SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 32
EVOLUÇÃO
O conceito de evolução biológica Todos os seres vivos do planeta descendem de organismos muito simples, que surgiram há mais de 3 bilhões de anos. A enorme diversidade de seres atuais é resultado de um longo processo de EVOLUÇÃO BIOLÓGICA pelo qual a vida vem passando desde que surgiu. EVOLUÇÃO é o processo através do qual ocorrem mudanças ou transformações nos seres vivos ao longo do tempo na busca de uma adaptação cada vez maior ao ambiente em que vivem, e isto acaba originando novas espécies.
FIXISMO (CRIACIONISMO)  X  EVOLUCIONISMO Hipótese Fixista, Fixismo ou Criacionismo: Todas as espécies vivas foram criadas por Ato Divino, exatamente como são hoje. Segundo esta hipótese, o número de espécies é fixo e foi determinado por Deus no momento da Criação. Hipótese Evolucionista: A partir do século 17 alguns estudiosos da Natureza começaram a questionar a imutabilidade das espécies. Surgiram os primeiros evolucionistas: para eles, os seres vivos se modificam ao longo do tempo, e as formas atuais de vida são descendentes de espécies ancestrais, que foram se transformando, evoluindo, com o tempo.
As  principais   teorias sobre  a Evolução Biológica
As Teorias Evolutivas      Várias teorias evolutivas surgiram, destacando-se , entre elas, as teorias de  Lamarck  e de  Darwin.  Atualmente, tem todo crédito da comunidade científica mundial a  Teoria sintética da Evolução , também denominada  Neodarwinismo , que incorpora os conceitos modernos da genética ás idéias essenciais de Darwin sobre seleção natural.
Jean Baptiste Pierre Antoine de Monet, Chevalier de Lamarck A teoria evolucionista de Lamarck (1744 – 1829) Respeitado naturalista francês que publicou, em 1809  Philosophie Zoologique , na qual afirmava que  as espécies   sofriam modificações  ao longo do tempo, o que possibilitava a evolução.
LAMARCKISMO:  as idéias evolucionistas de Lamarck A evolução seria causada pela resposta dos organismos às condições ambientais: Mudanças Necessidade   de Adaptação Modificações   nos Indivíduos Evolução Lamarck foi o primeiro a perceber a importância da ADAPTAÇÃO dos seres vivos ao ambiente e sua relação com a evolução: as mudanças ocorridas no meio trariam a necessidade de adaptação, e para isso, os seres sofreriam alterações que levariam à evolução. Ambientais
A teoria de Lamarck pode ser resumida pela frase: O MEIO PROVOCA MUDANÇAS NOS ORGANISMOS, VISANDO À ADAPTAÇÃO.
Resumo esquemático das idéias de Lamarck : Mudanças ambientais Novas necessidades Novos hábitos de vida Mudanças no organismo Transmissão das características adquiridas aos descendentes Adaptação da espécie ao longo das gerações Uso Desuso Desenvolvimento Atrofia
Exemplos citados por Lamarck para demonstrar sua teoria: Aves pernaltas: As aves aquáticas tornaram-se pernaltas devido ao esforço que faziam no sentido de esticar as pernas para evitar molhar as penas durante a procura de alimentos na água.
Tamanduá: A língua comprida do tamanduá teria se desenvolvido em resposta às necessidades alimentares desse animal: o tamanduá usa a língua para capturar formigas, introduzindo-a nas estreitas galerias dos formigueiros.
O pescoço das girafas: Segundo Lamarck, inicialmente a girafa tinha pescoço curto e comia vegetação rasteira. Uma alteração ambiental reduziu este tipo de vegetação , forçando o animal a procurar alimento nas árvores. Isso provocou o progressivo alongamento do pescoço. O aumento do pescoço foi transmitido, de geração em geração aos descendentes.  Assim, com o passar do tempo, o pescoço foi ficando progressivamente maior, até atingir seu comprimento atual.
Em determinada região da Birmânia são colocados cinco anéis de metal no pescoço das meninas quando atingem a idade de cinco anos. Com o passar dos anos, novos anéis são acrescentados. Ao chegarem à idade adulta, essas mulheres apresentam um pescoço que possui o dobro do comprimento normal. Essa tradição acabará levando ao nascimento de indivíduos de pescoço mais longo nas próximas gerações? O que você  acha?
O erro básico de Lamarck: ALTERAÇÕES EM CÉLULAS SOMÁTICAS NÃO ALTERAM AS INFORMAÇÕES GENÉTICAS CONTIDAS NAS CÉLULAS GERMINATIVAS – GAMETAS – E, PORTANTO,  NÃO SÃO HEREDITÁRIAS !!! Jean Baptiste Pierre Antoine de Monet, Chevalier de Lamarck
A teoria evolucionista de Charles Robert Darwin
Em 1831, aos 22 anos Charles Darwin partiu no navio da Marinha Britânica  H.M.S. Beagle  para uma viagem que duraria 5 anos, com o objetivo de estudar a costa da América do Sul, da Nova Zelândia e Austrália.
O percurso do Beagle nos 4 anos de viagem O Beagle deixou o porto de Plymouth, na Inglaterra, e seguiu pelo Oceano Atlântico rumo ao sul, percorrendo a costa brasileira, uruguaia e argentina. Depois, contornou o Estreito de Magalhães e subiu a costa sul-americana pelo Oceano Pacífico. Visitou Galápagos, proximos à costa do equador e de lá seguiu para Nova Zelândia e Austrália. A volta aconteceu pelo Oceano Índico, contornando o sul da África.
Arquipélago de Galápagos, a oeste do Equador, visto por satélite
Os animais e plantas de Galápagos, foram trazidos do continente por correntes marinhas e ventos. Porém, apesar das semelhanças com as espécies sul-americanas, a flora e a fauna de Galápagos têm características próprias, que as diferenciam como novas espécies.
Onde quer que o navio parasse, Darwin observava, desenhava e coletava muitos espécimes.  Rochas, fósseis, aves, insetos e também animais de grande porte, colocando em ação suas habilidades de taxidermista (empalhador de aniamais).
Nas ilhas, a ausência de espécies competidoras e a variedade de alimentos e habitats permitiram que essas aves, originalmente comedoras de sementes, desenvolvessem uma diversificação no tamanho e na forma do bico e no hábito alimentar. Surgiram várias espécies diferentes que se alimentam de:  INSETOS – NÉCTAR – ERVAS – CACTOS e  SEMENTES
Seleção Natural e Sexual Grande fertilidade dos organismos Superprodução  de filhos Os seres de uma mesma espécie apresentam  VARIAÇÃO  nas suas características. Herdam  de seus ancestrais, características favoráveis ou desfavoráveis para si mesmos. Luta pela vida e pelas fêmeas Competição pelo alimento, pelo espaço e pelas fêmeas Sobrevivência dos  mais aptos DARWIN
Explicação de Darwin para  o pescoço da girafa Os ancestrais da girafa já apresentavam pequenas variações no comprimento do pescoço. As de pescoço mais longo, conseguiram seu alimento no alto das árvores quando a vegetação rasteira escasseou. As de pescoço curto não sobreviveram . O processo se repetiu ao longo das gerações, sobrevivendo apenas os indivíduos que apresentavam o pescoço longo.
O problema não resolvido por Darwin... Embora tenha mostrado a existência das variações e sua importância para o processo evolutivo, Darwin não conseguiu explicar  como essas variações surgiram e como eram transmitidas aos descendentes .
Esquema do NEODARWINISMO Seleção Natural Mutações Recombinação Gênica Variabilidade (TEORIA SINTÉTICA DA EVOLUÇÃO) ADAPTAÇÃO
Ao longo dos tempos novas espécies têm surgido, enquanto outras se têm extinguido. Como se formam as novas espécies? Dois mecanismos fundamentais conduzem à especiação:   Especiação geográfica ou alopátrica   –   surgimento de barreiras geográficas entre populações;  Especiação simpátrica   –   fatores intrínsecos à população conduzem ao isolamento genético.   ESPECIAÇÃO
 
 
Diane Dodd’s fruit fly experiment suggests that isolating populations in different environments (e.g., with different food sources) can lead to the beginning of reproductive isolation. These results are consistent with the idea that geographic isolation is an important step of some speciation events.
Quando existe livre intercâmbio de genes entre as várias populações de uma espécie o fundo genético mantém-se ,  mais ou menos,   estacionário  mas se este for interrompido, por mutação, recombinação genética e seleção, as populações  vão acumulando diferenças genéticas .  Esta separação pode levar a uma situação que já  não permita o cruzamento  entre as populações. Nesse momento obtêm-se duas espécies diferentes, por  isolamento reprodutivo .  Uma vez formada a nova espécie, a divergência entre ela e a espécie ancestral é irreversível, pois a divergência genética acentuar-se-á e, consequentemente, um aprofundamento dos mecanismos de isolamento reprodutivo. .  A especiação é um processo auto-reforçante.
FIM!!!
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Cadeia e teias alimentares
Cadeia e teias alimentaresCadeia e teias alimentares
Cadeia e teias alimentaresGabriela de Lima
 
Aula Classificação dos Seres Vivos
Aula Classificação dos Seres VivosAula Classificação dos Seres Vivos
Aula Classificação dos Seres VivosPlínio Gonçalves
 
Questões 1 s 2° bimestre _com gabarito
Questões  1 s  2° bimestre _com gabaritoQuestões  1 s  2° bimestre _com gabarito
Questões 1 s 2° bimestre _com gabaritoIonara Urrutia Moura
 
Doenças transmitidas por alimentos
Doenças transmitidas por alimentosDoenças transmitidas por alimentos
Doenças transmitidas por alimentosNome Sobrenome
 
Aula completa reino protista
Aula completa reino protistaAula completa reino protista
Aula completa reino protistaNelson Costa
 
Evolução biológica
Evolução biológicaEvolução biológica
Evolução biológicaCésar Milani
 
1 introdução à zootecnia
1 introdução à zootecnia1 introdução à zootecnia
1 introdução à zootecniagepaunipampa
 
Relações ecológicas entre seres vivos
Relações ecológicas entre seres vivosRelações ecológicas entre seres vivos
Relações ecológicas entre seres vivosSilvana Sanches
 
Instalações e equipamentos bovino de corte pasto e confinamento
Instalações e equipamentos bovino de corte   pasto e confinamentoInstalações e equipamentos bovino de corte   pasto e confinamento
Instalações e equipamentos bovino de corte pasto e confinamentoLucas Camilo
 
Reino Animalia_Introdução
Reino Animalia_IntroduçãoReino Animalia_Introdução
Reino Animalia_IntroduçãoMarcia Regina
 
Historia de evolução
Historia de evoluçãoHistoria de evolução
Historia de evoluçãounesp
 
Aula relações ecológicas
Aula relações ecológicasAula relações ecológicas
Aula relações ecológicasGabriela de Lima
 
Aula 1 ezoognósia
Aula 1 ezoognósiaAula 1 ezoognósia
Aula 1 ezoognósiaUFSC
 

Mais procurados (20)

Cadeia e teias alimentares
Cadeia e teias alimentaresCadeia e teias alimentares
Cadeia e teias alimentares
 
Aula Classificação dos Seres Vivos
Aula Classificação dos Seres VivosAula Classificação dos Seres Vivos
Aula Classificação dos Seres Vivos
 
Questões 1 s 2° bimestre _com gabarito
Questões  1 s  2° bimestre _com gabaritoQuestões  1 s  2° bimestre _com gabarito
Questões 1 s 2° bimestre _com gabarito
 
Gado leite
Gado leiteGado leite
Gado leite
 
Doenças transmitidas por alimentos
Doenças transmitidas por alimentosDoenças transmitidas por alimentos
Doenças transmitidas por alimentos
 
Transgênicos
TransgênicosTransgênicos
Transgênicos
 
Aula completa reino protista
Aula completa reino protistaAula completa reino protista
Aula completa reino protista
 
Evolução biológica
Evolução biológicaEvolução biológica
Evolução biológica
 
Aula 1 introdução tpoa
Aula 1   introdução tpoaAula 1   introdução tpoa
Aula 1 introdução tpoa
 
1 introdução à zootecnia
1 introdução à zootecnia1 introdução à zootecnia
1 introdução à zootecnia
 
Aula ecologia.
Aula ecologia.Aula ecologia.
Aula ecologia.
 
Relações ecológicas entre seres vivos
Relações ecológicas entre seres vivosRelações ecológicas entre seres vivos
Relações ecológicas entre seres vivos
 
Instalações e equipamentos bovino de corte pasto e confinamento
Instalações e equipamentos bovino de corte   pasto e confinamentoInstalações e equipamentos bovino de corte   pasto e confinamento
Instalações e equipamentos bovino de corte pasto e confinamento
 
Protozoarios
ProtozoariosProtozoarios
Protozoarios
 
Reino Animalia_Introdução
Reino Animalia_IntroduçãoReino Animalia_Introdução
Reino Animalia_Introdução
 
As teorias de lamarck e darwin
As teorias de lamarck e darwinAs teorias de lamarck e darwin
As teorias de lamarck e darwin
 
Historia de evolução
Historia de evoluçãoHistoria de evolução
Historia de evolução
 
Aula relações ecológicas
Aula relações ecológicasAula relações ecológicas
Aula relações ecológicas
 
Aula de genética 1 lei de mendel
Aula de genética   1 lei de mendelAula de genética   1 lei de mendel
Aula de genética 1 lei de mendel
 
Aula 1 ezoognósia
Aula 1 ezoognósiaAula 1 ezoognósia
Aula 1 ezoognósia
 

Destaque

24 a 31 10-2014 actividades livreto
24 a 31 10-2014 actividades livreto24 a 31 10-2014 actividades livreto
24 a 31 10-2014 actividades livretoAbílio Fidalgo
 
FaFactores de Evolução
FaFactores de EvoluçãoFaFactores de Evolução
FaFactores de Evoluçãojuliana_lr
 
Visão espírita da bíblia herculano pires
Visão espírita da bíblia herculano piresVisão espírita da bíblia herculano pires
Visão espírita da bíblia herculano piresHelio Cruz
 
Evidências da evolução
Evidências da evoluçãoEvidências da evolução
Evidências da evoluçãoRaquel Freiry
 
Ppoint.evolução.especiação
Ppoint.evolução.especiaçãoPpoint.evolução.especiação
Ppoint.evolução.especiaçãoAlbano Novaes
 
Criacionismo x Evolução de Lamarck
Criacionismo x Evolução de LamarckCriacionismo x Evolução de Lamarck
Criacionismo x Evolução de Lamarcknaiararohling
 
Aula de filosofia antiga, tema: Antropogênese
Aula de filosofia antiga, tema: AntropogêneseAula de filosofia antiga, tema: Antropogênese
Aula de filosofia antiga, tema: AntropogêneseLeandro Nazareth Souto
 
Evolução biológica
Evolução biológicaEvolução biológica
Evolução biológicaCésar Milani
 
Bg 21 evolução biológica (unicelularide e multicelularidade)
Bg 21   evolução biológica (unicelularide e multicelularidade)Bg 21   evolução biológica (unicelularide e multicelularidade)
Bg 21 evolução biológica (unicelularide e multicelularidade)Nuno Correia
 
Neodarwinismo
NeodarwinismoNeodarwinismo
Neodarwinismorickmatos
 
Evolução e mecanismos de especiação
Evolução e mecanismos de especiaçãoEvolução e mecanismos de especiação
Evolução e mecanismos de especiaçãoKim Matheus
 
Revisão ENEM - Genômica celular
Revisão ENEM - Genômica celularRevisão ENEM - Genômica celular
Revisão ENEM - Genômica celularemanuel
 
Acidos Nucléicos
Acidos NucléicosAcidos Nucléicos
Acidos Nucléicosemanuel
 
Os mecanismos da evolução 1
Os mecanismos da evolução 1Os mecanismos da evolução 1
Os mecanismos da evolução 1Eduardo Freitas
 

Destaque (20)

24 a 31 10-2014 actividades livreto
24 a 31 10-2014 actividades livreto24 a 31 10-2014 actividades livreto
24 a 31 10-2014 actividades livreto
 
FaFactores de Evolução
FaFactores de EvoluçãoFaFactores de Evolução
FaFactores de Evolução
 
Visão espírita da bíblia herculano pires
Visão espírita da bíblia herculano piresVisão espírita da bíblia herculano pires
Visão espírita da bíblia herculano pires
 
Evidências da evolução
Evidências da evoluçãoEvidências da evolução
Evidências da evolução
 
Ppoint.evolução.especiação
Ppoint.evolução.especiaçãoPpoint.evolução.especiação
Ppoint.evolução.especiação
 
Origem do universo
Origem do universoOrigem do universo
Origem do universo
 
Criacionismo x Evolução de Lamarck
Criacionismo x Evolução de LamarckCriacionismo x Evolução de Lamarck
Criacionismo x Evolução de Lamarck
 
Aula de filosofia antiga, tema: Antropogênese
Aula de filosofia antiga, tema: AntropogêneseAula de filosofia antiga, tema: Antropogênese
Aula de filosofia antiga, tema: Antropogênese
 
Dna mitocondrial – herança materna
Dna mitocondrial – herança maternaDna mitocondrial – herança materna
Dna mitocondrial – herança materna
 
Evolução biológica
Evolução biológicaEvolução biológica
Evolução biológica
 
Bg 21 evolução biológica (unicelularide e multicelularidade)
Bg 21   evolução biológica (unicelularide e multicelularidade)Bg 21   evolução biológica (unicelularide e multicelularidade)
Bg 21 evolução biológica (unicelularide e multicelularidade)
 
090520 da criação – livro i, cap 3
090520 da criação – livro i, cap 3090520 da criação – livro i, cap 3
090520 da criação – livro i, cap 3
 
Neodarwinismo
NeodarwinismoNeodarwinismo
Neodarwinismo
 
Evidencias evolutivas
Evidencias evolutivasEvidencias evolutivas
Evidencias evolutivas
 
Evolução e mecanismos de especiação
Evolução e mecanismos de especiaçãoEvolução e mecanismos de especiação
Evolução e mecanismos de especiação
 
Mecanismos de evolução biológica
Mecanismos de evolução biológicaMecanismos de evolução biológica
Mecanismos de evolução biológica
 
Neodarwinismo e Evolução Humana
Neodarwinismo e Evolução HumanaNeodarwinismo e Evolução Humana
Neodarwinismo e Evolução Humana
 
Revisão ENEM - Genômica celular
Revisão ENEM - Genômica celularRevisão ENEM - Genômica celular
Revisão ENEM - Genômica celular
 
Acidos Nucléicos
Acidos NucléicosAcidos Nucléicos
Acidos Nucléicos
 
Os mecanismos da evolução 1
Os mecanismos da evolução 1Os mecanismos da evolução 1
Os mecanismos da evolução 1
 

Semelhante a Evolução - Especiação

FUNDAMENTOS EM EVOLUÇÃO BIOLÓGICA.......
FUNDAMENTOS EM EVOLUÇÃO BIOLÓGICA.......FUNDAMENTOS EM EVOLUÇÃO BIOLÓGICA.......
FUNDAMENTOS EM EVOLUÇÃO BIOLÓGICA.......profleticiasantosbio
 
Biologia (lamarckismo e darwinismo)
Biologia  (lamarckismo e darwinismo)Biologia  (lamarckismo e darwinismo)
Biologia (lamarckismo e darwinismo)Vanessa Anzolin
 
Evolução biológica apostila
Evolução biológica apostilaEvolução biológica apostila
Evolução biológica apostilaMara de Andrade
 
AULAS TEORIAS gerações das populaçoes.pptx
AULAS TEORIAS gerações das  populaçoes.pptxAULAS TEORIAS gerações das  populaçoes.pptx
AULAS TEORIAS gerações das populaçoes.pptxFranciscaalineBrito
 
Capítulo 10 – a origem de novas espécies
Capítulo 10 – a origem de novas espéciesCapítulo 10 – a origem de novas espécies
Capítulo 10 – a origem de novas espéciesLilian Nubia
 
A origem das espécies charles darwin
A origem das espécies charles darwinA origem das espécies charles darwin
A origem das espécies charles darwinJorcenita Vieira
 
Biologia Evolutiva - a origem dos seres vivos
Biologia Evolutiva - a origem dos seres vivosBiologia Evolutiva - a origem dos seres vivos
Biologia Evolutiva - a origem dos seres vivosJézili Dias
 
Aula 25 teorias da evolução
Aula 25   teorias da evoluçãoAula 25   teorias da evolução
Aula 25 teorias da evoluçãoJonatas Carlos
 
A variabilidade de características.ppt
A variabilidade de características.pptA variabilidade de características.ppt
A variabilidade de características.pptCrisnaiaraCndido
 
Teorias da Evolução - Prof. Arlei
Teorias da Evolução - Prof. ArleiTeorias da Evolução - Prof. Arlei
Teorias da Evolução - Prof. ArleiCarmina Monteiro
 

Semelhante a Evolução - Especiação (20)

FUNDAMENTOS EM EVOLUÇÃO BIOLÓGICA.......
FUNDAMENTOS EM EVOLUÇÃO BIOLÓGICA.......FUNDAMENTOS EM EVOLUÇÃO BIOLÓGICA.......
FUNDAMENTOS EM EVOLUÇÃO BIOLÓGICA.......
 
(Lamarckismo e Darwinismo).pptx
(Lamarckismo e Darwinismo).pptx(Lamarckismo e Darwinismo).pptx
(Lamarckismo e Darwinismo).pptx
 
Biologia (lamarckismo e darwinismo)
Biologia  (lamarckismo e darwinismo)Biologia  (lamarckismo e darwinismo)
Biologia (lamarckismo e darwinismo)
 
Aula evolução
Aula evoluçãoAula evolução
Aula evolução
 
3 teorias evolucionistas
3 teorias evolucionistas3 teorias evolucionistas
3 teorias evolucionistas
 
Evolução biológica apostila
Evolução biológica apostilaEvolução biológica apostila
Evolução biológica apostila
 
AULAS TEORIAS gerações das populaçoes.pptx
AULAS TEORIAS gerações das  populaçoes.pptxAULAS TEORIAS gerações das  populaçoes.pptx
AULAS TEORIAS gerações das populaçoes.pptx
 
Evolução
EvoluçãoEvolução
Evolução
 
Evolução
EvoluçãoEvolução
Evolução
 
Capítulo 10 – a origem de novas espécies
Capítulo 10 – a origem de novas espéciesCapítulo 10 – a origem de novas espécies
Capítulo 10 – a origem de novas espécies
 
A origem das espécies charles darwin
A origem das espécies charles darwinA origem das espécies charles darwin
A origem das espécies charles darwin
 
Biologia Evolutiva - a origem dos seres vivos
Biologia Evolutiva - a origem dos seres vivosBiologia Evolutiva - a origem dos seres vivos
Biologia Evolutiva - a origem dos seres vivos
 
Evolução
EvoluçãoEvolução
Evolução
 
Evolução Humana
Evolução HumanaEvolução Humana
Evolução Humana
 
Aula 25 teorias da evolução
Aula 25   teorias da evoluçãoAula 25   teorias da evolução
Aula 25 teorias da evolução
 
Teorias da evolução
Teorias da evoluçãoTeorias da evolução
Teorias da evolução
 
Evolução humana 3B
Evolução humana 3BEvolução humana 3B
Evolução humana 3B
 
A variabilidade de características.ppt
A variabilidade de características.pptA variabilidade de características.ppt
A variabilidade de características.ppt
 
Teorias da Evolução - Prof. Arlei
Teorias da Evolução - Prof. ArleiTeorias da Evolução - Prof. Arlei
Teorias da Evolução - Prof. Arlei
 
Evolucao-2.ppt
Evolucao-2.pptEvolucao-2.ppt
Evolucao-2.ppt
 

Mais de 3a-manha

Origem das espécies e dos grandes grupos de seres vivos.
Origem das espécies e dos grandes grupos de seres vivos.Origem das espécies e dos grandes grupos de seres vivos.
Origem das espécies e dos grandes grupos de seres vivos.3a-manha
 
Aula 4 - Adaptacão
Aula 4  - AdaptacãoAula 4  - Adaptacão
Aula 4 - Adaptacão3a-manha
 
Mecanismo especiais de sobrevivência.
Mecanismo especiais de sobrevivência.Mecanismo especiais de sobrevivência.
Mecanismo especiais de sobrevivência.3a-manha
 
Relações ecológicas
Relações ecológicas Relações ecológicas
Relações ecológicas 3a-manha
 

Mais de 3a-manha (6)

Origem das espécies e dos grandes grupos de seres vivos.
Origem das espécies e dos grandes grupos de seres vivos.Origem das espécies e dos grandes grupos de seres vivos.
Origem das espécies e dos grandes grupos de seres vivos.
 
Aula 5
Aula 5Aula 5
Aula 5
 
Aula 4 - Adaptacão
Aula 4  - AdaptacãoAula 4  - Adaptacão
Aula 4 - Adaptacão
 
Aula 3
Aula 3  Aula 3
Aula 3
 
Mecanismo especiais de sobrevivência.
Mecanismo especiais de sobrevivência.Mecanismo especiais de sobrevivência.
Mecanismo especiais de sobrevivência.
 
Relações ecológicas
Relações ecológicas Relações ecológicas
Relações ecológicas
 

Evolução - Especiação

  • 2. O conceito de evolução biológica Todos os seres vivos do planeta descendem de organismos muito simples, que surgiram há mais de 3 bilhões de anos. A enorme diversidade de seres atuais é resultado de um longo processo de EVOLUÇÃO BIOLÓGICA pelo qual a vida vem passando desde que surgiu. EVOLUÇÃO é o processo através do qual ocorrem mudanças ou transformações nos seres vivos ao longo do tempo na busca de uma adaptação cada vez maior ao ambiente em que vivem, e isto acaba originando novas espécies.
  • 3. FIXISMO (CRIACIONISMO) X EVOLUCIONISMO Hipótese Fixista, Fixismo ou Criacionismo: Todas as espécies vivas foram criadas por Ato Divino, exatamente como são hoje. Segundo esta hipótese, o número de espécies é fixo e foi determinado por Deus no momento da Criação. Hipótese Evolucionista: A partir do século 17 alguns estudiosos da Natureza começaram a questionar a imutabilidade das espécies. Surgiram os primeiros evolucionistas: para eles, os seres vivos se modificam ao longo do tempo, e as formas atuais de vida são descendentes de espécies ancestrais, que foram se transformando, evoluindo, com o tempo.
  • 4. As principais teorias sobre a Evolução Biológica
  • 5. As Teorias Evolutivas     Várias teorias evolutivas surgiram, destacando-se , entre elas, as teorias de Lamarck e de Darwin. Atualmente, tem todo crédito da comunidade científica mundial a Teoria sintética da Evolução , também denominada Neodarwinismo , que incorpora os conceitos modernos da genética ás idéias essenciais de Darwin sobre seleção natural.
  • 6. Jean Baptiste Pierre Antoine de Monet, Chevalier de Lamarck A teoria evolucionista de Lamarck (1744 – 1829) Respeitado naturalista francês que publicou, em 1809 Philosophie Zoologique , na qual afirmava que as espécies sofriam modificações ao longo do tempo, o que possibilitava a evolução.
  • 7. LAMARCKISMO: as idéias evolucionistas de Lamarck A evolução seria causada pela resposta dos organismos às condições ambientais: Mudanças Necessidade de Adaptação Modificações nos Indivíduos Evolução Lamarck foi o primeiro a perceber a importância da ADAPTAÇÃO dos seres vivos ao ambiente e sua relação com a evolução: as mudanças ocorridas no meio trariam a necessidade de adaptação, e para isso, os seres sofreriam alterações que levariam à evolução. Ambientais
  • 8. A teoria de Lamarck pode ser resumida pela frase: O MEIO PROVOCA MUDANÇAS NOS ORGANISMOS, VISANDO À ADAPTAÇÃO.
  • 9. Resumo esquemático das idéias de Lamarck : Mudanças ambientais Novas necessidades Novos hábitos de vida Mudanças no organismo Transmissão das características adquiridas aos descendentes Adaptação da espécie ao longo das gerações Uso Desuso Desenvolvimento Atrofia
  • 10. Exemplos citados por Lamarck para demonstrar sua teoria: Aves pernaltas: As aves aquáticas tornaram-se pernaltas devido ao esforço que faziam no sentido de esticar as pernas para evitar molhar as penas durante a procura de alimentos na água.
  • 11. Tamanduá: A língua comprida do tamanduá teria se desenvolvido em resposta às necessidades alimentares desse animal: o tamanduá usa a língua para capturar formigas, introduzindo-a nas estreitas galerias dos formigueiros.
  • 12. O pescoço das girafas: Segundo Lamarck, inicialmente a girafa tinha pescoço curto e comia vegetação rasteira. Uma alteração ambiental reduziu este tipo de vegetação , forçando o animal a procurar alimento nas árvores. Isso provocou o progressivo alongamento do pescoço. O aumento do pescoço foi transmitido, de geração em geração aos descendentes. Assim, com o passar do tempo, o pescoço foi ficando progressivamente maior, até atingir seu comprimento atual.
  • 13. Em determinada região da Birmânia são colocados cinco anéis de metal no pescoço das meninas quando atingem a idade de cinco anos. Com o passar dos anos, novos anéis são acrescentados. Ao chegarem à idade adulta, essas mulheres apresentam um pescoço que possui o dobro do comprimento normal. Essa tradição acabará levando ao nascimento de indivíduos de pescoço mais longo nas próximas gerações? O que você acha?
  • 14. O erro básico de Lamarck: ALTERAÇÕES EM CÉLULAS SOMÁTICAS NÃO ALTERAM AS INFORMAÇÕES GENÉTICAS CONTIDAS NAS CÉLULAS GERMINATIVAS – GAMETAS – E, PORTANTO, NÃO SÃO HEREDITÁRIAS !!! Jean Baptiste Pierre Antoine de Monet, Chevalier de Lamarck
  • 15. A teoria evolucionista de Charles Robert Darwin
  • 16. Em 1831, aos 22 anos Charles Darwin partiu no navio da Marinha Britânica H.M.S. Beagle para uma viagem que duraria 5 anos, com o objetivo de estudar a costa da América do Sul, da Nova Zelândia e Austrália.
  • 17. O percurso do Beagle nos 4 anos de viagem O Beagle deixou o porto de Plymouth, na Inglaterra, e seguiu pelo Oceano Atlântico rumo ao sul, percorrendo a costa brasileira, uruguaia e argentina. Depois, contornou o Estreito de Magalhães e subiu a costa sul-americana pelo Oceano Pacífico. Visitou Galápagos, proximos à costa do equador e de lá seguiu para Nova Zelândia e Austrália. A volta aconteceu pelo Oceano Índico, contornando o sul da África.
  • 18. Arquipélago de Galápagos, a oeste do Equador, visto por satélite
  • 19. Os animais e plantas de Galápagos, foram trazidos do continente por correntes marinhas e ventos. Porém, apesar das semelhanças com as espécies sul-americanas, a flora e a fauna de Galápagos têm características próprias, que as diferenciam como novas espécies.
  • 20. Onde quer que o navio parasse, Darwin observava, desenhava e coletava muitos espécimes. Rochas, fósseis, aves, insetos e também animais de grande porte, colocando em ação suas habilidades de taxidermista (empalhador de aniamais).
  • 21. Nas ilhas, a ausência de espécies competidoras e a variedade de alimentos e habitats permitiram que essas aves, originalmente comedoras de sementes, desenvolvessem uma diversificação no tamanho e na forma do bico e no hábito alimentar. Surgiram várias espécies diferentes que se alimentam de: INSETOS – NÉCTAR – ERVAS – CACTOS e SEMENTES
  • 22. Seleção Natural e Sexual Grande fertilidade dos organismos Superprodução de filhos Os seres de uma mesma espécie apresentam VARIAÇÃO nas suas características. Herdam de seus ancestrais, características favoráveis ou desfavoráveis para si mesmos. Luta pela vida e pelas fêmeas Competição pelo alimento, pelo espaço e pelas fêmeas Sobrevivência dos mais aptos DARWIN
  • 23. Explicação de Darwin para o pescoço da girafa Os ancestrais da girafa já apresentavam pequenas variações no comprimento do pescoço. As de pescoço mais longo, conseguiram seu alimento no alto das árvores quando a vegetação rasteira escasseou. As de pescoço curto não sobreviveram . O processo se repetiu ao longo das gerações, sobrevivendo apenas os indivíduos que apresentavam o pescoço longo.
  • 24. O problema não resolvido por Darwin... Embora tenha mostrado a existência das variações e sua importância para o processo evolutivo, Darwin não conseguiu explicar como essas variações surgiram e como eram transmitidas aos descendentes .
  • 25. Esquema do NEODARWINISMO Seleção Natural Mutações Recombinação Gênica Variabilidade (TEORIA SINTÉTICA DA EVOLUÇÃO) ADAPTAÇÃO
  • 26. Ao longo dos tempos novas espécies têm surgido, enquanto outras se têm extinguido. Como se formam as novas espécies? Dois mecanismos fundamentais conduzem à especiação: Especiação geográfica ou alopátrica – surgimento de barreiras geográficas entre populações; Especiação simpátrica – fatores intrínsecos à população conduzem ao isolamento genético. ESPECIAÇÃO
  • 27.  
  • 28.  
  • 29. Diane Dodd’s fruit fly experiment suggests that isolating populations in different environments (e.g., with different food sources) can lead to the beginning of reproductive isolation. These results are consistent with the idea that geographic isolation is an important step of some speciation events.
  • 30. Quando existe livre intercâmbio de genes entre as várias populações de uma espécie o fundo genético mantém-se , mais ou menos, estacionário mas se este for interrompido, por mutação, recombinação genética e seleção, as populações vão acumulando diferenças genéticas . Esta separação pode levar a uma situação que já não permita o cruzamento entre as populações. Nesse momento obtêm-se duas espécies diferentes, por isolamento reprodutivo . Uma vez formada a nova espécie, a divergência entre ela e a espécie ancestral é irreversível, pois a divergência genética acentuar-se-á e, consequentemente, um aprofundamento dos mecanismos de isolamento reprodutivo. . A especiação é um processo auto-reforçante.
  • 32.