
 
Coroas Provisórias
Coroas ProvisóriasCoroas Provisórias
Coroas Provisórias
 
Resumo de Periodontia - Classificação dos Retalhos Periodontais [Parte #2]
Resumo de Periodontia - Classificação dos Retalhos Periodontais [Parte #2]Resumo de Periodontia - Classificação dos Retalhos Periodontais [Parte #2]
Resumo de Periodontia - Classificação dos Retalhos Periodontais [Parte #2]
 
TÉCNICAS ANESTÉSICAS DA MAXILA
TÉCNICAS ANESTÉSICAS DA MAXILATÉCNICAS ANESTÉSICAS DA MAXILA
TÉCNICAS ANESTÉSICAS DA MAXILA
 
Cirurgia Em Odontopediatria
Cirurgia Em OdontopediatriaCirurgia Em Odontopediatria
Cirurgia Em Odontopediatria
 
Classificação das más oclusões
Classificação das más oclusõesClassificação das más oclusões
Classificação das más oclusões
 
Exodontia com normalidade de forma e função 2013
Exodontia com normalidade de forma e função 2013Exodontia com normalidade de forma e função 2013
Exodontia com normalidade de forma e função 2013
 
Medicação intracanal na Endodontia (Paramonoclorofenol canforado + Hidróxido...
Medicação intracanal na Endodontia (Paramonoclorofenol canforado  + Hidróxido...Medicação intracanal na Endodontia (Paramonoclorofenol canforado  + Hidróxido...
Medicação intracanal na Endodontia (Paramonoclorofenol canforado + Hidróxido...
 
Protocolo medicamentoso em odontologia
Protocolo medicamentoso em odontologiaProtocolo medicamentoso em odontologia
Protocolo medicamentoso em odontologia
 
RESUMO DE DENTÍSTICA
RESUMO DE DENTÍSTICARESUMO DE DENTÍSTICA
RESUMO DE DENTÍSTICA
 
Planejamento em Prótese Parcila Removível
Planejamento em Prótese Parcila RemovívelPlanejamento em Prótese Parcila Removível
Planejamento em Prótese Parcila Removível
 
Anestesia em mandíbula
Anestesia em mandíbulaAnestesia em mandíbula
Anestesia em mandíbula
 
Odontologia- Anestesia local
Odontologia- Anestesia localOdontologia- Anestesia local
Odontologia- Anestesia local
 
Endodontia (Revisão e resumo)
Endodontia (Revisão e resumo)Endodontia (Revisão e resumo)
Endodontia (Revisão e resumo)
 

Mais de Lorem Morais (7)

Os diferentes usos do “mock up” na odontologia atual
Os diferentes usos do “mock up” na odontologia atualOs diferentes usos do “mock up” na odontologia atual
Os diferentes usos do “mock up” na odontologia atual
 
Planos de Orientação em Prótese Total
Planos de Orientação em Prótese TotalPlanos de Orientação em Prótese Total
Planos de Orientação em Prótese Total
 
Síndrome de Kelly
Síndrome de KellySíndrome de Kelly
Síndrome de Kelly
 
Xerostomia
XerostomiaXerostomia
Xerostomia
 
Dental problems associated with pregnancy
Dental problems associated with pregnancyDental problems associated with pregnancy
Dental problems associated with pregnancy
 
Tomografia computadorizada em Odontologia
Tomografia computadorizada em OdontologiaTomografia computadorizada em Odontologia
Tomografia computadorizada em Odontologia
 
Ressonância magnética Nuclear
Ressonância magnética NuclearRessonância magnética Nuclear
Ressonância magnética Nuclear
 

Delineamento em prótese parcial removível

  • 1. LoremK. de Morais Sousa Delineamento em Prótese Parcial Removível O delineamento em Prótese Parcial Removível (PPR) objetiva determinar o eixo de inserção e remoção adequado da prótese (a direção em que a PPR se desloca, desde o ponto de primeiro contato de suas partes com os dentes pilares, até a posição total de repouso), a verificação do posicionamento adequado dos constituintes da PPR, por meio do traçado da linha do equador protético. Ainda, permite a análise do contorno dos tecidos moles e duros, prevenindo a ocorrência de lesões. Componentes do delineador: É um aparelho composto de uma plataforma horizontal ligada à três hastes: uma haste horizontal ou transversalmóvel, uma haste vertical fixa e uma haste vertical móvel. Além destes há a mesa analisadora, que se constitui da base ou plataforma e a platina, e há o mandril e pontas acessórias que serão adaptadas a este (Di Fiore et al., 2013; Kliemann et al., 2011). • Base do delineador: Tem superfície plana e suporta as demais estruturas do delineador. • Mesa porta-modelos: é onde o modelo é fixado. Tem conexão universal com a base permitindo movimentação livre em todos os ângulos. • Base da platina: Serve como alicerce para a mesa porta modelos e possui uma trava para fixar o modelo na posição desejada • Junta universal: Une a mesa porta-modelo a base da platina. • Haste vertical fixa: Serve de apoio para a haste horizontal e é soldada de forma rígida na base do delineador. • Haste horizontal: Articula-se com a haste vertical fixa, mas realiza apenas movimentos de rotação e horizontalmente. • Haste vertical móvel: é fixa no plano horizontal, mas permite movimentos de elevação e abaixamento das pontas acessórias. • Mandril: Tem como função acoplar as pontas de trabalho • Suporte de caneta:Serve para fixar a peça reta e manter seu paralelismo. Pontas acessórias • Pontas analisadoras: determinam trajetória de inserção, responsáveis por determinar o paralelismo relativo entre as superfícies. • Ponta protetora do grafite - prendem o grafite, quando este contorna a superfície dos dentes. Dessa maneira determina-se o equador protético de cada dente segundo o eixo de inserção que foi determinado.
  • 2. LoremK. de Morais Sousa • Pontas calibradoras - medem ou determinam a quantidade de retenção obtida pelo grampo em determinada área do dente. Podem ser de 0,25 , 0,50 e 0, 75 mm, mas usualmente a retenção de 0,25 mm é utilizada, devido a liga utilizada. Tem função de determinar que todos os dentes pilares haja a mesma quantidade de retenção. • Pontas recortadoras ( facas para recorte ) - são utilizadas principalmente para o planejamento de planos-guia e nos recortes de cera. Técnicas dé délinéaménto do modélo dé éstudo: Método de Roach ou dos “Três Pontos” É o método mais utilizado, e baseia-se no principio que três pontos formam um plano.  Três pontos são marcados sobre o modelo, formando entre eles um plano.  Arco dental superior: fossetas mesiais dos primeiros molares direitos e esquerdos e entre os incisivos centrais na região palatina.  Arco dental inferior: fossetas mesiais dos primeiros molares (direitos e esquerdos) e na superfície incisal entre os incisivos centrais.  A trajetória de inserção será perpendicular a esse plano criado.  Caso um dente esteja ausente, deve ser substituído por um rolete de cera. Método das Bissetrizes (Técnica de Roth) É o método mais difícil de ser realizado. Leva em consideração o grau de inclinação dos longos eixos dos dentes suporte.  Na base do modelo traçam se linhas paralelas ao longo eixo dos dentes suporte no sentido mesiodistal, obtendo-se as bissetrizes dessas linhas. Método seletivo de Applegate ou das Tentativas É o método mais cientifico e baseia-se em quatro requisitos:  Equilíbrio das retenções  Planos guia  Trajetória de inserção com o mínimo de Interferências.  Estética (principalmente em anteriores).
  • 3. LoremK. de Morais Sousa O melhor posicionamento será aquele que proporciona maiores vantagens de paralelismo, maior retenção,melhorestéticae menor interferênciacomo rebordo. É necessárioequilibrar da melhorformapossível aalturado equadorprotéticoemtodososdentespresentesnoarco. Seu passo a passo segue abaixo: 1. Selecionar uma trajetória de inserção com o mínimo de interferência e o mínimo de ângulos mortos e proporcionar planos guia efetivos na estabilização do dente e da prótese (pontas analisadoras). 2. Fixar trajetória de inserção: cimentar uma haste metálica no modelo para reposicionar modelo quando necessário. 3. Marcar Equador protético (porta grafite). 4. Equilibrar bilateralmente as retenções (realizar desgastes e acréscimos onde necessários). (Pontas calibradoras) 5. Mapear os preparos a serem realizados nos dentes pilares (casquetes).