Plano de Comunicação - Reabertura da Estrada Caminho do Mar

477 visualizações

Publicada em

- Estudo e mapeamento local para desenvolvimento de projeto gráfico (parceria com agência), identidade visual e materiais informativos;
- Apresentações para Grupos de Trabalho como suporte de propostas para Parcerias Público Privadas;
- Suporte na organização do evento de reabertura;
- Captação e organização de conteúdo jornalístico respectivo ao projeto.

Publicada em: Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
477
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Plano de Comunicação - Reabertura da Estrada Caminho do Mar

  1. 1. Situado no Parque Estadual da Serra do Mar, privilegiado por sua localização, a apenas 43km do centro de São Paulo e pelo fácil acesso através das rodovias Anchieta e da SP148; Caminho do Mar, abriga inestimável patrimônio ambiental, caracterizado por Mata Atlântica, de exuberante beleza cênica, além de importante acervo histórico cultural. Esse acervo, que marca períodos da história do desenvolvimento do Estado de São Paulo, é representado pela Calçada do Lorena (1792), primeira via pavimentada com pedras, ligando o planalto ao litoral; pelo conjunto de Monumentos Históricos (1922), construídos ao longo da Estrada Caminho do Mar, em comemoração ao centenário da Independência do Brasil e pelas estruturas do complexo hidroenergético da usina Henry Borden (1926). Fotos: Thiago Benedetti / Natureza local – Texto: Extraído do Projeto Preliminar de Revitalização (EMAE)
  2. 2. Não há documento jurídico atualizado sobre a questão da propriedade dos monumentos. 1922: construção dos oito monumentos pela Secretaria da Agricultura e Transportes (antiga vinculação do DER); 1972: o conjunto de monumentos é tombado pelo Condephaat e são passados do DER para a SEC; 1979: a Eletropaulo solicita à SEC a guarda dos monumentos; 1998: por sucessão, a EMAE passa a ser responsável pelos monumentos, não obstante esse encargo não constar de documentos à época das privatizações.
  3. 3. O Departamento de Patrimônio Histórico da Eletropaulo entrega o Restauro do conjunto de Monumentos Históricos; O Departamento de Patrimônio Histórico da Eletropaulo entrega a restauração de três trechos da Calçada do Lorena (1792), primeira via, com calçamento, de ligação entre o Planalto e a Baixada; Formalização de parceria com a Fundação Energia e Saneamento para elaboração de projeto de Restauro dos Monumentos Históricos através de benefícios da Lei Rouanet (projeto aprovado no Ministério da Cultura dois anos mais tarde); Ação do Ministério Público contra a Fazenda do Estado, EMAE, DER e Instituto Florestal para recuperação das encostas, da estrada e dos monumentos históricos ao longo da estrada Caminho do Mar; Aprovação pelo MinC – Ministério da Cultura, do projeto de Restauro dos monumentos históricos; Construção dos monumentos, pela Secretaria da Agricultura e Transportes, ao longo da estrada Caminho do Mar, em comemoração ao centenário da Independência;
  4. 4. O DER, empresa responsável na época pela operação da SP- 148 estrada Caminho do Mar, recupera os dois trechos da estrada que estavam rompidos; Início das obras de Restauro dos Monumentos Históricos com recursos de patrocínio obtidos através dos benefícios da Lei Rouanet; Entrega da 1ª fase do restauro; Entrega da 2ª fase do restauro; Conclusão da 3ª e última fase do restauro do conjunto de monumentos; A queda de um raio no Pouso Paranapiacaba danifica o pináculo central, causando danos também ao telhado.
  5. 5. 15/12 Governador Geraldo Alckmin reabre “Ecoturismo Caminho do Mar” A estrada está aberta à visitação ao público em geral de terça a domingo, das 9h00 às 16h00.
  6. 6. Vista aérea das estradas da região
  7. 7. Estacionamento Pouso Paranapiacaba Casa de Visitas Ruínas Calçada do Lorena Monumento do Pico Pouso Circular Padrão do Lorena Rancho da Maioridade Pontilhão da Serra Cruzeiro Quinhentista Localização atual do portal de entrada Definição do Novo portal de entrada
  8. 8. Portaria: Redefinição do portal de entrada
  9. 9. Vista com Estrada do Mirante
  10. 10. Barragem Rio das Pedras
  11. 11. De Distância em Kms Principal Via de acesso São Paulo 36,4 SP-150/SP148 São Caetano 28,9 SP-150/SP148 Santo André 24,7 SP-150/SP148 Diadema 27,7 SP-150/SP148 Mauá 24,8 SP-31 Ribeirão Pires 17,8 SP-31 Suzano 42,9 SP-31 Rio Grande da Serra 19,4 SP-31 Santos 42,1 SP-150/SP148
  12. 12. Texto: Extraído do Projeto Fundação Energia e Saneamento O conjunto de monumentos históricos foi construído ao longo da Estrada Caminhos do Mar. Construída entre 1913 e 1925, seguindo o leito da antiga Estrada da Maioridade, de 1846, a Estrada Caminhos do Mar foi a primeira rodovia da América Latina a receber pavimentação em concreto, a partir de 1920. Nesse período, foi erguida em seu percurso a série Monumentos dos Caminhos do Mar, comemorando o centenário da Independência do Brasil. Projeto desenvolvido pela empresa “Caminho do Mar”, de Arthur Rudge Ramos, a Estrada Caminhos do Mar permaneceu por mais de três décadas como o principal acesso à Baixada Santista. Marcou o início da era do automóvel no Estado de São Paulo. A partir de 1947, com a inauguração da primeira pista da Via Anchieta, tomou-se uma opção secundária de acesso ao litoral. O conjunto de monumentos é composto por oito edificações, projetados pelo arquiteto franco-argentino Victor Dubugras, apresentam painéis azulejados artísticos de José Wasth Rodrigues. Também integra o conjunto a Calçada do Lorena, estrada construída em pedra no século XVIII.
  13. 13. Casa de Visitas do Alto da Serra
  14. 14. Monumento do Pico Edificado em alvenaria de pedras, com trabalhos ornamentais em granito lavrado, está localizado no início do trecho de serra da Calçada do Lorena. Provavelmente construído no mesmo local onde em 1790 foi erguido um monumento em homenagem ao então governador da Capitania de São Paulo, Bernardo José Maria de Lorena.
  15. 15. Pouso Paranapiacaba Construção em alvenaria de pedra, tijolos e elementos de granito lavrado e circundado por varandas, integrando-se completamente à paisagem. Localizada no km 43 do Caminhos do Mar, era ponto de parada de carros durante a viagem, e homenageia a era automobilística. Paranapiacaba, palavra de origem indígena, significa "local de onde se vê o mar". Freqüentemente é confundido com uma suposta "casa da marquesa de Santos", que nunca a conheceu, pois morreu em 1867
  16. 16. Ruínas do Pouso Ruínas em alvenaria de pedra da casa que abrigou funcionários e trabalhadores durante a construção dos Monumentos do Serra, no km 44,5 do Caminhos do Mar.
  17. 17. Belvedere Circular Situada no primeiro cruzamento da Calçada do Lorena com o Caminhos do Mar, no km 46, a construção em alvenaria de pedras e tijolos do Belvedere Circular, ou “Pouso Circular”, era outro ponto de parada e mirante da paisagem local no trajeto da Serra.
  18. 18. Rancho da Maioridade Sua implantação dentro de uma curva fechada da estrada propicia uma visão em 360º do percurso em redor, dele avistando-se a Baixada Santista e o complexo industrial de Cubatão. Na curva da estrada que o rodeia há vestígios do pavimento de macadame original do Caminhos do Mar, de 1913. Ponto de descanso e reabastecimento durante a viagem entre São Paulo e Santos no km 47 do Caminhos do Mar, seu nome é alusivo a Estrada da Maioridade, construída entre 1841 e 1846. Conta com painel de azulejos que ilustra a subida da Serra por figuras políticas de destaque do século XIX.
  19. 19. Padrão do Lorena Edificado no terceiro ponto de cruzamento entre a Calçada do Lorena e o Caminhos do Mar, no km 47,2, foi erigido em homenagem a Bernardo José Maria de Lorena. É um memorial com implantação em meia-encosta e composição de escadarias conduzindo ao pórtico, onde se encontra um medalhão em azulejos retratando Bernardo de Lorena. Os painéis de azulejaria laterais ilustram cenas do século XVIII, como tropeiros e mulas carregando mercadorias.
  20. 20. Pontilhão da Raiz da Serra Desde a década de 1970, esteve isolado dos visitantes, dentro da área de segurança da refinaria Presidente Bernardes. O último projeto de restauro permitiu novamente o acesso público a ele. Originalmente marcava o início da subida da Serra. Localizado no km 51, possui placa comemorativa sobre a finalização da pavimentação em concreto do Caminho do Mar, em 1925, no governo de Carlos de Campos.
  21. 21. Marca o início da transposição da serra entre o planalto e o litoral, em alusão à história iniciada pelos caminhos indígenas, posteriormente pelo Caminho do Padre José. Hoje, encontra-se em local diferente do original. Cruzeiro Quinhentista
  22. 22. Os atrativos abaixo foram listados pela equipe da Fundação Florestal como potenciais para uso público: 1. Monumentos Históricos – Pouso do Paranapiacaba, Rancho da Maioridade, Belvedere Circular, Padrão do Lorena, Pontilhão, Cruzeiro Quinhentista – todos ao longo da rodovia Caminho do Mar; 2. Barragem do Rio das Pedras; 3. Troller da cremalheira; 4. Usina Henry Borden; 5. Calçada do Lorena – Trilha de Pedra que desce a serra e encontra o Caminho do Mar no Padrão do Lorena; 6. Cicloturismo – Toda a área incluindo estrada do Mirante e estradas de serviço das concessionárias de eletricidade, além do Caminho do Mar; 7. Esportes náuticos na represa: stand-up paddle, caiaque, Wind surf, kite surf, passeio de barco desde a Base Tibiriça (São Bernardo) do Núcleo Itutinga Pilões; 8. Cachoeiras do Rio Perequê – trilha, cascading, rapel.
  23. 23. Tour contemplativo motorizado com paradas e visitação Cerca de 16 km, sendo 8 km de descida e mais 8 km de subida motorizadas (van). Caminhada contemplativa completa: Percurso aproximado de 16 km, sendo 8 km de descida e mais 8 km de subida.
  24. 24. Bike Tour contemplativo completo * Trajeto monitorado ou com autorização especial.

×