1 de 71SUPPLY CHAINSUPPLY CHAINMANAGEMENTMANAGEMENTJoão Paulo Pinto, PhD MSc(Eng)COMUNIDADE LEAN THINKING – MAIO DE 2013 2...
5 de 71APRESENTAÇÃO6 de 71fases do supply chainCONCEPCONCEPÇÇÃOÃO ENTREGAENTREGARelembrar o livro: The world is flatCRIAÇÃ...
9 de 71COMO É A SUA CADEIA?Procure identificar os principais elos da cadeia;Principais intervenientes;Principais pontos de...
13 de 71De facto, a SC assemelha-semais a uma rede ... (network)Estrutura caEstrutura caóótica, entretica, entre--empresas...
17 de 71A CADEIA DE FORNECIMENTOCom este plano alcançoos mais baixos custos?GoodsCom este plano alcanço os meusobjectivos ...
21 de 71ACTUAIS DIFICULDADES NA SCMO efeito bullwhip que se propaga ao longo da cadeia;O acumular de stocks e de tempo par...
25 de 71Falhas geradas internamente(ex. Avarias, problemas de qualidade).Alterações de Engenhariato the design of services...
29 de 71CADEIA DE VALORENQUADRAMENTO DA FUNÇÃOA SCM é das mais importantes funções numaorganização dado que envolve todas ...
33 de 71MUDANÇASExistem muitas alterações num ambientede negócios cada vez mais dinâmicoMercados emergentes e novos canais...
37 de 71MATURIDADEMATURIDADE Evolução da cadeia de fornecimentoAs tecnologias de informação (TI) ainda não atingiram oesta...
41 de 71EVOLUÇÃO A evolução da Tecnologia de Informação (IT) demonstraum aumento de maturidade nos últimos 40 anos.Cadeiad...
45 de 71Location efficiency – centralize the location to gaineconomies of scale, which increases efficiency;Location effec...
49 de 71Transporte – move os stocks entre diferentesestágios da cadeia de fornecimento.Componentes primários associados1. ...
53 de 71Information sharing efficiency – freely share lots of informationto increase the speed and decrease the costs of s...
57 de 71CADEIA DEFORNECIMENTORÁPIDACADEIA DEFORNECIMENTOEFICIENTEPRODUTOS INOVADORESDesign inovador, novas tecnologias,red...
61 de 71COMPONENTES DA LEAN SCMProcessos internos lean (ie, pull flowmanagement);Rede de fornecedores lean;Lean procuremen...
65 de 71Temas a desenvolver neste domínio:• Modelo da Qee e as suas limitações• Stock de Segurança• Rotação de Stocks vs. ...
69 de 71A hierarquia das métricas (kpi’s) usadasna SCM são apresentadas neste artigo daAMR (2004):https://www.google.pt/ur...
73 de 711. O GRUPO INDITEX2. O IKEA3. A MCDONALDS4. A WAL MART5. A DHL ou FEDEX6. AS FARMÁCIAS7. A AMAZON8. A PARFOIS9. A ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Introdução à SCM

1.074 visualizações

Publicada em

Documento do primeiro módulo do MBA em Logística e SCM

Publicada em: Negócios
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.074
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
46
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Introdução à SCM

  1. 1. 1 de 71SUPPLY CHAINSUPPLY CHAINMANAGEMENTMANAGEMENTJoão Paulo Pinto, PhD MSc(Eng)COMUNIDADE LEAN THINKING – MAIO DE 2013 2 de 71LINE UP DAS SESSÕESConceitos de base à gestão da cadeia de fornecimento(supply chain management, ie SCM);A SCM como função criadora de valor;A cadeia de fornecimento (SC) vs. cadeia de valor;Princípios e conceitos associados à SCM;As métricas da SCM.Site de suporte ao MBASite de suporte ao MBAhttpshttps://://sites.google.comsites.google.com/site//site/cltmbascmcltmbascm3 de 71CONCEITOS E DEFINIÇÕES INICIAISSupply ChainSupply ChainA cadeia conectada de todasas entidades empresariais,tanto internas comoexternas à empresa, querealizam ou apoiam a funçãologística (o material certo nomomento certo e dentro doestabelecido)4 de 71Supply ChainManagementSupply ChainManagementUm sistema de gestão quecoordena e integra todas asactividades realizadas pelosmembros da cadeia defornecimento num processocontínuo, desde a origem até oponto de consumo, resultandona entrega de VALOR aocliente e na eficiente utilizaçãode recursos.
  2. 2. 5 de 71APRESENTAÇÃO6 de 71fases do supply chainCONCEPCONCEPÇÇÃOÃO ENTREGAENTREGARelembrar o livro: The world is flatCRIAÇÃODEVALORSCMSCMNPDNPD POMPOMA inovação é um factor criador devalor, poderá acontecer em todas asfases da cadeia de fornecimento (SC):• Novos produtos/serviços;• Novos processos e abordagens;• Inovação na SCM (ex. colaboração epartilha, win-win, etc.)picture this...BEM VINDOS AO MUNDO DA GESTÃO DA CADEIA DE FORNECIMENTO• Das áreas mais promissoras!• Grande empregabilidade;• Elevado crescimento;• Oportunidades de criar valor!7 de 71As empresas não podem mais competir isoladas dosclientes, fornecedores e restantes parceiros de negócio!As exigências que o mercado impõe são de tal formacomplexas e difíceis que requerem uma nova forma deestar;Acima de tudo requerem que as empresas cooperem entresi e se integrem formando cadeias de fornecimento coesas eestáveis;O interesse pelo conceito de gestão da cadeia defornecimento tem aumentado de forma significativa nasúltimas três décadas com a popularidade das relações decooperação entre empresas (ex. relações win-win).http://www.youtube.com/watch?v=nJVoYsBym88&noredirect=18 de 71O QUE É A LOGÍSTICATermo de origem militar:Procura fornecer o material certo no momento certo, semperder de vista aspectos como custo e o serviço ao cliente;Actualmente o conceito é bem mais abrangente!Envolve a gestão e a optimização dos seguintes fluxos:Materiais (do fornecedor ao cliente);Informação (de todas as partes);Capital (dos clientes aos fornecedores).Designações actuais:Gestão da Cadeia de Fornecimento(logística ou gestão da cadeia de abastecimento);Supply chain management (SCM).
  3. 3. 9 de 71COMO É A SUA CADEIA?Procure identificar os principais elos da cadeia;Principais intervenientes;Principais pontos de acumulação (buffers) eestrangulamentos;Quanto extensa é a sua cadeia?Quanto flexível é a cadeia?Como caracteriza a sua supply chain:(reactiva ou defensiva) (eficiente ou rápida)?10 de 71CADEIA DE VALOR OUCADEIA DE FORNECIMENTO?Trata-se de conceitos diferentes dado que a abrangência dacadeia de valor (CV ou Value stream/chain) é muito maior,incluindo mesmo a cadeia de fornecimento;M Porter apresenta o conceito de CV e já em 1985 identificaa cadeia de fornecimento (ie, as funções internas);Deste modo, a cadeia de fornecimento é uma parte dacadeia de valor;Por outras palavras, enquanto todos, numa organização,trabalham na cadeia de valor, nem toda a gente naorganização trabalha na cadeia de fornecimento.11 de 71C A D E I A D E V A L O R E A C A D E I A D E F O R N E C I M E N T OC A D E I A D E V A L O R E A C A D E I A D E F OC A D E I A D E V A L O R E A C A D E I A D E F O R N E C I M E N T OR N E C I M E N T O12 de 71CADEIA DE FORNECIMENTOA cadeia de fornecimento não élinear: tem múltiplas ligações (elos)e relações.
  4. 4. 13 de 71De facto, a SC assemelha-semais a uma rede ... (network)Estrutura caEstrutura caóótica, entretica, entre--empresas, interempresas, inter--ligaligaçções, interdependênciaões, interdependênciaCADEIA DE FORNECIMENTOFornecedor Produtor Distribuidor Retalhista Clientes14 de 71Contudo, existe sempre um elemento dominante,ie. a estrela e a sua constelação.A Estrela ...•Exemplos:IBM, AutoEuropa, HP,etc;•Domina e coordena acadeia de fornecimento;• A estrela espera eexige que os outroselementos actuem...15 de 71SOBREVIVÊNCIA DA SCCada vez mais a competiçãoserá como a “Star Wars”vsDiferentes cadeias de fornecimento a competir em:Qualidade e inovação de Produtos;Serviços e proximidade com o cliente (conveniência);Qualidade da infra-estrutura de informação (integração de sistemas);Flexibilidade e agilidade em se adaptar às alterações do Mercado;Redução de custos e tempos (em todos os elos);Rapidez de resposta / quick response (de toda a cadeia).16 de 71SCM – INTEGRAR E GERIR NEGÓCIOS AO LONGO DA CADEIA DE FORNECIMENTO
  5. 5. 17 de 71A CADEIA DE FORNECIMENTOCom este plano alcançoos mais baixos custos?GoodsCom este plano alcanço os meusobjectivos (serviço e produtividade)?SupplierManufacturerManufacturerDistributorDistributorRetailerRetailerCustomerCustomerManufacturerManufacturerO que possoprometer?Utilizo os meus recursosdo modo mais adequado?Consigo maximizar os lucros?Process &servicesInformationFinanceAlgumas key-words no domínio da SCM:SKU, POS, OEM, WMS, ECR (customer response), VMI, SCOR, TCO e Green SCM (extensão da SCM) 18 de 71O CICLO DA SCM VERDE19 de 71A MISSÃO DA SCMActualmente, o serviço ao cliente adquiriu um significadomais amplo, ie, envolve todo o processo a partir domomento em que se recebe o pedido até à sua entreganas condições acordadas;Partindo do princípio central da logística, ou seja garantirao cliente o material certo no momento e local certo, agestão da cadeia de fornecimento procura enquadrar esteobjectivo com as actuais tendências competitivas, ie:reduzir custos operacionais, melhorar o servireduzir custos operacionais, melhorar o serviçço ao cliente,o ao cliente,reduzir tempos de resposta e aumentar a qualidadereduzir tempos de resposta e aumentar a qualidade;Ver a figura que se segue…20 de 71
  6. 6. 21 de 71ACTUAIS DIFICULDADES NA SCMO efeito bullwhip que se propaga ao longo da cadeia;O acumular de stocks e de tempo para camuflarproblemas;Aplicação de métodos de Previsão da Procura e o domíniode modelos baseados na QEE (ex. sistemas MRP/DRP);A ausência de integração e de colaboração entre osdiferentes parceiros da cadeia de fornecimento;Práticas de gestão que promovem o isolamento daspartes na cadeia, evitando a partilha de informação, a inter-ajuda e desperdiçando as oportunidades que a abordagemwin-win e a sinergia podem gerar.22 de 71Fornecedor doFornecedor dofornecedorfornecedorO EFEITOO EFEITO BULLWHIPBULLWHIP EXPLICADOEXPLICADOLoja aliLoja aliao ladoao ladoConfecConfecççãoãoFFáábricabricadedetecidostecidosFFáábricabricade fiode fioCLIENTECLIENTELogo, umaLogo, uma aplificaaplificaççãoãode 8 vezes mais que ade 8 vezes mais que avariavariaçção no mercado!ão no mercado!Muitas empresasMuitas empresassofrem disto, a TMCsofrem disto, a TMCnãonão éé excepexcepçção!ão!Que sugestões daria para resolver este problema?Os actuais paradigmas da SCM centram-se na melhoria do desempenho global ou local?23 de 71Sabia que…A resistência da sua cadeia de fornecimento (SC) mede-sepela resistência do elo mais fraco?E se a sua empresa (departamento ou função) é esse elo?24 de 71CAUSAS EXTERNAS DE DISTURBIOS NA SCAlteração do volume.Customers may change ordered quantity or delivery date.Alteração do mix de serviços e produtos.Customers may change the mix of ordered items.Atraso nas entregas.Late deliveries can force a switch in production schedules.Entregas parciais.Partial shipments can cause a switch in production schedule orquantity produced.Optimização de recursos (ex. transportes).
  7. 7. 25 de 71Falhas geradas internamente(ex. Avarias, problemas de qualidade).Alterações de Engenhariato the design of services or products are disruptive.Introdução de novos produtos ou serviçosdisrupt the supply chain and may require a new supply chain.Promoções de produtos e/ou serviçosmay create a demand spike.Erros de informaçãosuch as demand forecast errors, faulty inventory counts, ormiscommunication with suppliers.CAUSAS INTERNAS DE DISTURBIOS NA SC26 de 71PORQUE É TÃO DIFÍCIL EQUILIBRAR A OFERTACOM A PROCURA?Incerteza na procura e na oferta;Alteração dos pedidos do cliente;Diminuição do ciclo de vida dos produtos (e serviços);Fragmentação da propriedade da SC (muitos intervenientes);Objectivos em conflito dentro da supply chain;Até mesmo dentro de uma empresa isto acontece…Marketing/Sales wants: more FGI inventory, fast delivery,many package types, special wishes/promotionsProduction wants: bigger batch size, depots at factory,latest ship date, decrease changeovers, stable productionplanDistribution wants: full truckload, low depot costs, lowdistribution costs, small # of SKUs, stable distribution plan27 de 71O PROBLEMA DA PERDA DE VISÃO GLOBALQue sorte o buracoestar do outro lado…28 de 71A EVOLUÇÃO DO CONCEITO
  8. 8. 29 de 71CADEIA DE VALORENQUADRAMENTO DA FUNÇÃOA SCM é das mais importantes funções numaorganização dado que envolve todas as actividadesnecessárias à satisfação dos pedidos dos clientes, ouseja:Gestão da cadeiade fornecimentoGestão da cadeiaGestão da cadeiade fornecimentode fornecimentoCOMPRASCOMPRASCOMPRAS OPERAÇÕESOPERAOPERAÇÇÕESÕESFabrico ou serviçoENTREGAENTREGAENTREGA30 de 71MUDANÇA DE PARADIGMAFuncional vs ProcessosProdutos vs ClientesRevenues vs DesempenhoInventários vs InformaçãoTransacções vs RelaçõesFACTORES CRITICOSDE SUCESSO DA MODERNA SCM1. Gestão cross functional e competências de planeamento;2. Visão global da SCM;3. Capacidade para definir, medir e gerir os requisitos deserviço por segmento de mercado;4. Sistemas de Informação;5. Gestão de relações (ex. S/CRM) e orientação win-win.31 de 71INVERSÃO DO MODELO DE “SUPPLY CHAIN”ANTIGO (?) MODELOComprar MPFazer os PAMover stocks para o mercadoVender através dos retalhistasNOVO MODELOVender produtos personalizados;Mudança para a entrega baseada no consumo;Fazer apenas os produtos quando necessários (ie,just in time);Comprar com base em necessidades concretas.32 de 71NOVAS PERSPECTIVASUm novo PARADIGMA está a mudar o modocomo as empresas apresentam os produtos eserviços aos consumidoresANTIGO MODELOANTIGO MODELOANTIGO MODELO NOVO MODELO EVOLUTIVONOVO MODELO EVOLUTIVONOVO MODELO EVOLUTIVO• aposta em servir o próximoelemento da cadeia;• ênfase no baixo custo;• ênfase na Qualidade;• competir com outroselementos da cadeia;• fluxo de informação limitadoe selectivo;• optimização local;• Tamanho: o GRANDEabsorve o pequeno.• aposta em servir clientesfinais com elevado valor;• ênfase no melhor valor;• ênfase na Qualidade e noServiço;• competir com outra cadeiade fornecimento;• fluxo de informação maisaberto e mais acessível.• pensar global, agir local;• Velocidade: o rápido venceo lento..
  9. 9. 33 de 71MUDANÇASExistem muitas alterações num ambientede negócios cada vez mais dinâmicoMercados emergentes e novos canais de distribuição;Gestão global da cadeia de fornecimento;Manter a liderança numa competição global;Redução de custos/tempo operacionais da cadeia defornecimento;Maximização da utilização de recursos;Satisfação total do cliente;Novos conceitos como: total flow managementOptimização de investimentos em stocks;Gestão de riscos (ex. flutuações cambiais);34 de 71Maximizar lucros e o retorno de investimentos (ROI);Redução do time-to-market (rápidas entregas):Cumprimento de datas de entrega;Responder eficientemente a alterações e/oucancelamento de encomendas;Entregas em reduzidos lead times.Redução do time-to-money;Gerir as alterações de Engenharia(produto e processos);Admitir e manter recursos humanos com formaçãoadequada.35 de 71EXPECTATIVASEntretanto, os clientes continuam aaumentar as suas expectativas.É preciso estar atento aos sinais ...Serviço eQualidadeCapacidadede RespostaCusto Total++=SATISFAÇÃODO CLIENTE• Elevada Qualidade• Excelente Serviço• Resposta àsnecessidades docliente• Preço competitivo.36 de 71
  10. 10. 37 de 71MATURIDADEMATURIDADE Evolução da cadeia de fornecimentoAs tecnologias de informação (TI) ainda não atingiram oestado de maturação das tecnologias de fabrico (TP)Maturidade da TPMaturidadedaTIaltabaixaaltaEUASingapuraJapãoTaiwanMalásiaChinaTailândiaPortugal38 de 71Supplier CustomerRetailerDistributorManufacturerNÍVELESTRATÉGICOPLANEAMENTOOPERACIONALSupplierAppsSCMMESDemand PlanTransport execution &WMSAPSTransport & InventoryPlanningCRM &Sales ForecastAnalysisTECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO NA SC:39 de 71SABIA QUE…Eis a estrutura do EAN13:Mas há mais…QR Code (quickresponse) – é umacriação da Toyota(Denso Wave,1994)RFid (inventadoem 1948, usadoa partir dos anos1970s) porCharles Walton(Walmart)40 de 71
  11. 11. 41 de 71EVOLUÇÃO A evolução da Tecnologia de Informação (IT) demonstraum aumento de maturidade nos últimos 40 anos.Cadeiade ValorCapacidade de Resposta ao ClienteCapacidade de Resposta ao ClienteEmpresaDepartamentosLinhaShop FloorEquipamento1970s: MRP1980s: MRPII1990s: ERP2000s: SCMMAIORAMPLITUDEMAISMATURIDADE42 de 71OS DRIVERS DA SCMOs quatro elementos primários (drivers) da SCM são:1. Facilities (instalações);2. Inventory (stocks);3. Transportation;4. Information.As empresas usam estes quatros drivers para apoiar aestratégia da SC (quer seja focando na Eficiência ou nacapacidade de (quick) resposta (ie, Effectiveness).43 de 71Quick responseQual a estratégiaa seguir?44 de 711. FACILITIES DRIVERFacility (instalações) – processa ou transforma o inventárioem outros produtos/serviços, ou armazena o inventárioantes da sua emissão para a próxima instalação.As componentes primárias das instalações são:1. Localização;2. Capacidade;3. Design operacional.
  12. 12. 45 de 71Location efficiency – centralize the location to gaineconomies of scale, which increases efficiency;Location effectiveness – decentralize the locations to becloser to the customers, which increases effectiveness;Capacity efficiency – minimal excess capacity with the abilityto produce only what is required;Capacity effectiveness – large amounts of excess capacitywhich can handle wide swings in demand;Operational design efficiency – product focus design allowsthe facility to become highly efficient at producing one singleproduct, increasing efficiencyOperational design effectiveness – functional focus designallows the facility to perform a specific function on manydifferent types of products, increasing effectiveness46 de 7147 de 712. INVENTORY DRIVERInventário (stocks) – respondem às discrepânciasentre a oferta e a procura.Inventory management and control software –fornecem controlo e visibilidade sobre o status dosartigos (sku’s) mantidos em stock.Componentes primários do Inventário1. Ciclo do inventário;2. Stock de segurança.48 de 71
  13. 13. 49 de 71Transporte – move os stocks entre diferentesestágios da cadeia de fornecimento.Componentes primários associados1. Método de transporte;2. Rota de transporte.3. INVENTORY DRIVER50 de 71Global inventory management system – provides theability to locate, track, and predict the movement of everycomponent or material anywhere upstream or downstream inthe supply chain.Transportation planning software – tracks and analyzesthe movement of materials and products to ensure thedelivery of materials and finished goods at the right time, theright place, and the lowest costDistribution management software – coordinates theprocess of transporting materials from a manufacturer todistribution centers to the final customer51 de 71 52 de 714. INFORMATION DRIVERInformação – uma organização deve decidircomo e que informação quer partilhar com osseus parceiros na supply chain.Componentes primários a considerar1. Partilha de informação;2. Estratégia push vs. pull.
  14. 14. 53 de 71Information sharing efficiency – freely share lots of informationto increase the speed and decrease the costs of supply chainprocessing;Information sharing effectiveness – share only selectedinformation with certain individuals, which will decrease the speedand increase the costs of supply chain processing;Pull information strategy (efficiency) – supply chain partnersare responsible for pulling all relevant informationPull technology – pulls informationPush information strategy effectiveness – organization takeson the responsibility to push information out to its supply chainpartnersPush technology – sends information54 de 7155 de 71ANÁLISE DE UM CASO PRÁTICOA estratégia da cadeia de fornecimento da Wal-Mart’s focana Eficiencia, mas mantém um adequado nível de rapidez(effectiveness), vejamos:Facilities focus – EfficiencyInventory focus – EfficiencyTransportation focus – Effectiveness (rapidez!)Information focus - Efficiency56 de 71
  15. 15. 57 de 71CADEIA DEFORNECIMENTORÁPIDACADEIA DEFORNECIMENTOEFICIENTEPRODUTOS INOVADORESDesign inovador, novas tecnologias,reduzido ciclo de vida, elevadasmargens, procura instável.PRODUTOS FUNCIONAISDesign e procura estável eprevisível, baixas margensAS DIFERENTES POSIÇÕES ESTRATÉGICASDA CADEIA DE FORNECIMENTO58 de 71Informação selectiva, orientada aocontrolo dos processos;Reduzida partilha de informação.Dinâmica;Necessita de ser partilhada eactualizada com frequência;Necessidade de trabalhar cominformação precisa.INFORMAINFORMAÇÇÃOÃOGrandes fornecimentos e poucofrequentes;Modos de entrega lentos e económicos.Entregas frequentes;Entregas rápidas e flexíveis.TRANSPORTETRANSPORTEAlgumas localizações a servir grandesáreas geográficas.Várias localizações e proximidade com ocliente final.LOCALIZALOCALIZAÇÇÃOÃOBaixos níveis de inventário;Pouca variedade/oferta.Elevados níveis de inventário;Grande variedade de produtos eserviços.INVENTINVENTÁÁRIORIOElevada ocupação da capacidadedisponível;Processos especializados;Volume em detrimento da flexibilidade.Excesso de capacidade;Processos flexíveis;Pequenas unidades de trabalho.OPERAOPERAÇÇÕESÕESE F I C I Ê N C I AE F I C I Ê N C I AR A P I D E ZR A P I D E ZSerá possivel fazer a transição de uma estratégia para a outra?59 de 71DESAFIOS da SCM. . .OPTIMIZAOPTIMIZAÇÇÃO;ÃO;INTEGRAINTEGRAÇÇÃO;ÃO;COOPERACOOPERAÇÇÃOÃO((collaborativecollaborative networkingnetworking));;SINCRONIZASINCRONIZAÇÇÃO.ÃO.60 de 71Desafio da SCM: POSTPONEMENTRetardar, o mais possível, o ponto de diferenciação;Manter os produtos o mais “standard” possível até quesejam absolutamente necessários:Idealmente até que uma encomenda chegue…
  16. 16. 61 de 71COMPONENTES DA LEAN SCMProcessos internos lean (ie, pull flowmanagement);Rede de fornecedores lean;Lean procurement;Uniformização de práticas, sistemas ecomponentes;Integração de sistemas de informação de forma agarantir visibilidade ao longo de toda a cadeia;Comunicação entre todos os elementos(elos) da cadeia;Adopção do conceito win-win colaborativo;Partilha de boas práticas ao longo da cadeia.Desafio da SCM: ADOPTAR O LEAN62 de 71Desafios da SCM: VISÃO GLOBALNão mais a optimização local mas sim aglobal;Gerir a SC como um todo;Sincronização entre todos os elos da cadeia;Planeamento e controlo colaborativo da SC.63 de 71O APARECIMENTO DOS STOCKSINVENTARIO: Um stock de materiais usados para satisfazer a procurado cliente ou para suportar a produção ou o serviço de artigos.Scrap flowScrap flowNNíívelvel dede inventinventááriorioOutput deOutput de fluxofluxo dede materiaismateriaisInput deInput de fluxofluxo dede materiaismateriaisSKU – stock keeping unit64 de 71CLASSIFICAÇÃO DOS INVENTÁRIOSMatMatéériaria--prima (MP):prima (MP): O inventário necessário para ofabrico ou serviço de produtos acabados;WorkWork--inin--process (WIP):process (WIP): Items, como componentes ousubmontagens, necessários para produzir um produtoacabado;ProdutoProduto acabadoacabado (PA):(PA): Os items em fábrica, armazéns,zonas de retalho que estão prontos a serem entreguesaos clientes finais.
  17. 17. 65 de 71Temas a desenvolver neste domínio:• Modelo da Qee e as suas limitações• Stock de Segurança• Rotação de Stocks vs. Nível de Serviço66 de 71AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO NA SCM67 de 71MÉTRICAS DE INVENTÁRIOAverage aggregate inventory value (AGV)Average aggregate inventory value (AGV) é o valor total de todos ositems (sku) mantidos em stock numa empresa.AGVAGV = (# of A items)(Value of each A)+(# of B items)(Value of each= (# of A items)(Value of each A)+(# of B items)(Value of each B)+B)+……Weeks of supplyWeeks of supply:: Valor do inventário agregado médio dividido pelas vendassemanais ao custo.Weeks of supplyWeeks of supply ==Average aggregate inventory valueAverage aggregate inventory valueWeekly sales (at cost)Weekly sales (at cost)Inventory turnoverInventory turnover (aka Rotação de stocks).Inventory turnoverInventory turnover ==Annual sales at (cost)Annual sales at (cost)Average aggregate inventory valueAverage aggregate inventory value68 de 71OUTRAS MÉTRICAS (Kpi)Velocidade;Cycle time & lead time;On-time delivery performance;Stockouts & backorders;Fill rate;Nível de serviço (service level);Forecast accuracy;Capacidade e carga (Load);Ocupação;Outras ... consultar este site:http://www.supplychainmetric.com/
  18. 18. 69 de 71A hierarquia das métricas (kpi’s) usadasna SCM são apresentadas neste artigo daAMR (2004):https://www.google.pt/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=7&cad=rja&sqi=2&ved=0CIcBEBYwBg&url=http%3A%2F%2Fwww.concise-management.ch%2Fmedialibrary%2Fsite1%2FAMR_Research_REPORT_16962__The_Hierarchy_of_Supply_Chain_Metrics.pdf&ei=auBYUZm1I9Gy7Abn-4HIBg&usg=AFQjCNFYW3uNY3sgW61kSm3XLcLAHtnPeQ&sig2=vF8M_1M2AXye3XPuD9jU9g70 de 71Exemplos do “Annual Inventory Turnover”Food, Beverage, Retail ManufacturingAnheuser Busch 15 Dell Computer 90Coca-Cola 14 Johnson Controls 22Home Depot 5 Toyota (overall) 13McDonald’s 112 Nissan (assembly) 150Inventoryturnover =Cost of goods soldInventoryinvestment71 de 71Fonte: 2011 Pearson Education, Inc. publishing as Prentice HallSUPPLY CHAIN ECONOMICSSUPPLY CHAIN ECONOMICScustoscustos dada supply chainsupply chain emem % das% das vendasvendasACTIVIDADE ECONÓMICA % das vendasAll industry 52Automobile 67Food 60Lumber (madeira) 61Paper 55Petroleum 79Transportation 6272 de 71MODELO DE AVALIAMODELO DE AVALIAÇÇÃOÃOParticipação em sala – 15% (individual);Assiduidade;Participação e colaboração.Trabalho em grupo em sala – 35%Análise e apresentação de um case study (15 min);Exercícios práticos.Trabalho prático (max. 2 pax) – 50%Desenvolvimento teórico-prático de um tema a propor,ver páginas que se seguem.A apresentar na 29ª e 30ª hora do módulo;Dead line: no 7º dia após a conclusão do módulo.NOTA: no site de suporte existe um documentode orientação para a elaboração dos trabalhosescritos e o relatório final do MBA
  19. 19. 73 de 711. O GRUPO INDITEX2. O IKEA3. A MCDONALDS4. A WAL MART5. A DHL ou FEDEX6. AS FARMÁCIAS7. A AMAZON8. A PARFOIS9. A TESCOOutra sugestão ________CASE STUDIESResearch questions• Que boas práticas SCM?• Que posso aplicar à minha empresa?Grupos de duas pax no máximoMax. 15 minutos de apresentaçãohttpshttps://://sites.google.comsites.google.com/site//site/cltmbascmcltmbascm 74 de 71TEMAS DOS TRABALHOS PRÁTICOS1. O plano logístico nacional;2. O Scorecard da SCM – aplicação a um dadosector de actividade (este trabalho pode serrepetido);3. Sistemas informáticos de apoio à gestão da SC(ex. RFID, SIGs, AS/RS, GPS, etc.);4. Tecnologias de informação no domínio da SCM;5. SCOR: O modelo de design e análise da SCM;6. A colaboração na cadeia de fornecimento;7. Desenvolvimento de Fornecedoresapresentação de um caso prático;8. O Modelo CPFR (collaborative planning and…)NOTA: no site de suporte existe um template quepode ser usado na apresentação e defesa dostrabalhos práticos75 de 71Este documentoEste documento éé propriedade da CLTpropriedade da CLT ServicesServicesNão poderNão poderáá ser reproduzido e/ou usado sem autorizaser reproduzido e/ou usado sem autorizaçção prão préévia e escrita do seuvia e escrita do seuproprietproprietáário. Pedidos de informario. Pedidos de informaçção e autorizaão e autorizaçção atravão atravéés do email:s do email:mgt@cltservices.netmgt@cltservices.net .. Quando usado em trabalhos acadQuando usado em trabalhos acadéémicos devermicos deveráá serserreferenciado do seguinte modo:referenciado do seguinte modo:PINTO JPO, 2013.PINTO JPO, 2013. SupplySupply ChainChain ManagementManagement.. ComunidadeComunidade LeanLean ThinkingThinking..

×