O Tabernáculo (apostila)

12.761 visualizações

Publicada em

Significado dos componentes do tabernáculo

Publicada em: Espiritual
0 comentários
10 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
12.761
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.132
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
657
Comentários
0
Gostaram
10
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O Tabernáculo (apostila)

  1. 1. A Casa de Deus levada pelos homens através do deserto Encontre respostas para estas perguntas O que era o Tabernáculo? O que havia dentro dele? Quem eram os sacerdotes separados para esse serviço? O que ele significava para o povo de Israel? O que ele significa para nós hoje? O TABERNÁCULO O TABERNÁCULO Mencionada 138 vezes na Bíblia (118 no Antigo e 20 no Novo Testamento), a palavra Tabernáculo tem um grandioso significado na história do povo de Deus. Podendo ser definido como uma grande barraca aonde eram realizados os atos de adoração durante o tempo em que os israelitas andaram pelo deserto depois da sua saída do Egito, o Tabernáculo continuou a ser usado até que o Templo foi construído, no tempo do rei Salomão. Ele é cercado de mistérios e todas as peças existentes em seu interior têm um significado. Ele é uma grande prova da importância da adoração a Deus; Ele quer ser adorado, como está o teu tabernáculo?
  2. 2. 2 ÍNDICE INTRODUÇÃO 1. O TABERNÁCULO 2. OS SACERDOTES 3. A ARCA 4. O PROPICIATÓRIO 5. O ALTAR DE INCENSO 6. O CASTIÇAL 7. A MESA 8. A PIA 9. O ALTAR DE COBRE 10. URIM E TUMIM CONCLUSÃO/GLOSSÁRIO INTRODUÇÃO O povo de Israel havia acabado de sair do Egito e perambulava pelo deserto. A presença de Deus estava com eles; mas Ele queria que eles tivessem um lugar para adorá-lo. Algo que o representasse: um santuário. Por isso, ordenou à Moisés a construção do tabernáculo. Tabernáculo pode ser traduzido como habitação, tenda da congregação e tenda do testemunho (Nm 9:15; 18:2). Esta tenda não era uma mera barraca aonde o povo podia se proteger do sol ou da chuva enquanto prestava seu culto; era muito mais do que isso: ele era figura e sombra das coisas celestiais (Hb 8:5); e simbolizava também a obra redentora de Jesus Cristo (Hb 9:11,12). Dentro dele havia várias peças, cada uma com um grandioso significado. Muitas passagens do Novo Testamento só podem ser entendidas com o conhecimento desse assunto, pois são cumprimentos de sua simbologia. Estudar sobre o tabernáculo não é simplesmente adquirir conhecimento histórico, mas entender coisas futuras que Deus revela subliminarmente através das Escrituras Sagradas àqueles que buscam conhecimento. Portanto, não ignoremos a importância dos ensinos teológicos (1ª Co 2:6-16)! O TABERNÁCULO
  3. 3. 3 1 O Tabernáculo “E me farão um santuário, e habitarei no meio deles. Conforme a tudo o que eu te mostrar para modelo do tabernáculo, e para modelo de todos os seus vasos, assim mesmo o fareis.” (Êx 25:8,9) Esta foi a ordem que Deus deu à Moisés: que preparasse um lugar aonde o seu povo pudesse adorá-lo. Vamos definir a forma e conhecer as medidas do Tabernáculo: Era uma tenda retangular, construída de modo que podia ser montada e desmontada a qualquer momento, pois eles estavam viajando pelo deserto. Suas medidas eram: 30 côvados de cumprimento por 10 de largura e 10 de altura (Êx 26:15-30); e seu pátio media 100 côvados de comprimento por 50 de largura (Êx 27:9:19). Nas páginas a seguir, faremos um breve resumo desse maravilhoso assunto. 13,50m O TABERNÁCULO
  4. 4. 4 2 Os sacerdotes “ Depois, tu farás chegar a ti teu irmão Arão e seus filhos com ele, do meio dos filhos de Israel, para me administrarem o ofício sacerdotal, a saber: Arão e seus filhos Nadabe, Abiú, Eleazar e Itamar.” (Êx 28:1) Os capítulos 28 e 29 de Êxodo mostram como Deus escolheu, preparou e santificou os sacerdotes para ministrarem no seu santuário. Dentre todo povo, Ele escolheu Arão e seus filhos. Somente eles podiam cuidar das coisas sagradas e oferecer sacrifícios, sendo assim mediadores entre Deus e o povo. Antes disso já havia o sacerdócio, como é o caso de Melquisedeque (Hb 7:1-3), mas foi apartir daí que Deus separou oficialmente homens para exercerem essa função. Posteriormente, foram escolhidos os levitas para ajudarem em todo o serviço sacerdotal, e não somente para cantar, como muitos pensam (Nm 3:5-13; 8:5-26)! Hoje, nós somos sacerdotes a serviço do Reino de Deus (Ap 1.6; 5.10), e devemos parar pra pensar: “como estamos prestando nossos sacrifícios diante do altar?” O TABERNÁCULO
  5. 5. 5 3 A arca “Também farão uma arca de madeira de cetim; o seu comprimento será de dois côvados e meio, e a sua largura, de um côvado e meio, e de um côvado e meio, a sua altura.” (Êx 25:10) A arca aparece na Bíblia com vários nomes: Arca do testemunho, Arca do concerto ou aliança com Deus, Arca sagrada ou santa e Arca de teu poder ou tua força. Ela era uma caixa de madeira de cetim, coberta de ouro por dentro e por fora. Tinha 2 côvados e meio de comprimento, 1 e meio de largura e 1 e meio de altura. Havia sobre ela uma coroa de ouro, e 4 argolas também de ouro pelas quais passavam as varas de madeira de cetim cobertas com ouro que serviam para carregá-la (Êx 25:10-16). No interior da arca havia a vara de Arão, a tábua com os 10 mandamentos e o maná (Hb 9:4). Ninguém sabe o que aconteceu com a arca; segundo o livro apócrifo de 2º Macabeus 2:4-7, ela teria sido levada pelo profeta Jeremias e escondida numa caverna; imagina-se que ele teria feito isso para protegê-la, pois sabia que Jerusalém seria invadida. E a bíblia diz que João a viu no céu (Ap 11:19). Ela representava a presença de Deus, mas hoje nós temos o seu Espírito Santo! O TABERNÁCULO
  6. 6. 6 4 O propiciatório “Também farás um propiciatório de ouro puro; o seu comprimento será de dois côvados e meio, e a sua largura, de um côvado e meio.” (Êx 25:17) Como nos mostram várias passagens bíblicas, a arca ficava escondida no Santo dos Santos, que era uma parte separada do Lugar Santo por uma grossa cortina também chamada de véu, dentro do tabernáculo. Alí, apenas o sumo sacerdote podia entrar, uma vez por ano (no dia da expiação - Lv 16),para fazer sacrifícios pelos seus pecados e pelos pecados do povo; ele entrava com uma corda amarrada à cintura, pois se perdesse os sentidos, ninguém poderia entrar para resgatá-lo, senão morreria. Algo tão especial, deveria ter também uma tampa especial, essa tampa se chamava Propiciatório (Êx 25:17-22), que pode ser traduzido como cobrir, coberta ou tampa; podemos assim definir a palavra propiciação como aquilo que leva alguém a perdoar uma ofensa, mas era necessário descobrir a tampa para ter acesso à graça de Deus; concluímos com isso que o Propiciatório é um tipo (uma comparação) de Jesus Cristo, pois com sua morte nós passamos a ter acesso a graça de Deus, tendo a sua maravilhosa presença conosco através do Espírito Santo. O TABERNÁCULO
  7. 7. 7 5 O altar de incenso “E farás um altar para queimar o incenso; de madeira de cetim o farás. O seu comprimento será de um côvado, e a sua largura, de um côvado; será quadrado, e de dois côvados, a sua altura; e as suas pontas farão uma só peça com ele.” (Êx 30:1,2) Esse altar era usado para queimar incenso de manhã e à tarde (Êx 30:7,8). Conforme está escrito em Êx 30.34,35, este incenso era composto por 5 substâncias: estoraque (colhido espontaneamente de uma árvore que destilava pequenas gotas perfumadas; significa que a adoração deve ser espontânea), onicha (extraída de um molusco do fundo do mar; representa que o clamor deve sair do fundo da alma), gálbano (tinha que ser moído e esmagado para produzir odor; nos mostra que Deus ouve a oração de que tem um coração quebrantado), incenso puro (indica a pureza; Deus não ouve a pecadores (Jo 9:31)) e sal (somos o sal da terra (Mt 5:13); isso simboliza que o crente deve ser temperado para sua oração ser agradável). Quando nos colocamos diante de Deus para adorá-lo e levar nossas petições à Ele, temos que examinar a qualidade de nosso incenso espiritual, para que nosso clamor chegue diante dEle com um cheiro suave (Ef 5:1). O TABERNÁCULO
  8. 8. 8 6 O castiçal “ Também farás um castiçal de ouro puro; de ouro batido se fará este castiçal; o seu pé, as suas canas, as suas copas, as suas maçãs e as suas flores serão do mesmo.” (Êx 25:31) Conforme está relatado em Êx 25:41-40, o candelabro (castiçal), era uma peça só (sem encaixe ou emendas, simbolizando uma perfeita união); feita de ouro puro (o que representa o valor da glória de Deus e a sua divindade), pesava 30 quilos e tinha um suporte para 7 lâmpadas (7 é o número da perfeição, pois tudo o que Ele faz é perfeito) . Duas vezes por dia (de manhã e de tarde), o sumo sacerdote trocava os seus pavios e enchia as luminárias com puro azeite de oliva; sua luz iluminava a mesa dos pães da proposição e o altar de incenso, mantendo assim iluminada constantemente a glória do Santo Lugar. O castiçal tipifica Cristo como a Luz do mundo (Jo 8:12; 9:5). Isso nos faz parar para refletir: como a glória de Deus está brilhando sobre a nossa vida (Mt 5:14; 1ª Jo 1:7)? O TABERNÁCULO
  9. 9. 9 7 A mesa “Também farás uma mesa de madeira de cetim; o seu comprimento será de dois côvados, e a sua largura, de um côvado, e a sua altura, de um côvado e meio.” (Êx 25:23) Feita de madeira de acácia (cetim)e revestida de ouro, medindo 90cm de comprimento, 45 de largura e 68 de altura, essa mesa da ficava bem no meio do Lugar Santo, bem perto do castiçal. Sobre ela ficavam os pães da proposição, também chamados de pães asmos (12 pães, segundo o número das tribos de Israel que acampavam ao redor do Tabernáculo), que eram substituídos a cada 7 dias. A mesa representa união, pois é aonde as pessoas se juntam para comer e se confraternizar; os 12 pães simbolizavam a comunhão entre as 12 tribos. Estes pães podiam ser comidos apenas pelos sacerdotes; hoje todos nós somos sacerdotes (1ª Pe 2:9) diante da mesa de Deus e podemos nos alimentar do Pão da Vida, que é Jesus Cristo (Jo 7:48-51). O TABERNÁCULO
  10. 10. 10 8 A pia “Farás também uma pia de cobre com a sua base de cobre, para lavar; e a porás entre a tenda da congregação e o altar e deitarás água nela.” (Êx 30:18) A pia de bronze, também chamada de bacia, era usada como lavatório para os sacerdotes lavarem as mãos e os pés antes de entrarem na tenda para acenderem o incenso logo após oferecerem sacrifícios. Ela ficava no átrio do Tabernáculo, entre o altar do holocausto e a tenda da congregação. A pia significa purificação, pois a ágüa representa a pureza, sendo ela o único elemento capaz de tirar qualquer impureza e, ao mesmo tempo, matar a sede (qualquer produto de limpeza pode tirar manchas, mas depende da ágüa; e qualquer refresco ou refrigerante podem matar a sede mas também dependem da ágüa); assim sendo, podemos concluir que ela é um tipo perfeito de Jesus e, como sabemos, Ele é a Ágüa Viva e quem for a Ele jamais sentirá sede (Jo 7:37-39). Isso nos mostra o quanto é importante nos preocuparmos com a nossa higiene espiritual, a qual obtemos através do conhecimento e da prática da Palavra de Deus (Jo 15:3). O TABERNÁCULO
  11. 11. 11 9 O altar de cobre “Farás também o altar de madeira de cetim; cinco côvados será o comprimento, e cinco côvados, a largura (será quadrado o altar), e três côvados, a sua altura.” (Êx 27:1) Originalmente, em hebraico, altar significa lugar de sacrifício. O altar de cobre (altar do holocausto) ficava do lado de fora da tenda e era usado para oferecer os sacrifícios do povo a Deus: Quando alguém pecava, escolhia um animal, conforme as suas posses (pois nossas ofertas devem ser voluntárias, de acordo com a nossas possibilidades); somente era necessário que esse animal fosse perfeito -sem manchas ou ferimentos(pois mesmo que sejam pequenas, nossas ofertas devem ser perfeitas). Ele era levado aos sacerdotes que o matavam e o colocavam sobre o altar. Um detalhe muito importante é que esse altar deveri ser mantido sempre aceso, eles jamais poderiam deixar seu fogo se apagar (Lv 6:12,13). Como está a chama do teu coração diante do altar de Deus? O TABERNÁCULO
  12. 12. 12 10 Urim e Tumim “ Também porás no peitoral do juízo Urim e Tumim, para que estejam sobre o coração de Arão, quando entrar diante do Senhor; assim, Arão levará o juízo dos filhos de Israel sobre o seu coração diante do Senhor continuamente.” (Êx 28:30) Na língua hebraica Urim significa luzes e Tumim significa perfeições, o que também se refere às duas naturezas de Jesus. Elas eram colocadas no peitoral do sacerdote (nesse peitoral haviam 12 pedras representando as doze tribos). Não há nenhuma imagem referente a essas duas peças, porque ninguém sabe ao certo como elas eram; só o que sabemos é o seu significado e para que elas serviam. Colocadas sobre o coração de Arão, essas peças representavam o julgamento de Deus sobre seu povo; considerando isso como tipo de Cristo, concluímos que simboliza o amor que Ele tem por nós até mesmo quando nos julga. Como se trata de duas peças que deveriam ser usadas apenas em julgamentos, podemos logicamente dizer que uma significava ‘sim’ e a outra significava ‘não’. Mas independente de sua forma material ou de seu significado lingüístico, o que interessa é a importância que isso tinha para os judeus; pois muitas decisões importantes foram tomadas através de Urim e Tumim (Ed 2:62,63). O TABERNÁCULO
  13. 13. 13 Conclusão Falar do Tabernáculo, ou de qualquer outra passagem bíblica, não é simplesmente contar uma história, mas sim falar de algo que representou o valor da comunhão de um povo com o único e verdadeiro Deus, e continua tendo o mesmo valor para nós hoje -pois a Bíblia não é somente um livro histórico, mas sim profético. Nesse trabalho que apresentamos aqui a nossa intenção foi mostrar resumidamente apenas um pouco do que era o Tabernáculo e o seu significado atual através de Jesus Cristo. As imagens das peças do Tabernáculo que expomos aqui são meras ilustrações criadas, baseadas nos relatos bíblicos, mas suas formas reais são desconhecidas, pois nenhuma delas foi encontrada pelos arqueólogos que pesquisam a história bíblica. Não trouxemos o assunto mais aprofundadamente porque ele é complexamente extenso e necessitaria de mais espaço, mas mencionaremos outros detalhes em futuros trabalhos, se o Senhor Deus assim nos permitir. Glossário Apócrifos: Livros retirados da Bíblia por serem considerados não inspirados. Cetim: Tecido de seda ou algodão, macio e lustroso. Côvado: Unidade de medida correspondente a quase 45 centímetros. Figura: Algo que represente numa lingüagem diferente o que se quer dizer. Mediador: Alguém na função de intermediar, reconciliar ou julgar um assunto Ministrar: Exercer um ministério; servir; exercitar seus próprios dons. Pães asmos: Pães sem fermento. Perambular: Andar a pé; vaguear. Petição: Pedido; oração. Posterior: O que vem depois. Proposição: Ato de expor algo. Redentor: Salvador. Simbologia: Algum objeto material representando verdades espirituais. Sombra: Vestígio ou sinal de coisas futuras. Subliminar: Uma mensagem oculta dentro de outra mensagem. Teologia: Estudo de Deus e das suas relações com o universo. Isso inclui uma interpretação da fé, da experiência e da prática religiosas. Tipificar: Alguma pessoa, coisa ou cerimônia que se refere a eventos futuros. Obrigado por apreciar este trabalho! Que Deus o abençoe! O TABERNÁCULO
  14. 14. 14 Jonas Martins Olímpio Fone: 9 5369-8546 O TABERNÁCULO

×