SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 19
Baixar para ler offline
Projeto Juventude Cidadã
“Afeto Nosso de Cada Dia”

     Com o Projeto Juventude Cidadã, a FEMC cumpre a sua
  responsabilidade social através de muitas ações de cidadania,
   desenvolvidas por professores, e funcionários mantidos pela
                            Instituição.
Missão:

Contribuir para o desenvolvimento integral do ser humano e da sociedade.




                                                                           2
1. DADOS SOBRE A INSTITUIÇÃO
1.1 - DADOS GERAIS
    Nome FUNDAÇÃO EDUCACIONAL MONTES CLAROS
    CNPJ 18.143.164.0001.33                    Telefone   (038)3223 5777
        Fax (38) 3223.5664                       E-mail   femc@femc.edu.br
        Site www.femc.edu.br
Endereço PRAÇA DA TECNOLOGIA 77
        CEP 39400-315                           Cidade    MONTES CLAROS             Estado    M.G


1.2 - CERTIFICADOS, TÍTULOS E REGISTROS
                      Registrado no Cartório de Registro Civil das Pessoas Jurídicas da Comarca de
                      Montes Claros, Minas Gerais, no Livro de n° A-3 fls. 220, registro 0014/76,
                      protocolo 0023/76, datado de 16/03/76.
                      Averbações: Livro A-7, registro n° 2416/94 de 07/12/1994
Data de Fundação
                                    Livro A-8, registro n° 6272/00 de 02/09/2000
                                    Livro A-14, registro n° 10.885/05 de 06/08/2005
                                    Livro A-14, registro n° 10.965/05 de 31/10/2005

Número, data e validade da inscrição no Conselho Municipal de Assistência Social:
0226-2003 de: 27/12/2007, valido até 27/12/2008.

Registro no Conselho Nacional de Assistência Social:
1° Registro: 257.620/76, em 03/07/78
Recadastramento: Resolução n° 214 de 19/12/96, publicada no Diário Oficial da União em 24/12/96,
Seção I, julgando o processo n° 44006.000289/95-44

Reconhecimento de Utilidade Pública Municipal:
Resolução n° 240 de 23/03/1977, Câmara Municipal de Montes Claros

Reconhecimento de Utilidade Pública Estadual:
Lei n° 7.294 de 13/07/78, publicada no Jornal Minas Gerais em 14/07/78

Reconhecimento de Utilidade Pública Federal:
Portaria n° 1.312 de 31 de Julho de 2005 – Processo MJ n° 08026.000448/2006-41

PRÊMIOS RECEBIDOS:

    •     “Projeto de Excelência em Cidadania” - FIEMG
    •     “Prêmio Ouro em cidadania” – FUNDAMIG
    •     “Prêmio Klick em cidadania “ – UNDIME/CONSEDE SP
    •     “Qualidade em Cidadania – Programa Mineiro da Qualidade e Produtividade”




                                                                                                     3
1.3 - DADOS BANCÁRIOS
   Banco 389                  Agência   0077                Conta Corrente      02073800-9


1.4 - NOME E CARGO/FUNÇÃO DO PRINCIPAL REPRESENTANTE
              Nome Ângela Maria de Carvalho Veloso
      Cargo/Função Diretora Superintendente
Telefone de Contato 38.3223.5777


1.5 - HISTORICO (COMO, ONDE E PORQUE SURGIU)
A Fundação Educacional Montes Claros – FEMC -, mantenedora do Centro de Educação
Tecnológica de Montes Claros, do Centro Educacional Montes Claros e da Faculdade de
Ciência e Tecnologia – FACIT -, cujos professores e funcionários mantidos pela Instituição
integram o Projeto Social Juventude Cidadã, é uma instituição privada, sem fins lucrativos, que
tem por objetivo o equacionamento e encaminhamento de assuntos relacionados com o
amparo à cultura, à educação, à tecnologia e à pesquisa científica, voltados para o
aproveitamento, transformação e aprimoramento de recursos da região, com vistas ao seu
pleno desenvolvimento sócio-econômico e conseqüente aumento da qualidade humana e
tecnológica da sua população.

A Fundação Educacional Montes Claros, considerando que a educação tem como propósito
estimular, ampliar e enriquecer as capacidades de experimentar, observar, analisar,
empreender, compreender, intervir, criar, construir, liderar e interagir; aprendizagens essas,
essenciais para a formação de cidadãos autônomos, críticos, participativos, capazes de atuar,
com competência, dignidade e responsabilidade na sociedade em que vivem, propõe a
realização de atividades que estimulem a criatividade, a iniciativa, o relacionamento, a
responsabilidade, revitalizando as relações de ensino e aprendizagem e favorecendo o
crescimento pleno do aluno, principalmente no aspecto social.

Aprender a ser, aprender a conviver, aprender a aprender, aprender a fazer e aprender a
empreender são os cinco pilares que sustentam o projeto pedagógico da instituição,
considerado como o caminho mais eficaz para o desenvolvimento das habilidades,
competências e atitudes dos alunos, necessários à sua vivência plena como cidadãos e
adquiridos no exercício de ações concretas de cidadania, numa efetiva integração com a
comunidade.

Ao serem reconhecidas por toda a comunidade e por instituições de nível Estadual e Federal
como uma “iniciativa de excelência em cidadania”, essas ações foram organizadas e
sistematizadas, recebendo a denominação de Projeto Juventude Cidadã, compondo o Projeto
Pedagógico da Instituição - PPI.

O Projeto Juventude Cidadã da Fundação Educacional Montes Claros é um conjunto de
atividades de cunho cívico e sócio-educativo, que visa promover condições que favoreçam o
desenvolvimento de comunidades em situação de vulnerabilidade social, através de ações
concretas de cidadania realizadas por profissionais mantidos pela FEMC.




                                                                                                  4
1.6 – PARCEIROS ATUAIS
Governamentais
Parceiros da Fundação Educacional Montes Claros:
FAPEMIG – Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais,
FIEMG – Federação das Indústrias de Minas Gerais,
UNIMONTES – Universidade Estadual de Montes Claros,
Prefeitura Municipal de Montes Claros,
UFMG – Universidade Federal de Minas Gerais,
Cia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais – Codemig – CNPJ: 19.791.581/0001-55,
Cemig Distribuição S/A – CNPJ: 06.981.180/0001-16,
Cia de Saneamento de Minas Gerais – Copasa – CNPJ: 17.281.106/0056-87,
Governo do Estado de Minas Gerais.
Parceiros do Projeto Juventude Cidadã:
UNIMONTES – Universidade Estadual de Montes Claros,
Prefeitura Municipal de Montes Claros,
Escola Estadual Filomeno Ribeiro
55º Batalhão de Infantaria Dionísio Cerqueira

Não-Governamentais
Parceiros da Fundação Educacional Montes Claros (Integram o Conselho Administrativo):
Cia de Tecidos Norte de Minas – Coteminas – CNPJ: 22.677.520/0011-48, Lafarge Brasil S/A – CNPJ:
61.403.127/0122-33, Novo Nordisk Produção Farmacêutica do Brasil Ltda – CNPJ: 16.921.603/0001-66,
Vallée S/A – CNPJ: 20.557.161/0001-98, Irmãos Nogueira Gontigo Ltda – CNPJ: 30.543.088/0001-98,
Minas Peças Ltda – CNPJ: 22.661.698/0001-29, Biomm S/A – CNPJ: 04.752.991/0002-09, Montcar
Veículos e Garagem Ltda – CNPJ: 23.895.659/0001-59, Melo Hotéis Ltda – CNPJ: 01.200.345/0001-51,
Cia de Tecidos Santanense – CNPJ: 21.255.567/0001-89, Comercial de Alimentos Marbaty Ltda – CNPJ:
05.062.202/0001-81,
Parceiros do Projeto Juventude Cidadã:
Auto Lotação Princesa do Norte - ALPRINO




2. DADOS SOBRE O SUBPROJETO
2.1 - NOME DO PROJETO
JUVENTUDE CIDADÃ
2.2 - NOME DO SUBPROJETO




                                                                                                    5
“AFETO NOSSO DE CADA DIA”


2.3 - APRESENTAÇÃO DO PROJETO JUVENTUDE CIDADÃ


Como se Promove a Responsabilidade Social na Fundação Educacional Montes
Claros

O Projeto Juventude Cidadã surgiu em 1998, envolvendo professores e funcionários mantidos
pela própria Fundação.
Após a realização de pesquisas, foram detectados problemas, tais como, carência financeira,
afetiva e educacional e traçadas estratégias e programas para promover a melhoria dessa
situação.

Foi definido como público alvo do Projeto os bairros Cidade Industrial (Favela Coberta Suja)
Cidade Cristo Rei (Favela Feijão Semeado), e instituições públicas e privadas da cidade de
Montes Claros, como escolas municipais e estaduais, Orfanato, APAE – Associação de Pais e
Amigos dos Excepcionais -, Fundação Sara (de apoio a crianças e adolescentes com câncer e
deficiência hematológica), Asilo.




                                                                                               6
2.4 – AÇÕES GERAIS

 Ações gerais desenvolvidas pela Fundação Educacional Montes Claros e suas unidades educacionais,
abrangendo a população carente da cidade de Montes Claros:

     Ação Cidadã, usando a metodologia da Ação Global;
     Visitas a creches e asilos visando a conservação física destes locais através de manutenção
      elétrica e eletrônica.
     Cursos de Eletricista Instalador para alunos de escolas públicas.
     Campanha de combate e prevenção ao uso de drogas.
     Atividades recreativas junto às crianças da APAE.
     Auxílio ao TRE na capacitação de multiplicadores para a utilização das urnas eletrônicas.
     Atendimento à população do Bairro Cidade Industrial (Coberta Suja):
          Pesquisa de campo para levantamento de dados sobre as reais necessidades do bairro.
           (Problemas detectados: carência financeira, afetiva e educacional).
          Distribuição de brinquedos, roupas e calçados no período do Natal.
          Distribuição de cestas básicas.
          Atividades de Esportes e Lazer para 300 crianças;
          Atividades comemorativas – (Natal, Dia das Crianças) com música, brincadeiras e
           distribuição de presentes;
          Curso de Pedreiro e Servente.
       Para a Escola do Bairro: Cursos de informática (noções básicas) para 155 alunos e seus
           professores ; Promoção de momentos de lazer através de exibição de filme para os alunos,
           Aquisição de livros para a biblioteca da escola ; Curso de Afetividade e Sexualidade para os
           pais das crianças e adolescentes destacando a importância da vivência plena de sua
           afetividade e sexualidade, para melhoria da qualidade de sua vida e dos filhos; Curso de
           Sexualidade e Afetividade para 150 rianças e adolescentes ; Curso de Eletricidade para os
           pais das crianças e adolescentes Qualificação dos professores em Informática Básica,
           sexologia, combate às drogas e etc.
     Informatização da conferência do Rotary 1999 e 2000.
     Projeto da área de Ciências Exatas: Jogos Construtivos para Escolas Públicas.
     Projeto da área de Ciências Biológicas: Saúde coletiva para Escolas Públicas.
     Projeto Informática ao Alcance de Todos:
           Curso de Informática Básica para 14 menores infratores;
     Qualificação de 80 adolescentes no curso de Eletricidade (Eletricista Instalador);
     Conscientização, através de palestras e debates, de 300 adolescentes sobre as implicações do
      uso de drogas;
     Curso de Sexualidade e Afetividade e Informática Básica para os professores da Escola Municipal
      do Bairro Cidade Cristo Rei.
     Elaboração de Softwares para instituições públicas e filantrópicas.

  Dessas ações praticadas, conjuntas ou isoladas, vários subprojetos surgiram como o “Afeto
  nosso de Cada Dia” e o “ Inclusão Digital”.

  Através do subprojeto “Inclusão Digital”, o Lar Nossa Senhora do Perpétuo Socorro,
  conhecido como Orfanato, já recebeu a doação de um site desenvolvido por professores e
  alunos da FACIT – Faculdade de Ciência e Tecnologia de Montes Claros (Unidade da
  FEMC). Outras ações que serão desenvolvidas são a elaboração de um Software para
  gerenciamento de dados dessa instituição e a realização de aulas de informática para as
  crianças internas, com idade entre 08 e 13 anos, sob a orientação e responsabilidade de
  profissionais mantidos pela Fundação.Além do Lar Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, a
  Fundação Hospitalar Dílson de Quadros Godinho também será o próximo alvo das ações
  do projeto Inclusão Digital, recebendo aulas de Informática e outras orientações repassadas
  por profissionais da FEMCa crianças e adolescentes pacientes da Hemodiálise.




                                                                                                          7
2.5 - APRESENTAÇÃO DO SUBPROJETO “AFETO NOSSO DE CADA DIA”


Atualmente 150 crianças e adolescentes são assistidos pelo “Afeto Nosso de Cada Dia” e
recebem, de segunda a sexta-feira, no contra turno escolar, num período de quatro horas
diárias, aulas de reforço e acompanhamento escolar; aulas de informática, dança, teatro e
coral, práticas de esporte e lazer. São realizadas palestras educativas sobre sexualidade,
afetividade e outros temas. O Projeto mantém, ainda, o grupo de dança “Ginga Mineira”, grupo
que já se apresentou em diversos festivais como o Festival Internacional do Folclore em
Montes Claros e, constantemente,recebe convites para apresentações em aberturas de
eventos na cidade, o que eleva consideravelmente a auto-estima dos integrantes e amplia as
perspectivas de um futuro melhor.

Além dessas ações, a FEMC oferece a todos esses jovens, ao iniciarem o segundo ano do
Ensino Médio, bolsa integral para cursarem o Curso Técnico. Vários alunos do subprojeto
“Afeto Nosso de Cada Dia” já estão cursando o Curso Técnico com bolsa integral; o Setor de
Integração Escola Empresa, da FEMC, mantém parcerias com empresas para o
encaminhamento desses Jovens ao trabalho, através do Programa Primeiro Emprego e
estágios supervisionados .

Essas ações se traduzem em benefícios incontáveis para as crianças e adolescentes
assistidos pelo Projeto e subprojetos, como os constatados nos relatórios de avaliação e
acompanhamento da Assistente Social da Fundação Educacional Montes Claros e
reconhecidos pela sociedade, através de depoimentos das autoridades e da mídia escrita,
falada e televisada.




                                                                                               8
2.6 - JUSTIFICATIVA
Tendo em vista a constatação da presença de fatores limitantes para um pleno
desenvolvimento pessoal e social na comunidade pesquisada e das implicações dessa
situação para toda a sociedade, e que, a escola e a família não têm conseguido responder a
essa problemática, apresenta-se a necessidade de desenvolver instrumentos de intervenção
para provocar mudanças e buscar soluções para os problemas encontrados.
A seleção do público alvo e a escolha dos objetivos desse projeto basearam-se na perspectiva
de desenvolvimento de novas relações entre os seres humanos, através de processos que
resgatem sua auto-estima e melhorem sua capacidade de se comunicar, de conviver, de
respeitar as diferenças individuais e culturais, de amar e de lutar pela cidadania. Foi
considerada também a capacidade de realização e atendimento desta instituição com vistas ao
efetivo alcance dos resultados.
As ações aqui propostas visam promover condições para a formação da base-conceitual para
o pleno desenvolvimento pessoal e social apresentada abaixo:

                                             Com essa iniciativa a Fundação Educacional
                                             Montes Claros espera contribuir para a
                                             formação de uma nova geração capaz de
                                             protagonizar a transformação das suas próprias
                                             perspectivas de vida e da realidade social de
                                             sua comunidade.

                                             A FEMC, mantenedora do projeto, investe na
                                             sustentabilidade do Projeto, e em sua
                                             expansão, arcando com as despesas com
                                             profissionais, estrutura física, organizacional e
                                             laboratorial, o que garante sua qualidade e
                                             eficácia no combate à exclusão social. Mas
                                              são muitas as dificuldades encontradas no dia
Escada do Desenvolvimento Humano e
                                              a dia, principalmente no que se refere à
Social de Antonio Carlos Gomes da Costa.
                                              aquisição de materiais e equipamentos de
                                              apoio logístico, devido ao alto custo.




                                                                                                 9
2.7 – OBJETIVOS
Geral


Oferecer a 150 crianças do Bairro Cidade Cristo Rei (Favela Feijão Semeado), em situação de
vulnerabilidade social, condições que favoreçam o resgate da sua auto-estima, através de
serviços complementares ao Ensino Fundamental, atividades artísticas, esportivas e lazer,
educação afetiva e sexual, contribuindo para melhoria da vida de toda a comunidade, além de
possibilitar aos alunos da escola o conhecimento e compreensão da realidade social, a
percepção de seus direitos e responsabilidades em relação à vida pessoal coletiva e ambiental
e a vivência das diferentes formas de inserção social, política e cultural

Específicos
     Promover oficinas de arte, recreação e treinamentos esportivos para 80 crianças do BAIRRO
     CIDADE CRISTO REI oportunizando o despertar da criatividade, a saúde corporal e mental, a
 01. vivência do lúdico, para o desenvolvimento integral e harmonioso do indivíduo;
     Promover cursos de treinamento para as 150 crianças da comunidade na área de Informática
 02. Básica, promovendo sua inclusão digital;
     Promover encontros com a participação de 150 crianças da comunidade para debates sobre a
     vivência plena de sua afetividade e sexualidade, desenvolvendo uma postura de respeito ao
     próprio corpo e ao do outro, para a formação de sua auto-estima e conseqüente integridade
 03. pessoal e social;
        Promover encontros entre pais das 150 crianças do bairro para debates sobre a importância da
        vivência plena de sua sexualidade e afetividade, desenvolvendo uma postura de respeito ao
        próprio corpo e ao do outro, para a formação da sua auto-estima, possibilitando-lhes assim o
        acompanhamento e participação no desenvolvimento integral dos filhos;
 04.
     Montar uma biblioteca comunitária com 1000 livros no Bairro Cidade Cristo Rei, para atender às
 05. crianças, e incentivar a leitura, com oficinas permanentes;
 06. Montar oficina permanente de reforço escolar, para 150 crianças;
     Montar oficina permanente de corte e costura para as mães das 150 crianças, oportunizando
 07. assim aumento da renda familiar e conseqüente melhoria das condições de vida das famílias.
     Garantir bolsa de estudo integral no curso técnico para todas as 150 crianças do subprojeto Afeto
 08. Nosso de Cada Dia e encaminhá-las para estágio e emprego.


2.8 – ÁREA DE COBERTURA
(Estados, Municípios, Regiões e/ou Bairros Onde o Projeto Irá Atuar)


Bairro Cidade Cristo Rei diretamente e indiretamente outros bairros periféricos, escolas
públicas, asilos, orfanatos e instituições públicas e privadas da cidade de Montes Claros.

2.9 – PÚBLICO ALVO
       Crianças (De 00 a 07 anos) 0
       Crianças (De 07 a 12 anos) 100
Adolescentes (De 12 a 18 anos) 43
        Jovens (De 18 a 29 anos) 07




                                                                                                         10
2.10 – NÚMERO E DESCRIÇÃO TOTAL DE BENEFICIÁRIOS
Diretos
150 crianças atendidas diretamente pelo projeto Afeto Nosso de Cada Dia e mais os pacientes
atendidos pela Fundação Hospitalar Dílson de Quadros Godinho, nos setores de Hemodiálise
e Oncologia..

Indiretos
273 famílias, ou seja, 1.574 moradores atendidos indiretamente pelo projeto.



2.11 – PROFISSIONAIS CONTRATADOS
Quantidade       Função         Breve Descrição das Atividades
                                Promove o envolvimento das crianças e adolescentes com
                                toda a comunidade da FEMC. Planeja, organiza, acompanha e
                                avalia suas práticas, coordena grupos e inclui novas parcerias,
                                identifica organizações que já vêem trabalhando no social,
    01       coordenadora       constrói redes, potencializa ideais e esforços. Ela tem como
                                características principais a capacidade de se relacionar bem
                                com o outro, disponibilidade, a vivência plena dos valores de
                                responsabilidade social.
                                Promove atividades de educação afetivo-sexual e religiosa.
                                Morador do bairro, líder das crianças, dos jovens e
    01
                                adolescentes, exímio dançarino da Dança de Rua –
             Instrutor
                                Ministra aulas de dança e artes para os alunos do Projeto.

                                Promove a interação da família com a escola, e melhorias
                                na relação educacional, refletindo com a família sobre a
                                importância da proteção, afetividade e educação.Realiza
             assistente
    01                          visitas às famílias para levantamento de dados,
             social
                                acompanhamento e avaliação, e participa das atividades
                                diárias desenvolvidas na instituição.

                                       Atendem os alunos promovendo, semanalmente,
    03       Professores de            oficinas, aulas práticas, apresentações e demais
             educação física,          atividades educativas, além de estruturar e elaborar
             literatura, informática   o material didático.

             assistente                Registra e organiza os dados e informações dos
    01
             administrativa            alunos, do projeto e dos profissionais envolvidos.
             assistente de serviços    Prepara e organiza o lanche e o ambiente físico.
    01
             gerais




                                       Acompanham o instrutor de dança e artes e os
             Monitores de apoio
    20                                 professores de informática, robótica educação física,
             pedagógico
                                       literatura e canto.




                                                                                                  11
Professor de Canto -        Musicalidade : Voz e percursão. Realização de oficinas
           Reinilson Nogueira          de arte em que os alunos pesquisam as origens dos
           Santos, funcionário da      instrumentos de percussão e aprendem a confeccioná-
           FEMC.                       los artesanalmente.
           Professor de                Aulas semanais de canto/coral para os 100 alunos do
           Percusssão: Arlei           projeto.
           Nogueira Santos             Aulas de Robótica.
   04      Professor de Robótica       Atividades de educação religiosa.
           – Murilo Rodrigues
           Pereira,
           Funcionário da FEMC
           Professora Maria
           José de Carvalho
           Pereira, funcionária
           da FEMC
                                       Monitora as oficinas de arte. Ministram aulas semanais
           Monitores de música
   06                                  de canto/coral para os 150 alunos do projeto.
           e canto

   01      Bibliotecária - Elciax      Coordena as oficinas de Canto do Conto – Incentivo à leitura.
           Cristina – Funcionária
           da FEMC
   01      Diretor    Administrativo
           Financeiro    -   Lucas
                                       Capta e administra recursos
           Lopes Ferreira Pinto,
           funcionário da FEMC




2.12 – METODOLOGIA




                                                                                                       12
Antes de iniciar qualquer Projeto é necessário realizar um diagnóstico da realidade, para definir rumos.
Portanto, através de um DIA V (similar ao da Rede Globo) , professores, funcionários, alunos da FEMC,
envolveram-se em estudos que tinham como objetivo analisar o entorno social da instituição e
detectaram a necessidade de resgate de crianças e jovens adolescentes, em situação de risco social
e/ou baixa renda, no Bairro Cidade Cristo Rei – Favela Feijão Semeado. E, só a partir desse contato
inicial foi proposto o desenvolvimento do subprojeto Afeto Nosso de Cada Dia.
Eixo da metodologia foi a participação e a inclusão social. A participação, no que diz respeito à
autonomia da comunidade, e a valorização e o respeito à sua cultura e expressão, para promoção da
inclusão social.

Foi, portanto, elaborado, primeiramente, um plano de aproximação, através da Dança de Rua – o Hip
Hop –, comum a todos os jovens do bairro. Esses foram os princípios que orientaram a prática educativa
do projeto.

A partir desse momento foi feita a elaboração de um plano de ação, com definição de responsáveis,
prazos, metas, indicadores de resultados e de avaliação, e detalhamento do orçamento - com custos
diretos e indiretos, recursos que seriam demandados.Na interação inicial com o grupo de dança
vislumbrou-se a possibilidade de construir sentidos coletivos na busca de proporcionar uma melhor
qualidade de vida.
De imediato, as lideranças da FEMC foram envolvidas nas ações de responsabilidade social e
participaram,efetivamente, da implementação do novo projeto.

De acordo com as necessidades e expectativas percebidas foi montada, imediatamente, uma proposta
de atendimento a essas crianças e jovens e oferecido a eles um espaço de vivência sócio-afetiva e
cultural, na própria FEMC, inclusive espaço físico e instrumentos para ensaios da dança.

Iniciaram-se, paulatinamente, com muito amor e acolhida carinhosa, aulas diárias, palestras e oficinas –
além das aulas de dança, para as quais foi contratado um professor para todo o ano letivo. Nessa
ambiência, as crianças e jovens têm vislumbrado novas perspectivas de vida através da vivência de
valores como: amor, respeito, responsabilidade, cidadania, confiança, proatividade, além de novas
tecnologias, postura e ética profissional, exigências atuais do mercado de trabalho. O Projeto busca a
promoção da socialização e a ressocialização dos envolvidos, possibilitando o melhor aproveitamento do
seu convívio familiar afetivo, a capacitação para viver com qualidade o seu dia-a-dia e a formação
necessária para conquistas das oportunidades de trabalho.

Percebe-se que essas crianças e jovens são muito receptivos e assimilam, com muita espontaneidade,
esses novos padrões sociais, demonstrando vocação natural para melhorar o mundo e para vivenciar
valores relevantes para a sociedade.




                                                                                                           13
O subprojeto Afeto Nosso de Cada Dia beneficia 150 crianças e adolescentes, em dois turnos diários,
com idade entre 09 e 19 anos, residentes no Bairro Cidade Cristo Rei e alunos da Escola Estadual
Filomeno Ribeiro.

Para melhor caracterizar essas crianças e jovens, é preenchida por funcionários, professores e alunos,
juntamente com a família, e com a participação da diretora e professores da Escola Estadual Filomeno
Ribeiro, escola de origem dos beneficiados, uma ficha cadastral, contendo seus dados pessoais (nome,
data de nascimento, bairro, filiação, necessidades, expectativas, aptidões, gostos e um breve comentário
do motivo de interesse em participar do Projeto).

A partir da análise dos dados são programadas as atividades: apoio pedagógico, educação afetivo-
sexual, educação religiosa, artes- reciclagem e artes visuais -, canto, dança, teatro, canto do conto –
incentivo à leitura, esporte e lazer, inclusão digital, robótica.

Como o Projeto Social é de responsabilidade da FEMC, é desenvolvido integralmente nas
dependências de suas unidades de ensino; e a contratação da equipe para acompanhar o trabalho é
realizada de acordo com as necessidades do Projeto e legislação trabalhista.
A alimentação, o material didático e pedagógico, os equipamentos, o material de consumo demandados
pelas crianças e jovens durante a sua permanência na instituição são providos pela FEMC, assim como
os custos com o transporte para participação em eventos e tardes de lazer. Além disso, a Instituição está
investindo na aquisição do figurino utilizado pelo grupo nas suas apresentações em eventos e nos
Festivais Internacionais do Folclore.
A FEMC, portanto, arca com todas as despesas para o desenvolvimento e continuidade do seu projeto
social.




                                                                                                            14
2.13 – ATIVIDADES DESENVOLVIDAS
                       Nº              Atividade                 Obj. 1                              Descrição
                                                                           Realização de oficinas de arte nas quais os alunos
                                                                           pesquisarão as origens dos instrumentos de percussão e
                                                                           aprenderão a confeccioná-los, artesanalmente; além de
                        1.   Aulas de música                       01      aulas semanais de canto/coral para os 100 alunos do
                                                                           projeto. Para viabilizar essa atividade está prevista
                                                                           também aquisição dos instrumentos musicais
                                                                           necessários.
                                                                           Momento dedicado, semanalmente, à leitura,
                        2.   Canto do Conto                        02      interpretação e dramatização de histórias. Para viabilizar
                                                                           essa atividade serão adquiridos livros e/ou revistas.
                                                                           Ensaios e apresentações do Grupo Ginga Mineira. Para
                        3.   Aulas de dança                        01      viabilizar essa atividade prevê-se a compra de mais
                                                                           instrumentos musicais.
                                                                           Realização periódica de aulas de informática nas salas
                                                                           cedidas pela FEMC, exclusivamente para pessoas em
                        4.   Aulas de Informática                  04      situação de exclusão digital, principalmente os 150 jovens
                                                                           assistidos pelo Projeto e seus familiares. Essa atividade
                                                                           demanda aquisição de computadores.
                                                                           Melhoria da qualidade do trabalho educativo com
                                                                           atividades como palestras e apresentações visando à
                             Educação sexual, afetiva,
                                                                           promoção de valores como a disciplina, a organização, o
                        5.   religiosa, literária, e               03
                                                                           respeito, o amor, a responsabilidade, a ética. Para essa
                             assistência pedagógica.
                                                                           atividade é necessária a aquisição de um projetor
                                                                           multimídia e a confecção de uniformes para os assistidos.




1
    Aqui se deve colocar o número do objetivo específico a que a atividade se refere. (Tabela 2.4)




                                                                                                                                        15
2.14 – SISTEMA DE MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO
Acompanhamento
Como o trabalho com seres humanos jamais caminha numa linha reta, cabe à coordenadora e à
assistente social realizar um acompanhamento contínuo e sistemático do projeto, não só para aprimorá-
lo, como para não se distanciar dos objetivos propostos.
O acompanhamento será realizado por toda a equipe, com a participação do aluno e da sua família, o
que amplia o olhar sobre o processo, observando a ação de todos os envolvidos, no sentido de apoiá-los
na análise e aprimoramento de sua prática.
        O acompanhamento será por meio de :
    a)   roteiro a ser preenchido pelos participantes a cada encontro e discutido nas reuniões, com
         todos os envolvidos no projeto.
    b)   observação contínua pela coordenadora, assistente social e professores envolvidos nas
         atividades realizadas pelo grupo.
Avaliação
A avaliação é um corte dado no processo, para que se possa analisar de forma crítica o quanto se
avançou, onde houve dificuldades, em que direção se está seguindo e que mudanças se fazem
necessárias.
A avaliação é um momento mais específico e pontual do que o acompanhamento e necessita da
definição de indicadores que possam mostrar os resultado e o alcance do trabalho desenvolvido.
        Para a avaliação serão realizados:

         a) Preenchimento periódico de Fichas pela coordenadora e pela assistente social em
              entrevista com as crianças, jovens e seus familiares.
         b)   Reuniões periódicas com os pais para coleta de dados sobre suas impressões a respeito do
              trabalho realizado.
         c)   Reuniões periódicas para apresentação de resultados (relatório consolidado das fichas de
              acompanhamento):
              o   Comparação entre os objetivos inicialmente propostos e os resultados efetivamente
                  alcançados.
              o   Elaboração de novos roteiros de atividades quando se fizer necessário.




                                                                                                         16
Resultados
Num projeto de desenvolvimento pessoal e social as possibilidades de resultados e crescimento são
infinitas, portanto, muitas vezes ultrapassam ou se afastam do que foi planejado – o que não significa um
fracasso -, por outro lado, quando se trata de avaliar mudanças de comportamentos e atitudes, os
resultados nem sempre são imediatos e não dependem apenas do trabalho desenvolvido, podendo
ocorrer algum tempo após a atividade.

Até o momento foram alcançados os seguintes resultados :
    •   Formação e desenvolvimento do Grupo de Dança Ginga Mineira com reconhecimento público,
        destaque na mídia local e integração aos Festivais Internacionais de Folclore de Montes Claros.
    •    Jovens matriculados em cursos técnicos de nível médio, com bolsa integral concedida pela
        FEMC.
    •   Jovens inseridos no mercado de trabalho.
    • Destinação de uma vaga na incubadora de empresas INCET, da FEMC, para o projeto de
        produção de artigos com materiais reciclados.
    •   Melhoria no comportamento observado em sua relações na escola e na família.
    •   Melhoria do desempenho escolar, conforme relatórios apresentados pela escola de origem,
        Escola Estadual Filomeno Ribeiro.




                                                                                                            17
CRONOGRAMA DE ATIVIDADES
                                                                                        Mar/0                                       Ago/0                     Nov/0
Nº                              Atividade                             Jan/08   Fev/08           Abr/08   Mai/08   Jun/08   Jul/08           Set/08   Out/08           Dez/08
                                                                                         8                                            8                         8

1.   Aulas de música                                                             X       X        X        X        X                X        X        X       X        X

2.   Canto do Conto                                                              X       X        X        X        X                X        X        X       X        X

3.   Aula de dança                                                               X       X        X        X        X                X        X        X       X        X

4.   Aulas de Informática                                                        X       X        X        X        X                X        X        X       X        X
     Educação sexual, afetiva, religiosa e literária, e assistência
5.
     pedagógica.
                                                                                 X       X        X        X        X                X        X        X       X        X




                                                                                                                                                                        18
19

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Projeto Educação Fiscal/2019
Projeto Educação Fiscal/2019Projeto Educação Fiscal/2019
Projeto Educação Fiscal/2019Lúcia Maia
 
Plano de Governo - Mário Ramos 55
Plano de Governo - Mário Ramos 55Plano de Governo - Mário Ramos 55
Plano de Governo - Mário Ramos 55Islan Souza
 
Apresentação - atividades Educação Fiscal encontro nacional - curitiba - educ...
Apresentação - atividades Educação Fiscal encontro nacional - curitiba - educ...Apresentação - atividades Educação Fiscal encontro nacional - curitiba - educ...
Apresentação - atividades Educação Fiscal encontro nacional - curitiba - educ...OBSERVATÓRIO SOCIAL DE ITAJAÍ
 
Manual de boas práticas. Exploração infantil Childhood Brasil
Manual de boas práticas. Exploração infantil Childhood BrasilManual de boas práticas. Exploração infantil Childhood Brasil
Manual de boas práticas. Exploração infantil Childhood BrasilEcoHospedagem
 
Projeto: Educação fiscal e cidadania no ensino médio
Projeto: Educação fiscal e cidadania no ensino médioProjeto: Educação fiscal e cidadania no ensino médio
Projeto: Educação fiscal e cidadania no ensino médioGlaucia Fernandes
 
Lei 3877 2012 - aut. 3720
Lei 3877   2012 - aut. 3720Lei 3877   2012 - aut. 3720
Lei 3877 2012 - aut. 3720Imprensa-semec
 
Cartilha de orientação contra a exploração sexual infantil
Cartilha de orientação contra a exploração sexual infantilCartilha de orientação contra a exploração sexual infantil
Cartilha de orientação contra a exploração sexual infantilEcoHospedagem
 
Plano municipal de educação pme anexo-projeto de lei 009-2015
Plano municipal de educação   pme anexo-projeto de lei 009-2015Plano municipal de educação   pme anexo-projeto de lei 009-2015
Plano municipal de educação pme anexo-projeto de lei 009-2015Olivânio Remígio
 
Clipping digital - SNCT Uberlândia 2013
Clipping digital - SNCT Uberlândia 2013Clipping digital - SNCT Uberlândia 2013
Clipping digital - SNCT Uberlândia 2013Rafael Ibrahim
 
Orientacoes ao dirigente_municipal_de_educacao
Orientacoes ao dirigente_municipal_de_educacaoOrientacoes ao dirigente_municipal_de_educacao
Orientacoes ao dirigente_municipal_de_educacaomdemiguel
 
Orientações ao dirigente municipal de educação undime
Orientações ao dirigente municipal de educação   undimeOrientações ao dirigente municipal de educação   undime
Orientações ao dirigente municipal de educação undimeOnésimo Remígio
 
15. ações do mpt contra o trabalho infantil
15. ações do mpt contra o trabalho infantil15. ações do mpt contra o trabalho infantil
15. ações do mpt contra o trabalho infantilOnésimo Remígio
 

Mais procurados (20)

Projeto Educação Fiscal/2019
Projeto Educação Fiscal/2019Projeto Educação Fiscal/2019
Projeto Educação Fiscal/2019
 
Diário Oficial de Guarujá
Diário Oficial de GuarujáDiário Oficial de Guarujá
Diário Oficial de Guarujá
 
Plano de Governo - Mário Ramos 55
Plano de Governo - Mário Ramos 55Plano de Governo - Mário Ramos 55
Plano de Governo - Mário Ramos 55
 
Diário Oficial de Guarujá
Diário Oficial de GuarujáDiário Oficial de Guarujá
Diário Oficial de Guarujá
 
Apresentação - atividades Educação Fiscal encontro nacional - curitiba - educ...
Apresentação - atividades Educação Fiscal encontro nacional - curitiba - educ...Apresentação - atividades Educação Fiscal encontro nacional - curitiba - educ...
Apresentação - atividades Educação Fiscal encontro nacional - curitiba - educ...
 
Manual de boas práticas. Exploração infantil Childhood Brasil
Manual de boas práticas. Exploração infantil Childhood BrasilManual de boas práticas. Exploração infantil Childhood Brasil
Manual de boas práticas. Exploração infantil Childhood Brasil
 
Projeto: Educação fiscal e cidadania no ensino médio
Projeto: Educação fiscal e cidadania no ensino médioProjeto: Educação fiscal e cidadania no ensino médio
Projeto: Educação fiscal e cidadania no ensino médio
 
Lei 3877 2012 - aut. 3720
Lei 3877   2012 - aut. 3720Lei 3877   2012 - aut. 3720
Lei 3877 2012 - aut. 3720
 
Cartilha de orientação contra a exploração sexual infantil
Cartilha de orientação contra a exploração sexual infantilCartilha de orientação contra a exploração sexual infantil
Cartilha de orientação contra a exploração sexual infantil
 
PROJETO DE TRABALHO DO PETECA EM BEBERIBE 2013
PROJETO DE TRABALHO DO PETECA EM BEBERIBE 2013PROJETO DE TRABALHO DO PETECA EM BEBERIBE 2013
PROJETO DE TRABALHO DO PETECA EM BEBERIBE 2013
 
Plano municipal de educação pme anexo-projeto de lei 009-2015
Plano municipal de educação   pme anexo-projeto de lei 009-2015Plano municipal de educação   pme anexo-projeto de lei 009-2015
Plano municipal de educação pme anexo-projeto de lei 009-2015
 
Clipping digital - SNCT Uberlândia 2013
Clipping digital - SNCT Uberlândia 2013Clipping digital - SNCT Uberlândia 2013
Clipping digital - SNCT Uberlândia 2013
 
Relatório Peteca Tianguá 2012
Relatório Peteca Tianguá 2012Relatório Peteca Tianguá 2012
Relatório Peteca Tianguá 2012
 
Informativo GRE Mata Sul nº 3
Informativo GRE Mata Sul nº 3Informativo GRE Mata Sul nº 3
Informativo GRE Mata Sul nº 3
 
Orientacoes ao dirigente_municipal_de_educacao
Orientacoes ao dirigente_municipal_de_educacaoOrientacoes ao dirigente_municipal_de_educacao
Orientacoes ao dirigente_municipal_de_educacao
 
Orientações ao dirigente municipal de educação undime
Orientações ao dirigente municipal de educação   undimeOrientações ao dirigente municipal de educação   undime
Orientações ao dirigente municipal de educação undime
 
Baturité 2010
Baturité 2010Baturité 2010
Baturité 2010
 
15. ações do mpt contra o trabalho infantil
15. ações do mpt contra o trabalho infantil15. ações do mpt contra o trabalho infantil
15. ações do mpt contra o trabalho infantil
 
1. apresentação do peteca
1. apresentação do peteca1. apresentação do peteca
1. apresentação do peteca
 
Projeto peteca 2014
Projeto peteca 2014Projeto peteca 2014
Projeto peteca 2014
 

Destaque

Razones trigonométricas de ángulos agudos 3º
Razones trigonométricas de ángulos agudos   3ºRazones trigonométricas de ángulos agudos   3º
Razones trigonométricas de ángulos agudos 3ºbrisagaela29
 
Iniciando solman
Iniciando solmanIniciando solman
Iniciando solmanJarlei N
 
Ida à biblioteca
Ida à bibliotecaIda à biblioteca
Ida à bibliotecaMarla Gomes
 
Entrevista Revista Eclética nº 33 - Dez/11
Entrevista Revista Eclética nº 33 - Dez/11Entrevista Revista Eclética nº 33 - Dez/11
Entrevista Revista Eclética nº 33 - Dez/11Luiz Leo
 
Investigación fondos-concursables
Investigación fondos-concursablesInvestigación fondos-concursables
Investigación fondos-concursables014constanzavaldivia
 
Apresentacao Ei Eventos Inteligentes
Apresentacao Ei Eventos InteligentesApresentacao Ei Eventos Inteligentes
Apresentacao Ei Eventos Inteligenteseicriacao
 
FGV / IBRE – Financiamento das metas de gasto público em educação do Plano Na...
FGV / IBRE – Financiamento das metas de gasto público em educação do Plano Na...FGV / IBRE – Financiamento das metas de gasto público em educação do Plano Na...
FGV / IBRE – Financiamento das metas de gasto público em educação do Plano Na...FGV | Fundação Getulio Vargas
 
Novas tecnologias
Novas tecnologiasNovas tecnologias
Novas tecnologiasjeangaldino
 
Problemas ambientales
Problemas ambientalesProblemas ambientales
Problemas ambientalesvane625
 
Ejercicios de móviles 3º
Ejercicios de móviles   3ºEjercicios de móviles   3º
Ejercicios de móviles 3ºbrisagaela29
 
Visita de estudo a Tondela
Visita de estudo a TondelaVisita de estudo a Tondela
Visita de estudo a Tondelapiefesidh
 

Destaque (20)

Projeto semana da juventude
Projeto semana da juventudeProjeto semana da juventude
Projeto semana da juventude
 
Razones trigonométricas de ángulos agudos 3º
Razones trigonométricas de ángulos agudos   3ºRazones trigonométricas de ángulos agudos   3º
Razones trigonométricas de ángulos agudos 3º
 
Iniciando solman
Iniciando solmanIniciando solman
Iniciando solman
 
Paseo al río cauca
Paseo al río caucaPaseo al río cauca
Paseo al río cauca
 
Ida à biblioteca
Ida à bibliotecaIda à biblioteca
Ida à biblioteca
 
Entrevista Revista Eclética nº 33 - Dez/11
Entrevista Revista Eclética nº 33 - Dez/11Entrevista Revista Eclética nº 33 - Dez/11
Entrevista Revista Eclética nº 33 - Dez/11
 
Saludo A.L.M.A.
Saludo A.L.M.A.Saludo A.L.M.A.
Saludo A.L.M.A.
 
Investigación fondos-concursables
Investigación fondos-concursablesInvestigación fondos-concursables
Investigación fondos-concursables
 
ADA Autodefensa
ADA AutodefensaADA Autodefensa
ADA Autodefensa
 
U2008411230spanish keys
U2008411230spanish keysU2008411230spanish keys
U2008411230spanish keys
 
Apresentacao Ei Eventos Inteligentes
Apresentacao Ei Eventos InteligentesApresentacao Ei Eventos Inteligentes
Apresentacao Ei Eventos Inteligentes
 
FGV / IBRE – Financiamento das metas de gasto público em educação do Plano Na...
FGV / IBRE – Financiamento das metas de gasto público em educação do Plano Na...FGV / IBRE – Financiamento das metas de gasto público em educação do Plano Na...
FGV / IBRE – Financiamento das metas de gasto público em educação do Plano Na...
 
Novas tecnologias
Novas tecnologiasNovas tecnologias
Novas tecnologias
 
Rm tarea - 5º
Rm   tarea - 5ºRm   tarea - 5º
Rm tarea - 5º
 
Palestra-Operação Iceberg
Palestra-Operação Iceberg Palestra-Operação Iceberg
Palestra-Operação Iceberg
 
Comprobacion hermite
Comprobacion hermiteComprobacion hermite
Comprobacion hermite
 
Mate tarea - 5º
Mate   tarea - 5ºMate   tarea - 5º
Mate tarea - 5º
 
Problemas ambientales
Problemas ambientalesProblemas ambientales
Problemas ambientales
 
Ejercicios de móviles 3º
Ejercicios de móviles   3ºEjercicios de móviles   3º
Ejercicios de móviles 3º
 
Visita de estudo a Tondela
Visita de estudo a TondelaVisita de estudo a Tondela
Visita de estudo a Tondela
 

Semelhante a Projeto Juventude Cidadã promove cidadania em Montes Claros

Programa Juntos Fazemos Santo António
Programa Juntos Fazemos Santo AntónioPrograma Juntos Fazemos Santo António
Programa Juntos Fazemos Santo AntónioJoão Costa
 
RELATÓRIO-DE-ATIVIDADES-2019.pdf
RELATÓRIO-DE-ATIVIDADES-2019.pdfRELATÓRIO-DE-ATIVIDADES-2019.pdf
RELATÓRIO-DE-ATIVIDADES-2019.pdfKacilaFavero
 
Pbwiki Puerpolis ApresentaçãO
Pbwiki Puerpolis ApresentaçãOPbwiki Puerpolis ApresentaçãO
Pbwiki Puerpolis ApresentaçãOpuerpolis.pe
 
RELATÓRIO DE SETEMBRO DA SECRETARIA DA ASSISTÊNCIA SOCIAL
RELATÓRIO DE SETEMBRO DA SECRETARIA DA ASSISTÊNCIA SOCIALRELATÓRIO DE SETEMBRO DA SECRETARIA DA ASSISTÊNCIA SOCIAL
RELATÓRIO DE SETEMBRO DA SECRETARIA DA ASSISTÊNCIA SOCIALGeraldina Braga
 
Apresentação Institucional IVG
Apresentação Institucional IVGApresentação Institucional IVG
Apresentação Institucional IVGIVG_Floripa
 
Projetos EE Miguel Vicente Cury 2012
Projetos EE Miguel Vicente Cury 2012Projetos EE Miguel Vicente Cury 2012
Projetos EE Miguel Vicente Cury 2012tecampinasoeste
 
04 fundo social de solidariedade
04 fundo social de solidariedade04 fundo social de solidariedade
04 fundo social de solidariedadeEdinho Silva
 
Familias que Educam 2014 - FUMCAD
Familias que Educam 2014 - FUMCADFamilias que Educam 2014 - FUMCAD
Familias que Educam 2014 - FUMCADVocação
 
Projetos e premios públicos - Ricardo Baziotti
Projetos e premios públicos  - Ricardo BaziottiProjetos e premios públicos  - Ricardo Baziotti
Projetos e premios públicos - Ricardo BaziottiRogerio Catanese
 
MARIZETE 13 :: Programa de Governo
MARIZETE 13 :: Programa de GovernoMARIZETE 13 :: Programa de Governo
MARIZETE 13 :: Programa de GovernoMarcelo Guerra
 
Relatório NURES - 2009
Relatório NURES - 2009Relatório NURES - 2009
Relatório NURES - 2009coeppelotas
 
Projeto Inclusão Digital (Adilson Motta)
Projeto Inclusão Digital (Adilson Motta)Projeto Inclusão Digital (Adilson Motta)
Projeto Inclusão Digital (Adilson Motta)Adilson P Motta Motta
 
Agenda territorial
Agenda territorialAgenda territorial
Agenda territorialleideisabel
 

Semelhante a Projeto Juventude Cidadã promove cidadania em Montes Claros (20)

Relatório Peteca Itarema 2011
Relatório Peteca Itarema 2011Relatório Peteca Itarema 2011
Relatório Peteca Itarema 2011
 
Programa Juntos Fazemos Santo António
Programa Juntos Fazemos Santo AntónioPrograma Juntos Fazemos Santo António
Programa Juntos Fazemos Santo António
 
RELATÓRIO-DE-ATIVIDADES-2019.pdf
RELATÓRIO-DE-ATIVIDADES-2019.pdfRELATÓRIO-DE-ATIVIDADES-2019.pdf
RELATÓRIO-DE-ATIVIDADES-2019.pdf
 
Pbwiki Puerpolis ApresentaçãO
Pbwiki Puerpolis ApresentaçãOPbwiki Puerpolis ApresentaçãO
Pbwiki Puerpolis ApresentaçãO
 
Projeto espirito
Projeto espiritoProjeto espirito
Projeto espirito
 
Apresentação CIEE
Apresentação CIEEApresentação CIEE
Apresentação CIEE
 
RELATÓRIO DE SETEMBRO DA SECRETARIA DA ASSISTÊNCIA SOCIAL
RELATÓRIO DE SETEMBRO DA SECRETARIA DA ASSISTÊNCIA SOCIALRELATÓRIO DE SETEMBRO DA SECRETARIA DA ASSISTÊNCIA SOCIAL
RELATÓRIO DE SETEMBRO DA SECRETARIA DA ASSISTÊNCIA SOCIAL
 
Apresentação Institucional IVG
Apresentação Institucional IVGApresentação Institucional IVG
Apresentação Institucional IVG
 
Boletim 17 setembro2013
Boletim 17 setembro2013Boletim 17 setembro2013
Boletim 17 setembro2013
 
Projetos EE Miguel Vicente Cury 2012
Projetos EE Miguel Vicente Cury 2012Projetos EE Miguel Vicente Cury 2012
Projetos EE Miguel Vicente Cury 2012
 
04 fundo social de solidariedade
04 fundo social de solidariedade04 fundo social de solidariedade
04 fundo social de solidariedade
 
resolucao_cepex038.pdf
resolucao_cepex038.pdfresolucao_cepex038.pdf
resolucao_cepex038.pdf
 
Familias que Educam 2014 - FUMCAD
Familias que Educam 2014 - FUMCADFamilias que Educam 2014 - FUMCAD
Familias que Educam 2014 - FUMCAD
 
Projetos e premios públicos - Ricardo Baziotti
Projetos e premios públicos  - Ricardo BaziottiProjetos e premios públicos  - Ricardo Baziotti
Projetos e premios públicos - Ricardo Baziotti
 
Mapeamentos
MapeamentosMapeamentos
Mapeamentos
 
MARIZETE 13 :: Programa de Governo
MARIZETE 13 :: Programa de GovernoMARIZETE 13 :: Programa de Governo
MARIZETE 13 :: Programa de Governo
 
Relatório NURES - 2009
Relatório NURES - 2009Relatório NURES - 2009
Relatório NURES - 2009
 
Projeto Inclusão Digital (Adilson Motta)
Projeto Inclusão Digital (Adilson Motta)Projeto Inclusão Digital (Adilson Motta)
Projeto Inclusão Digital (Adilson Motta)
 
Agenda territorial
Agenda territorialAgenda territorial
Agenda territorial
 
Projeto Escolinha de Futebol FM
Projeto Escolinha de Futebol FM Projeto Escolinha de Futebol FM
Projeto Escolinha de Futebol FM
 

Mais de Ana Lucia Gouveia

Políticas de proteção_e_promoção_social_no_brasil_-_2012
Políticas de proteção_e_promoção_social_no_brasil_-_2012Políticas de proteção_e_promoção_social_no_brasil_-_2012
Políticas de proteção_e_promoção_social_no_brasil_-_2012Ana Lucia Gouveia
 
4 politica nacional de assistencia social 2013 pnas 2004 e 2013 nobsuas-sem...
4   politica nacional de assistencia social 2013 pnas 2004 e 2013 nobsuas-sem...4   politica nacional de assistencia social 2013 pnas 2004 e 2013 nobsuas-sem...
4 politica nacional de assistencia social 2013 pnas 2004 e 2013 nobsuas-sem...Ana Lucia Gouveia
 
3 norma operacional de rh suas
3   norma operacional de rh suas3   norma operacional de rh suas
3 norma operacional de rh suasAna Lucia Gouveia
 
Regimento do cmdpd de santa catarina
Regimento do cmdpd de santa catarinaRegimento do cmdpd de santa catarina
Regimento do cmdpd de santa catarinaAna Lucia Gouveia
 
Palnao de negócios sobre residuos
Palnao de negócios sobre residuosPalnao de negócios sobre residuos
Palnao de negócios sobre residuosAna Lucia Gouveia
 
Artigo boas maneiras no ambiente de trabalho
Artigo   boas maneiras no ambiente de trabalhoArtigo   boas maneiras no ambiente de trabalho
Artigo boas maneiras no ambiente de trabalhoAna Lucia Gouveia
 
Diretrizes operacionais-modulo-custeio
Diretrizes operacionais-modulo-custeioDiretrizes operacionais-modulo-custeio
Diretrizes operacionais-modulo-custeioAna Lucia Gouveia
 

Mais de Ana Lucia Gouveia (19)

Gestao marketing
 Gestao marketing Gestao marketing
Gestao marketing
 
Apostila estadoe problemas
Apostila estadoe problemasApostila estadoe problemas
Apostila estadoe problemas
 
Políticas de proteção_e_promoção_social_no_brasil_-_2012
Políticas de proteção_e_promoção_social_no_brasil_-_2012Políticas de proteção_e_promoção_social_no_brasil_-_2012
Políticas de proteção_e_promoção_social_no_brasil_-_2012
 
Caderno Gestão financeira
Caderno Gestão financeiraCaderno Gestão financeira
Caderno Gestão financeira
 
Servicos detran
Servicos detranServicos detran
Servicos detran
 
Cartilha mulheres mil 2014
Cartilha mulheres mil 2014Cartilha mulheres mil 2014
Cartilha mulheres mil 2014
 
4 politica nacional de assistencia social 2013 pnas 2004 e 2013 nobsuas-sem...
4   politica nacional de assistencia social 2013 pnas 2004 e 2013 nobsuas-sem...4   politica nacional de assistencia social 2013 pnas 2004 e 2013 nobsuas-sem...
4 politica nacional de assistencia social 2013 pnas 2004 e 2013 nobsuas-sem...
 
3 norma operacional de rh suas
3   norma operacional de rh suas3   norma operacional de rh suas
3 norma operacional de rh suas
 
Regimento interno cmdpd
Regimento interno cmdpdRegimento interno cmdpd
Regimento interno cmdpd
 
Cartilha cmdpd
Cartilha cmdpdCartilha cmdpd
Cartilha cmdpd
 
Regimento do cmdpd de santa catarina
Regimento do cmdpd de santa catarinaRegimento do cmdpd de santa catarina
Regimento do cmdpd de santa catarina
 
Palnao de negócios sobre residuos
Palnao de negócios sobre residuosPalnao de negócios sobre residuos
Palnao de negócios sobre residuos
 
Plano de negócios
Plano de negóciosPlano de negócios
Plano de negócios
 
Cartilha residuos-lampadas
Cartilha residuos-lampadasCartilha residuos-lampadas
Cartilha residuos-lampadas
 
Artigo boas maneiras no ambiente de trabalho
Artigo   boas maneiras no ambiente de trabalhoArtigo   boas maneiras no ambiente de trabalho
Artigo boas maneiras no ambiente de trabalho
 
Cartilha residuos-lampadas
Cartilha residuos-lampadasCartilha residuos-lampadas
Cartilha residuos-lampadas
 
Carteira idoso graca
Carteira idoso gracaCarteira idoso graca
Carteira idoso graca
 
Diretrizes operacionais-modulo-custeio
Diretrizes operacionais-modulo-custeioDiretrizes operacionais-modulo-custeio
Diretrizes operacionais-modulo-custeio
 
Captacaoderecursos
CaptacaoderecursosCaptacaoderecursos
Captacaoderecursos
 

Último

AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxJMTCS
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.azulassessoria9
 
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAEdioFnaf
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETOProjeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETODouglasVasconcelosMa
 
Modelos atômicos: quais são, história, resumo
Modelos atômicos: quais são, história, resumoModelos atômicos: quais são, história, resumo
Modelos atômicos: quais são, história, resumoprofleticiasantosbio
 
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURACRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURADouglasVasconcelosMa
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxProva de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxJosAurelioGoesChaves
 
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoJayaneSales1
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024GleyceMoreiraXWeslle
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...nexocan937
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdfCarlosRodrigues832670
 

Último (20)

AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
 
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETOProjeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
 
Modelos atômicos: quais são, história, resumo
Modelos atômicos: quais são, história, resumoModelos atômicos: quais são, história, resumo
Modelos atômicos: quais são, história, resumo
 
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURACRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxProva de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
 
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
 

Projeto Juventude Cidadã promove cidadania em Montes Claros

  • 1. Projeto Juventude Cidadã “Afeto Nosso de Cada Dia” Com o Projeto Juventude Cidadã, a FEMC cumpre a sua responsabilidade social através de muitas ações de cidadania, desenvolvidas por professores, e funcionários mantidos pela Instituição.
  • 2. Missão: Contribuir para o desenvolvimento integral do ser humano e da sociedade. 2
  • 3. 1. DADOS SOBRE A INSTITUIÇÃO 1.1 - DADOS GERAIS Nome FUNDAÇÃO EDUCACIONAL MONTES CLAROS CNPJ 18.143.164.0001.33 Telefone (038)3223 5777 Fax (38) 3223.5664 E-mail femc@femc.edu.br Site www.femc.edu.br Endereço PRAÇA DA TECNOLOGIA 77 CEP 39400-315 Cidade MONTES CLAROS Estado M.G 1.2 - CERTIFICADOS, TÍTULOS E REGISTROS Registrado no Cartório de Registro Civil das Pessoas Jurídicas da Comarca de Montes Claros, Minas Gerais, no Livro de n° A-3 fls. 220, registro 0014/76, protocolo 0023/76, datado de 16/03/76. Averbações: Livro A-7, registro n° 2416/94 de 07/12/1994 Data de Fundação Livro A-8, registro n° 6272/00 de 02/09/2000 Livro A-14, registro n° 10.885/05 de 06/08/2005 Livro A-14, registro n° 10.965/05 de 31/10/2005 Número, data e validade da inscrição no Conselho Municipal de Assistência Social: 0226-2003 de: 27/12/2007, valido até 27/12/2008. Registro no Conselho Nacional de Assistência Social: 1° Registro: 257.620/76, em 03/07/78 Recadastramento: Resolução n° 214 de 19/12/96, publicada no Diário Oficial da União em 24/12/96, Seção I, julgando o processo n° 44006.000289/95-44 Reconhecimento de Utilidade Pública Municipal: Resolução n° 240 de 23/03/1977, Câmara Municipal de Montes Claros Reconhecimento de Utilidade Pública Estadual: Lei n° 7.294 de 13/07/78, publicada no Jornal Minas Gerais em 14/07/78 Reconhecimento de Utilidade Pública Federal: Portaria n° 1.312 de 31 de Julho de 2005 – Processo MJ n° 08026.000448/2006-41 PRÊMIOS RECEBIDOS: • “Projeto de Excelência em Cidadania” - FIEMG • “Prêmio Ouro em cidadania” – FUNDAMIG • “Prêmio Klick em cidadania “ – UNDIME/CONSEDE SP • “Qualidade em Cidadania – Programa Mineiro da Qualidade e Produtividade” 3
  • 4. 1.3 - DADOS BANCÁRIOS Banco 389 Agência 0077 Conta Corrente 02073800-9 1.4 - NOME E CARGO/FUNÇÃO DO PRINCIPAL REPRESENTANTE Nome Ângela Maria de Carvalho Veloso Cargo/Função Diretora Superintendente Telefone de Contato 38.3223.5777 1.5 - HISTORICO (COMO, ONDE E PORQUE SURGIU) A Fundação Educacional Montes Claros – FEMC -, mantenedora do Centro de Educação Tecnológica de Montes Claros, do Centro Educacional Montes Claros e da Faculdade de Ciência e Tecnologia – FACIT -, cujos professores e funcionários mantidos pela Instituição integram o Projeto Social Juventude Cidadã, é uma instituição privada, sem fins lucrativos, que tem por objetivo o equacionamento e encaminhamento de assuntos relacionados com o amparo à cultura, à educação, à tecnologia e à pesquisa científica, voltados para o aproveitamento, transformação e aprimoramento de recursos da região, com vistas ao seu pleno desenvolvimento sócio-econômico e conseqüente aumento da qualidade humana e tecnológica da sua população. A Fundação Educacional Montes Claros, considerando que a educação tem como propósito estimular, ampliar e enriquecer as capacidades de experimentar, observar, analisar, empreender, compreender, intervir, criar, construir, liderar e interagir; aprendizagens essas, essenciais para a formação de cidadãos autônomos, críticos, participativos, capazes de atuar, com competência, dignidade e responsabilidade na sociedade em que vivem, propõe a realização de atividades que estimulem a criatividade, a iniciativa, o relacionamento, a responsabilidade, revitalizando as relações de ensino e aprendizagem e favorecendo o crescimento pleno do aluno, principalmente no aspecto social. Aprender a ser, aprender a conviver, aprender a aprender, aprender a fazer e aprender a empreender são os cinco pilares que sustentam o projeto pedagógico da instituição, considerado como o caminho mais eficaz para o desenvolvimento das habilidades, competências e atitudes dos alunos, necessários à sua vivência plena como cidadãos e adquiridos no exercício de ações concretas de cidadania, numa efetiva integração com a comunidade. Ao serem reconhecidas por toda a comunidade e por instituições de nível Estadual e Federal como uma “iniciativa de excelência em cidadania”, essas ações foram organizadas e sistematizadas, recebendo a denominação de Projeto Juventude Cidadã, compondo o Projeto Pedagógico da Instituição - PPI. O Projeto Juventude Cidadã da Fundação Educacional Montes Claros é um conjunto de atividades de cunho cívico e sócio-educativo, que visa promover condições que favoreçam o desenvolvimento de comunidades em situação de vulnerabilidade social, através de ações concretas de cidadania realizadas por profissionais mantidos pela FEMC. 4
  • 5. 1.6 – PARCEIROS ATUAIS Governamentais Parceiros da Fundação Educacional Montes Claros: FAPEMIG – Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais, FIEMG – Federação das Indústrias de Minas Gerais, UNIMONTES – Universidade Estadual de Montes Claros, Prefeitura Municipal de Montes Claros, UFMG – Universidade Federal de Minas Gerais, Cia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais – Codemig – CNPJ: 19.791.581/0001-55, Cemig Distribuição S/A – CNPJ: 06.981.180/0001-16, Cia de Saneamento de Minas Gerais – Copasa – CNPJ: 17.281.106/0056-87, Governo do Estado de Minas Gerais. Parceiros do Projeto Juventude Cidadã: UNIMONTES – Universidade Estadual de Montes Claros, Prefeitura Municipal de Montes Claros, Escola Estadual Filomeno Ribeiro 55º Batalhão de Infantaria Dionísio Cerqueira Não-Governamentais Parceiros da Fundação Educacional Montes Claros (Integram o Conselho Administrativo): Cia de Tecidos Norte de Minas – Coteminas – CNPJ: 22.677.520/0011-48, Lafarge Brasil S/A – CNPJ: 61.403.127/0122-33, Novo Nordisk Produção Farmacêutica do Brasil Ltda – CNPJ: 16.921.603/0001-66, Vallée S/A – CNPJ: 20.557.161/0001-98, Irmãos Nogueira Gontigo Ltda – CNPJ: 30.543.088/0001-98, Minas Peças Ltda – CNPJ: 22.661.698/0001-29, Biomm S/A – CNPJ: 04.752.991/0002-09, Montcar Veículos e Garagem Ltda – CNPJ: 23.895.659/0001-59, Melo Hotéis Ltda – CNPJ: 01.200.345/0001-51, Cia de Tecidos Santanense – CNPJ: 21.255.567/0001-89, Comercial de Alimentos Marbaty Ltda – CNPJ: 05.062.202/0001-81, Parceiros do Projeto Juventude Cidadã: Auto Lotação Princesa do Norte - ALPRINO 2. DADOS SOBRE O SUBPROJETO 2.1 - NOME DO PROJETO JUVENTUDE CIDADÃ 2.2 - NOME DO SUBPROJETO 5
  • 6. “AFETO NOSSO DE CADA DIA” 2.3 - APRESENTAÇÃO DO PROJETO JUVENTUDE CIDADÃ Como se Promove a Responsabilidade Social na Fundação Educacional Montes Claros O Projeto Juventude Cidadã surgiu em 1998, envolvendo professores e funcionários mantidos pela própria Fundação. Após a realização de pesquisas, foram detectados problemas, tais como, carência financeira, afetiva e educacional e traçadas estratégias e programas para promover a melhoria dessa situação. Foi definido como público alvo do Projeto os bairros Cidade Industrial (Favela Coberta Suja) Cidade Cristo Rei (Favela Feijão Semeado), e instituições públicas e privadas da cidade de Montes Claros, como escolas municipais e estaduais, Orfanato, APAE – Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais -, Fundação Sara (de apoio a crianças e adolescentes com câncer e deficiência hematológica), Asilo. 6
  • 7. 2.4 – AÇÕES GERAIS Ações gerais desenvolvidas pela Fundação Educacional Montes Claros e suas unidades educacionais, abrangendo a população carente da cidade de Montes Claros:  Ação Cidadã, usando a metodologia da Ação Global;  Visitas a creches e asilos visando a conservação física destes locais através de manutenção elétrica e eletrônica.  Cursos de Eletricista Instalador para alunos de escolas públicas.  Campanha de combate e prevenção ao uso de drogas.  Atividades recreativas junto às crianças da APAE.  Auxílio ao TRE na capacitação de multiplicadores para a utilização das urnas eletrônicas.  Atendimento à população do Bairro Cidade Industrial (Coberta Suja):  Pesquisa de campo para levantamento de dados sobre as reais necessidades do bairro. (Problemas detectados: carência financeira, afetiva e educacional).  Distribuição de brinquedos, roupas e calçados no período do Natal.  Distribuição de cestas básicas.  Atividades de Esportes e Lazer para 300 crianças;  Atividades comemorativas – (Natal, Dia das Crianças) com música, brincadeiras e distribuição de presentes;  Curso de Pedreiro e Servente.  Para a Escola do Bairro: Cursos de informática (noções básicas) para 155 alunos e seus professores ; Promoção de momentos de lazer através de exibição de filme para os alunos, Aquisição de livros para a biblioteca da escola ; Curso de Afetividade e Sexualidade para os pais das crianças e adolescentes destacando a importância da vivência plena de sua afetividade e sexualidade, para melhoria da qualidade de sua vida e dos filhos; Curso de Sexualidade e Afetividade para 150 rianças e adolescentes ; Curso de Eletricidade para os pais das crianças e adolescentes Qualificação dos professores em Informática Básica, sexologia, combate às drogas e etc.  Informatização da conferência do Rotary 1999 e 2000.  Projeto da área de Ciências Exatas: Jogos Construtivos para Escolas Públicas.  Projeto da área de Ciências Biológicas: Saúde coletiva para Escolas Públicas.  Projeto Informática ao Alcance de Todos:  Curso de Informática Básica para 14 menores infratores;  Qualificação de 80 adolescentes no curso de Eletricidade (Eletricista Instalador);  Conscientização, através de palestras e debates, de 300 adolescentes sobre as implicações do uso de drogas;  Curso de Sexualidade e Afetividade e Informática Básica para os professores da Escola Municipal do Bairro Cidade Cristo Rei.  Elaboração de Softwares para instituições públicas e filantrópicas. Dessas ações praticadas, conjuntas ou isoladas, vários subprojetos surgiram como o “Afeto nosso de Cada Dia” e o “ Inclusão Digital”. Através do subprojeto “Inclusão Digital”, o Lar Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, conhecido como Orfanato, já recebeu a doação de um site desenvolvido por professores e alunos da FACIT – Faculdade de Ciência e Tecnologia de Montes Claros (Unidade da FEMC). Outras ações que serão desenvolvidas são a elaboração de um Software para gerenciamento de dados dessa instituição e a realização de aulas de informática para as crianças internas, com idade entre 08 e 13 anos, sob a orientação e responsabilidade de profissionais mantidos pela Fundação.Além do Lar Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, a Fundação Hospitalar Dílson de Quadros Godinho também será o próximo alvo das ações do projeto Inclusão Digital, recebendo aulas de Informática e outras orientações repassadas por profissionais da FEMCa crianças e adolescentes pacientes da Hemodiálise. 7
  • 8. 2.5 - APRESENTAÇÃO DO SUBPROJETO “AFETO NOSSO DE CADA DIA” Atualmente 150 crianças e adolescentes são assistidos pelo “Afeto Nosso de Cada Dia” e recebem, de segunda a sexta-feira, no contra turno escolar, num período de quatro horas diárias, aulas de reforço e acompanhamento escolar; aulas de informática, dança, teatro e coral, práticas de esporte e lazer. São realizadas palestras educativas sobre sexualidade, afetividade e outros temas. O Projeto mantém, ainda, o grupo de dança “Ginga Mineira”, grupo que já se apresentou em diversos festivais como o Festival Internacional do Folclore em Montes Claros e, constantemente,recebe convites para apresentações em aberturas de eventos na cidade, o que eleva consideravelmente a auto-estima dos integrantes e amplia as perspectivas de um futuro melhor. Além dessas ações, a FEMC oferece a todos esses jovens, ao iniciarem o segundo ano do Ensino Médio, bolsa integral para cursarem o Curso Técnico. Vários alunos do subprojeto “Afeto Nosso de Cada Dia” já estão cursando o Curso Técnico com bolsa integral; o Setor de Integração Escola Empresa, da FEMC, mantém parcerias com empresas para o encaminhamento desses Jovens ao trabalho, através do Programa Primeiro Emprego e estágios supervisionados . Essas ações se traduzem em benefícios incontáveis para as crianças e adolescentes assistidos pelo Projeto e subprojetos, como os constatados nos relatórios de avaliação e acompanhamento da Assistente Social da Fundação Educacional Montes Claros e reconhecidos pela sociedade, através de depoimentos das autoridades e da mídia escrita, falada e televisada. 8
  • 9. 2.6 - JUSTIFICATIVA Tendo em vista a constatação da presença de fatores limitantes para um pleno desenvolvimento pessoal e social na comunidade pesquisada e das implicações dessa situação para toda a sociedade, e que, a escola e a família não têm conseguido responder a essa problemática, apresenta-se a necessidade de desenvolver instrumentos de intervenção para provocar mudanças e buscar soluções para os problemas encontrados. A seleção do público alvo e a escolha dos objetivos desse projeto basearam-se na perspectiva de desenvolvimento de novas relações entre os seres humanos, através de processos que resgatem sua auto-estima e melhorem sua capacidade de se comunicar, de conviver, de respeitar as diferenças individuais e culturais, de amar e de lutar pela cidadania. Foi considerada também a capacidade de realização e atendimento desta instituição com vistas ao efetivo alcance dos resultados. As ações aqui propostas visam promover condições para a formação da base-conceitual para o pleno desenvolvimento pessoal e social apresentada abaixo: Com essa iniciativa a Fundação Educacional Montes Claros espera contribuir para a formação de uma nova geração capaz de protagonizar a transformação das suas próprias perspectivas de vida e da realidade social de sua comunidade. A FEMC, mantenedora do projeto, investe na sustentabilidade do Projeto, e em sua expansão, arcando com as despesas com profissionais, estrutura física, organizacional e laboratorial, o que garante sua qualidade e eficácia no combate à exclusão social. Mas são muitas as dificuldades encontradas no dia Escada do Desenvolvimento Humano e a dia, principalmente no que se refere à Social de Antonio Carlos Gomes da Costa. aquisição de materiais e equipamentos de apoio logístico, devido ao alto custo. 9
  • 10. 2.7 – OBJETIVOS Geral Oferecer a 150 crianças do Bairro Cidade Cristo Rei (Favela Feijão Semeado), em situação de vulnerabilidade social, condições que favoreçam o resgate da sua auto-estima, através de serviços complementares ao Ensino Fundamental, atividades artísticas, esportivas e lazer, educação afetiva e sexual, contribuindo para melhoria da vida de toda a comunidade, além de possibilitar aos alunos da escola o conhecimento e compreensão da realidade social, a percepção de seus direitos e responsabilidades em relação à vida pessoal coletiva e ambiental e a vivência das diferentes formas de inserção social, política e cultural Específicos Promover oficinas de arte, recreação e treinamentos esportivos para 80 crianças do BAIRRO CIDADE CRISTO REI oportunizando o despertar da criatividade, a saúde corporal e mental, a 01. vivência do lúdico, para o desenvolvimento integral e harmonioso do indivíduo; Promover cursos de treinamento para as 150 crianças da comunidade na área de Informática 02. Básica, promovendo sua inclusão digital; Promover encontros com a participação de 150 crianças da comunidade para debates sobre a vivência plena de sua afetividade e sexualidade, desenvolvendo uma postura de respeito ao próprio corpo e ao do outro, para a formação de sua auto-estima e conseqüente integridade 03. pessoal e social; Promover encontros entre pais das 150 crianças do bairro para debates sobre a importância da vivência plena de sua sexualidade e afetividade, desenvolvendo uma postura de respeito ao próprio corpo e ao do outro, para a formação da sua auto-estima, possibilitando-lhes assim o acompanhamento e participação no desenvolvimento integral dos filhos; 04. Montar uma biblioteca comunitária com 1000 livros no Bairro Cidade Cristo Rei, para atender às 05. crianças, e incentivar a leitura, com oficinas permanentes; 06. Montar oficina permanente de reforço escolar, para 150 crianças; Montar oficina permanente de corte e costura para as mães das 150 crianças, oportunizando 07. assim aumento da renda familiar e conseqüente melhoria das condições de vida das famílias. Garantir bolsa de estudo integral no curso técnico para todas as 150 crianças do subprojeto Afeto 08. Nosso de Cada Dia e encaminhá-las para estágio e emprego. 2.8 – ÁREA DE COBERTURA (Estados, Municípios, Regiões e/ou Bairros Onde o Projeto Irá Atuar) Bairro Cidade Cristo Rei diretamente e indiretamente outros bairros periféricos, escolas públicas, asilos, orfanatos e instituições públicas e privadas da cidade de Montes Claros. 2.9 – PÚBLICO ALVO Crianças (De 00 a 07 anos) 0 Crianças (De 07 a 12 anos) 100 Adolescentes (De 12 a 18 anos) 43 Jovens (De 18 a 29 anos) 07 10
  • 11. 2.10 – NÚMERO E DESCRIÇÃO TOTAL DE BENEFICIÁRIOS Diretos 150 crianças atendidas diretamente pelo projeto Afeto Nosso de Cada Dia e mais os pacientes atendidos pela Fundação Hospitalar Dílson de Quadros Godinho, nos setores de Hemodiálise e Oncologia.. Indiretos 273 famílias, ou seja, 1.574 moradores atendidos indiretamente pelo projeto. 2.11 – PROFISSIONAIS CONTRATADOS Quantidade Função Breve Descrição das Atividades Promove o envolvimento das crianças e adolescentes com toda a comunidade da FEMC. Planeja, organiza, acompanha e avalia suas práticas, coordena grupos e inclui novas parcerias, identifica organizações que já vêem trabalhando no social, 01 coordenadora constrói redes, potencializa ideais e esforços. Ela tem como características principais a capacidade de se relacionar bem com o outro, disponibilidade, a vivência plena dos valores de responsabilidade social. Promove atividades de educação afetivo-sexual e religiosa. Morador do bairro, líder das crianças, dos jovens e 01 adolescentes, exímio dançarino da Dança de Rua – Instrutor Ministra aulas de dança e artes para os alunos do Projeto. Promove a interação da família com a escola, e melhorias na relação educacional, refletindo com a família sobre a importância da proteção, afetividade e educação.Realiza assistente 01 visitas às famílias para levantamento de dados, social acompanhamento e avaliação, e participa das atividades diárias desenvolvidas na instituição. Atendem os alunos promovendo, semanalmente, 03 Professores de oficinas, aulas práticas, apresentações e demais educação física, atividades educativas, além de estruturar e elaborar literatura, informática o material didático. assistente Registra e organiza os dados e informações dos 01 administrativa alunos, do projeto e dos profissionais envolvidos. assistente de serviços Prepara e organiza o lanche e o ambiente físico. 01 gerais Acompanham o instrutor de dança e artes e os Monitores de apoio 20 professores de informática, robótica educação física, pedagógico literatura e canto. 11
  • 12. Professor de Canto - Musicalidade : Voz e percursão. Realização de oficinas Reinilson Nogueira de arte em que os alunos pesquisam as origens dos Santos, funcionário da instrumentos de percussão e aprendem a confeccioná- FEMC. los artesanalmente. Professor de Aulas semanais de canto/coral para os 100 alunos do Percusssão: Arlei projeto. Nogueira Santos Aulas de Robótica. 04 Professor de Robótica Atividades de educação religiosa. – Murilo Rodrigues Pereira, Funcionário da FEMC Professora Maria José de Carvalho Pereira, funcionária da FEMC Monitora as oficinas de arte. Ministram aulas semanais Monitores de música 06 de canto/coral para os 150 alunos do projeto. e canto 01 Bibliotecária - Elciax Coordena as oficinas de Canto do Conto – Incentivo à leitura. Cristina – Funcionária da FEMC 01 Diretor Administrativo Financeiro - Lucas Capta e administra recursos Lopes Ferreira Pinto, funcionário da FEMC 2.12 – METODOLOGIA 12
  • 13. Antes de iniciar qualquer Projeto é necessário realizar um diagnóstico da realidade, para definir rumos. Portanto, através de um DIA V (similar ao da Rede Globo) , professores, funcionários, alunos da FEMC, envolveram-se em estudos que tinham como objetivo analisar o entorno social da instituição e detectaram a necessidade de resgate de crianças e jovens adolescentes, em situação de risco social e/ou baixa renda, no Bairro Cidade Cristo Rei – Favela Feijão Semeado. E, só a partir desse contato inicial foi proposto o desenvolvimento do subprojeto Afeto Nosso de Cada Dia. Eixo da metodologia foi a participação e a inclusão social. A participação, no que diz respeito à autonomia da comunidade, e a valorização e o respeito à sua cultura e expressão, para promoção da inclusão social. Foi, portanto, elaborado, primeiramente, um plano de aproximação, através da Dança de Rua – o Hip Hop –, comum a todos os jovens do bairro. Esses foram os princípios que orientaram a prática educativa do projeto. A partir desse momento foi feita a elaboração de um plano de ação, com definição de responsáveis, prazos, metas, indicadores de resultados e de avaliação, e detalhamento do orçamento - com custos diretos e indiretos, recursos que seriam demandados.Na interação inicial com o grupo de dança vislumbrou-se a possibilidade de construir sentidos coletivos na busca de proporcionar uma melhor qualidade de vida. De imediato, as lideranças da FEMC foram envolvidas nas ações de responsabilidade social e participaram,efetivamente, da implementação do novo projeto. De acordo com as necessidades e expectativas percebidas foi montada, imediatamente, uma proposta de atendimento a essas crianças e jovens e oferecido a eles um espaço de vivência sócio-afetiva e cultural, na própria FEMC, inclusive espaço físico e instrumentos para ensaios da dança. Iniciaram-se, paulatinamente, com muito amor e acolhida carinhosa, aulas diárias, palestras e oficinas – além das aulas de dança, para as quais foi contratado um professor para todo o ano letivo. Nessa ambiência, as crianças e jovens têm vislumbrado novas perspectivas de vida através da vivência de valores como: amor, respeito, responsabilidade, cidadania, confiança, proatividade, além de novas tecnologias, postura e ética profissional, exigências atuais do mercado de trabalho. O Projeto busca a promoção da socialização e a ressocialização dos envolvidos, possibilitando o melhor aproveitamento do seu convívio familiar afetivo, a capacitação para viver com qualidade o seu dia-a-dia e a formação necessária para conquistas das oportunidades de trabalho. Percebe-se que essas crianças e jovens são muito receptivos e assimilam, com muita espontaneidade, esses novos padrões sociais, demonstrando vocação natural para melhorar o mundo e para vivenciar valores relevantes para a sociedade. 13
  • 14. O subprojeto Afeto Nosso de Cada Dia beneficia 150 crianças e adolescentes, em dois turnos diários, com idade entre 09 e 19 anos, residentes no Bairro Cidade Cristo Rei e alunos da Escola Estadual Filomeno Ribeiro. Para melhor caracterizar essas crianças e jovens, é preenchida por funcionários, professores e alunos, juntamente com a família, e com a participação da diretora e professores da Escola Estadual Filomeno Ribeiro, escola de origem dos beneficiados, uma ficha cadastral, contendo seus dados pessoais (nome, data de nascimento, bairro, filiação, necessidades, expectativas, aptidões, gostos e um breve comentário do motivo de interesse em participar do Projeto). A partir da análise dos dados são programadas as atividades: apoio pedagógico, educação afetivo- sexual, educação religiosa, artes- reciclagem e artes visuais -, canto, dança, teatro, canto do conto – incentivo à leitura, esporte e lazer, inclusão digital, robótica. Como o Projeto Social é de responsabilidade da FEMC, é desenvolvido integralmente nas dependências de suas unidades de ensino; e a contratação da equipe para acompanhar o trabalho é realizada de acordo com as necessidades do Projeto e legislação trabalhista. A alimentação, o material didático e pedagógico, os equipamentos, o material de consumo demandados pelas crianças e jovens durante a sua permanência na instituição são providos pela FEMC, assim como os custos com o transporte para participação em eventos e tardes de lazer. Além disso, a Instituição está investindo na aquisição do figurino utilizado pelo grupo nas suas apresentações em eventos e nos Festivais Internacionais do Folclore. A FEMC, portanto, arca com todas as despesas para o desenvolvimento e continuidade do seu projeto social. 14
  • 15. 2.13 – ATIVIDADES DESENVOLVIDAS Nº Atividade Obj. 1 Descrição Realização de oficinas de arte nas quais os alunos pesquisarão as origens dos instrumentos de percussão e aprenderão a confeccioná-los, artesanalmente; além de 1. Aulas de música 01 aulas semanais de canto/coral para os 100 alunos do projeto. Para viabilizar essa atividade está prevista também aquisição dos instrumentos musicais necessários. Momento dedicado, semanalmente, à leitura, 2. Canto do Conto 02 interpretação e dramatização de histórias. Para viabilizar essa atividade serão adquiridos livros e/ou revistas. Ensaios e apresentações do Grupo Ginga Mineira. Para 3. Aulas de dança 01 viabilizar essa atividade prevê-se a compra de mais instrumentos musicais. Realização periódica de aulas de informática nas salas cedidas pela FEMC, exclusivamente para pessoas em 4. Aulas de Informática 04 situação de exclusão digital, principalmente os 150 jovens assistidos pelo Projeto e seus familiares. Essa atividade demanda aquisição de computadores. Melhoria da qualidade do trabalho educativo com atividades como palestras e apresentações visando à Educação sexual, afetiva, promoção de valores como a disciplina, a organização, o 5. religiosa, literária, e 03 respeito, o amor, a responsabilidade, a ética. Para essa assistência pedagógica. atividade é necessária a aquisição de um projetor multimídia e a confecção de uniformes para os assistidos. 1 Aqui se deve colocar o número do objetivo específico a que a atividade se refere. (Tabela 2.4) 15
  • 16. 2.14 – SISTEMA DE MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO Acompanhamento Como o trabalho com seres humanos jamais caminha numa linha reta, cabe à coordenadora e à assistente social realizar um acompanhamento contínuo e sistemático do projeto, não só para aprimorá- lo, como para não se distanciar dos objetivos propostos. O acompanhamento será realizado por toda a equipe, com a participação do aluno e da sua família, o que amplia o olhar sobre o processo, observando a ação de todos os envolvidos, no sentido de apoiá-los na análise e aprimoramento de sua prática.  O acompanhamento será por meio de : a) roteiro a ser preenchido pelos participantes a cada encontro e discutido nas reuniões, com todos os envolvidos no projeto. b) observação contínua pela coordenadora, assistente social e professores envolvidos nas atividades realizadas pelo grupo. Avaliação A avaliação é um corte dado no processo, para que se possa analisar de forma crítica o quanto se avançou, onde houve dificuldades, em que direção se está seguindo e que mudanças se fazem necessárias. A avaliação é um momento mais específico e pontual do que o acompanhamento e necessita da definição de indicadores que possam mostrar os resultado e o alcance do trabalho desenvolvido.  Para a avaliação serão realizados: a) Preenchimento periódico de Fichas pela coordenadora e pela assistente social em entrevista com as crianças, jovens e seus familiares. b) Reuniões periódicas com os pais para coleta de dados sobre suas impressões a respeito do trabalho realizado. c) Reuniões periódicas para apresentação de resultados (relatório consolidado das fichas de acompanhamento): o Comparação entre os objetivos inicialmente propostos e os resultados efetivamente alcançados. o Elaboração de novos roteiros de atividades quando se fizer necessário. 16
  • 17. Resultados Num projeto de desenvolvimento pessoal e social as possibilidades de resultados e crescimento são infinitas, portanto, muitas vezes ultrapassam ou se afastam do que foi planejado – o que não significa um fracasso -, por outro lado, quando se trata de avaliar mudanças de comportamentos e atitudes, os resultados nem sempre são imediatos e não dependem apenas do trabalho desenvolvido, podendo ocorrer algum tempo após a atividade. Até o momento foram alcançados os seguintes resultados : • Formação e desenvolvimento do Grupo de Dança Ginga Mineira com reconhecimento público, destaque na mídia local e integração aos Festivais Internacionais de Folclore de Montes Claros. • Jovens matriculados em cursos técnicos de nível médio, com bolsa integral concedida pela FEMC. • Jovens inseridos no mercado de trabalho. • Destinação de uma vaga na incubadora de empresas INCET, da FEMC, para o projeto de produção de artigos com materiais reciclados. • Melhoria no comportamento observado em sua relações na escola e na família. • Melhoria do desempenho escolar, conforme relatórios apresentados pela escola de origem, Escola Estadual Filomeno Ribeiro. 17
  • 18. CRONOGRAMA DE ATIVIDADES Mar/0 Ago/0 Nov/0 Nº Atividade Jan/08 Fev/08 Abr/08 Mai/08 Jun/08 Jul/08 Set/08 Out/08 Dez/08 8 8 8 1. Aulas de música X X X X X X X X X X 2. Canto do Conto X X X X X X X X X X 3. Aula de dança X X X X X X X X X X 4. Aulas de Informática X X X X X X X X X X Educação sexual, afetiva, religiosa e literária, e assistência 5. pedagógica. X X X X X X X X X X 18
  • 19. 19