Palestra DéBora

9.471 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Negócios
1 comentário
5 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
9.471
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
165
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
314
Comentários
1
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Palestra DéBora

  1. 1. TRANSFUSÃO DE SANGUE Enfermeira Débora Andrade Fevereiro, 2009
  2. 2. ...sangue... é uma das substâncias mais evocativas do mundo. Para muita gente, representa a essência da vida, para outros um sacramento religioso ou apenas uma dádiva dos deuses... Dr. Wells, 2008
  3. 3. OBJECTIVOS: <ul><li>Definir Transfusão Sanguínea; </li></ul><ul><li>História; </li></ul><ul><li>Tipos de Sangue: </li></ul><ul><ul><li>Sistema Rh; </li></ul></ul><ul><ul><li>Sistema ABO; </li></ul></ul><ul><ul><li>Compatibilidade; </li></ul></ul><ul><li>Doação de Sangue; </li></ul><ul><li>Complicações. </li></ul>
  4. 4. O QUE É UMA TRANSFUSÃO DE SANGUE? <ul><li>Transferência de sangue, ou de um dos seus componentes, de um doador saudável para um paciente. </li></ul><ul><li>Porque é necessário uma transfusão de sangue? </li></ul><ul><li>Causas agudas: acidentes, cirurgias... </li></ul><ul><li>Causas crónicas: anemias crónicas, quimioterapia, outras doenças... </li></ul>
  5. 5. HISTÓRIA DAS TRANSFUSÕES DE SANGUE <ul><li>1665: realizada por Lower, entre animais; </li></ul><ul><li>1667: realizada por Jean-Batiste que infundiu sangue de carneiro num homem de 34 anos; </li></ul><ul><li>1788: Pontick e Landois concluem que as transfusões podem salvar vidas; </li></ul><ul><li>1818: Blundell realiza a 1ª transfusão com sangue humano; </li></ul><ul><li>1869: desenvolvem-se técnicas e equipamentos; </li></ul><ul><li>1901:Landsteiner descreve tipos de células vermelhas (A, B, AB, O), descobrindo a compatibilidade; </li></ul>
  6. 6. HISTÓRIA DAS TRANSFUSÕES DE SANGUE <ul><li>1907: 1ª transfusão de sangue com provas de compatibilidade; </li></ul><ul><li>1936: surge o primeiro banco de sangue em Barcelona; </li></ul><ul><li>Após a 2ª Guerra Mundial aumenta o conhecimento e o uso da técnica devido aos progressos científicos e o crescimento das necessidades. </li></ul>
  7. 7. SANGUE: <ul><li>Tecido vivo; </li></ul><ul><li>Circula pelas veias e artérias; </li></ul><ul><li>Responsável pelo transporte de oxigénio e nutrientes; </li></ul><ul><li>Responsável pela saída de dióxido de carbono; </li></ul><ul><li>Constituído por: </li></ul><ul><ul><li>Hemácias; </li></ul></ul><ul><ul><li>Leucócitos; </li></ul></ul><ul><ul><li>Plasma; </li></ul></ul><ul><ul><li>Plaquetas. </li></ul></ul>
  8. 8. TIPOS DE SANGUE <ul><li>Sistema Rh: </li></ul><ul><ul><li>Classificação através da presença ou ausência de uma proteína da superfície da hemácia; </li></ul></ul><ul><ul><li>Rh - - ausência da proteína na superfície; </li></ul></ul><ul><ul><li>Rh + - presença da proteína na superfície. </li></ul></ul>
  9. 9. TIPOS DE SANGUE <ul><li>Sistema ABO: </li></ul><ul><ul><li>Classificado como A, B, AB, ou O, tendo em conta a presença de 2 antígenes na superfície (A, B); </li></ul></ul><ul><ul><li>Presença de antígene A na hemácia – Tipo A; </li></ul></ul><ul><ul><li>Presença de antígene B na hemácia – Tipo B; </li></ul></ul><ul><ul><li>Presença de antígene A e B na hemácia – Tipo AB; </li></ul></ul><ul><ul><li>Ausência de antígene A ou B – Tipo O. </li></ul></ul>
  10. 10. Tipo A Tipo B Tipo AB Tipo O
  11. 11. Exemplo: Tipo A Positivo Tipo A Negativo
  12. 12. COMPATIBILIDADE SANGUÍNEA <ul><li>Pessoa portadora do tipo de sangue O negativo é considerada dadora universal mas só recebe dele mesmo; </li></ul><ul><li>Pessoa portadora do tipo de sangue AB positivo é tida como receptora universal, mas doa apenas para pessoas com o seu tipo de sangue. </li></ul><ul><li>Pessoas com Rh positivo podem receber hemácias do tipo Rh negativo; </li></ul><ul><li>O contrário é impossível! </li></ul>
  13. 13. COMPATIBILIDADE SANGUÍNEA
  14. 14. ALTERNATIVAS AO SANGUE <ul><li>Designados susbtitutos de sangue; </li></ul><ul><li>Objectivo: </li></ul><ul><ul><li>Preencher o volume do sangue e transportar os gases e nutrientes no sistema circulatório; </li></ul></ul><ul><li>Utilizados como expansores de volume e terapias de oxigénio; </li></ul><ul><li>Vantagem: </li></ul><ul><ul><li>Tratamentos e cirurgias sem sangue. </li></ul></ul>
  15. 15. COMPLICAÇÕES <ul><li>Falha humana; </li></ul><ul><li>Falta de controle de qualidade; </li></ul><ul><li>Hemólise; </li></ul><ul><li>Contaminação; </li></ul><ul><li>Doenças e infecções transmissíveis: </li></ul><ul><ul><li>Hepatite B e C; </li></ul></ul><ul><ul><li>SIDA; </li></ul></ul><ul><ul><li>Hemocromatose; </li></ul></ul><ul><ul><li>Sifílis. </li></ul></ul>
  16. 16. HEPATITE B E C <ul><li>Vírus que contamina o fígado; </li></ul><ul><li>Sintomas: dores abdominais, febre, icterícia e urina escura; </li></ul><ul><li>Período de incubação varia entre 50 e 180 dias para a hepatite B e, no caso da hepatite C de 70 a 90 dias; </li></ul><ul><li>O portador da doença pode não desenvolver a doença. </li></ul>
  17. 17. SIDA <ul><li>Transmite-se pelo vírus HIV; </li></ul><ul><li>Ataca as células de defesa do organismo; </li></ul><ul><li>Susceptibilidade a doenças infecciosas que podem levar à morte; </li></ul><ul><li>Sintomas: emagrecimento, queda de cabelo, diarreias frequentes, infecções respiratórias frequentes; </li></ul><ul><li>Pode levar 3 a 10 anos a manifestar-se. </li></ul>
  18. 18. HEMOCROMATOSE <ul><li>Quantidade excessiva de ferro no organismo; </li></ul><ul><li>O ferro em excesso deposita-se no fígado, pâncreas, coração, provocando a falência destes órgãos; </li></ul><ul><li>Difícil absorção do ferro; </li></ul><ul><li>Transmite-se através de um gene. </li></ul>
  19. 19. SIFÍLIS <ul><li>Doença infecciosa (bactéria Treponema Paladium); </li></ul><ul><li>Tempo de incubação: 2 a 3 semanas; </li></ul><ul><li>1ª fase da doença: feridas nos genitais, indolores e desaparecem sem tratamento; </li></ul><ul><li>2ª fase da doença: manchas avermelhadas pelo corpo; </li></ul><ul><li>3ª fase da doença: problemas no cérebro, coração e ossos; </li></ul><ul><li>Pode causar a morte! </li></ul>
  20. 20. Doação de Sangue
  21. 21. PORQUÊ DOAR SANGUE?
  22. 22. PORQUÊ DOAR SANGUE? <ul><li>Casal que perdeu as pernas num acidente em Azambuja precisa de sangue ! </li></ul><ul><li>Ana Rita Gregório, de 29 anos, e Nuno Gonçalo Cartaxeiros dos Santos, de 31 anos, residentes no Cartaxo, foram atingidos por um automóvel cerca das 03h20 de domingo, quando socorriam um casal que estaria encarcerado numa viatura à beira da estrada. Acabaram por ser atingidos por um carro conduzido por uma mulher com consequências dramáticas: Ana Rita ficou sem as duas pernas quase ao nível da cintura e Nuno Gonçalo tem uma perna amputada abaixo do joelho. </li></ul><ul><li>Quem quiser ajudar o casal desafortunado e familiares com dádivas de sangue e outros meios pode ligar para José Gregório (936145516), pai de Ana Rita, para o Hospital de S. José (218 841 000), dando o nome completo dos dois jovens. Circula também uma mensagem de apoio ao casal para doação de sangue através do número 917 853 721. </li></ul>28/ Nov./2008 (Jornal O Mirante)
  23. 23. PORQUÊ DOAR SANGUE? <ul><li>Jacqueline Lopes   </li></ul><ul><li>O Banco de Sangue da Santa Casa precisa com urgência de doação. Está em falta o sangue de tipagem O positivo. Doacir Antunes é um dos pacientes que precisam da doação. </li></ul><ul><li>Para doar, a pessoa precisa ter entre 18 e 65 anos, acima de 50 quilos. O Hemosul também é um ponto de doação e fica na Avenida Fernando Corrêa da Costa, 1304, em Campo Grande. </li></ul><ul><li>Domingo,14 de Dezembro 2008 </li></ul><ul><li>A chuva que deixou mortos e assolou Santa Catarina provocou um aumento de mais de 50% na demanda por transfusões de sangue... no início da semana foram feitas aproximadamente 50 transfusões, nesta quarta foram mais de cem procedimentos... &quot;Outra preocupação está nas conseqüências da enchente, que costuma acarretar doenças como a leptospirose, cujo tratamento utiliza muitas bolsas de sangue“... </li></ul><ul><li>(Coordenadora Patrícia 27/11/2008) </li></ul><ul><li>“ Sangue O positivo faz falta” </li></ul><ul><li>“ Flagelados do SC precisam de sangue” </li></ul>
  24. 24. QUEM PODE DOAR SANGUE? <ul><li>Ter documento de identificação; </li></ul><ul><li>Ser um indivíduo saudável; </li></ul><ul><li>Ter entre 18 e 65 anos; </li></ul><ul><li>Pesar ≥ 50 Kg; </li></ul><ul><li>Evitar estar em jejum; </li></ul><ul><li>Estar excluído de grupos de risco; </li></ul><ul><li>Ser um indivíduo sem comportamentos de risco (não consumir drogas, sexo seguro...). </li></ul>
  25. 25. QUEM NÃO PODE DOAR? <ul><li>Indivíduos que tiveram hepatite após os 10 anos; </li></ul><ul><li>Mulheres grávidas ou que estejam no período de amamentação; </li></ul><ul><li>Pessoas expostas a doenças infecciosas; </li></ul><ul><li>Indivíduos consumidores de drogas; </li></ul><ul><li>Pessoas que tiveram relações sexuais sem preservativo; </li></ul><ul><li>Situações provisórias: </li></ul><ul><ul><li>Febre, gripe, anemia, medicamentos, transfusão recente, vacinação, tatuagem...). </li></ul></ul>
  26. 26. O QUE ACONTECE DEPOIS DA DOAÇÃO? <ul><li>Dador recebe um lanche; </li></ul><ul><li>Dador recebe ensinos relativamente ao seu bem-estar; </li></ul><ul><li>São efectuados testes ao sangue para determinar o grupo de sangue e averiguar se há presença de doença; </li></ul><ul><li>Caso se verifique, o dador é chamado a entrevista sendo informado. E, caso seja do seu acordo, encaminhado para os serviços de saúde. </li></ul>
  27. 27. O QUE ACONTECE AO SANGUE DEPOIS DE COLHIDO? <ul><li>O sangue é separado nos seus componentes básicos (plaquetas, plasma, hemácias); </li></ul><ul><li>Uma colheita de sangue corresponde a ± 450 ml e pode salvar 3 vidas! </li></ul>
  28. 28. JOSÉ PAULA, O MAIOR DADOR DE SANGUE DOS HOSPITAIS UNIVERSITÁRIOS DE COIMBRA, FALOU AO 'CM' SOBRE O SEU RECORDE. <ul><li>Correio da Manhã – Detém o recorde de dádivas de sangue, 84, dos Hospitais da Universidade de Coimbra (HUC). É dador há mais de vinte anos. Porquê? </li></ul><ul><li>José Paula – Porque uma gota de sangue pode salvar uma vida e eu sinto-me bem ao fazê-lo. Dar sangue rejuvenesce e acho que até faz bem à saúde. Já é um hábito: dou sangue de três em três meses. </li></ul><ul><li>Mas aconteceu alguma coisa que o fez começar a dar sangue? </li></ul><ul><li>Quando tinha nove anos, hoje tenho 50, vi duas pessoas minhas amigas morrerem num acidente e lembro-me de ouvir o médico que foi ao local confirmar a morte dizer que se eles tivessem recebido sangue sobreviveriam. Fiquei com aquela ideia e hoje penso muito nos acidentados que precisam de transfusões. </li></ul>
  29. 29. JOSÉ PAULA, O MAIOR DADOR DE SANGUE DOS HOSPITAIS UNIVERSITÁRIOS DE COIMBRA, FALOU AO 'CM' SOBRE O SEU RECORDE. <ul><li>É em salvar vidas que pensa quando dá sangue? </li></ul><ul><li>É. Já devo ter salvo algumas, mas nunca fiz questão de o dizer. Quero é que o meu sangue corra nas veias de quem precisa. Mas gostava de conhecer alguém que tivesse sido salvo por causa do meu sangue. </li></ul><ul><li>Tem alguns cuidados especiais por ser dador? </li></ul><ul><li>Faço a minha vida normal. Sou um bom garfo, gosto de beber, fumo uns cigarros... É preciso é ter vontade e boas intenções. </li></ul><ul><li>Pensa ser dador até quando? </li></ul><ul><li>Enquanto tiver saúde. Gostava de chegar pelo menos às cem colheitas. </li></ul><ul><li>Incentiva outras pessoas a dar sangue? </li></ul><ul><li>Sim, mas não é fácil. Já convenci a minha mulher, mas o assunto ainda é tabu para muitas pessoas que têm medo das agulhas, dos contágios... Não há que ter medo. </li></ul><ul><li>Hoje recebe uma medalha de ouro dos HUC por ter mais de sessenta dádivas. Como se sente? </li></ul><ul><li>É um dia de alegria e de orgulho. Não o fiz à espera de nenhuma retribuição, mas sinto-me satisfeito com o reconhecimento. </li></ul><ul><li>Cátia Vicente </li></ul>
  30. 30. Doe Sangue ... Doe Vida !
  31. 31. Fim

×