O DIVÓRCIO
Texto Áureo :“Eu vos digo, porém, que qualquer que repudiar suamulher, não sendo por causa de prostituição, e casarcom out...
Verdade Prática :O divórcio, embora admissível em caso deinfidelidade, sempre traz sérias conseqüências àfamília. Por isso...
INTRODUÇÃOPor ser algo traumático, o divórcio é sempre umassunto difícil de ser tratado.Existem pessoas que não o aceitam ...
I . O DIVÓRCIO NOANTIGO TESTAMENTO1 . A lei de Moisés e o divórcio2 . A carta de divórcio
1 . A lei de Moisés e o divórcioComo a prática do divórcio havia se tornado comum emIsrael, o propósito da lei (Dt 24) era...
2 . A carta de divórcioUma vez que recebia a carta de divórcio, tanto ohomem quanto a mulher estavam livres para se casare...
II . O ENSINO DE JESUS ARESPEITO DO DIVÓRCIO1 . A pergunta dos Fariseus2 . O ensino de Jesus3 . Permissão para novo casame...
1 . A pergunta dos FariseusProcurando incriminar Jesus ... os fariseusquestionaram: “É lícito ao homem repudiar sua mulher...
1 . A pergunta dos Fariseus (Cont. :)Essa é a doutrina originária a respeito da união entreum homem e uma mulher; ela refl...
2 . O ensino de JesusOs fariseus insistiram: “Então, por que mandou Moisésdar-lhe carta de divórcio e repudiá-la?” (Mt 19....
2 . O ensino de Jesus (Cont. :)... com a dureza do coração do homem, e tornou o tratodesse assunto mais digno para elas.Ao...
3 . Permissão para novo casamentoPelo texto bíblico, está claro que Jesus permite odivórcio, com a possibilidade de haver ...
3 . Permissão para novo casamento (Cont. :)Do contrário, um servo ou uma serva de Deus serialesado duas vezes: pelo Diabo,...
III . O ENSINO DE PAULO ARESPEITO DO DIVÓRCIO1 . Aos casais crentes2 . Quando um dos cônjuges não é crente3 . O cônjuge fi...
1 . Aos casais crentesPaulo diz: “Todavia, aos casados mando, não eu, mas oSenhor, que a mulher não se aparte do marido. S...
1 . Aos casais crentes (Cont. :)Se há desentendimento o caminho não é o divórcio,mas a reconciliação acompanhada do perdão...
2 . Quando um dos cônjuges não é crentePaulo ensina que, se o cônjuge não crente concorda emviver (dignamente) com o crent...
3 . O cônjuge fiel não está sujeito à servidãoO apóstolo ressalva: “Mas, se o descrente se apartar,aparte-se; porque neste...
CONCLUSÃOO divórcio causa sérios inconvenientes à igreja local, àsfamílias e à sociedade.No projeto original de Deus, não ...
“Portanto, o que Deus ajuntou nãosepare o homem”(Mateus 19.6b).
José Pereira FilhoMembro da Igreja Assembléia deDeus do Parque Piauí, emTeresina-PI – Brasil. Evangelista emembro da CEMAD...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

O divórcio lição 07 - para escola bíblica dominical

4.113 visualizações

Publicada em

Material auxiliar para aulas e/ou estudo bíblico

0 comentários
6 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.113
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
127
Comentários
0
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O divórcio lição 07 - para escola bíblica dominical

  1. 1. O DIVÓRCIO
  2. 2. Texto Áureo :“Eu vos digo, porém, que qualquer que repudiar suamulher, não sendo por causa de prostituição, e casarcom outra, comete adultério; e o que casar com arepudiada também comete adultério.”(Mt 19.9)
  3. 3. Verdade Prática :O divórcio, embora admissível em caso deinfidelidade, sempre traz sérias conseqüências àfamília. Por isso Deus o odeia.
  4. 4. INTRODUÇÃOPor ser algo traumático, o divórcio é sempre umassunto difícil de ser tratado.Existem pessoas que não o aceitam em nenhumacondição. Há pessoas que, sob determinadascircunstâncias são favoráveis, e há até os que buscambase nas Sagradas Escrituras para admiti-lo emqualquer situação.Qual a posição da Bíblia?
  5. 5. I . O DIVÓRCIO NOANTIGO TESTAMENTO1 . A lei de Moisés e o divórcio2 . A carta de divórcio
  6. 6. 1 . A lei de Moisés e o divórcioComo a prática do divórcio havia se tornado comum emIsrael, o propósito da lei (Dt 24) era regulamentar talsituação a fim de evitar os abusos e preservar a família.Nenhuma lei do Antigo Testamento incentivava alguéma divorciar-se, mas servia como base legal para aproibição de outros casamentos com a mulherdivorciada (Dt 24.1-4).Infelizmente, muitos que conhecem a Palavra doSenhor se divorciam por qualquer motivo.
  7. 7. 2 . A carta de divórcioUma vez que recebia a carta de divórcio, tanto ohomem quanto a mulher estavam livres para se casaremnovamente.Todavia, segundo a lei, a mulher que fora repudiada,depois de viver com outro marido, não podia retornarpara o primeiro, pois tal atitude era consideradaabominação ao Senhor (Dt 24.4).Divorciar-se não era fácil, pois havia váriasformalidades, e somente o homem podia pedir odivórcio. A mulher não tinha tal direito.
  8. 8. II . O ENSINO DE JESUS ARESPEITO DO DIVÓRCIO1 . A pergunta dos Fariseus2 . O ensino de Jesus3 . Permissão para novo casamento
  9. 9. 1 . A pergunta dos FariseusProcurando incriminar Jesus ... os fariseusquestionaram: “É lícito ao homem repudiar sua mulherpor qualquer motivo?” (Mt 19.3b).Respondendo aos acusadores, Jesus relembrou o“princípio” divino para o casamento, quando Deus fezo ser humano, “macho e fêmea” (Gn 1.27), ”ambosuma [só] carne” (Gn 2.24).Assim, o mestre concluiu: “Portanto, o que Deusajuntou não separe o homem” (Mt 19.6b).
  10. 10. 1 . A pergunta dos Fariseus (Cont. :)Essa é a doutrina originária a respeito da união entreum homem e uma mulher; ela reflete o plano de Deuspara o casamento, considerando-o uma uniãoindissolúvel.
  11. 11. 2 . O ensino de JesusOs fariseus insistiram: “Então, por que mandou Moisésdar-lhe carta de divórcio e repudiá-la?” (Mt 19.7b).Respondendo à insistente pergunta, Jesus explicou queMoisés permitiu dar carta de repúdio às mulheres, “porcausa da dureza do vosso coração” (Mt 19.8).Uma mulher abandonada pelo marido ficaria exposta àmiséria ou à prostituição para sobreviver.Deus se importava (e ainda se importa) com asmulheres e sabia o quanto elas iriam sofrer ...
  12. 12. 2 . O ensino de Jesus (Cont. :)... com a dureza do coração do homem, e tornou o tratodesse assunto mais digno para elas.Ao invés de satisfazer o desejo dos fariseus, queadmitiam o divórcio “por qualquer motivo”, o Mestredisse: “Eu vos digo, porém, que qualquer que repudiarsua mulher, não sendo por causa de prostituição, ecasar com outra, comete adultério; e o que casar com arepudiada também comete adultério” (Mt 19.9).Noutras versões : “não sendo por causa de relaçõessexuais ilícitas” (ARA) ou “a não ser em caso deadultério” (NTLH).
  13. 13. 3 . Permissão para novo casamentoPelo texto bíblico, está claro que Jesus permite odivórcio, com a possibilidade de haver novo casamento,somente por parte do cônjuge fiel, vítima deprostituição, ou infidelidade conjugal.Deus admite a separação do casal, não como regra, mascomo exceção, em virtude de práticas insuportáveisrelacionadas à sexualidade, que desfazem o pactoconjugal.
  14. 14. 3 . Permissão para novo casamento (Cont. :)Do contrário, um servo ou uma serva de Deus serialesado duas vezes: pelo Diabo, que destrói casamentose, outra, pela comunidade local, que condenaria umavítima a passar o resto da vida em companhia de umímpio, ou viver sob o jugo do celibato, que não fazparte do plano original de Deus (Gn 2.18).Todavia, em Jesus, o crente tem forças para perdoar efazer o possível para restaurar seu casamento. (veja: 1Pe 4.8; Pv 10.12).
  15. 15. III . O ENSINO DE PAULO ARESPEITO DO DIVÓRCIO1 . Aos casais crentes2 . Quando um dos cônjuges não é crente3 . O cônjuge fiel não está sujeito à servidão
  16. 16. 1 . Aos casais crentesPaulo diz: “Todavia, aos casados mando, não eu, mas oSenhor, que a mulher não se aparte do marido. Se,porém, se apartar, que fique sem casar, ou que sereconcilie com o marido; e que o marido não deixe amulher” (1 Co 7.10, 11).Esta passagem refere-se aos “casais crentes”, os quaisnão devem divorciar-se, sem que haja algum dosmotivos prescritos na Palavra de Deus (Mt 19.9; 1 Co7.15) : Infidelidade conjugal ou abandono deliberado.
  17. 17. 1 . Aos casais crentes (Cont. :)Se há desentendimento o caminho não é o divórcio,mas a reconciliação acompanhada do perdão sincero ouo celibato por opção e não por imposição eclesiástica.
  18. 18. 2 . Quando um dos cônjuges não é crentePaulo ensina que, se o cônjuge não crente concorda emviver (dignamente) com o crente, que este não o deixe(1 Co 7.12-14).O crente agindo com sabedoria poderá inclusive ganharo descrente para Jesus (1 Pe 3.1).
  19. 19. 3 . O cônjuge fiel não está sujeito à servidãoO apóstolo ressalva: “Mas, se o descrente se apartar,aparte-se; porque neste caso o irmão, ou irmã, não estasujeito à servidão; mas Deus chamou-nos para a paz.Porque, de onde sabes, ó mulher, se salvarás teu marido?ou, de onde sabes, ó marido, se salvarás tua mulher?” (1Co 7.15, 16).Ou seja, o cristão fiel, esposo ou esposa, não é obrigadoa viver a até a morte sob a servidão de um ímpio.Nesse caso, ele ou ela, pode reconstruir a sua vida deacordo com a vontade de Deus (veja: 1 Co 7.27,28,39).
  20. 20. CONCLUSÃOO divórcio causa sérios inconvenientes à igreja local, àsfamílias e à sociedade.No projeto original de Deus, não havia espaço para odivórcio. Precisamos tratar cada caso de modo pessoalsempre em conformidade com a Palavra de Deus.E não podemos nos esquecer de que a igreja é tambémuma “comunidade terapêutica”.
  21. 21. “Portanto, o que Deus ajuntou nãosepare o homem”(Mateus 19.6b).
  22. 22. José Pereira FilhoMembro da Igreja Assembléia deDeus do Parque Piauí, emTeresina-PI – Brasil. Evangelista emembro da CEMADEPI –Convenção Evangélica deMinistros das Assembléia de Deusdo Piauí, ex-professor de EscolaBíblica Dominical, e comexperiência em ministração daPalavra de Deus.Email :josepereiraoevangelista1@gmail.comCanais no Youtube :http://www.youtube.com/user/josepereiradiaconohttp://www.youtube.com/user/atosdoisequatro?feature=mheePágina no Facebook :http://www.facebook.com/josepereiracomdeusFone : 86 95434911

×