SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 11
ANÁLISE DAS
PERGUNTAS PARA A
ENTREVISTA
Dicas para uma boa entrevista:
• Seja sempre educado
. Os membros do público não são obrigados a dar uma
entrevista, e você não tem o direito de se intrometer na sua
privacidade. Respeite a decisão do entrevistado se ele não
quiser dar entrevista
• Não demonstre suas emoções
Em relação a tudo o que você sente sobre o que o entrevistado
diz, tente evitar concordar ou discordar ou mostrar sinais de
aprovação ou desaprovação.
• Seja claro sobre o que você quer
Diga ao entrevistado o que você quer falar e por quê.
• Não julgue
Mesmo se você acha que o entrevistado está errado, tem que tratar a
pessoa com respeito. Você não deve ser influenciado por seus próprios
sentimentos pessoais. Deve sempre permanecer objetivo, justo e
imparcial, qualquer que seja o assunto e não importa como se sente
sobre o que está sendo dito.
• Não tente parecer inteligente
O ponto principal de uma entrevista é descobrir fatos que, se não
tivesse sido pela sua entrevista, poderiam nunca ter sido descobertos.
Não se trata de fazer você parecer bem. Se você tentar ser inteligente,
os membros do público podem sentir isso e você pode perder o
respeito deles. Isso também pode levar a uma tensão que pode
atrapalhar a entrevista.
• Preste atenção
Nunca se concentre tanto em sua próxima pergunta que você deixa de
ouvir a resposta anterior. É extremamente chato se um jornalista faz uma
pergunta que acaba de ser respondida. Igualmente, é embaraçoso para
um jornalista deixar de pegar em uma linha dada na resposta anterior. Seu
público vai saber que você não está ouvindo, e, se é um ponto importante
que você perdeu, vão ficar decepcionados com você.
• Não fique irrequieto
Tente evitar qualquer coisa que possa desviar a atenção do que está sendo
dito. Tire documentos, canetas e etc fora do alcance tanto do entrevistado
e de você.
Verifique se há ruídos externos
Verifique se há sons externos que poderiam perturbar o fluxo. A exceção é
quando o barulho é uma parte da história. Faça um resumo
Perguntas problemáticas:
1) O que é mais importante para você nessa comunidade?
2) Você já viajou para outros lugares? Quais?
3) O que você acha da sua comunidade?
4) Qual motivo te levou a morar aqui?
5) Para você é importante que estudemos sobre as comunidades
quilombolas hoje?
6) Como você conheceu e teve acesso a comunidade Grilo?
7) Você já viveu fora da comunidade? Se sim, onde? E porquê saiu
de lá?
Perguntas redundantes;
Cuidado com a margem ao preconceito na pergunta 2.
Pergunta 3 sem centralização.
Lembrem-se que a entrevista que vocês farão servirá de base para
produção de uma memória, logo atentem para perguntas que se
relacionem ou remetam a lembranças do entrevistado.
Entrevista grupo A
• 1. Como surgiu o nome grilo? E qual a importância da
comunidade para o estado da Paraíba hoje?
• 2. Quem foram os primeiros moradores da comunidade? E
como era a vida que eles levavam aqui naquele tempo?
• 3. Como se originou a comunidade? E de que forma ela se
manteve até os dias atuais?
• 4. É a primeira vez que alguma instituição vem entrevistar
vocês? Como vocês avaliam esse interesse das pessoas de fora
pela vida que vocês levam aqui dentro da comunidade?
• 5. De que forma a cultura foi passada para vocês? De que
forma a cultura de seu povo foi passada pelos moradores mais
antigos aos mais jovens? Vocês pretendem preservar essa
cultura? Quais as medidas que estão tomando para não deixar
que se apague a estória da comunidade?
Entrevista grupo B
1. O que a comunidade Grilo representa para você? E Qual a
importância que você acredita que ela tem para a sociedade como um
todo?
2. Qual a história que mais marcou a sua vida dentro da
comunidade? Ela é um fato difícil de acontecer com os moradores
daqui? Por que?
3. Você conheceu a história dos seus antepassados? Quem contou?
Pedir para contar. (reescrever) Como você conheceu a história dos seus
antepassados? Quem lhe contou? Você pode falar de alguma história
que seja uma das mais conhecidas e respeitadas entre o povo da
comunidade?
4. Você sofre alguma tipo de preconceito por viver em uma
comunidade quilombola? Qual tipo de preconceito? E como você se
sente e reage a esses preconceitos? Relate algum caso em que você foi
discriminada por ser uma remanescente quilombola.
5. De que forma a cultura é passada de pai para filho?(essa pergunta
é semelhante a 3, logo deve ser substituída por outra que aborde uma
questão que ainda não foi mencionada, como a evasão dos mais jovens
do quilombo para as grandes cidades)
Entrevista, grupo C(Genilda;TaináNatiely;Edvânia;Fernanda)
1) O que você faz para se divertir dentro da comunidade? Fale-
me sobre as brincadeiras , como elas são realizadas?
2) Você já sofreu preconceito?( Qual? Onde e como?) E o que
você faz para lidar com essa situação?
3) Você já viajou para outros lugares? Onde? O que você achou
mais interessante? Se você pudesse mudar algo em sua
comunidade, o que você mudaria?
4) Você tem algum colega que já sofreu preconceito? Qual? E
o ele fez para lidar com essa situação?
5) Quais são os valores que seus pais passam para você, sobre
sua cultura?
Entrevista, grupo D. (JoséHenrique;MatheusFelipe;JoãoVítor,Alberto)
1) O que é mais importante para você nessa comunidade?
2) Quais são as culturas em sua comunidade? Qual a
importância da cultura quilombola em sua comunidade? O
que você fazer para valorizar ainda mais essa cultura?
3) Você tem algum relato de algum parente sobre a convluição
(palavra ilegível) de escravos? Faça um relato sobre os dias
mais importantes e felizes que você já vivenciou em sua
comunidade.
4) Qual a realidade da educação na comunidade? Se você
pudesse melhorar algo , o que melhoraria?
5) Para você, qual a importância de ser um morador da
comunidade quilombola?
Entrevista grupo EYasmin,Millena,Edson,Alexandra,Camila
1. Qual motivo te levou a morar aqui?
2. Você pretende sair daqui algum dia? Por quê?
As perguntas acima não atendem ao propósito da entrevista, pois
terão respostas simples e que não ajudam na produção de uma
memória.
3. Na sua opinião qual a importância de conservar sua cultura? Por que
ela é importante na construção da identidade e história da Paraíba?
4. Você já sofreu algum preconceito por morar aqui na comunidade?
Se sim, relate como aconteceu o episódio.
5. Para você é importante que estudemos sobre as comunidades
quilombolas hoje? Por quê? E qual a importância de todas elas para a
afirmação da sua identidade?
Entrevista grupo FVitória,MateuseJéssica
1. De acordo com a sua experiência de vida você já vivenciou algum tipo
de preconceito fora da comunidade? Relate como aconteceu.
2. Como você conheceu e teve acesso à comunidade Grilo? Você pertencia
a outra comunidade? Como era sua vida fora da comunidade e como ela é
agora?
3. Você já viveu fora da comunidade? Se sim, onde? E por que saiu de lá?
Pergunta que se relaciona com a anterior.
4. Você ou algum parente já vivenciou alguma história relativa à
escravidão? Se sim, você poderia contar como e em que época aconteceu?
5. Você já fez parte de algum movimento contra o preconceito? Se sim, o
que acho dessa experiência? E qual a importância desses movimentos
para a Comunidade Quilombolola?

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Avaliação 9º ano república velha, guerra de canudos, revolta da vacina
Avaliação 9º ano república velha, guerra de canudos, revolta da vacinaAvaliação 9º ano república velha, guerra de canudos, revolta da vacina
Avaliação 9º ano república velha, guerra de canudos, revolta da vacinaAcrópole - História & Educação
 
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CIDADANIA- DEMOCRACIA- PARTICIPAÇÃO CIDADÃ - Prof. ...
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CIDADANIA- DEMOCRACIA- PARTICIPAÇÃO CIDADÃ - Prof. ...AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CIDADANIA- DEMOCRACIA- PARTICIPAÇÃO CIDADÃ - Prof. ...
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CIDADANIA- DEMOCRACIA- PARTICIPAÇÃO CIDADÃ - Prof. ...Prof. Noe Assunção
 
Identidade, diferença e cultura
Identidade, diferença e culturaIdentidade, diferença e cultura
Identidade, diferença e culturaComunidados
 
Cultura Afro Brasileira
Cultura Afro BrasileiraCultura Afro Brasileira
Cultura Afro Brasileirabrendazarza
 
Influência da-cultura-africana-no-brasil
Influência da-cultura-africana-no-brasilInfluência da-cultura-africana-no-brasil
Influência da-cultura-africana-no-brasilNancihorta
 
Projeto CDIS- Valorização da Cultura Afro-Brasileira
Projeto CDIS-   Valorização da Cultura Afro-BrasileiraProjeto CDIS-   Valorização da Cultura Afro-Brasileira
Projeto CDIS- Valorização da Cultura Afro-BrasileiraBelister Paulino
 
Descritores Ciências Humanas
Descritores Ciências HumanasDescritores Ciências Humanas
Descritores Ciências Humanaslucavao2010
 
Indústria Cultural
Indústria CulturalIndústria Cultural
Indústria CulturalLuci Bonini
 
Plano de aula manuela .
Plano de aula   manuela .Plano de aula   manuela .
Plano de aula manuela .Gabriel Reis
 
Quem sou eu - a formação do povo brasileiro
Quem sou eu - a formação do povo brasileiroQuem sou eu - a formação do povo brasileiro
Quem sou eu - a formação do povo brasileiroAndré Luiz Marques
 
ATIVIDADE 7ºANO CIDADANIA
ATIVIDADE 7ºANO CIDADANIAATIVIDADE 7ºANO CIDADANIA
ATIVIDADE 7ºANO CIDADANIAFabricia Galdino
 
História e cultura afro brasileira e indígena
História e cultura afro brasileira e indígenaHistória e cultura afro brasileira e indígena
História e cultura afro brasileira e indígenaValeria Santos
 
Pluralidade cultural
Pluralidade culturalPluralidade cultural
Pluralidade culturalAna Lúcia
 
Movimentos sociais e educação
Movimentos sociais e educaçãoMovimentos sociais e educação
Movimentos sociais e educaçãoDiana Sampaio
 
PLANO DE AULA História dos Meus Ancestrais.docx
PLANO DE AULA História dos Meus Ancestrais.docxPLANO DE AULA História dos Meus Ancestrais.docx
PLANO DE AULA História dos Meus Ancestrais.docxIvanaAlves18
 
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CULTURA- Questões discursivas - 1º ano Ensino Médio...
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CULTURA- Questões discursivas - 1º ano Ensino Médio...AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CULTURA- Questões discursivas - 1º ano Ensino Médio...
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CULTURA- Questões discursivas - 1º ano Ensino Médio...Prof. Noe Assunção
 
Apostila de Mitologia Grega
Apostila de Mitologia GregaApostila de Mitologia Grega
Apostila de Mitologia GregaDoug Caesar
 

Mais procurados (20)

Avaliação 9º ano república velha, guerra de canudos, revolta da vacina
Avaliação 9º ano república velha, guerra de canudos, revolta da vacinaAvaliação 9º ano república velha, guerra de canudos, revolta da vacina
Avaliação 9º ano república velha, guerra de canudos, revolta da vacina
 
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CIDADANIA- DEMOCRACIA- PARTICIPAÇÃO CIDADÃ - Prof. ...
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CIDADANIA- DEMOCRACIA- PARTICIPAÇÃO CIDADÃ - Prof. ...AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CIDADANIA- DEMOCRACIA- PARTICIPAÇÃO CIDADÃ - Prof. ...
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CIDADANIA- DEMOCRACIA- PARTICIPAÇÃO CIDADÃ - Prof. ...
 
PROVA DE ARTE INDIGENA
PROVA DE ARTE INDIGENAPROVA DE ARTE INDIGENA
PROVA DE ARTE INDIGENA
 
Identidade, diferença e cultura
Identidade, diferença e culturaIdentidade, diferença e cultura
Identidade, diferença e cultura
 
Cultura
CulturaCultura
Cultura
 
Cultura Afro Brasileira
Cultura Afro BrasileiraCultura Afro Brasileira
Cultura Afro Brasileira
 
Diversidade Cultural Brasileira
Diversidade Cultural BrasileiraDiversidade Cultural Brasileira
Diversidade Cultural Brasileira
 
Influência da-cultura-africana-no-brasil
Influência da-cultura-africana-no-brasilInfluência da-cultura-africana-no-brasil
Influência da-cultura-africana-no-brasil
 
Projeto CDIS- Valorização da Cultura Afro-Brasileira
Projeto CDIS-   Valorização da Cultura Afro-BrasileiraProjeto CDIS-   Valorização da Cultura Afro-Brasileira
Projeto CDIS- Valorização da Cultura Afro-Brasileira
 
Descritores Ciências Humanas
Descritores Ciências HumanasDescritores Ciências Humanas
Descritores Ciências Humanas
 
Indústria Cultural
Indústria CulturalIndústria Cultural
Indústria Cultural
 
Plano de aula manuela .
Plano de aula   manuela .Plano de aula   manuela .
Plano de aula manuela .
 
Quem sou eu - a formação do povo brasileiro
Quem sou eu - a formação do povo brasileiroQuem sou eu - a formação do povo brasileiro
Quem sou eu - a formação do povo brasileiro
 
ATIVIDADE 7ºANO CIDADANIA
ATIVIDADE 7ºANO CIDADANIAATIVIDADE 7ºANO CIDADANIA
ATIVIDADE 7ºANO CIDADANIA
 
História e cultura afro brasileira e indígena
História e cultura afro brasileira e indígenaHistória e cultura afro brasileira e indígena
História e cultura afro brasileira e indígena
 
Pluralidade cultural
Pluralidade culturalPluralidade cultural
Pluralidade cultural
 
Movimentos sociais e educação
Movimentos sociais e educaçãoMovimentos sociais e educação
Movimentos sociais e educação
 
PLANO DE AULA História dos Meus Ancestrais.docx
PLANO DE AULA História dos Meus Ancestrais.docxPLANO DE AULA História dos Meus Ancestrais.docx
PLANO DE AULA História dos Meus Ancestrais.docx
 
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CULTURA- Questões discursivas - 1º ano Ensino Médio...
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CULTURA- Questões discursivas - 1º ano Ensino Médio...AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CULTURA- Questões discursivas - 1º ano Ensino Médio...
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CULTURA- Questões discursivas - 1º ano Ensino Médio...
 
Apostila de Mitologia Grega
Apostila de Mitologia GregaApostila de Mitologia Grega
Apostila de Mitologia Grega
 

Semelhante a Análise das-perguntas versão final

ESS_multiculturalidade.pptx
ESS_multiculturalidade.pptxESS_multiculturalidade.pptx
ESS_multiculturalidade.pptxIlda Bicacro
 
ESS_multiculturalidade.pptx
ESS_multiculturalidade.pptxESS_multiculturalidade.pptx
ESS_multiculturalidade.pptxIlda Bicacro
 
Minha consciência ii -QUESTOES PARA JOVENS
Minha consciência ii -QUESTOES PARA JOVENSMinha consciência ii -QUESTOES PARA JOVENS
Minha consciência ii -QUESTOES PARA JOVENSAna Valeria Silva
 
Comunicação efetiva para Times Ágeis
Comunicação efetiva para Times ÁgeisComunicação efetiva para Times Ágeis
Comunicação efetiva para Times ÁgeisKarina Kohl
 
Comunicação efetiva para Times Ágeis
Comunicação efetiva para Times ÁgeisComunicação efetiva para Times Ágeis
Comunicação efetiva para Times ÁgeisKarina Kohl
 
Entrevistas a membros da comunidade quilombola grilo
Entrevistas a membros da comunidade quilombola griloEntrevistas a membros da comunidade quilombola grilo
Entrevistas a membros da comunidade quilombola griloRenally Arruda
 
Lar Samaritano
Lar SamaritanoLar Samaritano
Lar SamaritanoDani Vulks
 
FORMACAO_CIDADA_autoconfianca.pptx
FORMACAO_CIDADA_autoconfianca.pptxFORMACAO_CIDADA_autoconfianca.pptx
FORMACAO_CIDADA_autoconfianca.pptxssuser6b433b
 
Roteiro para Projeto de Vida
Roteiro para Projeto de VidaRoteiro para Projeto de Vida
Roteiro para Projeto de VidaIvanilson Lima
 
3 Ano - Aluno - História e Geografia .pdf
3 Ano - Aluno - História e Geografia .pdf3 Ano - Aluno - História e Geografia .pdf
3 Ano - Aluno - História e Geografia .pdfNivea Neves
 
3 Ano - Aluno - História e Geografia .pdf
3 Ano - Aluno - História e Geografia .pdf3 Ano - Aluno - História e Geografia .pdf
3 Ano - Aluno - História e Geografia .pdfAlineNobreSilva
 
Perguntas para aprofundar o papo
Perguntas para aprofundar o papoPerguntas para aprofundar o papo
Perguntas para aprofundar o papoJanelindinha Sempre
 
5 dicas incríveis de como nunca ficar sem ter o que falar com as pessoas.
5 dicas incríveis de como nunca ficar sem ter o que falar com as pessoas.5 dicas incríveis de como nunca ficar sem ter o que falar com as pessoas.
5 dicas incríveis de como nunca ficar sem ter o que falar com as pessoas.Felipe Lorenzoni Marx
 
Universidade Shure: criando uma universidade democrática no Japão
Universidade Shure: criando uma universidade democrática no JapãoUniversidade Shure: criando uma universidade democrática no Japão
Universidade Shure: criando uma universidade democrática no JapãoAlex Bretas
 

Semelhante a Análise das-perguntas versão final (20)

ESS_multiculturalidade.pptx
ESS_multiculturalidade.pptxESS_multiculturalidade.pptx
ESS_multiculturalidade.pptx
 
ESS_multiculturalidade.pptx
ESS_multiculturalidade.pptxESS_multiculturalidade.pptx
ESS_multiculturalidade.pptx
 
Geografia
GeografiaGeografia
Geografia
 
Minha consciência ii -QUESTOES PARA JOVENS
Minha consciência ii -QUESTOES PARA JOVENSMinha consciência ii -QUESTOES PARA JOVENS
Minha consciência ii -QUESTOES PARA JOVENS
 
Comunicação efetiva para Times Ágeis
Comunicação efetiva para Times ÁgeisComunicação efetiva para Times Ágeis
Comunicação efetiva para Times Ágeis
 
Comunicação efetiva para Times Ágeis
Comunicação efetiva para Times ÁgeisComunicação efetiva para Times Ágeis
Comunicação efetiva para Times Ágeis
 
Essa Tal de Internet
Essa Tal de InternetEssa Tal de Internet
Essa Tal de Internet
 
A importância do Não
A importância do NãoA importância do Não
A importância do Não
 
Entrevistas a membros da comunidade quilombola grilo
Entrevistas a membros da comunidade quilombola griloEntrevistas a membros da comunidade quilombola grilo
Entrevistas a membros da comunidade quilombola grilo
 
Lar Samaritano
Lar SamaritanoLar Samaritano
Lar Samaritano
 
FORMACAO_CIDADA_autoconfianca.pptx
FORMACAO_CIDADA_autoconfianca.pptxFORMACAO_CIDADA_autoconfianca.pptx
FORMACAO_CIDADA_autoconfianca.pptx
 
Guião entrevista
Guião entrevistaGuião entrevista
Guião entrevista
 
Projeto de vida
Projeto de vidaProjeto de vida
Projeto de vida
 
Roteiro para Projeto de Vida
Roteiro para Projeto de VidaRoteiro para Projeto de Vida
Roteiro para Projeto de Vida
 
3 Ano - Aluno - História e Geografia .pdf
3 Ano - Aluno - História e Geografia .pdf3 Ano - Aluno - História e Geografia .pdf
3 Ano - Aluno - História e Geografia .pdf
 
3 Ano - Aluno - História e Geografia .pdf
3 Ano - Aluno - História e Geografia .pdf3 Ano - Aluno - História e Geografia .pdf
3 Ano - Aluno - História e Geografia .pdf
 
Perguntas para aprofundar o papo
Perguntas para aprofundar o papoPerguntas para aprofundar o papo
Perguntas para aprofundar o papo
 
Comunicação Não Violenta e Escuta Qualificada
Comunicação Não Violenta e Escuta QualificadaComunicação Não Violenta e Escuta Qualificada
Comunicação Não Violenta e Escuta Qualificada
 
5 dicas incríveis de como nunca ficar sem ter o que falar com as pessoas.
5 dicas incríveis de como nunca ficar sem ter o que falar com as pessoas.5 dicas incríveis de como nunca ficar sem ter o que falar com as pessoas.
5 dicas incríveis de como nunca ficar sem ter o que falar com as pessoas.
 
Universidade Shure: criando uma universidade democrática no Japão
Universidade Shure: criando uma universidade democrática no JapãoUniversidade Shure: criando uma universidade democrática no Japão
Universidade Shure: criando uma universidade democrática no Japão
 

Mais de Renally Arruda

Sequencia pibid 2015.2
Sequencia pibid 2015.2 Sequencia pibid 2015.2
Sequencia pibid 2015.2 Renally Arruda
 
Peça teatral representação da paraíba
Peça teatral representação da paraíbaPeça teatral representação da paraíba
Peça teatral representação da paraíbaRenally Arruda
 
Esquema para realização da entrevista
Esquema para realização da entrevistaEsquema para realização da entrevista
Esquema para realização da entrevistaRenally Arruda
 
Caderno de atividades.2015.2
Caderno de atividades.2015.2Caderno de atividades.2015.2
Caderno de atividades.2015.2Renally Arruda
 
QUIZ MEMÓRIAS LITERÁRIAS
QUIZ MEMÓRIAS LITERÁRIASQUIZ MEMÓRIAS LITERÁRIAS
QUIZ MEMÓRIAS LITERÁRIASRenally Arruda
 
Gênero memórias literárias
Gênero memórias literáriasGênero memórias literárias
Gênero memórias literáriasRenally Arruda
 
O gênero textual entrevista
O gênero textual   entrevistaO gênero textual   entrevista
O gênero textual entrevistaRenally Arruda
 
Artigo de opinião dos alunos versão final
Artigo de opinião dos alunos versão finalArtigo de opinião dos alunos versão final
Artigo de opinião dos alunos versão finalRenally Arruda
 
Revisao produção pibid
Revisao produção pibidRevisao produção pibid
Revisao produção pibidRenally Arruda
 
Slide sobre coerencia pibid
Slide sobre coerencia pibidSlide sobre coerencia pibid
Slide sobre coerencia pibidRenally Arruda
 
Slide sobre coerência pibid
Slide sobre coerência pibidSlide sobre coerência pibid
Slide sobre coerência pibidRenally Arruda
 
Revisão com base na atividade coesão
Revisão com base na atividade coesãoRevisão com base na atividade coesão
Revisão com base na atividade coesãoRenally Arruda
 
Gêneros jornalísticos
Gêneros jornalísticosGêneros jornalísticos
Gêneros jornalísticosRenally Arruda
 

Mais de Renally Arruda (20)

Módulo 2015.2
Módulo 2015.2 Módulo 2015.2
Módulo 2015.2
 
Sequencia pibid 2015.2
Sequencia pibid 2015.2 Sequencia pibid 2015.2
Sequencia pibid 2015.2
 
Memórias literárias
Memórias literáriasMemórias literárias
Memórias literárias
 
Peça teatral representação da paraíba
Peça teatral representação da paraíbaPeça teatral representação da paraíba
Peça teatral representação da paraíba
 
Esquema para realização da entrevista
Esquema para realização da entrevistaEsquema para realização da entrevista
Esquema para realização da entrevista
 
Caderno de atividades.2015.2
Caderno de atividades.2015.2Caderno de atividades.2015.2
Caderno de atividades.2015.2
 
QUIZ MEMÓRIAS LITERÁRIAS
QUIZ MEMÓRIAS LITERÁRIASQUIZ MEMÓRIAS LITERÁRIAS
QUIZ MEMÓRIAS LITERÁRIAS
 
Vamos ler
Vamos lerVamos ler
Vamos ler
 
Textualização
TextualizaçãoTextualização
Textualização
 
Slides maquetes
Slides maquetesSlides maquetes
Slides maquetes
 
Gênero memórias literárias
Gênero memórias literáriasGênero memórias literárias
Gênero memórias literárias
 
O gênero textual entrevista
O gênero textual   entrevistaO gênero textual   entrevista
O gênero textual entrevista
 
Artigo de opinião dos alunos versão final
Artigo de opinião dos alunos versão finalArtigo de opinião dos alunos versão final
Artigo de opinião dos alunos versão final
 
Revisao produção pibid
Revisao produção pibidRevisao produção pibid
Revisao produção pibid
 
Slide sobre coerencia pibid
Slide sobre coerencia pibidSlide sobre coerencia pibid
Slide sobre coerencia pibid
 
O jogo da vida
O jogo da vidaO jogo da vida
O jogo da vida
 
Quem sabe mais
Quem sabe maisQuem sabe mais
Quem sabe mais
 
Slide sobre coerência pibid
Slide sobre coerência pibidSlide sobre coerência pibid
Slide sobre coerência pibid
 
Revisão com base na atividade coesão
Revisão com base na atividade coesãoRevisão com base na atividade coesão
Revisão com base na atividade coesão
 
Gêneros jornalísticos
Gêneros jornalísticosGêneros jornalísticos
Gêneros jornalísticos
 

Último

livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorialNeuroppIsnayaLciaMar
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....LuizHenriquedeAlmeid6
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteIpdaWellington
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteLeonel Morgado
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalcarlaOliveira438
 
Geometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docxGeometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docxlucivaniaholanda
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdfdanielagracia9
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxsfwsoficial
 
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio ead.pptx
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio  ead.pptxCONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio  ead.pptx
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio ead.pptxLuana240603
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroBrenda Fritz
 
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf HitlerAlemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitlerhabiwo1978
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfcarloseduardogonalve36
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"Ilda Bicacro
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Mary Alvarenga
 
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxSismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxpatriciapedroso82
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaCludiaRodrigues693635
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfCarolineNunes80
 
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptx
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptxMovimento Negro Unificado , slide completo.pptx
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptxmariiiaaa1290
 

Último (20)

livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
 
Geometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docxGeometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docx
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
 
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio ead.pptx
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio  ead.pptxCONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio  ead.pptx
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio ead.pptx
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf HitlerAlemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxSismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
 
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptx
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptxMovimento Negro Unificado , slide completo.pptx
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptx
 

Análise das-perguntas versão final

  • 2. Dicas para uma boa entrevista: • Seja sempre educado . Os membros do público não são obrigados a dar uma entrevista, e você não tem o direito de se intrometer na sua privacidade. Respeite a decisão do entrevistado se ele não quiser dar entrevista • Não demonstre suas emoções Em relação a tudo o que você sente sobre o que o entrevistado diz, tente evitar concordar ou discordar ou mostrar sinais de aprovação ou desaprovação. • Seja claro sobre o que você quer Diga ao entrevistado o que você quer falar e por quê.
  • 3. • Não julgue Mesmo se você acha que o entrevistado está errado, tem que tratar a pessoa com respeito. Você não deve ser influenciado por seus próprios sentimentos pessoais. Deve sempre permanecer objetivo, justo e imparcial, qualquer que seja o assunto e não importa como se sente sobre o que está sendo dito. • Não tente parecer inteligente O ponto principal de uma entrevista é descobrir fatos que, se não tivesse sido pela sua entrevista, poderiam nunca ter sido descobertos. Não se trata de fazer você parecer bem. Se você tentar ser inteligente, os membros do público podem sentir isso e você pode perder o respeito deles. Isso também pode levar a uma tensão que pode atrapalhar a entrevista.
  • 4. • Preste atenção Nunca se concentre tanto em sua próxima pergunta que você deixa de ouvir a resposta anterior. É extremamente chato se um jornalista faz uma pergunta que acaba de ser respondida. Igualmente, é embaraçoso para um jornalista deixar de pegar em uma linha dada na resposta anterior. Seu público vai saber que você não está ouvindo, e, se é um ponto importante que você perdeu, vão ficar decepcionados com você. • Não fique irrequieto Tente evitar qualquer coisa que possa desviar a atenção do que está sendo dito. Tire documentos, canetas e etc fora do alcance tanto do entrevistado e de você. Verifique se há ruídos externos Verifique se há sons externos que poderiam perturbar o fluxo. A exceção é quando o barulho é uma parte da história. Faça um resumo
  • 5. Perguntas problemáticas: 1) O que é mais importante para você nessa comunidade? 2) Você já viajou para outros lugares? Quais? 3) O que você acha da sua comunidade? 4) Qual motivo te levou a morar aqui? 5) Para você é importante que estudemos sobre as comunidades quilombolas hoje? 6) Como você conheceu e teve acesso a comunidade Grilo? 7) Você já viveu fora da comunidade? Se sim, onde? E porquê saiu de lá? Perguntas redundantes; Cuidado com a margem ao preconceito na pergunta 2. Pergunta 3 sem centralização. Lembrem-se que a entrevista que vocês farão servirá de base para produção de uma memória, logo atentem para perguntas que se relacionem ou remetam a lembranças do entrevistado.
  • 6. Entrevista grupo A • 1. Como surgiu o nome grilo? E qual a importância da comunidade para o estado da Paraíba hoje? • 2. Quem foram os primeiros moradores da comunidade? E como era a vida que eles levavam aqui naquele tempo? • 3. Como se originou a comunidade? E de que forma ela se manteve até os dias atuais? • 4. É a primeira vez que alguma instituição vem entrevistar vocês? Como vocês avaliam esse interesse das pessoas de fora pela vida que vocês levam aqui dentro da comunidade? • 5. De que forma a cultura foi passada para vocês? De que forma a cultura de seu povo foi passada pelos moradores mais antigos aos mais jovens? Vocês pretendem preservar essa cultura? Quais as medidas que estão tomando para não deixar que se apague a estória da comunidade?
  • 7. Entrevista grupo B 1. O que a comunidade Grilo representa para você? E Qual a importância que você acredita que ela tem para a sociedade como um todo? 2. Qual a história que mais marcou a sua vida dentro da comunidade? Ela é um fato difícil de acontecer com os moradores daqui? Por que? 3. Você conheceu a história dos seus antepassados? Quem contou? Pedir para contar. (reescrever) Como você conheceu a história dos seus antepassados? Quem lhe contou? Você pode falar de alguma história que seja uma das mais conhecidas e respeitadas entre o povo da comunidade? 4. Você sofre alguma tipo de preconceito por viver em uma comunidade quilombola? Qual tipo de preconceito? E como você se sente e reage a esses preconceitos? Relate algum caso em que você foi discriminada por ser uma remanescente quilombola. 5. De que forma a cultura é passada de pai para filho?(essa pergunta é semelhante a 3, logo deve ser substituída por outra que aborde uma questão que ainda não foi mencionada, como a evasão dos mais jovens do quilombo para as grandes cidades)
  • 8. Entrevista, grupo C(Genilda;TaináNatiely;Edvânia;Fernanda) 1) O que você faz para se divertir dentro da comunidade? Fale- me sobre as brincadeiras , como elas são realizadas? 2) Você já sofreu preconceito?( Qual? Onde e como?) E o que você faz para lidar com essa situação? 3) Você já viajou para outros lugares? Onde? O que você achou mais interessante? Se você pudesse mudar algo em sua comunidade, o que você mudaria? 4) Você tem algum colega que já sofreu preconceito? Qual? E o ele fez para lidar com essa situação? 5) Quais são os valores que seus pais passam para você, sobre sua cultura?
  • 9. Entrevista, grupo D. (JoséHenrique;MatheusFelipe;JoãoVítor,Alberto) 1) O que é mais importante para você nessa comunidade? 2) Quais são as culturas em sua comunidade? Qual a importância da cultura quilombola em sua comunidade? O que você fazer para valorizar ainda mais essa cultura? 3) Você tem algum relato de algum parente sobre a convluição (palavra ilegível) de escravos? Faça um relato sobre os dias mais importantes e felizes que você já vivenciou em sua comunidade. 4) Qual a realidade da educação na comunidade? Se você pudesse melhorar algo , o que melhoraria? 5) Para você, qual a importância de ser um morador da comunidade quilombola?
  • 10. Entrevista grupo EYasmin,Millena,Edson,Alexandra,Camila 1. Qual motivo te levou a morar aqui? 2. Você pretende sair daqui algum dia? Por quê? As perguntas acima não atendem ao propósito da entrevista, pois terão respostas simples e que não ajudam na produção de uma memória. 3. Na sua opinião qual a importância de conservar sua cultura? Por que ela é importante na construção da identidade e história da Paraíba? 4. Você já sofreu algum preconceito por morar aqui na comunidade? Se sim, relate como aconteceu o episódio. 5. Para você é importante que estudemos sobre as comunidades quilombolas hoje? Por quê? E qual a importância de todas elas para a afirmação da sua identidade?
  • 11. Entrevista grupo FVitória,MateuseJéssica 1. De acordo com a sua experiência de vida você já vivenciou algum tipo de preconceito fora da comunidade? Relate como aconteceu. 2. Como você conheceu e teve acesso à comunidade Grilo? Você pertencia a outra comunidade? Como era sua vida fora da comunidade e como ela é agora? 3. Você já viveu fora da comunidade? Se sim, onde? E por que saiu de lá? Pergunta que se relaciona com a anterior. 4. Você ou algum parente já vivenciou alguma história relativa à escravidão? Se sim, você poderia contar como e em que época aconteceu? 5. Você já fez parte de algum movimento contra o preconceito? Se sim, o que acho dessa experiência? E qual a importância desses movimentos para a Comunidade Quilombolola?