SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 20
Não saiba a vossa mão esquerda
o que dê a vossa mão direita
Esse ensinamento do Mestre Jesus é de suma importância
para os que possuem a conciencia de que o Bem é o único
meio para o aprimoramento do homem
Tanto que Kardec o elegeu como lema do Espiritismo o
”Fora da caridade não há salvação”, ou seja , com a
prática da caridade o homem adquire aptidões e virtudes, e
se salva do estágio em que se encontra, e adentra em outro
mais adiantado.
Não saiba a vossa mão esquerda
o que dê a vossa mão direita
Benevolência
[do latim caritate] - 1. No vocabulário cristão, o amor que procura
identificar-se com o amor de Deus e que move a vontade para a
busca efetiva do bem de outrem. 2. Conforme ensino dos Espíritos
nobres, Jesus entendia a caridade como "benevolência para com
todos, indulgência para com as imperfeições alheias, perdão das
ofensas".
[do latim benevolentia] - 1. Qualidade de benevolente. 2. Boa
vontade para com alguém. 3. Estima, afeto.
- [do latim indulgentia] - Clemência; condescendência;
misericórdia; tolerância.
Indulgência
Beneficiência
Caridade
[.do latim: beneficentia.ae] - Ação, comportamento ou tratamento
que denota o bem; causar o bem ao próximo; benfazer ou
Benfeitoria. Ato de beneficiar outrem; filantropia. Tendência para o
bem; benfazer.
Não saiba a vossa mão esquerda
o que dê a vossa mão direita
Caridade
É o amor em movimento, não se compra
nem se transfere de uns para os outros…
Adquire-se, construindo-a no íntimo do
Ser.
Caridade é
doação efetiva, desinteressada,
espontânea. Pensar nos outros, nas suas
dificuldades, e ajudar…
.
Que poder de despertamento têm os
exemplos de amor ativo em favor do
próximo! Reparemos nas campanhas
públicas para socorrer vítimas de
calamidades .
Caridade é contagiante
Os infortúnios ocultos
A dor das pessoas que jazem em leitos
A mãe com dificuldades de manter os filhos
A tristeza da criança abandonada
O sofrimento do escravo do vício
real da cooperação eficiente,
da compreensão, do auxilio sem pré-julgamento
da atenção e amizade sincera
do apoio e carinho incondicional
Da Caridade que não rende aplausos, e nem
reconhecimento, mas que nos faz sentirmos úteis,
cheios de ânimo e força, exercitando, anonimamente o
“fazei ao próximo o que gostaria que lhe fizessem.”
Os infortúnios ocultos
A caridade, pois abrange nossas relações com o semelhante, seja
quem for, e esteja na posicão em que estiver.
Sempre podemos doar:
Amor
Respeito
Compreensão
Calor humano
O óbolo da viúva
O óbolo da viúva
Na passagem temos as figuras da viúva simbolizando as
pessoas com poucos recursos e a dos abastados. Ambos
contribuíam, porém Jesus considerou que o valor ofertado
pela viúva, embora fosse de menor era o mais valioso em
termos espirituais.
Convidar os pobres e os estropiados. Dar sem
esperar retribuição
Sua linguagem era quase sempre simbólica, o Mestre
recomenda que convide para a fartura de que desfrutas
aqueles que não tem condições de retribuir, parentes e
amigos menos afortunados.
JESUS não queria dizer que, ao invés de convidar os
amigos, é preciso reunir à mesa os mendigos da rua
A caridade material e a caridade moral
A caridade material e a caridade moral
Há muitas maneiras de se fazer a caridade, muitos
acreditam que somente a esmola material somos
capazes de dar. Outros acreditam que ao doar bens e
confortos ja fizeram sua parte. Mas a caridade moral se
apresenta como a mais simples e a mais dificil de de
dar.
Mais Simples
Porque não custa nada
de material
Mais Dificil
Porque exige tolerância
e indulgência
A beneficência
A beneficência, meus amigos, dar-vos-á nesse mundo os
mais puros e suaves deleites, as alegrias do coração, que
nem o remorso, nem a indiferença perturbam.
Pudésseis, meus amigos, ter por única ocupação tornar
felizes os outros
Caridade! Sublime palavra que sintetiza todas as virtudes,
és tu que hás de conduzir os povos à felicidade
“Amai-vos uns aos outros.” Não pode a alma elevar-se às
altas regiões espirituais, senão pelo devotamento ao
próximo
A piedade
A piedade é a virtude que mais vos aproxima dos anjos; é a
irmã da caridade, que vos conduz a Deus.
A piedade, a piedade bem sentida é amor; amor é
devotamento; devotamento é o esquecimento de si mesmo e
esse esquecimento, essa abnegação em favor dos
desgraçados, é a virtude por excelência, a que em toda a
sua vida praticou o divino Messias e ensinou na sua
doutrina tão santa e tão sublime
A piedade
Grande, porém, é a compensação, quando chegais a dar
coragem e esperança a um irmão infeliz que se comove ao
aperto de uma mão amiga e cujo olhar, úmido, por vezes, de
emoção e de reconhecimento, para vós se dirige docemente,
antes de se fixar no Céu em agradecimento por lhe ter
enviado um consolador, um amparo.
Miguel. (Bordeaux, 1862.)
Os órfãos
Quem agrada à uma criança órfã, agrada a Deus, pois
ajudar a uma pequena criatura abandonada mostra que
compreendemos e praticamos Sua Lei, de Amor e
Caridade, e estamos no caminho certo.
“Deus permite que haja órfãos, para incentivar-nos a
servir-lhes de pais. Que divina caridade amparar uma
pobre criaturinha abandonada, evitar que sofra fome e
frio, dirigir-lhe a alma, a fim de que não desgarre para
o vício!”
Um Espírito familiar. (Paris, 1860.)
Benefícios pagos com a ingratidão
Que se deve pensar dos que, recebendo a ingratidão em
paga de benefícios que fizeram, deixam de praticar o bem
para não topar com os ingratos?
Egoísmo Orgulho
Caridade
Reconhecimento dos Homens
Reconhecimento dos céus
Beneficência exclusiva
É acertada a beneficência, quando praticada
exclusivamente entre pessoas da mesma opinião, da mesma
crença, ou do mesmo partido?
Não
O verdadeiro cristão vê somente
irmãos em seus semelhantes
Nunca deixei de praticar a caridade, fosse
para quem fosse, fosse do que fosse. A
caridade da esmola material, a caridade do
socorro espiritual, a caridade do pão, a
caridade da palavra.
Será a minha gloria e a minha oferenda a
Jesus Menino
Frei Luiz 1937
Próximo encontro
Capítulo XIV
Honrai a vosso pai
e a vossa mãe

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Capítulo vii – o orgulho e a humildade
Capítulo vii – o orgulho e a humildadeCapítulo vii – o orgulho e a humildade
Capítulo vii – o orgulho e a humildade
alice martins
 
O espiritismo e a família contemporânea , desafios
O espiritismo e a família contemporânea , desafiosO espiritismo e a família contemporânea , desafios
O espiritismo e a família contemporânea , desafios
Izabel Cristina Fonseca
 

Mais procurados (20)

Infortunios ocultos palestra
Infortunios ocultos palestraInfortunios ocultos palestra
Infortunios ocultos palestra
 
Palestra Espírita - A paciência
Palestra Espírita - A paciênciaPalestra Espírita - A paciência
Palestra Espírita - A paciência
 
Caridade para com os criminosos
Caridade para com os criminososCaridade para com os criminosos
Caridade para com os criminosos
 
Bem aventurados os que são misericordiosos
Bem aventurados os que são misericordiososBem aventurados os que são misericordiosos
Bem aventurados os que são misericordiosos
 
Capítulo vii – o orgulho e a humildade
Capítulo vii – o orgulho e a humildadeCapítulo vii – o orgulho e a humildade
Capítulo vii – o orgulho e a humildade
 
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
 
Cristo Consolador
Cristo ConsoladorCristo Consolador
Cristo Consolador
 
Conduta Espírita na Prática da Caridade
Conduta Espírita na Prática da CaridadeConduta Espírita na Prática da Caridade
Conduta Espírita na Prática da Caridade
 
Cap xi Amar ao proximo como a si mesmo
Cap xi Amar ao proximo como a si mesmoCap xi Amar ao proximo como a si mesmo
Cap xi Amar ao proximo como a si mesmo
 
Palestra Espírita - Missão dos espíritas
Palestra Espírita - Missão dos espíritasPalestra Espírita - Missão dos espíritas
Palestra Espírita - Missão dos espíritas
 
A lei de amor (ESE, Cap XI, item 8)
A lei de amor (ESE, Cap XI, item 8)A lei de amor (ESE, Cap XI, item 8)
A lei de amor (ESE, Cap XI, item 8)
 
Bem aventurados os pobres de espirito - Cap VII
Bem aventurados os pobres de espirito - Cap VIIBem aventurados os pobres de espirito - Cap VII
Bem aventurados os pobres de espirito - Cap VII
 
O espiritismo e a família contemporânea , desafios
O espiritismo e a família contemporânea , desafiosO espiritismo e a família contemporânea , desafios
O espiritismo e a família contemporânea , desafios
 
Perdão na visão espírita
Perdão na visão espíritaPerdão na visão espírita
Perdão na visão espírita
 
O Homem de Bem
O Homem de BemO Homem de Bem
O Homem de Bem
 
Bem-aventurados os aflitos
Bem-aventurados os aflitos Bem-aventurados os aflitos
Bem-aventurados os aflitos
 
Sede perfeitos
Sede perfeitosSede perfeitos
Sede perfeitos
 
2010-03-Palestra-Honrai Vosso Pai e Vossa Mãe-Rosana De Rosa
2010-03-Palestra-Honrai Vosso Pai e Vossa Mãe-Rosana De Rosa2010-03-Palestra-Honrai Vosso Pai e Vossa Mãe-Rosana De Rosa
2010-03-Palestra-Honrai Vosso Pai e Vossa Mãe-Rosana De Rosa
 
Cap 15 Fora da caridade não há salvação
Cap 15 Fora da caridade não há salvaçãoCap 15 Fora da caridade não há salvação
Cap 15 Fora da caridade não há salvação
 
Palestra Espírita - Amar ao próximo como a si mesmo
Palestra Espírita -  Amar ao próximo como a si mesmoPalestra Espírita -  Amar ao próximo como a si mesmo
Palestra Espírita - Amar ao próximo como a si mesmo
 

Destaque (8)

Que a vossa mão esquerda não saiba.... - Wilma Badan
Que a vossa mão esquerda não saiba.... - Wilma BadanQue a vossa mão esquerda não saiba.... - Wilma Badan
Que a vossa mão esquerda não saiba.... - Wilma Badan
 
A Beneficência - Palestra Espírita
A Beneficência - Palestra EspíritaA Beneficência - Palestra Espírita
A Beneficência - Palestra Espírita
 
Infortúnios ocultos
Infortúnios ocultosInfortúnios ocultos
Infortúnios ocultos
 
Ingratidão por benefícios prestados
Ingratidão por benefícios prestadosIngratidão por benefícios prestados
Ingratidão por benefícios prestados
 
O óbulo da viúva
O óbulo da viúvaO óbulo da viúva
O óbulo da viúva
 
Palestra ESE13 que a mão esquerda...
Palestra ESE13 que a mão esquerda... Palestra ESE13 que a mão esquerda...
Palestra ESE13 que a mão esquerda...
 
Fazer o Bem Sem Olhar a Quem
Fazer o Bem Sem Olhar a QuemFazer o Bem Sem Olhar a Quem
Fazer o Bem Sem Olhar a Quem
 
Livro dos Espiritos Q.178 Evangelho cap13 2.ppt
Livro dos Espiritos Q.178 Evangelho cap13 2.pptLivro dos Espiritos Q.178 Evangelho cap13 2.ppt
Livro dos Espiritos Q.178 Evangelho cap13 2.ppt
 

Semelhante a Cap 13 Não saiba a vossa mão esquerda o que dê a vossa mão direita

Fora da Caridade não há Salvação
Fora da Caridade não há SalvaçãoFora da Caridade não há Salvação
Fora da Caridade não há Salvação
Luciane Belchior
 
Felicidadedossimples
FelicidadedossimplesFelicidadedossimples
Felicidadedossimples
Lubahia
 

Semelhante a Cap 13 Não saiba a vossa mão esquerda o que dê a vossa mão direita (20)

Fora Da Caridade NãO Há SalvaçãO
Fora Da Caridade NãO Há SalvaçãOFora Da Caridade NãO Há SalvaçãO
Fora Da Caridade NãO Há SalvaçãO
 
Fora da Caridade não há Salvação
Fora da Caridade não há SalvaçãoFora da Caridade não há Salvação
Fora da Caridade não há Salvação
 
Memoria do coracao kssf
Memoria do coracao kssfMemoria do coracao kssf
Memoria do coracao kssf
 
Caridade um reflexo de amor
Caridade um reflexo de amorCaridade um reflexo de amor
Caridade um reflexo de amor
 
Dia nacional da caridade
Dia nacional da caridadeDia nacional da caridade
Dia nacional da caridade
 
Decepções
DecepçõesDecepções
Decepções
 
Formas de caridade segundo Doutrina Espírita
Formas de caridade segundo Doutrina EspíritaFormas de caridade segundo Doutrina Espírita
Formas de caridade segundo Doutrina Espírita
 
A fé e o amor
A fé e o amor A fé e o amor
A fé e o amor
 
Caridade
CaridadeCaridade
Caridade
 
Capítulo XII - Perfeição Moral.docx
Capítulo XII - Perfeição Moral.docxCapítulo XII - Perfeição Moral.docx
Capítulo XII - Perfeição Moral.docx
 
BEM AVENTURADOS OS MISERICORDIOSOS
BEM AVENTURADOS OS MISERICORDIOSOSBEM AVENTURADOS OS MISERICORDIOSOS
BEM AVENTURADOS OS MISERICORDIOSOS
 
Convidar os pobres e estropiados - Cap. XIII - ESE
Convidar os pobres e estropiados - Cap. XIII - ESEConvidar os pobres e estropiados - Cap. XIII - ESE
Convidar os pobres e estropiados - Cap. XIII - ESE
 
Emprego da riqueza
Emprego da riquezaEmprego da riqueza
Emprego da riqueza
 
Dia nacional da caridade
Dia nacional da caridadeDia nacional da caridade
Dia nacional da caridade
 
O Real sentido do amor
O Real sentido do amorO Real sentido do amor
O Real sentido do amor
 
Aula 00 - Apresentaao do Curso Basico de Espiritismo.ppt
Aula 00 - Apresentaao do Curso Basico de Espiritismo.pptAula 00 - Apresentaao do Curso Basico de Espiritismo.ppt
Aula 00 - Apresentaao do Curso Basico de Espiritismo.ppt
 
O real sentido do amor
O real sentido do amorO real sentido do amor
O real sentido do amor
 
A gentileza do amor
A gentileza do amorA gentileza do amor
A gentileza do amor
 
A gentileza do amor - l ivro
A gentileza do amor -  l ivroA gentileza do amor -  l ivro
A gentileza do amor - l ivro
 
Felicidadedossimples
FelicidadedossimplesFelicidadedossimples
Felicidadedossimples
 

Último

Último (10)

Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
EVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdf
EVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdfEVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdf
EVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdf
 
JUIZO FINAL [ DOUTRINA DA ESCATOLOGIA E FIM DOS TEMPOS]
JUIZO FINAL [ DOUTRINA DA ESCATOLOGIA E FIM DOS TEMPOS]JUIZO FINAL [ DOUTRINA DA ESCATOLOGIA E FIM DOS TEMPOS]
JUIZO FINAL [ DOUTRINA DA ESCATOLOGIA E FIM DOS TEMPOS]
 
João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...
João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...
João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...
 
Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2
Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2
Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2
 
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptxLivro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
 
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
 
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptxBíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
 
Oração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De CássiaOração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De Cássia
 
1- Chuvas de Graça - Hino da Harpa Cristã.ppt
1- Chuvas de Graça - Hino da Harpa Cristã.ppt1- Chuvas de Graça - Hino da Harpa Cristã.ppt
1- Chuvas de Graça - Hino da Harpa Cristã.ppt
 

Cap 13 Não saiba a vossa mão esquerda o que dê a vossa mão direita

  • 1.
  • 2.
  • 3. Não saiba a vossa mão esquerda o que dê a vossa mão direita Esse ensinamento do Mestre Jesus é de suma importância para os que possuem a conciencia de que o Bem é o único meio para o aprimoramento do homem Tanto que Kardec o elegeu como lema do Espiritismo o ”Fora da caridade não há salvação”, ou seja , com a prática da caridade o homem adquire aptidões e virtudes, e se salva do estágio em que se encontra, e adentra em outro mais adiantado.
  • 4. Não saiba a vossa mão esquerda o que dê a vossa mão direita Benevolência [do latim caritate] - 1. No vocabulário cristão, o amor que procura identificar-se com o amor de Deus e que move a vontade para a busca efetiva do bem de outrem. 2. Conforme ensino dos Espíritos nobres, Jesus entendia a caridade como "benevolência para com todos, indulgência para com as imperfeições alheias, perdão das ofensas". [do latim benevolentia] - 1. Qualidade de benevolente. 2. Boa vontade para com alguém. 3. Estima, afeto. - [do latim indulgentia] - Clemência; condescendência; misericórdia; tolerância. Indulgência Beneficiência Caridade [.do latim: beneficentia.ae] - Ação, comportamento ou tratamento que denota o bem; causar o bem ao próximo; benfazer ou Benfeitoria. Ato de beneficiar outrem; filantropia. Tendência para o bem; benfazer.
  • 5. Não saiba a vossa mão esquerda o que dê a vossa mão direita Caridade É o amor em movimento, não se compra nem se transfere de uns para os outros… Adquire-se, construindo-a no íntimo do Ser. Caridade é doação efetiva, desinteressada, espontânea. Pensar nos outros, nas suas dificuldades, e ajudar… . Que poder de despertamento têm os exemplos de amor ativo em favor do próximo! Reparemos nas campanhas públicas para socorrer vítimas de calamidades . Caridade é contagiante
  • 6. Os infortúnios ocultos A dor das pessoas que jazem em leitos A mãe com dificuldades de manter os filhos A tristeza da criança abandonada O sofrimento do escravo do vício real da cooperação eficiente, da compreensão, do auxilio sem pré-julgamento da atenção e amizade sincera do apoio e carinho incondicional Da Caridade que não rende aplausos, e nem reconhecimento, mas que nos faz sentirmos úteis, cheios de ânimo e força, exercitando, anonimamente o “fazei ao próximo o que gostaria que lhe fizessem.”
  • 7. Os infortúnios ocultos A caridade, pois abrange nossas relações com o semelhante, seja quem for, e esteja na posicão em que estiver. Sempre podemos doar: Amor Respeito Compreensão Calor humano
  • 8. O óbolo da viúva
  • 9. O óbolo da viúva Na passagem temos as figuras da viúva simbolizando as pessoas com poucos recursos e a dos abastados. Ambos contribuíam, porém Jesus considerou que o valor ofertado pela viúva, embora fosse de menor era o mais valioso em termos espirituais.
  • 10. Convidar os pobres e os estropiados. Dar sem esperar retribuição Sua linguagem era quase sempre simbólica, o Mestre recomenda que convide para a fartura de que desfrutas aqueles que não tem condições de retribuir, parentes e amigos menos afortunados. JESUS não queria dizer que, ao invés de convidar os amigos, é preciso reunir à mesa os mendigos da rua
  • 11. A caridade material e a caridade moral
  • 12. A caridade material e a caridade moral Há muitas maneiras de se fazer a caridade, muitos acreditam que somente a esmola material somos capazes de dar. Outros acreditam que ao doar bens e confortos ja fizeram sua parte. Mas a caridade moral se apresenta como a mais simples e a mais dificil de de dar. Mais Simples Porque não custa nada de material Mais Dificil Porque exige tolerância e indulgência
  • 13. A beneficência A beneficência, meus amigos, dar-vos-á nesse mundo os mais puros e suaves deleites, as alegrias do coração, que nem o remorso, nem a indiferença perturbam. Pudésseis, meus amigos, ter por única ocupação tornar felizes os outros Caridade! Sublime palavra que sintetiza todas as virtudes, és tu que hás de conduzir os povos à felicidade “Amai-vos uns aos outros.” Não pode a alma elevar-se às altas regiões espirituais, senão pelo devotamento ao próximo
  • 14. A piedade A piedade é a virtude que mais vos aproxima dos anjos; é a irmã da caridade, que vos conduz a Deus. A piedade, a piedade bem sentida é amor; amor é devotamento; devotamento é o esquecimento de si mesmo e esse esquecimento, essa abnegação em favor dos desgraçados, é a virtude por excelência, a que em toda a sua vida praticou o divino Messias e ensinou na sua doutrina tão santa e tão sublime
  • 15. A piedade Grande, porém, é a compensação, quando chegais a dar coragem e esperança a um irmão infeliz que se comove ao aperto de uma mão amiga e cujo olhar, úmido, por vezes, de emoção e de reconhecimento, para vós se dirige docemente, antes de se fixar no Céu em agradecimento por lhe ter enviado um consolador, um amparo. Miguel. (Bordeaux, 1862.)
  • 16. Os órfãos Quem agrada à uma criança órfã, agrada a Deus, pois ajudar a uma pequena criatura abandonada mostra que compreendemos e praticamos Sua Lei, de Amor e Caridade, e estamos no caminho certo. “Deus permite que haja órfãos, para incentivar-nos a servir-lhes de pais. Que divina caridade amparar uma pobre criaturinha abandonada, evitar que sofra fome e frio, dirigir-lhe a alma, a fim de que não desgarre para o vício!” Um Espírito familiar. (Paris, 1860.)
  • 17. Benefícios pagos com a ingratidão Que se deve pensar dos que, recebendo a ingratidão em paga de benefícios que fizeram, deixam de praticar o bem para não topar com os ingratos? Egoísmo Orgulho Caridade Reconhecimento dos Homens Reconhecimento dos céus
  • 18. Beneficência exclusiva É acertada a beneficência, quando praticada exclusivamente entre pessoas da mesma opinião, da mesma crença, ou do mesmo partido? Não O verdadeiro cristão vê somente irmãos em seus semelhantes
  • 19. Nunca deixei de praticar a caridade, fosse para quem fosse, fosse do que fosse. A caridade da esmola material, a caridade do socorro espiritual, a caridade do pão, a caridade da palavra. Será a minha gloria e a minha oferenda a Jesus Menino Frei Luiz 1937
  • 20. Próximo encontro Capítulo XIV Honrai a vosso pai e a vossa mãe

Notas do Editor

  1. Mas ao lado dessas tragédias gerais existem milhares de tragédias particulares, que passam despercebidas:
  2. A piedade, a piedade bem sentida é amor; amor é devotamento; devotamento é o esquecimento de si mesmo e esse esquecimento, essa abnegação em favor dos desgraçados, é a virtude por excelência, a que em toda a sua vida praticou o divino Messias e ensinou na sua doutrina tão santa e tão sublime Grande, porém, é a compensação, quando chegais a dar coragem e esperança a um irmão infeliz que se comove ao aperto de uma mão amiga e cujo olhar, úmido, por vezes, de emoção e de reconhecimento, para vós se dirige docemente, antes de se fixar no Céu em agradecimento por lhe ter enviado um consolador, um amparo.
  3. Se Deus permite por vezes sejais pagos com a ingratidão, é para experimentar a vossa perseverança em praticar o bem.