Hiv mario martins pereira

3.839 visualizações

Publicada em

Além de importante contraceptivo, a camisinha é um dos principais métodos para a prevenção de doenças sexualmente transmissíveis (DST), como Aids, gonorréia, sífilis, hepatite B, herpes genital, verruga genital (HPV), entre outras. São doenças sérias, que podem trazer uma série de riscos e complicações à saúde. Preveni-las depende muito da conscientização de cada um.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.839
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Hiv mario martins pereira

  1. 1. AIDS ou SIDA- Síndrome de Imunodeficiência Adquirida Esta Síndrome e caracterizada por um conjunto de infecções oportunistas que surgem devido aqueda da imunidade. O HIV não se manifesta logo que se instala no organismo,pessoas infectadas por este vírus podemficar sem sintomas por cerca de 10 anos. Sintomas Iniciais: Fadiga,Febre,Inchaço,Pontos de vermelhos na pele,distúrbios no sistemanervoso central ( SNC). Transmissão : Sexo, Transfusão de sangue ou órgãos contaminados seringa ou materiais cirúrgicosnão esterilizados.Odirley Cerqueira dos SantosBiólogoGraduado em Ciências BiológicasUniversidade Guarulhos Odysantos@hotmail.com
  2. 2. Cuidados profiláticos Usar camisinha,Verificar a transfusão de sangue ou de órgãos. O mais importante é a informação e educação visando a prática de sexo seguro, diminuindo o número de parceiros e incentivando o uso de preservativos. Instrumentos cirúrgicos devem ser desinfetados e esterilizados e os materiais descartáveis devem ser acondicionados em caixas apropriadas para evitar acidentes.
  3. 3. Condiloma acuminado(HPV) Provocado pelo papilomavirus humano(HPV) desencadeando aparecimentos de lesões verrugosas na região genital e anal. A doença e conhecida popularmente como Crista de galo, Figueira ou Cavalo de crista. Vírus pode permanecer latente na pessoa por muito tempo sem se manifestar. Estudos no mundo comprovam que 50% a 80% das mulheres sexualmente ativas serão infectadas por um ou mais tipos de HPV em algum momento de suas vidas. Existem mais de 200 tipos diferentes de HPV. Eles são classificados em de baixo risco de câncer e de alto risco de câncer. Somente os de alto risco estão relacionados a tumores malignos.
  4. 4. Formas de Contágio Os HPV genitais são transmitidos por meio das relações sexuais,podendo ocasionar lesões no órgão genital feminino,colo do útero,órgão genital masculino e orifício retal. A transmissão também pode ocorrer durante o sexo oral. Possibilidade de contaminação por meio de objetos como toalhas, roupas íntimas, vasos sanitários ou banheiras.
  5. 5. Prevenção e tratamento O uso de preservativo (camisinha) diminui a possibilidade de transmissão na relação sexual (apesar de não evitá-la totalmente). Por isso, sua utilização é recomendada em qualquer tipo de relação sexual, mesmo naquela entre casais estáveis. O tratamento do HPV pode ser feito por meio de diversos métodos: químicos, quimioterápicos, imunoterápicos e cirúrgicos. A maioria deles destruirá o tecido doente.
  6. 6. Tricomoníase E uma doença causada por um protista chamado de Trichonomas vaginalis. O parasita é transmitido através do contato do pênis com a vagina com uma pessoa infectada. Mulheres podem contrair tricomoníase de homens ou mulheres, porém homens geralmente só a contraem de mulheres infectadas. A maioria dos homens com tricomoníase não apresenta sinais ou sintomas, porém alguns temporariamente têm irritação dentro do pênis, corrimento moderado ou queimação leve ao urinar ou ejacular. Nas mulheres os sintomas incluem um corrimento vaginal amarelo-esverdeado com forte odor,desconforto durante o intercurso sexual e ao urinar e provoca irritação na área genital. Contagio : Toalhas ,roupas ou assentos
  7. 7. Tratamento para tricomoníose A tricomoníose pode ser curada com remédios sob prescrição médica. Os sintomas da tricomoníase em homens infectados podem desaparecer em algumas semanas sem tratamento. Homens infectados, mesmo que não apresentem sintomas, podem infectar a parceira sexual se não receber tratamento para tricomoníase. Pessoas tratadas contra tricomoníase devem evitar sexo até que seu parceiro sexual tenha completado o tratamento e não apresente sintomas.
  8. 8. Medidas Profiláticas O preservativo masculino, usado corretamente e de forma consistente, pode reduzir o risco de transmissão da tricomoníase Ter uma relação monogâmica com um parceiro que foi testado e sabe-se não estar infectado. Tratamento : Antibiótico, metronizadol via oral.
  9. 9. Gonorréia É uma uretrite causada por uma bactéria chamada Neisseria gonorrhea a qual, ao microscópio, assemelha-se a um pequeno rim. Conhecida também por blenorragia, gonorréia e uma infecção na uretra ,podendo se propagar a outros órgãos dos aparelhos urinários e genitais. Após o contágio, há um período chamado de tempo de incubação no qual o paciente está assintomático. Esse período varia de dois à dez dias. Logo após surge secreção com dor para urinar.
  10. 10. Formas de contágio e Diagnóstico A gonorréia se transmite através de relações sexuais com parceiras contaminadas .O risco de se contaminar, na primeira vez, é de 15-20%. Esse aumenta à medida que aumentam o número de relações com parceiras contaminadas. Sexo oral ou anal também transmitem gonorréia. O exame bacterioscópico de secreção, com o auxílio de corantes especiais (Gram), pode ser realizado no próprio consultório, pelo médico, se houver condições. Se não, o exame bacterioscópico e bacteriológico feitos em laboratório são solicitados.Em casos duvidosos e arrastados pode-se solicitar a cultura de Thayer- Martin que é mais específica.
  11. 11. Sintomas Sintomas surgem poucos dias após o contato sexual : Ardor na uretra seguido de secreção purulenta. No homem, o principal sintoma é o corrimento pelo canal da urina (pus). Acompanha-se freqüentemente de ardor ao urinar. A mulher, pode apresentar um corrimento vaginal ou um "caroço" na vagina, como também pode acontecer de não apresentar nenhum sintomas.
  12. 12. Tratamento e prevenção Doses únicas de antibióticos, tais como ceftriaxonia, ciprofloxacino, ofloxacino e azitromicina. Ter uma relação monogâmica Uso de preservativos( Camisinha)
  13. 13. SÍFILIS É uma doença infecciosa crônica causada por uma bactéria chamada Treponema pallidum Pode-se adquirir sífilis por contato sexual com outra pessoa contaminada. Pode permanecer em período de latência(sem sintomas) durante algum tempo . Se tocar em uma destas vesículas de uma pessoa contaminada, é bem provável que bactérias entrem em contato com a sua pele. Se então estas bactérias atingirem regiões úmidas de seu corpo (por exemplo: boca, ânus ou vagina) ou algum corte na pele, há probabilidade de contaminação.
  14. 14. SintomasE divido em três estágios : O primeiro estágio aparecem pequenas vesículas avermelhadas, indolores que se chamam "cancro". As pessoas desenvolvem o cancro geralmente na região próxima aos genitais. No segundo estagio são : Sintomas de resfriado ,febre, corpo dolorido, dor de cabeça , fadiga e falta de apetite, Crescimento de verrugas semelhantes a couve-flor na área em volta do ânus. No terceiro estágio afeta o cérebro a artéria aorta, lesão cerebral, paralisia e morte.
  15. 15. Tratamento e prevenção Siga as orientações do profissional de saúde e todos os medicamentos prescritos. Informe seu médico caso ocorra algum tipo de alergia à penicilina ou a outros medicamentos. Cuidar dos doentes Usar preservativo durante as relações sexuais. Limitar o número de parceiros
  16. 16. A negligência pode ser fatal
  17. 17. Referências bibliográficas LACAZ, Carlos da Silva; LACAZ, José da Silva; MARTINS, Eduardo Lacaz (Coord.) Aids: Sida. São Paulo: Sarvier, 1990. 302 p. VERONESE, Ricardo Doenças Infecciosas e Parasitárias, 6ª edição, Rio de Janeiro, Editora Guanabara Koogan, 1976. 1142p. http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/hpv-human-papiloma-virus/

×