SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 39
Conduta evangélica
Sinal de edificação
Sociedade Espírita Renovação
Eduardo Manoel Araujo
14/11/2018
A viagem ...
Jesus
Lázaro
Bartolomeu
Paulo
Criação Divina
Kardec e o Espiritismo
Joanna e a psicologia profunda
Nós
Jesus
O mandamento maior
“Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu espírito;
este o maior e o primeiro mandamento.
E aqui tendes o segundo, semelhante a esse:
Amarás o teu próximo, como a ti mesmo. –
Toda a lei e os profetas se acham contidos nesses dois mandamentos.”
(S. MATEUS, cap. XXII, vv. 34 a 40.)
Fonte: Evangelho Segundo o Espiritismo – Cap XI – Amar ao próximo como a si mesmo – item 1 – O mandamento maior – Allan Kardec
Jesus
Lázaro
A lei de amor
8. O amor resume a doutrina de Jesus toda inteira ...
Em sua origem, o homem só tem instintos;
quando mais avançado e corrompido, só tem sensações;
quando instruído e depurado, tem sentimentos. ...
A lei de amor substitui a personalidade pela fusão dos seres ...
Lázaro. (Paris, 1862.)
Fonte: Evangelho Segundo o Espiritismo – Cap XI – Amar ao próximo como a si mesmo – Instruções dos Espíritos – item 8 – A lei do amor - Allan Kardec
Jesus
Lázaro
Bartolomeu
Jesus conversa com
Bartolomeu
Fonte: Boa nova – Capítulo 8 – Bom ânimo – Francisco Candido Xavier pelo espírto Humberto de Campos
A tristeza de Bartolomeu
Dedicado discípulo porém triste.
Jesus o interroga afetuosa e fraternalmente. Mas ele não sabia dizer o porque da sua tristeza.
Disse que o Evangelho lhe trouxe esperança e coragem.
Mas por toda parte é a vitória do crime, o jogo das ambições a colheita dos desenganos.
Fonte: Boa nova – Capítulo 8 – Bom ânimo – Francisco Candido Xavier pelo espírto Humberto de Campos
Esclarecimento de Jesus
Uma boa nova deve trazer alegria
Acender o bom ânimo no espírito dos discípulos
O evangelho terá de florescer nas almas das criaturas antes de no espírito dos povos.
A vida terrestre é uma estrada pedregosa que conduz aos braços amorosos de Deus. O trabalho é a marcha.
Os instantes do amanhecer e do entardecer sereno são pontos de repouso.
A oportunidade de uma hora, de uma leve ação, de uma palavra humilde são convites para semear bençãos.
O homem abusa antepondo a sua vontade imperfeita aos desígnios de Deus.
Cerram os ouvidos à realidade espiritual e vendam os olhos com a sombra da rebeldia.
Sem enxergar a fonte cristalina, a estrela no céu, o perfume da flor, a palavra de um amigo e a
claridade das expêriências que Deus espalhou para sua jornada.
Fonte: Boa nova – Capítulo 8 – Bom ânimo – Francisco Candido Xavier pelo espírto Humberto de Campos
Bartolomeu questiona
Mestre, os vossos esclarecimentos dissipam os meus pesares;
mas o evangelho exige fortaleza permanente?
Fonte: Boa nova – Capítulo 8 – Bom ânimo – Francisco Candido Xavier pelo espírto Humberto de Campos
Jesus amorosamente esclarece
A verdade não exige: transforma
A alegria, a coragem e a esperança
devem ser traços constantes nas atividade de cada dia.
Fonte: Boa nova – Capítulo 8 – Bom ânimo – Francisco Candido Xavier pelo espírto Humberto de Campos
Jesus amorosamente esclarece
O que é o pesadelo de uma hora se conhecemos a realidade gloriosa da eternidade?
E quando os negócios são adversos? Quando tudo parece em luta contra nós?
Qual o melhor negócio do mundo Bartolomeu?
A aventura que se efetua a peso de ouro, muita vez amordaçando o coração e a consciência
para aumentar as preocupações da vida material
ou a iluminação definitiva da alma para Deus
que se realizará tão só pela boa vontade do homem
que deseja marchar para o seu amor,
por entre as urzes do caminho?
Fonte: Boa nova – Capítulo 8 – Bom ânimo – Francisco Candido Xavier pelo espírto Humberto de Campos
Bartolomeu ainda questiona
Mestre: não será justificável a tristeza se perdemos um ente amado?
Mas, quem estará perdido se Deus é pai de todos nós?
A morte do corpo abre as portas de um mundo novo para a alma.
Eis porque todo discípulo do Evangelho
tem de ser um semeador de paz e de alegria!
Fonte: Boa nova – Capítulo 8 – Bom ânimo – Francisco Candido Xavier pelo espírto Humberto de Campos
Bartolomeu retorna transformado
Bartolomeu se despede. O olhar o Mestre oferecia ao seu, naquela noite, uma luz mais doce e mais
brilhante; suas mãos lhe tocaram os ombros, levemente, deixando-lhe uma sensação salutar e
desdonhecida.
Bartolomeu retorna à noite para casa meditando nas lições que havia recebido. A noite pareceu-lhe
formosa como nunca e as estrelas se lhe afiguravam as luzes gloriosas do palácio de Deus. As águas
do Genesaré estavam mais plácidas e felizes. Os ventos brandos lhe sussuravam ao entendimento
cariciosas inspirações.
Bartolomeu recorda as razões de suas tristezas e não mais as encontrou em seu coração. A genitora
partira mas Deus lhe era pai e mãe no céu. Seus irmãos de sangue o aborreciam e caluniavam mas
Jesus não lhe era um irmão generoso e sincero?
Que eram as suas pescarias ou a avareza dos negociantes de Betsaida e Cafarnaum, comparados à luz
do reino de Deus, que ele trabalhava para edificar no coração?
Fonte: Boa nova – Capítulo 8 – Bom ânimo – Francisco Candido Xavier pelo espírto Humberto de Campos
Bartolomeu chega em casa
Chegou em casa pela madrugada. Os primeiros clarões do sol lhe pareciam mensageiros do conforto celestial.
Sua alma estava agora clara; o coração, aliviado e feliz.
Seus irmãos o receberam com impropérios, mas ele recordando o Evangelho sentiu que só ele tinha bastante
alegria para dar aos seus irmãos. Em vez de reagir, sorriu-lhes com a bondade das explicações amigas. Seu
pai o acusou e o escurraçou. O apostolo achou natural, pois seu pai não conhecia a Jesus e ele conhecia.
Não conseguindo esclarecê-los guardou os bens do silêncio e achou-se de posse de alegria nova.
Depois do repouso demandou a sua barca e para os companheiros teve uma frase consoladora e amiga.
O lago estava mais acolhedor e belo; seus camadaradas mais acessíveis. De tarde não questionou os
comerciantes, enchendo-lhes o espírito de boas palavras e atitudes educativas.
Bartolomeu havia convertido todos os desalentos num cântico de alegria, ao sopro regenerador dos
ensimanentos do Cristo, todos o observavam com admiração, exceto Jesus, que conhecia, com júbilo, a
nova atitude mental do discipulo.
Fonte: Boa nova – Capítulo 8 – Bom ânimo – Francisco Candido Xavier pelo espírto Humberto de Campos
Jesus toca Bartolomeu uma vez mais
No sábado seguinte, o Mestre demandou as margens do lago, cercado de numerosos seguidores.
Jesus começou a pregar a Boa Nova contando que “o reino dos céus é semelhante a um
tesouro que, oculto num campo, foi achado e escondido por um homem que, movido de
gozo, vendeu tudo o que possuia e comprou aquele campo”.
Neste instante, o olhar do Mestre pousou sobre Bartolomeu que o contemplava, embevecido; a
luz branda de seus olhos generosos penetrou fundo no íntimo do apóstolo, pela ternura que
evidenciara, e o pescador humilde compreendeu a delicada alusão do ensinamento,
experimentando a alma leve e satisfeita, depois de haver alijado todas as vaidades, para
adquirir o tesouro divino, no campo infinito da vida.
Fonte: Boa nova – Capítulo 8 – Bom ânimo – Francisco Candido Xavier pelo espírto Humberto de Campos
Bartolomeu retorna transformado
Enviando a Jesus um olhar de amor e reconhecimento, Bartolomeu limpou uma lágrima. Era a
primeira vez que chorava de alegria. O Pescador de Dalmanuta, aderira, para sempre, aos
eternos júbilos do Evangelho do Reino.
Fonte: Boa nova – Capítulo 8 – Bom ânimo – Francisco Candido Xavier pelo espírto Humberto de Campos
Fonte: Eduardo Manoel Araujo – Palestras em Centros Espíritas
Jesus
Lázaro
Bartolomeu
Paulo
Porque não faço o bem que quero,
mas o mal que não quero esse faço.
Ora, se eu faço o que não quero,
já o não faço eu,
mas o pecado que habita em mim.
(Romanos, 7:19-20)
O depoimento de Paulo confirma
como é difícil lutar contra o homem velho
que trazemos em nós.
Paulo de Tarso
Fonte: http://www.oconsolador.com.br/ano11/530/editorial.html (Editorial - Ano: 11 - No. 530 – 20/08/2017)
Difícil, sim, mas não impossível,
como ele próprio revelaria, anos depois:
Já estou crucificado com Cristo;
e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim;
e a vida que agora vivo na carne,
vivo-a pela fé do Filho de Deus,
o qual me amou e se entregou a si mesmo por mim.
(Gálatas, 2:20)
Paulo de Tarso
Fonte: http://www.oconsolador.com.br/ano11/530/editorial.html (Editorial - Ano: 11 - No. 530 – 20/08/2017)
Jesus
Lázaro
Bartolomeu
Paulo
Criação Divina
Caminhada inexorável de
Humildade e Amor
para alcançar
A VERDADE E A SABEDORIA
Criação Divina
Humildade: Apenas uma limitada perspectiva
ínfima no espaço e no tempo
+
Amor: Apreciar perspectivas para aprender
Em direção
A VERDADE E A SABEDORIA
Criação Divina
Orgulho
&
Egoísmo
(Ego)
Humildade
&
Altruismo
(Espírito)
Amor
Jesus
Lázaro
Bartolomeu
Paulo
Criação Divina
Kardec e o Espiritismo
Caracteres do homem de bem
918. Por que indícios se pode reconhecer em um homem o progresso real que lhe elevará o
Espírito na hierarquia espírita?
“O espírito prova a sua elevação, quando todos os atos de sua vida corporal representam a
prática da lei de Deus e quando antecipadamente compreende a vida espiritual.”
Verdadeiramente, homem de bem é o que pratica a lei de justiça, amor e caridade, na sua maior
pureza. Se interrogar a própria consciência sobre os atos que praticou, perguntará se não
transgrediu essa lei, se não fez o mal, se fez todo o bem que podia, se ninguém tem motivos
para dele se queixar, enfim se fez aos outros o que desejara que lhe fizessem.
919. Qual o meio prático mais eficaz que tem o homem de se melhorar nesta vida e
de resistir à atração do mal?
“Um sábio da antigüidade vo-lo disse: Conhece-te a ti mesmo.”
Santo Agostinho
Fonte: Livro dos Espíritos– Parte 3a. – As leis morais – Cap XII – Da perfeição moral –
Caracteres do homem de bem – Allan Kardec
“O progresso geral é a resultante
de todos os progressos individuais;
mas, o progresso individual não consiste apenas no
desenvolvimento da inteligência,
na aquisição de alguns conhecimentos.
Nisso mais não há do que uma parte do progresso,
que não conduz necessariamente ao bem,
pois que há homens que usam mal do seu saber.
O progresso consiste, sobretudo,
no melhoramento moral, na depuração do Espírito,
na extirpação dos maus germens que em nós existem.”
Espiritismo
Fonte: Obras Póstumas – Allan Kardec
Os bons espíritas
Reconhece-se o verdadeiro espírita pela sua transformação moral
e
pelos esforços que emprega para domar suas inclinações más.
Nalguns, ainda muito tenazes são os laços da matéria
para permitirem que o Espírito se desprenda das coisas da Terra;
a névoa que os envolve tira-lhes a visão do infinito,
donde resulta não romperem facilmente com os seus pendores nem com seus hábitos,
não percebendo haja qualquer coisa melhor do que aquilo de que são dotados.
Têm a crença nos Espíritos como um simples fato,
mas que nada ou bem pouco lhes modifica as tendências instintivas.
Numa palavra: não divisam mais do que um raio de luz, insuficiente a guiá-los
e a lhes facultar uma vigorosa aspiração,
capaz de lhes sobrepujar as inclinações.
Fonte: Evangelho Segundo o Espiritismo – Cap XVII – Sede perfeitos – item 3 O homem de bem e Item 4 – Os bons espíritas - Allan Kardec
Jesus
Lázaro
Bartolomeu
Paulo
Criação Divina
Kardec e o Espiritismo
Joanna e a psicologia profunda
Silencia as ansiedades do sentimento
e acalma os tormentos,
reflexionando em torno
das tuas reais necessidades.
Aprofunda a auto-análise
e tem a coragem de te desnudares
perante a própria consciência.
Autodesenvolvimento
Fonte: Momentos de Iluminação – Joana de Ângelis pela psicografia de Divaldo Pereira Franco
Autoconfiança
Da conquista da paciência, face à perseverança que a completa,
passa-se à autoconfiança, à certeza das possibilidades existentes
que podem ser aplicadas em favor dos anseios íntimos.
Desaparecem o medo e os mecanismos autopunitivos,
auto-afligentes, que são fatores dissolventes do progresso,
da evolução do ser.
Mediante essa conquista, a vontade passa a ser comandada
pela mente saudável, que discerne entre o que deve e o que pode fazer,
quais são os objetivos da sua existência na Terra e
como amadurecer emocional e psicologicamente,
para enfrentar as vicissitudes, as dificuldades,
os problemas que fazem parte de todo o desenrolar do crescimento interior.
Fonte: Vida – desafios e soluções – Joana de Ângelis pela psicografia de Divaldo Pereira Franco
Jesus
Lázaro
Bartolomeu
Paulo
Criação Divina
Kardec e o Espiritismo
Joanna e a psicologia profunda
Nós
Pequenos atos,
Grandes mudanças
Fonte: Vídeo Youtube - Trim Tab, pequenos atos causam grandes mudanças – Stephen Covey
Trim Tab
Leme
A grandeza de nossas obras
X
o amor com que elas são feitas
Pequeno e Grande
Caridade para …
Faminto – é prato de sopa
Triste – é a palavra consoladora
Mau – é a paciência em auxiliá-lo
Desesperado – é o auxílio do coração
Ignorante – é o ensino despretensioso
Ingrato – é o esquecimento
Enfermo – é a visita pessoal
Estudante – é o concurso no aprendizado
Criança – é a proteção construtiva
Velho – é o braço irmão
Fonte: Viajor – Francisco Candido Xavier pelo espírto Emmanuel
Caridade para …
Inimigo – é o silêncio
Amigo – é o estímulo
Transviado – é o entendimento
Orgulhoso – é a humildade
Colérico – é a calma
Preguiçoso – é o trabalho
Impulsivo – é a serenidade
Leviano – é a tolerância
Deserdado da Terra – é a expressão de carinho
Fonte: Viajor – Francisco Candido Xavier pelo espírto Emmanuel
Fonte: Eduardo Manoel Araujo – Palestras em Centros Espíritas
Jesus
Lázaro
Bartolomeu
Paulo
Criação Divina
Kardec e o Espiritismo
Joanna e a psicologia profunda
Nós
Sentido da viagem
Compromisso
Trabalho
Coerência
Evolução do sentimento
Fusão dos seres
Abdicação
Humildade
Amor
Esforço
Moral e IntelectualAutodesenvolvimento
DEUS
AMOR
Gratidão
pela oportunidade
de reflexão!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Estudo do Livro - Renuncia
Estudo do Livro - RenunciaEstudo do Livro - Renuncia
Estudo do Livro - Renuncia
Patricia Farias
 
Estudos no Sermão do Monte - 01 introdução às bem - aventuranças
Estudos no Sermão do Monte - 01   introdução às bem - aventurançasEstudos no Sermão do Monte - 01   introdução às bem - aventuranças
Estudos no Sermão do Monte - 01 introdução às bem - aventuranças
Walmir Vigo Gonçalves
 

Mais procurados (20)

Bem aventurança sermão do monte
Bem aventurança sermão do monteBem aventurança sermão do monte
Bem aventurança sermão do monte
 
Jesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de Vida
Jesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de VidaJesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de Vida
Jesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de Vida
 
Brilhe a vossa Luz.
Brilhe a vossa Luz.Brilhe a vossa Luz.
Brilhe a vossa Luz.
 
Lei de justiça
Lei de justiça Lei de justiça
Lei de justiça
 
Estudo do Livro - Renuncia
Estudo do Livro - RenunciaEstudo do Livro - Renuncia
Estudo do Livro - Renuncia
 
As bem-aventuranças do Sermão do Monte
As bem-aventuranças do Sermão do MonteAs bem-aventuranças do Sermão do Monte
As bem-aventuranças do Sermão do Monte
 
Palestra espirita sobre protetor / guia espiritual
Palestra espirita sobre protetor / guia espiritualPalestra espirita sobre protetor / guia espiritual
Palestra espirita sobre protetor / guia espiritual
 
Livro dos Espiritos Q. 230 Evangelho Cap 17 4
Livro dos Espiritos Q. 230 Evangelho Cap 17 4Livro dos Espiritos Q. 230 Evangelho Cap 17 4
Livro dos Espiritos Q. 230 Evangelho Cap 17 4
 
(Livro Boa nova) Cap.19 Comunhão com Deus
(Livro Boa nova) Cap.19   Comunhão com Deus(Livro Boa nova) Cap.19   Comunhão com Deus
(Livro Boa nova) Cap.19 Comunhão com Deus
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 13 - Estações Necessárias
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 13 - Estações NecessáriasSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 13 - Estações Necessárias
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 13 - Estações Necessárias
 
As Bem-Aventuranças - Sermão do Monte
As Bem-Aventuranças - Sermão do MonteAs Bem-Aventuranças - Sermão do Monte
As Bem-Aventuranças - Sermão do Monte
 
Bem aventuranca-sermao-do-monte
Bem aventuranca-sermao-do-monteBem aventuranca-sermao-do-monte
Bem aventuranca-sermao-do-monte
 
Ansiedades emmanuel
Ansiedades  emmanuelAnsiedades  emmanuel
Ansiedades emmanuel
 
Livro dos Espiritos questao 216 Evangelho Cap 16 item 2
Livro dos Espiritos questao 216 Evangelho Cap 16 item 2Livro dos Espiritos questao 216 Evangelho Cap 16 item 2
Livro dos Espiritos questao 216 Evangelho Cap 16 item 2
 
Lição 1 - As bem-aventuranças
Lição 1 - As bem-aventurançasLição 1 - As bem-aventuranças
Lição 1 - As bem-aventuranças
 
Livro - Os Mensageiros cap 30
Livro - Os Mensageiros cap 30Livro - Os Mensageiros cap 30
Livro - Os Mensageiros cap 30
 
Estudos no Sermão do Monte - 01 introdução às bem - aventuranças
Estudos no Sermão do Monte - 01   introdução às bem - aventurançasEstudos no Sermão do Monte - 01   introdução às bem - aventuranças
Estudos no Sermão do Monte - 01 introdução às bem - aventuranças
 
Sermão do monte
Sermão do monteSermão do monte
Sermão do monte
 
Ebd 1° trimestre 2017 lição 4 Alegria, fruto do espírito; inveja hábito da v...
Ebd 1° trimestre 2017 lição 4  Alegria, fruto do espírito; inveja hábito da v...Ebd 1° trimestre 2017 lição 4  Alegria, fruto do espírito; inveja hábito da v...
Ebd 1° trimestre 2017 lição 4 Alegria, fruto do espírito; inveja hábito da v...
 
Paraiso, inferno
Paraiso, infernoParaiso, inferno
Paraiso, inferno
 

Semelhante a Conduta evangelica

Caminhada da Pascoa
Caminhada da PascoaCaminhada da Pascoa
Caminhada da Pascoa
JMVSobreiro
 
Caminhada da Pascoa
Caminhada da PascoaCaminhada da Pascoa
Caminhada da Pascoa
JMVSobreiro
 
Caminhada do Tempo Pascal
Caminhada do Tempo PascalCaminhada do Tempo Pascal
Caminhada do Tempo Pascal
JMVSobreiro
 
João nunes maia miramez - filosofia espirita i
João nunes maia   miramez - filosofia espirita iJoão nunes maia   miramez - filosofia espirita i
João nunes maia miramez - filosofia espirita i
havatar
 
6772159 joao-nunes-maia-espirito-miramez-filosofia-espirita-i
6772159 joao-nunes-maia-espirito-miramez-filosofia-espirita-i6772159 joao-nunes-maia-espirito-miramez-filosofia-espirita-i
6772159 joao-nunes-maia-espirito-miramez-filosofia-espirita-i
EWALDO DE SOUZA
 

Semelhante a Conduta evangelica (20)

Bom ânimo
Bom ânimoBom ânimo
Bom ânimo
 
Capítulo VI - O Cristo Consolador
Capítulo VI - O Cristo ConsoladorCapítulo VI - O Cristo Consolador
Capítulo VI - O Cristo Consolador
 
Edição n. 53 do CH Notícias - Novembro / 2019
Edição n. 53 do CH Notícias - Novembro / 2019Edição n. 53 do CH Notícias - Novembro / 2019
Edição n. 53 do CH Notícias - Novembro / 2019
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 34 - Lugar Deserto
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 34 - Lugar DesertoSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 34 - Lugar Deserto
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 34 - Lugar Deserto
 
Livro dos Espiritos 657 e ESE cap6_item5
Livro dos Espiritos 657 e ESE cap6_item5Livro dos Espiritos 657 e ESE cap6_item5
Livro dos Espiritos 657 e ESE cap6_item5
 
Caminhada da Pascoa
Caminhada da PascoaCaminhada da Pascoa
Caminhada da Pascoa
 
Caminhada da Pascoa
Caminhada da PascoaCaminhada da Pascoa
Caminhada da Pascoa
 
Caminhada do Tempo Pascal
Caminhada do Tempo PascalCaminhada do Tempo Pascal
Caminhada do Tempo Pascal
 
033c - A conversão de todos os homens é já no Destino dos Não Cristãos
033c - A conversão de todos os homens é já no Destino dos Não Cristãos033c - A conversão de todos os homens é já no Destino dos Não Cristãos
033c - A conversão de todos os homens é já no Destino dos Não Cristãos
 
João nunes maia miramez - filosofia espirita i
João nunes maia   miramez - filosofia espirita iJoão nunes maia   miramez - filosofia espirita i
João nunes maia miramez - filosofia espirita i
 
6772159 joao-nunes-maia-espirito-miramez-filosofia-espirita-i
6772159 joao-nunes-maia-espirito-miramez-filosofia-espirita-i6772159 joao-nunes-maia-espirito-miramez-filosofia-espirita-i
6772159 joao-nunes-maia-espirito-miramez-filosofia-espirita-i
 
Cat02
Cat02Cat02
Cat02
 
Filosofia espirita volume i (psicografia joao nunes maia - espirito miramez)
Filosofia espirita   volume i (psicografia joao nunes maia - espirito miramez)Filosofia espirita   volume i (psicografia joao nunes maia - espirito miramez)
Filosofia espirita volume i (psicografia joao nunes maia - espirito miramez)
 
Edição n. 55 do CH Noticias - Janeiro/2020
Edição n. 55 do CH Noticias - Janeiro/2020Edição n. 55 do CH Noticias - Janeiro/2020
Edição n. 55 do CH Noticias - Janeiro/2020
 
Estudando com Andre Luiz - Os Mensageiros capitulo 01 Renovação
Estudando com Andre Luiz - Os Mensageiros   capitulo 01 RenovaçãoEstudando com Andre Luiz - Os Mensageiros   capitulo 01 Renovação
Estudando com Andre Luiz - Os Mensageiros capitulo 01 Renovação
 
Ceifa de luz emmanuel - chico xavier
Ceifa de luz   emmanuel - chico xavierCeifa de luz   emmanuel - chico xavier
Ceifa de luz emmanuel - chico xavier
 
Cat04
Cat04Cat04
Cat04
 
Cristo Consolador
Cristo ConsoladorCristo Consolador
Cristo Consolador
 
Jesus Cristo Consolador
Jesus Cristo Consolador Jesus Cristo Consolador
Jesus Cristo Consolador
 
Sim Pai
Sim PaiSim Pai
Sim Pai
 

Mais de Eduardo Manoel Araujo

Mais de Eduardo Manoel Araujo (20)

Queremos realmente evitar 80% das mortes por Covid19?
Queremos realmente evitar 80% das mortes por Covid19?Queremos realmente evitar 80% das mortes por Covid19?
Queremos realmente evitar 80% das mortes por Covid19?
 
O que mata hoje no brasil
O que mata hoje no brasilO que mata hoje no brasil
O que mata hoje no brasil
 
Pureza
PurezaPureza
Pureza
 
Eh possivel ser feliz na terra slideshare
Eh possivel ser feliz na terra    slideshareEh possivel ser feliz na terra    slideshare
Eh possivel ser feliz na terra slideshare
 
Ecologia integral enciclica do papa francisco
Ecologia integral   enciclica do papa franciscoEcologia integral   enciclica do papa francisco
Ecologia integral enciclica do papa francisco
 
Termo de referencia vivendo com jesus
Termo de referencia   vivendo com jesusTermo de referencia   vivendo com jesus
Termo de referencia vivendo com jesus
 
Teses da encíclica Laudato Si do Papa Francisco
Teses da encíclica Laudato Si do Papa FranciscoTeses da encíclica Laudato Si do Papa Francisco
Teses da encíclica Laudato Si do Papa Francisco
 
Extrato resumo da enciclica Laudato Si do Papa Francisco
Extrato resumo da enciclica Laudato Si do Papa FranciscoExtrato resumo da enciclica Laudato Si do Papa Francisco
Extrato resumo da enciclica Laudato Si do Papa Francisco
 
Esperanca - sementeira de coragem no solo do espirito
Esperanca - sementeira de coragem no solo do espiritoEsperanca - sementeira de coragem no solo do espirito
Esperanca - sementeira de coragem no solo do espirito
 
Quadro comparativo dos espiritos em expiacao o ceu e o inferno - viii
Quadro comparativo dos espiritos em expiacao   o ceu e o inferno - viiiQuadro comparativo dos espiritos em expiacao   o ceu e o inferno - viii
Quadro comparativo dos espiritos em expiacao o ceu e o inferno - viii
 
O céu e o inferno - cap VIII - expiacoes terrestres
O céu e o inferno - cap VIII - expiacoes terrestresO céu e o inferno - cap VIII - expiacoes terrestres
O céu e o inferno - cap VIII - expiacoes terrestres
 
Dinâmica - capitulo VII de: O céu e o inferno
Dinâmica - capitulo VII  de: O céu e o infernoDinâmica - capitulo VII  de: O céu e o inferno
Dinâmica - capitulo VII de: O céu e o inferno
 
O Céu e o Inferno - capítulo VII - Código penal da vida futura 1 a 8
O Céu e o Inferno - capítulo VII - Código penal da vida futura 1 a 8O Céu e o Inferno - capítulo VII - Código penal da vida futura 1 a 8
O Céu e o Inferno - capítulo VII - Código penal da vida futura 1 a 8
 
Convite ao valor
Convite ao valorConvite ao valor
Convite ao valor
 
A carta magna da paz - Cap II - regiões de reequilíbrio na terra
A carta magna da paz - Cap II - regiões de reequilíbrio na terraA carta magna da paz - Cap II - regiões de reequilíbrio na terra
A carta magna da paz - Cap II - regiões de reequilíbrio na terra
 
Vivência com consciência espírita
Vivência com consciência espíritaVivência com consciência espírita
Vivência com consciência espírita
 
Bem aventurados os mansos
Bem aventurados os mansosBem aventurados os mansos
Bem aventurados os mansos
 
Atitude Espírita
Atitude EspíritaAtitude Espírita
Atitude Espírita
 
Nossos filhos
Nossos filhosNossos filhos
Nossos filhos
 
Orgulho e humildade
Orgulho e humildadeOrgulho e humildade
Orgulho e humildade
 

Último

Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfOrações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
StelaWilbert
 
Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............
MilyFonceca
 

Último (14)

Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoOração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
 
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptxLivro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
 
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentação
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - ApresentaçãoCurso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentação
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentação
 
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
 
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdfpdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
 
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
 
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxEspecialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
 
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
 
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfOrações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
 
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
 
Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............
 
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para AutoconhecimentoHermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
 
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024
 

Conduta evangelica

  • 1. Conduta evangélica Sinal de edificação Sociedade Espírita Renovação Eduardo Manoel Araujo 14/11/2018
  • 2. A viagem ... Jesus Lázaro Bartolomeu Paulo Criação Divina Kardec e o Espiritismo Joanna e a psicologia profunda Nós
  • 4. O mandamento maior “Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu espírito; este o maior e o primeiro mandamento. E aqui tendes o segundo, semelhante a esse: Amarás o teu próximo, como a ti mesmo. – Toda a lei e os profetas se acham contidos nesses dois mandamentos.” (S. MATEUS, cap. XXII, vv. 34 a 40.) Fonte: Evangelho Segundo o Espiritismo – Cap XI – Amar ao próximo como a si mesmo – item 1 – O mandamento maior – Allan Kardec
  • 6. A lei de amor 8. O amor resume a doutrina de Jesus toda inteira ... Em sua origem, o homem só tem instintos; quando mais avançado e corrompido, só tem sensações; quando instruído e depurado, tem sentimentos. ... A lei de amor substitui a personalidade pela fusão dos seres ... Lázaro. (Paris, 1862.) Fonte: Evangelho Segundo o Espiritismo – Cap XI – Amar ao próximo como a si mesmo – Instruções dos Espíritos – item 8 – A lei do amor - Allan Kardec
  • 8. Jesus conversa com Bartolomeu Fonte: Boa nova – Capítulo 8 – Bom ânimo – Francisco Candido Xavier pelo espírto Humberto de Campos
  • 9. A tristeza de Bartolomeu Dedicado discípulo porém triste. Jesus o interroga afetuosa e fraternalmente. Mas ele não sabia dizer o porque da sua tristeza. Disse que o Evangelho lhe trouxe esperança e coragem. Mas por toda parte é a vitória do crime, o jogo das ambições a colheita dos desenganos. Fonte: Boa nova – Capítulo 8 – Bom ânimo – Francisco Candido Xavier pelo espírto Humberto de Campos
  • 10. Esclarecimento de Jesus Uma boa nova deve trazer alegria Acender o bom ânimo no espírito dos discípulos O evangelho terá de florescer nas almas das criaturas antes de no espírito dos povos. A vida terrestre é uma estrada pedregosa que conduz aos braços amorosos de Deus. O trabalho é a marcha. Os instantes do amanhecer e do entardecer sereno são pontos de repouso. A oportunidade de uma hora, de uma leve ação, de uma palavra humilde são convites para semear bençãos. O homem abusa antepondo a sua vontade imperfeita aos desígnios de Deus. Cerram os ouvidos à realidade espiritual e vendam os olhos com a sombra da rebeldia. Sem enxergar a fonte cristalina, a estrela no céu, o perfume da flor, a palavra de um amigo e a claridade das expêriências que Deus espalhou para sua jornada. Fonte: Boa nova – Capítulo 8 – Bom ânimo – Francisco Candido Xavier pelo espírto Humberto de Campos
  • 11. Bartolomeu questiona Mestre, os vossos esclarecimentos dissipam os meus pesares; mas o evangelho exige fortaleza permanente? Fonte: Boa nova – Capítulo 8 – Bom ânimo – Francisco Candido Xavier pelo espírto Humberto de Campos
  • 12. Jesus amorosamente esclarece A verdade não exige: transforma A alegria, a coragem e a esperança devem ser traços constantes nas atividade de cada dia. Fonte: Boa nova – Capítulo 8 – Bom ânimo – Francisco Candido Xavier pelo espírto Humberto de Campos
  • 13. Jesus amorosamente esclarece O que é o pesadelo de uma hora se conhecemos a realidade gloriosa da eternidade? E quando os negócios são adversos? Quando tudo parece em luta contra nós? Qual o melhor negócio do mundo Bartolomeu? A aventura que se efetua a peso de ouro, muita vez amordaçando o coração e a consciência para aumentar as preocupações da vida material ou a iluminação definitiva da alma para Deus que se realizará tão só pela boa vontade do homem que deseja marchar para o seu amor, por entre as urzes do caminho? Fonte: Boa nova – Capítulo 8 – Bom ânimo – Francisco Candido Xavier pelo espírto Humberto de Campos
  • 14. Bartolomeu ainda questiona Mestre: não será justificável a tristeza se perdemos um ente amado? Mas, quem estará perdido se Deus é pai de todos nós? A morte do corpo abre as portas de um mundo novo para a alma. Eis porque todo discípulo do Evangelho tem de ser um semeador de paz e de alegria! Fonte: Boa nova – Capítulo 8 – Bom ânimo – Francisco Candido Xavier pelo espírto Humberto de Campos
  • 15. Bartolomeu retorna transformado Bartolomeu se despede. O olhar o Mestre oferecia ao seu, naquela noite, uma luz mais doce e mais brilhante; suas mãos lhe tocaram os ombros, levemente, deixando-lhe uma sensação salutar e desdonhecida. Bartolomeu retorna à noite para casa meditando nas lições que havia recebido. A noite pareceu-lhe formosa como nunca e as estrelas se lhe afiguravam as luzes gloriosas do palácio de Deus. As águas do Genesaré estavam mais plácidas e felizes. Os ventos brandos lhe sussuravam ao entendimento cariciosas inspirações. Bartolomeu recorda as razões de suas tristezas e não mais as encontrou em seu coração. A genitora partira mas Deus lhe era pai e mãe no céu. Seus irmãos de sangue o aborreciam e caluniavam mas Jesus não lhe era um irmão generoso e sincero? Que eram as suas pescarias ou a avareza dos negociantes de Betsaida e Cafarnaum, comparados à luz do reino de Deus, que ele trabalhava para edificar no coração? Fonte: Boa nova – Capítulo 8 – Bom ânimo – Francisco Candido Xavier pelo espírto Humberto de Campos
  • 16. Bartolomeu chega em casa Chegou em casa pela madrugada. Os primeiros clarões do sol lhe pareciam mensageiros do conforto celestial. Sua alma estava agora clara; o coração, aliviado e feliz. Seus irmãos o receberam com impropérios, mas ele recordando o Evangelho sentiu que só ele tinha bastante alegria para dar aos seus irmãos. Em vez de reagir, sorriu-lhes com a bondade das explicações amigas. Seu pai o acusou e o escurraçou. O apostolo achou natural, pois seu pai não conhecia a Jesus e ele conhecia. Não conseguindo esclarecê-los guardou os bens do silêncio e achou-se de posse de alegria nova. Depois do repouso demandou a sua barca e para os companheiros teve uma frase consoladora e amiga. O lago estava mais acolhedor e belo; seus camadaradas mais acessíveis. De tarde não questionou os comerciantes, enchendo-lhes o espírito de boas palavras e atitudes educativas. Bartolomeu havia convertido todos os desalentos num cântico de alegria, ao sopro regenerador dos ensimanentos do Cristo, todos o observavam com admiração, exceto Jesus, que conhecia, com júbilo, a nova atitude mental do discipulo. Fonte: Boa nova – Capítulo 8 – Bom ânimo – Francisco Candido Xavier pelo espírto Humberto de Campos
  • 17. Jesus toca Bartolomeu uma vez mais No sábado seguinte, o Mestre demandou as margens do lago, cercado de numerosos seguidores. Jesus começou a pregar a Boa Nova contando que “o reino dos céus é semelhante a um tesouro que, oculto num campo, foi achado e escondido por um homem que, movido de gozo, vendeu tudo o que possuia e comprou aquele campo”. Neste instante, o olhar do Mestre pousou sobre Bartolomeu que o contemplava, embevecido; a luz branda de seus olhos generosos penetrou fundo no íntimo do apóstolo, pela ternura que evidenciara, e o pescador humilde compreendeu a delicada alusão do ensinamento, experimentando a alma leve e satisfeita, depois de haver alijado todas as vaidades, para adquirir o tesouro divino, no campo infinito da vida. Fonte: Boa nova – Capítulo 8 – Bom ânimo – Francisco Candido Xavier pelo espírto Humberto de Campos
  • 18. Bartolomeu retorna transformado Enviando a Jesus um olhar de amor e reconhecimento, Bartolomeu limpou uma lágrima. Era a primeira vez que chorava de alegria. O Pescador de Dalmanuta, aderira, para sempre, aos eternos júbilos do Evangelho do Reino. Fonte: Boa nova – Capítulo 8 – Bom ânimo – Francisco Candido Xavier pelo espírto Humberto de Campos
  • 19. Fonte: Eduardo Manoel Araujo – Palestras em Centros Espíritas Jesus Lázaro Bartolomeu Paulo
  • 20. Porque não faço o bem que quero, mas o mal que não quero esse faço. Ora, se eu faço o que não quero, já o não faço eu, mas o pecado que habita em mim. (Romanos, 7:19-20) O depoimento de Paulo confirma como é difícil lutar contra o homem velho que trazemos em nós. Paulo de Tarso Fonte: http://www.oconsolador.com.br/ano11/530/editorial.html (Editorial - Ano: 11 - No. 530 – 20/08/2017)
  • 21. Difícil, sim, mas não impossível, como ele próprio revelaria, anos depois: Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a pela fé do Filho de Deus, o qual me amou e se entregou a si mesmo por mim. (Gálatas, 2:20) Paulo de Tarso Fonte: http://www.oconsolador.com.br/ano11/530/editorial.html (Editorial - Ano: 11 - No. 530 – 20/08/2017)
  • 23. Caminhada inexorável de Humildade e Amor para alcançar A VERDADE E A SABEDORIA Criação Divina
  • 24. Humildade: Apenas uma limitada perspectiva ínfima no espaço e no tempo + Amor: Apreciar perspectivas para aprender Em direção A VERDADE E A SABEDORIA Criação Divina
  • 27. Caracteres do homem de bem 918. Por que indícios se pode reconhecer em um homem o progresso real que lhe elevará o Espírito na hierarquia espírita? “O espírito prova a sua elevação, quando todos os atos de sua vida corporal representam a prática da lei de Deus e quando antecipadamente compreende a vida espiritual.” Verdadeiramente, homem de bem é o que pratica a lei de justiça, amor e caridade, na sua maior pureza. Se interrogar a própria consciência sobre os atos que praticou, perguntará se não transgrediu essa lei, se não fez o mal, se fez todo o bem que podia, se ninguém tem motivos para dele se queixar, enfim se fez aos outros o que desejara que lhe fizessem. 919. Qual o meio prático mais eficaz que tem o homem de se melhorar nesta vida e de resistir à atração do mal? “Um sábio da antigüidade vo-lo disse: Conhece-te a ti mesmo.” Santo Agostinho Fonte: Livro dos Espíritos– Parte 3a. – As leis morais – Cap XII – Da perfeição moral – Caracteres do homem de bem – Allan Kardec
  • 28. “O progresso geral é a resultante de todos os progressos individuais; mas, o progresso individual não consiste apenas no desenvolvimento da inteligência, na aquisição de alguns conhecimentos. Nisso mais não há do que uma parte do progresso, que não conduz necessariamente ao bem, pois que há homens que usam mal do seu saber. O progresso consiste, sobretudo, no melhoramento moral, na depuração do Espírito, na extirpação dos maus germens que em nós existem.” Espiritismo Fonte: Obras Póstumas – Allan Kardec
  • 29. Os bons espíritas Reconhece-se o verdadeiro espírita pela sua transformação moral e pelos esforços que emprega para domar suas inclinações más. Nalguns, ainda muito tenazes são os laços da matéria para permitirem que o Espírito se desprenda das coisas da Terra; a névoa que os envolve tira-lhes a visão do infinito, donde resulta não romperem facilmente com os seus pendores nem com seus hábitos, não percebendo haja qualquer coisa melhor do que aquilo de que são dotados. Têm a crença nos Espíritos como um simples fato, mas que nada ou bem pouco lhes modifica as tendências instintivas. Numa palavra: não divisam mais do que um raio de luz, insuficiente a guiá-los e a lhes facultar uma vigorosa aspiração, capaz de lhes sobrepujar as inclinações. Fonte: Evangelho Segundo o Espiritismo – Cap XVII – Sede perfeitos – item 3 O homem de bem e Item 4 – Os bons espíritas - Allan Kardec
  • 30. Jesus Lázaro Bartolomeu Paulo Criação Divina Kardec e o Espiritismo Joanna e a psicologia profunda
  • 31. Silencia as ansiedades do sentimento e acalma os tormentos, reflexionando em torno das tuas reais necessidades. Aprofunda a auto-análise e tem a coragem de te desnudares perante a própria consciência. Autodesenvolvimento Fonte: Momentos de Iluminação – Joana de Ângelis pela psicografia de Divaldo Pereira Franco
  • 32. Autoconfiança Da conquista da paciência, face à perseverança que a completa, passa-se à autoconfiança, à certeza das possibilidades existentes que podem ser aplicadas em favor dos anseios íntimos. Desaparecem o medo e os mecanismos autopunitivos, auto-afligentes, que são fatores dissolventes do progresso, da evolução do ser. Mediante essa conquista, a vontade passa a ser comandada pela mente saudável, que discerne entre o que deve e o que pode fazer, quais são os objetivos da sua existência na Terra e como amadurecer emocional e psicologicamente, para enfrentar as vicissitudes, as dificuldades, os problemas que fazem parte de todo o desenrolar do crescimento interior. Fonte: Vida – desafios e soluções – Joana de Ângelis pela psicografia de Divaldo Pereira Franco
  • 33. Jesus Lázaro Bartolomeu Paulo Criação Divina Kardec e o Espiritismo Joanna e a psicologia profunda Nós
  • 34. Pequenos atos, Grandes mudanças Fonte: Vídeo Youtube - Trim Tab, pequenos atos causam grandes mudanças – Stephen Covey Trim Tab Leme
  • 35. A grandeza de nossas obras X o amor com que elas são feitas Pequeno e Grande
  • 36. Caridade para … Faminto – é prato de sopa Triste – é a palavra consoladora Mau – é a paciência em auxiliá-lo Desesperado – é o auxílio do coração Ignorante – é o ensino despretensioso Ingrato – é o esquecimento Enfermo – é a visita pessoal Estudante – é o concurso no aprendizado Criança – é a proteção construtiva Velho – é o braço irmão Fonte: Viajor – Francisco Candido Xavier pelo espírto Emmanuel
  • 37. Caridade para … Inimigo – é o silêncio Amigo – é o estímulo Transviado – é o entendimento Orgulhoso – é a humildade Colérico – é a calma Preguiçoso – é o trabalho Impulsivo – é a serenidade Leviano – é a tolerância Deserdado da Terra – é a expressão de carinho Fonte: Viajor – Francisco Candido Xavier pelo espírto Emmanuel
  • 38. Fonte: Eduardo Manoel Araujo – Palestras em Centros Espíritas Jesus Lázaro Bartolomeu Paulo Criação Divina Kardec e o Espiritismo Joanna e a psicologia profunda Nós Sentido da viagem Compromisso Trabalho Coerência Evolução do sentimento Fusão dos seres Abdicação Humildade Amor Esforço Moral e IntelectualAutodesenvolvimento DEUS AMOR

Notas do Editor

  1. A vida é um convite a humildade e ao altruismo, que são aspectos do amor. Convite a humildade – dimensão do macrocosmos, complexidade do microcosmos, somos apenas espíritos em evolução (crianças) Convite ao altruísmo – possibilidade de perceber outros aspectos da verdade e partilhar experiências na tentativa de alargar nossa visão e aumentar nossa compreensão.