SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 4
Baixar para ler offline
1
COMO FAZER UMA REVISÃO DA LITERATURA: CONSIDERAÇÕES
TEÓRICAS E PRÁTICAS
António V. Bento
Centro de Investigação em Educação
Universidade da Madeira
Há, sobretudo, duas inquietações que atormentam os mestrandos e outros alunos que
embarcam na revisão da literatura para os seus trabalhos académicos. Uma é saber
exactamente em que consiste e que utilidade tem a revisão da literatura e outra é saber
quando se deve concluir, ou seja, quando se sabe que já se tem o suficiente. Vamos
responder a estas perguntas e, também, sugerir passos sequenciais (e algumas pistas a
seguir) numa revisão da literatura bem-sucedida.
Quando um investigador se inicia no processo de revisão da literatura é pouco provável
que o assunto tratado nunca tenha sido abordado por outra pessoa, pelo menos em parte
ou de forma indirecta. Como afirma Quivy e Campenhoudt (2005), “tem-se
frequentemente a impressão de que não há «nada sobre o assunto», mas esta opinião
resulta, em regra, de uma má informação” (p. 50). Por outro lado, devem-se evitar dois
erros apresentados por Carmo e Ferreira (1998), quando nos advertem para a “gula
livresca ou estatística, que nos pode fazer afogar em sobre informação” e para o
“desprezo pela disciplina que nos recomenda a prévia concepção de hipóteses e/ou de
questões-bússula que funcionem como orientadoras da pesquisa, fazendo-a demorar
mais e aumentando a imprevisibilidade dos resultados” (p. 45).
Importância da Revisão da literatura
A revisão da literatura é uma parte vital do processo de investigação. Aquela envolve
localizar, analisar, sintetizar e interpretar a investigação prévia (revistas cientificas,
livros, actas de congressos, resumos, etc.) relacionada com a sua área de estudo; é,
então, uma análise bibliográfica pormenorizada, referente aos trabalhos já publicados
sobre o tema. A revisão da literatura é indispensável não somente para definir bem o
problema, mas também para obter uma ideia precisa sobre o estado actual dos
conhecimentos sobre um dado tema, as suas lacunas e a contribuição da investigação
para o desenvolvimento do conhecimento. Como nos informam Cardoso et al (2010)
“cada investigador analisa minuciosamente os trabalhos dos investigadores que o
precederam e, só então, compreendido o testemunho que lhe foi confiado, parte
equipado para a sua própria aventura” (p. 7). Devido á constante evolução dos
conhecimentos, deve-se começar por rever os trabalhos mais recentes primeiro e recuar
no tempo.
Propósitos de revisão de literatura num estudo de investigação
a) Delimitar o problema de investigação: muitos estudos falham porque o
investigador não delimitou bem o problema. A revisão da literatura mostra-nos como
outros investigadores formularam as suas perguntas de investigação num campo de
interesse tão alargado; b) Procurar novas linhas de investigação: Fazendo a revisão
da literatura, você deve determinar que investigação já foi feita na sua área de interesse.
Também deve ficar atento(a) para áreas que foram pouco investigadas. A sua
2
experiência única pode também mostrar-lhe uma nova faceta que não foi contemplada
por outros investigadores. Acontece mais em áreas pouco investigadas mas pode
acontecer em áreas bastante investigadas aparecendo uma abordagem criativa e única;
por exemplo, uma aluna de mestrado queria estudar a liderança escolar; começando a
rever a literatura verificou que a liderança escolar nos directores do 1º ciclo ainda não
fora estudada o que despertou o seu interesse uma vez que era professora do 1º ciclo. c)
Evitar abordagens infrutíferas. Na sua revisão da literatura, esteja atento(a) para
linhas de investigação que provaram ser infrutíferas. Por exemplo, revendo a literatura,
por vezes, encontramos vários estudos feitos ao longo dos anos usando metodologias
semelhantes que provaram resultados pouco significativos. Mais estudos nessa área
específica não servem propósitos importantes. d) Ganhar perspectivas metodológicas.
Um erro que por vezes se faz é rever apenas os resultados do estudo ou relatório. A
leitura geral pode dar-nos ideias para o nosso desenho metodológico. e) Identificar
recomendações para investigações futuras. Estudos de investigação, muito
frequentemente, terminam com mais questões de investigação e sugestões para outras
investigações. Muitos alunos de mestrado e doutoramento encontraram as suas ideias de
investigação em outros estudos.
Qual a extensão da revisão da literatura?
Uma das grandes frustrações com que se confrontam os mestrandos e outros alunos é
determinar a extensão da revisão da literatura. Não caia no erro de pensar que deve
mencionar todos os livros e artigos que encontrou ou leu. A revisão da literatura não é
uma compilação de cada livro e artigo relacionado com o seu tópico. Deve sempre ser
selectivo(a) e incluir só a informação mais relevante. Quando sabe que já tem o
suficiente? Não há uma resposta precisa mas podemos dizer que você sabe que é tempo
de parar quando começar a encontrar repetidamente as mesmas referências e não
encontra novos recursos. É costume dizer-se que se pode parar quando se atingiu o
“ponto de saturação”, isto é, quando já não se encontram ideias nem resultados novos,
pois isso significará que já se domina bem o assunto em estudo.
Dum modo geral, muitos orientadores esperam que se faça entre 30 e 50 páginas de
revisão em estudos de um ano. Contudo, muito depende da complexidade do seu tópico
e da preferência do seu orientador por isso deve perguntar-lhe. Pela nossa experiência,
uma boa revisão da literatura pode levar cerca de três a cinco meses em estudos de um
ano.
Passos a seguir numa revisão da literatura
Uma revisão abrangente envolve essencialmente quatro passos: 1º Identificar
palavras-chave ou descritores. A primeira coisa a fazer é constituir uma série de
descritores ou lista de palavras-chave relacionadas com o seu tópico para fazer a
pesquisa nas bases de dados e nos motores de busca. 2º Rever fontes secundárias.
Fontes secundárias são aquelas que são escritas por autores que interpretam os trabalhos
de outros. Incluem resumos, enciclopédias, dicionários temáticos e manuais. São
importantes porque combinam conhecimento a partir de várias fontes primárias e dão
uma visão geral rápida sobre o assunto. 3º Recolher fontes primárias. Nesta fase
determine quais livros e artigos são mais relevantes para o seu estudo e recolha cada
uma das fontes primárias. As fontes primárias contêm os trabalhos originais de autores e
investigadores. Recolher literatura primária consiste em localizar, ler na diagonal e
fotocopiar livros e documentos relacionados com o seu estudo. Dois tipos de literatura
3
que deve rever: literatura teórica e literatura empírica. A maioria das dissertações
contêm a base teórica, por isso deve conhecer as áreas conceptuais relacionadas com ao
seu estudo. Adicionalmente, deve familiarizar-se com a investigação prévia na sua área
científica. Nesta fase deve ser selectivo(a). Lembre-se sempre do seu propósito de
estudo. Ao recolher e organizar a sua literatura pergunte-se a si próprio: Como é que
isto se relaciona com o meu estudo? Uma estratégia é classificar cada recurso como
“Muito importante”, “Moderadamente importante” e “Algo importante”. 4º Ler
criticamente e resumir a literatura. Uma vez recolhida a literatura é necessário lê-la
criticamente. Isto envolve questionar, especular, avaliar, repensar, e sintetizar o que lê.
Que perspectivas originais pode você reunir acerca do seu tópico e não abordadas em
nenhuma das referências? Que aspectos importantes, factos e opiniões se relacionam
com o seu estudo? Há questões importantes que não foram bem abordadas? À medida
que for lendo, procure temas, questões, e pontos comuns entre os vários autores. Antes
de escrever uma síntese coerente da literatura, você deve ter uma perspectiva tão boa da
floresta como das árvores.
Anotando e resumindo as referências
1. Leia aprofundadamente as suas publicações que classificou como “Muito
importantes” primeiro, de forma a compreendê-las bem. Sublinhe as partes mais
importantes e escreva ideias, visões ou questões que surjam enquanto lê. Pode tomar
notas nas margens. 2. Para cada livro ou artigo que leia, escreva um breve resumo em
suas próprias palavras que ilustram os pontos essenciais. Inclua também inferências que
pode fazer acerca do seu estudo e conclusões que pode retirar do livro ou artigo. 3.
Registe exactamente a referência bibliográfica. 4. Desenvolva um sistema de
codificação de forma a poder identificar cada tipo de material contido em cada uma das
folhas de resumos. Normalmente, isto é feito pelas suas variáveis, tópicos chave, ou
pelos descritores usados na localização das referências. Escreva o nome no topo da
folha. 5. Á medida que vai lendo, preste atenção a citações que podem ser importantes
na apresentação da sua revisão. Se encontrar uma citação importante, coloque-a entre
aspas e inclua a página donde foi retirada. Isto evita a que inadvertidamente, plagie as
ideias de outros. Tente limitar as suas citações. 6. Coloque os seus resumos numa pasta
de computador e depois faça uma cópia deixando margens largas. Agora você tem um
registo completo do que a literatura afirmou acerca das variáveis ou palavras-chave do
seu estudo. 7. Leia todos os resumos e procure temas importantes, grandes questões,
convergências e divergências. Tome notas nas margens das suas folhas de resumo. Isto
dá-lhe uma base para desenvolver um esboço lógico e coerente da sua revisão de
literatura.
Para finalizar, a consulta a bases de dados e bibliotecas virtuais tornou-se indispensável:
a nível nacional temos a B-on (biblioteca do conhecimento on-line – http://www.b-
on.pt) e o RCAAP (agregação de repositórios universitários nacionais –
http://www.rcaap.pt); a nível internacional e na área da educação há a ERIC
(Educational Resources Informational Center – http://www.eric.ed.gov). O Google
Académico (http://scholar.google.pt) é também um instrumento de muito interesse que
permite o acesso a teses, dissertações, artigos científicos e outros materiais
especializados. Na organização e partilha de informações bibliográficas há dois
programas importantes e de acesso livre: Mendeley (http://www.mendeley.com/) e
Zotero (http://www.zotero.org/).
4
Referências
Cardoso, T., Alarcão, I. & Celorico, J. (2010). Revisão da literatura e sistematização do
conhecimento. Porto: Porto Editora.
Carmo, H. & Ferreira, M. (1998). Metodologia para a investigação: Guia para Auto-
aprendizagem. Lisboa: Universidade Aberta
Quivy, R. & Campenhoudt (2005). Manual de investigação em Ciências Sociais (4ª
edição). Lisboa: Gradiva.
Como referir este artigo:
Bento, A. (2012, Maio). Como fazer uma revisão da literatura: Considerações teóricas e
práticas. Revista JA (Associação Académica da Universidade da Madeira), nº 65,
ano VII (pp. 42-44). ISSN: 1647-8975.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Como redigir a introdução e a conclusão de um trabalho escrito
Como redigir a introdução e a conclusão de um trabalho escritoComo redigir a introdução e a conclusão de um trabalho escrito
Como redigir a introdução e a conclusão de um trabalho escritoBiblioteca Escolar Ourique
 
Projeto de pesquisa exemplo
Projeto de pesquisa   exemploProjeto de pesquisa   exemplo
Projeto de pesquisa exemploFelipe Pereira
 
Slides para Apresentação acadêmica
Slides para Apresentação acadêmicaSlides para Apresentação acadêmica
Slides para Apresentação acadêmicaRafaelBorges3
 
TCC: Discussão e Conclusões - Profa. Rilva Muñoz
TCC: Discussão e Conclusões - Profa. Rilva MuñozTCC: Discussão e Conclusões - Profa. Rilva Muñoz
TCC: Discussão e Conclusões - Profa. Rilva MuñozRilva Lopes de Sousa Muñoz
 
Metodologia cientifica
Metodologia cientificaMetodologia cientifica
Metodologia cientificajaddy xavier
 
Aula 04 metodologia de um tcc
Aula 04   metodologia de um tccAula 04   metodologia de um tcc
Aula 04 metodologia de um tccHidematuda
 
Resumo do tcc modelo
Resumo do tcc modeloResumo do tcc modelo
Resumo do tcc modeloElys Regina
 
Lista de verbos para projeto de pesquisa
Lista de verbos para projeto de pesquisaLista de verbos para projeto de pesquisa
Lista de verbos para projeto de pesquisamarildabacana
 
Resenha crítica modelo
Resenha crítica   modeloResenha crítica   modelo
Resenha crítica modelotaise_paz
 
Modelos de síntese
Modelos de sínteseModelos de síntese
Modelos de síntesedenisecgomes
 
Pesquisa Bibliográfica, Pesquisa Documental, Pesquisa Experimental e Pesquisa...
Pesquisa Bibliográfica, Pesquisa Documental, Pesquisa Experimental e Pesquisa...Pesquisa Bibliográfica, Pesquisa Documental, Pesquisa Experimental e Pesquisa...
Pesquisa Bibliográfica, Pesquisa Documental, Pesquisa Experimental e Pesquisa...Klicia Mendonca
 
Modelo banner 90 x 120
Modelo banner 90 x 120Modelo banner 90 x 120
Modelo banner 90 x 120PotenzaWD
 
Relatório de Visita Técnica: Centro Histórico de Curitiba
Relatório de Visita Técnica: Centro Histórico de CuritibaRelatório de Visita Técnica: Centro Histórico de Curitiba
Relatório de Visita Técnica: Centro Histórico de CuritibaIZIS PAIXÃO
 
Modelo padrao relatorio
Modelo padrao relatorioModelo padrao relatorio
Modelo padrao relatorioCamila Neitzke
 
Exemplos de Cronogramas de Pesquisa
Exemplos de Cronogramas de PesquisaExemplos de Cronogramas de Pesquisa
Exemplos de Cronogramas de Pesquisarichard_romancini
 
Resenha acadêmica
Resenha acadêmicaResenha acadêmica
Resenha acadêmicamegainfoin
 

Mais procurados (20)

Como redigir a introdução e a conclusão de um trabalho escrito
Como redigir a introdução e a conclusão de um trabalho escritoComo redigir a introdução e a conclusão de um trabalho escrito
Como redigir a introdução e a conclusão de um trabalho escrito
 
Projeto de pesquisa exemplo
Projeto de pesquisa   exemploProjeto de pesquisa   exemplo
Projeto de pesquisa exemplo
 
Modelo de Projeto de Pesquisa
Modelo de Projeto de PesquisaModelo de Projeto de Pesquisa
Modelo de Projeto de Pesquisa
 
Slides para Apresentação acadêmica
Slides para Apresentação acadêmicaSlides para Apresentação acadêmica
Slides para Apresentação acadêmica
 
TCC: Discussão e Conclusões - Profa. Rilva Muñoz
TCC: Discussão e Conclusões - Profa. Rilva MuñozTCC: Discussão e Conclusões - Profa. Rilva Muñoz
TCC: Discussão e Conclusões - Profa. Rilva Muñoz
 
Metodologia cientifica
Metodologia cientificaMetodologia cientifica
Metodologia cientifica
 
Aula 04 metodologia de um tcc
Aula 04   metodologia de um tccAula 04   metodologia de um tcc
Aula 04 metodologia de um tcc
 
Modelo de pre projeto tcc
Modelo de pre projeto tccModelo de pre projeto tcc
Modelo de pre projeto tcc
 
Resumo do tcc modelo
Resumo do tcc modeloResumo do tcc modelo
Resumo do tcc modelo
 
Lista de verbos para projeto de pesquisa
Lista de verbos para projeto de pesquisaLista de verbos para projeto de pesquisa
Lista de verbos para projeto de pesquisa
 
Resenha crítica modelo
Resenha crítica   modeloResenha crítica   modelo
Resenha crítica modelo
 
Modelos de síntese
Modelos de sínteseModelos de síntese
Modelos de síntese
 
Apresentando TCC
Apresentando TCCApresentando TCC
Apresentando TCC
 
Pesquisa Bibliográfica, Pesquisa Documental, Pesquisa Experimental e Pesquisa...
Pesquisa Bibliográfica, Pesquisa Documental, Pesquisa Experimental e Pesquisa...Pesquisa Bibliográfica, Pesquisa Documental, Pesquisa Experimental e Pesquisa...
Pesquisa Bibliográfica, Pesquisa Documental, Pesquisa Experimental e Pesquisa...
 
Revisão Sistemática da Literatura
Revisão Sistemática da LiteraturaRevisão Sistemática da Literatura
Revisão Sistemática da Literatura
 
Modelo banner 90 x 120
Modelo banner 90 x 120Modelo banner 90 x 120
Modelo banner 90 x 120
 
Relatório de Visita Técnica: Centro Histórico de Curitiba
Relatório de Visita Técnica: Centro Histórico de CuritibaRelatório de Visita Técnica: Centro Histórico de Curitiba
Relatório de Visita Técnica: Centro Histórico de Curitiba
 
Modelo padrao relatorio
Modelo padrao relatorioModelo padrao relatorio
Modelo padrao relatorio
 
Exemplos de Cronogramas de Pesquisa
Exemplos de Cronogramas de PesquisaExemplos de Cronogramas de Pesquisa
Exemplos de Cronogramas de Pesquisa
 
Resenha acadêmica
Resenha acadêmicaResenha acadêmica
Resenha acadêmica
 

Destaque

Tcc helena
Tcc helenaTcc helena
Tcc helenaHelena
 
Ulcera-de-pressao-e-estado-nutricional-revisao-da-literatura
Ulcera-de-pressao-e-estado-nutricional-revisao-da-literaturaUlcera-de-pressao-e-estado-nutricional-revisao-da-literatura
Ulcera-de-pressao-e-estado-nutricional-revisao-da-literaturaMarina3112
 
Consumidor contra-razões em recurso extraordinario
Consumidor   contra-razões em recurso extraordinarioConsumidor   contra-razões em recurso extraordinario
Consumidor contra-razões em recurso extraordinarioConsultor JRSantana
 
Apresentação artigos científicos para estagiários de psicologia (simplificado)
Apresentação artigos científicos para estagiários de psicologia (simplificado)Apresentação artigos científicos para estagiários de psicologia (simplificado)
Apresentação artigos científicos para estagiários de psicologia (simplificado)Bruno Sampaio Garrido
 
Manual de Boas Práticas de Manipulação de Pescado
Manual de Boas Práticas de Manipulação de PescadoManual de Boas Práticas de Manipulação de Pescado
Manual de Boas Práticas de Manipulação de PescadoPortal Canal Rural
 
Aula 3 revisão de literatura e metodologia
Aula 3 revisão de literatura e metodologiaAula 3 revisão de literatura e metodologia
Aula 3 revisão de literatura e metodologiabioalvarenga
 
19 elaboração da metodologia
19 elaboração da metodologia19 elaboração da metodologia
19 elaboração da metodologiaJoao Balbi
 

Destaque (9)

Tcc helena
Tcc helenaTcc helena
Tcc helena
 
Ulcera-de-pressao-e-estado-nutricional-revisao-da-literatura
Ulcera-de-pressao-e-estado-nutricional-revisao-da-literaturaUlcera-de-pressao-e-estado-nutricional-revisao-da-literatura
Ulcera-de-pressao-e-estado-nutricional-revisao-da-literatura
 
Recursos TCU
Recursos TCURecursos TCU
Recursos TCU
 
Consumidor contra-razões em recurso extraordinario
Consumidor   contra-razões em recurso extraordinarioConsumidor   contra-razões em recurso extraordinario
Consumidor contra-razões em recurso extraordinario
 
Apresentação artigos científicos para estagiários de psicologia (simplificado)
Apresentação artigos científicos para estagiários de psicologia (simplificado)Apresentação artigos científicos para estagiários de psicologia (simplificado)
Apresentação artigos científicos para estagiários de psicologia (simplificado)
 
Tcc completo modelo (2013)
Tcc completo modelo (2013)Tcc completo modelo (2013)
Tcc completo modelo (2013)
 
Manual de Boas Práticas de Manipulação de Pescado
Manual de Boas Práticas de Manipulação de PescadoManual de Boas Práticas de Manipulação de Pescado
Manual de Boas Práticas de Manipulação de Pescado
 
Aula 3 revisão de literatura e metodologia
Aula 3 revisão de literatura e metodologiaAula 3 revisão de literatura e metodologia
Aula 3 revisão de literatura e metodologia
 
19 elaboração da metodologia
19 elaboração da metodologia19 elaboração da metodologia
19 elaboração da metodologia
 

Semelhante a Como fazer uma revisão da literatura

aula_REVISÃO DE LITERATURA.pptx
aula_REVISÃO DE LITERATURA.pptxaula_REVISÃO DE LITERATURA.pptx
aula_REVISÃO DE LITERATURA.pptxOdeteMyraMesquita
 
aula_REVISÃO DE LITERATURA.pptx
aula_REVISÃO DE LITERATURA.pptxaula_REVISÃO DE LITERATURA.pptx
aula_REVISÃO DE LITERATURA.pptxOdeteMyraMesquita
 
Métodos e técnicas de pesquisa psicológica AULA SOBRE ARTIGO (1).pptx
Métodos e técnicas de pesquisa psicológica AULA SOBRE ARTIGO (1).pptxMétodos e técnicas de pesquisa psicológica AULA SOBRE ARTIGO (1).pptx
Métodos e técnicas de pesquisa psicológica AULA SOBRE ARTIGO (1).pptxelionaylima2
 
Artigo Científico - Passo a Passo.pdf
Artigo Científico - Passo a Passo.pdfArtigo Científico - Passo a Passo.pdf
Artigo Científico - Passo a Passo.pdfIsaacBruno8
 
Aula revisao simone_pertile
Aula revisao simone_pertileAula revisao simone_pertile
Aula revisao simone_pertileRosa Liane
 
Metodologia científica 2
Metodologia científica 2Metodologia científica 2
Metodologia científica 2Aldenei Barros
 
aula artigo iquali.pptx
aula artigo iquali.pptxaula artigo iquali.pptx
aula artigo iquali.pptxZoraide6
 
Leitura crítica
Leitura críticaLeitura crítica
Leitura críticaunesp
 
dSZ5jBu2J3NME3g.pptx
dSZ5jBu2J3NME3g.pptxdSZ5jBu2J3NME3g.pptx
dSZ5jBu2J3NME3g.pptxFSCCarvalho
 
ReferêNcias Para A ElaboraçãO De Um Artigo De Pesquisa
ReferêNcias Para A ElaboraçãO De Um Artigo De PesquisaReferêNcias Para A ElaboraçãO De Um Artigo De Pesquisa
ReferêNcias Para A ElaboraçãO De Um Artigo De Pesquisajoao jose saraiva da fonseca
 
Work shop sobre escrever artigo
Work shop sobre escrever artigoWork shop sobre escrever artigo
Work shop sobre escrever artigoSamuel Lincoln
 
Como nao escrever um artigo engenharia
Como nao escrever um artigo engenhariaComo nao escrever um artigo engenharia
Como nao escrever um artigo engenhariaDionísio Carmo-Neto
 
Monografia e tcc r$ 310,00 whatsapp (21) 97478 9561 monografiatcc99@gmail.com...
Monografia e tcc r$ 310,00 whatsapp (21) 97478 9561 monografiatcc99@gmail.com...Monografia e tcc r$ 310,00 whatsapp (21) 97478 9561 monografiatcc99@gmail.com...
Monografia e tcc r$ 310,00 whatsapp (21) 97478 9561 monografiatcc99@gmail.com...Leandro Benevides
 
APRESENTACAO ARTIGOS CIENTIFICOS VERSAO FINAL.pptx
APRESENTACAO ARTIGOS CIENTIFICOS VERSAO FINAL.pptxAPRESENTACAO ARTIGOS CIENTIFICOS VERSAO FINAL.pptx
APRESENTACAO ARTIGOS CIENTIFICOS VERSAO FINAL.pptxEugrencioJooMaposse
 

Semelhante a Como fazer uma revisão da literatura (20)

Revisão de Literatura.pptx
Revisão de Literatura.pptxRevisão de Literatura.pptx
Revisão de Literatura.pptx
 
aula_REVISÃO DE LITERATURA.pptx
aula_REVISÃO DE LITERATURA.pptxaula_REVISÃO DE LITERATURA.pptx
aula_REVISÃO DE LITERATURA.pptx
 
aula_REVISÃO DE LITERATURA.pptx
aula_REVISÃO DE LITERATURA.pptxaula_REVISÃO DE LITERATURA.pptx
aula_REVISÃO DE LITERATURA.pptx
 
Métodos e técnicas de pesquisa psicológica AULA SOBRE ARTIGO (1).pptx
Métodos e técnicas de pesquisa psicológica AULA SOBRE ARTIGO (1).pptxMétodos e técnicas de pesquisa psicológica AULA SOBRE ARTIGO (1).pptx
Métodos e técnicas de pesquisa psicológica AULA SOBRE ARTIGO (1).pptx
 
Artigo Científico - Passo a Passo.pdf
Artigo Científico - Passo a Passo.pdfArtigo Científico - Passo a Passo.pdf
Artigo Científico - Passo a Passo.pdf
 
Como publicar em bons journals
Como publicar em bons journalsComo publicar em bons journals
Como publicar em bons journals
 
Aula revisao simone_pertile
Aula revisao simone_pertileAula revisao simone_pertile
Aula revisao simone_pertile
 
Metodologia científica 2
Metodologia científica 2Metodologia científica 2
Metodologia científica 2
 
Artigos cientificos
Artigos cientificosArtigos cientificos
Artigos cientificos
 
2- TCC.pptx
2- TCC.pptx2- TCC.pptx
2- TCC.pptx
 
Artigo Cientfico.pdf
Artigo Cientfico.pdfArtigo Cientfico.pdf
Artigo Cientfico.pdf
 
aula artigo iquali.pptx
aula artigo iquali.pptxaula artigo iquali.pptx
aula artigo iquali.pptx
 
Leitura crítica
Leitura críticaLeitura crítica
Leitura crítica
 
dSZ5jBu2J3NME3g.pptx
dSZ5jBu2J3NME3g.pptxdSZ5jBu2J3NME3g.pptx
dSZ5jBu2J3NME3g.pptx
 
ReferêNcias Para A ElaboraçãO De Um Artigo De Pesquisa
ReferêNcias Para A ElaboraçãO De Um Artigo De PesquisaReferêNcias Para A ElaboraçãO De Um Artigo De Pesquisa
ReferêNcias Para A ElaboraçãO De Um Artigo De Pesquisa
 
Work shop sobre escrever artigo
Work shop sobre escrever artigoWork shop sobre escrever artigo
Work shop sobre escrever artigo
 
Como nao escrever um artigo engenharia
Como nao escrever um artigo engenhariaComo nao escrever um artigo engenharia
Como nao escrever um artigo engenharia
 
Monografia e tcc r$ 310,00 whatsapp (21) 97478 9561 monografiatcc99@gmail.com...
Monografia e tcc r$ 310,00 whatsapp (21) 97478 9561 monografiatcc99@gmail.com...Monografia e tcc r$ 310,00 whatsapp (21) 97478 9561 monografiatcc99@gmail.com...
Monografia e tcc r$ 310,00 whatsapp (21) 97478 9561 monografiatcc99@gmail.com...
 
APRESENTACAO ARTIGOS CIENTIFICOS VERSAO FINAL.pptx
APRESENTACAO ARTIGOS CIENTIFICOS VERSAO FINAL.pptxAPRESENTACAO ARTIGOS CIENTIFICOS VERSAO FINAL.pptx
APRESENTACAO ARTIGOS CIENTIFICOS VERSAO FINAL.pptx
 
Introdução aula 4
Introdução   aula 4Introdução   aula 4
Introdução aula 4
 

Mais de Dionísio Carmo-Neto

Fazer, escrever ou elaborar paper ou artigo tecnico
Fazer, escrever ou elaborar paper ou artigo tecnicoFazer, escrever ou elaborar paper ou artigo tecnico
Fazer, escrever ou elaborar paper ou artigo tecnicoDionísio Carmo-Neto
 
Como avaliar um artigo em ciencias sociais
Como avaliar um artigo em ciencias sociaisComo avaliar um artigo em ciencias sociais
Como avaliar um artigo em ciencias sociaisDionísio Carmo-Neto
 
Como escrever um Sumario Executivo
Como escrever um Sumario ExecutivoComo escrever um Sumario Executivo
Como escrever um Sumario ExecutivoDionísio Carmo-Neto
 
LP linear programming (summary) (5s)
LP linear programming (summary) (5s)LP linear programming (summary) (5s)
LP linear programming (summary) (5s)Dionísio Carmo-Neto
 
Escrever paper opiniao & poema (paper)
Escrever paper  opiniao & poema (paper)Escrever paper  opiniao & poema (paper)
Escrever paper opiniao & poema (paper)Dionísio Carmo-Neto
 

Mais de Dionísio Carmo-Neto (8)

Cristianismo flavio josefo
Cristianismo   flavio josefoCristianismo   flavio josefo
Cristianismo flavio josefo
 
Fazer, escrever ou elaborar paper ou artigo tecnico
Fazer, escrever ou elaborar paper ou artigo tecnicoFazer, escrever ou elaborar paper ou artigo tecnico
Fazer, escrever ou elaborar paper ou artigo tecnico
 
Criterios &Baremas
Criterios &BaremasCriterios &Baremas
Criterios &Baremas
 
Como avaliar um artigo em ciencias sociais
Como avaliar um artigo em ciencias sociaisComo avaliar um artigo em ciencias sociais
Como avaliar um artigo em ciencias sociais
 
Como escrever um Sumario Executivo
Como escrever um Sumario ExecutivoComo escrever um Sumario Executivo
Como escrever um Sumario Executivo
 
Tips for-reading-literature
Tips for-reading-literatureTips for-reading-literature
Tips for-reading-literature
 
LP linear programming (summary) (5s)
LP linear programming (summary) (5s)LP linear programming (summary) (5s)
LP linear programming (summary) (5s)
 
Escrever paper opiniao & poema (paper)
Escrever paper  opiniao & poema (paper)Escrever paper  opiniao & poema (paper)
Escrever paper opiniao & poema (paper)
 

Último

Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLaseVasconcelos1
 
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mimJunto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mimWashingtonSampaio5
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxHlioMachado1
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfErasmo Portavoz
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxAntonioVieira539017
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdfProfGleide
 
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzparte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzAlexandrePereira818171
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptxErivaldoLima15
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREIVONETETAVARESRAMOS
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxJMTCS
 

Último (20)

Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
 
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mimJunto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
 
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzparte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
 

Como fazer uma revisão da literatura

  • 1. 1 COMO FAZER UMA REVISÃO DA LITERATURA: CONSIDERAÇÕES TEÓRICAS E PRÁTICAS António V. Bento Centro de Investigação em Educação Universidade da Madeira Há, sobretudo, duas inquietações que atormentam os mestrandos e outros alunos que embarcam na revisão da literatura para os seus trabalhos académicos. Uma é saber exactamente em que consiste e que utilidade tem a revisão da literatura e outra é saber quando se deve concluir, ou seja, quando se sabe que já se tem o suficiente. Vamos responder a estas perguntas e, também, sugerir passos sequenciais (e algumas pistas a seguir) numa revisão da literatura bem-sucedida. Quando um investigador se inicia no processo de revisão da literatura é pouco provável que o assunto tratado nunca tenha sido abordado por outra pessoa, pelo menos em parte ou de forma indirecta. Como afirma Quivy e Campenhoudt (2005), “tem-se frequentemente a impressão de que não há «nada sobre o assunto», mas esta opinião resulta, em regra, de uma má informação” (p. 50). Por outro lado, devem-se evitar dois erros apresentados por Carmo e Ferreira (1998), quando nos advertem para a “gula livresca ou estatística, que nos pode fazer afogar em sobre informação” e para o “desprezo pela disciplina que nos recomenda a prévia concepção de hipóteses e/ou de questões-bússula que funcionem como orientadoras da pesquisa, fazendo-a demorar mais e aumentando a imprevisibilidade dos resultados” (p. 45). Importância da Revisão da literatura A revisão da literatura é uma parte vital do processo de investigação. Aquela envolve localizar, analisar, sintetizar e interpretar a investigação prévia (revistas cientificas, livros, actas de congressos, resumos, etc.) relacionada com a sua área de estudo; é, então, uma análise bibliográfica pormenorizada, referente aos trabalhos já publicados sobre o tema. A revisão da literatura é indispensável não somente para definir bem o problema, mas também para obter uma ideia precisa sobre o estado actual dos conhecimentos sobre um dado tema, as suas lacunas e a contribuição da investigação para o desenvolvimento do conhecimento. Como nos informam Cardoso et al (2010) “cada investigador analisa minuciosamente os trabalhos dos investigadores que o precederam e, só então, compreendido o testemunho que lhe foi confiado, parte equipado para a sua própria aventura” (p. 7). Devido á constante evolução dos conhecimentos, deve-se começar por rever os trabalhos mais recentes primeiro e recuar no tempo. Propósitos de revisão de literatura num estudo de investigação a) Delimitar o problema de investigação: muitos estudos falham porque o investigador não delimitou bem o problema. A revisão da literatura mostra-nos como outros investigadores formularam as suas perguntas de investigação num campo de interesse tão alargado; b) Procurar novas linhas de investigação: Fazendo a revisão da literatura, você deve determinar que investigação já foi feita na sua área de interesse. Também deve ficar atento(a) para áreas que foram pouco investigadas. A sua
  • 2. 2 experiência única pode também mostrar-lhe uma nova faceta que não foi contemplada por outros investigadores. Acontece mais em áreas pouco investigadas mas pode acontecer em áreas bastante investigadas aparecendo uma abordagem criativa e única; por exemplo, uma aluna de mestrado queria estudar a liderança escolar; começando a rever a literatura verificou que a liderança escolar nos directores do 1º ciclo ainda não fora estudada o que despertou o seu interesse uma vez que era professora do 1º ciclo. c) Evitar abordagens infrutíferas. Na sua revisão da literatura, esteja atento(a) para linhas de investigação que provaram ser infrutíferas. Por exemplo, revendo a literatura, por vezes, encontramos vários estudos feitos ao longo dos anos usando metodologias semelhantes que provaram resultados pouco significativos. Mais estudos nessa área específica não servem propósitos importantes. d) Ganhar perspectivas metodológicas. Um erro que por vezes se faz é rever apenas os resultados do estudo ou relatório. A leitura geral pode dar-nos ideias para o nosso desenho metodológico. e) Identificar recomendações para investigações futuras. Estudos de investigação, muito frequentemente, terminam com mais questões de investigação e sugestões para outras investigações. Muitos alunos de mestrado e doutoramento encontraram as suas ideias de investigação em outros estudos. Qual a extensão da revisão da literatura? Uma das grandes frustrações com que se confrontam os mestrandos e outros alunos é determinar a extensão da revisão da literatura. Não caia no erro de pensar que deve mencionar todos os livros e artigos que encontrou ou leu. A revisão da literatura não é uma compilação de cada livro e artigo relacionado com o seu tópico. Deve sempre ser selectivo(a) e incluir só a informação mais relevante. Quando sabe que já tem o suficiente? Não há uma resposta precisa mas podemos dizer que você sabe que é tempo de parar quando começar a encontrar repetidamente as mesmas referências e não encontra novos recursos. É costume dizer-se que se pode parar quando se atingiu o “ponto de saturação”, isto é, quando já não se encontram ideias nem resultados novos, pois isso significará que já se domina bem o assunto em estudo. Dum modo geral, muitos orientadores esperam que se faça entre 30 e 50 páginas de revisão em estudos de um ano. Contudo, muito depende da complexidade do seu tópico e da preferência do seu orientador por isso deve perguntar-lhe. Pela nossa experiência, uma boa revisão da literatura pode levar cerca de três a cinco meses em estudos de um ano. Passos a seguir numa revisão da literatura Uma revisão abrangente envolve essencialmente quatro passos: 1º Identificar palavras-chave ou descritores. A primeira coisa a fazer é constituir uma série de descritores ou lista de palavras-chave relacionadas com o seu tópico para fazer a pesquisa nas bases de dados e nos motores de busca. 2º Rever fontes secundárias. Fontes secundárias são aquelas que são escritas por autores que interpretam os trabalhos de outros. Incluem resumos, enciclopédias, dicionários temáticos e manuais. São importantes porque combinam conhecimento a partir de várias fontes primárias e dão uma visão geral rápida sobre o assunto. 3º Recolher fontes primárias. Nesta fase determine quais livros e artigos são mais relevantes para o seu estudo e recolha cada uma das fontes primárias. As fontes primárias contêm os trabalhos originais de autores e investigadores. Recolher literatura primária consiste em localizar, ler na diagonal e fotocopiar livros e documentos relacionados com o seu estudo. Dois tipos de literatura
  • 3. 3 que deve rever: literatura teórica e literatura empírica. A maioria das dissertações contêm a base teórica, por isso deve conhecer as áreas conceptuais relacionadas com ao seu estudo. Adicionalmente, deve familiarizar-se com a investigação prévia na sua área científica. Nesta fase deve ser selectivo(a). Lembre-se sempre do seu propósito de estudo. Ao recolher e organizar a sua literatura pergunte-se a si próprio: Como é que isto se relaciona com o meu estudo? Uma estratégia é classificar cada recurso como “Muito importante”, “Moderadamente importante” e “Algo importante”. 4º Ler criticamente e resumir a literatura. Uma vez recolhida a literatura é necessário lê-la criticamente. Isto envolve questionar, especular, avaliar, repensar, e sintetizar o que lê. Que perspectivas originais pode você reunir acerca do seu tópico e não abordadas em nenhuma das referências? Que aspectos importantes, factos e opiniões se relacionam com o seu estudo? Há questões importantes que não foram bem abordadas? À medida que for lendo, procure temas, questões, e pontos comuns entre os vários autores. Antes de escrever uma síntese coerente da literatura, você deve ter uma perspectiva tão boa da floresta como das árvores. Anotando e resumindo as referências 1. Leia aprofundadamente as suas publicações que classificou como “Muito importantes” primeiro, de forma a compreendê-las bem. Sublinhe as partes mais importantes e escreva ideias, visões ou questões que surjam enquanto lê. Pode tomar notas nas margens. 2. Para cada livro ou artigo que leia, escreva um breve resumo em suas próprias palavras que ilustram os pontos essenciais. Inclua também inferências que pode fazer acerca do seu estudo e conclusões que pode retirar do livro ou artigo. 3. Registe exactamente a referência bibliográfica. 4. Desenvolva um sistema de codificação de forma a poder identificar cada tipo de material contido em cada uma das folhas de resumos. Normalmente, isto é feito pelas suas variáveis, tópicos chave, ou pelos descritores usados na localização das referências. Escreva o nome no topo da folha. 5. Á medida que vai lendo, preste atenção a citações que podem ser importantes na apresentação da sua revisão. Se encontrar uma citação importante, coloque-a entre aspas e inclua a página donde foi retirada. Isto evita a que inadvertidamente, plagie as ideias de outros. Tente limitar as suas citações. 6. Coloque os seus resumos numa pasta de computador e depois faça uma cópia deixando margens largas. Agora você tem um registo completo do que a literatura afirmou acerca das variáveis ou palavras-chave do seu estudo. 7. Leia todos os resumos e procure temas importantes, grandes questões, convergências e divergências. Tome notas nas margens das suas folhas de resumo. Isto dá-lhe uma base para desenvolver um esboço lógico e coerente da sua revisão de literatura. Para finalizar, a consulta a bases de dados e bibliotecas virtuais tornou-se indispensável: a nível nacional temos a B-on (biblioteca do conhecimento on-line – http://www.b- on.pt) e o RCAAP (agregação de repositórios universitários nacionais – http://www.rcaap.pt); a nível internacional e na área da educação há a ERIC (Educational Resources Informational Center – http://www.eric.ed.gov). O Google Académico (http://scholar.google.pt) é também um instrumento de muito interesse que permite o acesso a teses, dissertações, artigos científicos e outros materiais especializados. Na organização e partilha de informações bibliográficas há dois programas importantes e de acesso livre: Mendeley (http://www.mendeley.com/) e Zotero (http://www.zotero.org/).
  • 4. 4 Referências Cardoso, T., Alarcão, I. & Celorico, J. (2010). Revisão da literatura e sistematização do conhecimento. Porto: Porto Editora. Carmo, H. & Ferreira, M. (1998). Metodologia para a investigação: Guia para Auto- aprendizagem. Lisboa: Universidade Aberta Quivy, R. & Campenhoudt (2005). Manual de investigação em Ciências Sociais (4ª edição). Lisboa: Gradiva. Como referir este artigo: Bento, A. (2012, Maio). Como fazer uma revisão da literatura: Considerações teóricas e práticas. Revista JA (Associação Académica da Universidade da Madeira), nº 65, ano VII (pp. 42-44). ISSN: 1647-8975.