SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 12
PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA -
PIBID
UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA – UEPB
ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO MONTE
CARMELO
COORDENADORA ÁREA DE LETRAS: MAGLIANA RODRIGUES
SUPERVISORA: ZUILA KELLY
ALUNAS: ALANNE DE PAULA BARBOSA; LUCIANA VIEIRAALVES;
MARCIANA DA SILVA MILÂNEZ; RENALLYARRUDA MARTINS DE LIMA
“NAS TRILHAS DA LÍNGUA PORTUGUESA: o texto em foco”
SEQUÊNCIA DIDÁTICA:
Gêneros textuais: Artigo de opinião; crônica argumentativa e editorial
Ano: Ensino médio
Tempo sugerido: Um mês e 15 dias- quatro horas semanais
Temática: A arte de argumentar.
Objetivos:
 Proporcionar o desenvolvimento sócio-discursivo dos discentes;
 Facilitar a capacidade de interpretação dos alunos;
 Promover o posicionamento crítico dos alunos diante dos problemas presentes
em nossa sociedade;
 Trabalhar a oralidade e a escrita com os alunos através de produção textual e
discussões sobre o tema “Os jovens do século XVI”;
 Incentivar a participação e exposição de opiniões dos discentes;
 Refletir sobre as temáticas apresentadas, instigando a participação dos alunos;
 Instigar à leitura crítica dos alunos a partir dos gêneros: artigo de opinião,
crônica argumentativa e editorial;
 Conhecer as características dos gêneros textuais trabalhados:artigo de opinião,
crônica argumentativa e editorial;
 Trabalhar os aspectos que compõem o texto, como os elementos da textualidade:
coesão e coerência;
Sequência Didática
Módulo II: A arte de Argumentar
1º Momento
 Trabalhar a teoria sobre gênero e tipologia textuais;
 Justificativa: Iniciaremos esta sequência com a teoria sobre gêneros e tipologias
textuais, pois se trata da continuidade do trabalho desenvolvido na sequência
anterior, além de ser um conteúdo de suma importância, para queao longo das
leituras e discussões dos textos, os alunos possam identificar e reconhecer as
características de cada gênero trabalhado.
 Dinâmica: A dança da cadeira (Jogo de perguntas e respostas) – Nesta dinâmica
os alunos que forem eliminados no decorrer da brincadeira terão que responder a
questões sobre o tema abordado na aula: gênero e tipologia textuais.
 Objetivos da dinâmica: Instigar a participação dos alunos e fixar o conteúdo
trabalhado.
2º Momento
 Dinâmica sobre drogas: “A escolha”- Nessa dinâmica a turma será divida em
dois grupos,sendo que um aluno a parte dos grupos, fará o papel de
PEREGRINO e a sua missão será a de fazer as escolhas “certas ou erradas” de
acordo com o que cada grupo argumentar. Portanto, o grupo 1- fará o papel da
consciência e incentivará o peregrino a ir pelo caminho certo (sem drogas), e ao
final do percurso, esta escolha certa lhe dará uma recompensa. Já o grupo 2- fará
o papel das más influências, que induzirá o peregrino a escolher o caminho
errado (das drogas) e ao final do trajeto, este caminho errado lhe fará refletir
sobre suas más escolhas. No entanto, ao longo de todo o percurso há a
possibilidade do peregrino mudar de caminho e passar de um lado para o outro.
Indo de acordo com o grupo que melhor argumentar. Tempo de duração:
aproximadamente 30 minutos.
 Objetivos da dinâmica: Introduzir a temática: Os jovens do século XXI: o
problema das drogas; instigar a participação e argumentação dos discentes.
 Levar o ARTIGO DE OPINIÃO “Drogas na adolescência”, de Wagner
Paulon,sobre a temática “Os jovens do século XXI: o problema das drogas;
 Mostrar o vídeo: Programa Roberto Justus + (parte 1), entrevistando
personalidades que se libertaram das drogas (Rafael Ilha e João Estrela), para
complementar e finalizar a discussão da temática nesta aula –(roteiro de
discussão – ver anexo I);
 Atividade para casa: Solicitar aos alunos que pesquisem cinco argumentos para
embasar a opinião deles a favor ou contra a legalização das drogas, sendo este o
assunto que será abordado na aula seguinte.. Esta pesquisa dará auxilio na
argumentação dos alunos para o debate que será realizado no próximo momento.
3º Momento
 Apresentação dos vídeos:Programa Profissão repórter- Os jovens nas drogas,
abordando as várias dificuldades que os jovens enfrentam ao se envolverem com
as drogas; e o Programa Roberto Justus + (parte 2), que aborda a polêmica da
legalização das drogas.
 Levar o EDITORIAL: “A polêmica da legalização das drogas” do jornal O
Globo, para ler com a turma;
 Dividir a turma em dois grupos que serão posicionados da seguinte forma:
contra e favor da legalização das drogas, para realizar um debate, mediado pelas
professoras, tendo como base a pesquisa proposta na aula anterior, o vídeo e o
texto do módulo- (roteiro de discussão- ver anexo II).
4º Momento
 Realizar um passeio com a turma: Visitar a Fazenda do Sol;
 Justificativa: Como foi trabalhada em sala a temática drogas, decidimos levar os
alunos à Fazenda do Sol para que eles tenham o contato direto com a realidade
de pessoas que se envolveram com as drogas e que estão em busca da
recuperação.
5ºMomento
 Levar os vídeos: Programa Profissão repórter- Drogas lícitas e ilícitas, que
mostram situações em que há o envolvimento dos jovens com o mundo das
drogas;
 Discutir o assunto abordado nos vídeos- (roteiro de discussão- anexo III).
 Dividir a turma em grupos para realizar uma encenação sobre as drogas – Nesta
encenação cada grupo irá apresentar uma situação diferente sobre o
envolvimento dos jovens com as drogas. Por exemplo: Um grupo poderá
apresentar uma situação em que os adolescentes conseguiram se libertar das
drogas e o outro grupo poderá mostrar uma situação em que as drogas
destruíram a vida dos jovens. A encenação será gravada.
 Objetivo da atividade: Desenvolver a criatividade, argumentação, participação,
trazendo uma reflexão acerca de tudo o que foi discutido até o momento. Esta
atividade será o encerramento da temática “Os jovens do século XXI: o
problema das drogas”.
6º Momento
 Expor vídeos para introduzir a temática “Os jovens do século XXI: Bullying –
preconceito desmedido”- Caso CaseyHeynes e o caso de Realengo, que abordam
dois casos em que o bullying levou as vítimas ao extremo;
 Levar o ARTIGO DE OPINIÃO “Bullying”, do grupo Phoenix,que fala sobre os
problemas causados pelo bullying e cyberbullying –(roteiro de discussão-Ver
anexo IV);
 Dinâmica sobre o BULLYING: “O excluído”. A sala será dividida em dois
grupos, sendo um menor (4 pessoas) e o outro maior (restante da turma). O
menor tentará, individualmente, entrar no grupo maior que terá um código de
acesso interno. Ele terá várias tentativas para desvendar o código. A brincadeira
acaba quando todo o grupo menor conseguir entrar para o grupo maior, através
da descoberta do código.
 Justificativa da dinâmica: Pretendemos com essa dinâmica conscientizar os
alunos sobre a questão da exclusão que o bullying provoca nas vítimas.
7º Momento
 Levar a CRÔNICA ARGUMENTATIVA “Bullyingeincivilidade”, de Rosely
Sayão, que aborda o bullying como uma falta de civilidade;
 Discussão do texto lido- falar sobre os diferentes tipos de bullying -(roteiro de
discussão - ver anexo V);
 Dividir a turma em quatro grupos para produzirem uma campanha – Nesta
campanha os alunos terão que elaborar argumentos para conscientizarem os
colegas a não praticarem o bullying. Cada grupo ficará responsável por mostrar
um tipo de bullying;
 Objetivos da campanha: Conscientizar a escola sobre a problemática da prática
do bullyinge instigar a argumentação e a participação oral dos discentes através
da produção de cartazes e apresentação da campanha para os alunos da escola.
 Cada grupo com o auxilio de uma das professoras produzirá argumentos que
serão utilizados na campanha, iniciando a produção dos cartazes.
8º Momento
 Continuar a produção dos cartazes para a campanha que será realizada no
encontro seguinte, utilizando os argumentos produzidos na aula anterior com o
auxílio das professoras;
 Exibição de vídeos para ajudar os alunos na apresentação da campanha e
finalizar a discussão da temática.
9° Momento
 Apresentação da campanha para a escola (a decidir a maneira como a campanha
será apresentada).
10° Momento
 Explanar a teoria sobre os gêneros textuais que foram trabalhados ao longo da
sequência: Artigo de opinião, crônica argumentativa e editorial (levaremos as
características desses três gêneros para comparar as semelhanças e diferenças
entre eles).
 Propor a escrita de um artigo de opinião em sala de aula: os alunos poderão
escolher uma das temáticas trabalhadas durante esta sequência.
11° Momento
 Levar uma síntese sobre os elementos da textualidade: coesão e coerência
 Justificativa:levaremos esta síntese para auxiliar na reescrita dos textos dos
discentes, visto que suas maiores dificuldades em relação à escrita
estãorelacionadas aos elementos da textualidade.
 Reescrita dos artigos com o auxílio das professoras. A versão final do texto será
postada no blog do projeto.
12° Momento
 Confraternização
 Apresentação do curta-metragem com a participação dos alunos(O curta-
metragem será gravado ao final de cada aula dessa sequência, entrevistaremos
um aluno por vez. Nele apresentaremos os depoimentos dos alunos falando a
respeito das suas vivências e experiências no projeto, como também as fotos,
vídeos e todo o material coletado nas aulas. Será uma espécie de documentário.
Na confraternização os alunos assistirão ao curta- metragem.
ANEXOS
ANEXO I
Roteiro de Discussão
1- Qual a temática central do texto e dos vídeos apresentados?
2- Que relação tem essa temática com o jovem do século XXI?
3- Qual o ponto de vista defendido pelo autor do texto?
4- Quais os argumentos que o autor do texto utiliza para convencer o leitor?
5- Que tipo de linguagem o autor utiliza em seu texto?
6- Em algum momento você se sentiu influenciado pelo autor do texto a mudar de
opinião? Por quê?
7- Você concorda com o autor do texto “Drogas na adolescência” quando ele
afirma que os jovens cujos pais usam drogas (como por exemplo as drogas
lícitas) são mais inclinados do que os outros adolescentes a usar drogas? Por
quê?
8- De acordo com os vídeos apresentados como os entrevistados entraram no
mundo das drogas? E como conseguiram sair?
9- Na sua opinião, todos podem se livrar do vício das drogas, pois é uma questão
de força de vontade, ou nem sempre isso é possível e porquê?
ANEXO II
Roteiro de discussão
1-Qual a temática central do texto e dos vídeos apresentados?
2-Qual o ponto de vista defendido pelo autor do texto?
3-Quais os argumentos que o autor do texto utiliza para convencer o leitor?
4-Que tipo de linguagem o autor utiliza em seu texto?
5-Na sua opinião porque o jornal escreveu sobre este assunto?
6-Para você a maconha deve ser legalizada? Argumente sobre isso.
7-Vendo o vídeo do programa Profissão Repórter, que fala sobre os problemas que
os jovens enfrentam ao usar as drogas. Você se posiciona a favor ou contra a
legalização?
8-Você acredita que o tráfico de drogas diminuiria com a legalização da maconha?
Argumente.
9-Assistindo ao vídeo do programa Roberto Justos +, que fala sobre a legalização da
maconha, você acredita que seria possível no Brasil criar uma lei para descriminalizar a
maconha como em Amsterdã e que seria possível funcionar aqui como lá? Comente.
ANEXO III
Roteiro de Discussão
1- Qual a temática central dos vídeos apresentados?
2- Para você o que significa drogas?
3- Na sua opinião o que pode ser considerado drogas?
4- As drogas lícitas são o primeiro passo para viciar em drogas ilícitas? Justifique.
5- As drogas lícitas matam e podem causar danos tão graves quanto as ilícitas? Dê
exemplos que você conheça ou viu na mídia.
6- Na sua opinião, porque as pessoas procuram as drogas e o que elas buscam
nesses entorpecentes?
7- Vendo todo o estrago e destruição que as drogas causam na vida de um ser
humano, você seria capaz de usá-las só por curiosidade ou porque um colega lhe
ofereceu? REFLITA.
ANEXO IV
Roteiro de discussão
1- Qual a temática central do texto e dos vídeos apresentados?
2- Que relação tem essa temática com o jovem do século XXI?
3- Qual o ponto de vista defendido pelo autor do texto?
4- Quais os argumentos que o autor do texto utiliza para convencer o leitor?
5- Que tipo de linguagem o autor utiliza em seu texto?
6- Em algum momento você se sentiu influenciado pelo autor do texto a mudar de
opinião? Por quê?
7- Você acha que a televisão, a internet e outros meios de comunicação,
contribuíram para o aumento de casos de bullying? De que forma esses meios
podem contribuir para esse crescente tipo de preconceito?
8- Por que o grande alvo do bullying são as crianças e adolescentes?
9- A grande parte das vítimas do bullying não contam, não conversam com outros
sobre o que está se passando. Por que isso acontece? Medo, vergonha ou
aceitação?
10- Há diferença entre bullying e cyberbullying? Quais?
11- O que você entende por bullying?
12- Qual o limite entre bullying e as brincadeiras (de mau gosto)?
13-De que formas o bullying pode ser cometido? O que de fato pode ser
considerado prática de bullying?
14-Em casos como os mostrados nos vídeos, em que as “supostas” vítimas foram ao
extremo e agrediram seus agressores. Essa realmente é a melhor forma de
revidar as agressões? E como você se comportaria, se estivesse no lugar deles
sofrendo inúmeras humilhações?
ANEXO V
Roteiro de discussão
1- Qual a temática central do texto?
2- Qual o ponto de vista defendido pela autora?
3- Quais os argumentos que a autora utiliza para convencer o leitor?
4- Que tipo de linguagem a autora utiliza em seu texto?
5- A autora usa algum exemplo do cotidiano em seu texto? Que fato a autora
utiliza para desenvolver e dar credibilidade à sua argumentação no texto?
6- Na sua opinião, o bullying pode ser considerado uma falta de civilidade?
7- Quais são as formas de prática de bullying mais conhecidas?
8- Quais as principais causas e consequências do bullying?
9- De acordo com o seu ponto de vista, o combate ao bullying deve ser feito como
uma forma de prevenção, punição ou ambos? Justifique.
10-E o que você acredita que pode ser feito para prevenir essa prática? E nos casos
de punição como devem ser punidos os agressores?

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Itinerário Formativo "ORALIDADE E PRODUÇÃO ESCRITA: AS REPRESENTAÇÕES DO EU"
Itinerário Formativo "ORALIDADE E PRODUÇÃO ESCRITA: AS REPRESENTAÇÕES DO EU"Itinerário Formativo "ORALIDADE E PRODUÇÃO ESCRITA: AS REPRESENTAÇÕES DO EU"
Itinerário Formativo "ORALIDADE E PRODUÇÃO ESCRITA: AS REPRESENTAÇÕES DO EU"Paula Meyer Piagentini
 
ARGUMENTAÇÃO - Enem (Competência 3)
ARGUMENTAÇÃO - Enem (Competência 3)ARGUMENTAÇÃO - Enem (Competência 3)
ARGUMENTAÇÃO - Enem (Competência 3)Cynthia Funchal
 
Produção Textual - Manifesto
Produção Textual  - ManifestoProdução Textual  - Manifesto
Produção Textual - ManifestoElaine Teixeira
 
VariaçãO LinguíStica
VariaçãO LinguíSticaVariaçãO LinguíStica
VariaçãO LinguíSticaElza Silveira
 
Tipos de argumentos
Tipos de argumentosTipos de argumentos
Tipos de argumentosAna Castro
 
Exercícios sobre variação linguística
Exercícios sobre variação linguísticaExercícios sobre variação linguística
Exercícios sobre variação linguísticama.no.el.ne.ves
 
Descritores spaece - língua portuguesa
Descritores   spaece - língua portuguesaDescritores   spaece - língua portuguesa
Descritores spaece - língua portuguesaPacatubaLei
 
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURAAULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURAMarcelo Cordeiro Souza
 
PLANO DE AULA- CONTRA A VIOLÊNCIA EU MOSTRO A MINHA CARA- Prof. Noe Assunção
PLANO DE AULA- CONTRA A VIOLÊNCIA EU MOSTRO A MINHA CARA- Prof.  Noe AssunçãoPLANO DE AULA- CONTRA A VIOLÊNCIA EU MOSTRO A MINHA CARA- Prof.  Noe Assunção
PLANO DE AULA- CONTRA A VIOLÊNCIA EU MOSTRO A MINHA CARA- Prof. Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
Textos digitais literários
Textos digitais literários Textos digitais literários
Textos digitais literários AndrSoares140
 
Gênero Textual: Conto
Gênero Textual: ContoGênero Textual: Conto
Gênero Textual: ContoMyllenne Abreu
 
Figuras de linguagem: 25 propagandas. Exercício 2.
Figuras de linguagem: 25 propagandas. Exercício 2.Figuras de linguagem: 25 propagandas. Exercício 2.
Figuras de linguagem: 25 propagandas. Exercício 2.Cláudia Heloísa
 
Guia de aprendizagem de Português 1° ano do Ensino Médio do Tempo Integral
Guia de aprendizagem de Português 1° ano do Ensino Médio do Tempo Integral Guia de aprendizagem de Português 1° ano do Ensino Médio do Tempo Integral
Guia de aprendizagem de Português 1° ano do Ensino Médio do Tempo Integral Val Valença
 
1 coesão textual - referencial e sequencial
1   coesão textual - referencial e sequencial1   coesão textual - referencial e sequencial
1 coesão textual - referencial e sequencialLuciene Gomes
 

Mais procurados (20)

Itinerário Formativo "ORALIDADE E PRODUÇÃO ESCRITA: AS REPRESENTAÇÕES DO EU"
Itinerário Formativo "ORALIDADE E PRODUÇÃO ESCRITA: AS REPRESENTAÇÕES DO EU"Itinerário Formativo "ORALIDADE E PRODUÇÃO ESCRITA: AS REPRESENTAÇÕES DO EU"
Itinerário Formativo "ORALIDADE E PRODUÇÃO ESCRITA: AS REPRESENTAÇÕES DO EU"
 
Artigo de opinião
Artigo de opiniãoArtigo de opinião
Artigo de opinião
 
ARGUMENTAÇÃO - Enem (Competência 3)
ARGUMENTAÇÃO - Enem (Competência 3)ARGUMENTAÇÃO - Enem (Competência 3)
ARGUMENTAÇÃO - Enem (Competência 3)
 
Aulas de Redação: desenvolvimento
Aulas de Redação: desenvolvimentoAulas de Redação: desenvolvimento
Aulas de Redação: desenvolvimento
 
Slide - aula fanfiction
Slide - aula fanfictionSlide - aula fanfiction
Slide - aula fanfiction
 
Produção Textual - Manifesto
Produção Textual  - ManifestoProdução Textual  - Manifesto
Produção Textual - Manifesto
 
VariaçãO LinguíStica
VariaçãO LinguíSticaVariaçãO LinguíStica
VariaçãO LinguíStica
 
Tipos de argumentos
Tipos de argumentosTipos de argumentos
Tipos de argumentos
 
Exercícios sobre variação linguística
Exercícios sobre variação linguísticaExercícios sobre variação linguística
Exercícios sobre variação linguística
 
Texto Argumentativo
Texto Argumentativo Texto Argumentativo
Texto Argumentativo
 
Descritores spaece - língua portuguesa
Descritores   spaece - língua portuguesaDescritores   spaece - língua portuguesa
Descritores spaece - língua portuguesa
 
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURAAULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
 
PLANO DE AULA- CONTRA A VIOLÊNCIA EU MOSTRO A MINHA CARA- Prof. Noe Assunção
PLANO DE AULA- CONTRA A VIOLÊNCIA EU MOSTRO A MINHA CARA- Prof.  Noe AssunçãoPLANO DE AULA- CONTRA A VIOLÊNCIA EU MOSTRO A MINHA CARA- Prof.  Noe Assunção
PLANO DE AULA- CONTRA A VIOLÊNCIA EU MOSTRO A MINHA CARA- Prof. Noe Assunção
 
Textos digitais literários
Textos digitais literários Textos digitais literários
Textos digitais literários
 
Gênero Textual: Conto
Gênero Textual: ContoGênero Textual: Conto
Gênero Textual: Conto
 
SLIDES – PARÓDIA.
SLIDES – PARÓDIA.SLIDES – PARÓDIA.
SLIDES – PARÓDIA.
 
Figuras de linguagem: 25 propagandas. Exercício 2.
Figuras de linguagem: 25 propagandas. Exercício 2.Figuras de linguagem: 25 propagandas. Exercício 2.
Figuras de linguagem: 25 propagandas. Exercício 2.
 
Guia de aprendizagem de Português 1° ano do Ensino Médio do Tempo Integral
Guia de aprendizagem de Português 1° ano do Ensino Médio do Tempo Integral Guia de aprendizagem de Português 1° ano do Ensino Médio do Tempo Integral
Guia de aprendizagem de Português 1° ano do Ensino Médio do Tempo Integral
 
1 coesão textual - referencial e sequencial
1   coesão textual - referencial e sequencial1   coesão textual - referencial e sequencial
1 coesão textual - referencial e sequencial
 
Slides sobre reportagem
Slides sobre reportagemSlides sobre reportagem
Slides sobre reportagem
 

Destaque

Parâmetros Curriculares Nacionais - Português Ensino Fundamental
Parâmetros Curriculares Nacionais - Português Ensino FundamentalParâmetros Curriculares Nacionais - Português Ensino Fundamental
Parâmetros Curriculares Nacionais - Português Ensino FundamentalPibid Letras Português Ufal
 
Fernando Pessoa e Heterônimos: Uma proposta intertextual para o Ensino Médio
Fernando Pessoa e Heterônimos: Uma proposta intertextual para o Ensino MédioFernando Pessoa e Heterônimos: Uma proposta intertextual para o Ensino Médio
Fernando Pessoa e Heterônimos: Uma proposta intertextual para o Ensino MédioFelipe De Souza Costa
 
Secretaria da educação do estado da bahia sequencia didadita
Secretaria da educação do estado da bahia sequencia didaditaSecretaria da educação do estado da bahia sequencia didadita
Secretaria da educação do estado da bahia sequencia didaditaUyaraPortugal
 
Sequencia didatica de historia
Sequencia didatica de historiaSequencia didatica de historia
Sequencia didatica de historiaUyaraPortugal
 
Textos sobre bullying dos alunos do 6º ano
Textos sobre bullying  dos alunos do 6º anoTextos sobre bullying  dos alunos do 6º ano
Textos sobre bullying dos alunos do 6º anoVera Mln Silva
 
Sequencia Didatica Angulo
Sequencia Didatica AnguloSequencia Didatica Angulo
Sequencia Didatica AnguloLinguagem Logo
 
Diferença entre tese e argumento
Diferença entre tese e argumentoDiferença entre tese e argumento
Diferença entre tese e argumentocristina resende
 
Ficha de trabalho nº11 exercicios atendimento - escuta
Ficha de trabalho nº11    exercicios atendimento - escutaFicha de trabalho nº11    exercicios atendimento - escuta
Ficha de trabalho nº11 exercicios atendimento - escutaLeonor Alves
 
Projeto "Bullying: Somos todos iguais nas próprias diferenças"
Projeto "Bullying: Somos todos iguais nas próprias diferenças"Projeto "Bullying: Somos todos iguais nas próprias diferenças"
Projeto "Bullying: Somos todos iguais nas próprias diferenças"Viviane De Carvalho Teixeira
 
LINGUA PORTUGUESA- DESCRITORES
LINGUA PORTUGUESA- DESCRITORESLINGUA PORTUGUESA- DESCRITORES
LINGUA PORTUGUESA- DESCRITORESPEDAGOGIADILA
 

Destaque (11)

Parâmetros Curriculares Nacionais - Português Ensino Fundamental
Parâmetros Curriculares Nacionais - Português Ensino FundamentalParâmetros Curriculares Nacionais - Português Ensino Fundamental
Parâmetros Curriculares Nacionais - Português Ensino Fundamental
 
Fernando Pessoa e Heterônimos: Uma proposta intertextual para o Ensino Médio
Fernando Pessoa e Heterônimos: Uma proposta intertextual para o Ensino MédioFernando Pessoa e Heterônimos: Uma proposta intertextual para o Ensino Médio
Fernando Pessoa e Heterônimos: Uma proposta intertextual para o Ensino Médio
 
Secretaria da educação do estado da bahia sequencia didadita
Secretaria da educação do estado da bahia sequencia didaditaSecretaria da educação do estado da bahia sequencia didadita
Secretaria da educação do estado da bahia sequencia didadita
 
Sequência didática crônica pausa
Sequência didática   crônica pausaSequência didática   crônica pausa
Sequência didática crônica pausa
 
Sequencia didatica de historia
Sequencia didatica de historiaSequencia didatica de historia
Sequencia didatica de historia
 
Textos sobre bullying dos alunos do 6º ano
Textos sobre bullying  dos alunos do 6º anoTextos sobre bullying  dos alunos do 6º ano
Textos sobre bullying dos alunos do 6º ano
 
Sequencia Didatica Angulo
Sequencia Didatica AnguloSequencia Didatica Angulo
Sequencia Didatica Angulo
 
Diferença entre tese e argumento
Diferença entre tese e argumentoDiferença entre tese e argumento
Diferença entre tese e argumento
 
Ficha de trabalho nº11 exercicios atendimento - escuta
Ficha de trabalho nº11    exercicios atendimento - escutaFicha de trabalho nº11    exercicios atendimento - escuta
Ficha de trabalho nº11 exercicios atendimento - escuta
 
Projeto "Bullying: Somos todos iguais nas próprias diferenças"
Projeto "Bullying: Somos todos iguais nas próprias diferenças"Projeto "Bullying: Somos todos iguais nas próprias diferenças"
Projeto "Bullying: Somos todos iguais nas próprias diferenças"
 
LINGUA PORTUGUESA- DESCRITORES
LINGUA PORTUGUESA- DESCRITORESLINGUA PORTUGUESA- DESCRITORES
LINGUA PORTUGUESA- DESCRITORES
 

Semelhante a Sequência didática módulo ii- a arte de argumentar corrigida

Campanha educativa bullying
Campanha educativa bullyingCampanha educativa bullying
Campanha educativa bullyingLiliane Machado
 
"Bullying: Somos todos iguais nas próprias diferenças."
"Bullying: Somos todos iguais nas próprias diferenças.""Bullying: Somos todos iguais nas próprias diferenças."
"Bullying: Somos todos iguais nas próprias diferenças."Viviane De Carvalho Teixeira
 
Projeto fotonovela
Projeto fotonovelaProjeto fotonovela
Projeto fotonovelaLuciana V
 
Cronograma das Aulas de Sociologia em 2011
Cronograma das Aulas de Sociologia em 2011Cronograma das Aulas de Sociologia em 2011
Cronograma das Aulas de Sociologia em 2011Professor Belinaso
 
Curte que eu enceno: as redes sociais em foco
Curte que eu enceno: as redes sociais em focoCurte que eu enceno: as redes sociais em foco
Curte que eu enceno: as redes sociais em focopibidbar
 
Curte que eu enceno: as redes sociais em foco
Curte que eu enceno: as redes sociais em focoCurte que eu enceno: as redes sociais em foco
Curte que eu enceno: as redes sociais em focopibidbar
 
Fcteweb2etapa3equipeinterrede
Fcteweb2etapa3equipeinterredeFcteweb2etapa3equipeinterrede
Fcteweb2etapa3equipeinterredeAdeildo Vila Nova
 
Unidade 3 aula_powerpoint_geija
Unidade 3 aula_powerpoint_geijaUnidade 3 aula_powerpoint_geija
Unidade 3 aula_powerpoint_geijaGeija Fortunato
 
Esboço da sequência didática 02
Esboço da sequência didática   02Esboço da sequência didática   02
Esboço da sequência didática 02Renally Arruda
 
Bullying: a brincadeira que não tem graça
Bullying: a brincadeira que não tem graçaBullying: a brincadeira que não tem graça
Bullying: a brincadeira que não tem graçaJC Costa
 
Modelo de plano de classe
Modelo de plano de classeModelo de plano de classe
Modelo de plano de classemellx
 
Violência na Escola Elci_Elciene
Violência na Escola   Elci_ElcieneViolência na Escola   Elci_Elciene
Violência na Escola Elci_ElcieneElciene Oliveira
 
Relato de experiência kathia
Relato de experiência kathiaRelato de experiência kathia
Relato de experiência kathiaKathia Canizares
 
23 12 link balbúrdia no português
23 12 link balbúrdia no português23 12 link balbúrdia no português
23 12 link balbúrdia no portuguêsYgor El Hireche
 

Semelhante a Sequência didática módulo ii- a arte de argumentar corrigida (20)

Campanha educativa bullying
Campanha educativa bullyingCampanha educativa bullying
Campanha educativa bullying
 
Campanha educativa bullying
Campanha educativa bullyingCampanha educativa bullying
Campanha educativa bullying
 
"Bullying: Somos todos iguais nas próprias diferenças."
"Bullying: Somos todos iguais nas próprias diferenças.""Bullying: Somos todos iguais nas próprias diferenças."
"Bullying: Somos todos iguais nas próprias diferenças."
 
Projeto fotonovela
Projeto fotonovelaProjeto fotonovela
Projeto fotonovela
 
Sequência 2015.1
Sequência 2015.1Sequência 2015.1
Sequência 2015.1
 
Sequencia 2016.1 - Nas trilhas da lingua portuguesa
Sequencia 2016.1 - Nas trilhas da lingua portuguesaSequencia 2016.1 - Nas trilhas da lingua portuguesa
Sequencia 2016.1 - Nas trilhas da lingua portuguesa
 
Cronograma das Aulas de Sociologia em 2011
Cronograma das Aulas de Sociologia em 2011Cronograma das Aulas de Sociologia em 2011
Cronograma das Aulas de Sociologia em 2011
 
Curte que eu enceno: as redes sociais em foco
Curte que eu enceno: as redes sociais em focoCurte que eu enceno: as redes sociais em foco
Curte que eu enceno: as redes sociais em foco
 
Curte que eu enceno: as redes sociais em foco
Curte que eu enceno: as redes sociais em focoCurte que eu enceno: as redes sociais em foco
Curte que eu enceno: as redes sociais em foco
 
Fcteweb2etapa3equipeinterrede
Fcteweb2etapa3equipeinterredeFcteweb2etapa3equipeinterrede
Fcteweb2etapa3equipeinterrede
 
Unidade 3 aula_powerpoint_geija
Unidade 3 aula_powerpoint_geijaUnidade 3 aula_powerpoint_geija
Unidade 3 aula_powerpoint_geija
 
Atividade dos alunos - Parte 1 – Pesquisa científica.
Atividade dos alunos -  Parte 1 – Pesquisa científica.Atividade dos alunos -  Parte 1 – Pesquisa científica.
Atividade dos alunos - Parte 1 – Pesquisa científica.
 
Projeto o grande debate
Projeto o grande debateProjeto o grande debate
Projeto o grande debate
 
Esboço da sequência didática 02
Esboço da sequência didática   02Esboço da sequência didática   02
Esboço da sequência didática 02
 
Bullying: a brincadeira que não tem graça
Bullying: a brincadeira que não tem graçaBullying: a brincadeira que não tem graça
Bullying: a brincadeira que não tem graça
 
Modelo de plano de classe
Modelo de plano de classeModelo de plano de classe
Modelo de plano de classe
 
Violência na Escola Elci_Elciene
Violência na Escola   Elci_ElcieneViolência na Escola   Elci_Elciene
Violência na Escola Elci_Elciene
 
O audiovisual na escola
O audiovisual na escola O audiovisual na escola
O audiovisual na escola
 
Relato de experiência kathia
Relato de experiência kathiaRelato de experiência kathia
Relato de experiência kathia
 
23 12 link balbúrdia no português
23 12 link balbúrdia no português23 12 link balbúrdia no português
23 12 link balbúrdia no português
 

Mais de Renally Arruda

Sequencia pibid 2015.2
Sequencia pibid 2015.2 Sequencia pibid 2015.2
Sequencia pibid 2015.2 Renally Arruda
 
Peça teatral representação da paraíba
Peça teatral representação da paraíbaPeça teatral representação da paraíba
Peça teatral representação da paraíbaRenally Arruda
 
Entrevistas a membros da comunidade quilombola grilo
Entrevistas a membros da comunidade quilombola griloEntrevistas a membros da comunidade quilombola grilo
Entrevistas a membros da comunidade quilombola griloRenally Arruda
 
Esquema para realização da entrevista
Esquema para realização da entrevistaEsquema para realização da entrevista
Esquema para realização da entrevistaRenally Arruda
 
Caderno de atividades.2015.2
Caderno de atividades.2015.2Caderno de atividades.2015.2
Caderno de atividades.2015.2Renally Arruda
 
QUIZ MEMÓRIAS LITERÁRIAS
QUIZ MEMÓRIAS LITERÁRIASQUIZ MEMÓRIAS LITERÁRIAS
QUIZ MEMÓRIAS LITERÁRIASRenally Arruda
 
Gênero memórias literárias
Gênero memórias literáriasGênero memórias literárias
Gênero memórias literáriasRenally Arruda
 
Análise das-perguntas versão final
Análise das-perguntas versão finalAnálise das-perguntas versão final
Análise das-perguntas versão finalRenally Arruda
 
O gênero textual entrevista
O gênero textual   entrevistaO gênero textual   entrevista
O gênero textual entrevistaRenally Arruda
 
Artigo de opinião dos alunos versão final
Artigo de opinião dos alunos versão finalArtigo de opinião dos alunos versão final
Artigo de opinião dos alunos versão finalRenally Arruda
 
Revisao produção pibid
Revisao produção pibidRevisao produção pibid
Revisao produção pibidRenally Arruda
 
Slide sobre coerencia pibid
Slide sobre coerencia pibidSlide sobre coerencia pibid
Slide sobre coerencia pibidRenally Arruda
 
Slide sobre coerência pibid
Slide sobre coerência pibidSlide sobre coerência pibid
Slide sobre coerência pibidRenally Arruda
 

Mais de Renally Arruda (20)

Módulo 2015.2
Módulo 2015.2 Módulo 2015.2
Módulo 2015.2
 
Sequencia pibid 2015.2
Sequencia pibid 2015.2 Sequencia pibid 2015.2
Sequencia pibid 2015.2
 
Memórias literárias
Memórias literáriasMemórias literárias
Memórias literárias
 
Peça teatral representação da paraíba
Peça teatral representação da paraíbaPeça teatral representação da paraíba
Peça teatral representação da paraíba
 
Entrevistas a membros da comunidade quilombola grilo
Entrevistas a membros da comunidade quilombola griloEntrevistas a membros da comunidade quilombola grilo
Entrevistas a membros da comunidade quilombola grilo
 
Esquema para realização da entrevista
Esquema para realização da entrevistaEsquema para realização da entrevista
Esquema para realização da entrevista
 
Caderno de atividades.2015.2
Caderno de atividades.2015.2Caderno de atividades.2015.2
Caderno de atividades.2015.2
 
QUIZ MEMÓRIAS LITERÁRIAS
QUIZ MEMÓRIAS LITERÁRIASQUIZ MEMÓRIAS LITERÁRIAS
QUIZ MEMÓRIAS LITERÁRIAS
 
Vamos ler
Vamos lerVamos ler
Vamos ler
 
Textualização
TextualizaçãoTextualização
Textualização
 
Slides maquetes
Slides maquetesSlides maquetes
Slides maquetes
 
Gênero memórias literárias
Gênero memórias literáriasGênero memórias literárias
Gênero memórias literárias
 
Análise das-perguntas versão final
Análise das-perguntas versão finalAnálise das-perguntas versão final
Análise das-perguntas versão final
 
O gênero textual entrevista
O gênero textual   entrevistaO gênero textual   entrevista
O gênero textual entrevista
 
Artigo de opinião dos alunos versão final
Artigo de opinião dos alunos versão finalArtigo de opinião dos alunos versão final
Artigo de opinião dos alunos versão final
 
Revisao produção pibid
Revisao produção pibidRevisao produção pibid
Revisao produção pibid
 
Slide sobre coerencia pibid
Slide sobre coerencia pibidSlide sobre coerencia pibid
Slide sobre coerencia pibid
 
O jogo da vida
O jogo da vidaO jogo da vida
O jogo da vida
 
Quem sabe mais
Quem sabe maisQuem sabe mais
Quem sabe mais
 
Slide sobre coerência pibid
Slide sobre coerência pibidSlide sobre coerência pibid
Slide sobre coerência pibid
 

Sequência didática módulo ii- a arte de argumentar corrigida

  • 1. PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA – UEPB ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO MONTE CARMELO COORDENADORA ÁREA DE LETRAS: MAGLIANA RODRIGUES SUPERVISORA: ZUILA KELLY ALUNAS: ALANNE DE PAULA BARBOSA; LUCIANA VIEIRAALVES; MARCIANA DA SILVA MILÂNEZ; RENALLYARRUDA MARTINS DE LIMA “NAS TRILHAS DA LÍNGUA PORTUGUESA: o texto em foco” SEQUÊNCIA DIDÁTICA: Gêneros textuais: Artigo de opinião; crônica argumentativa e editorial Ano: Ensino médio Tempo sugerido: Um mês e 15 dias- quatro horas semanais Temática: A arte de argumentar. Objetivos:  Proporcionar o desenvolvimento sócio-discursivo dos discentes;  Facilitar a capacidade de interpretação dos alunos;
  • 2.  Promover o posicionamento crítico dos alunos diante dos problemas presentes em nossa sociedade;  Trabalhar a oralidade e a escrita com os alunos através de produção textual e discussões sobre o tema “Os jovens do século XVI”;  Incentivar a participação e exposição de opiniões dos discentes;  Refletir sobre as temáticas apresentadas, instigando a participação dos alunos;  Instigar à leitura crítica dos alunos a partir dos gêneros: artigo de opinião, crônica argumentativa e editorial;  Conhecer as características dos gêneros textuais trabalhados:artigo de opinião, crônica argumentativa e editorial;  Trabalhar os aspectos que compõem o texto, como os elementos da textualidade: coesão e coerência; Sequência Didática Módulo II: A arte de Argumentar 1º Momento  Trabalhar a teoria sobre gênero e tipologia textuais;  Justificativa: Iniciaremos esta sequência com a teoria sobre gêneros e tipologias textuais, pois se trata da continuidade do trabalho desenvolvido na sequência anterior, além de ser um conteúdo de suma importância, para queao longo das leituras e discussões dos textos, os alunos possam identificar e reconhecer as características de cada gênero trabalhado.  Dinâmica: A dança da cadeira (Jogo de perguntas e respostas) – Nesta dinâmica os alunos que forem eliminados no decorrer da brincadeira terão que responder a questões sobre o tema abordado na aula: gênero e tipologia textuais.  Objetivos da dinâmica: Instigar a participação dos alunos e fixar o conteúdo trabalhado.
  • 3. 2º Momento  Dinâmica sobre drogas: “A escolha”- Nessa dinâmica a turma será divida em dois grupos,sendo que um aluno a parte dos grupos, fará o papel de PEREGRINO e a sua missão será a de fazer as escolhas “certas ou erradas” de acordo com o que cada grupo argumentar. Portanto, o grupo 1- fará o papel da consciência e incentivará o peregrino a ir pelo caminho certo (sem drogas), e ao final do percurso, esta escolha certa lhe dará uma recompensa. Já o grupo 2- fará o papel das más influências, que induzirá o peregrino a escolher o caminho errado (das drogas) e ao final do trajeto, este caminho errado lhe fará refletir sobre suas más escolhas. No entanto, ao longo de todo o percurso há a possibilidade do peregrino mudar de caminho e passar de um lado para o outro. Indo de acordo com o grupo que melhor argumentar. Tempo de duração: aproximadamente 30 minutos.  Objetivos da dinâmica: Introduzir a temática: Os jovens do século XXI: o problema das drogas; instigar a participação e argumentação dos discentes.  Levar o ARTIGO DE OPINIÃO “Drogas na adolescência”, de Wagner Paulon,sobre a temática “Os jovens do século XXI: o problema das drogas;  Mostrar o vídeo: Programa Roberto Justus + (parte 1), entrevistando personalidades que se libertaram das drogas (Rafael Ilha e João Estrela), para complementar e finalizar a discussão da temática nesta aula –(roteiro de discussão – ver anexo I);  Atividade para casa: Solicitar aos alunos que pesquisem cinco argumentos para embasar a opinião deles a favor ou contra a legalização das drogas, sendo este o assunto que será abordado na aula seguinte.. Esta pesquisa dará auxilio na argumentação dos alunos para o debate que será realizado no próximo momento. 3º Momento  Apresentação dos vídeos:Programa Profissão repórter- Os jovens nas drogas, abordando as várias dificuldades que os jovens enfrentam ao se envolverem com as drogas; e o Programa Roberto Justus + (parte 2), que aborda a polêmica da legalização das drogas.  Levar o EDITORIAL: “A polêmica da legalização das drogas” do jornal O Globo, para ler com a turma;
  • 4.  Dividir a turma em dois grupos que serão posicionados da seguinte forma: contra e favor da legalização das drogas, para realizar um debate, mediado pelas professoras, tendo como base a pesquisa proposta na aula anterior, o vídeo e o texto do módulo- (roteiro de discussão- ver anexo II). 4º Momento  Realizar um passeio com a turma: Visitar a Fazenda do Sol;  Justificativa: Como foi trabalhada em sala a temática drogas, decidimos levar os alunos à Fazenda do Sol para que eles tenham o contato direto com a realidade de pessoas que se envolveram com as drogas e que estão em busca da recuperação. 5ºMomento  Levar os vídeos: Programa Profissão repórter- Drogas lícitas e ilícitas, que mostram situações em que há o envolvimento dos jovens com o mundo das drogas;  Discutir o assunto abordado nos vídeos- (roteiro de discussão- anexo III).  Dividir a turma em grupos para realizar uma encenação sobre as drogas – Nesta encenação cada grupo irá apresentar uma situação diferente sobre o envolvimento dos jovens com as drogas. Por exemplo: Um grupo poderá apresentar uma situação em que os adolescentes conseguiram se libertar das drogas e o outro grupo poderá mostrar uma situação em que as drogas destruíram a vida dos jovens. A encenação será gravada.  Objetivo da atividade: Desenvolver a criatividade, argumentação, participação, trazendo uma reflexão acerca de tudo o que foi discutido até o momento. Esta atividade será o encerramento da temática “Os jovens do século XXI: o problema das drogas”. 6º Momento  Expor vídeos para introduzir a temática “Os jovens do século XXI: Bullying –
  • 5. preconceito desmedido”- Caso CaseyHeynes e o caso de Realengo, que abordam dois casos em que o bullying levou as vítimas ao extremo;  Levar o ARTIGO DE OPINIÃO “Bullying”, do grupo Phoenix,que fala sobre os problemas causados pelo bullying e cyberbullying –(roteiro de discussão-Ver anexo IV);  Dinâmica sobre o BULLYING: “O excluído”. A sala será dividida em dois grupos, sendo um menor (4 pessoas) e o outro maior (restante da turma). O menor tentará, individualmente, entrar no grupo maior que terá um código de acesso interno. Ele terá várias tentativas para desvendar o código. A brincadeira acaba quando todo o grupo menor conseguir entrar para o grupo maior, através da descoberta do código.  Justificativa da dinâmica: Pretendemos com essa dinâmica conscientizar os alunos sobre a questão da exclusão que o bullying provoca nas vítimas. 7º Momento  Levar a CRÔNICA ARGUMENTATIVA “Bullyingeincivilidade”, de Rosely Sayão, que aborda o bullying como uma falta de civilidade;  Discussão do texto lido- falar sobre os diferentes tipos de bullying -(roteiro de discussão - ver anexo V);  Dividir a turma em quatro grupos para produzirem uma campanha – Nesta campanha os alunos terão que elaborar argumentos para conscientizarem os colegas a não praticarem o bullying. Cada grupo ficará responsável por mostrar um tipo de bullying;  Objetivos da campanha: Conscientizar a escola sobre a problemática da prática do bullyinge instigar a argumentação e a participação oral dos discentes através da produção de cartazes e apresentação da campanha para os alunos da escola.  Cada grupo com o auxilio de uma das professoras produzirá argumentos que serão utilizados na campanha, iniciando a produção dos cartazes. 8º Momento
  • 6.  Continuar a produção dos cartazes para a campanha que será realizada no encontro seguinte, utilizando os argumentos produzidos na aula anterior com o auxílio das professoras;  Exibição de vídeos para ajudar os alunos na apresentação da campanha e finalizar a discussão da temática. 9° Momento  Apresentação da campanha para a escola (a decidir a maneira como a campanha será apresentada). 10° Momento  Explanar a teoria sobre os gêneros textuais que foram trabalhados ao longo da sequência: Artigo de opinião, crônica argumentativa e editorial (levaremos as características desses três gêneros para comparar as semelhanças e diferenças entre eles).  Propor a escrita de um artigo de opinião em sala de aula: os alunos poderão escolher uma das temáticas trabalhadas durante esta sequência. 11° Momento  Levar uma síntese sobre os elementos da textualidade: coesão e coerência  Justificativa:levaremos esta síntese para auxiliar na reescrita dos textos dos discentes, visto que suas maiores dificuldades em relação à escrita estãorelacionadas aos elementos da textualidade.  Reescrita dos artigos com o auxílio das professoras. A versão final do texto será postada no blog do projeto. 12° Momento  Confraternização  Apresentação do curta-metragem com a participação dos alunos(O curta- metragem será gravado ao final de cada aula dessa sequência, entrevistaremos um aluno por vez. Nele apresentaremos os depoimentos dos alunos falando a respeito das suas vivências e experiências no projeto, como também as fotos, vídeos e todo o material coletado nas aulas. Será uma espécie de documentário. Na confraternização os alunos assistirão ao curta- metragem.
  • 8. ANEXO I Roteiro de Discussão 1- Qual a temática central do texto e dos vídeos apresentados? 2- Que relação tem essa temática com o jovem do século XXI? 3- Qual o ponto de vista defendido pelo autor do texto? 4- Quais os argumentos que o autor do texto utiliza para convencer o leitor? 5- Que tipo de linguagem o autor utiliza em seu texto? 6- Em algum momento você se sentiu influenciado pelo autor do texto a mudar de opinião? Por quê? 7- Você concorda com o autor do texto “Drogas na adolescência” quando ele afirma que os jovens cujos pais usam drogas (como por exemplo as drogas lícitas) são mais inclinados do que os outros adolescentes a usar drogas? Por quê? 8- De acordo com os vídeos apresentados como os entrevistados entraram no mundo das drogas? E como conseguiram sair? 9- Na sua opinião, todos podem se livrar do vício das drogas, pois é uma questão de força de vontade, ou nem sempre isso é possível e porquê?
  • 9. ANEXO II Roteiro de discussão 1-Qual a temática central do texto e dos vídeos apresentados? 2-Qual o ponto de vista defendido pelo autor do texto? 3-Quais os argumentos que o autor do texto utiliza para convencer o leitor? 4-Que tipo de linguagem o autor utiliza em seu texto? 5-Na sua opinião porque o jornal escreveu sobre este assunto? 6-Para você a maconha deve ser legalizada? Argumente sobre isso. 7-Vendo o vídeo do programa Profissão Repórter, que fala sobre os problemas que os jovens enfrentam ao usar as drogas. Você se posiciona a favor ou contra a legalização? 8-Você acredita que o tráfico de drogas diminuiria com a legalização da maconha? Argumente. 9-Assistindo ao vídeo do programa Roberto Justos +, que fala sobre a legalização da maconha, você acredita que seria possível no Brasil criar uma lei para descriminalizar a maconha como em Amsterdã e que seria possível funcionar aqui como lá? Comente.
  • 10. ANEXO III Roteiro de Discussão 1- Qual a temática central dos vídeos apresentados? 2- Para você o que significa drogas? 3- Na sua opinião o que pode ser considerado drogas? 4- As drogas lícitas são o primeiro passo para viciar em drogas ilícitas? Justifique. 5- As drogas lícitas matam e podem causar danos tão graves quanto as ilícitas? Dê exemplos que você conheça ou viu na mídia. 6- Na sua opinião, porque as pessoas procuram as drogas e o que elas buscam nesses entorpecentes? 7- Vendo todo o estrago e destruição que as drogas causam na vida de um ser humano, você seria capaz de usá-las só por curiosidade ou porque um colega lhe ofereceu? REFLITA.
  • 11. ANEXO IV Roteiro de discussão 1- Qual a temática central do texto e dos vídeos apresentados? 2- Que relação tem essa temática com o jovem do século XXI? 3- Qual o ponto de vista defendido pelo autor do texto? 4- Quais os argumentos que o autor do texto utiliza para convencer o leitor? 5- Que tipo de linguagem o autor utiliza em seu texto? 6- Em algum momento você se sentiu influenciado pelo autor do texto a mudar de opinião? Por quê? 7- Você acha que a televisão, a internet e outros meios de comunicação, contribuíram para o aumento de casos de bullying? De que forma esses meios podem contribuir para esse crescente tipo de preconceito? 8- Por que o grande alvo do bullying são as crianças e adolescentes? 9- A grande parte das vítimas do bullying não contam, não conversam com outros sobre o que está se passando. Por que isso acontece? Medo, vergonha ou aceitação? 10- Há diferença entre bullying e cyberbullying? Quais? 11- O que você entende por bullying? 12- Qual o limite entre bullying e as brincadeiras (de mau gosto)? 13-De que formas o bullying pode ser cometido? O que de fato pode ser considerado prática de bullying? 14-Em casos como os mostrados nos vídeos, em que as “supostas” vítimas foram ao extremo e agrediram seus agressores. Essa realmente é a melhor forma de revidar as agressões? E como você se comportaria, se estivesse no lugar deles sofrendo inúmeras humilhações?
  • 12. ANEXO V Roteiro de discussão 1- Qual a temática central do texto? 2- Qual o ponto de vista defendido pela autora? 3- Quais os argumentos que a autora utiliza para convencer o leitor? 4- Que tipo de linguagem a autora utiliza em seu texto? 5- A autora usa algum exemplo do cotidiano em seu texto? Que fato a autora utiliza para desenvolver e dar credibilidade à sua argumentação no texto? 6- Na sua opinião, o bullying pode ser considerado uma falta de civilidade? 7- Quais são as formas de prática de bullying mais conhecidas? 8- Quais as principais causas e consequências do bullying? 9- De acordo com o seu ponto de vista, o combate ao bullying deve ser feito como uma forma de prevenção, punição ou ambos? Justifique. 10-E o que você acredita que pode ser feito para prevenir essa prática? E nos casos de punição como devem ser punidos os agressores?