FACULDADE ALIANÇA – MAURÍCIO DE NASSAU
ENFERMAGEM – 4º PERÍODO – TURNO MANHÃ
 DOCENTE:
Adrielly Caroline Oliveira
Teresi...
PROCESSO DE ENFERMAGEM NA
HEMOTERAPIA
PROCESSO DE ENFERMAGEM NA
HEMOTERAPIA
 NO QUE SE BASEIA?
A hemoterapia consiste no tratamento terapêutico
realizado atra...
Os componentes
sanguíneos
(hemocomponentes) são
obtidos através de
processos físicos e são eles:
concentrado de hemácias,...
 FRACIONAMENTO:
O sangue doado é sempre separado
em vários componentes e cada
paciente receberá aquela parte que
seu org...
Os hemocomponentes
utilizados na terapia
transfusional são:
concentrado de hemácias,
concentrado de plaquetas,
plasma fre...
 TIPOS SANGUÍNEOS:
Vários sistemas de grupos
sanguíneos são encontrados no
sangue. Os mais importantes
para a transfusão...
 SISTEMAS ABO E Rh:
O negativo – considerado doador universal. No caso da
transfusão, o ideal é o paciente receber sangu...
 ASPECTOS ÉTICOS E LEGAIS NA HEMOTERAPIA:
Resolução do COFEN – 200 / 1997: dispõe sobre a atuação
dos profissionais de E...
 SOROLÓGICOS:
VDRL
HBsAg
Anti-HIV
Anti-HBc
Anti-HTLV I/II
Chagas
Anti-HCV
 IMUNOLÓGICOS:
Tipagem ABO
Tipagem Rh...
ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM NA INFUSÃO
DE HEMOTERÁPICOS
 ANTES:
Perguntar ao paciente seu nome completo;
Conferir o nome ...
 DURANTE:
Atentar para que o início da transfusão não exceda 30
minutos após o recebimento da bolsa;
Controlar a transf...
 DEPOIS:
Assinar e carimbar no término da evolução transfusional;
Colar etiqueta referente ao hemocomponente no prontuá...
 A CONDUTA RECOMENDADA AOS ENFERMEIROS FRENTE A UMA
REAÇÃO TRANSFUSIONAL É:
Interromper imediatamente a transfusão;
Ver...
 QUAIS SÃO OS RISCOS DA TRANSFUSÃO?
Reações alérgicas: podem ocorrer, mas normalmente são reações leves
e de fácil trata...
 DÚVIDAS E MITOS QUE O ENFERMEIRO TEM DE ESTAR APTO A
SOLUCIONAR:
Quando a pessoa doa sangue, o sangue fica fino?
Doar ...
REFERÊNCIAS
 Schöninger, N.; Duro, C. L. M. Atuação do enfermeiro em serviço de hemoterapia.
Ciênc. cuid. Saúde 2010 abr/...
AGRADECEMOS A ATENÇÃO!
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Processo de Enfermagem na hemoterapia - No Caminho da Enfermagem - Lucas Fontes.

2.393 visualizações

Publicada em

Slide sobre o processo de Enfermagem na hemoterapia apresentado por um grupo de graduandos do curso de Enfermagem da Faculdade Aliança - Maurício de Nassau. Lucas Fontes. http://NoCaminhoDaEnfermagem.blogspot.com.br/

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.393
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
56
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Processo de Enfermagem na hemoterapia - No Caminho da Enfermagem - Lucas Fontes.

  1. 1. FACULDADE ALIANÇA – MAURÍCIO DE NASSAU ENFERMAGEM – 4º PERÍODO – TURNO MANHÃ  DOCENTE: Adrielly Caroline Oliveira Teresina (PI), março de 2015.  DISCENTES: Lucas Fontes Francisca Maria Francisca Rayane Francisca Karoliny Elane Rodrigues Eylanne Silva Iara Estevão Jessiane Cardoso Jessica Suelen Juliana Abreu Kelyanne Torres
  2. 2. PROCESSO DE ENFERMAGEM NA HEMOTERAPIA
  3. 3. PROCESSO DE ENFERMAGEM NA HEMOTERAPIA  NO QUE SE BASEIA? A hemoterapia consiste no tratamento terapêutico realizado através da transfusão sanguínea, seus componentes e derivados e se trata de uma atividade assistencial de alto risco epidemiológico, uma vez que o sangue, na condição de tecido vivo, é capaz de transmitir diversas doenças.
  4. 4. Os componentes sanguíneos (hemocomponentes) são obtidos através de processos físicos e são eles: concentrado de hemácias, plasma fresco congelado, concentrado de plaquetas e crioprecipitado. Já os derivados sanguíneos (hemoderivados) são fabricados através da industrialização do plasma e são eles: albumina, imunoglobulinas e fatores da coagulação. PROCESSO DE ENFERMAGEM NA HEMOTERAPIA
  5. 5.  FRACIONAMENTO: O sangue doado é sempre separado em vários componentes e cada paciente receberá aquela parte que seu organismo precisa. Após o fracionamento, são obtidos os componentes sanguíneos, que são transfundidos a vários pacientes. PROCESSO DE ENFERMAGEM NA HEMOTERAPIA
  6. 6. Os hemocomponentes utilizados na terapia transfusional são: concentrado de hemácias, concentrado de plaquetas, plasma fresco congelado e crioprecipitado.  PRINCIPAIS COMPONENTES DO SANGUE: Plasma: cerca de 55%. Glóbulos vermelhos: cerca de 45%. Glóbulos brancos: cerca de 1%. Plaquetas: cerca de 0,17%. PROCESSO DE ENFERMAGEM NA HEMOTERAPIA
  7. 7.  TIPOS SANGUÍNEOS: Vários sistemas de grupos sanguíneos são encontrados no sangue. Os mais importantes para a transfusão de sangue são os sistemas ABO e Rh. A incidência destes grupos varia de acordo com a raça, pois trata-se de fator hereditário. DOADOR RECEPTOR B B; O A A; O AB AB; A; B; O O O PROCESSO DE ENFERMAGEM NA HEMOTERAPIA
  8. 8.  SISTEMAS ABO E Rh: O negativo – considerado doador universal. No caso da transfusão, o ideal é o paciente receber sangue do mesmo tipo que o seu. AB positivo – tido como receptor universal, podendo receber transfusão de qualquer tipo sanguíneo, mas só pode fazer doação para quem tem sangue do mesmo tipo. PROCESSO DE ENFERMAGEM NA HEMOTERAPIA
  9. 9.  ASPECTOS ÉTICOS E LEGAIS NA HEMOTERAPIA: Resolução do COFEN – 200 / 1997: dispõe sobre a atuação dos profissionais de Enfermagem em hemoterapia e transplante de medula óssea. Resolução do COFEN – 306 / 2006: normatiza a atuação do enfermeiro em hemoterapia. PROCESSO DE ENFERMAGEM NA HEMOTERAPIA
  10. 10.  SOROLÓGICOS: VDRL HBsAg Anti-HIV Anti-HBc Anti-HTLV I/II Chagas Anti-HCV  IMUNOLÓGICOS: Tipagem ABO Tipagem Rh Pesquisa de D fraco Pesquisa de anticorpo irregular PROCESSO DE ENFERMAGEM NA HEMOTERAPIA  EXAMES:
  11. 11. ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM NA INFUSÃO DE HEMOTERÁPICOS  ANTES: Perguntar ao paciente seu nome completo; Conferir o nome relatado com os dados do rótulo da bolsa e da prescrição; Certificar a indicação da transfusão na prescrição médica; Instalar o hemocomponente, mantendo íntegro o sistema até o final do procedimento; Instruir a equipe de enfermagem para não infundir nenhum tipo de medicamento concomitantemente com a transfusão (exceto solução fisiológica 9%); Preferir, sempre que possível, transfundir no período diurno.
  12. 12.  DURANTE: Atentar para que o início da transfusão não exceda 30 minutos após o recebimento da bolsa; Controlar a transfusão para que seu tempo máximo não ultrapasse 4 horas; Permanecer os primeiros 15 minutos da transfusão observando o paciente; Atentar para sinais de reação transfusional. ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM NA INFUSÃO DE HEMOTERÁPICOS
  13. 13.  DEPOIS: Assinar e carimbar no término da evolução transfusional; Colar etiqueta referente ao hemocomponente no prontuário do paciente; Conferir se a contracapa do prontuário já tem a etiqueta de tipagem do paciente (grupo sanguíneo e fator Rh); Devolver o hemocomponente ao Serviço de Hemoterapia caso o mesmo não tenha sido utilizado. Após concluída a transfusão recolher a bolsa e encaminhar para o serviço de Hemoterapia para ser autoclavada. ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM NA INFUSÃO DE HEMOTERÁPICOS
  14. 14.  A CONDUTA RECOMENDADA AOS ENFERMEIROS FRENTE A UMA REAÇÃO TRANSFUSIONAL É: Interromper imediatamente a transfusão; Verificar os sinais vitais e a condição clínica do paciente, atentando-se para possível choque anafilático; Manutenção do acesso venoso com solução fisiológica; Reverificação dos dados de identificação da etiqueta do hemocomponente, confrontando com os dados do paciente; Comunicar imediatamente o Serviço de Hemoterapia do hospital em caso de reação; Anotar o número da bolsa de hemoderivados que ocasionou o evento; Registrar o evento em prontuário (Evolução de Enfermagem). ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM NA INFUSÃO DE HEMOTERÁPICOS
  15. 15.  QUAIS SÃO OS RISCOS DA TRANSFUSÃO? Reações alérgicas: podem ocorrer, mas normalmente são reações leves e de fácil tratamento; Febre: pode ocorrer com mais frequência em pacientes transfundidos previamente. Reações hemolíticas: são raras e ocorrem quando substâncias no sangue do paciente (anticorpos) destroem os glóbulos vermelhos do doador. A isso denominamos hemólise. Transmissão de infecções: o sangue de todos os doadores voluntários são testados para doenças transmissíveis. PROCESSO DE ENFERMAGEM NA HEMOTERAPIA
  16. 16.  DÚVIDAS E MITOS QUE O ENFERMEIRO TEM DE ESTAR APTO A SOLUCIONAR: Quando a pessoa doa sangue, o sangue fica fino? Doar sangue constantemente, durante muito tempo, vicia? Pode fumar cigarros depois de doar sangue? Bebidas alcoólicas podem ser ingeridas depois de doar sangue? Doenças simples, como a gripe, podem impedir a doação? É preciso estar em jejum para doar sangue? Quem doa sangue pode trabalhar normalmente? O que é uma "transfusão casada"? PROCESSO DE ENFERMAGEM NA HEMOTERAPIA
  17. 17. REFERÊNCIAS  Schöninger, N.; Duro, C. L. M. Atuação do enfermeiro em serviço de hemoterapia. Ciênc. cuid. Saúde 2010 abr/jun; 9(2):317-324, abr.-jun.  Paulo, G. O.; Damásio, M.; Eder, R. P. Papel do enfermeiro em hemoterapia. Trabalho de Conclusão de Curso do curso de Enfermagem, Centro Universitário Padre Anchieta, Jundiaí, 2011.  CONSELHO FEDERAL DE ENFERMAGEM (BR). Resolução COFEN nº306/2006. Brasília (DF); 2006  Transfusão de sangue, Hemoterapia 9 de Julho. Disponível em: http://www.hemoterapia9dejulho.com.br/transfusao.asp, acessado em 10/03/2015.  Mitos e Dúvidas, HEMOPA. Disponível em: http://www.hemopa.pa.gov.br/mitos-e- duvidas.htm, acessado em 10/03/2015.
  18. 18. AGRADECEMOS A ATENÇÃO!

×