Infortúnios ocultos

8.291 visualizações

Publicada em

Palestra sobre infortúnios ocultos

Publicada em: Espiritual
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.291
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
231
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Infortúnios ocultos

  1. 1. Expositor Nertan Jucá
  2. 2. <ul><li>Infortúnio s. m. </li></ul><ul><li>1. Fortuna adversa; infelicidade. </li></ul><ul><li>2. Sorte desgraçada. </li></ul>
  3. 3. <ul><li>A primeira se deu no dia 11 de setembro de 2001 , quando o mundo todo assistiu, estarrecido, ao atentado terrorista às torres gêmeas do World Trade Center ; </li></ul><ul><li>A segunda teve causa natural. Foi no dia 26 de dezembro passado , quando ocorreu um maremoto gigantesco em conseqüência de um terremoto de 8,9 graus na escala Richter , com epicentro localizado no leito do mar próximo à Ilha de Sumatra, matando mais de sessenta mil pessoas em diversos países da Ásia e na costa leste da África. </li></ul>
  4. 4. Destruição Solidariedade
  5. 5. <ul><li>No Capítulo VI Parte 3a de O Livro dos Espíritos , Kardec trata da Lei de Destruição, sendo a Questão 737 particularmente importante para o nosso estudo. 737. Com que fim fere Deus a Humanidade por meio de flagelos destruidores? “Para fazê-la progredir mais depressa. Já não dissemos ser a destruição uma necessidade para a regeneração moral dos Espíritos, que, em cada nova existência, sobem um degrau na escala do aperfeiçoamento? Preciso é que se veja o objetivo, para que os resultados possam ser apreciados. Somente do vosso ponto de vista pessoal os apreciais; daí vem que os qualificais de flagelos, por efeito do prejuízo que vos causam. Essas subversões, porém, são freqüentemente necessárias para que mais pronto se dê o advento de uma melhor ordem de coisas e para que se realize em alguns anos o que teria exigido muitos séculos.” </li></ul>
  6. 6. <ul><li>chocam a opinião pública, tocando fundo na consciência das pessoas, pois a mídia não as omite, antes fazendo delas suas principais manchetes por dias ou semanas; </li></ul><ul><li>As pessoas se associam no trabalho voluntário, coletam e fornecem donativos dos mais variados, se envolvem como podem no esforço de ajudar as vítimas e reconstruir o que foi destruído. </li></ul><ul><li>Após os grandes flagelos vê-se, sempre, grande mobilização de recursos de toda natureza. Em tais momentos, atos de heroísmo que, em outras circunstâncias, passariam despercebidos, acabam sendo divulgados aos quatro cantos do planeta, emocionando pessoas por toda parte, servindo de inspiração e exemplo para emulação. </li></ul>
  7. 7. <ul><li>Kardec nos chama a atenção, no entanto, para os infortúnios ocultos, as desgraças particulares que, apesar de dispersas e sem interesse para a mídia, formam, no todo, um volume de desgraças muitas vezes superior à soma de todos os grandes flagelos que a mídia tanto propaga. Ser caridoso ou heróico no atendimento a um infortúnio oculto jamais será divulgado na mídia, tornando o autor mais meritório perante Deus. </li></ul>
  8. 8. <ul><li>Quem é caridoso de coração encontra os infortúnios ocultos à sua volta, no lar, nas ruas, no trabalho ou onde quer que seja e, tendo-o encontrado, logo se põe a serviço, procurando minimizar o sofrimento dos infortunados. </li></ul><ul><li>O necessitado pode estar do nosso lado todo o dia e nunca o termos percebido, pois as demandas de nossas emoções descontroladas somente permitem que vejamos nossas próprias necessidades e carências. </li></ul>
  9. 9. <ul><li> Requer: </li></ul><ul><li>Força de vontade e dedicação; </li></ul><ul><li>Desprendimento; </li></ul><ul><li>Exemplificando; </li></ul><ul><li>Vivenciando o Evangelho; </li></ul><ul><li>Amando indistintamente. </li></ul>
  10. 10. <ul><li>&quot;Qual o verdadeiro sentido da palavra caridade, como a entendia Jesus?“ </li></ul><ul><li>&quot;Benevolência para com todos, indulgência para as imperfeições dos outros, perdão das ofensas.” </li></ul>
  11. 11. <ul><li>“ Mas ajuntai tesouros no céu...” - Mateus, 6:20 Mesmo guardando prudência e moderação, serás convocado ao aprendizado do desapego. Na condição de usufrutuário passageiro das bênçãos que te felicitam, não obterás certidão de posse sobre tais recursos. Não existem perdas reais no universo, porque nada pertence a ninguém. Quando a vida te convidar às necessárias renovações, ainda que sofras a dolorosa cirurgia do desprendimento, mantém-te no controle de ti mesmo. Hoje é o filho que muda, amanhã um vínculo que parte, depois é um bem surrupiado, mais além um emprego que é retirado. Não são perdas, são mudanças. Guarda calma e equilíbrio para que entendas o “recado” de Deus a ti endereçado nas alterações que a existência te conclama. As dores das perdas são preciosos receituários contra as ilusões que carregamos. </li></ul><ul><li>Ermance Dufaux </li></ul>

×