Modal Hidroviário

3.446 visualizações

Publicada em

Conceito e definição básica de modal hidroviário no setor de logística.

Publicada em: Serviços
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.446
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
138
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Modal Hidroviário

  1. 1. Hidroviário Modal
  2. 2. INTRODUÇÃO • O transporte aquático , aquaviário ou hidroviário consiste no transporte de mercadorias e de passageiros por barcos, navios ou balsas, via um corpo de água, tais como oceanos, mares, lagos, rios ou canais.. O transporte aquático engloba tanto o transporte marítimo, utilizando como via de comunicação os mares abertos, como transporte fluvial, usando os lagos e rios.
  3. 3. Objetivo • Apresentar estrutura e forma de planejamento no modal hidroviário, com base em sua divisão, levando conceitos e projetos prioritariamente no Brasil.
  4. 4. SUA DIVISÃO • O transporte hidroviário no Brasil é dividido modalidades fluvial e marítima. O transporte marítimo é o mais importante, respondendo por quase 75% do comércio internacional do Brasil. O transporte fluvial é o mais econômico e limpo, no entanto é o menos utilizado no Brasil. Há regiões entretanto, que dependem quase que exclusivamente desta modalidade, como é o caso da amazônia, onde as distâncias são grandes e as estradas ou ferrovias inexistem.
  5. 5. FLUVIAL • A navegação fluvial no Brasil está numa posição inferior em relação aos outros sistemas de transportes. É considerado o sistema mais barato e limpo, contudo, o de menor participação no transporte de mercadoria no Brasil. Isto ocorre devido a vários fatores. Muitos rios do Brasil são de planalto, por exemplo, apresentando-se encachoeirados, portanto, dificultam a navegação. É o caso dos rios Tietê, Paraná, Tocantins e Araguaia. Outro motivo são os rios de planície facilmente navegáveis (Amazonas, São Francisco e Paraguai), os quais encontram-se afastados dos grandes centros econômicos do Brasil. • PROJETOS • Existe também um projeto de ligação das Bacias do Tocantins, Amazonas e Paraná. É a hidrovia de contorno, que permitirá a ligação da região Norte do Brasil às regiões Centro-Oeste, Sudeste e Sul, caso implantado.
  6. 6. MARÍTIMO O transporte marítimo é de vital importância para o Brasil em suas relações comerciais. Desde o Brasil colônia o transporte marítimo tem importância fundamental, pois permitia uma ampla troca comercial (comércio triangular) entre Portugal, Angola e Brasil. Foi também o transporte marítimo que permitiu ao Brasil colônia ganhar relativa autonomia política em relação a Portugal, com a abertura dos portos.
  7. 7. Responsável O transporte marítimo ontem é responsável pela maior parte das trocas comerciais internacionais do Brasil, transportando principalmente commodities agrominerais, veículos, máquinas, e equipamentos de ponta. Cerca de 75% das trocas comerciais internacionais brasileiras são transportadas via mar.
  8. 8. Exclusividade Este modal é de uso exclusivo de mercadorias? O transporte marítimo de passageiros também existe, principalmente com ligação entre o continente as as ilhas costeiras do Brasil. A linha mais comum de transporte de passageiros é a de Natal - Fernando de Noronha. Também existe o transporte intercontinental de passageiros - na maioria das vezes ilegal, principalmente entre o Brasil e a Nigéria. O Brasil tem os portos marítimos mais movimentados da América Latina, com destaque aos portos de Santos, Paranaguá, Rio de Janeiro/Niterói, Vitória e Itaqui (São Luís).
  9. 9. Maior Utilização de Portos • O Porto de Manaus, situado à margem esquerda do rio Negro, é o porto fluvial de maior movimento do Brasil e com melhor infraestrutura. Outros portos fluviais relevantes são o de Itajaí, no rio Itajaí-Açu, que transporta principalmente máquinas e commodities, o de Santarém, no rio Amazonas, por onde se transportam principalmente grãos vindos do Centro- Oeste e o de Corumbá, no rio Paraguai, por onde é escoado o minério de manganês extraído de uma área próxima da cidade de Corumbá.
  10. 10. Sua Extenção KM • O Brasil tem mais de 4 mil quilômetros de costa atlântica navegável e milhares de quilômetros de rios. Apesar de boa parte dos rios navegáveis estarem na Amazônia, o transporte nessa região é subaproveitado, por não haver nessa parte do país mercados produtores e consumidores de peso. Os trechos hidroviários mais importantes, do ponto de vista econômico, encontram-se no Sudeste e no Sul do País. Aproveitamento • O pleno aproveitamento de outras vias navegáveis dependem da construção de eclusas, grandes obras de dragagem e, principalmente, de portos que possibilitem a integração intermodal. Entre as principais hidrovias brasileiras, destacam-se duas: Hidrovia Tietê-Paraná e a Hidrovia do Solimões-Amazonas.
  11. 11. Regulamentação • O transporte hidroiário no Brasil é regulado pela Agência Nacional de Transportes Aquaviários (ANTAQ), entidade integrante da Administração Federal indireta e submetida ao regime autárquico especial. Tem por objetivos implementar, em sua esfera de atuação, as políticas formuladas pela SEP - Secretaria de Portos e pelo Conselho Nacional de Integração de Políticas de Transporte e regular, supervisionar e fiscalizar as atividades de prestação de serviços de transporte aquaviário e de exploração da infraestrutura portuária e aquaviária, exercida por terceiros, com vistas a garantir a movimentação de pessoas e bens, em cumprimento a padrões de eficiência, segurança, conforto, regularidade, pontualidade e modicidade nos fretes e tarifas; harmonizar os interesses dos usuários com os das empresas concessionárias, permissionárias, autorizadas e arrendatárias, e de entidades delegadas, preservando o interesse público; e arbitrar conflitos de interesse e impedir situações que configurem competição imperfeita ou infração contra a ordem econômica.
  12. 12. Pausa para o Chá Considerações
  13. 13. Lacustre Navegação lacustre é uma modalidade de transporte realizada em lagos e tem como principal característica a ligação entre cidades e países circunvizinhos. É um modal de transporte bastante restrito em face de serem poucos os lagos navegáveis, especialmente em termos de profundidade.
  14. 14. Terminado o Chá Considerações logísticas
  15. 15. Tipos de Navios • http://www.abreti.org.br/beta/tipos_navios.php
  16. 16. Como funciona? • De Santos a Manaus • 11 Dias navegando a 13 nós, sendo 8 de mar e 3 subindo o rio amazonas onde a velocidade cai para 10 nós devido a correnteza do rio. • Um nó equivale a uma milha por hora, e uma milha náutica equivale a 1852 metros. Então 13 nós dá 24 km/h. • Um cargueiro médio desloca 50 mil toneladas. • Milha Náutica, ou Milha Marítima, é uma unidade de medida de comprimento ou distância, equivalente a 1 852 metros, utilizada quase exclusivamente em navegação marítima e aérea e na medição de distâncias marítimas. A milha náutica não integra o Sistema Internacional de Unidades (SI) e o seu uso é desencorajado quando em relação com grandezas expressas em unidades do SI.
  17. 17. Como Calcular? • Para embarques LCL, meça o comprimento, a largura e a altura de sua carga (em centímetros). Calcule o volume de sua carga usando a fórmula: comprimento x largura x altura = volume (em centímetros cúbicos). • Crie o denominador por multiplicação de 12 x 12 x 12. Existem 12 polegadas em um pé: (12 x 12 x 12) = 1,728 centímetros cúbicos.
  18. 18. Há outros sistemas e cálculos... • Divida o volume por 1,728 para obter a metragem cúbica: volume / 1,728 = metragem cúbica. • Multiplique por 0,0283168466 para obter metros cúbicos. Metros cúbicos são necessários para todo o transporte saindo dos EUA, pois este é o sistema métrico usado pela maioria dos outros países. Você será cobrado pelo metro cúbico.
  19. 19. LCL - Less Conteiner Load • Na modalidade LCL, significa que o exportador não possui carga suficiente para preencher o conteiner inteiro e por isso embarcará sua carga com outros exportadores, sendo cada um responsável pela sua mercadoria. O exportador entrega a carga utilizada par a exportação no terminal indicado, o agente de carga é responsável pela estufagem do conteiner e transporte até a área de atracação do navio. Ao chegar no destino, cada importador será responsável e irá desconsolidar apenas a sua carga.
  20. 20. Conclusão • Neste modal hidroviário, foi concluído que sua abrangência se expande significadamente todos os dias, possuindo classes e subclasses, com seus devidos sistemas e cálculos, sua infomatização contribui para melhor compensação de gastos minimizando erros humanos para serviços básicos.
  21. 21. Bibliografia • Wikipédia • Ehow Brasil • Yahoo • ABRET • Portogente
  22. 22. Se o que tens a dizer não é mais belo que o silêncio, então cala-te. Pitágoras Alunos Patrick, Raíssa e Vitor

×