Lição 6ª Conselhos para casados e solteiros

4.193 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.193
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
69
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Lição 6ª Conselhos para casados e solteiros

  1. 1. I P ZONA SUL<br />Professor: Rev. Joab Barbosa<br />
  2. 2. Estudos Bíblicos 1Coríntios<br />6ª Lição<br />Conselhos Para Casados e Solteiros<br />
  3. 3. Texto Básico: I Coríntios 7.1-40<br />
  4. 4. Objetivo <br />Conhecer princípios bíblicos sobre o casamento.<br />
  5. 5. Introdução<br /> Diz o ditado popular: “Se conselho fosse bom não seria dado, mas vendido”. Mas gratuito ou vendido todo casal e toda pessoa que deseja se casar deve se aconselhar. Não há casamento que dure sem a ajuda de outras pessoas, com conselhos sábios. E vários casamentos não deveriam ter acontecido, se conselhos fossem ouvidos. Paulo inicia esta parte da carta dizendo: Quanto ao que me escreveste (v.1). Ele começa a responder perguntas sobre assuntos específicos que foram feitas pelos crentes de Corinto. Neste capítulo, ele trata especificamente dos assuntos relacionados ao casamento, divórcio e virgindade, orientando-os quanto à vida sexual de cada um.<br />
  6. 6. W. Wiersbe divide os conselhos em três partes: <br />Conselhos aos cristãos casados com cristãos – 7.1-11.<br />Conselhos aos cristãos casados com não-cristãos – 7.12-24.<br />Conselhos aos cristãos não-casados – 7.25-40.<br />
  7. 7. 1. Conselhos Para os Casados<br /> Paulo declara: Quanto ao que me escrevestes, é bom que o homem não toque em mulher (v.1). O que ele quer dizer com isto? Era Paulo contrário ao casamento? Era ele um defensor do ascetismo? Neste contexto “tocar” refere-se ao casamento (Leon Morris) Paulo entendia que os solteiros estavam mais livres para servir ao Senhor, sem as obrigações que os cônjuges têm no casamento (v.32,33). “É deveras vantajoso e conveniente para um homem não viver preso a uma esposa, até o ponto em que ele é capaz de viver sem ela” (Calvino).<br />
  8. 8. Paulo continua: Mas, por causa da impureza, cada um tenha a sua própria esposa, e cada uma, o seu próprio marido (v.2). Três lições neste verso: (1) Uma das razões porque Deus criou o casamento é combater a impureza sexual. O sexo no casamento é para a procriação e para diversão ou prazer. O sexo fora do casamento é pecado. (2) O casamento deve ser monogâmico, pois cada um deve ter o seu próprio cônjuge. A poligamia foi suportada por Deus, mas nunca aprovada. (3) O casamento é heterossexual, envolvendo esposa e marido. Deus proíbe as uniões homossexuais – 1Co 7.9. Só há casamento segundo a Bíblia, entre um macho com uma fêmea.<br />
  9. 9. Paulo fala dos direitos e deveres sexuais dos cônjuges: O marido conceda à esposa o que lhe é devido, e também, semelhantemente, a esposa, ao seu marido. A mulher não tem poder sobre o seu próprio corpo, e sim o marido; e também, semelhantemente, o marido não tem poder sobre o seu próprio corpo, e sim a mulher (vv.3,4). As palavras “devido” (obrigação, débito, dívida) e “poder” (autoridade) enfatizam a obrigação que os casais têm de uma vida sexual satisfatória (Pv 5.15-20). Não deve haver privação ou abstinência sexual:<br />
  10. 10. Não vos priveis um ao outro, salvo talvez por mútuo consentimento, por algum tempo, para vos dedicardes à oração e, novamente, vos ajuntardes, para que Satanás não vos tente por causa da incontinência (v.5). Há quatro condições para a abstinência temporária: mútuo consentimento, por pouco tempo, por razões espirituais e com a intenção de voltar logo a ter relações. A falta de sexo no casamento expõe os cônjuges à tentação sexual.<br />
  11. 11. Paulo apresenta os deveres daqueles que são casados, mas não ordena que todos se casem. Se alguém não consegue se dominar sexualmente, case-se. A incontinência sexual ou o celibato é um dom divino. O casamento é a regra e o celibato é a exceção. O dom do celibato é bom, mas não compulsório. O celibato é permitido, mas não ordenado. Nem todos têm o dom do celibato (7.7-9,27,28).<br />
  12. 12. Sabemos que há muitos casamentos que são difíceis. A causa do problema: casou com a pessoa errada ou casou pelo motivo errado (casou para não ficar solteiro, casou por interesse material, casou para sair de casa, casou sabendo que não era amado). Como sobreviver a um casamento difícil? Não se separe e, se estiver separado, busque a reconciliação. Ora, aos casados, ordeno, não eu, mas o Senhor, que a mulher não se separe do marido (se, porém, ela vier separar-se, que não se case ou que se reconcilie com seu marido); e que o marido não se aparte de sua mulher (vv.10,11). A razão principal é que Deus odeia o repúdio (Ml 2.16) e não aprova o divórcio (Mt 19.3-12).<br />
  13. 13. 2. Cristãos Casados Com Não-Cristãos – v.12-24<br /> Na igreja de Corinto, havia algumas famílias em que um dos cônjuges fora convertido e o outro não. O que fazer? Deveria o novo crente continuar casado com um não-crente ou deveria separar-se? Paulo responde: Aos mais digo eu, não o Senhor: se algum irmão tem mulher incrédula, e esta consente em morar com ele, não a abandone; e a mulher que tem marido incrédulo, e este consente em viver com ela, não deixe o marido (vv. 12,13). Paulo orienta que todo cristão deve casar-se somente no Senhor (v.40). No caso, porém, daquele que foi convertido depois de casado, de maneira nenhuma deveria se separar. Ele apresenta três razões:<br />
  14. 14. Um cônjuge crente santifica o não-crente – v.14.<br />Um cônjuge crente inclui os seus filhos na aliança do Senhor – v.14.<br />Um cônjuge que vive a fé dentro de casa cria a possibilidade de Deus converter o cônjuge incrédulo – vv.15,16.<br />
  15. 15. Há casos em que há deserção ou abandono do lar. Mas, se o descrente quiser apartar-se, que se aparte; em tais casos, não fica sujeito à servidão nem o irmão, nem a irmã; Deus vos tem chamado à paz (v.15). O cônjuge abandonado fica livre para casar outra vez.<br />
  16. 16. 3. Conselhos a Cristãos Não-Casados<br /> A palavra não-casado envolve as virgens e as viúvas. Jesus não apresentou qualquer ensinamento específico sobre este assunto. Paulo aconselha atendendo ao pedido de uma igreja, devendo se considerar o contexto local. Ele declara: Com respeito às virgens, não tenho mandamento do Senhor; porém dou minha opinião, como tendo recebido do Senhor a misericórdia de ser fiel (v.25). Ele orienta que o solteiro não deveria casar-se por três razões:<br />
  17. 17. A angustiosa situação em que vivia a igreja. Os cristãos eram perseguidos e mortos pelo Império Romano – vv.26-31. Era um tempo de muitas dificuldades e as circunstâncias deveriam ser consideradas. Paulo não está proibindo que o solteiro se case, mas que o faça de forma consciente. A situação era tão difícil que mesmo os casados seriam obrigados a viver como solteiros.<br />As preocupações e as responsabilidades que a pessoa casada tem. O casamento é um compromisso para a vida toda e envolve responsabilidades conjugais. Quem casa tem um compromisso para o resto da vida.<br />
  18. 18. O solteiro estaria mais livre para servir ao Senhor – vv.32-38. Não se trata do celibato. O solteiro que recebe um chamado para servir ao Senhor deve ponderar se casa ou não. Ao casar-se deve escolher uma esposa que também esteja pronta para servir ao Senhor. Paulo, respeitando o costume da época, afirma que o pai tem a liberdade de decidir se aprovará ou não o casamento de sua filha (2Co 11.2).<br />
  19. 19. Para as viúvas, Paulo aconselha: A mulher está ligada enquanto vive o marido; contudo, se falecer o marido, fica livre para casar com quem quiser, mas somente no Senhor. Todavia, será mais feliz se permanecer viúva, segundo a minha opinião; e penso que também eu tenho o Espírito de Deus (vv.39,40). Três lições: (1) O compromisso do casamento dura até que um dos cônjuges morre. (2) O casamento é algo temporário, que se limita somente a esta vida. (3) As viúvas devem permanecer como estão ou casar-se somente no Senhor. <br />
  20. 20. Em resumo, é como se Paulo pedisse ao solteiro ou viúva que deseja se casar, que fizesse algumas perguntas: Qual é o dom que recebi do Senhor (celibato ou casamento)? Estou disposto a assumir as responsabilidades de um casamento para o resto da minha vida? Será que a pessoa com quem quero me casar é o cônjuge que Deus tem para mim? É certo me casar nas atuais circunstâncias?<br />
  21. 21. Fim da 6ª Aula.<br />

×