DEFICIÊNCIA FÍSICA: OPORTUNIDADE REPARADORA

3.677 visualizações

Publicada em

Palestra Espírita realizada por Jorge Luiz, Fortaleza, Ceará, Brazil.
jorge.grauca@gmail.com

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.677
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.388
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
53
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

DEFICIÊNCIA FÍSICA: OPORTUNIDADE REPARADORA

  1. 1. “Quanto mais próximos do estado primitivo, mas materializados são os homens. O senso moral é o que se desenvolve mais tardiamente. Por isso mesmo só podem fazer uma ideia muito imperfeita de Deus e de seus atributos, e uma ideia igualmente vaga da vida futura.” (Allan Kardec) (O Céu e O Inferno – Cap. VI)
  2. 2. “A crença na eternidade das penas materiais permaneceu como um temor necessário até que os homens pudessem compreender o poder da moral.” (O Céu e O Inferno – Cap. VI)
  3. 3. “A Doutrina Espírita, no tocante às penas futuras não se funda, como nos outros pontos, sobre uma teoria preconcebida. Não apresenta um sistema para substituir outro sistema. Em todos os seus aspectos ela se apoia nas observações, e é isso que faz a sua autoridade.” (O Céu e O Inferno – Cap. VII)
  4. 4. “A carne só é fraca quando o Espírito é fraco, o que inverte a questão e deixa ao Espírito a responsabilidade de todos os seus atos.” (Allan Kardec) (O Céu e O Inferno – Cap. VII)
  5. 5. “A justiça de Deus sendo infinita, todo o mal e todo o bem são rigorosamente levados em conta. Se não há uma única ação má, um só mau pensamento que não tenha consequências fatais, também não há uma única ação boa, um só movimento da alma, numa palavra, o mais ligeiro mérito que fique perdido. E isso, mesmo entre os mais perversos, porque representam um começo de progresso.” (Allan Kardec) (O Céu e O Inferno – Cap. VII)
  6. 6. Arrependimento Expiação Reparação
  7. 7. “A expiação consiste nos sofrimentos físicos e morais que são a consequência da falta cometida, seja desde a vida presente ou seja após a morte, na vida espiritual, ou ainda numa nova existência corpórea, até que os traços da falta tenham desaparecido.” (Allan Kardec)
  8. 8. “Quase sempre o corpo doente assinala a mente enfermiça. A organização fisiológica, segundo conhecemos no campo de cogitações terrestres, não vai além do vaso de barro, dentro do molde preexistente no corpo espiritual. Atingindo o molde em sua estrutura pelos golpes das vibrações inferiores, o vaso refletirá imediatamente.” (XAVIER, F.C. “Missionários da Luz”, pelo Espírito A. Luiz, cap. 4)
  9. 9. “O Espírito tem o direito de escolher o corpo ou somente o gênero de vida que lhe deve servir de prova? - Ele pode escolher também o corpo, porque as imperfeições do corpo são provas que o ajudam no seu adiantamento, se ele vencer os obstáculos encontrados, mas a escolha nem sempre depende dele, que pode pedi-la.” (“O Livro dos Espíritos”, questão nº 335)
  10. 10. “Os contornos anatômicos da forma física, disformes ou perfeitos, longilíneos ou brevilíneos, belos ou feios, fazem parte dos estatutos educativos. (...) Pormenores anatômicos imperfeitos, circunstâncias adversas, ambientes hostis, constituem, na maioria das vezes, os melhores lugares de aprendizado e redenção para aqueles que renascem.” (XAVIER, F.C. “Missionários da Luz”, pelo Espírito A. Luiz, cap. 13)
  11. 11. “-, a experiência ser-lhe-á bem dura, porque dois dos rapazes deverão regressar na condição de paralíticos, um na qualidade de débil mental e, para auxiliá-la na viuvez precoce, terá tão- somente a filha, que, por si mesma, será também portadora de prementes necessidades de retificação.” (XAVIER, F.C. “Missionários da Luz”, pelo Espírito A. Luiz, cap. 12)
  12. 12. (DENIS, Léon in “O Problema do Ser, do Destino e da Dor”)
  13. 13. Dor-evolução Dor-expiação Dor-auxílio (XAVIER, F.C. in “Ação e Reação”, pelo Espírito André Luiz)
  14. 14. “A regra do bem e do mal, que se poderia chamar de reciprocidade ou de solidariedade, não pode ser aplicada à conduta pessoal do homem consigo mesmo. Encontra ele, na lei natural, a regra desta conduta e um guia seguro? - Quando comeis de mais, isso vos faz mal. Pois bem: é Deus que vos dá a medida do que vos falta. Quando ultrapassais, sois punidos. O mesmo se dá com tudo o mais. A lei natural traça para o homem o limite das suas necessidades; quando ele o ultrapassa é punido pelo sofrimento. Se o homem escutasse, em todas as coisas, essa voz que diz: chega! Evitaria a maior parte dos males de que acusa a Natureza.” (“O Livro dos Espíritos”, questão nº 633)
  15. 15. “Assim, erros pretéritos, a comprometerem o delicado dinamismo dos centros de força do corpo espiritual, demandam um processo restaurador que pode se prolongar; às vezes, por diversas encarnações, manifestando-se em forma de moléstias, defeitos congênitos ou predisposições à enfermidade.” (ZIMMERMANN, Z. in “Perispírito”)
  16. 16. “A cegueira, a mudez, a idiotia, a surdez, a paralisia, o câncer, a lepra, a epilepsia, o diabete, o pênfigo, a loucura e todo o conjunto das moléstias dificilmente curáveis significam sanções instituídas pela Misericórdia Divina, portas adentro da Justiça Universal, atendendo-nos aos próprios rogos, para que não venhamos a perder as bênçãos eternas do espírito a troco de lamentáveis ilusões humanas.” (XAVIER, F.C. in “Ação e Reação”, pelo Espírito André Luiz)
  17. 17. “Segundo o tipo de suicídio, direto ou indireto, surgem as distonias orgânicas derivadas, que correspondem a diversas calamidades congênitas, inclusive a mutilação e o câncer, a surdez e a mudez, a cegueira e a loucura, a representarem terapêutica providencial na cura da alma.” (XAVIER, F.C. in “Ação e Reação”, pelo Espírito André Luiz)
  18. 18. “Podem-se, ao contrário, considerar como expiações as aflições que provocam reclamações e leva o homem à revolta contra Deus. O sofrimento que não provoca murmurações pode ser, sem dúvida, uma expiação, mas indica que antes foi escolhido voluntariamente do que imposto; é a prova de uma firme resolução, o que constitui sinal de progresso.” (Allan Kardec) (“O Evangelho Segundo o Espiritismo” – Cap. V:9)
  19. 19. “Junto a semelhantes quadros de provação regenerativa, funciona a ciência médica por missionária da redenção, conseguindo ajudar e melhorar os enfermos de conformidade com os créditos morais que atingiram ou segundo o merecimento de que disponham.” (XAVIER, F.C. in “Ação e Reação”, pelo Espírito André Luiz)
  20. 20. (I Pedro, 4:8)
  21. 21. “Não será lícito (...) esquecer que o bem constante gera o bem constante e, que, mantida a nossa movimentação infatigável no bem, todo o mal por nós amontoado se atenua, gradativamente, desaparecendo ao impacto das vibrações de auxílio, nascidas, a nosso favor, em todos aqueles aos quais dirijamos a mensagem de entendimento e amor puro, sem necessidade expressa de recorrermos ao concurso da enfermidade para eliminar os resquícios de treva que, eventualmente, se nos incorporem, ainda, no fundo mental.” (XAVIER, F.C. in Emmanuel, pelo Espírito Emmanuel)
  22. 22. “Há, no corpo humano, um médico, às ordens da mente, que o Espírito encarnado comanda, aguardando a diretriz para agir corretamente. (...) Esse médico interior pode e deve ser orientado pelo pensamento seguro, pelas disposições do ânimo equilibrado, pela esperança de vitória, pela irrestrita fé em Deus e na oração, que estimulam todas as células para o desempenho correto da finalidade que lhes dizem respeito.” (FRANCO, Divaldo in “Desperte e Seja Feliz” pelo Esp. Joanna de Ângelis)
  23. 23. “A Medicina Integral se baseia num paradigma segundo o qual a maioria das doenças ocorre simultaneamente em mais de um dos cinco corpos da consciência – físico, vital, mental, supramental e espiritual. Entretanto, a doença pode ter origem em um dos níveis e espalhar-se para os outros.” (GOSWAMI, A. in “O Médico Quântico”)
  24. 24. “Quando Jesus pronunciou essa palavra divina – amor -, fez estremecerem os povos, e os mártires, ébrios de esperança, desceram ao circo. O Espiritismo, por sua vez, vem pronunciar a segunda palavra do alfabeto divino. Ficai atentos, porque esta palavra levanta a lápide dos túmulos vazios, e a reencarnação, vencendo a morte, revela ao homem deslumbrado o seu patrimônio intelectual. Mas já não é mais aos suplícios que ela conduz e, sim, à conquista do seu ser, elevado e transfigurado. O sangue resgatou o Espírito, e o Espírito deve agora resgatar o homem da matéria.” (“O Evangelho Segundo o Espiritismo” – Cap. XI:8)

×