Livro dos Espiritos Q192 Evangelho Cap 13 item 17

1.436 visualizações

Publicada em

Reuniao Publica GECD Dubai

Publicada em: Espiritual
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.436
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
172
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
18
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Livro dos Espiritos Q192 Evangelho Cap 13 item 17

  1. 1. Estudo de O Livro dos Espíritose do Evangelho Segundo o EspiritismoLE - Questão 192Evangelho – Cap. XIII item 17Dubai, 16/06/2013Cap. IV - Da Pluralidade das ExistênciasTransmigrações Progressivas
  2. 2. Cap. IV – Da pluralidade das Existências.Transmigrações ProgressivasGECD - Grupo Espírita Cristão Despertar 2192. Pode alguém, por um proceder impecável na vida atual, transpor todosos graus da escala do aperfeiçoamento e tornar-se Espírito puro, sem passarpor outros graus intermédios?“Não, pois o que o homem julga perfeito longe está da perfeição. Háqualidades que lhe são desconhecidas e incompreensíveis. Poderá ser tãoperfeito quanto o comporte a sua natureza terrena, mas isso não é a perfeiçãoabsoluta. Dá-se com o Espírito o que se verifica com a criança que, pormais precoce que seja, tem de passar pela juventude, antes de chegar à idadeda madureza; e também com o enfermo que, para recobrar a saúde, tem quepassar pela convalescença. Demais, ao Espírito cumpre progredir em ciênciae em moral. Se somente se adiantou num sentido, importa se adiante nooutro, para atingir o extremo superior da escala. Contudo, quanto mais ohomem se adiantar na sua vida atual, tanto menos longas e penosas lhe serãoas provas que se seguirem.”
  3. 3. Cap. IV – Da pluralidade das Existências.Transmigrações ProgressivasGECD - Grupo Espírita Cristão Despertar 3192- a) - Pode ao menos o homem, na vida presente, preparar comsegurança, para si, uma existência futura menos prenhe de amarguras?“Sem dúvida. Pode reduzir a extensão e as dificuldades do caminho. Sóo descuidoso permanece sempre no mesmo ponto.”
  4. 4. Cap. IV – Da pluralidade das Existências.Transmigrações ProgressivasGECD - Grupo Espírita Cristão Despertar 4“(...) Poderá ser tãoperfeito quanto ocomporte a sua naturezaterrena, mas isso não é aperfeição absoluta”.Q.100. A classificação dos Espíritos se baseia no grau de adiantamento deles, nasqualidades que já adquiriram e nas imperfeições de que ainda terão de despojar-se.Esta classificação, aliás, nada tem de absoluta. De um grau a outro a transição éinsensível e, nos limites extremos, os matizes se apagam.Espíritos imperfeitos, caracterizados pela predominância da matéria sobre o Espírito e pela propensão para o mal. Os da segundase caracterizam pela predominância do Espírito sobre a matéria e pelo desejo do bem: são os bons Espíritos. A primeira, finalmente,compreende os Espíritos puros, os que atingiram o grau supremo da perfeição.
  5. 5. Cap. IV – Da pluralidade das Existências.Transmigrações Progressivas5Reavaliando o Caminhar (psicografia 23/10/2001 –Um amigo espiritual)“Vigiai e Orai para não cairdes em tentação” JesusÉ natural no processo evolutivo, que ao ascender a níveis de compreensão maior arespeito da vida e de si mesmo, possa o SER retornar para reavaliar o caminho.É o movimento natural daquele que deseja perceber o seu caminhar o seu trajetoevolutivo, compreendendo suas vontades e desejos, pensamentos e ações,passados ou presentes, a fim de determinar melhores cometimentos daí emdiante.Esse processo envolve ameaças e desafios ao SER espiritual pois o faz reviverdiversas etapas da caminhada, só que agora com mais possibilidades deentendimento, mas com o perigo da repetição de antigas posturas que jápoderiam ter sido modificadas pela consciência parcialmente desperta.
  6. 6. Cap. IV – Da pluralidade das Existências.Transmigrações Progressivas6http://www.youtube.com/watch?v=CcFknJoSjXE
  7. 7. Cap. IV – Da pluralidade das Existências.Transmigrações Progressivas7Reavaliando o Caminhar“Vigiai e Orai para não cairdes em tentação”- JesusQuando o jovem desce de Jerusalém, símbolo da espiritualidade, para Jericó,representatividade das questões materiais e das visões imediatistas dahumanidade...é o momento fecundo em que o SER deseja retornar a antigas realidades parareavaliar o seu caminhar.É um trajeto difícil por entre montanhas, geografia acidentada, favorável aosurgimento de dificuldades internas para o viajante invigilante.Requer muita vontade firme e objetivo claro para que não se perca o ser namelancolia estagnante ou na revivência dos já ultrapassados clichês mentais.Nesse momento, em que o SER visita o passado e o presente dentro de si, éimprescindível a oração e a vigilancia.
  8. 8. Cap. IV – Da pluralidade das Existências.Transmigrações Progressivas8Reavaliando o Caminhar“Vigiai e Orai para não cairdes em tentação”- JesusQuando jovem realiza essa difícil viagem , e cai nas mãos dos salteadores, que odeixam totalmente no chão das experiências emocionais e sentimentais..É a representação da inconsciência ou da ausência de entendimento na vida doSER que permite retomar antigos hábitos, quando poderia reavaliar o caminho,redecidindo o presente....Se não esta vigilante ele cai nessas armadilhas, pelaausência da vontade firme, acaba repetindo posturas que desejava abolir do seucotidiano.A oração prove a proteção espiritual que acompanhará e até mesmo conduziráao processo para o amadurecimento do SER. A vigilância, nesse caso , representaa vontade de se observarem antigos quadros infelizes e angustiantes na maiorparte das vezes, e retirar deles elementos de construção de um presente e futurodiferentes.
  9. 9. Cap. IV – Da pluralidade das Existências.Transmigrações Progressivas9Reavaliando o Caminhar“Vigiai e Orai para não cairdes em tentação”- JesusPara acordar será necessário estar em contato com seus inimigos íntimos,sentimentos desconhecidos, vontades reprimidas, situações e pessoas com olharpreconceituoso que o nosso momento evolutivo permite.E quando isso acontece o espírito é surpreendido com o horizonte que sedescortina em nosso mundo interno. Uma paisagem de socorro, amparo ebelezas se aprsenta de onde só se acreditava residir sujeira, podridão. Daelaboração dos conteúdos internos que as vivências muitas vezes desnecessáriaspermitem ao SER, pode=se crescer bastante em direção a paz interior.Permanecerá desfalecido, estagnado, até que dentro de si mesmo venha osocorro necessário. E não será nas máscaras sociais, representadas pelo Levita oupelo sacerdote que virá o socorro.
  10. 10. Cap. IV – Da pluralidade das Existências.Transmigrações Progressivas10Reavaliando o Caminhar“Vigiai e Orai para não cairdes em tentação”- JesusO espírito não necessita na sua espiral ascendente de evolução, ser invigilante epermitir o assalto de seu desconhecido mundo interno. Pode retornar, no desejode crescer, e isso é essencial, portando a Luz do Evangelho a iluminar-lhes ospontos escuros do caminho.Todos podem ser firmes. Podem orar e vigiar, confiando em Deus e em simesmos. Devem prosseguir sem medos. Somente assim conseguiramcompreender o que foram, são e estarão amanhã, plantando logo novassementes que o apresentarão um futuro de realizações inimagináveis.Será essa a única possibilidade de despertamento?A doutrina Espírita, revivendo o Evangelho do Cristo , aí esta para guiar o SER eincentivá-lo, sim, a descer da Jerusalém para Jericó. Porém, portando osensinamentos crísticos e contando com a possibilidade da segurança amorosa deJesus em todos os instantes.
  11. 11. Dubai, 05/02/2013Cap. XIII - NÃO SAIBA A VOSSA MÃO ESQUERDAO QUE DÊ A VOSSA MÃO DIREITAINSTRUÇÕES DOS ESPÍRITOSA PIEDADE - Item 17
  12. 12. 12PIEDADECapítulo XIII - Não Saiba a Vossa Mão esquerdaINSTRUÇÃO DOS ESPÍRITOSs.f. Compaixão, dó, pena, comiseração.Teologia Virtude que leva a render a Deus a honra quelhe é devida.Devoção, afeição e respeito pelas coisas da religião.Piedade filial, amor respeitoso aos pais.
  13. 13. 1317. A piedade é a virtude que mais vos aproxima dos anjos; é a irmã dacaridade, que vos conduz a Deus. Ah! deixai que o vosso coração se enterneçaante o espetáculo das misérias e dos sofrimentos dos vossos semelhantes.Vossas lágrimas são um bálsamo que lhes derramais nas feridas e, quando, porbondosa simpatia, chegais a lhes proporcionar a esperança e a resignação, queencanto não experimentais! Tem um certo amargor, é certo, esse encanto,porque nasce ao lado da desgraça; mas, não tendo o sabor acre dos gozosmundanos, também não traz as pungentes decepções do vazio que estesúltimos deixam após si Envolve-o penetrante suavidade que enche de jubilo aalma.Capítulo XIII - Não Saiba a Vossa Mão esquerdaINSTRUÇÃO DOS ESPÍRITOSA piedade, a piedade bem sentida é amor; amor é devotamento; devotamento éo olvido de si mesmo e esse olvido, essa abnegação em favor dos desgraçados, éa virtude por excelência, a que em toda a sua vida praticou o divino Messias eensinou na sua doutrina tão santa e tão sublime. Quando esta doutrina forrestabelecida na sua pureza primitiva, quando todos os povos se lhesubmeterem, ela tomará feliz a Terra, fazendo que reinem aí a concórdia, a paz eo amor.
  14. 14. 14O sentimento mais apropriado a fazer que progridais, domando em vós oegoísmo e o orgulho, aquele que dispõe vossa alma à humildade, à beneficênciae ao amor do próximo, é a piedade! piedade que vos comove até às entranhas àvista dos sofrimentos de vossos irmãos, que vos impele a lhes estender a mãopara socorrê-los e vos arranca lágrimas de simpatia.Nunca, portanto, abafeis nos vossos corações essas emoções celestes; nãoprocedais como esses egoístas endurecidos que se afastam dos aflitos, porque oespetáculo de suas misérias lhes perturbaria por instantes a existência álacre.Capítulo XIII - Não Saiba a Vossa Mão esquerdaINSTRUÇÃO DOS ESPÍRITOSTemei conservar-vos indiferentes, quando puderdes ser úteis. A tranqüilidadecomprada à custa de uma indiferença culposa é a tranqüilidade do mar Morto,no fundo de cujas águas se escondem a vasa fétida e a corrupção.
  15. 15. 15Quão longe, no entanto, se acha a piedade de causar o distúrbio e oaborrecimento de que se arreceia o egoísta! Sem dúvida, ao contacto dadesgraça de outrem, a alma, voltando-se para si mesma, experimenta umconfrangimento natural e profundo, que põe em vibração todo o ser e o abalapenosamente. Grande, porém, é a compensação, quando chegais a darcoragem e esperança a uni irmão infeliz que se enternece ao aperto de umamão amiga e cujo olhar, úmido, por vezes, de emoção e de reconhecimento,para vós se dirige docemente, antes de se fixar no Céu em agradecimento porlhe ter enviado um consolador, um amparo. A piedade é o melancólico, nasceleste precursor da caridade, primeira das virtudes que a tempor irmã e cujos benefícios ela prepara e enobrece. - Miguel. (Bordéus, 1862)Capítulo XIII - Não Saiba a Vossa Mão esquerdaINSTRUÇÃO DOS ESPÍRITOS
  16. 16. Cap. IV – Da pluralidade das Existências.Transmigrações Progressivas16“Fanatismo religioso é o homem acreditar que Deus é Pai, sem aceitar ou compreender queo homem é irmão. Aquele que está em conexão com Jesus, dizem os benfeitores é aquele quetem nos lábios uma palavra de esperança e no coração o sentimento da compaixão”.Povos e indivíduos se amparam no progresso, na consciência de que a evolução é individualmas se faz no coletivo, a partir dos estímulos que a partilha de conhecimento e sentimentopromovem sempre em direção ao belo e ao bem”. Andrei Moreirahttp://www.youtube.com/watch?v=Hi8DeKbi5J0

×