Aula 5

2.423 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.423
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
25
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
57
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula 5

  1. 1. EVOLUÇÃO A FORÇA DE UMA IDÉIA
  2. 2. Fixismo X Transformismo <ul><li>Fixismo = Criacionismo </li></ul><ul><li>As espécies foram criadas no passado por um ser superior e apresentam a mesma aparência desde então; </li></ul><ul><li>Algumas correntes religiosas admitem a transformação das espécies ao longo do tempo, mantendo a idéia da criação inicial divina. </li></ul><ul><li>Design Inteligente </li></ul><ul><li>É a nova designação encontrada pelos fundamentalistas religiosos para tentar incluir a visão criacionista nas escolas públicas, como se fosse uma teoria científica; </li></ul><ul><li>A “perfeição” das espécies indicaria que houve uma “inteligência superior” na sua origem. </li></ul>
  3. 3. Fixismo X Transformismo <ul><li>Transformismo </li></ul><ul><li>Termo inicialmente utilizado pelos cientistas que admitiam a transformação (ou transmutação) das espécies ao longo do tempo; o termo “evolução” só seria utilizado alguns anos após a publicação de “A Origem das Espécies”. </li></ul><ul><li>Apesar de ter raízes na antiguidade, só começa a ganhar fôlego em meados do séc. XVIII (Georges-Louis Leclerc, conde de Buffon; Erasmus Darwin) e XIX (Jean-Baptiste Pierre Antoine de Monet, Chevalier de Lamarck; Geoffroy Saint-Hilaire; Robert Chambers; Alfred Russel Wallace; Charles Darwin) </li></ul>
  4. 4. EVIDÊNCIAS DA EVOLUÇÃO BIOLÓGICA Geologia – a idade da Terra <ul><li>Catastrofistas X Uniformitaristas </li></ul>Corrente de pensamento muito forte até o final do séc. XIX, afirma que as alterações geológicas que ocorreram e ainda ocorrem na Terra são consequências de fenômenos súbitos causados por acontecimentos catastróficos; que por vezes eram considerados manifestações da intervenção divina Corrente de pensamento geológica idealizada no séc. XIX por James Hutton, o pai da geologia moderna, e posteriormente desenvolvida por Charles Lyell (uma importante influência sobre Charles Darwin) que afirma que os acontecimentos do passado são resultado de forças da natureza idênticas às que se observam hoje em dia, ou seja, processos lentos e graduais (Gradualismo). As leis da natureza são constantes .
  5. 5. EVIDÊNCIAS DA EVOLUÇÃO BIOLÓGICA Fósseis <ul><li>Fósseis são restos ou vestígios preservados de animais, plantas ou outros seres vivos em rochas, sedimentos, gelo ou âmbar. Preservam-se como moldes do corpo ou partes deste, rastros e pegadas. </li></ul>
  6. 6. FOSSILIZAÇÃO <ul><li>De acordo com as condições do ser vivo e do meio, podem ocorrer diversos tipos de fossilização. Podemos classificar, simplificadamente, estes processos em três grupos: </li></ul><ul><li>Moldagem - as partes duras dos organismos acabam por desaparecer deixando nas rochas as suas marcas (impressões). </li></ul><ul><li>Mineralização - os materiais originais que compõem o ser vivo são substituídos por outros mais estáveis. </li></ul><ul><li>Conservação - o material original do ser vivo conserva-se parcial ou totalmente nas rochas ou em outros materiais. </li></ul>
  7. 7. EVIDÊNCIAS DA EVOLUÇÃO BIOLÓGICA Anatomia comparada
  8. 8. EVIDÊNCIAS DA EVOLUÇÃO BIOLÓGICA Embriologia comparada
  9. 9. EVIDÊNCIAS DA EVOLUÇÃO BIOLÓGICA Bioquímica comparada
  10. 10. EVOLUCIONISTAS - Buffon <ul><li>“ ...o que a maioria das pessoas se refere como sendo espécies são, na realidade, apenas variedades distintas modificadas de uma forma original por fatores ambientais.” </li></ul><ul><li>Buffon especulou que as cerca de 200 espécies de mamíferos então conhecidas deveriam ter descendido de apenas 38 formas originais. As idéias evolutivas de Buffon eram, no entanto, limitadas; ele acreditava que cada uma das formas originais deveria ter surgido por geração espontânea , e que elas teriam tido sua forma definida por &quot;moldes internos&quot; que limitavam a quantidade de mudança. Buffon foi um dos principais naturalistas do século XVIII e seu trabalhos História Natural e As Épocas da Natureza , que continham teorias bem desenvolvidas sobre uma origem totalmente materialista para a Terra, assim como suas idéias questionando a estabilidade das espécies, foram extremamente influentes </li></ul>Georges-Louis Leclerc, conde de Buffon 1707 - 1788
  11. 11. EVOLUCIONISTAS - Lamarck <ul><li>A teoria da Evolução de Lamarck é fundamentada em dois aspectos: (1) A tendência dos seres para um melhoramento constante rumo à perfeição , um aumento da complexidade dos seres menos desenvolvidos aos mais desenvolvidos; esta tendência seria uma força externa, semelhante a atração gravitacional, que se agisse isoladamente geraria um linha contínua e progressiva. Porém, esta tendência não atua sozinha na evolução, há a (2) lei do uso e desuso que conjugada com a transmissão dos caracteres adquiridos provoca desvios na linha evolutiva. </li></ul><ul><li>Lamarck também defendia a geração espontânea contínua das espécies, com os organismos mais simples a serem depois transmutados com o tempo (pelo seu mecanismo) tornando-se mais complexos e próximos da perfeição ideal. Acreditava portanto num processo teleológico, com um fim determinado em que os organismos se tornam mais perfeitos à medida que evoluem . </li></ul>Jean-Baptiste Pierre Antoine de Monet, Chevalier de Lamarck 1744 - 1829
  12. 12. EVOLUCIONISTAS - Lamarck <ul><li>Os seres vivos mais simples (unicelulares, vermes) surgem, ainda hoje, por geração espontânea; </li></ul><ul><li>Existe um impulso vital em busca da perfeição, o que levaria estes organismos imperfeitos a mudar suas estruturas corporais, tornando-as melhor adaptadas ao ambiente; </li></ul><ul><li>Como o ambiente está sofrendo contínuas alterações, as modificações nas espécies também serão contínuas, sempre em busca de melhor adaptação; </li></ul><ul><li>As forças atuantes para isso são a lei do uso e desuso (o uso contínuo de um orgão ou parte do corpo faz com que este se desenvolva e seja apto para o correto funcionamento, e o desuso de um orgão ou parte do corpo faz com que este se atrofie e com o tempo perca totalmente sua função no corpo do indivíduo) e a transmissão de caracteres adquiridos (o uso e desuso de partes do corpo provocam alterações no organismo do indivíduo, essas alterações podem ser transmitidas às gerações seguintes). </li></ul>
  13. 13. EVOLUCIONISTAS - Darwin <ul><li>“ O homem ainda traz em sua estrutura fisica a marca indelével de sua origem primitiva” </li></ul><ul><li>Fatores importantes para o desenvolvimento das idéias de Darwin: </li></ul><ul><li>Viagem no HMS Beagle (1831-1836); </li></ul><ul><li>“ Princípios de Geologia” de Charles Lyell; </li></ul><ul><li>Fósseis da Patagonia – espécies extintas semelhantes às atuais; </li></ul><ul><li>“ Ensaios sobre as populações” de Thomas Malthus; </li></ul><ul><li>Pesquisas próprias e com criadores de animais e plantas – seleção artificial; </li></ul><ul><li>Anatomia comparada – cracas; </li></ul><ul><li>Morte da filha Anne; </li></ul><ul><li>Carta de Alfred Russel Wallace (1857). </li></ul>Charles Robert Darwin 1809 - 1882
  14. 14. EVOLUCIONISTAS – Darwin A viagem do HMS Beagle
  15. 15. EVOLUCIONISTAS – Darwin A viagem do HMS Beagle <ul><li>Exuberância e diversidade da floresta tropical (Brasil); </li></ul><ul><li>Fósseis da Patagônia; </li></ul><ul><li>Geologia do Chile – Terremoto em Concepción; </li></ul><ul><li>Ilhas Galápagos; </li></ul><ul><li>Marsupiais na Austrália. </li></ul>
  16. 16. Glyptodonte / tatu-canastra Megatherium / preguiça
  17. 18. EVOLUCIONISTAS – Darwin “Ensaios sobre as populações” – Thomas Malthus <ul><li>Seus escritos mais influentes foram:&quot;Um ensaio sobre o princípio da população na medida em que afeta o melhoramento futuro da sociedade, com notas sobre as especulações de Mr. Godwin, M. Condorcet e outros escritores&quot; (1798) e &quot;Um ensaio sobre o princípio da população ou uma visão de seus efeitos passados e presentes na felicidade humana, com uma investigação das nossas expectativas quanto à remoção ou mitigação futura dos males que ocasiona&quot; (1803). </li></ul><ul><li>Tanto o primeiro ensaio - que apresenta uma crítica ao utopismo - quanto o segundo ensaio - onde há uma vasta elaboração de dados materiais - têm como princípio fundamental a hipótese de que as populações humanas crescem em progressão geométrica . Malthus estudou possibilidades de restringir esse crescimento, pois os meios de subsistência poderiam crescer somente em progressão aritmética . Segundo ele, esse crescimento populacional é limitado pelo aumento da mortalidade e por todas as restrições ao nascimento, decorrentes da miséria e do vício. </li></ul>
  18. 19. EVOLUCIONISTAS – Darwin Seleção artificial
  19. 20. EVOLUCIONISTAS – Darwin <ul><li>Os seres vivos são capazes de gerar uma quantidade enorme de descendentes; </li></ul><ul><li>Não existem recursos naturais para todos estes descendentes; </li></ul><ul><li>LOGO </li></ul><ul><li>Haverá uma grande mortalidade dentro dessa população. </li></ul><ul><li>Dentro de uma população existe uma grande variabilidade entre os indivíduos; </li></ul><ul><li>Algumas destas características variáveis conferem maior capacidade de sobrevivência e/ou reprodutiva ao seu portador; </li></ul><ul><li>LOGO </li></ul><ul><li>A mortalidade dentro da população será seletiva, isto é, os mais aptos sobrevivem / reproduzem melhor. </li></ul><ul><li>SELEÇÃO NATURAL </li></ul>
  20. 21. EVOLUCIONISTAS – Darwin <ul><li>Como muitas destas características que conferem alguma vantagem ao seu portador são hereditárias, os seus descendentes deverão ser portadores delas, porém, também apresentando discretas variações; </li></ul><ul><li>Ao longo de muitas gerações haverá um acúmulo gradual de modificações nos indivíduos desta espécie, o que caracteriza a formação de uma nova espécie, que evoluiu a partir do ancestral original. </li></ul>
  21. 22. <ul><li>1858 – Publicação de dois artigos (junto com Wallace) expondo os principais pontos da teoria da seleção natural; </li></ul><ul><li>1859 – Publicação do livro “A Origem das Espécies” (“Sobre a origem das espécies através da seleção natural ou a preservação de raças favorecidas na luta pela vida” ); </li></ul><ul><li>1871 – Publicação do livro “ A descendência do Homem e Seleção em relação ao Sexo” ; </li></ul><ul><li>1872 – Publicação do livro “ A Expressão da Emoção em Homens e Animais”. </li></ul>
  22. 23. Lamarck X Darwin <ul><li>Lei do uso e desuso; </li></ul><ul><li>Transmissão de caracteres adquiridos; </li></ul><ul><li>O ambiente determina as modificações nos seres vivos; </li></ul><ul><li>A transmutação das espécies tem sempre a direção de alcançar maior perfeição </li></ul><ul><li>Lei do uso e desuso; </li></ul><ul><li>Transmissão de caracteres adquiridos; </li></ul><ul><li>O ambiente seleciona as modificações favoráveis dos seres vivos; </li></ul><ul><li>Estas modificações são aleatórias e não-dirigidas para formas mais perfeitas </li></ul>
  23. 24. Teoria Sintética da Evolução (Neodarwinismo) <ul><li>Redescoberta dos trabalhos de Mendel (1900); </li></ul><ul><li>Grandes avanços da genética nas décadas de 10 e 20; </li></ul><ul><li>Reconhecimento do DNA como o material hereditário (1944); </li></ul><ul><li>1936 – 1947 – Desenvolvimento da TSE; </li></ul><ul><li>Reconhecimento da estrutura da molécula de DNA – dupla hélice – 1953; </li></ul>
  24. 25. Teoria Sintética da Evolução Origem da variabilidade em uma população Mutação gênica (perda, adição ou substituição de nucleotídeos) Mutação cromossômica (numéricas ou estruturais) Recombinação gênica ( gametogênese, meiose com crossing over, fecundação aleatória) Migração (entrada de indivíduos de outras populações)
  25. 26. Teoria Sintética da Evolução POPULAÇÃO com variabilidade Sobrevivência / Reprodução diferencial Seleção Natural Deriva Genética
  26. 27. Teoria Sintética da Evolução <ul><li>Deriva genética </li></ul><ul><li>alteração na frequência genética causada por um evento aleatório e não pela “sobrevivência do mais apto”; </li></ul><ul><li>Princípio do fundador </li></ul><ul><li>estabelecimento de uma nova população a partir de poucos indivíduos que emigram de uma população original; </li></ul>
  27. 28. Padrões de Seleção Natural <ul><li>Seleção estabilizadora </li></ul><ul><li>Seleção direcional </li></ul><ul><li>Seleção disrruptiva </li></ul>
  28. 29. ESPECIAÇÃO
  29. 30. ESPECIAÇÃO
  30. 31. ISOLAMENTO REPRODUTIVO <ul><li>PRÉ-ZIGÓTICOS </li></ul><ul><li>estacional ou sazonal </li></ul><ul><li>hábitat ou ecológico </li></ul><ul><li>etológico ou comportamental </li></ul><ul><li>mecânico </li></ul><ul><li>bioquímico ou mortalidade gamética / espórica </li></ul><ul><li>PÓS-ZIGÓTICOS </li></ul><ul><li>mortalidade do zigoto </li></ul><ul><li>inviabilidade do híbrido </li></ul><ul><li>esterilidade do híbrido </li></ul>
  31. 32. Gradualismo x Equilíbrio pontuado

×