SlideShare uma empresa Scribd logo
Língua Portuguesa Leitura e Interpretação de Textos Professor Ronian
Mafalda... Texto 1: Texto 2: Discovery pousa com sucesso na Califórnia O Discovery pousou com sucesso na base Edwards, na Califórnia, na manhã desta terça-feira, depois de uma missão de 15 dias no espaço. O ônibus espacial tocou o solo às 5h12 (9h12 horário de Brasília). É a primeira missão bem-sucedida de um ônibus espacial desde o desastre do Columbia, em 2003.
EXPRESSÃO LITERÁRIA E NÃO-LITERÁRIA DA LINGUAGEM   DENOTAÇÃO   ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],CONOTAÇÃO ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Quem dera  Que sintas  As dores  De amores  Que louco  Senti!  (Casimiro de Abreu)  A linguagem  cono tativa  é também  conhecida como ling uagem  literária,  ou  seja, um texto  literári o  é aquele em que  predominam as múltipl as interpretações, a   conotação  da s palavras.
A educação,  principalmente na infância,  determina  as oportunidades que os  cidadãos  terão para garantir o futuro.  A lingua gem  denotativa  é também  conhecida co mo linguagem  não-literária,  ou  seja, um texto   não-literário  é aquele em que  predominam  os sentidos reais (próprios)  das p alavras, a  denotação .
Vamos ver se você entendeu: (D) denotação (C) conotação As flores lindas da primavera já aparecem. Mulheres são frágeis flores. Os cães ferozes latem pouco. Pobres ladrões, cães da noite perdida e vã. O seu olhar ilumina toda a esperança eterna. A luz que ilumina o dia é natural. Meu coração é uma escola de samba! O amor, hoje, parece fosco. ( D ) ( C ) ( D ) ( C ) ( C ) ( D ) ( C ) ( C )
Interpretação de Textos e)O volume de informações e a maneira como a televisão as veicula impedem que as pessoas reflitam maduramente sobre os assuntos. e) O volume de informações e a maneira como a televisão as veicula impedem que as pessoas reflitam maduramente sobre os assuntos. d) Com o advento da televisão, as mulheres perderam sua capacidade de crítica. c) Os homens poderiam usar plenamente seu potencial de inteligência, se não fosse a televisão. b) Sem a televisão não se saberia o que é conhecer as coisas ou por que as coisas acontecem. a) O movimento das imagens, a inovação e a originalidade são as características de tudo que acontece na televisão.
        Podemos, tranquilamente, ser bem-sucedidos numa interpretação de texto. Para isso, devemos observar o seguinte: 01. Ler todo o texto, procurando ter uma visão geral do assunto; 02. Se encontrar palavras desconhecidas, não interrompa a leitura, vá até o fim, ininterruptamente; 03. Ler, ler bem, ler profundamente, ou seja, ler o texto pelo menos umas três vezes ou mais; 04. Ler com perspicácia, sutileza, malícia nas entrelinhas; 05. Voltar ao texto tantas quantas vezes precisar; 06. Não permitir que prevaleçam suas idéias sobre as do autor; 07. Partir o texto em pedaços (parágrafos, partes) para melhor compreensão; 08. Centralizar cada questão ao pedaço (parágrafo, parte) do texto correspondente;
09. Verificar, com atenção e cuidado, o enunciado de cada questão; 10. Cuidado com os vocábulos: destoa (=diferente de ...), não, correta, incorreta, certa, errada, falsa, verdadeira, exceto, e outras; palavras que aparecem nas perguntas e que, às vezes, dificultam a entender o que se perguntou e o que se pediu; 11. Quando duas alternativas lhe parecem corretas, procurar a mais exata ou a mais completa; 12. Não se deve procurar a verdade exata dentro daquela resposta, mas a opção que melhor se enquadre no sentido do texto; 13. Às vezes a etimologia ou a semelhança das palavras denuncia a resposta;
16. Procure estabelecer quais foram as opiniões expostas pelo autor, definindo o tema e a mensagem;
Algumas Interpretações: As questões  1 a 4 referem-se ao texto abaixo:   "Sete Quedas por nós passaram E não soubemos amá-las E todas sete foram mortas, E todas sete somem no ar.  Sete fantasmas, sete crimes  Dos vivos golpeando a vida  Que nunca mais renascerá.“ (Carlos Drummond de Andrade)  ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],c) imagens de culpa que iremos carregar
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],"Sete Quedas por nós passaram E não soubemos amá-las E todas sete foram mortas, E todas sete somem no ar.  Sete fantasmas, sete crimes  Dos vivos golpeando a vida  Que nunca mais renascerá.“ (Carlos Drummond de Andrade)  d)que existe uma implicação natural de conseqüência dos dois últimos fatos em relação ao primeiro
"Sete Quedas por nós passaram E não soubemos amá-las E todas sete foram mortas, E todas sete somem no ar.  Sete fantasmas, sete crimes  Dos vivos golpeando a vida  Que nunca mais renascerá.“ (Carlos Drummond de Andrade)  3. A afirmação: "Sete Quedas por nós passaram / E não soubemos amá-las."  Faz-nos entender que:  a) só agora nos damos conta do valor daquilo que perdemos  b) enquanto era possível, não passávamos por Sete Quedas  c) Sete Quedas pertence agora ao passado  d) Todos, antigamente, podiam apreciar o espetáculo; agora não  e) Os brasileiros costumam desprezar a natureza  a) só agora nos damos conta do valor daquilo que perdemos
"Sete Quedas por nós passaram E não soubemos amá-las E todas sete foram mortas, E todas sete somem no ar.  Sete fantasmas, sete crimes  Dos vivos golpeando a vida  Que nunca mais renascerá.“ (Carlos Drummond de Andrade)  4. Na passagem: "E todas sete foram mortas, / E todas sete somem no ar." O uso de  todas sete  se justifica:  a) como referência ao número de quedas que existiram no rio Paraná  b) para representar todo conjunto das quedas que desaparece  c) para destacar o valor individual de cada uma das quedas  d) para confirmar que a perda foi parcial  b) para representar todo conjunto das quedas que desaparece
 
REDAÇÃO Se é assim que você fica quando tem que escrever... acalme-se!
Existem três tipos de textos: NARRATIVO - contar uma história DESCRITIVO - ser observador DISSERTATIVO - defender uma opinião
Nesta aula sobre redação, estudaremos uma das maneiras mais fáceis de se elaborar uma dissertação. Tente produzir um texto, da maneira como veremos aqui.  Mas, não podemos esquecer que:   Dissertar é: I.  Expor um assunto, esclarecendo as verdades que o envolvem, discutindo a problemática que nele reside; II.  Defender princípios, tomando decisões; III.  Analisar objetivamente um assunto através da seqüência lógica de idéias; IV.  Apresentar opiniões sobre um determinado assunto; V.  Apresentar opiniões positivas e negativas, provando suas opiniões, citando fatos, razões, justificativas.
Dissertar é o ato de  discorrer  sobre determinado assunto, buscando sempre  argumentações  que levem a alguma  conclusão .  O planejamento da dissertação deve seguir rigorosamente os seguintes aspectos:  1) Ler atentamente o tema; 2) Reler o tema, anotando as palavras-chave;  3) Interpretar o tema denotativamente;  4) Interpretar, se necessário, conotativamente o tema;  5) Delimitar a idéia apresentada pelo tema
A dissertação é dividida em três partes: Introdução:  O primeiro parágrafo da dissertação deve conter a informação do que será argumentado e/ou discutido no desenvolvimento.  Desenvolvimento:  É a redação propriamente dita. É onde os argumentos devem ser discutidos.  Conclusão:  A conclusão é o encerramento da dissertação, portanto nunca apresente informações novas nela; se ainda há argumentos a serem discutidos, não inicie a conclusão.
Calma... Atenção... Concetração... REDAÇÃO!!! Não escreva besteiras! Os egípcios antigos desenvolveram a arte funerária para que os mortos pudessem viver melhor. Antigamente, antes da invenção da imprensa, a leitura era   sacrilégio dos ricos.
Frases-modelo, para uma dissertação  Introdução :  É de conhecimento geral que ...   Todos sabem que, em nosso país, há tempos, observa- se ...   Muito se tem discutido, recentemente, acerca de ...   Desenvolvimento :  Em conseqüência disso, vê-se, a todo instante, ...  Além disso ...  Ainda convém lembrar ...  Porém, mas, contudo, todavia, no entanto, entretanto ...
Conclusão :  Em virtude dos fatos mencionados ...   Por isso tudo ...   Levando-se em consideração esses aspectos ...   Dessa forma ...   Em vista dos argumentos apresentados ...   Dado o exposto ...   Tendo em vista os aspectos observados ...
Vamos escrever... REDAÇÃO!!! Ênfase em Infância e adolescência.
Título… No início de nossas vidas, quando começamos… Podemos até  pensar que somos… INTRODUÇÃO Vivemos em um mundo, que parece não ser o que esperávamos… Quando deixamos de ser criança e partimos rumo ao desconhecido… a adolescência… Parece que este ciclo terá um final… DESENVOLVIMENTO Mas o que realmente queremos… CONCLUSÃO
Lembretes finais: Parágrafos; Margens; Vocabulário; Coerência; Coesão; Rascunho; Atenção.
MENSAGEM FINAL...
Quando você entrar numa fria... ...come o gelo!
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Leitura e interpretação de textos
Leitura e interpretação de textosLeitura e interpretação de textos
Leitura e interpretação de textosElenir Duarte Dias
 
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 27
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 27Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 27
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 27luisprista
 
Interpretação e Compreensão de Texto
Interpretação e Compreensão de Texto Interpretação e Compreensão de Texto
Interpretação e Compreensão de Texto Cláudia Heloísa
 
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 97-98
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 97-98Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 97-98
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 97-98luisprista
 
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 35-36
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 35-36Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 35-36
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 35-36luisprista
 
Apostila de-exercicios-de-portugues-para-concurso
Apostila de-exercicios-de-portugues-para-concursoApostila de-exercicios-de-portugues-para-concurso
Apostila de-exercicios-de-portugues-para-concursoJosé Augusto Santos
 
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 9-10
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 9-10Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 9-10
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 9-10luisprista
 
ApresentaçãO Para DéCimo Ano, Aula 89 90
ApresentaçãO Para DéCimo Ano, Aula 89 90ApresentaçãO Para DéCimo Ano, Aula 89 90
ApresentaçãO Para DéCimo Ano, Aula 89 90luisprista
 
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 51-52
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 51-52Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 51-52
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 51-52luisprista
 

Mais procurados (16)

Leitura e interpretação de textos
Leitura e interpretação de textosLeitura e interpretação de textos
Leitura e interpretação de textos
 
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 27
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 27Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 27
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 27
 
Interpretação e Compreensão de Texto
Interpretação e Compreensão de Texto Interpretação e Compreensão de Texto
Interpretação e Compreensão de Texto
 
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 97-98
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 97-98Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 97-98
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 97-98
 
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 35-36
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 35-36Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 35-36
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 35-36
 
Apostila de-exercicios-de-portugues-para-concurso
Apostila de-exercicios-de-portugues-para-concursoApostila de-exercicios-de-portugues-para-concurso
Apostila de-exercicios-de-portugues-para-concurso
 
50 1 exercícios morfologia
50 1 exercícios morfologia50 1 exercícios morfologia
50 1 exercícios morfologia
 
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 9-10
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 9-10Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 9-10
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 9-10
 
Exame nacional 2009
Exame nacional 2009Exame nacional 2009
Exame nacional 2009
 
ApresentaçãO Para DéCimo Ano, Aula 89 90
ApresentaçãO Para DéCimo Ano, Aula 89 90ApresentaçãO Para DéCimo Ano, Aula 89 90
ApresentaçãO Para DéCimo Ano, Aula 89 90
 
50 1 exercícios morfologia
50 1 exercícios morfologia50 1 exercícios morfologia
50 1 exercícios morfologia
 
PACC2 comum 1000_05
PACC2 comum 1000_05PACC2 comum 1000_05
PACC2 comum 1000_05
 
Português jurídico
Português jurídicoPortuguês jurídico
Português jurídico
 
Cinara verbos (1)
Cinara verbos (1)Cinara verbos (1)
Cinara verbos (1)
 
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 51-52
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 51-52Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 51-52
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 51-52
 
Apostila concurso-anatel
Apostila concurso-anatelApostila concurso-anatel
Apostila concurso-anatel
 

Destaque

Novas tecnologias no ensino
Novas tecnologias no ensinoNovas tecnologias no ensino
Novas tecnologias no ensinoPtR2011
 
Arquivo 2004 de a a z
Arquivo 2004 de a a zArquivo 2004 de a a z
Arquivo 2004 de a a zcepmaio
 
Progresiones aritméticas 4º
Progresiones aritméticas   4ºProgresiones aritméticas   4º
Progresiones aritméticas 4ºbrisagaela29
 
Regulamento concurso brasília ano 54
Regulamento concurso brasília ano 54Regulamento concurso brasília ano 54
Regulamento concurso brasília ano 54Fmoreira4
 
19441255 manual-de-reparacion-pc
19441255 manual-de-reparacion-pc19441255 manual-de-reparacion-pc
19441255 manual-de-reparacion-pcAndresDominguez20
 
Conceptos de comunicacion en redes
Conceptos de comunicacion en redesConceptos de comunicacion en redes
Conceptos de comunicacion en redesDavidRC518
 
Espana Viajes: Eventos Durante Todo El Ano
Espana Viajes: Eventos Durante Todo El AnoEspana Viajes: Eventos Durante Todo El Ano
Espana Viajes: Eventos Durante Todo El Anopremiumeffects485
 
Conocer Espana libre de articulo cortesia de ArticleCity.com
Conocer Espana libre de articulo cortesia de ArticleCity.comConocer Espana libre de articulo cortesia de ArticleCity.com
Conocer Espana libre de articulo cortesia de ArticleCity.compremiumeffects485
 
Plano de Gestão - Chapa Unipampa ConsolidAção
Plano de Gestão - Chapa Unipampa ConsolidAçãoPlano de Gestão - Chapa Unipampa ConsolidAção
Plano de Gestão - Chapa Unipampa ConsolidAçãoConsolidAção Unipampa
 
Tabelasde repetidoresnacionaisa23 dezembro_2011_ss
Tabelasde repetidoresnacionaisa23 dezembro_2011_ssTabelasde repetidoresnacionaisa23 dezembro_2011_ss
Tabelasde repetidoresnacionaisa23 dezembro_2011_ssFmoreira4
 
Aprender y Enseñar en Colaboración
Aprender y Enseñar en ColaboraciónAprender y Enseñar en Colaboración
Aprender y Enseñar en Colaboraciónmarcelamartinezmoreno
 
Glossário sobre Paulo Freire
Glossário sobre Paulo FreireGlossário sobre Paulo Freire
Glossário sobre Paulo FreireGegliane Corrêa
 
Turma f.1 2011.1
Turma f.1   2011.1Turma f.1   2011.1
Turma f.1 2011.1cepmaio
 
C2 mate factorización por polinomio y agrupación - 4º
C2 mate   factorización por polinomio y agrupación - 4ºC2 mate   factorización por polinomio y agrupación - 4º
C2 mate factorización por polinomio y agrupación - 4ºbrisagaela29
 

Destaque (20)

COVER LETTER
COVER LETTERCOVER LETTER
COVER LETTER
 
Reforma nossa raniere
Reforma nossa raniereReforma nossa raniere
Reforma nossa raniere
 
Novas tecnologias no ensino
Novas tecnologias no ensinoNovas tecnologias no ensino
Novas tecnologias no ensino
 
El Otro Mercado
El Otro MercadoEl Otro Mercado
El Otro Mercado
 
Arquivo 2004 de a a z
Arquivo 2004 de a a zArquivo 2004 de a a z
Arquivo 2004 de a a z
 
Progresiones aritméticas 4º
Progresiones aritméticas   4ºProgresiones aritméticas   4º
Progresiones aritméticas 4º
 
Regulamento concurso brasília ano 54
Regulamento concurso brasília ano 54Regulamento concurso brasília ano 54
Regulamento concurso brasília ano 54
 
19441255 manual-de-reparacion-pc
19441255 manual-de-reparacion-pc19441255 manual-de-reparacion-pc
19441255 manual-de-reparacion-pc
 
Conceptos de comunicacion en redes
Conceptos de comunicacion en redesConceptos de comunicacion en redes
Conceptos de comunicacion en redes
 
Espana Viajes: Eventos Durante Todo El Ano
Espana Viajes: Eventos Durante Todo El AnoEspana Viajes: Eventos Durante Todo El Ano
Espana Viajes: Eventos Durante Todo El Ano
 
Conocer Espana libre de articulo cortesia de ArticleCity.com
Conocer Espana libre de articulo cortesia de ArticleCity.comConocer Espana libre de articulo cortesia de ArticleCity.com
Conocer Espana libre de articulo cortesia de ArticleCity.com
 
Plano de Gestão - Chapa Unipampa ConsolidAção
Plano de Gestão - Chapa Unipampa ConsolidAçãoPlano de Gestão - Chapa Unipampa ConsolidAção
Plano de Gestão - Chapa Unipampa ConsolidAção
 
Tabelasde repetidoresnacionaisa23 dezembro_2011_ss
Tabelasde repetidoresnacionaisa23 dezembro_2011_ssTabelasde repetidoresnacionaisa23 dezembro_2011_ss
Tabelasde repetidoresnacionaisa23 dezembro_2011_ss
 
Ok 2000
Ok 2000Ok 2000
Ok 2000
 
Aprender y Enseñar en Colaboración
Aprender y Enseñar en ColaboraciónAprender y Enseñar en Colaboración
Aprender y Enseñar en Colaboración
 
Glossário sobre Paulo Freire
Glossário sobre Paulo FreireGlossário sobre Paulo Freire
Glossário sobre Paulo Freire
 
Libras
LibrasLibras
Libras
 
Ple
PlePle
Ple
 
Turma f.1 2011.1
Turma f.1   2011.1Turma f.1   2011.1
Turma f.1 2011.1
 
C2 mate factorización por polinomio y agrupación - 4º
C2 mate   factorización por polinomio y agrupación - 4ºC2 mate   factorización por polinomio y agrupación - 4º
C2 mate factorización por polinomio y agrupación - 4º
 

Semelhante a Conotação e denotação

LP_CIE_3série_Gab.pdf
LP_CIE_3série_Gab.pdfLP_CIE_3série_Gab.pdf
LP_CIE_3série_Gab.pdfProfJC3
 
Recuperação paralela variação linguistica 7º 03
Recuperação paralela variação linguistica 7º 03Recuperação paralela variação linguistica 7º 03
Recuperação paralela variação linguistica 7º 03Janelindinha Sempre
 
Conotação-e-Denotação-da-linguagem inter
Conotação-e-Denotação-da-linguagem interConotação-e-Denotação-da-linguagem inter
Conotação-e-Denotação-da-linguagem interMarcusEuricoPereiraF
 
QUESTÕES DE INTERPRETAÇÃO DE TEXTO.pptx
QUESTÕES DE INTERPRETAÇÃO DE TEXTO.pptxQUESTÕES DE INTERPRETAÇÃO DE TEXTO.pptx
QUESTÕES DE INTERPRETAÇÃO DE TEXTO.pptxGessinguerRodecz1
 
Banco de questões e soluções de língua portuguesa
Banco de questões e soluções de língua portuguesaBanco de questões e soluções de língua portuguesa
Banco de questões e soluções de língua portuguesaotsciepalexandrecarvalho
 
FICHA - FUNÇÕES DA LINGUAGEM - Gabarito.pdf
FICHA - FUNÇÕES DA LINGUAGEM - Gabarito.pdfFICHA - FUNÇÕES DA LINGUAGEM - Gabarito.pdf
FICHA - FUNÇÕES DA LINGUAGEM - Gabarito.pdfNatália Moura
 
ComunicaçãO E ExpressãO 1
ComunicaçãO E ExpressãO 1ComunicaçãO E ExpressãO 1
ComunicaçãO E ExpressãO 1guestf1c478
 
Avaliacao_Portugues_Av1.docx
Avaliacao_Portugues_Av1.docxAvaliacao_Portugues_Av1.docx
Avaliacao_Portugues_Av1.docxEdilmaBrando1
 
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 26-27
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 26-27Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 26-27
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 26-27luisprista
 
Lista de PM LP 3ª série.doc
Lista de PM LP 3ª série.docLista de PM LP 3ª série.doc
Lista de PM LP 3ª série.docRamiroLanzadora
 
Ciencia-Na-Alma-Richard-Dawkins.pdf
Ciencia-Na-Alma-Richard-Dawkins.pdfCiencia-Na-Alma-Richard-Dawkins.pdf
Ciencia-Na-Alma-Richard-Dawkins.pdfCarlosAugustoAfonso
 
Avaliação de portugues 2 bimestre
Avaliação de portugues 2 bimestreAvaliação de portugues 2 bimestre
Avaliação de portugues 2 bimestreLucyanne Guimaraes
 
Avaliação de Língua Portuguesa 3º Ensino Médio
Avaliação de Língua Portuguesa 3º Ensino MédioAvaliação de Língua Portuguesa 3º Ensino Médio
Avaliação de Língua Portuguesa 3º Ensino MédioMarcia Oliveira
 
Interpretacao_de_Textos_TEORIA_e_800_QUE.pdf
Interpretacao_de_Textos_TEORIA_e_800_QUE.pdfInterpretacao_de_Textos_TEORIA_e_800_QUE.pdf
Interpretacao_de_Textos_TEORIA_e_800_QUE.pdfgabrielbrumdias
 

Semelhante a Conotação e denotação (20)

LP_CIE_3série_Gab.pdf
LP_CIE_3série_Gab.pdfLP_CIE_3série_Gab.pdf
LP_CIE_3série_Gab.pdf
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
 
Recuperação paralela variação linguistica 7º 03
Recuperação paralela variação linguistica 7º 03Recuperação paralela variação linguistica 7º 03
Recuperação paralela variação linguistica 7º 03
 
Conotação-e-Denotação-da-linguagem inter
Conotação-e-Denotação-da-linguagem interConotação-e-Denotação-da-linguagem inter
Conotação-e-Denotação-da-linguagem inter
 
QUESTÕES DE INTERPRETAÇÃO DE TEXTO.pptx
QUESTÕES DE INTERPRETAÇÃO DE TEXTO.pptxQUESTÕES DE INTERPRETAÇÃO DE TEXTO.pptx
QUESTÕES DE INTERPRETAÇÃO DE TEXTO.pptx
 
Lingua Portuguesa
Lingua PortuguesaLingua Portuguesa
Lingua Portuguesa
 
Banco de questões e soluções de língua portuguesa
Banco de questões e soluções de língua portuguesaBanco de questões e soluções de língua portuguesa
Banco de questões e soluções de língua portuguesa
 
Aula 4
Aula 4 Aula 4
Aula 4
 
FICHA - FUNÇÕES DA LINGUAGEM - Gabarito.pdf
FICHA - FUNÇÕES DA LINGUAGEM - Gabarito.pdfFICHA - FUNÇÕES DA LINGUAGEM - Gabarito.pdf
FICHA - FUNÇÕES DA LINGUAGEM - Gabarito.pdf
 
ComunicaçãO E ExpressãO 1
ComunicaçãO E ExpressãO 1ComunicaçãO E ExpressãO 1
ComunicaçãO E ExpressãO 1
 
Avaliacao_Portugues_Av1.docx
Avaliacao_Portugues_Av1.docxAvaliacao_Portugues_Av1.docx
Avaliacao_Portugues_Av1.docx
 
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 26-27
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 26-27Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 26-27
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 26-27
 
Tipologia textual
Tipologia textualTipologia textual
Tipologia textual
 
Lista de PM LP 3ª série.doc
Lista de PM LP 3ª série.docLista de PM LP 3ª série.doc
Lista de PM LP 3ª série.doc
 
Ciencia-Na-Alma-Richard-Dawkins.pdf
Ciencia-Na-Alma-Richard-Dawkins.pdfCiencia-Na-Alma-Richard-Dawkins.pdf
Ciencia-Na-Alma-Richard-Dawkins.pdf
 
Dissertar1jaula
Dissertar1jaulaDissertar1jaula
Dissertar1jaula
 
Avaliação de portugues 2 bimestre
Avaliação de portugues 2 bimestreAvaliação de portugues 2 bimestre
Avaliação de portugues 2 bimestre
 
Avaliação de Língua Portuguesa 3º Ensino Médio
Avaliação de Língua Portuguesa 3º Ensino MédioAvaliação de Língua Portuguesa 3º Ensino Médio
Avaliação de Língua Portuguesa 3º Ensino Médio
 
SARESP Prova por-8 ef-manha
SARESP Prova por-8 ef-manhaSARESP Prova por-8 ef-manha
SARESP Prova por-8 ef-manha
 
Interpretacao_de_Textos_TEORIA_e_800_QUE.pdf
Interpretacao_de_Textos_TEORIA_e_800_QUE.pdfInterpretacao_de_Textos_TEORIA_e_800_QUE.pdf
Interpretacao_de_Textos_TEORIA_e_800_QUE.pdf
 

Mais de cepmaio

1º ANO A - 2012
1º ANO A - 20121º ANO A - 2012
1º ANO A - 2012cepmaio
 
5º ano a
5º ano a5º ano a
5º ano acepmaio
 
5º ano a
5º ano a5º ano a
5º ano acepmaio
 
Carômetro 5º ano
Carômetro 5º anoCarômetro 5º ano
Carômetro 5º anocepmaio
 
ÁLBUM 01/12
ÁLBUM  01/12ÁLBUM  01/12
ÁLBUM 01/12cepmaio
 
População dos municípios mg
População dos municípios mgPopulação dos municípios mg
População dos municípios mgcepmaio
 
Serra de são bento rn
Serra de são bento rnSerra de são bento rn
Serra de são bento rncepmaio
 
Serra de são bento rn
Serra de são bento rnSerra de são bento rn
Serra de são bento rncepmaio
 
Iv mostra cultural - 2010
Iv   mostra cultural - 2010Iv   mostra cultural - 2010
Iv mostra cultural - 2010cepmaio
 
5ª feira da cultura
5ª feira da cultura5ª feira da cultura
5ª feira da culturacepmaio
 
5ª FEIRA CULTURAL
5ª FEIRA CULTURAL5ª FEIRA CULTURAL
5ª FEIRA CULTURALcepmaio
 
CENTRO EDUCACIONAL 1º DE MAIO
CENTRO EDUCACIONAL 1º DE MAIOCENTRO EDUCACIONAL 1º DE MAIO
CENTRO EDUCACIONAL 1º DE MAIOcepmaio
 
áLbum nº 4 xadrez
áLbum nº 4   xadrezáLbum nº 4   xadrez
áLbum nº 4 xadrezcepmaio
 
áLbum nº 4 xadrez
áLbum nº 4   xadrezáLbum nº 4   xadrez
áLbum nº 4 xadrezcepmaio
 
áLbum nº 1 – alunos e professores do
áLbum nº 1 – alunos e professores doáLbum nº 1 – alunos e professores do
áLbum nº 1 – alunos e professores docepmaio
 

Mais de cepmaio (20)

1º ANO A - 2012
1º ANO A - 20121º ANO A - 2012
1º ANO A - 2012
 
5º ano a
5º ano a5º ano a
5º ano a
 
ACRE
ACREACRE
ACRE
 
5º ano a
5º ano a5º ano a
5º ano a
 
Carômetro 5º ano
Carômetro 5º anoCarômetro 5º ano
Carômetro 5º ano
 
ÁLBUM 01/12
ÁLBUM  01/12ÁLBUM  01/12
ÁLBUM 01/12
 
Mg
MgMg
Mg
 
Espelho
EspelhoEspelho
Espelho
 
A rocha
A rochaA rocha
A rocha
 
População dos municípios mg
População dos municípios mgPopulação dos municípios mg
População dos municípios mg
 
Serra de são bento rn
Serra de são bento rnSerra de são bento rn
Serra de são bento rn
 
Serra de são bento rn
Serra de são bento rnSerra de são bento rn
Serra de são bento rn
 
Iv mostra cultural - 2010
Iv   mostra cultural - 2010Iv   mostra cultural - 2010
Iv mostra cultural - 2010
 
5ª feira da cultura
5ª feira da cultura5ª feira da cultura
5ª feira da cultura
 
5ª FEIRA CULTURAL
5ª FEIRA CULTURAL5ª FEIRA CULTURAL
5ª FEIRA CULTURAL
 
CENTRO EDUCACIONAL 1º DE MAIO
CENTRO EDUCACIONAL 1º DE MAIOCENTRO EDUCACIONAL 1º DE MAIO
CENTRO EDUCACIONAL 1º DE MAIO
 
Passeio
PasseioPasseio
Passeio
 
áLbum nº 4 xadrez
áLbum nº 4   xadrezáLbum nº 4   xadrez
áLbum nº 4 xadrez
 
áLbum nº 4 xadrez
áLbum nº 4   xadrezáLbum nº 4   xadrez
áLbum nº 4 xadrez
 
áLbum nº 1 – alunos e professores do
áLbum nº 1 – alunos e professores doáLbum nº 1 – alunos e professores do
áLbum nº 1 – alunos e professores do
 

Último

América Latina: Da Independência à Consolidação dos Estados Nacionais
América Latina: Da Independência à Consolidação dos Estados NacionaisAmérica Latina: Da Independência à Consolidação dos Estados Nacionais
América Latina: Da Independência à Consolidação dos Estados NacionaisValéria Shoujofan
 
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-carloseduardogonalve36
 
hereditariedade é variabilidade genetic
hereditariedade é variabilidade  genetichereditariedade é variabilidade  genetic
hereditariedade é variabilidade geneticMrMartnoficial
 
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docxAtividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docxSolangeWaltre
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdfARIANAMENDES11
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfLeandroTelesRocha2
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfRILTONNOGUEIRADOSSAN
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 
ATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptx
ATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptxATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptx
ATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptxmairaviani
 
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaaCarolineFrancielle
 
Evangelismo e Missões Contemporânea Cristã.pdf
Evangelismo e Missões Contemporânea Cristã.pdfEvangelismo e Missões Contemporânea Cristã.pdf
Evangelismo e Missões Contemporânea Cristã.pdfPastor Robson Colaço
 
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilApresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
Atividade com a música Xote  da  Alegria    -   FalamansaAtividade com a música Xote  da  Alegria    -   Falamansa
Atividade com a música Xote da Alegria - FalamansaMary Alvarenga
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxMartin M Flynn
 
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco LeiteOs Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leiteprofesfrancleite
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Junho Violeta - Sugestão de Ações na Igreja
Junho Violeta - Sugestão de Ações na IgrejaJunho Violeta - Sugestão de Ações na Igreja
Junho Violeta - Sugestão de Ações na IgrejaComando Resgatai
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....LuizHenriquedeAlmeid6
 
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anosFotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anosbiancaborges0906
 
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

América Latina: Da Independência à Consolidação dos Estados Nacionais
América Latina: Da Independência à Consolidação dos Estados NacionaisAmérica Latina: Da Independência à Consolidação dos Estados Nacionais
América Latina: Da Independência à Consolidação dos Estados Nacionais
 
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
 
hereditariedade é variabilidade genetic
hereditariedade é variabilidade  genetichereditariedade é variabilidade  genetic
hereditariedade é variabilidade genetic
 
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docxAtividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
ATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptx
ATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptxATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptx
ATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptx
 
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
 
Evangelismo e Missões Contemporânea Cristã.pdf
Evangelismo e Missões Contemporânea Cristã.pdfEvangelismo e Missões Contemporânea Cristã.pdf
Evangelismo e Missões Contemporânea Cristã.pdf
 
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilApresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
 
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
Atividade com a música Xote  da  Alegria    -   FalamansaAtividade com a música Xote  da  Alegria    -   Falamansa
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
 
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco LeiteOs Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
Junho Violeta - Sugestão de Ações na Igreja
Junho Violeta - Sugestão de Ações na IgrejaJunho Violeta - Sugestão de Ações na Igreja
Junho Violeta - Sugestão de Ações na Igreja
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
 
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anosFotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
 
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
 

Conotação e denotação

  • 1. Língua Portuguesa Leitura e Interpretação de Textos Professor Ronian
  • 2. Mafalda... Texto 1: Texto 2: Discovery pousa com sucesso na Califórnia O Discovery pousou com sucesso na base Edwards, na Califórnia, na manhã desta terça-feira, depois de uma missão de 15 dias no espaço. O ônibus espacial tocou o solo às 5h12 (9h12 horário de Brasília). É a primeira missão bem-sucedida de um ônibus espacial desde o desastre do Columbia, em 2003.
  • 3.
  • 4. Quem dera Que sintas As dores De amores Que louco Senti! (Casimiro de Abreu) A linguagem cono tativa é também conhecida como ling uagem literária, ou seja, um texto literári o é aquele em que predominam as múltipl as interpretações, a conotação da s palavras.
  • 5. A educação, principalmente na infância, determina as oportunidades que os cidadãos terão para garantir o futuro. A lingua gem denotativa é também conhecida co mo linguagem não-literária, ou seja, um texto não-literário é aquele em que predominam os sentidos reais (próprios) das p alavras, a denotação .
  • 6. Vamos ver se você entendeu: (D) denotação (C) conotação As flores lindas da primavera já aparecem. Mulheres são frágeis flores. Os cães ferozes latem pouco. Pobres ladrões, cães da noite perdida e vã. O seu olhar ilumina toda a esperança eterna. A luz que ilumina o dia é natural. Meu coração é uma escola de samba! O amor, hoje, parece fosco. ( D ) ( C ) ( D ) ( C ) ( C ) ( D ) ( C ) ( C )
  • 7. Interpretação de Textos e)O volume de informações e a maneira como a televisão as veicula impedem que as pessoas reflitam maduramente sobre os assuntos. e) O volume de informações e a maneira como a televisão as veicula impedem que as pessoas reflitam maduramente sobre os assuntos. d) Com o advento da televisão, as mulheres perderam sua capacidade de crítica. c) Os homens poderiam usar plenamente seu potencial de inteligência, se não fosse a televisão. b) Sem a televisão não se saberia o que é conhecer as coisas ou por que as coisas acontecem. a) O movimento das imagens, a inovação e a originalidade são as características de tudo que acontece na televisão.
  • 8.        Podemos, tranquilamente, ser bem-sucedidos numa interpretação de texto. Para isso, devemos observar o seguinte: 01. Ler todo o texto, procurando ter uma visão geral do assunto; 02. Se encontrar palavras desconhecidas, não interrompa a leitura, vá até o fim, ininterruptamente; 03. Ler, ler bem, ler profundamente, ou seja, ler o texto pelo menos umas três vezes ou mais; 04. Ler com perspicácia, sutileza, malícia nas entrelinhas; 05. Voltar ao texto tantas quantas vezes precisar; 06. Não permitir que prevaleçam suas idéias sobre as do autor; 07. Partir o texto em pedaços (parágrafos, partes) para melhor compreensão; 08. Centralizar cada questão ao pedaço (parágrafo, parte) do texto correspondente;
  • 9. 09. Verificar, com atenção e cuidado, o enunciado de cada questão; 10. Cuidado com os vocábulos: destoa (=diferente de ...), não, correta, incorreta, certa, errada, falsa, verdadeira, exceto, e outras; palavras que aparecem nas perguntas e que, às vezes, dificultam a entender o que se perguntou e o que se pediu; 11. Quando duas alternativas lhe parecem corretas, procurar a mais exata ou a mais completa; 12. Não se deve procurar a verdade exata dentro daquela resposta, mas a opção que melhor se enquadre no sentido do texto; 13. Às vezes a etimologia ou a semelhança das palavras denuncia a resposta;
  • 10. 16. Procure estabelecer quais foram as opiniões expostas pelo autor, definindo o tema e a mensagem;
  • 11.
  • 12.
  • 13. "Sete Quedas por nós passaram E não soubemos amá-las E todas sete foram mortas, E todas sete somem no ar. Sete fantasmas, sete crimes Dos vivos golpeando a vida Que nunca mais renascerá.“ (Carlos Drummond de Andrade) 3. A afirmação: "Sete Quedas por nós passaram / E não soubemos amá-las." Faz-nos entender que: a) só agora nos damos conta do valor daquilo que perdemos b) enquanto era possível, não passávamos por Sete Quedas c) Sete Quedas pertence agora ao passado d) Todos, antigamente, podiam apreciar o espetáculo; agora não e) Os brasileiros costumam desprezar a natureza a) só agora nos damos conta do valor daquilo que perdemos
  • 14. "Sete Quedas por nós passaram E não soubemos amá-las E todas sete foram mortas, E todas sete somem no ar. Sete fantasmas, sete crimes Dos vivos golpeando a vida Que nunca mais renascerá.“ (Carlos Drummond de Andrade) 4. Na passagem: "E todas sete foram mortas, / E todas sete somem no ar." O uso de todas sete se justifica: a) como referência ao número de quedas que existiram no rio Paraná b) para representar todo conjunto das quedas que desaparece c) para destacar o valor individual de cada uma das quedas d) para confirmar que a perda foi parcial b) para representar todo conjunto das quedas que desaparece
  • 15.  
  • 16. REDAÇÃO Se é assim que você fica quando tem que escrever... acalme-se!
  • 17. Existem três tipos de textos: NARRATIVO - contar uma história DESCRITIVO - ser observador DISSERTATIVO - defender uma opinião
  • 18. Nesta aula sobre redação, estudaremos uma das maneiras mais fáceis de se elaborar uma dissertação. Tente produzir um texto, da maneira como veremos aqui. Mas, não podemos esquecer que:   Dissertar é: I. Expor um assunto, esclarecendo as verdades que o envolvem, discutindo a problemática que nele reside; II. Defender princípios, tomando decisões; III. Analisar objetivamente um assunto através da seqüência lógica de idéias; IV. Apresentar opiniões sobre um determinado assunto; V. Apresentar opiniões positivas e negativas, provando suas opiniões, citando fatos, razões, justificativas.
  • 19. Dissertar é o ato de discorrer sobre determinado assunto, buscando sempre argumentações que levem a alguma conclusão . O planejamento da dissertação deve seguir rigorosamente os seguintes aspectos: 1) Ler atentamente o tema; 2) Reler o tema, anotando as palavras-chave; 3) Interpretar o tema denotativamente; 4) Interpretar, se necessário, conotativamente o tema; 5) Delimitar a idéia apresentada pelo tema
  • 20. A dissertação é dividida em três partes: Introdução: O primeiro parágrafo da dissertação deve conter a informação do que será argumentado e/ou discutido no desenvolvimento. Desenvolvimento: É a redação propriamente dita. É onde os argumentos devem ser discutidos. Conclusão: A conclusão é o encerramento da dissertação, portanto nunca apresente informações novas nela; se ainda há argumentos a serem discutidos, não inicie a conclusão.
  • 21. Calma... Atenção... Concetração... REDAÇÃO!!! Não escreva besteiras! Os egípcios antigos desenvolveram a arte funerária para que os mortos pudessem viver melhor. Antigamente, antes da invenção da imprensa, a leitura era  sacrilégio dos ricos.
  • 22. Frases-modelo, para uma dissertação Introdução : É de conhecimento geral que ... Todos sabem que, em nosso país, há tempos, observa- se ... Muito se tem discutido, recentemente, acerca de ... Desenvolvimento : Em conseqüência disso, vê-se, a todo instante, ... Além disso ... Ainda convém lembrar ... Porém, mas, contudo, todavia, no entanto, entretanto ...
  • 23. Conclusão : Em virtude dos fatos mencionados ... Por isso tudo ... Levando-se em consideração esses aspectos ... Dessa forma ... Em vista dos argumentos apresentados ... Dado o exposto ... Tendo em vista os aspectos observados ...
  • 24. Vamos escrever... REDAÇÃO!!! Ênfase em Infância e adolescência.
  • 25. Título… No início de nossas vidas, quando começamos… Podemos até pensar que somos… INTRODUÇÃO Vivemos em um mundo, que parece não ser o que esperávamos… Quando deixamos de ser criança e partimos rumo ao desconhecido… a adolescência… Parece que este ciclo terá um final… DESENVOLVIMENTO Mas o que realmente queremos… CONCLUSÃO
  • 26. Lembretes finais: Parágrafos; Margens; Vocabulário; Coerência; Coesão; Rascunho; Atenção.
  • 28. Quando você entrar numa fria... ...come o gelo!
  • 29.