Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 3-4

3.250 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.250
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2.409
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 3-4

  1. 1. || = problema de sintaxe (reler a frase) O = palavra, letra ou sinal a suprimir ---- = palavra inadequada X = pontuação a introduzir ou a alterar
  2. 2. a. Segundo Vítor Corujo, os heróis são pessoas que colocam os seus princípios e valores ao serviço da procura do bem.
  3. 3. b. Margarida Cordo diz que «há heróis sempre que um homem quiser» e que tal depende da afirmação da coerência individual.
  4. 4. c. A psicóloga defende igualmente que cada um de nós deve procurar ser herói dentro da adversidade, para além da realidade. Cada um de nós deve procurar ser herói dentro da realidade, para além da adversidade.
  5. 5. d. Os heróis eram considerados seres de origem híbrida pela mitologia clássica.
  6. 6. e. A época atual propicia a revitalização das capacidades e competências humanas dos heróis, afirma Vítor Cotovio. A época atual propicia a revitalização das capacidades e competências transcendentes dos heróis.
  7. 7. f. De acordo com o psiquiatra, «cada um de nós pode ser herói», se vulgarizar e relativizar tudo e não se questionar sobre a sua forma de estar na vida, com os outros. «cada um pode ser herói», se deixar de vulgarizar e relativizar tudo e se questionar sobre a sua forma de estar na vida, com os outros.
  8. 8. g. O médico salienta ainda que os heróis devem funcionar como impulsionadores de princípios e valores.
  9. 9. h. No início da sua resposta à questão «Qual é o seu herói?», Margarida Cordo declara que gosta de pessoas que, com o seu pensamento filosófico, promovem a reflexão e enriquecem o nosso quotidiano.
  10. 10. i. Ao retomar a palavra, Vítor Cotovio ressalta a importância dos super-heróis, necessários para ativar os superpoderes de cada um de nós. Vítor Corujo ressalta a insignificância dos super-heróis, necessários apenas para reativar a indústria dos «collants».
  11. 11. i. Ao retomar a palavra, Vítor Cotovio ressalta a importância dos super-heróis, necessários para ativar os superpoderes de cada um de nós. Vítor Corujo ressalta a insignificância dos super-heróis, desnecessários para ativar os superpoderes de cada um de nós.
  12. 12. Valores temporais Valores aspetuais Valores modais
  13. 13. Valor modal (ou modalidade) (atitude do locutor relativamente ao que diz e ao destinatário) pode ser expresso por: • entoação • modos verbais • verbos principais • verbos auxiliares • adjetivos • advérbios
  14. 14. modalidade apreciativa modalidade deôntica modalidade epistémica
  15. 15. modalidade apreciativa (locutor exprime opinião, apreciação sobre o conteúdo de um enunciado) • É pena não teres entregado o tepecê. • Lamento que tenhas morrido. • Agrada-me que tenhas tido má nota. • É desagradável ter perdido a mala. • Felizmente, há sempre objetos inúteis disponíveis. • Boa!
  16. 16. modalidade deôntica (o locutor pretende agir sobre interlocutor para exprimir imposição ou permissão) Obrigação • Tens de ser rápido a fazer as tarefas. • Devem arranjar o livro. • É necessário que tragam folhas. Permissão • Podes escrever a lápis.
  17. 17. modalidade epistémica (o locutor pretende expressar um valor de certeza ou probabilidade/possibilidade em relação ao conteúdo do enunciado que diz) Certeza • As escolas juntaram-se no Agrupamento de escolas de Benfica. Probabilidade • O jogo deve ter sido difícil. Possibilidade • O museu pode ter ruído.
  18. 18. • Deves fazer os tepecês. deôntico epistémico • Ele não deve ter feito a porcaria do tepecê.
  19. 19. deôntico epistémico •Posso viver sem o telemóvel, mas poderá não ser a mesma coisa.
  20. 20. • Luisão deve ser castigado?
  21. 21. Ó Joaquim Barbosa, você vai ter de moderar este debate com mais isenção.
  22. 22. vai ter de... (IR + INF [«futuro próximo»]) posterioridade
  23. 23. ter de moderar (TER DE + INF) deôntica (obrigação)
  24. 24. Quem nos está a ouvir em casa deve estar com a ideia de que o meu adversário é o Super-Homem.
  25. 25. Está a ouvir (PRESENTE e ESTAR A + INF) simultaneidade
  26. 26. está a ouvir (ESTAR A + INF) imperfetivo
  27. 27. deve estar epistémica (probabilidade)
  28. 28. Se não queres ter cáries, não deves comer açúcar à colher. deôntico Com essas cáries todas, deves ficar sem dentes ainda jovem. epistémico
  29. 29. Mas, repare, o seu adversário é o Super-Homem.
  30. 30. é genérico
  31. 31. repare (IMPERATIVO) *deôntica (obrigação)
  32. 32. Proponho-me criar, durante esta legislatura, 150.000 postos de trabalho.
  33. 33. proponho-me criar (LEX.) posterioridade
  34. 34. durante esta legislatura imperfetivo
  35. 35. Não me interrompa, por favor!
  36. 36. não me interrompa (IMPERATIVO) *deôntica (obrigação)
  37. 37. Vou também criar estágios para licenciados. | Vou também limpar o rio Alviela. | Vou fazer aquilo de que a nossa economia precisa. | Vai usar que super- poder? | Vou telefonar ao governador do Banco de Portugal.
  38. 38. Vou criar/limpar/... IR + INF («futuro próximo») posterioridade
  39. 39. Temos que apostar no turismo.
  40. 40. temos de apostar (TER DE + INF) deôntica (obrigação)
  41. 41. Vou pegar no planeta Terra e girá-lo para que o Sol possa incidir sobre o nosso país oito meses por ano.
  42. 42. Vou pegar / vou girá-lo (IR + INF) posterioridade
  43. 43. oito meses por ano durativo
  44. 44. possa incidir deôntica (permissão)
  45. 45. Como te portaste bem, podes ir à ópera. deôntico Amanhã pode ser que chova. epistémico
  46. 46. Isso é lamentável!
  47. 47. SER genérico
  48. 48. ADJETIVO, ENTOAÇÃO apreciativa
  49. 49. Eu salvo o planeta entre duas três vezes por semana.
  50. 50. salvo [...] duas a três vezes por semana iterativo / habitual
  51. 51. Eu salvei o planeta uma vez.
  52. 52. salvei (PRETÉRITO) anterioridade
  53. 53. salvei uma vez (PRET. PERFEITO) perfetivo/pontual
  54. 54. Você fartou-se de me interromper.
  55. 55. fartou-se (PRETÉRITO) anterioridade
  56. 56. fartou-se (LEX) durativo/habitual interromper (LEX) iterativo
  57. 57. TPC (começado em aula no 12.º 3.ª) — Em folha solta, a caneta, escreve o texto pedido no item 3./3.1 da p. 16. Recopio-o, para o caso de ainda não teres acesso ao livro. No final do teu texto, indica o número de palavras. Relê as frases finais da crónica de João de Mancelos: Daniel Pennac afirmou que amar os protagonistas dos livros é um direito do leitor. E constitui, acrescento, o nosso passaporte para o sonho neste mundo demasiado real. (ll. 36-38)
  58. 58. Redige um texto, devidamente estruturado, com um mínimo de duzentas e um máximo de trezentas palavras, em que apresentes uma reflexão sobre a perspetiva apresentada na citação. Fundamenta o teu ponto de vista, recorrendo, no mínimo, a dois argumentos, e ilustra cada um deles com, pelo menos, um exemplo significativo.

×