Mecanismos de evolução biológica

704 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
704
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
225
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
37
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Mecanismos de evolução biológica

  1. 1. Formação de novas espécies Aulas 3 e 4 Quitéria Paravidino
  2. 2. Fixismo e transformismo
  3. 3.  Ideia dominante no ocidente até meados do séc. XVIII  Seres vivos: fixos e imutáveis.  Mundo estático e as espécies surgiram independentemente umas das outras.  Para os criacionistas, as espécies foram originadas por criação divina e, como tal, são perfeitas e estáveis, mantendo-se fixas ao longo dos tempos.  Para os espontaneístas, a vida surgia espontaneamente quando existissem condições favoráveis a isso, uma dessas condições era a existência de uma força vital.
  4. 4.  Questionamento da imutabilidade das espécies – a partir do séc. XVII. Charles Lyell (séc. XVIII)- o planeta é mais antigo do que se imaginava.
  5. 5. Descoberta dos fósseis Possibilidade de mudanças nos seres vivos ao longo do tempo. Conceito de evolução. Século XIX
  6. 6.  Evolução biológica compreende a modificação sofrida por populações de organismos através do tempo, tempo este que ultrapassa o período de vida de uma única geração (Futuyma, 1993 apud Carvalho, 2004).  Ideia amplamente aceita na atualidade.  As mudanças: pequenas, sutis e muito lentas – não percebidas.  A soma = diferenças significativas  centenas de milhares de anos.
  7. 7.  Mudanças  sobrevivência.  Ambiente estável  espécies cada vez mais adaptadas.
  8. 8.  Resposta individual às mudanças ambientais.  Sol, frio, altitude, pressão,...  Não é transmitida aos descendentes.
  9. 9.  Ocorre com a população como um todo.  A população se torna mais apta a sobreviver em seu ambiente.
  10. 10. Jean-Baptiste Lamarck (1744-1829)  Em 1809, em sua obra intitulada Philosophie Zoologique (Filosofia Zoológica), propôs que as formas de vida progridem, por transforamção gradual, em direção a uma maior complexidade e perfeição.  Conhecia adaptação individual.
  11. 11. Princípios fundamentais:  Lei do uso e do desuso: o uso de determinadas partes do corpo do organismo faz com que estas se desenvolvam, e o desuso faz com que se atrofiem.  Lei da herança dos caracteres adquiridos: alterações provocadas em determinadas características do organismo, pelo uso e desuso, são transmitidas aos descendentes.
  12. 12. Modificações ambientais Necessidade de adaptação Novos comportamentos Uso ou desuso de órgãos Modificações no organismo Transmissão das características adquiridas aos descendentes Adaptação das espécies ao longo das gerações
  13. 13. LAMARCK AMBIENTE: causa das transformações
  14. 14.  PONTOS POSITIVOS  Importância da adaptação.  Modificações constantes ao longo do tempo.  PONTOS NEGATIVOS  Evolução associada à melhora e progresso.  Herança das características adquiridas.
  15. 15. Charles Robert Darwin (1809-1882)  Avô paterno: Erasmus Darwin – médico e evolucionista.  Pai: Robert Darwin – médico.  Iniciou e não concluiu a faculdade de Medicina.  Estudou Teologia em Cambridge.  Cientista e naturalista.
  16. 16.  Os seres vivos têm grande capacidade de reprodução.  Mas, a taxa de mortalidade é grande pois o alimento é limitado.  Logo, muitos morrem antes de se reproduzirem.  Organismos com as mesmas necessidades competem entre si.  Os sobreviventes apresentam adaptações mais favoráveis, se reproduzem e transmitem suas características.  Gerações futuras cada vez mais adaptadas.
  17. 17. SELEÇÃO NATURAL Atuando sobre VARIABILIDADE Possibilita ADAPTAÇÃO
  18. 18. Melanismo Industrial
  19. 19. DARWIN AMBIENTE: seleciona as transformações
  20. 20.  PONTOS POSITIVOS  A evolução é lenta, gradual e permanente, visando à adaptação.  Processo evolutivo: manutenção das variações favoráveis pela seleção natural.  Progressiva diversificação a partir dos ancestrais.  PONTO NEGATIVO  Explicação não satisfatória sobre a origem e a transmissão das variações.
  21. 21. Teoria Sintética de Evolução ou Neodarwinismo  Genética e Evolução ampliando a compreensão da natureza.
  22. 22. A variabilidade é determinada por:  MEIOSE: processo de formação dos gametas, onde ocorre a recombinação genética (separação dos cromossomos homólogos e crossing-over).  FECUNDAÇÃO: onde ocorre a transmissão das características hereditárias e combinação de genes de indivíduos diferentes.  MUTAÇÕES: modificações casuais do material genético podendo ocasionar o aparecimento de novos genes.
  23. 23. MUTAÇÃO RECOMBINAÇÃO GÊNICA VARIABILIDADE Gera Gera SELEÇÃO NATURAL Atuando sobre ADAPTAÇÃO
  24. 24. MUTAÇÃO NOVOS GENES RECOMBINAÇÃO GÊNICA NOVAS COMBINAÇÕES COM GENES PRÉ- EXISTENTES.
  25. 25. Resistência de insetos a inseticidas Aumento cronológico no número de espécies de insetos e ácaros resistentes a pelo menos uma classe de pesticida.
  26. 26. Resistência de bactérias a antibióticos Klebsiella pneumoniae Carbapenemase (KPC)
  27. 27. Especiação  Espécie: grupo de indivíduos semelhantes e férteis entre si, que originam descendentes férteis.  Em uma espécie o fluxo gênico é livre.  Então, como surgem novas espécies?
  28. 28. Um grupo habita uma região. Barreira geográfica intransponível. Isolamento geográfico. Diferenças acentuadas pelas mutações e seleção natural diferencial. A barreira geográfica é desfeita e os descendentes dos grupos originais se reúnem.
  29. 29. A barreira geográfica é desfeita e os descendentes dos grupos originais se reúnem. Se houver cruzamento e produzirem descendentes férteis, ainda são da mesma espécie. São raças ou variedades. São espécies diferentes.

×