2013 2 tri - lição 7 - o divórcio

2.703 visualizações

Publicada em

Aula ministrada pelo Ev. Natalino das Neves - Projeto IEADSJP_EBDTV
Projeto da IEADSJP - Igreja Evangélica Assembleia de Deus de São José dos Pinhais
Pr. Presidente: Ival Teodoro da Silva
Co-Pastor da Sede: Josué Barros Abreu
Pr. Vice-Presidente: Eurico Deraldo Santana
Sup. EBD local: Ev. Ismael Nascimento de Oliveira

Publicada em: Educação
1 comentário
2 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.703
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
138
Comentários
1
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

2013 2 tri - lição 7 - o divórcio

  1. 1. LIÇÕES BÍBLICAS - CPAD2º TRIMESTRE DE 2013FAMÍLIA CRISTÃ NO SÉCULO XXIProtegendo a família dos ataques do inimigoLição 7 – O DivórcioProf. Ms. Natalino das Neveswww.natalinodasneves.blogspot.com.brIEADSJP_EBDTV
  2. 2. LIÇÕES BÍBLICAS - CPAD2º TRIMESTRE DE 2013Lição 719 de Maio de 2013O DIVÓRCIOProf. Ms. Natalino das Neveswww.natalinodasneves.blogspot.com.brIEADSJP_EBDTV
  3. 3. ACESSE O VÍDEO COM OS COMENTÁRIOSREFERENTE A ESTE ARQUIVO NO LINKABAIXO:http://www.youtube.com/watch?v=1ytvJmQzA0A&feature=share&list=UUjxwfyjs_miA1vpqYbhNxwgOUhttp://natalinodasneves.blogspot.com.br/
  4. 4. REFERÊNCIA TEXTO/TEMATexto áureo"Eu vos digo, porém, que qualquer querepudiar sua mulher, não sendo por causade prostituição, e casar com outra,comete adultério; e o que casar com arepudiada também comete adultério"(Mt 19.9).Verdade prática O divórcio, embora admissível em caso deinfidelidade, sempre traz sériasconsequências à família. Por isso Deus oodeia.Leitura bíblica em classe(Mateus 19.3-12)Jesus é questionado sobre apermissão de repúdio dado porMoisés. Ele responde que a razão detudo é a dureza do coração doshomens – questão cultural da época(condição precária da mulher).
  5. 5. DIA DA SEMANA ASSUNTO/ TEMASEGUNDADt 24:1O divórcio no Antigo testamentoTERÇADt 24:1-4O divórcio sem voltaQUARTAGn 2:24Deus institui o casamentoQUINTA1 Co 7:39Até que a morte os separeSEXTAMt 5:31,32O ensino de Cristo sobre o divórcioSÁBADO1 Co 7:27O ensino de Paulo sobre o divórcio
  6. 6. OBJETIVOS PROPOSTOS*Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:1. Dissertar sobre o divórcio no Antigo testamento.2. Defender como padrão o ensinamento de Jesus sobreo divórcio.3. Explicar o porquê do ensino de Paulo acerca dodivórcio.* Objetivos propostos pela Lições Bíblicas da CPAD.
  7. 7. ACESSE O VÍDEO COM OS COMENTÁRIOSREFERENTE A ESTE ARQUIVO NO LINKABAIXO:Será inserido após postagem do vídeoOUhttp://natalinodasneves.blogspot.com.br/
  8. 8. INTRODUÇÃO• Divórcio - dissolução do casamento, conferindo às parteso direito de novo casamento.• A emenda Constitucional número 9 (28/07/77), permitiu ainstauração do divórcio no Brasil, que fora regulamentadopela lei nº 6.515/77.• O divórcio é difícil na sociedade, mas muito mais difícilpara lidar no âmbito da igreja.
  9. 9. INTRODUÇÃO• Será avaliado o ensino sobre o divórcio no AntigoTestamento, bem como no Novo Testamento (Jesus ePaulo).• Será que temos que considerar os aspectos culturais aolongo do tempo?• Textos bíblicos: Lv 21:7,14; 22:13, e Nm 30:9; Dt 24:1-4; Jr3:6-8; Lc 16:17-18; Mt 5:32; 19:9, Mc 10:10-12; 1 Co 7:12-16, 7:39.
  10. 10. I. O DIVÓRCIONO ANTIGO TESTAMENTO
  11. 11. I. O DIVÓRCIO NO ANTIGO TESTAMENTO1. A lei de Moisés e o divórcio (Dt 24:1-4)1 - Quando um homem tomar uma mulher e se casar com ela,então, será que, se não achar graça em seus olhos, por nela acharcoisa feia, ele lhe fará escrito de repúdio, e lho dará na sua mão, ea despedirá da sua casa.2 - Se ela, pois, saindo da sua casa, for e se casar com outrohomem,3 - e se este último homem a aborrecer, e lhe fizer escrito derepúdio, e lho der na sua mão, e a despedir da sua casa ou se esteúltimo homem, que a tomou para si por mulher, vier a morrer,4 - então, seu primeiro marido, que a despediu, não poderá tornara tomá-la para que seja sua mulher, depois que foi contaminada,pois é abominação perante o SENHOR; assim não farás pecar aterra que o SENHOR, teu Deus, te dá por herança.
  12. 12. I. O DIVÓRCIO NO ANTIGO TESTAMENTO1. A lei de Moisés e o divórcio• A lei do repúdio (Dt 24) foi elaborada para regulamentar talsituação a fim de evitar os abusos e preservar a família.• Evidente preconceito com a mulher (proibição de queoutro homem casasse com a mulher repudiada).• Termo divórcio – shalach/apoluo (“por de lado) –keriythuwth/apostasion (divórcio) somente em Jr 3:8• O separação era e é um ato extremo (Ml 2:16) – vercontexto.Sociedade patriarcal = privilégios aos homens em relação àsmulheres.
  13. 13. I. O DIVÓRCIO NO ANTIGO TESTAMENTO1. A lei de Moisés e o divórcio• Termo divórcio – shalach (“por de lado) – keriythuwth(divórcio) somente em Jr 3:8"E vi que, por causa de tudo isto, por ter cometido adultério arebelde Israel, a despedi, e lhe dei a sua carta de divórcio,que a aleivosa Judá, sua irmã, não temeu; mas se foi etambém ela mesma se prostituiu".
  14. 14. I. O DIVÓRCIO NO ANTIGO TESTAMENTO2. A carta de divórcio• A carta dava direito tanto o homem quanto a mulherpara se casarem novamente.• Entretanto, a mulher não poderia voltar ao primeiromarido (Dt 24:4).• Somente o homem tinha direito de repúdio aocônjuge.• Entretanto, uma forma de proteger a mulher, pois sema carta ela ficava à disposição de seu marido.
  15. 15. Sinopse do tópico“A lei de Moisés não incentivava o divórcio, masdispunha de mecanismos diversos, com o objetivode garantir a dignidade humana.”(L.B.*, p. 49)* L.B. = Lições Bíblicas, edição do professor.
  16. 16. II. O ENSINO DE JESUSA RESPEITO DO DIVÓRCIO
  17. 17. II. O ENSINO DE JESUS A RESPEITO DO DIVÓRCIO1. A pergunta dos fariseus• Escolas teológicas: Shammai e Hillel.• Questionamento dos fariseus: "É lícito ao homemrepudiar sua mulher por qualquer motivo?" (Mt 19:3b).• Jesus, primeiramente, aponta para o princípio divinopara o casamento (Gn 2:24).• Reforça dizendo “[...] o que Deus ajuntou não separe ohomem" (Mt 19:6b).AP – A vontade de Deus é que o casal mantenha o casamentopor toda vida?
  18. 18. II. O ENSINO DE JESUS A RESPEITO DO DIVÓRCIO2. O ensino de Jesus• Fariseus invocam para a autoridade da Lei de Moisés:"Então, por que mandou Moisés dar-lhe carta de divórcio erepudiá-la?" (Mt 19.7)• Jesus apresenta a causa: “dureza dos vossos corações".• Fariseus defendiam o divórcio por qualquer motivo.• Jesus: "Eu vos digo, porém, que qualquer que repudiar suamulher, não sendo por causa de prostituição, e casar com outra,comete adultério; e o que casar com a repudiada tambémcomete adultério" (Mt 19.9).AP – Não podemos, então, aceitar o divórcio por outromotivo?
  19. 19. II. O ENSINO DE JESUS A RESPEITO DO DIVÓRCIO3. Permissão para novo casamento• Termo divórcio – shalach/apoluo (“por de lado) –keriythuwth/apostasion (divórcio) somente em Jr 3:8.• Problema: em 1611 - rei Tiago encomendou a versãoKing James Version (+popular) X correção, em 1901,pela versão Standard Americana (-popular).• Deus admite a separação do casal, não como regra,mas como exceção, em virtude de práticasinsuportáveis.
  20. 20. II. O ENSINO DE JESUS A RESPEITO DO DIVÓRCIO3. Permissão para novo casamento• A CRISE DOS QUARENTA OU SEGUNDAADOLESCÊNCIA: período de incertezas, depressões,medo do futuro e da velhice, saudade da juventude,falta de perspectiva, entre outros.• Libertação da opressão da vítima de abusos (violência,comportamento criminal, exploração sexual,humilhação de filhos(as), entre outros).AP – Temos o direito de exigir, como igreja, que umapessoa divorciada não se case mais?
  21. 21. Sinopse do tópico“O Senhor Jesus condena o divórcio, excetuandoàquele que foi motivado por prostituição.”(L.B.*, p. 50)* L.B. = Lições Bíblicas, edição do professor.
  22. 22. III. ENSINOS DE PAULOA RESPEITO DO DIVÓRCIO
  23. 23. III. ENSINOS DE PAULO A RESPEITO DO DIVÓRCIO1. Aos casais crentes• "todavia, aos casados, mando, não eu, mas o Senhor,que a mulher se não aparte do marido. Se, porém, seapartar, que fique sem casar ou que se reconcilie como marido; e que o marido não deixe a mulher" (1 Co7.10,11).• A prioridade deve ser para a reconciliação, quandopossível.• Celibato como uma opção.AP – A reconciliação é sempre possível?
  24. 24. III. ENSINOS DE PAULO A RESPEITO DO DIVÓRCIO2. Quando um dos cônjuges não é crente• Se o cônjuge não crente concorda em viver com ocrente, que este não o deixe (1Co 7.12-14).• Entretanto, se partir do descrente a separação, esta étolerada (1Co 7:15,16).• A morte do cônjuge também libera o cônjuge vivo acasar novamente (1 Co 7:39).
  25. 25. Sinopse do tópico“O apóstolo Paulo afirma que a pessoa crente,quando abandona da pelo cônjuge não crente,está livre para conceber novas núpcias. Contanto,que seja no Senhor.”(L.B.*, p. 50)* L.B. = Lições Bíblicas, edição do professor.
  26. 26. CONSIDERAÇÕES FINAIS
  27. 27. CONSIDERAÇÕES FINAIS• Nesta lição aprendemos que:1. O matrimônio foi planejado por Deus paradurar a vida toda;2. Divórcio é uma exceção, que é tratado tantono AT como no NT;3. Como todas as coisas, o bom sensotambém é aplicável na análise do divórcio.4. Cuidados com o extremismo.
  28. 28. CONSIDERAÇÕES FINAIS1. Segundo a lição, qual era o propósito da lei do divórcio?R. Como a prática do divórcio havia se tornado comum em Israel, o propósito da leiera regulamentar tal situação a fim de evitar os abusos e preservar a família.2. O que a escola de Hillel defendia acerca do divórcio?R. Defendia o direito de o homem dar carta de divórcio à mulher por qualquermotivo.3. Qual a resposta de Jesus aos fariseus a respeito do divórcio?R. Que Moisés permitiu dar carta de repúdio às mulheres, "por causa da dureza dosvossos corações".4. Qual o ensino de Paulo aos casais crentes?R. todavia, aos casados, mando, não eu, mas o Senhor, que a mulher se não aparte domarido. Se, porém, se apartar, que fique sem casar ou que se reconcilie com omarido; e que o marido não deixe a mulher" (1 Co 7.10,11)5. O que Paulo ensina quando um dos cônjuges não é crente?R. Paulo ensina que, se o cônjuge não crente concorda em viver (dignamente) com ocrente, que este não o deixe (1 Co 7.12-14).
  29. 29. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICASADEI, Stephen. Seja o Líder que sua Família Precisa. Rio deJaneiro: CPAD, 2009.ASSUNÇÃO, Wanda de. ... E os dois tornam-se um. São Paulo:Mundo Cristão, 1997.CLOUD, Henry; TOWNSEND, John. Limites no casamento. SãoPaulo: Editora Vida, 2001.LAHAYE, TIM; LAHAYE, Beverly. O ato conjugal. 8ª Edição. MinasGerais: Editora Betânia, 1989.COLLINS, Gary R. Aconselhamento Cristão. São Paulo: Vida Nova,1995.GILLHAM, Bill; GUILLAM, Anabel. Ele disse, ela disse. Rio deJaneiro: CPAD, 1997.HOFF, Paul. Pastor como conselheiro. São Paulo: Editora Vida,1996.
  30. 30. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICASPARROTT, Les; PARROTT, Leslie. Quando coisas ruins acontecem abons casamentos. São Paulo: Editora Vida, 2002.POUJOL, Jacques; Poujol, Claire. O potencial criativo do conflitono casamento. São Paulo: Editora vida, 2004.RAINEY, Dennis. Ministério com famílias no Século 21. São Paulo:Editora Vida, 2003.ROGERS, Adrian. Os 10 mandamentos da família. São Paulo:Eclesia, 2000.SOUZA, Estevam Ângelo. ... e fez Deus a família: O padrão divinopara um lar feliz. Rio de Janeiro: CPAD, 1999.VONDEREN, Jeff Van. Vida familiar transformada pela graça.Belo Horizonte – MG: Editora Betânia, 1996.
  31. 31. IEADSJP – Igreja Evangélica Assembleia deDeus de São José dos Pinhaiswww.adsaojosedospinhais.com.brwww.redemaoamiga.com.brPr. Presidente: Ival Teodoro da SilvaPr. Vice-Presidente: Eurico Deraldo SantanaCo-pastor da sede: Josué Barros AbreuSup. da EBD: Ev. Ismael Nascimento OliveiraComentários: Ev. Natalino das Neveswww.natalinodasneves.blogspot.com.brnatalino6612@gmail.com(41) 8409 8094 / 3076 3589
  32. 32. NO SLIDESHARE,BAIXE ESTE ARQUIVO,CLICANDO NO ÍCONE SUPERIOR:“SAVE” ou “DOWNLOAD”

×