SlideShare uma empresa Scribd logo
AIDS ou SIDA- Síndrome de Imunodeficiência Adquirida
 Esta Síndrome e caracterizada por um conjunto de infecções oportunistas que surgem devido a
queda da imunidade.
 O HIV não se manifesta logo que se instala no organismo,pessoas infectadas por este vírus podem
ficar sem sintomas por cerca de 10 anos.
 Sintomas Iniciais: Fadiga,Febre,Inchaço,Pontos de vermelhos na pele,distúrbios no sistema
nervoso central ( SNC).
 Transmissão   : Sexo, Transfusão de sangue ou órgãos contaminados seringa ou materiais cirúrgicos
não esterilizados.

Odirley Cerqueira dos Santos
Biólogo
Graduado em Ciências Biológicas
Universidade Guarulhos
                                                                    Odysantos@hotmail.com
Cuidados profiláticos




 Usar camisinha,Verificar a transfusão de sangue ou de órgãos.


 O mais importante é a informação e educação visando a prática de sexo seguro,
  diminuindo o número de parceiros e incentivando o uso de preservativos.

 Instrumentos cirúrgicos devem ser desinfetados e esterilizados e os materiais
  descartáveis devem ser acondicionados em caixas apropriadas para evitar acidentes.
Condiloma acuminado(HPV)
 Provocado pelo papilomavirus humano(HPV) desencadeando aparecimentos de
  lesões verrugosas na região genital e anal. A doença e conhecida popularmente
  como Crista de galo, Figueira ou Cavalo de crista.

 Vírus pode permanecer latente na pessoa por muito tempo sem se manifestar.


 Estudos no mundo comprovam que 50% a 80% das mulheres sexualmente ativas
  serão infectadas por um ou mais tipos de HPV em algum momento de suas vidas.

 Existem mais de 200 tipos diferentes de HPV. Eles são classificados em de baixo
  risco de câncer e de alto risco de câncer. Somente os de alto risco estão
  relacionados a tumores malignos.
Formas de Contágio
 Os HPV genitais são transmitidos por meio das relações sexuais,podendo ocasionar
  lesões no órgão genital feminino,colo do útero,órgão genital masculino e orifício
  retal.

 A transmissão também pode ocorrer durante o sexo oral.


 Possibilidade de contaminação por meio de objetos como toalhas, roupas íntimas,
  vasos sanitários ou banheiras.
Prevenção e tratamento
 O uso de preservativo (camisinha) diminui a possibilidade de transmissão na
  relação sexual (apesar de não evitá-la totalmente). Por isso, sua utilização é
  recomendada em qualquer tipo de relação sexual, mesmo naquela entre casais
  estáveis.

 O tratamento do HPV pode ser feito por meio de diversos métodos: químicos,
  quimioterápicos, imunoterápicos e cirúrgicos. A maioria deles destruirá o tecido
  doente.
Tricomoníase
 E uma doença causada por um protista chamado de Trichonomas vaginalis.

 O parasita é transmitido através do contato do pênis com a vagina com uma pessoa
  infectada. Mulheres podem contrair tricomoníase de homens ou mulheres, porém
  homens geralmente só a contraem de mulheres infectadas.

 A maioria dos homens com tricomoníase não apresenta sinais ou sintomas, porém
  alguns temporariamente têm irritação dentro do pênis, corrimento moderado ou
  queimação leve ao urinar ou ejacular.

 Nas mulheres os sintomas incluem um corrimento vaginal amarelo-esverdeado com
  forte odor,desconforto durante o intercurso sexual e ao urinar e provoca irritação na
  área genital.

 Contagio : Toalhas ,roupas ou assentos
Tratamento para tricomoníose
 A tricomoníose pode ser curada com remédios sob prescrição médica.


 Os sintomas da tricomoníase em homens infectados podem desaparecer em algumas
  semanas sem tratamento.

 Homens infectados, mesmo que não apresentem sintomas, podem infectar a parceira
  sexual se não receber tratamento para tricomoníase.

 Pessoas tratadas contra tricomoníase devem evitar sexo até que seu parceiro
  sexual tenha completado o tratamento e não apresente sintomas.
Medidas Profiláticas
 O preservativo masculino, usado corretamente e de forma consistente, pode reduzir
  o risco de transmissão da tricomoníase

 Ter uma relação monogâmica com um parceiro que foi testado e sabe-se não
  estar infectado.

 Tratamento : Antibiótico, metronizadol via oral.
Gonorréia
 É uma uretrite causada por uma bactéria chamada Neisseria gonorrhea a qual,
  ao microscópio, assemelha-se a um pequeno rim.



 Conhecida também por blenorragia, gonorréia e uma infecção na uretra ,podendo se
  propagar a outros órgãos dos aparelhos urinários e genitais.



 Após o contágio, há um período chamado de tempo de incubação no qual o
  paciente está assintomático. Esse período varia de dois à dez dias. Logo após
  surge secreção com dor para urinar.
Formas de contágio e Diagnóstico
 A gonorréia se transmite através de relações sexuais com parceiras contaminadas .O
  risco de se contaminar, na primeira vez, é de 15-20%. Esse aumenta à medida que
  aumentam o número de relações com parceiras contaminadas.

 Sexo oral ou anal também transmitem gonorréia.



 O exame bacterioscópico de secreção, com o auxílio de corantes especiais (Gram),
  pode ser realizado no próprio consultório, pelo médico, se houver condições. Se
  não, o exame bacterioscópico e bacteriológico feitos em laboratório são
  solicitados.Em casos duvidosos e arrastados pode-se solicitar a cultura de Thayer-
  Martin que é mais específica.
Sintomas
 Sintomas surgem poucos dias após o contato sexual : Ardor na uretra seguido de
  secreção purulenta.

 No homem, o principal sintoma é o corrimento pelo canal da urina (pus).
  Acompanha-se freqüentemente de ardor ao urinar.



 A mulher, pode apresentar um corrimento vaginal ou um "caroço" na vagina, como
  também pode acontecer de não apresentar nenhum sintomas.
Tratamento e prevenção
 Doses únicas de antibióticos, tais como ceftriaxonia, ciprofloxacino, ofloxacino e
  azitromicina.

 Ter uma relação monogâmica


 Uso de preservativos( Camisinha)
SÍFILIS
 É uma doença infecciosa crônica causada por uma bactéria chamada Treponema
  pallidum

 Pode-se adquirir sífilis por contato sexual com outra pessoa contaminada.


 Pode permanecer em período de latência(sem sintomas) durante algum tempo .


 Se tocar em uma destas vesículas de uma pessoa contaminada, é bem provável que
  bactérias entrem em contato com a sua pele. Se então estas bactérias atingirem
  regiões úmidas de seu corpo (por exemplo: boca, ânus ou vagina) ou algum corte na
  pele, há probabilidade de contaminação.
Sintomas
E divido em três estágios :

 O primeiro estágio aparecem pequenas vesículas avermelhadas, indolores que se
   chamam "cancro". As pessoas desenvolvem o cancro geralmente na região próxima
   aos genitais.

 No segundo estagio são : Sintomas de resfriado ,febre, corpo dolorido, dor de
   cabeça , fadiga e falta de apetite, Crescimento de verrugas semelhantes a couve-flor
   na área em volta do ânus.

 No terceiro estágio afeta o cérebro a artéria aorta, lesão cerebral, paralisia e
   morte.
Tratamento e prevenção

 Siga as orientações do profissional de saúde e todos os medicamentos prescritos.
  Informe seu médico caso ocorra algum tipo de alergia à penicilina ou a outros
  medicamentos.

 Cuidar dos doentes


 Usar preservativo durante as relações sexuais.



 Limitar o número de parceiros
A negligência pode ser fatal
Referências bibliográficas
 LACAZ, Carlos da Silva; LACAZ, José da Silva; MARTINS, Eduardo Lacaz
  (Coord.) Aids: Sida. São Paulo: Sarvier, 1990. 302 p.

 VERONESE, Ricardo Doenças Infecciosas e Parasitárias, 6ª edição, Rio de Janeiro,
  Editora Guanabara Koogan, 1976. 1142p.

 http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/hpv-human-papiloma-virus/

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Dst’s
Dst’s Dst’s
Dst’s
Cris Marques
 
Dst
DstDst
Doenças sexualmente transmissíveis (dst’s)
Doenças sexualmente  transmissíveis (dst’s)Doenças sexualmente  transmissíveis (dst’s)
Doenças sexualmente transmissíveis (dst’s)
Bio Sem Limites
 
Ist inês e carla
Ist inês e carlaIst inês e carla
Ist inês e carla
carlavilelas
 
Apresentação dst
Apresentação dstApresentação dst
Apresentação dst
Robson Peixoto
 
DoençAs S[1]..
DoençAs S[1]..DoençAs S[1]..
DoençAs S[1]..
tiafer96
 
Doenças Sexualmente Transmissiveis (DST)
Doenças Sexualmente Transmissiveis (DST)Doenças Sexualmente Transmissiveis (DST)
Doenças Sexualmente Transmissiveis (DST)
danimmiguelis
 
Doenças sexualmente transmissiveis dst
Doenças sexualmente transmissiveis dstDoenças sexualmente transmissiveis dst
Doenças sexualmente transmissiveis dst
Mariana Rei Ferreira
 
Dst telma, mafalda, teresa e mariana
Dst  telma, mafalda, teresa e marianaDst  telma, mafalda, teresa e mariana
Dst telma, mafalda, teresa e mariana
BESL
 
Doenças e infecções sexualmente transmissíveis: 12 DST evitáveis
Doenças e infecções sexualmente transmissíveis: 12 DST evitáveisDoenças e infecções sexualmente transmissíveis: 12 DST evitáveis
Doenças e infecções sexualmente transmissíveis: 12 DST evitáveis
Tookmed
 
Doenças Sexualmente Transmissíveis
Doenças Sexualmente Transmissíveis Doenças Sexualmente Transmissíveis
Doenças Sexualmente Transmissíveis
Thauani Menegon
 
Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST's)
Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST's)Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST's)
Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST's)
Marcelo Henrique
 
Seminário aids 8 ano
Seminário aids  8 anoSeminário aids  8 ano
Seminário aids 8 ano
NTE RJ14/SEEDUC RJ
 
DST
DSTDST
DST
Catir
 
Doenças xesoalmente totalmente transmissiveis
Doenças xesoalmente totalmente transmissiveisDoenças xesoalmente totalmente transmissiveis
Doenças xesoalmente totalmente transmissiveis
manelmaia24
 
Dst/aids SIPAT (oficial)
Dst/aids SIPAT (oficial)Dst/aids SIPAT (oficial)
Dst/aids SIPAT (oficial)
Claudio Cesar Pontes ن
 
Dst's
Dst'sDst's
DoençAs Sexualmente Transmissiveis (2)
DoençAs Sexualmente Transmissiveis (2)DoençAs Sexualmente Transmissiveis (2)
DoençAs Sexualmente Transmissiveis (2)
Fernanda Gonçalves
 
DST Doenças Sexualmente Transmissíveis
DST Doenças Sexualmente TransmissíveisDST Doenças Sexualmente Transmissíveis
DST Doenças Sexualmente Transmissíveis
Julio Matos
 
Dst
DstDst

Mais procurados (20)

Dst’s
Dst’s Dst’s
Dst’s
 
Dst
DstDst
Dst
 
Doenças sexualmente transmissíveis (dst’s)
Doenças sexualmente  transmissíveis (dst’s)Doenças sexualmente  transmissíveis (dst’s)
Doenças sexualmente transmissíveis (dst’s)
 
Ist inês e carla
Ist inês e carlaIst inês e carla
Ist inês e carla
 
Apresentação dst
Apresentação dstApresentação dst
Apresentação dst
 
DoençAs S[1]..
DoençAs S[1]..DoençAs S[1]..
DoençAs S[1]..
 
Doenças Sexualmente Transmissiveis (DST)
Doenças Sexualmente Transmissiveis (DST)Doenças Sexualmente Transmissiveis (DST)
Doenças Sexualmente Transmissiveis (DST)
 
Doenças sexualmente transmissiveis dst
Doenças sexualmente transmissiveis dstDoenças sexualmente transmissiveis dst
Doenças sexualmente transmissiveis dst
 
Dst telma, mafalda, teresa e mariana
Dst  telma, mafalda, teresa e marianaDst  telma, mafalda, teresa e mariana
Dst telma, mafalda, teresa e mariana
 
Doenças e infecções sexualmente transmissíveis: 12 DST evitáveis
Doenças e infecções sexualmente transmissíveis: 12 DST evitáveisDoenças e infecções sexualmente transmissíveis: 12 DST evitáveis
Doenças e infecções sexualmente transmissíveis: 12 DST evitáveis
 
Doenças Sexualmente Transmissíveis
Doenças Sexualmente Transmissíveis Doenças Sexualmente Transmissíveis
Doenças Sexualmente Transmissíveis
 
Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST's)
Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST's)Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST's)
Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST's)
 
Seminário aids 8 ano
Seminário aids  8 anoSeminário aids  8 ano
Seminário aids 8 ano
 
DST
DSTDST
DST
 
Doenças xesoalmente totalmente transmissiveis
Doenças xesoalmente totalmente transmissiveisDoenças xesoalmente totalmente transmissiveis
Doenças xesoalmente totalmente transmissiveis
 
Dst/aids SIPAT (oficial)
Dst/aids SIPAT (oficial)Dst/aids SIPAT (oficial)
Dst/aids SIPAT (oficial)
 
Dst's
Dst'sDst's
Dst's
 
DoençAs Sexualmente Transmissiveis (2)
DoençAs Sexualmente Transmissiveis (2)DoençAs Sexualmente Transmissiveis (2)
DoençAs Sexualmente Transmissiveis (2)
 
DST Doenças Sexualmente Transmissíveis
DST Doenças Sexualmente TransmissíveisDST Doenças Sexualmente Transmissíveis
DST Doenças Sexualmente Transmissíveis
 
Dst
DstDst
Dst
 

Destaque

Sistema Reprodutor Feminino
Sistema Reprodutor FemininoSistema Reprodutor Feminino
Sistema Reprodutor Feminino
David Alcantara
 
AIDS
AIDSAIDS
20a imagenes sistema bethesda internet
20a imagenes sistema bethesda internet20a imagenes sistema bethesda internet
20a imagenes sistema bethesda internet
Carmen Hidalgo Lozano
 
Apresentação sobre DSTs
Apresentação sobre DSTsApresentação sobre DSTs
Apresentação sobre DSTs
Clesilda Campos
 
Aids (hiv)
Aids (hiv)Aids (hiv)
Aids (hiv)
heloisa19
 
Vale a pena LER de novo...
Vale a pena LER de novo...Vale a pena LER de novo...
Vale a pena LER de novo...
ISI Engenharia
 
#30anos | O Papel da Atenção Básica no Controle das DST | Dr. Valdir Monteiro...
#30anos | O Papel da Atenção Básica no Controle das DST | Dr. Valdir Monteiro...#30anos | O Papel da Atenção Básica no Controle das DST | Dr. Valdir Monteiro...
#30anos | O Papel da Atenção Básica no Controle das DST | Dr. Valdir Monteiro...
Centro de Referência e Treinamento em DST/Aids
 
Antivirais Farmacodinâmica
Antivirais  Farmacodinâmica Antivirais  Farmacodinâmica
Antivirais Farmacodinâmica
Luana Guedes
 
Aula 13 Biomedicina
Aula 13 BiomedicinaAula 13 Biomedicina
Aula 13 Biomedicina
Caio Maximino
 
Antivirais
AntiviraisAntivirais
Antivirais
Laíz Coutinho
 
Saúde e higienização do homem
Saúde e higienização do homemSaúde e higienização do homem
Saúde e higienização do homem
Fausto Barros
 
DST – Doenças Sexualmente Transmisíveis
DST – Doenças Sexualmente TransmisíveisDST – Doenças Sexualmente Transmisíveis
DST – Doenças Sexualmente Transmisíveis
Gilberto Ribeiro Pinto Júnior
 
Saúde e Prevenção nas Escolas: Prevenção de DST/Aids
Saúde e Prevenção nas Escolas: Prevenção de DST/AidsSaúde e Prevenção nas Escolas: Prevenção de DST/Aids
Saúde e Prevenção nas Escolas: Prevenção de DST/Aids
Elos da Saúde
 
Rotafolio cancer de utero
Rotafolio cancer de uteroRotafolio cancer de utero
Rotafolio cancer de utero
Giomar Maldonado Boluarte
 
Module 3 opportunistic infections and hiv related conditi
Module 3  opportunistic infections and hiv  related  conditiModule 3  opportunistic infections and hiv  related  conditi
Module 3 opportunistic infections and hiv related conditi
David Ngogoyo
 
Citología cervical
Citología cervicalCitología cervical
Citología cervical
Brayan García
 
Apresentação Sífilis 2010 TURMA ENFERMAGEM 5º SEMESTRE UNIÍTALO
Apresentação Sífilis 2010 TURMA ENFERMAGEM 5º SEMESTRE UNIÍTALOApresentação Sífilis 2010 TURMA ENFERMAGEM 5º SEMESTRE UNIÍTALO
Apresentação Sífilis 2010 TURMA ENFERMAGEM 5º SEMESTRE UNIÍTALO
WAGNER OLIVEIRA
 

Destaque (17)

Sistema Reprodutor Feminino
Sistema Reprodutor FemininoSistema Reprodutor Feminino
Sistema Reprodutor Feminino
 
AIDS
AIDSAIDS
AIDS
 
20a imagenes sistema bethesda internet
20a imagenes sistema bethesda internet20a imagenes sistema bethesda internet
20a imagenes sistema bethesda internet
 
Apresentação sobre DSTs
Apresentação sobre DSTsApresentação sobre DSTs
Apresentação sobre DSTs
 
Aids (hiv)
Aids (hiv)Aids (hiv)
Aids (hiv)
 
Vale a pena LER de novo...
Vale a pena LER de novo...Vale a pena LER de novo...
Vale a pena LER de novo...
 
#30anos | O Papel da Atenção Básica no Controle das DST | Dr. Valdir Monteiro...
#30anos | O Papel da Atenção Básica no Controle das DST | Dr. Valdir Monteiro...#30anos | O Papel da Atenção Básica no Controle das DST | Dr. Valdir Monteiro...
#30anos | O Papel da Atenção Básica no Controle das DST | Dr. Valdir Monteiro...
 
Antivirais Farmacodinâmica
Antivirais  Farmacodinâmica Antivirais  Farmacodinâmica
Antivirais Farmacodinâmica
 
Aula 13 Biomedicina
Aula 13 BiomedicinaAula 13 Biomedicina
Aula 13 Biomedicina
 
Antivirais
AntiviraisAntivirais
Antivirais
 
Saúde e higienização do homem
Saúde e higienização do homemSaúde e higienização do homem
Saúde e higienização do homem
 
DST – Doenças Sexualmente Transmisíveis
DST – Doenças Sexualmente TransmisíveisDST – Doenças Sexualmente Transmisíveis
DST – Doenças Sexualmente Transmisíveis
 
Saúde e Prevenção nas Escolas: Prevenção de DST/Aids
Saúde e Prevenção nas Escolas: Prevenção de DST/AidsSaúde e Prevenção nas Escolas: Prevenção de DST/Aids
Saúde e Prevenção nas Escolas: Prevenção de DST/Aids
 
Rotafolio cancer de utero
Rotafolio cancer de uteroRotafolio cancer de utero
Rotafolio cancer de utero
 
Module 3 opportunistic infections and hiv related conditi
Module 3  opportunistic infections and hiv  related  conditiModule 3  opportunistic infections and hiv  related  conditi
Module 3 opportunistic infections and hiv related conditi
 
Citología cervical
Citología cervicalCitología cervical
Citología cervical
 
Apresentação Sífilis 2010 TURMA ENFERMAGEM 5º SEMESTRE UNIÍTALO
Apresentação Sífilis 2010 TURMA ENFERMAGEM 5º SEMESTRE UNIÍTALOApresentação Sífilis 2010 TURMA ENFERMAGEM 5º SEMESTRE UNIÍTALO
Apresentação Sífilis 2010 TURMA ENFERMAGEM 5º SEMESTRE UNIÍTALO
 

Semelhante a Hiv mario martins pereira

Dst’s
Dst’sDst’s
Ds ts
Ds tsDs ts
Doenças Sexualmente Transmissíveis e Métodos Contracetivos
Doenças Sexualmente Transmissíveis e Métodos ContracetivosDoenças Sexualmente Transmissíveis e Métodos Contracetivos
Doenças Sexualmente Transmissíveis e Métodos Contracetivos
lucia_nunes
 
Doenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveisDoenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveis
Débora França Baltar
 
dst parte 1. DOENÇA SEXUALEMTE TRANSMISSIVEL
dst parte 1. DOENÇA SEXUALEMTE TRANSMISSIVELdst parte 1. DOENÇA SEXUALEMTE TRANSMISSIVEL
dst parte 1. DOENÇA SEXUALEMTE TRANSMISSIVEL
LuanMiguelCosta
 
DST
DSTDST
DSTs
DSTsDSTs
Aids
AidsAids
Doenas s1-1198788038494860-3
Doenas s1-1198788038494860-3Doenas s1-1198788038494860-3
Doenas s1-1198788038494860-3
Pelo Siro
 
DST
DSTDST
Doença de chagas
Doença de chagasDoença de chagas
Doença de chagas
wellington_souzza
 
Doença sexualmente transmissível HPV, Clamídia, Gonorreia e Linfogranuloma ve...
Doença sexualmente transmissível HPV, Clamídia, Gonorreia e Linfogranuloma ve...Doença sexualmente transmissível HPV, Clamídia, Gonorreia e Linfogranuloma ve...
Doença sexualmente transmissível HPV, Clamídia, Gonorreia e Linfogranuloma ve...
Janielson Lima
 
InfecçõEs%20 Sexualmente%20 TransmissíVeis[1]
InfecçõEs%20 Sexualmente%20 TransmissíVeis[1]InfecçõEs%20 Sexualmente%20 TransmissíVeis[1]
InfecçõEs%20 Sexualmente%20 TransmissíVeis[1]
Cristina0910
 
Infecções Sexualmente Transmissíveis.pdf
Infecções Sexualmente Transmissíveis.pdfInfecções Sexualmente Transmissíveis.pdf
Infecções Sexualmente Transmissíveis.pdf
ClaudilaineDoCarmo
 
DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS - DSTs
DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS - DSTsDOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS - DSTs
DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS - DSTs
Saúde Hervalense
 
DST
DSTDST
Tudo Sobre Dst
Tudo Sobre DstTudo Sobre Dst
Tudo Sobre Dst
Monique Esline
 
Dst
DstDst
DST
DSTDST
Dst pronto mesmo2
Dst pronto mesmo2Dst pronto mesmo2
Dst pronto mesmo2
'Alice Tinoco
 

Semelhante a Hiv mario martins pereira (20)

Dst’s
Dst’sDst’s
Dst’s
 
Ds ts
Ds tsDs ts
Ds ts
 
Doenças Sexualmente Transmissíveis e Métodos Contracetivos
Doenças Sexualmente Transmissíveis e Métodos ContracetivosDoenças Sexualmente Transmissíveis e Métodos Contracetivos
Doenças Sexualmente Transmissíveis e Métodos Contracetivos
 
Doenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveisDoenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveis
 
dst parte 1. DOENÇA SEXUALEMTE TRANSMISSIVEL
dst parte 1. DOENÇA SEXUALEMTE TRANSMISSIVELdst parte 1. DOENÇA SEXUALEMTE TRANSMISSIVEL
dst parte 1. DOENÇA SEXUALEMTE TRANSMISSIVEL
 
DST
DSTDST
DST
 
DSTs
DSTsDSTs
DSTs
 
Aids
AidsAids
Aids
 
Doenas s1-1198788038494860-3
Doenas s1-1198788038494860-3Doenas s1-1198788038494860-3
Doenas s1-1198788038494860-3
 
DST
DSTDST
DST
 
Doença de chagas
Doença de chagasDoença de chagas
Doença de chagas
 
Doença sexualmente transmissível HPV, Clamídia, Gonorreia e Linfogranuloma ve...
Doença sexualmente transmissível HPV, Clamídia, Gonorreia e Linfogranuloma ve...Doença sexualmente transmissível HPV, Clamídia, Gonorreia e Linfogranuloma ve...
Doença sexualmente transmissível HPV, Clamídia, Gonorreia e Linfogranuloma ve...
 
InfecçõEs%20 Sexualmente%20 TransmissíVeis[1]
InfecçõEs%20 Sexualmente%20 TransmissíVeis[1]InfecçõEs%20 Sexualmente%20 TransmissíVeis[1]
InfecçõEs%20 Sexualmente%20 TransmissíVeis[1]
 
Infecções Sexualmente Transmissíveis.pdf
Infecções Sexualmente Transmissíveis.pdfInfecções Sexualmente Transmissíveis.pdf
Infecções Sexualmente Transmissíveis.pdf
 
DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS - DSTs
DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS - DSTsDOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS - DSTs
DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS - DSTs
 
DST
DSTDST
DST
 
Tudo Sobre Dst
Tudo Sobre DstTudo Sobre Dst
Tudo Sobre Dst
 
Dst
DstDst
Dst
 
DST
DSTDST
DST
 
Dst pronto mesmo2
Dst pronto mesmo2Dst pronto mesmo2
Dst pronto mesmo2
 

Último

slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIAAPRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
karinenobre2033
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
vinibolado86
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
JoanaFigueira11
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 

Último (20)

slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIAAPRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 

Hiv mario martins pereira

  • 1. AIDS ou SIDA- Síndrome de Imunodeficiência Adquirida  Esta Síndrome e caracterizada por um conjunto de infecções oportunistas que surgem devido a queda da imunidade.  O HIV não se manifesta logo que se instala no organismo,pessoas infectadas por este vírus podem ficar sem sintomas por cerca de 10 anos.  Sintomas Iniciais: Fadiga,Febre,Inchaço,Pontos de vermelhos na pele,distúrbios no sistema nervoso central ( SNC).  Transmissão : Sexo, Transfusão de sangue ou órgãos contaminados seringa ou materiais cirúrgicos não esterilizados. Odirley Cerqueira dos Santos Biólogo Graduado em Ciências Biológicas Universidade Guarulhos Odysantos@hotmail.com
  • 2. Cuidados profiláticos  Usar camisinha,Verificar a transfusão de sangue ou de órgãos.  O mais importante é a informação e educação visando a prática de sexo seguro, diminuindo o número de parceiros e incentivando o uso de preservativos.  Instrumentos cirúrgicos devem ser desinfetados e esterilizados e os materiais descartáveis devem ser acondicionados em caixas apropriadas para evitar acidentes.
  • 3.
  • 4. Condiloma acuminado(HPV)  Provocado pelo papilomavirus humano(HPV) desencadeando aparecimentos de lesões verrugosas na região genital e anal. A doença e conhecida popularmente como Crista de galo, Figueira ou Cavalo de crista.  Vírus pode permanecer latente na pessoa por muito tempo sem se manifestar.  Estudos no mundo comprovam que 50% a 80% das mulheres sexualmente ativas serão infectadas por um ou mais tipos de HPV em algum momento de suas vidas.  Existem mais de 200 tipos diferentes de HPV. Eles são classificados em de baixo risco de câncer e de alto risco de câncer. Somente os de alto risco estão relacionados a tumores malignos.
  • 5. Formas de Contágio  Os HPV genitais são transmitidos por meio das relações sexuais,podendo ocasionar lesões no órgão genital feminino,colo do útero,órgão genital masculino e orifício retal.  A transmissão também pode ocorrer durante o sexo oral.  Possibilidade de contaminação por meio de objetos como toalhas, roupas íntimas, vasos sanitários ou banheiras.
  • 6.
  • 7. Prevenção e tratamento  O uso de preservativo (camisinha) diminui a possibilidade de transmissão na relação sexual (apesar de não evitá-la totalmente). Por isso, sua utilização é recomendada em qualquer tipo de relação sexual, mesmo naquela entre casais estáveis.  O tratamento do HPV pode ser feito por meio de diversos métodos: químicos, quimioterápicos, imunoterápicos e cirúrgicos. A maioria deles destruirá o tecido doente.
  • 8. Tricomoníase  E uma doença causada por um protista chamado de Trichonomas vaginalis.  O parasita é transmitido através do contato do pênis com a vagina com uma pessoa infectada. Mulheres podem contrair tricomoníase de homens ou mulheres, porém homens geralmente só a contraem de mulheres infectadas.  A maioria dos homens com tricomoníase não apresenta sinais ou sintomas, porém alguns temporariamente têm irritação dentro do pênis, corrimento moderado ou queimação leve ao urinar ou ejacular.  Nas mulheres os sintomas incluem um corrimento vaginal amarelo-esverdeado com forte odor,desconforto durante o intercurso sexual e ao urinar e provoca irritação na área genital.  Contagio : Toalhas ,roupas ou assentos
  • 9. Tratamento para tricomoníose  A tricomoníose pode ser curada com remédios sob prescrição médica.  Os sintomas da tricomoníase em homens infectados podem desaparecer em algumas semanas sem tratamento.  Homens infectados, mesmo que não apresentem sintomas, podem infectar a parceira sexual se não receber tratamento para tricomoníase.  Pessoas tratadas contra tricomoníase devem evitar sexo até que seu parceiro sexual tenha completado o tratamento e não apresente sintomas.
  • 10. Medidas Profiláticas  O preservativo masculino, usado corretamente e de forma consistente, pode reduzir o risco de transmissão da tricomoníase  Ter uma relação monogâmica com um parceiro que foi testado e sabe-se não estar infectado.  Tratamento : Antibiótico, metronizadol via oral.
  • 11. Gonorréia  É uma uretrite causada por uma bactéria chamada Neisseria gonorrhea a qual, ao microscópio, assemelha-se a um pequeno rim.  Conhecida também por blenorragia, gonorréia e uma infecção na uretra ,podendo se propagar a outros órgãos dos aparelhos urinários e genitais.  Após o contágio, há um período chamado de tempo de incubação no qual o paciente está assintomático. Esse período varia de dois à dez dias. Logo após surge secreção com dor para urinar.
  • 12. Formas de contágio e Diagnóstico  A gonorréia se transmite através de relações sexuais com parceiras contaminadas .O risco de se contaminar, na primeira vez, é de 15-20%. Esse aumenta à medida que aumentam o número de relações com parceiras contaminadas.  Sexo oral ou anal também transmitem gonorréia.  O exame bacterioscópico de secreção, com o auxílio de corantes especiais (Gram), pode ser realizado no próprio consultório, pelo médico, se houver condições. Se não, o exame bacterioscópico e bacteriológico feitos em laboratório são solicitados.Em casos duvidosos e arrastados pode-se solicitar a cultura de Thayer- Martin que é mais específica.
  • 13. Sintomas  Sintomas surgem poucos dias após o contato sexual : Ardor na uretra seguido de secreção purulenta.  No homem, o principal sintoma é o corrimento pelo canal da urina (pus). Acompanha-se freqüentemente de ardor ao urinar.  A mulher, pode apresentar um corrimento vaginal ou um "caroço" na vagina, como também pode acontecer de não apresentar nenhum sintomas.
  • 14.
  • 15. Tratamento e prevenção  Doses únicas de antibióticos, tais como ceftriaxonia, ciprofloxacino, ofloxacino e azitromicina.  Ter uma relação monogâmica  Uso de preservativos( Camisinha)
  • 16. SÍFILIS  É uma doença infecciosa crônica causada por uma bactéria chamada Treponema pallidum  Pode-se adquirir sífilis por contato sexual com outra pessoa contaminada.  Pode permanecer em período de latência(sem sintomas) durante algum tempo .  Se tocar em uma destas vesículas de uma pessoa contaminada, é bem provável que bactérias entrem em contato com a sua pele. Se então estas bactérias atingirem regiões úmidas de seu corpo (por exemplo: boca, ânus ou vagina) ou algum corte na pele, há probabilidade de contaminação.
  • 17. Sintomas E divido em três estágios :  O primeiro estágio aparecem pequenas vesículas avermelhadas, indolores que se chamam "cancro". As pessoas desenvolvem o cancro geralmente na região próxima aos genitais.  No segundo estagio são : Sintomas de resfriado ,febre, corpo dolorido, dor de cabeça , fadiga e falta de apetite, Crescimento de verrugas semelhantes a couve-flor na área em volta do ânus.  No terceiro estágio afeta o cérebro a artéria aorta, lesão cerebral, paralisia e morte.
  • 18.
  • 19. Tratamento e prevenção  Siga as orientações do profissional de saúde e todos os medicamentos prescritos. Informe seu médico caso ocorra algum tipo de alergia à penicilina ou a outros medicamentos.  Cuidar dos doentes  Usar preservativo durante as relações sexuais.  Limitar o número de parceiros
  • 20. A negligência pode ser fatal
  • 21. Referências bibliográficas  LACAZ, Carlos da Silva; LACAZ, José da Silva; MARTINS, Eduardo Lacaz (Coord.) Aids: Sida. São Paulo: Sarvier, 1990. 302 p.  VERONESE, Ricardo Doenças Infecciosas e Parasitárias, 6ª edição, Rio de Janeiro, Editora Guanabara Koogan, 1976. 1142p.  http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/hpv-human-papiloma-virus/