Linfadenectomia inguinal video endoscópica 2009<br />Marcos Tobias-Machado<br />Setor de Uro-oncologia, Disciplina de Urol...
IntroduçãoDisseminação inguinal do câncer de pênis<br /><ul><li>Ressecção imediata das metástases inguinais oferece vantag...
Morbidade da linfadenectomia convencional é de pelo menos 50%(Nelson et al, J Urol, 2004)</li></li></ul><li>Opções atuais ...
Video endoscopic inguinal lymphadenectomy (VEIL)ABC Medical School,Brazil<br />Objetivos <br />A  Área de dissecção simila...
Video endoscopic inguinal lymphadenectomy(VEIL)Técnica do ABC<br />Tobias-Machado et al, J Urol, 2005<br />Duplicação da c...
Optional techniques proved feasible<br />Simplyfied dissection (Sotelo et al, J Endourol, 2007)<br />Staged dissection wit...
Tobias-Machado et al, J Endourol, 2006<br />Video endoscopic inguinal lymphadenectomy (VEIL) : the technique <br />VIDEO <...
First protocol<br />Prospective comparative study in the same patient <br />One side was done a conventional open tecnique...
Resultados (J Urol, 2007)<br />
Second protocol<br />Aim: Testing the minimally invasive advantages of bilateral procedure and expand indication for N1<br...
Results - bilateral VEIL J Endourol, 2008<br />Operative time: 4.5 h<br />Morbidity: skin necrosis in 1 side 1of N1patient...
VEILTobias-Machado et al, J Endourol, 2008Conclusões<br />Factível<br />Retirada de gânglios semelhante a convencional<br ...
Sotelo, Mariano, Neiva et alJ Endourol, 2007<br />8 pacientes<br />14 dissecções : maioria simplificada <br />Tempo cirúrg...
Morbidade cutânea<br />Cirurgia convencional<br />VEIL<br />
Learning curve<br />Tobias-Machado, J Urol, 2008<br />Op time       Complications<br />first 10 procedures		126 min				9%<...
Perspectivas FuturasTobias-Machado et al, Arch Androl Sci, 2009<br />Reprodutividade: Revisão sistêmatica da literatura mo...
OBRIGADO!<br />
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Linfadenectomia inguinal video endoscópica 2009

935 visualizações

Publicada em

Dr.Marcos Tobias-Machado

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
935
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
10
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Linfadenectomia inguinal video endoscópica 2009

  1. 1. Linfadenectomia inguinal video endoscópica 2009<br />Marcos Tobias-Machado<br />Setor de Uro-oncologia, Disciplina de Urologia FMABC<br />
  2. 2. IntroduçãoDisseminação inguinal do câncer de pênis<br /><ul><li>Ressecção imediata das metástases inguinais oferece vantagem de sobrevida quando comparada a cirurgia inguinal de resgate(Kroogan et al, J U rol,2005)
  3. 3. Morbidade da linfadenectomia convencional é de pelo menos 50%(Nelson et al, J Urol, 2004)</li></li></ul><li>Opções atuais para reduzir a morbidade na abordagem dos linfonodos inguinais<br />Dissecção inguinal simplificada (Catalona, J Urol ,1988) <br />Controle oncológico é controverso<br />2/13 metástase inguinal tardia (Lopes et al, J Urol ,1996) <br />Dissecção simplificada por estágios(D’Ancona et al, J Urol, 2004)<br />5% of metástases ocultas<br />Mapeamento do linfonodo sentinela com linfocintilografia(Kroogan et al, J Urol, 2005)<br />15% de recorrência tardia<br />
  4. 4. Video endoscopic inguinal lymphadenectomy (VEIL)ABC Medical School,Brazil<br />Objetivos <br />A Área de dissecção similar a cirurgia aberta extendida<br />BBenefício da redução de morbidade utilizando técnica minimamente invasiva<br />CControle ótimo do câncer<br />Tobias-Machado, AUA, 2005<br />
  5. 5. Video endoscopic inguinal lymphadenectomy(VEIL)Técnica do ABC<br />Tobias-Machado et al, J Urol, 2005<br />Duplicação da cirurgia radical convencional<br />Identificação dos parâmetros anatômicos<br />Incisões pequenas e fora da área dos vasos femorais<br />Dissecção do retalho cutâneo com gás e bisturi ultrassônico<br />Ligadura proximal e distal dos linfáticos principais<br />Sem rotação de sartório<br />
  6. 6. Optional techniques proved feasible<br />Simplyfied dissection (Sotelo et al, J Endourol, 2007)<br />Staged dissection with frozen section (Sotelo et al, J Endourol, 2007)<br />VEIL with preservation of saphenous vein (Tobias-Machado, J Endourol, 2007) <br />
  7. 7. Tobias-Machado et al, J Endourol, 2006<br />Video endoscopic inguinal lymphadenectomy (VEIL) : the technique <br />VIDEO <br />
  8. 8.
  9. 9. First protocol<br />Prospective comparative study in the same patient <br />One side was done a conventional open tecnique and in another side a video endoscopic inguinal lymphadenectomy(VEIL)<br />Endpoints:<br />Operative time, blood loss,intraop complications<br />Number of lymphnodes removed<br />Morbidity<br />Patient opinion (What procedure was the best for you?)<br />Preliminary cancer control<br />
  10. 10. Resultados (J Urol, 2007)<br />
  11. 11. Second protocol<br />Aim: Testing the minimally invasive advantages of bilateral procedure and expand indication for N1<br />bilateralVEIL in 6 patients<br />Evaluated parameters:<br />Operative time <br />Morbidity<br />Hospital stay and time to suction drain withdraw<br />Oncological control <br />
  12. 12. Results - bilateral VEIL J Endourol, 2008<br />Operative time: 4.5 h<br />Morbidity: skin necrosis in 1 side 1of N1patient and 1lymphocele<br />Hospital stay: 22h(12-34)<br />Time to withdraw drainage : 5 days<br />Oncological control: 1 patient with bilateralpositve groins without recurrence after 11 months of follow-up <br />
  13. 13. VEILTobias-Machado et al, J Endourol, 2008Conclusões<br />Factível<br />Retirada de gânglios semelhante a convencional<br />Potencial para redução da morbidade<br />Alta e retorno as atividades mais precoce<br />Resultado oncológico de médio prazo porém promissor <br />
  14. 14. Sotelo, Mariano, Neiva et alJ Endourol, 2007<br />8 pacientes<br />14 dissecções : maioria simplificada <br />Tempo cirúrgico: 90 min<br />Gânglios removidos: 9<br />Morbidade cutânea: 0% e linfocele 23% <br />
  15. 15. Morbidade cutânea<br />Cirurgia convencional<br />VEIL<br />
  16. 16. Learning curve<br />Tobias-Machado, J Urol, 2008<br />Op time Complications<br />first 10 procedures 126 min 9%<br />after 10 procedures 110 min 9%<br />
  17. 17. Perspectivas FuturasTobias-Machado et al, Arch Androl Sci, 2009<br />Reprodutividade: Revisão sistêmatica da literatura mostrou que 14 centros no mundo já realizaram a cirurgia em<br />Brasil (6), Indía(5), Venezuela(1), Equador(1), EUA(1)<br /> Maturidade dos resultados oncológicos<br />Introdução de novas tecnologias: robótica (Joshepheson et al, Urology,2008)<br />Tobias-Machado, Starling e Pompeo: Condução de em estudo multicêntrico mundial<br />
  18. 18. OBRIGADO!<br />

×