Homossexualidade na Visão Espírita

7.578 visualizações

Publicada em

Aula do GEI - Grupo de Estudos para Iniciantes no Centro Espírita Joseph Gleber

0 comentários
9 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
7.578
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
18
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
385
Comentários
0
Gostaram
9
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Homossexualidade na Visão Espírita

  1. 1. 1
  2. 2. 2 Homossexualidade: tendência Homossexualismo: prática A homossexualidade é a condição do indivíduo naqual sua preferência sexual, tanto afetiva comogenital, está direcionada para parceiros do mesmosexo. Bissexualidade: condição de quem apresentacaracterísticas de ambos os sexos. Heterossexualidade: tendência ou prática de relaçãoamorosa e/ou sexual entre indivíduos de sexo oposto. Transexualismo: Desejo que leva o indivíduo a quererpertencer ao sexo oposto, cujos trajespode, até, adotar, além de esforçar-se tenazmente nosentido de se submeter a intervenção cirúrgicavisando a transformação sexual.
  3. 3. 3O que diz a Ciência:A homossexualidade deixou de ser consideradadoença pela Associação Americana de Psiquiatria em1973.Para a ciência a homossexualidade não precisa de"cura", visto não ser uma doença. Hoje é consideradaapenas como uma "orientação sexual" dentro de uma"diversidade".No Brasil, em 1985, o Conselho Federal dePsicologia deixou de considerar a homossexualidade comoum desvio sexual e, em 1999, estabeleceu regras para aatuação dos psicólogos em relação às questões deorientação sexual.
  4. 4. 4O Livro dos Espíritos – Allan KardecSexo nos EspíritosQuestão 202. Quando errante, que prefere oEspírito; encarnar no corpo de um homem, ou node uma mulher?“Isso pouco lhe importa. O que o guia naescolha são as provas por que haja de passar.”
  5. 5. 5O Livro dos Espíritos – Allan KardecSexo nos EspíritosComentário de Allan Kardec:Os Espíritos encarnam como homens oucomo mulheres, porque não têm sexo.Visto que lhes cumpre progredir emtudo, cada sexo, como cada posição social, lhesproporciona provações e deveres especiaise, com isso, ensejo de ganharem experiência.Aquele que só como homem encarnasse sósaberia o que sabem os homens.
  6. 6. 6Revista Espírita de 1866 – Allan Kardec1. O Espiritismo ensina que as almas podemanimar corpos de homens e mulheres.As almas ou Espíritos não têm sexo; asafeições que os unem nada têm de carnal;fundam-se numa simpatia real e, por isso, sãomais duráveis.Obra citada, págs. 2 e 3
  7. 7. 7Revista Espírita de 1866 – Allan Kardec2. Os sexos só existem no organismo; sãonecessários à reprodução dos seres materiais;mas os Espíritos não se reproduzem uns pelosoutros, razão por que os sexos seriam inúteis nomundo espiritual.Obra citada, págs. 2 e 3
  8. 8. 8Revista Espírita de 1866 – Allan Kardec3. A natureza fez o indivíduo do sexo femininomais fraco que o outro, porque os deveres quelhe incumbem não exigem uma igual forçamuscular e seriam até incompatíveis com arudeza masculina.Aos homens e às mulheres são, assim,assinados pela Providência deveres especiais,igualmente importantes na ordem das coisas,pois eles se completam um pelo outro.Obra citada, págs. 2 e 3
  9. 9. 9Revista Espírita de 1866 – Allan Kardec4. A influência que o Espírito encarnado sofre doorganismo não se apaga imediatamente após adestruição do invólucro material, assim comonão perdemos instantaneamente os gostos ehábitos terrenos. Pode acontecer ainda que oEspírito percorra uma série de existências nomesmo sexo, o que faz que durante muitotempo possa conservar, na erraticidade, ocaráter de homem ou de mulher, cuja marcanele ficou impressa.Obra citada, pág. 4
  10. 10. 10Revista Espírita de 1866 – Allan Kardec5. Se essa influência se repercute da vidacorporal à vida espiritual, o fato se dá tambémquando o Espírito passa da vida espiritual para acorporal.Obra citada, pág. 4
  11. 11. 11Revista Espírita de 1866 – Allan Kardec6. Numa nova encarnação trará o caráter e asinclinações que tinha como Espírito.Mudando de sexo, poderá então conservar osgostos, as inclinações e o caráter inerente aosexo que acaba de deixar.Assim se explicam certasanomalias aparentes, notadas no caráter decertos homens e de certas mulheres.Obra citada, pág. 4
  12. 12. 12Revista Espírita de 1866 – Allan KardecPor anomalias aparentes, podemosentender o fato de existirem mulheres másculasque se comportam como verdadeiros homens, evice-versa, independentemente de manterem ounão relações sexuais.Obra citada, pág. 4
  13. 13. Vida e Sexo – Emmanuel – Chico Xavier• A homossexualidade, hoje chamada tambémtransexualidade, definindo-se, no conjuntode suas características, por tendência dacriatura para a comunhão afetiva com outracriatura do mesmo sexo, não encontraexplicação fundamental nos estudospsicológicos de base materialista, mas éperfeitamente compreensível à luz dareencarnação.(Obra citada, pág. 89)
  14. 14. Vida e Sexo – Emmanuel – Chico Xavier• Embora a sociedade terrena seja constituída,em sua maioria, por criaturas heterossexuais,o mundo vê, na atualidade, em todos ospaíses, extensas comunidades de irmãos emexperiências dessa espécie, somandomilhões de homens e mulheres solicitandoatenção e respeito, em pé de igualdade aorespeito e à atenção devidos aosheterossexuais.(Obra citada, pág. 89 e 90)
  15. 15. Vida e Sexo – Emmanuel – Chico Xavier• A vida espiritual pura e simples rege-se porafinidades eletivas essenciais; contudo,através de milênios e milênios, o Espíritopassa por fieira imensa de reencarnações,ora em posição de feminilidade, ora emcondições de masculinidade, o quesedimenta o fenômeno da bissexualidade,mais ou menos pronunciado, em quase todasas criaturas.(Obra citada, pág. 90)
  16. 16. Vida e Sexo – Emmanuel – Chico Xavier• O homem e a mulher serão, assim, de maneirarespectiva, acentuadamente masculino ouacentuadamente feminina, sem especificaçãopsicológica absoluta. Em face disso, a individualidadeem trânsito da experiência feminina para amasculina, ao envergar o corpo físico, demonstraráfatalmente os traços da feminilidade em que teráestagiado por muitos séculos, em que pese o corpode formação masculina que a segregue, verificando-se o mesmo com referência à mulher em igualsituação.(Obra citada, pág. 91)
  17. 17. Vida e Sexo – Emmanuel – Chico Xavier• O Espírito, ao renascer entre os homens,pode, obviamente, tomar um corpo femininoou masculino, atendendo-se ao imperativode encargos particulares em determinadosetor de ação, ou ao cumprimento deobrigações regenerativas.(Obra citada, pág. 91)
  18. 18. Vida e Sexo – Emmanuel – Chico Xavier• O homem que abusou das faculdadesgenésicas, arruinando a existência de outraspessoas com a destruição de uniões construtivase lares diversos, é em muitos casos induzido abuscar nova posição, no renascimento físico, emcorpo morfologicamentefeminino, aprendendo, em regime de prisão, areajustar os próprios sentimentos, ocorrendo omesmo com a mulher que tenha agido de igualmodo.(Obra citada, pág. 91)
  19. 19. Vida e Sexo – Emmanuel – Chico Xavier• Em muitos casos, Espíritos cultos esensíveis, aspirando a realizar tarefasespecíficas na elevação de agrupamentoshumanos e na elevação de si próprios, rogamdos Instrutores espirituais que os assistem aprópria internação no campo físico, emvestimenta carnal oposta à estruturapsicológica pela qual transitoriamente sedefinem.Obra citada, pág. 91 e 92
  20. 20. Vida e Sexo – Emmanuel – Chico Xavier• Observadas as tendências homossexuais doscompanheiros reencarnados nessa faixa deprova ou de experiência, é forçoso se lhes dê oamparo educativo adequado, tanto quanto seadministra instrução à maioriaheterossexual, sabendo-se que todos osassuntos nessa área da evolução e da vida seespecificam na intimidade da consciência decada um.Obra citada, pág. 92
  21. 21. 21Em declaração ao Jornal Folha Espírita de 1984, Chico disse:“Não vejo pessoalmente qualquer motivo para criticasdestrutivas e sarcasmos incompreensíveis para com nossosirmãos e irmãs portadores de tendências homossexuais, anosso ver, claramente iguais às tendências heterossexuaisque assinalam a maioria das criaturas humanas.Em minhas noções de dignidade do espírito, não consigoentender porque razão esse ou aquele preconceito socialimpediria certo numero de pessoas de trabalhar e de seremúteis à vida comunitária, unicamente pelo fato de haveremtrazido do berço características psicológicas e fisiológicasdiferentes da maioria. (…)
  22. 22. 22Vídeo “Homossexualismo e perturbações sexuais”Pinga Fogo com Chico Xavier - 1971
  23. 23. 23CONCLUSÃO: A Doutrina Espírita é libertadora por excelência.• Não impõe - esclarece• Não julga - compreende• Não condena - educa• Consola e indica caminhosA homossexualidade é apenas uma estágioevolutivo e o que vale para Deus são asintenções e sentimentos de seus filhos.
  24. 24. 24CONCLUSÃO: A Doutrina Espírita não condena ahomossexualidade; ao contrário, a respeita.Como o Pai me amou, também eu vos amei;permanecei no meu amor.João 15:9"O mundo vê, na atualidade, em todos ospaíses, extensas comunidades de irmãos emexperiência dessa espécie [homossexual], somandomilhões de homens e mulheres, solicitando atençãoe respeito, em pé de igualdade devidos às criaturasheterossexuais".
  25. 25. 25CONCLUSÃO: A Doutrina Espírita não condena ahomossexualidade; ao contrário, a respeita.A recomendação do Espiritismo para o respeito e acompreensão para com os irmãos homossexuaisocorre não só em função do sentimento de fraternidadeou caridade que deve presidir o relacionamentohumano, mas igualmente pelo fato de que nenhum denós tem autoridade suficiente para condenar quemquer que seja, pois todos temos dificuldades moraise/ou materiais graves que precisam de educação.
  26. 26. 26CONCLUSÃO: A Doutrina Espírita não condena ahomossexualidade; ao contrário, a respeita.Não julgueis, pois, para não serdes julgados;porque com o juízo que julgardes os outros, sereisjulgados; e com a medida com que medirdes, vosmedirão também a vós.Mateus, 6: 1-2
  27. 27. 27CONCLUSÃO: Tanto o homossexual como o heterossexualdevem buscar a sua reforma interior.Para a Doutrina Espírita o homossexualismo é apenasum estágio evolutivo que não fere as Leis Divinase muito menos se trata de um equívoco do Criador.Mas a sede real do sexo não se acha no veículofísico, porém na estrutura complexa do espírito. É poresse prisma que devemos encarar as questõesrelacionadas ao sexo.
  28. 28. 28CONCLUSÃO:“A coletividade humana aprenderá, gradativamente, acompreender que os conceitos de normalidade e deanormalidade deixam a desejar quando se tratesimplesmente de sinais morfológicos.”Vida e Sexo“O que vale é a reformaíntima, independente da orientação sexual.
  29. 29. 29CONCLUSÃO: A homossexualidade transcende em simesmo a simples questão da permutasexual.Emmanuel, afirma que nossa Terra não possuielemento humano em condições de se dizer “dono daverdade” no tema sexualidade, pois todos temos um“telhado de vidro” e o nosso posicionamento poderáser hipócrita ao querermos julgar ou ensinar o queainda não vivenciamos.Vida e Sexo - Introdução
  30. 30. 30FONTES:1. “A Visão Espírita da Homossexualidade” - Dr.Roberto Lúcio Vieira de Souza - AssociaçãoMédico-Espírita do Brasil2. Vida e Sexo – Emmanuel – Chico Xavier.3. O Livro dos Espíritos - Allan Kardec4. Conduta Espírita – André Luiz – Chico Xavier5. Sites e Blogs Espíritas Diversos6. Dicionários Aurélio e Houaiss

×