Seminário trombose(lú e paula)

2.394 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.394
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
86
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Seminário trombose(lú e paula)

  1. 1. A coagulação do sangue é um processo normal para evitar a perda de sangue quando um vaso é rompido e nem sempre está ligada a uma doença. Porém, o que não costumamos lembrar é que o sangue pode coagular até mesmo dentro das artérias e veias que percorrem nosso corpo. Aí sim, podemos nos preocupar.
  2. 2. Devido a diversos fatores, o sangue pode coagular ao passar por um determinado lugar dentro de uma artéria ou de uma veia, formando um pequeno coágulo que se adere às paredes do vaso. Esse coágulo também é chamado de trombo. Cada vez que um trombo se forma, ele pode ocasionar sintomas importantes, dependendo da região em que ocorre. É isto que chamamos de trombose. Quando o trombo se forma dentro de uma veia, temos a trombose venosa. Quando o trombo se forma dentro de uma artéria, temos a trombose arterial.
  3. 3. OBSERVAÇÃO: Há uma grande diferença entre trombose arterial e venosa. Para se entender esta diferença, primeiramente é necessário recordar que as artérias são os vasos que levam o sangue do coração para as extremidades e as veias o trazem de volta, fazendo o contrário. A trombose arterial costuma ser mais grave do que a venosa, pois impede a chegada do oxigênio às células provocando nelas o infarto com necrose (morte tecidual). A gravidade vai depender do local afetado e da extensão da trombose. Quando ocorre em artérias do cérebro, provoca o AVC (Acidente Vascular Cerebral) popularmente conhecido como "Derrame". A palavra infarto foi consagrada com designação ao coração devido à trombose das coronárias, artérias que irrigam o músculo deste órgão. O infarto por trombose arterial pode ocorrer também nas pernas, mais conhecido por gangrena. Outra região também propensa a ter trombose são as artérias que irrigam os intestinos, provocando neles também infarto com gangrena.
  4. 4. Os sintomas A trombose pode passar totalmente despercebida se o trombo for muito pequeno. Os sintomas mais comuns de uma trombose nas pernas não são absolutamente específicos e o diagnóstico precisa ser confirmado por exames. Entretanto, a trombose pode também causar sintomas importantes como dor, inchaço e vermelhidão na perna que está com a veia entupida. Sintomas
  5. 5. Outros fatores de risco para trombose: Idade de 40 anos ou mais Obesidade Acidente Vascular Cerebral (AVC) Gravidez (risco quatro vezes maior) Pós-parto (risco 3-5 vezes maior do que na gravidez) Varizes nas pernas Uso de anticoncepcional e medicamentos para o tratamento do câncer
  6. 6. Prevenindo complicações A trombose pode ser evitada com medidas preventivas. Converse com o seu médico, solicite uma avaliação de risco e tire a trombose do seu caminho. Confira algumas dicas que podem ajudar a prevenir a trombose em caso de baixo risco. Faça caminhadas regularmente. Se tiver que permanecer sentado por muito tempo, procure movimentar os pés como se estivesse pedalando uma máquina de costura. Quando estiver em pé, mexa-se discretamente, como se estivesse andando, sem sair do lugar. Antes de viagens longas, fale com seu médico sobre a possibilidade de usar alguma medicação preventiva e/ou adotar outras medidas recomendadas por ele. Caso fique acamado, faça movimentos com os pés e as pernas. Se necessário, solicite ajuda de alguém. Evite fumar. Faça exercícios. Controle seu peso. Se você necessitar fazer uso de hormônios, já foi acometido de trombose ou tem história familiar de tromboses. Use meias elásticas
  7. 7. Consulte sempre o seu médico. Ele é o único que pode avaliar a sua saúde . A determinação dos fatores de risco serve de fio condutor para a escolha do tratamento preventivo mais adequado. Em alguns casos é necessário o uso de medicamentos durante o período em que for exposto a uma situação de risco. Atenção: não tome remédios sem o conhecimento do seu médico. Pode ser extremamente perigoso para a sua saúde
  8. 8. Embolia pulmonar Causas Uma embolia pulmonar é mais frequentemente causada por um coágulo de sangue em uma veia, especialmente veia da perna ou pélvis (área dos quadris). A causa mais comum é um coágulo de sangue em uma das veias profundas da coxa. Esse tipo de coágulo é chamado trombose venosa profunda (TVP). O TVP se solta e se desloca para os pulmões. Sintomas de Embolia pulmonar Dor sob o esterno ou em um lado Pode ser aguda ou penetrante Também pode ser descrita como uma queimadura, dor ou sensação de entorpecimento e peso Pode piorar quando o indivíduo respira fundo, tosse, come ou se curva Você pode curvar ou segurar o próprio peito em reação à dor Tosse repentina, pode expectorar sangue ou escarro sangrento Respiração rápida Frequência cardíaca alta Deficiência respiratória iniciada repentinamente Outros sintomas da embolia pulmonar que podem ocorrer:
  9. 9. Administração Por via oral Administração Por via intravenosa Administração Por via oral Alguns anticoagulantes
  10. 10. CAMPANHA CONTA A TROMBOSE TIRE A TROMBOSE DE CIRCULAÇÃO MOVIMENTE SE. (EU)
  11. 11. OBRIGADA ! ANA PAULA LUIZA

×