Comunicacãƒo

671 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
671
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Comunicacãƒo

  1. 1. COMUNICACÃO AUMENTATIVA E ALTERNATIVA
  2. 2. Comunicação alternativa/aumentativa • Comunicação alternativa: Qualquer forma diferenciada da fala, existe simultaneamente, uma interação frente a frente; como é o caso da escrita, dos signos gestuais e de gráficos. • Comunicação aumentativa: Reside no âmbito da comunicação complementar e/ou de apoio; possuindo em si, um duplo objetivo, a promoção e o apoio à fala e garantir a capacidade comunicativa, caso a pessoa não aprenda a falar.  Assim, a comunicação aumentativa e alternativa implicam o recorrer a formas não faladas como meio de complemento ou substituição da linguagem falada.
  3. 3. ELEMENTOS DOS SISTEMAS AlTERNATIVOS DE COMUNICAÇÃO Os signos, os quais se referem a símbolos, como é exemplo a linguagem gestual; Os gráficos, que são uma reprodução escrita ou desenhada;  Os tangíveis, feitos de madeira ou plástico que são principalmente direcionados aos invisuais.
  4. 4. Formas Alternativas de Comunicação  Comunicação com ajuda (a linguística requer o uso um qualquer instrumento exterior ao utilizador);  Comunicação sem ajuda (aquele que comunica gera as suas próprias expressões de linguagem – como o piscar do olho para indicar “sim” ou “não”);  Comunicação dependente (o individuo comunica com outra pessoa recorrendo a tabelas com letras simples);  comunicação independente (em que a mensagem é formulada totalmente pelo individuo, através de dispositivos de fala digitalizado ou sintetizado).
  5. 5. SIGNOS: GESTUAIS Signos gestuais : • As línguas gestuais utilizadas pelos surdos que diferem de país para país e possuem a sua própria estrutura com gramática e sintaxe diferentes das línguas faladas; • Os sistemas gestuais construídos de maneira a seguir a estrutura da linguagem oral. Este tipo de sistemas de signos gestuais nunca foi utilizado entre surdos porque a sua gramática e sintaxe se adapta mal a uma linguagem de carácter visual e gestual, mas este sistema funciona bem entre pessoas que ouvem mas têm dificuldade na comunicação.  O uso de signos gestuais e fala em simultâneo possibilita uma aprendizagem mais facilitada.
  6. 6. SIGNOS GRÁFICOS Signos gráficos: • Estão ligados ao uso de tecnologias de apoio para a comunicação onde se inserem as tabelas simples de apontar até aos equipamentos baseados em suportes informáticos. • Os mais comuns são o sistema Bliss, sistema PIC, sistema SPC e lexigramas. • No uso dos sistemas gráficos é necessária a compreensão linguística. • O vocabulário é feito consoante as necessidades dos utilizadores. O vocabulário de cada sistema impõe limitações quanto aos signos a aprender, devendo ser apenas considerado como uma proposta e não como um resultado. Logo, as necessidades específicas de cada utilizador devem ser decisivas relativamente aos signos a figurar na tabela de comunicação e caso não existam signos adequados, estes são inventados; mas devem corresponder ao máximo com o sistema utilizado pelo indivíduo.  Muito facilmente, se misturam diferentes sistemas de signos gráficos, diminuindo as limitações do sistema e por sua vez, dos utilizadores.
  7. 7. Signos gráficos mais comuns:  Sistema Bliss - são signos gráficos que não se baseiam na combinação de letras, formado por 100 signos básicos que se podem combinar para formar palavras novas e para as quais não existem signos básicos. Devido à complexidade da configuração gráfica de alguns signos, este sistema tem pouco êxito em pessoas com deficiência mental grave. Contudo, este é o sistema gráfico mais avançado disponível para pessoas não falantes, por isso as pessoas com bom desempenho intelectual mas com dificuldades na fala e problemas de leitura são as que podem beneficiar mais com os signos Bliss, desde que haja estratégias de ensino adequadas.  Sistema PIC - consiste em desenhos estilizados que formam silhuetas brancas sobre fundo preto. É fácil de entender e o seu uso tem vindo a generalizar-se rapidamente, substituindo em alguns casos a utilização do sistema Bliss em pessoas com deficiência mental grave. Contudo, os signos PIC são menos versáteis e permitem uma comunicação mais limitada que os signos Bliss. Existem apenas 400 signos PIC na versão portuguesa e a construção de palavras ou frases nem sempre é acessível. Este sistema pode ser complementado com signos de outros sistemas sempre que a situação assim o exija.
  8. 8. Signos gráficos mais comuns:  Sistema SPC - está a aumentar a sua popularidade devido, principalmente, ao elevado número de signos (cerca de 3000 signos). Os signos são desenhos de linhas simples a preto sobre fundo branco e o seu significado está escrito sobre o desenho. Algumas palavras (de, para, com…) estão apenas escritas, sem desenho. Os signos são fáceis de desenhar, podendo por isso copiar-se manualmente ou fotocopiar-se.  Sistema Rebus – representa uma abordagem diferente dos outros sistemas. Consta de mais de 2000 signos, na maioria, pictográficos e alguns ideológicos que foram concebidos como um sistema de escrita logográfica. Inicialmente foi criado para ajudar as pessoas portadoras de uma deficiência mental ligeira a aprender a ler, mais tarde, o seu uso alargou-se ao campo da comunicação alternativa. Este sistema teve bons resultados no desenvolvimento das capacidades de leitura em muitas pessoas pelo facto de se basear na combinação de signos e de significados dos mesmos. Além disso, exige poucas capacidades de leitura, pois não é necessário ler todas as letras de uma palavra.
  9. 9. Signos gráficos mais comuns:  Lexigramas - não constituem um sistema de signos gráficos completo. São um conjunto de nove elementos que se combinam e resultam em diferentes configurações (glosas). A glosa dos signos é atribuída segundo as necessidades de cada indivíduo e do seu contexto. O objetivo é que os signos não sejam pictográficos. Há três tipos de signos: ideográficos, pictográficos e representações gráficas dos signos gestuais. Estes últimos constituem a característica distinta e original que permite distinguir este sistema dos outros sistemas gráficos.
  10. 10. COMUNICAÇÃO POR IMAGENS  Os desenhos e fotografias: são usados muitas vezes como forma de comunicação , contudo, é necessário uma capacidade cognitiva para a sua interpretação o que nem sempre acontece.  Uma desvantagem do uso de imagens como comunicação é que estas não constituem uma utilização linguística, assim o uso de imagens como palavras pode implicar a necessidade de a pessoa desaprender a utilização original que fazia dessas mesmas imagens, o que não é aconselhável.  Mais vantajoso usar um sistema de signos gráficos em vez de imagens vulgares. Outro problema da comunicação por imagens é que, para a maioria da sociedade, as imagens não são consideradas como linguagem e os utilizadores deste sistema não são levados a sério.  A função mais importante das fotografias é talvez a de nomear as pessoas.
  11. 11. Comunicação/Escrita  Uma alternativa para a comunicação é a escrita normal, a maioria das pessoas dominam esta área. Uma dificuldade será para quem possuir um vocabulário limitado, pois a comunicação será mais difícil mas podem comunicar por palavras soltas.
  12. 12. Signos tangíveis • Utilização de objetos como forma de comunicação, ver e tocar a forma do signo e as suas diferentes texturas. O sistema de comunicação tangível mais antigo e extenso foi criado por Premack. • Dirigidos a pessoas com plenitude visual, são vulgarmente objetos e modelos de objetos que são escolhidos no contexto do individuo. o seu uso por vezes pode-se tornar pouco prático, pois um signo tangível pode representa algo mais do que o próprio objeto sendo mais fácil compreender uma representação gráfica.
  13. 13. Exemplos de Signos Tangíveis Fichas Premack - Este sistema é usado sobretudo no ensino de pessoas com deficiência mental ou autismo, sendo este constituído por fichas marcadas com códigos a cores que indicam a localização de uma determinada palavra na frase. Signos tácteis - Os signos têm este nome por serem identificados pelo tato, têm formas que podem ser facilmente discriminadas devido às diferentes texturas que possuem. Estes signos tangíveis foram criados para pessoas invisuais ou com uma deficiência.
  14. 14. REFLEXÃO DO GRUPO A Fala, considerada a forma mais comum de comunicação entre os humanos, contudo há um número significativo de pessoas incapazes de comunicar a partir deste meio.  Criar alternativas de comunicação que sejam não faladas.  Há inúmeras alternativas à comunicação falada.  A sociedade não se encontra preparada para aceitar as diferenças e lidar com estas. Continuando a entender a fala como única forma de expressão comunicativa, a população não se interessa nem se disponibiliza na aprendizagem de novos meios comunicativos.  Nem todos somos iguais e a diferença deve ser tida em consideração, possibilitando uma vida socialmente ativa e a aquisição de aprendizagens/conhecimentos a todos os indivíduos. Por isso gera-se a necessidade de aquisição global de conhecimentos relativos aos meios de comunicação alternativos e aumentativos, para que seja possível minorar as diferenças de determinados indivíduos na sociedade em que se inserem.  A retenção de conhecimentos relativos às diversas formas de comunicação são um passo urgente a fim da igualdade social.

×