EVOLUÇÃO Prof. Eduardo
<ul><li>Criacionismo/Fixismo:  Tudo foi criado por Deus e os seres vivos não se modificam ao longo do tempo. A nova versão...
<ul><li>Teoria da Evolução:  as espécies se modificam ao longo do tempo,a partir de uma ancestral comum.  Se adaptam as co...
<ul><li>Cladismo:  ramificações ao longo do tempo a partir de uma linhagem “tronco” principal. È feita pelos cladogramas: ...
<ul><li>Cladograma: </li></ul>
<ul><li>Evidências da Evolução: </li></ul><ul><li>A) Fósseis:  estruturas muito antigas preservadas em anóxia, em moldes d...
<ul><li>B)  Embriologia:  semelhanças entre embriões </li></ul>
<ul><li>C) Órgãos vestigiais : estruturas sem função,  atrofiadas ao longo da evolução .  Vestígios de genes inoperantes <...
<ul><li>Fendas branquiais:  Evidência embrionária e vestigial: </li></ul>
<ul><li>D) Evidências moleculares:  Graus de semelhança de proteínas e do material genético . </li></ul>
<ul><li>E) Órgãos análogos : exercem a mesma função nas não derivam de um ancestral comum. Possuem tecidos de origem embri...
<ul><li>convergência evolutiva:  Seres diferentes se adaptam a um ambiente comum. </li></ul>
<ul><li>F) Órgãos homólogos:  estruturas derivadas de um ancestral comum, podem exercerem ou não mesma função. Apresentam ...
<ul><li>divergência evolutiva ou radiação adaptativa:  Estruturas da mesma origem embrionária que se modificaram devido ad...
<ul><li>Teorias Evolutivas </li></ul>
<ul><li>A Teoria de Lamarck: </li></ul><ul><li>Lei do Uso e desuso </li></ul><ul><li>Lei da transmissão dos caracteres adq...
<ul><li>Charles Darwin:  (1809 a 1862). Naturalista inglês que formulou a teoria da evolução coletando dados durante uma v...
<ul><li>Influências: </li></ul><ul><li>Do Avo,  Erasmus Darwin ,médico,  que já havia publicado teorias evolutivas. </li><...
<ul><li>Thomas Malhtus , economista, publicou a relação entre as populações e a produção de alimentos. (O alimento cresce ...
<ul><li>Teoria de Darwin:  Publicação de “A origem das Espécies” em 1859: </li></ul><ul><li>A)  Os seres de mesma espécie ...
 
 
<ul><li>Teoria Sintética da Evolução (Neodarwinismo) </li></ul><ul><li>A variabilidade das espécies foi explicada com a re...
<ul><li>Teoria Sintética da Evolução  </li></ul><ul><li>Mutações: </li></ul>
<ul><li>Teoria Sintética da Evolução  </li></ul><ul><li>Reprodução sexuada: crossing-over </li></ul>
<ul><li>Fatores que podem alterar o equilíbrio gênico de uma população </li></ul><ul><li>Melanismo industrial : alteração ...
C) Deriva gênica:  f requencia gênica alterada por desastres naturais D) Princípio do fundador:  tipo extremo de deriva, n...
<ul><li>Resistência aos antibióticos e ao DDT : </li></ul>
<ul><li>Transferência da Resistência aos antibióticos : Plasmídios </li></ul>
<ul><li>Processos de Especiação:  Formação de novas espécies (seres que ao se reproduzirem geram descendentes férteis). </...
<ul><li>Especiação Alopatrica:  Isolamento geográfico seguido de isolamento reprodutivo devido a interrupção do fluxo gêni...
<ul><li>Especiação simpátrica:   Simplesmente explorar um novo nicho pode automaticamente reduzir o fluxo gênico com indiv...
<ul><li>Formas de isolamento Reprodutivo: </li></ul><ul><li>A) Mecanismo pré-zigótico  (impedem a formação do zigoto) </li...
<ul><li>B) Mecanismo pós-zigótico  (ocorre a formação do zigoto,mas os híbridos resultantes são estéreis ou fracos genetic...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Evolução curso

3.794 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.794
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
97
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Evolução curso

  1. 1. EVOLUÇÃO Prof. Eduardo
  2. 2. <ul><li>Criacionismo/Fixismo: Tudo foi criado por Deus e os seres vivos não se modificam ao longo do tempo. A nova versão do criacionismo é chamada design inteligente, que afirma que estruturas complexas como os olhos humanos só poderia ter sido projetada por um ser superior. Sem fundamento científico </li></ul>
  3. 3. <ul><li>Teoria da Evolução: as espécies se modificam ao longo do tempo,a partir de uma ancestral comum. Se adaptam as condições ambientais. Embasada em fatos científicos </li></ul>
  4. 4. <ul><li>Cladismo: ramificações ao longo do tempo a partir de uma linhagem “tronco” principal. È feita pelos cladogramas: </li></ul>
  5. 5. <ul><li>Cladograma: </li></ul>
  6. 6. <ul><li>Evidências da Evolução: </li></ul><ul><li>A) Fósseis: estruturas muito antigas preservadas em anóxia, em moldes de rocha ou congeladas ou dentro de âmbar. </li></ul>
  7. 7. <ul><li>B) Embriologia: semelhanças entre embriões </li></ul>
  8. 8. <ul><li>C) Órgãos vestigiais : estruturas sem função, atrofiadas ao longo da evolução . Vestígios de genes inoperantes </li></ul>
  9. 9. <ul><li>Fendas branquiais: Evidência embrionária e vestigial: </li></ul>
  10. 10. <ul><li>D) Evidências moleculares: Graus de semelhança de proteínas e do material genético . </li></ul>
  11. 11. <ul><li>E) Órgãos análogos : exercem a mesma função nas não derivam de um ancestral comum. Possuem tecidos de origem embrionária diferente. São fruto de uma convergência evolutiva. </li></ul>
  12. 12. <ul><li>convergência evolutiva: Seres diferentes se adaptam a um ambiente comum. </li></ul>
  13. 13. <ul><li>F) Órgãos homólogos: estruturas derivadas de um ancestral comum, podem exercerem ou não mesma função. Apresentam tecidos de mesma origem embrionária. São fruto de uma divergência evolutiva ou radiação adaptativa. </li></ul>
  14. 14. <ul><li>divergência evolutiva ou radiação adaptativa: Estruturas da mesma origem embrionária que se modificaram devido adaptação a ambientes diferentes: </li></ul>
  15. 15. <ul><li>Teorias Evolutivas </li></ul>
  16. 16. <ul><li>A Teoria de Lamarck: </li></ul><ul><li>Lei do Uso e desuso </li></ul><ul><li>Lei da transmissão dos caracteres adquiridos </li></ul><ul><li>Para Lamarck o meio modifica as espécies ao longo do tempo </li></ul>
  17. 17. <ul><li>Charles Darwin: (1809 a 1862). Naturalista inglês que formulou a teoria da evolução coletando dados durante uma viagem ao redor do mundo: </li></ul>
  18. 18. <ul><li>Influências: </li></ul><ul><li>Do Avo, Erasmus Darwin ,médico, que já havia publicado teorias evolutivas. </li></ul><ul><li>Charles Lyell , geólogo, publicou evidências geológicas da idade da Terra. </li></ul>
  19. 19. <ul><li>Thomas Malhtus , economista, publicou a relação entre as populações e a produção de alimentos. (O alimento cresce em progressão aritmética e a população em progressão geométrica: </li></ul>
  20. 20. <ul><li>Teoria de Darwin: Publicação de “A origem das Espécies” em 1859: </li></ul><ul><li>A) Os seres de mesma espécie apresentam variações. </li></ul><ul><li>B) Na luta pela sobrevivência, indivíduos com variações favoráveis ao ambiente têm mais chance de sobreviver (seleção natural). Para Darwin o meio seleciona </li></ul><ul><li>C) Os que sobrevivem podem passar essas variações vantajosas para seus descendentes. </li></ul><ul><li>D) Ao longo do tempo essa variações se tornam predominantes </li></ul><ul><li>E) Pode ocorrer radiação adaptativa </li></ul>
  21. 23. <ul><li>Teoria Sintética da Evolução (Neodarwinismo) </li></ul><ul><li>A variabilidade das espécies foi explicada com a redescoberta dos trabalhos de Mendel (genética). </li></ul><ul><li>Variabilidade produzida por: Mutações e reprodução sexuada. </li></ul><ul><li>Outros fatores como: </li></ul><ul><li>Migrações: traz novos genes para as populações. </li></ul><ul><li>Hibridação: cruzamento entra populações diferentes. </li></ul><ul><li>Oscilação genética: Mutações, alterações ambientais ou populacionais, podem determinar mudanças nas frequencias gênicas de pequenas populações. (Hardy/Weinberg). </li></ul>
  22. 24. <ul><li>Teoria Sintética da Evolução </li></ul><ul><li>Mutações: </li></ul>
  23. 25. <ul><li>Teoria Sintética da Evolução </li></ul><ul><li>Reprodução sexuada: crossing-over </li></ul>
  24. 26. <ul><li>Fatores que podem alterar o equilíbrio gênico de uma população </li></ul><ul><li>Melanismo industrial : alteração das frequencias gênicas nas mariposas Biston betularia devido a poluição na Inglaterra no início da revolução industrial. </li></ul>
  25. 27. C) Deriva gênica: f requencia gênica alterada por desastres naturais D) Princípio do fundador: tipo extremo de deriva, na qual uma pequena porção do indivíduos migra, dando origem a uma população diferente da original. Migração : Chegada de novos indivíduos, com novos genes
  26. 28. <ul><li>Resistência aos antibióticos e ao DDT : </li></ul>
  27. 29. <ul><li>Transferência da Resistência aos antibióticos : Plasmídios </li></ul>
  28. 30. <ul><li>Processos de Especiação: Formação de novas espécies (seres que ao se reproduzirem geram descendentes férteis). </li></ul><ul><li>Especiação Alopátrica: ou geográfica , acontece quando populações ficam fisicamente isoladas por uma barreira geográfica que interrompe o fluxo gênico (intercambio dos genes e das mutações benéficas que ocorre entre populações) </li></ul><ul><li>Com o tempo desenvolvem isolamento reprodutivo , de tal modo que depois da barreira desaparecer, indivíduos das populações já não se poderem cruzar (espécies diferentes). </li></ul><ul><li>Especiação Simpátrica  é a divergência genética de várias populações (de uma espécie parental única) que habitam a mesma região geográfica, de modo a que essas populações se tornam espécies diferentes ao explorar nichos ecológicos diferentes. Não ocorre isolamento geográfico </li></ul>
  29. 31. <ul><li>Especiação Alopatrica: Isolamento geográfico seguido de isolamento reprodutivo devido a interrupção do fluxo gênico </li></ul>
  30. 32. <ul><li>Especiação simpátrica:  Simplesmente explorar um novo nicho pode automaticamente reduzir o fluxo gênico com indivíduos que exploram outros nichos, por exemplo, insetos herbívoros experimentarem uma nova planta hospedeira. </li></ul>
  31. 33. <ul><li>Formas de isolamento Reprodutivo: </li></ul><ul><li>A) Mecanismo pré-zigótico (impedem a formação do zigoto) </li></ul><ul><li>Habitat : Populações de mesma espécie mas não se encontram por terem habitats diferentes </li></ul><ul><li>Sazonal ou Temporal : Amadurecimento dos órgãos sexuais em épocas diferentes.] </li></ul><ul><li>Etiológico: Comportamentos de acasalamento diferentes. </li></ul><ul><li>Mecânico: incompatibilidade dos órgãos sexuais </li></ul>
  32. 34. <ul><li>B) Mecanismo pós-zigótico (ocorre a formação do zigoto,mas os híbridos resultantes são estéreis ou fracos geneticamente) </li></ul><ul><li>Inviabilidade do Híbrido : Os híbridos nascem com deficiências fisiológicas graves </li></ul><ul><li>Esterilidade do Híbrido : Os híbridos nascem gametas inviáveis ou gônadas atrofiadas. </li></ul><ul><li>Deterioração da 2ª geração (F2): A primeira geração de híbridos é normal e viável, mas seus descendentes são fracos ou estéreis. </li></ul>

×