Seminário: Trombose venosa profunda - TVP

9.841 visualizações

Publicada em

Slide Seminário TVP

1 comentário
3 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
9.841
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
530
Comentários
1
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Seminário: Trombose venosa profunda - TVP

  1. 1. Consiste na formação decoágulos sanguíneos nointerior das veias profundas.Normalmente compromete asveias da pelve, das coxas oudas panturrilhas, mas tambémpode acometer o braço, opeito ou outras partes doorganismo.
  2. 2. Tem papel significativo nodesenvolvimento datrombose venosa profundasão: estase do sangue (estasevenosa), lesão da paredevascular e coagulaçãosanguínea alterada.
  3. 3.  Avalia-se o quadro apresentado pelo paciente e procura-se identificar os fatores e as condições de risco. Os pacientes com uma história de veias varicosas, hipercoagulação,doença neoplásica, doença cardiovascular ou cirurgia ou lesão importante recente estão em risco elevado.
  4. 4. SINAIS SINTOMAS Inchaço  Dores Varizes  Dificuldades de locomoção Palidez Cianose
  5. 5. Exames de sangue são realizados periodicamente durante o tratamento, a fim de monitorar o nível de anticoagulação da circulação. Duplex-scan D-dímero Venografia:
  6. 6. Objetivo: Evitar que o trombo cresça e sefragmente (com risco de embolismopulmonar) e a ocorrência de trombolismorecorrente.
  7. 7. Retarda o tempo da coagulação, mas nãodissolve o trombo. Heparina não fracionada Heparina de Baixo Peso Molecular Terapia Trombolítica Anticoagulantes Orais
  8. 8.  Trombectomia A angioplastia por balão e aplicação de stent estão sendo usadas nas veias ilíacas dos pacientes com doenças venosas.
  9. 9. Progressão na corrente sanguínea detrombos, fragmentos de placasateromatosas, células tumorais, gases ououtros corpos estranhos, desprendidos ouintroduzidos num local qualquer do sistemacardio-circulatório, podendo causarobstrução total ou parcial de uma artéria, emponto distante de sede de origem.
  10. 10. Os êmbolos nas artériasoriginam-se maiscomumente de trombosque se desenvolveram noscompartimentos cardíacosem conseqüências dafibrilação atrial, infarto domiocárdio, endocarditeinfecciosa ou insuficiênciacardíaca crônica.
  11. 11.  Um êmbolo arterial geralmente é diagnosticado com base na natureza súbita do início dos sintomas e em uma fonte aparente para o êmbolo. Diante de um quadro clínico e de uma história compatível, solicita-se os exames complementares.
  12. 12. Os sintomas dependem muito da localização da artéria atingida, bem como da amplitude da região isquêmica.Sintomas mais frequentes: Palidez Poiquilotermia(resfriamento) Ausência de Pulsos Cianose Paresia ou Plegia Dor Parestesia
  13. 13. Os exames mais frequentemente solicitados incluem os exames de imagem: Eco-doppler colorido Angiografias
  14. 14.  O tratamento pode ser clínico ou cirúrgico. Consiste na remoção cirúrgica dos coágulos através de um cateter balão até o local onde a artéria está afetada. É fundamental que o tratamento seja individualizado. O paciente deverá ser tratado no hospital.
  15. 15.  Proporcionar posicionamento adequado; Promover o retorno venoso na parte afetada; Promover o conforto; Proporcionar cuidado associado com as intervenções clínicas e cirúrgicas, conforme apropriado; Educar o cliente e a família.

×