SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 38
Baixar para ler offline
Parte_01
E farão um
santuário para mim, e eu
habitarei no meio deles
Romanos 15.4. Pois tudo o que foi escrito no
passado, foi escrito para nos ensinar, de forma
que, por meio da perseverança e do bom ânimo
procedentes das Escrituras, mantenhamos a
nossa esperança
Texto Básico: “Êxodo 25”
Introdução: O Tabernáculo, construído
por Moisés no deserto, deixou profundas
lições para a Igreja, tanto através da rica
tipologia dos seus objetos, como também
pelo significado espiritual do sacerdócio,
dos sacrifícios e das celebrações anuais.
Êxodo 25.8. “E farão um santuário
para mim, e eu habitarei no meio
deles”.
Fiel é Deus, o qual os chamou à comunhão com seu Filho
Jesus Cristo, nosso Senhor. 1 Coríntios 1.9.
Comunhão com o seu povo:
1 João 1.3. Nós lhes proclamamos o que vimos e
ouvimos para que vocês também tenham comunhão
conosco. Nossa comunhão é com o Pai e com seu Filho
Jesus Cristo.
O Tabernáculo estava separado da congregação por uma cerca
constituída de 60 colunas de bronze, sobre as quais apoiava-se
um cortinado de linho branco, de dois metros e meio de altura.
Isso fala da separação entre Deus e o pecador (Êxodo 38.10-
15,19 31; Isaías 59.2 Mas as suas maldades separaram
vocês do seu Deus; os seus pecados esconderam de vocês o
rosto dele, e por isso ele não os ouvirá).
O número 6 e seus múltiplos, como no caso dessas colunas,
associam-se ao número 7, que é o número de peças do
Tabernáculo. Como o 6 relaciona-se com o homem e o 7 com
Deus, temos no Tabernáculo a comunhão, ou o encontro do
homem com a Divindade.
O número 6 aparece em muitos lugares do Tabernáculo, como nas
duas fileiras de pães da proposição, de seis cada uma, e no
número de braços do candelabro de ouro (excetuando-se a haste
central, que apresenta Jesus como o tronco que sustenta as
varas).
e entre os candelabros alguém "semelhante a um filho de
homem", com uma veste que chegava aos seus pés e um
cinturão de ouro ao redor do peito. Ap 1.13
e entre os candelabros alguém "semelhante a um filho de
homem", com uma veste que chegava aos seus pés e um
cinturão de ouro ao redor do peito. 14 Sua cabeça e seus
cabelos eram brancos como a lã, tão brancos quanto a neve, e
seus olhos eram como chama de fogo. 15 Seus pés eram como
o bronze numa fornalha ardente e sua voz como o som de
muitas águas. 16 Tinha em sua mão direita sete estrelas, e da
sua boca saía uma espada afiada de dois gumes. Sua face era
como o sol quando brilha em todo o seu fulgor. Ap 1.13-16
Diga aos israelitas que me tragam uma
oferta. Receba-a de todo aquele cujo
coração o compelir a dar. v2
Uma dessa importantes lições está nas ofertas do povo, atendendo ao
apelo divino através de Moisés. Êxodo 25.2-7
As ofertas espontâneas foram tão abundantes que os artífices
interromperam seu trabalho para dizer a Moisés: "5 e disseram a
Moisés: "O povo está trazendo mais do que o suficiente para realizar a
obra que o Senhor ordenou". 6 Então Moisés ordenou que fosse feita
esta proclamação em todo o acampamento: "Nenhum homem ou
mulher deverá fazer mais nada para ser oferecido ao santuário". Assim,
o povo foi impedido de trazer mais, 7 pois o que já haviam recebido era
mais que suficiente para realizar toda a obra. O material já era
suficiente para todos os trabalhos que se deviam executar, e até
sobrava" (Êxodo 36.5-7).
Todos os israelitas que se dispuseram, tanto homens
como mulheres, trouxeram ao Senhor ofertas
voluntárias para toda a obra que o Senhor, por meio de
Moisés, ordenou-lhes que fizessem. Êx 35.29
Que lição preciosa! Como cada um deu espontaneamente do
que possuía: não foi necessário descer ao Egito em busca de
ajuda. Quando cada crente entende que a oferta é parte vital
na comunhão com Deus e dá liberalmente, a igreja não
precisa descer ao "Egito" (ao mundo) e mendigar a ajuda dos
infiéis!
Devia representar uma elevadíssima soma. Contudo, o que
mais impressiona é o fato de que tudo deram
voluntariamente e de todo o coração. Eles ouviram a voz do
Senhor e corresponderam imediatamente
Tudo foi feito segundo a ordem Divina.
Moises realizou a obrar da construção do Tabernáculo e seus
utensílios, fazendo como foi mostrado no monte Sinai. v9 Façam tudo
como eu lhe mostrar, conforme o modelo do tabernáculo e de cada
utensílio.
Moisés assim prontamente obedeceu, isto nos reporta para a pessoa de
Cristo quando encarnou, realizou a orada da salvação de acordo como
foi profetizado.
Aquele que não me ama não guarda as minhas palavras. Estas
palavras que vocês estão ouvindo não são minhas; são de meu Pai que
me enviou. Jo 14.24.
Como um templo destinado a acompanhar
os israelitas no deserto, o Tabernáculo
era desmontável e podia ser conduzido de
um lugar a outro.
Para o honroso trabalho de cuidar e
transportar os objetos componentes,
foram escolhidas as famílias de Gérson,
Coate e Merari
Os gersonitas se acamparam atrás do
santuário, ou seja, ao Ocidente, e
cuidaram do exterior da tenda, como
vigias.
Os coatitas ficaram ao Sul, e eram
responsáveis pelo cuidado da Arca, da
mesa, do candelabro, dos altares e de
todos os vasos sagrados.
Os meraritas situaram-se do lado Norte, e
respondiam pela conservação e transporte
das tábuas, das travessas, das colunas,
das cordas, das estacas e das bases.
Os exércitos de Israel acampavam-se ao
redor do Tabernáculo observando a
seguinte ordem:
Para o Oriente, guardando a porta de entrada do
Tabernáculo, ficava o exército de Judá, de 74.600
homens, e junto a ele, o de Issacar, de 54.400, e o
de Zebulom, de 57.400 (Números 2.3 a 9).
ficava o exército de Rúben, de 46.500 soldados, e
mais os de Simeão, de 59.300, e Gade, de 45.650
(Números 1.21- 25)
ficavam os de Dã, de 62.700 soldados, de Aser, de
41.500, e de Naftali, de 53.400 (Números 1.39-43).
E, finalmente, do lado Oeste, ou seja, à retaguarda do
Tabernáculo, ficavam os exércitos de Efraim, de
40.500 soldados, de Manasses, de 32.200, e de
Benjamim, de 35.400 (Números 2.18-23).
O Tabernáculo olhava sempre para o Oriente, isto é, para o
lugar do nascimento do Sol, certamente apontando para a
pessoa de Jesus, anunciado pelo profeta Malaquias como o
Sol da Justiça que traz a salvação debaixo das suas asas
(Malaquias 4.2 Mas para vocês que reverenciam o meu nome,
o sol da justiça se levantará trazendo cura em suas asas. E
vocês sairão e saltarão como bezerros soltos do curral).
As peças principais desse santuário tomavam a forma de uma
cruz, também apontando para Jesus (2 Coríntios 5.18 Tudo
isso provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por
meio de Cristo e nos deu o ministério da reconciliação).
O fato da tribo de Judá guardar a porta do Tabernáculo é
muito significativo, pois, nas bênçãos de Jacó a seus filhos,
ele diz, no primeiro livro da Bíblia, que Judá era como um
leão, figura que aparece também no último livro das
Escrituras, onde Jesus nos é apresentado como o Leão da
Tribo de Judá (Gênesis 49.9 Judá é um leão novo. Você vem
subindo, filho meu, depois de matar a presa. Como um leão,
ele se assenta; e deita-se como uma leoa; quem tem coragem
de acordá-lo; Apocalipse 5.5 Então um dos anciãos me
disse: "Não chore! Eis que o Leão da tribo de Judá, a Raiz de
Davi, venceu para abrir o livro e os seus sete selo).
Tabernáculo_PARTE_01

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Deus: o Espírito Santo
Deus: o Espírito Santo Deus: o Espírito Santo
Deus: o Espírito Santo Geversom Sousa
 
Lição 3 - O batismo de Jesus - Lições Bíblicas Jovens - 1 tri 2018
Lição 3 - O batismo de Jesus - Lições Bíblicas Jovens - 1 tri 2018Lição 3 - O batismo de Jesus - Lições Bíblicas Jovens - 1 tri 2018
Lição 3 - O batismo de Jesus - Lições Bíblicas Jovens - 1 tri 2018Natalino das Neves Neves
 
TEXTOS ADULTERADOS DA BIBLIA
TEXTOS ADULTERADOS DA BIBLIATEXTOS ADULTERADOS DA BIBLIA
TEXTOS ADULTERADOS DA BIBLIAASD Remanescentes
 
Lição 9 - O legado missionário da igreja primitiva
Lição 9 - O legado missionário da igreja primitivaLição 9 - O legado missionário da igreja primitiva
Lição 9 - O legado missionário da igreja primitivaErberson Pinheiro
 
Lição 9 - A necessidade de termos uma vida santa
Lição 9 - A necessidade de termos uma vida santa Lição 9 - A necessidade de termos uma vida santa
Lição 9 - A necessidade de termos uma vida santa Erberson Pinheiro
 
A Necessidade do Novo Nascimento.
A Necessidade do Novo Nascimento.A Necessidade do Novo Nascimento.
A Necessidade do Novo Nascimento.Márcio Martins
 
2022 1º trimestre jovens lição 03
2022 1º trimestre jovens lição 032022 1º trimestre jovens lição 03
2022 1º trimestre jovens lição 03Joel Silva
 
Lição 2: Os caminhos de Deus
Lição 2: Os caminhos de DeusLição 2: Os caminhos de Deus
Lição 2: Os caminhos de DeusQuenia Damata
 
A FAMILIA WHITE ACREDITAVA NA TRINDADE?
A FAMILIA WHITE ACREDITAVA NA TRINDADE?A FAMILIA WHITE ACREDITAVA NA TRINDADE?
A FAMILIA WHITE ACREDITAVA NA TRINDADE?ASD Remanescentes
 
LBA 2017 3 TRI LIÇÃO 9 - A necessidade de termos uma vida santa
LBA 2017 3 TRI LIÇÃO 9 - A necessidade de termos uma vida santaLBA 2017 3 TRI LIÇÃO 9 - A necessidade de termos uma vida santa
LBA 2017 3 TRI LIÇÃO 9 - A necessidade de termos uma vida santaNatalino das Neves Neves
 
Vendo cristo no novo testamento
Vendo cristo no novo testamentoVendo cristo no novo testamento
Vendo cristo no novo testamentoRafael Batista
 
LIÇÃO_04 Jesus cristo
LIÇÃO_04 Jesus cristoLIÇÃO_04 Jesus cristo
LIÇÃO_04 Jesus cristoPr Neto
 
4 - Ellen White e a Natureza de Cristo
4 - Ellen White e a Natureza de Cristo4 - Ellen White e a Natureza de Cristo
4 - Ellen White e a Natureza de CristoFábio Paradela
 

Mais procurados (20)

Estudo Livro de Apocalipse - aula II
Estudo Livro de Apocalipse - aula IIEstudo Livro de Apocalipse - aula II
Estudo Livro de Apocalipse - aula II
 
Deus: o Espírito Santo
Deus: o Espírito Santo Deus: o Espírito Santo
Deus: o Espírito Santo
 
Lição 3 - O batismo de Jesus - Lições Bíblicas Jovens - 1 tri 2018
Lição 3 - O batismo de Jesus - Lições Bíblicas Jovens - 1 tri 2018Lição 3 - O batismo de Jesus - Lições Bíblicas Jovens - 1 tri 2018
Lição 3 - O batismo de Jesus - Lições Bíblicas Jovens - 1 tri 2018
 
Mateus 28 falso ou verdadeiro
Mateus 28 falso ou verdadeiroMateus 28 falso ou verdadeiro
Mateus 28 falso ou verdadeiro
 
TEXTOS ADULTERADOS DA BIBLIA
TEXTOS ADULTERADOS DA BIBLIATEXTOS ADULTERADOS DA BIBLIA
TEXTOS ADULTERADOS DA BIBLIA
 
Lição 9 - O legado missionário da igreja primitiva
Lição 9 - O legado missionário da igreja primitivaLição 9 - O legado missionário da igreja primitiva
Lição 9 - O legado missionário da igreja primitiva
 
Lição 9 - A necessidade de termos uma vida santa
Lição 9 - A necessidade de termos uma vida santa Lição 9 - A necessidade de termos uma vida santa
Lição 9 - A necessidade de termos uma vida santa
 
A Necessidade do Novo Nascimento.
A Necessidade do Novo Nascimento.A Necessidade do Novo Nascimento.
A Necessidade do Novo Nascimento.
 
Lição 3 Hebreus
Lição 3   HebreusLição 3   Hebreus
Lição 3 Hebreus
 
2022 1º trimestre jovens lição 03
2022 1º trimestre jovens lição 032022 1º trimestre jovens lição 03
2022 1º trimestre jovens lição 03
 
Lição 2: Os caminhos de Deus
Lição 2: Os caminhos de DeusLição 2: Os caminhos de Deus
Lição 2: Os caminhos de Deus
 
A NATUREZA HUMANA DE CRISTO
A NATUREZA HUMANA DE CRISTOA NATUREZA HUMANA DE CRISTO
A NATUREZA HUMANA DE CRISTO
 
A FAMILIA WHITE ACREDITAVA NA TRINDADE?
A FAMILIA WHITE ACREDITAVA NA TRINDADE?A FAMILIA WHITE ACREDITAVA NA TRINDADE?
A FAMILIA WHITE ACREDITAVA NA TRINDADE?
 
Lição 12 hebreus
Lição 12   hebreusLição 12   hebreus
Lição 12 hebreus
 
LBA 2017 3 TRI LIÇÃO 9 - A necessidade de termos uma vida santa
LBA 2017 3 TRI LIÇÃO 9 - A necessidade de termos uma vida santaLBA 2017 3 TRI LIÇÃO 9 - A necessidade de termos uma vida santa
LBA 2017 3 TRI LIÇÃO 9 - A necessidade de termos uma vida santa
 
Lição 2 Hebreus
Lição 2   HebreusLição 2   Hebreus
Lição 2 Hebreus
 
Lição 6 hebreus
Lição 6   hebreusLição 6   hebreus
Lição 6 hebreus
 
Vendo cristo no novo testamento
Vendo cristo no novo testamentoVendo cristo no novo testamento
Vendo cristo no novo testamento
 
LIÇÃO_04 Jesus cristo
LIÇÃO_04 Jesus cristoLIÇÃO_04 Jesus cristo
LIÇÃO_04 Jesus cristo
 
4 - Ellen White e a Natureza de Cristo
4 - Ellen White e a Natureza de Cristo4 - Ellen White e a Natureza de Cristo
4 - Ellen White e a Natureza de Cristo
 

Semelhante a Tabernáculo_PARTE_01

01-histc3b3ria-eclesic3a1stica-a-igreja-no-perc3adodo-apostc3b3lic0.ppt
01-histc3b3ria-eclesic3a1stica-a-igreja-no-perc3adodo-apostc3b3lic0.ppt01-histc3b3ria-eclesic3a1stica-a-igreja-no-perc3adodo-apostc3b3lic0.ppt
01-histc3b3ria-eclesic3a1stica-a-igreja-no-perc3adodo-apostc3b3lic0.pptTiago Silva
 
O santuário parte 1 - Autor. Ribamar Cantanhede
O santuário parte 1 - Autor. Ribamar CantanhedeO santuário parte 1 - Autor. Ribamar Cantanhede
O santuário parte 1 - Autor. Ribamar CantanhedeRibamar Cantanhede
 
2º parte do santuário terrestre as cores
2º parte do santuário terrestre  as cores2º parte do santuário terrestre  as cores
2º parte do santuário terrestre as coresElielbarra1
 
O tabernáculo e sua interpretação
O tabernáculo e sua interpretaçãoO tabernáculo e sua interpretação
O tabernáculo e sua interpretaçãoOaidson Silva
 
Caminhada do Advento
Caminhada do AdventoCaminhada do Advento
Caminhada do AdventoJMVSobreiro
 
Estudos biblicos o tabernáculo
Estudos biblicos   o tabernáculoEstudos biblicos   o tabernáculo
Estudos biblicos o tabernáculoester0908
 
Lições do santuário_Resumo_442013
Lições do santuário_Resumo_442013Lições do santuário_Resumo_442013
Lições do santuário_Resumo_442013Gerson G. Ramos
 
Lição_1022016_Jesus em Jerusalém_GGR
Lição_1022016_Jesus em Jerusalém_GGRLição_1022016_Jesus em Jerusalém_GGR
Lição_1022016_Jesus em Jerusalém_GGRGerson G. Ramos
 
Seminário sobre a história da igreja. parte 1 a origem da igreja
Seminário sobre a história da igreja. parte 1   a origem da igrejaSeminário sobre a história da igreja. parte 1   a origem da igreja
Seminário sobre a história da igreja. parte 1 a origem da igrejaRobson Rocha
 
A Bênção da Presença Manifesta de Deus
A Bênção da Presença Manifesta de DeusA Bênção da Presença Manifesta de Deus
A Bênção da Presença Manifesta de DeusIBMemorialJC
 
Advent e natal 1 na biblia (portugues)
Advent e natal   1 na biblia (portugues)Advent e natal   1 na biblia (portugues)
Advent e natal 1 na biblia (portugues)Martin M Flynn
 
Aconselhamento Cristão.pptx
Aconselhamento Cristão.pptxAconselhamento Cristão.pptx
Aconselhamento Cristão.pptxCarlosAzevedo109
 
dokumen.tips_atos-dos-apstolos-pr-erivelton-rodrigues-nunes-2018-5-15-advogad...
dokumen.tips_atos-dos-apstolos-pr-erivelton-rodrigues-nunes-2018-5-15-advogad...dokumen.tips_atos-dos-apstolos-pr-erivelton-rodrigues-nunes-2018-5-15-advogad...
dokumen.tips_atos-dos-apstolos-pr-erivelton-rodrigues-nunes-2018-5-15-advogad...Tiago Silva
 
Lição 7 - O Lugar Santo
Lição 7 - O Lugar SantoLição 7 - O Lugar Santo
Lição 7 - O Lugar SantoHamilton Souza
 

Semelhante a Tabernáculo_PARTE_01 (20)

01-histc3b3ria-eclesic3a1stica-a-igreja-no-perc3adodo-apostc3b3lic0.ppt
01-histc3b3ria-eclesic3a1stica-a-igreja-no-perc3adodo-apostc3b3lic0.ppt01-histc3b3ria-eclesic3a1stica-a-igreja-no-perc3adodo-apostc3b3lic0.ppt
01-histc3b3ria-eclesic3a1stica-a-igreja-no-perc3adodo-apostc3b3lic0.ppt
 
O Tabernáculo (apostila)
O Tabernáculo (apostila)O Tabernáculo (apostila)
O Tabernáculo (apostila)
 
O santuário parte 1 - Autor. Ribamar Cantanhede
O santuário parte 1 - Autor. Ribamar CantanhedeO santuário parte 1 - Autor. Ribamar Cantanhede
O santuário parte 1 - Autor. Ribamar Cantanhede
 
2º parte do santuário terrestre as cores
2º parte do santuário terrestre  as cores2º parte do santuário terrestre  as cores
2º parte do santuário terrestre as cores
 
Apocalipse 7 - A Igreja Selada - Texto da aula.pdf
Apocalipse 7 - A Igreja Selada - Texto da aula.pdfApocalipse 7 - A Igreja Selada - Texto da aula.pdf
Apocalipse 7 - A Igreja Selada - Texto da aula.pdf
 
O tabernáculo e sua interpretação
O tabernáculo e sua interpretaçãoO tabernáculo e sua interpretação
O tabernáculo e sua interpretação
 
Caminhada do Advento
Caminhada do AdventoCaminhada do Advento
Caminhada do Advento
 
Estudos biblicos o tabernáculo
Estudos biblicos   o tabernáculoEstudos biblicos   o tabernáculo
Estudos biblicos o tabernáculo
 
Lições do santuário_Resumo_442013
Lições do santuário_Resumo_442013Lições do santuário_Resumo_442013
Lições do santuário_Resumo_442013
 
Atos dos Apostolos
Atos dos ApostolosAtos dos Apostolos
Atos dos Apostolos
 
Lição_1022016_Jesus em Jerusalém_GGR
Lição_1022016_Jesus em Jerusalém_GGRLição_1022016_Jesus em Jerusalém_GGR
Lição_1022016_Jesus em Jerusalém_GGR
 
Seminário sobre a história da igreja. parte 1 a origem da igreja
Seminário sobre a história da igreja. parte 1   a origem da igrejaSeminário sobre a história da igreja. parte 1   a origem da igreja
Seminário sobre a história da igreja. parte 1 a origem da igreja
 
A Bênção da Presença Manifesta de Deus
A Bênção da Presença Manifesta de DeusA Bênção da Presença Manifesta de Deus
A Bênção da Presença Manifesta de Deus
 
Advent e natal 1 na biblia (portugues)
Advent e natal   1 na biblia (portugues)Advent e natal   1 na biblia (portugues)
Advent e natal 1 na biblia (portugues)
 
30092010074935b (1).ppt
30092010074935b (1).ppt30092010074935b (1).ppt
30092010074935b (1).ppt
 
Aconselhamento Cristão.pptx
Aconselhamento Cristão.pptxAconselhamento Cristão.pptx
Aconselhamento Cristão.pptx
 
Livro de Numeros.pptx
Livro de Numeros.pptxLivro de Numeros.pptx
Livro de Numeros.pptx
 
dokumen.tips_atos-dos-apstolos-pr-erivelton-rodrigues-nunes-2018-5-15-advogad...
dokumen.tips_atos-dos-apstolos-pr-erivelton-rodrigues-nunes-2018-5-15-advogad...dokumen.tips_atos-dos-apstolos-pr-erivelton-rodrigues-nunes-2018-5-15-advogad...
dokumen.tips_atos-dos-apstolos-pr-erivelton-rodrigues-nunes-2018-5-15-advogad...
 
Lição 7 - O Lugar Santo
Lição 7 - O Lugar SantoLição 7 - O Lugar Santo
Lição 7 - O Lugar Santo
 
Apostila O santuário
Apostila  O santuárioApostila  O santuário
Apostila O santuário
 

Mais de Pr Neto

Adotados por deuslião_11
Adotados por deuslião_11Adotados por deuslião_11
Adotados por deuslião_11Pr Neto
 
Espírito santo
Espírito santoEspírito santo
Espírito santoPr Neto
 
Selição 07 a-salvação_pela_graça
Selição 07 a-salvação_pela_graçaSelição 07 a-salvação_pela_graça
Selição 07 a-salvação_pela_graçaPr Neto
 
Lição 01 uma_promessa_de_salvação
Lição 01 uma_promessa_de_salvaçãoLição 01 uma_promessa_de_salvação
Lição 01 uma_promessa_de_salvaçãoPr Neto
 
Batismo nas águas
Batismo nas águasBatismo nas águas
Batismo nas águasPr Neto
 
A indentidade do Espírito Santo
A indentidade do Espírito SantoA indentidade do Espírito Santo
A indentidade do Espírito SantoPr Neto
 
A santissima trindade
A santissima trindadeA santissima trindade
A santissima trindadePr Neto
 
Regeneração
RegeneraçãoRegeneração
RegeneraçãoPr Neto
 
INSPIRAÇÃO DIVINA E AUTORIDADE DA BÍBLIA
INSPIRAÇÃO DIVINA E AUTORIDADE DA BÍBLIAINSPIRAÇÃO DIVINA E AUTORIDADE DA BÍBLIA
INSPIRAÇÃO DIVINA E AUTORIDADE DA BÍBLIAPr Neto
 
Fé_Completo
Fé_CompletoFé_Completo
Fé_CompletoPr Neto
 
Revista da escola_bíblica_3_trimestre_2017
Revista da escola_bíblica_3_trimestre_2017Revista da escola_bíblica_3_trimestre_2017
Revista da escola_bíblica_3_trimestre_2017Pr Neto
 
LIÇÃO_01_INSPIRAÇÃO DIVINA E AUTORIDADE DA BÍBLIA
 LIÇÃO_01_INSPIRAÇÃO DIVINA E AUTORIDADE DA BÍBLIA LIÇÃO_01_INSPIRAÇÃO DIVINA E AUTORIDADE DA BÍBLIA
LIÇÃO_01_INSPIRAÇÃO DIVINA E AUTORIDADE DA BÍBLIAPr Neto
 
Escola Bíblica Jônatas Um exemplo de lealdade
Escola Bíblica Jônatas Um exemplo de lealdadeEscola Bíblica Jônatas Um exemplo de lealdade
Escola Bíblica Jônatas Um exemplo de lealdadePr Neto
 
José, o pai_terreno_de_Jesus
José, o pai_terreno_de_JesusJosé, o pai_terreno_de_Jesus
José, o pai_terreno_de_JesusPr Neto
 

Mais de Pr Neto (14)

Adotados por deuslião_11
Adotados por deuslião_11Adotados por deuslião_11
Adotados por deuslião_11
 
Espírito santo
Espírito santoEspírito santo
Espírito santo
 
Selição 07 a-salvação_pela_graça
Selição 07 a-salvação_pela_graçaSelição 07 a-salvação_pela_graça
Selição 07 a-salvação_pela_graça
 
Lição 01 uma_promessa_de_salvação
Lição 01 uma_promessa_de_salvaçãoLição 01 uma_promessa_de_salvação
Lição 01 uma_promessa_de_salvação
 
Batismo nas águas
Batismo nas águasBatismo nas águas
Batismo nas águas
 
A indentidade do Espírito Santo
A indentidade do Espírito SantoA indentidade do Espírito Santo
A indentidade do Espírito Santo
 
A santissima trindade
A santissima trindadeA santissima trindade
A santissima trindade
 
Regeneração
RegeneraçãoRegeneração
Regeneração
 
INSPIRAÇÃO DIVINA E AUTORIDADE DA BÍBLIA
INSPIRAÇÃO DIVINA E AUTORIDADE DA BÍBLIAINSPIRAÇÃO DIVINA E AUTORIDADE DA BÍBLIA
INSPIRAÇÃO DIVINA E AUTORIDADE DA BÍBLIA
 
Fé_Completo
Fé_CompletoFé_Completo
Fé_Completo
 
Revista da escola_bíblica_3_trimestre_2017
Revista da escola_bíblica_3_trimestre_2017Revista da escola_bíblica_3_trimestre_2017
Revista da escola_bíblica_3_trimestre_2017
 
LIÇÃO_01_INSPIRAÇÃO DIVINA E AUTORIDADE DA BÍBLIA
 LIÇÃO_01_INSPIRAÇÃO DIVINA E AUTORIDADE DA BÍBLIA LIÇÃO_01_INSPIRAÇÃO DIVINA E AUTORIDADE DA BÍBLIA
LIÇÃO_01_INSPIRAÇÃO DIVINA E AUTORIDADE DA BÍBLIA
 
Escola Bíblica Jônatas Um exemplo de lealdade
Escola Bíblica Jônatas Um exemplo de lealdadeEscola Bíblica Jônatas Um exemplo de lealdade
Escola Bíblica Jônatas Um exemplo de lealdade
 
José, o pai_terreno_de_Jesus
José, o pai_terreno_de_JesusJosé, o pai_terreno_de_Jesus
José, o pai_terreno_de_Jesus
 

Último

Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptxLição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptxCelso Napoleon
 
O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptxO concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptxPIB Penha
 
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica DominicalLIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica DominicalAmaroJunior21
 
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024RaniereSilva14
 
slide da missa com leituras e oração eucarística
slide da missa com leituras e oração eucarísticaslide da missa com leituras e oração eucarística
slide da missa com leituras e oração eucarísticaFranklinOliveira30
 
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semanaLIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semanaWillemarSousa1
 
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns EsclarecedoresEvangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns EsclarecedoresAntonino Silva
 

Último (8)

Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptxLição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
 
O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptxO concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptx
 
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica DominicalLIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
 
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
 
slide da missa com leituras e oração eucarística
slide da missa com leituras e oração eucarísticaslide da missa com leituras e oração eucarística
slide da missa com leituras e oração eucarística
 
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semanaLIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
 
O Livro dos Espiritos - Allan Kardec.pdf
O Livro dos Espiritos - Allan Kardec.pdfO Livro dos Espiritos - Allan Kardec.pdf
O Livro dos Espiritos - Allan Kardec.pdf
 
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns EsclarecedoresEvangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
 

Tabernáculo_PARTE_01

  • 2. E farão um santuário para mim, e eu habitarei no meio deles Romanos 15.4. Pois tudo o que foi escrito no passado, foi escrito para nos ensinar, de forma que, por meio da perseverança e do bom ânimo procedentes das Escrituras, mantenhamos a nossa esperança
  • 4. Introdução: O Tabernáculo, construído por Moisés no deserto, deixou profundas lições para a Igreja, tanto através da rica tipologia dos seus objetos, como também pelo significado espiritual do sacerdócio, dos sacrifícios e das celebrações anuais.
  • 5.
  • 6.
  • 7. Êxodo 25.8. “E farão um santuário para mim, e eu habitarei no meio deles”.
  • 8. Fiel é Deus, o qual os chamou à comunhão com seu Filho Jesus Cristo, nosso Senhor. 1 Coríntios 1.9. Comunhão com o seu povo: 1 João 1.3. Nós lhes proclamamos o que vimos e ouvimos para que vocês também tenham comunhão conosco. Nossa comunhão é com o Pai e com seu Filho Jesus Cristo.
  • 9. O Tabernáculo estava separado da congregação por uma cerca constituída de 60 colunas de bronze, sobre as quais apoiava-se um cortinado de linho branco, de dois metros e meio de altura. Isso fala da separação entre Deus e o pecador (Êxodo 38.10- 15,19 31; Isaías 59.2 Mas as suas maldades separaram vocês do seu Deus; os seus pecados esconderam de vocês o rosto dele, e por isso ele não os ouvirá). O número 6 e seus múltiplos, como no caso dessas colunas, associam-se ao número 7, que é o número de peças do Tabernáculo. Como o 6 relaciona-se com o homem e o 7 com Deus, temos no Tabernáculo a comunhão, ou o encontro do homem com a Divindade.
  • 10. O número 6 aparece em muitos lugares do Tabernáculo, como nas duas fileiras de pães da proposição, de seis cada uma, e no número de braços do candelabro de ouro (excetuando-se a haste central, que apresenta Jesus como o tronco que sustenta as varas). e entre os candelabros alguém "semelhante a um filho de homem", com uma veste que chegava aos seus pés e um cinturão de ouro ao redor do peito. Ap 1.13
  • 11. e entre os candelabros alguém "semelhante a um filho de homem", com uma veste que chegava aos seus pés e um cinturão de ouro ao redor do peito. 14 Sua cabeça e seus cabelos eram brancos como a lã, tão brancos quanto a neve, e seus olhos eram como chama de fogo. 15 Seus pés eram como o bronze numa fornalha ardente e sua voz como o som de muitas águas. 16 Tinha em sua mão direita sete estrelas, e da sua boca saía uma espada afiada de dois gumes. Sua face era como o sol quando brilha em todo o seu fulgor. Ap 1.13-16
  • 12. Diga aos israelitas que me tragam uma oferta. Receba-a de todo aquele cujo coração o compelir a dar. v2
  • 13.
  • 14. Uma dessa importantes lições está nas ofertas do povo, atendendo ao apelo divino através de Moisés. Êxodo 25.2-7 As ofertas espontâneas foram tão abundantes que os artífices interromperam seu trabalho para dizer a Moisés: "5 e disseram a Moisés: "O povo está trazendo mais do que o suficiente para realizar a obra que o Senhor ordenou". 6 Então Moisés ordenou que fosse feita esta proclamação em todo o acampamento: "Nenhum homem ou mulher deverá fazer mais nada para ser oferecido ao santuário". Assim, o povo foi impedido de trazer mais, 7 pois o que já haviam recebido era mais que suficiente para realizar toda a obra. O material já era suficiente para todos os trabalhos que se deviam executar, e até sobrava" (Êxodo 36.5-7).
  • 15. Todos os israelitas que se dispuseram, tanto homens como mulheres, trouxeram ao Senhor ofertas voluntárias para toda a obra que o Senhor, por meio de Moisés, ordenou-lhes que fizessem. Êx 35.29
  • 16.
  • 17. Que lição preciosa! Como cada um deu espontaneamente do que possuía: não foi necessário descer ao Egito em busca de ajuda. Quando cada crente entende que a oferta é parte vital na comunhão com Deus e dá liberalmente, a igreja não precisa descer ao "Egito" (ao mundo) e mendigar a ajuda dos infiéis! Devia representar uma elevadíssima soma. Contudo, o que mais impressiona é o fato de que tudo deram voluntariamente e de todo o coração. Eles ouviram a voz do Senhor e corresponderam imediatamente
  • 18. Tudo foi feito segundo a ordem Divina. Moises realizou a obrar da construção do Tabernáculo e seus utensílios, fazendo como foi mostrado no monte Sinai. v9 Façam tudo como eu lhe mostrar, conforme o modelo do tabernáculo e de cada utensílio. Moisés assim prontamente obedeceu, isto nos reporta para a pessoa de Cristo quando encarnou, realizou a orada da salvação de acordo como foi profetizado. Aquele que não me ama não guarda as minhas palavras. Estas palavras que vocês estão ouvindo não são minhas; são de meu Pai que me enviou. Jo 14.24.
  • 19. Como um templo destinado a acompanhar os israelitas no deserto, o Tabernáculo era desmontável e podia ser conduzido de um lugar a outro.
  • 20. Para o honroso trabalho de cuidar e transportar os objetos componentes, foram escolhidas as famílias de Gérson, Coate e Merari
  • 21. Os gersonitas se acamparam atrás do santuário, ou seja, ao Ocidente, e cuidaram do exterior da tenda, como vigias.
  • 22. Os coatitas ficaram ao Sul, e eram responsáveis pelo cuidado da Arca, da mesa, do candelabro, dos altares e de todos os vasos sagrados.
  • 23. Os meraritas situaram-se do lado Norte, e respondiam pela conservação e transporte das tábuas, das travessas, das colunas, das cordas, das estacas e das bases.
  • 24. Os exércitos de Israel acampavam-se ao redor do Tabernáculo observando a seguinte ordem:
  • 25.
  • 26.
  • 27. Para o Oriente, guardando a porta de entrada do Tabernáculo, ficava o exército de Judá, de 74.600 homens, e junto a ele, o de Issacar, de 54.400, e o de Zebulom, de 57.400 (Números 2.3 a 9).
  • 28.
  • 29. ficava o exército de Rúben, de 46.500 soldados, e mais os de Simeão, de 59.300, e Gade, de 45.650 (Números 1.21- 25)
  • 30.
  • 31. ficavam os de Dã, de 62.700 soldados, de Aser, de 41.500, e de Naftali, de 53.400 (Números 1.39-43).
  • 32.
  • 33. E, finalmente, do lado Oeste, ou seja, à retaguarda do Tabernáculo, ficavam os exércitos de Efraim, de 40.500 soldados, de Manasses, de 32.200, e de Benjamim, de 35.400 (Números 2.18-23).
  • 34. O Tabernáculo olhava sempre para o Oriente, isto é, para o lugar do nascimento do Sol, certamente apontando para a pessoa de Jesus, anunciado pelo profeta Malaquias como o Sol da Justiça que traz a salvação debaixo das suas asas (Malaquias 4.2 Mas para vocês que reverenciam o meu nome, o sol da justiça se levantará trazendo cura em suas asas. E vocês sairão e saltarão como bezerros soltos do curral). As peças principais desse santuário tomavam a forma de uma cruz, também apontando para Jesus (2 Coríntios 5.18 Tudo isso provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por meio de Cristo e nos deu o ministério da reconciliação).
  • 35.
  • 36.
  • 37. O fato da tribo de Judá guardar a porta do Tabernáculo é muito significativo, pois, nas bênçãos de Jacó a seus filhos, ele diz, no primeiro livro da Bíblia, que Judá era como um leão, figura que aparece também no último livro das Escrituras, onde Jesus nos é apresentado como o Leão da Tribo de Judá (Gênesis 49.9 Judá é um leão novo. Você vem subindo, filho meu, depois de matar a presa. Como um leão, ele se assenta; e deita-se como uma leoa; quem tem coragem de acordá-lo; Apocalipse 5.5 Então um dos anciãos me disse: "Não chore! Eis que o Leão da tribo de Judá, a Raiz de Davi, venceu para abrir o livro e os seus sete selo).